...

Executivos do IBEF conhecem o projeto de Viracopos A Lei

by user

on
Category: Documents
6

views

Report

Comments

Transcript

Executivos do IBEF conhecem o projeto de Viracopos A Lei
Nº 133
Publicação do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças – Campinas
Executivos do
IBEF conhecem
o projeto de
Viracopos
14
Tudo que você
precisa saber
sobre sua carreira
4
A Lei
Anticorrupção
vai acabar com
os “laranjas”
6
Junho de 2014
EXPEDIENTE
Gislaine Heitmann
Presidente
CONSELHO DIRETOR – 2013/2015
OPINIÃO
O que se exige do executivo financeiro no Brasil são funções cada vez mais estratégicas dentro
da organização. Em tempos de concorrência acirrada, o profissional financeiro moderno é
aquele que, além atuar com responsabilidade na gestão de riscos e custos, equilibra bem as
exigências relativas às áreas de compliance, eficiência e visão de negócios. Além disso, as
empresas valorizam os “malabaristas” que têm visão estratégica aguçada e fazem uma leitura
qualificada sobre o mercado, a concorrência e as oportunidades. Esta constatação encontra eco
em uma pesquisa mundial da consultoria PwC (PricewaterhouseCoopers), empresa patrocinadora
do IBEF Campinas, sobre os desafios da função financeira e as melhores práticas no setor,
e está em linha com o que se exige do executivo financeiro no Brasil. No mundo corporativo
supercompetitivo da atualidade, é lei dominar mais de um idioma, é básico entender a lógica
de um mundo múltiplo, plural e conectado, e é fundamental saber montar uma boa equipe com
as pessoas certas para suportar essas atribuições no nível adequado. Talvez seja essa terceira
qualidade o maior diferencial, porque empresas esperam resultados, e o mercado não está para
peixe quando o assunto é recursos humanos qualificados. Recentemente, Vanderlei Garcia, CFO
da Amsted Maxion, comentou: “Hoje somos o piloto da empresa, congregamos uma série de
atividades que até então não olhávamos. É necessário estar em todos os lugares da empresa,
dando opinião e participando porque todas as decisões de uma empresa envolvem dinheiro. Todo
resultado positivo, portanto, tem uma influência grande do financeiro.” O Vanderlei disse tudo,
eu só tenho que assinar embaixo! Amigos, a Revista IBEF ganhou, neste mês de junho, um novo
projeto gráfico: visual moderno e elegante, mais conteúdo e fotografias. Outra novidade: as fotos
dos eventos estarão disponíveis, a partir de agora, no facebook. Boa leitura!
“IBEF nas Universidades”
agora na UNIP
2
CONSELHO FISCAL EFETIVO
Membros: João Batista Castelnovo (presidente),
Miguel Arcângelo Ruzene, Adriana Sanfelice
Suplentes: Jesus Aparecido Ferreira Pessoa, André
Luiz Felizardo, Roberto Carlos Guize
CONSELHO CONSULTIVO
Saulo Duarte Pinto Jr. (presidente), Amilcar Amarelo,
José Roberto Morato, Marcos de Mello Mattos
Haaland, Antônio Horácio Klein
Romeu Santini, Gislaine Heitmann, Marcos Ebert
DIRETORES VOGAIS
Bancos: Monica de Cassia Freire Gondin;
Comércio: Karim Samra; Mídia Televisiva: Antonio
Wellington da Costa Lopes; Mídia Impressa: Moacir
Teixeira Dias; Indústria: Renê Augusto Marzagão;
Logística: Fernando Cunha de Figueiredo Torres;
Responsabilidade Social: F. Edmir Bertolaccini;
Produtos e Serviços: Luiz Antonio Furlan; Jurídico:
Marco Antonio Ruzene; Agronegócio: Rodrigo
Bortollini Ruzende; Tecnologia e Inovação: Denise
Cremonini; Relações Acadêmicas: José Carlos P.
Coimbra; Health Care: Elem Regina Serafim Martins;
Relações Institucionais: Letícia Micchelucci
GRUPOS E COMITÊS
Tributário: Ramon Molez Neto e Andrea de Toledo
Pierri; Controladoria: Rodrigo Vieira Lemes e Juliana
Bilachi; Tesouraria: Rafael Marques Santos; Crédito
e Gestão de Riscos: Luciana J. Cecconello e Rogério
Bortoletto; Tecnologia e Inovação: Dorian Lacerda
Guimarães e Esdras Moraes Sobrinho; Empresas
Familiares: José Luis Finocchio Jr. e Maurício
Colombari; IBEF Jovem: Alan Santinello e Leonel
Pereira Serafim; IBEF Mulher: Teresa Guemureman
e Anneli Majuri.
IBEF EM REVISTA – www.ibefcampinas.com.br
Tiragem: 1.000 exemplares
Publicação Bimestral do IBEF CAMPINAS
Rua Barão de Jaguara, 1.481 – 11º andar – conj. 113
Campinas/SP – CEP 13015-910
Fone (19) 3233.1851
Contato: [email protected]
Jornalista Responsável:
Mônica Maria Guimarães Pinto
Projeto Gráfico:
Caractere – Fone: (19) 3307.4824/3254.1053
Caractere
fotografia, conteúdo e design
3
te você terá como fazer uma carreira
de sucesso”, disse o palestrante, para
quem só a formação técnica “não basta
para que o profissional se diferencie no
mercado em que atua.” Muito atentos e
interessados na palestra, os estudantes
também receberam de Schaffer uma
dica que, segundo o palestrante, é fundamental para o sucesso na carreira e
que ele segue até os dias de hoje: focar
suas ações no cliente, independentemente de qualquer coisa. Entusiasmado
com a iniciativa do IBEF de se aproximar das instituições de ensino, Schaffer, ao final de sua palestra, intitulada
“Base para o sucesso do Profissional de
Finanças”, disse ter ficado muito satisfeito com o interesse dos estudantes.
Presidente: Gislaine Heitmann
Primeiro Vice-Presidente (V.P.): Valdir Augusto de
Assunção
V.P. de Administração: Flávia Crosara G. de Andrade
V.P. de Finanças: Ana Maria Cajueiro Toffolo
V.P. Jurídico: Arthur Pinto de Lemos Netto
V.P. Relacionamento: Jean Paraskevopoulos Neto
V.P. de Admissão e Frequência: Carina Budin Amaro
V.P. Técnico: Octávio Teixeira Brilhante Ustra
V.P. de Desenvolvimento: Marcos de Figueiredo Ebert
A
nova diretoria executiva da
Câmara de Comércio Exterior
de Campinas e Região tomou
posse dia 5 de junho no hotel Royal
Palm Plaza. A Câmara é voltada ao
fomento do comércio exterior e reúne várias entidades representativas
de Campinas, como: IBEF Campinas,
CIESP, ACIC, universidades, Aeroportos Brasil Viracopos, Sindicato de
Despachantes Aduaneiros, Sescon,
cônsules honorários e a Prefeitura de
Campinas, através da Secretaria de
Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cooperação Internacional.
A Câmara é presidida pelo ex-secretário de Cooperação Internacional de
Campinas, Romeu Santini. Na Diretoria Executiva, representando o IBEF
Campinas, Marcos Ebert, enquanto Gislaine Heitmann é membro do
Conselho.
foto: André Fonseca
IBEF EM REVISTA
IBEF EM REVISTA
A
frieza dos números deu lugar
a uma lição de vida durante a
palestra que Dines Schaffer, associado e ex-diretor do IBEF Campinas,
proferiu para um grupo de mais de 100
alunos da Faculdade de Economia da
UNIP, como parte do programa que o
instituto vem realizando com alunos de
universidades da cidade. Schaffer, que
atualmente trabalha como consultor
organizacional, levou para a plateia um
pouco de sua experiência profissional
e destacou para os ouvintes o que considera ser decisivo para o sucesso de
qualquer profissional: saber lidar com
as pessoas envolvidas em seu trabalho.
“Se você não tiver capacidade para se
relacionar com as pessoas, dificilmen-
O Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças
(IBEF) é uma entidade sem fins lucrativos, formada
por profissionais de finanças que tem como objetivo
o desenvolvimento profissional e social, através do
intercâmbio de informações.
A entidade foi fundada no Rio de Janeiro em 1971.
Em Campinas, o IBEF foi constituído em 1985. É
uma entidade pública municipal (Lei nº 12.070
de 10/09/2004). No Brasil, o IBEF tem também
entidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito
Santo, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco,
Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.
Toma posse nova diretoria da Câmara
de Comércio Exterior de Campinas e Região
Carreira
Esse foi o tema escolhido pelo IBEF Jovem e que atraiu um grande público
para o evento realizado na Livraria Cultura no dia 27 de maio. Daniela Caparroz
dos Santos, da CPFL, falou sobre gestão de carreira, e Vanderlei Garcia, CFO
da Amsted Maxion Fundição e Equipamentos Ferroviários, traçou o novo
perfil do gestor financeiro. Conheça as principais ideias dos palestrantes:
foto: Gustavo Tílio
Vanderlei
Garcia
» O maior obstáculo
na área financeira é a
certeza de que tudo vai
mudar a todo tempo. É
preciso acompanhar essas
mudanças, sair um pouco
do ambiente acadêmico
e mergulhar no ambiente
da empresa porque é
nele que realmente o
profissional de finanças
é formado.
» Somos o piloto da empresa, congregamos
uma série de atividades que até então não
olhávamos. É necessário estar em todos
os lugares da empresa, dando opinião e
participando porque todas as decisões
de uma empresa envolvem dinheiro. Todo
resultado positivo tem uma influência
grande do financeiro.
Alessandra
Costa
Sou muito preocupada
com a minha carreira
e procuro estar
sempre atualizada.
» É fundamental muito diálogo entre líderes
e colaboradores. A carreira também é
de responsabilidade do gestor. Ele tem
que saber se o colaborador está no lugar
certo, no momento certo. O gestor tem a
responsabilidade de viabilizar essa carreira e
visualizar as oportunidades compatíveis com
o perfil e o momento do colaborador.
condições de convencê-los, sem dúvida,
é o diretor financeiro.
» É preciso ser 100% ético. E essa é
uma das grandes preocupações da nossa
área: ter certeza de que os processos
e os controles internos estão em ordem
e isso é um desafio muito grande. O Brasil
avançou muito em compliance e, seguindo
na esteira dos EUA, tem leis em andamento
no Congresso para alcançar o mesmo nível
americano. Uma coisa que ajuda é que
as empresas brasileiras também estão
se lançando no mercado e um investidor
estrangeiro só vai apostar em empresas
com governança.
Hermes
Almeida
Conhecimento é primordial
para quem deseja crescer
profissionalmente. Luto
muito para alcançar meus
objetivos e me sinto feliz.
5
4
Daiane Sapori
Alves
Carreira é um tema
muito forte na empresa
e eu vim aprender mais
sobre ele.
» Além de entender muito bem os números
da empresa, o executivo de finanças
conhece as estratégias e os rumos daquele
mercado de atuação. Ele funciona como um
instrumento de captação de recursos, ele
fará a empresa ter longevidade e prosperar.
O presidente muitas vezes está ocupado
em fazer negócios em prospectar empresas,
mas quem fala com os investidores e tem
» A carreira é de responsabilidade do
colaborador. A empresa tem a missão de
ser uma direcionadora, de promover as
oportunidades, mas é o colaborador o
responsável por sua carreira. Ele tem que
estar sempre pronto para responder às
oportunidades viabilizadas pela empresa.
IBEF EM REVISTA
IBEF EM REVISTA
» Estudar idiomas, inglês, espanhol, e não
se preocupar tanto com títulos. Pósgraduação, MBA, são bons? Claro que são.
São ótimos. Mas, a vivência no ambiente
de trabalho e a convivência com todos os
departamentos das outras áreas fazem com
» As empresas que
estão saindo na frente e
atendendo a demanda da
geração Y são aquelas que
fazem o Mapa de Carreira
do colaborador indicando
suas oportunidades.
» A CPFL promoveu um programa de
trainee destinado à vice-presidência
financeira. Foram 80 candidatos por vaga
em um processo bastante criterioso.
Oito ficaram, passaram por uma trilha de
desenvolvimento na área financeira e já
possuem grande visibilidade dentro da
empresa.
que o profissional tenha uma visão muito
mais abrangente do negócio. Fale com
Compras, fale com Vendas, com Produção,
entenda o negócio da empresa, e você ficará
mais habilitado para dar a resposta que o
mercado precisa hoje em dia.
foto: Gustavo Tílio
Daniela
Caparroz dos
Santos
foto: Giancarlo Giannelli
Quem paga o custo da corrupção?
Qual seu nível de conhecimento
sobre a nova Lei Anticorrupção
brasileira?
19%
26%
55%
José Luiz
Finocchio Jr.
A Lei pode incentivar a mudança
dessa benevolência que o
brasileiro tem com as práticas
corruptas. Aprovei o debate
proposto pelo IBEF.
Jean
Paraskevopoulos
Neto
Miriam Silva
O IBEF trouxe o Ministério Público e
isso é essencial para uma nova leitura
deste tema. A Lei e a sociedade
brasileira estão se preparando para
inibir condutas corruptas.
A corrupção afeta a imagem do
Brasil e pela primeira vez temos
um amparo legal que tangibiliza
esse problema e traz sanções. A
comunidade reagiu positivamente
e os executivos financeiros
querem entender a nova Lei.
Uma coisa é certa: as empresas
A. Bom nível de conhecimento
e pessoas que repudiarem a
B. Médio nível de conhecimento
Jean Paraskevopoulos Neto, Arthur Pinto Lemos Jr., Gislaine Heitmann,
Claudio Peixoto, Gerónimo Timerman e Marcos Ebert
6
IBEF EM REVISTA
C
onsiderada a inimiga número 1
do Brasil, a corrupção passa a
ser o objeto de uma nova lei
que visa combatê-la de maneira mais
eficaz, assim como penalizar com
maior rigor os seus praticantes (ativos
ou passivos). No campo empresarial, a
situação não é diferente. A corrupção,
além dos prejuízos financeiros que
acarreta, macula a imagem da empresa envolvida em atos ilícitos.
A Lei nº 12.846/13, em vigor desde
janeiro passado, é a nova ferramenta
na qual o Ministério Público pretende
se basear para erradicar esse mal e a
sua aplicação, que celebra severas punições para os envolvidos, trouxe dúvidas entre os empresários. Para tentar
esclarecê-las, IBEF Campinas promoveu, em abril, um amplo debate sobre
a nova legislação. Em dois painéis, especialistas abordaram “As fraudes nas
corporações e a nova Lei Anticorrupção e a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas (Lei nº
12.846/13).
Gerónimo Timerman, sócio responsável pela prática de Serviços Forenses
da KPMG Brasil e líder do Centro de
Competência Forense para a América
Latina, apresentou ao público um número, no mínimo estarrecedor, levantado em uma pesquisa realizada pela
KPMG e que aponta que 62% dos empresários brasileiros entrevistados afirmaram que participaram de algum ato
ilícito em suas operações empresarias.
“Esse número assusta, assusta muito”,
disse Timerman que afirmou ainda que
o maior custo da corrupção recai sobre
o nome dos envolvidos em casos de
corrupção. “O nome de uma empresa,
os nomes dos envolvidos têm um custo muito alto, intangível”, comentou,
se referindo aos “estragos” que uma
ocorrência dessa natureza pode causar
quando irregularidades são denunciadas. “É muito mais barato, para todos,
um programa anticorrupção do que se
pagar multas, do que ver seu nome estampado em jornais”, comparou.
Arthur Pinto Lemos Júnior, promotor de Justiça do GEDEC – Grupo de
Atuação Especial de Repressão aos
Crimes Econômicos – do Ministério
Público do Estado de São Paulo, saudou a iniciativa do IBEF Campinas, assim como a nova lei. “Ela fornece um
instrumento a mais para o combate à
corrupção. Através da chamada improbidade empresarial, nós criamos
mais um sistema de defesa da sociedade e que certamente será hábil para
evitar os atos de corrupção, já que
esta lei prevê sanções administrativas
e judiciais impostas pelo Poder Judiciário que poderão inclusive acarretar o
fechamento da empresa.” O promotor
disse ainda que a iniciativa do IBEF
Campinas foi muito oportuna. “Como
a lei é nova, nada melhor do que um
debate como esse para que a gente possa interpretar a lei juntamente
com a classe dos empresários, para
que eles saibam qual é a perspectiva
de análise de um promotor de justiça e por sua vez o promotor também
conheça a perspectiva da classe. Essa
oxigenação e essa discussão só têm a
enriquecer a própria aplicação da lei.”
Anneli Majuri
C. Pouco ou nenhum conhecimento
Paulo Spricigo
Quanto à vigilância do Ministério Público em relação à corrupção, o promotor reafirmou que ela sempre existiu, mas que agora, com a nova lei,
o trabalho do órgão ganha mais respaldo. “Toda a legislação em torno da
corrupção, do combate aos esquemas
organizados, ao clientelismo, todos
esses atos já são muito bem punidos e
administração pública e o Poder Judiciário de uma forma geral já têm mecanismos mais do que suficientes para
fazer imperar a lei e punir os responsáveis. Acredito que, com o tempo, a
sociedade de uma forma geral e aqui
incluo a classe empresarial terá maior
consciência e os atos anticorrupção
deverão ficar mais evidentes para a
sociedade em geral.”
Outro especialista que comentou a
nova lei foi Cláudio Peixoto, sócio
diretor da Risk Consulting – Forensis
Services da KPMG. Para ele, a nova lei
poderá decretar o fim dos “laranjas”.
Segundo explicações dele, no passado, a responsabilidade da corrupção
era apenas da pessoa física, não era
punida a pessoa jurídica. E os outros
crimes acabavam na pessoa jurídica que cometeu o fato. Se a empresa
contratava um terceiro, ele era o responsável. “Agora a responsabilidade é
objetiva, independentemente de quem
cometeu o ato ilícito. A empresa responde mesmo que um terceiro, um
prestador de serviço, tenha cometido o
ato ilícito. Então não tem porque ter o
‘laranja’. Porque ela é responsável seja
por ela ter cometido ou um laranja ter
cometido.”
É um tema novo e a iniciativa
do IBEF foi excelente. A nova
Lei e as punições, certamente,
trarão resultados positivos.
corrupção contribuirão com o
engrandecimento do país. Isso
não tem a ver só com o aspecto
As palestras esclareceram
pontos importantes sobre
a Lei e, como, exatamente,
o tema corrupção deve ser
colocado dentro da empresa.
econômico, mas também com
o social e, obviamente, com um
processo de colocar o Brasil em
um patamar de maior relevância
internacional.
JANTAR HARMONIZADO
» Anfitriã: Unimed Campinas
5.junho.2014
even
o
m
i
x
ó
Pr
Fotos: Dominique Torquato
Anfitriã: IBM «
24.abril.2014
to:
ho
l
u
j
e
d
24
a vaga!
IBEF EM REVISTA
su
IBEF EM REVISTA
8
Garanta
9
Desafios pessoais e profissionais para 2014
Manter o nível de empregabilidade
e continuar oferecendo qualidade
de atendimento aos clientes finais.
Conseguir mais tempo para mim e para
minha família, e tentar viajar mais que é
o meu segundo desejo pessoal.
Adauto Pedroso
Luciano Martinez
Gomes de Andrade
Renê Augusto
Marzagão
“O meu desafio profissional deste ano é
continuar atendendo os clientes, buscar
um crescimento que a firma já vem
alcançando nos últimos anos e atender
com excelência. O desafio pessoal para
este ano é também cuidar da saúde e
buscar uma vida mais saudável, com
qualidade de vida.”
Roberto Carlos Guize
Paulo Pinese
“Crescer profissionalmente, expandir
meu escritório apesar do cenário
econômico. Meu desafio pessoal é ter
mais qualidade de vida e buscar mais
especializações na minha área.”
Vladimir Gallo
“Fazer a Ipê crescer e preparar sucessores
para que eu possa me lançar a novos
desafios na companhia são minhas metas
profissionais. Quero aperfeiçoar meus dotes
culinários, já que a culinária é meu grande
hobby. Pretendo chamar mais os amigos
e os familiares para experimentarem os
pratos que eu preparo.”
“grande” parceiro para a realização do trabalho
de prospecção
de empresas que
possam vir a ser
beneficiadas.
“Juntos, poderemos disseminar a cultura exportadora,
trazendo grandes benefícios para o
desenvolvimento ainda maior da região. O projeto não faz nenhum tipo
de exclusão. Atendemos às pequenas,
médias e grandes empresas e mesmo
aquelas que ainda não sejam exportadoras”, esclarece Lopes. Para Marcos
Ebert, vice-presidente do IBEF, os envolvidos têm o compromisso de ajudar
a tornar o Brasil uma referência mundial em termos de exportação de produtos e serviços. “Estamos orgulhosos
por podermos contar com mais esse
parceiro, de reconhecida excelência
em sua área de atuação.”
Informações complementares: 11 3034 4074 e pelo e-mail [email protected]
ENCONTRO
MARCADO
31/7
» Paulo Renato Herrmann
» Jeffrey M. Abrahams
» Roberto Rodrigues
Em pauta:
“Novos Desafios
do Agronegócio
no Brasil”
VAGAS LIMITADAS.
RESERVAS PELO FONE:
19 3233.1851
Quero terminar o ano como
comecei, trabalhando muito, tendo
um pouco de satisfação pessoal
e esperando que o país melhore
em 2015. Meu desafio pessoal é
perder peso porque estou muito
pesado.
“Conseguir crescer na região de
Campinas e Indaiatuba. Sou nascido,
criado e vivido em São Paulo, mas
hoje moro nessa região. Meu desafio
pessoal é ter mais um filho esse
ano. Quero ser pai, de novo.”
Aldy Pereira
Depoimentos colhidos durante os eventos
realizados pelo IBEF Campinas.
11
10
“Meu desafio profissional é ajudar a Eaton
crescer, passar por esse cenário de crise
e desenvolver talentos da empresa. Hoje o
mercado bastante competitivo com taxa de
desemprego de 5% é um desafio para todo
e qualquer executivo. Voltar a jogar tênis
e futebol nos finais de semana são meus
desafios pessoais.”
Pedro Chiliatto
“Estamos mudando nosso perfil e focando
mais na área de serviços. Pretendo
fortalecer as minhas amizades porque está
provado, segundo pesquisas, que um bom
casamento e muitos amigos são a receita
certa para criar os estímulos positivos que
contribuem para a longevidade.”
O
IBEF Campinas celebra mais
uma parceria que servirá de
importante instrumento para
alavancar o crescimento do setor empresarial da nossa região. Ao associar-se ao PEIEX (Projeto Extensão Industrial Exportadora), o IBEF abre novas
perspectivas para que empresas de
qualquer porte busquem no mercado
externo um novo e próspero campo de
atuação, com a geração de rentáveis e
sólidos negócios. O PEIEX é um projeto de incremento à competitividade
e promoção da cultura exportadora
empresarial, por meio da solução de
problemas técnico-gerenciais e tecnológicos. Segundo Felipe Bussinger
Lopes, gerente-executivo dos Núcleos
do PEIEX do Estado de São Paulo, a
escolha da região de Campinas – que
inclui 94 municípios paulista –, como
nova área de ação do projeto se deveu
à sua pujança econômica. Nessa nova
parceria, Lopes destacou o IBEF como
IBEF EM REVISTA
IBEF EM REVISTA
Márcio Santos
Esse ano está complicado porque
o país não está andando. A ideia
é trabalhar e, no mínimo, chegar
competitivo em 2015. Se empatar?
Tá bom. Vou aproveitar todo tempo
possível para me dedicar mais a
minha família.
Edimara Wieczorek
“Nossa meta para Campinas é crescer
15% e ainda desenvolver outras áreas
dentro da própria filial. Quero voltar a
estudar o francês e aprimorar o inglês.
Embora prazeroso, vou tentar equilibrar
mais o trabalho e a vida pessoal,
cultivando novos amigos.”
Parceria de sucesso
ANIVERSARIANTES
GRUPOS DE ESTUDOS
1
Tesouraria
Tema: “Lucro Real ou Presumido sob
Ótica de Tesouraria” com o debatedor
César Augusto Laky Redondo
2
NOVOS ASSOCIADOS
02 Edgar Marçon
Crédito e Gestão de Risco
03 Alberto Romanini Neto
04 Andréa de Toledo Pierri
José Roberto Migotto
03 Clovis L. S. Purgato
Tema: “Gestão de Risco no
Processo de Crédito” com a debatedora
Maíra Chiaranda Bartholomeu
Sergio Rodrigo de Souza
06 José Roberto Correa
05 Rubens Monteiro
Rodrigo Paes de Amaral
Anselmo Bueno da Silva
08 Raimundo Danes
11 Raimundo Besel N. Baptista
10 Magno Luciano Barcellos
12 Saulo A. Duarte Pinto Júnior
11 Walquiria Carvalho Bertho
13 Ingrid Alves
3
Controladoria e Tributário
Tema: “E-Social” com a
debatedora Luciana Ferrante
Evento realizado, em 13 de maio, na sala Deloitte
Evento realizado, em 15 de abril, no New Port Hotel
4
19 Dorian Lacerda Guimarães
Ronaldo Figliuolo
Tema: “O que Esperar do Gerenciamento
de Riscos – É Hora de Agir” com o debatedor
Thiago Hideki Fugita
15 Leila Simone Castilho
Vladimir Augusto Gallo
Fabio Morini Calil
18 Carlos Henrique Sales Garcia
19 Alexis Joseph S. Fonteyne
21 Antonio M. F. Junior
22 Abilio Alves Campos Junior
Manuela G. Garcia
22 Luciana Jorgina Cecconello
José Luzia Molina
24 Leda Simões Cunha Temer
Lílian Regina Zeolo
Caio de Freitas Braga
UPS Capital Corretora Seguros
17 Jarib Brisola Duarte Fogaça
20 Edgar Jabbour
23 José Antonio de Souza Melo
Crédito e Gestão de Risco
AGOSTO
JULHO
Evento realizado, em 8 de abril, no New Port Hotel
18 Miguel Arcângelo Ruzene
Fernando Cesar Pinheiro
TGM Turbinas Ind. Com.
Norberto M. Cunha Caldeira
Pedro Luiz Chinelatto Chiliatto
15 Henrique Raimundo do C. Sperandio
Paulo Henrique de Sousa
Eagleburgmann do Brasil
07 Eduardo Dias Vendramini
Eliane Maria de Araújo
14 Marcelo Lodetti
Dimas Tadeu Beato
Bio Bianco Assessoria em Gestão de Negócios
Rosana Soares Mariano
Jose Donizeti da Silva
23 Hadassa Stephanie C. Corazza
24 Adriana Sanfelice
27 João Batista Pereira Jr.
30 Paulo César Stefanini
26 Liris Conceição Molena Marchiori
Marco Antonio Luciano
31 Rita de Cássia Nunes F. Vicençotti
José Rubens Zanni Junior
Daniel Paulo Fossa
Jair Pilatti Jr.
RR Donnelley Editora e Gráfica Ltda
Carolina Travesanutto Ibarra
Ibarra Consultoria
Rogério Medeiros Vieira Souza
Computare Brasil Serviços Contábeis
Valdir Elcio Rullo
VER Intermediação Consult. Prest.Serviços
João Segato Martinez
CEAGRO Agrícola Ltda
Evento realizado, em 20 de maio, no New Port Hotel
12
13
A Presidente do IBEF Campinas,
Gislaine Heitmann, e o VicePresidente de Desenvolvimento,
Marcos Ebert, entregaram 137
latas de leite ao CEAK – Instituto
Popular Humberto de Campos.
A coordenadora do CEAK, Liddy
Jurgensen, agradeceu o apoio do
IBEF Campinas e contou que o leite
doado pelos nossos associados
garante o café da manhã de 217
crianças da creche do CEAK.
IBEF EM REVISTA
IBEF EM REVISTA
Café da manhã das crianças
Delegação de Portugal na nova área de desembarque
14
ou seja, é um volume muito grande de
dinheiro usado em muito pouco tempo, e que a gente está colocando aqui
nesse aeroporto”, informou Guimarães, ressaltando ainda que o projeto
“é bom” e que sua viabilização se deu
graças aos resultados que serão alcançados ao final das obras de ampliação
e modernização do aeroporto.
“A grande engenharia financeira que
fizemos foi possível por se tratar de um
projeto que gera resultados. A grande
mágica, o grande trabalho foi mostrar
aos investidores, aos bancos e à comunidade que o projeto é bom. E nem
foto: Giancarlo Giannelli
Roberto Figueiredo Guimarães
e Gislaine Heitmann
foto: Giancarlo Giannelli
Um dos grupos de executivos do IBEF Campinas que visitou a Torre de Viracopos
A localização de Viracopos foi outro
fator que Margarido apontou como
sendo fundamental para que o projeto
de ampliação e modernização alcan-
ce, em breve, excelentes resultados
financeiros. “Campinas é o local ideal para a implantação de um projeto
dessa magnitude.”
15
racopos, considerou o encontro como
sendo uma oportunidade necessária e
bem-vinda para a concessionária “prestar contas” do trabalho que vem realizando em Viracopos. “Nós entendemos
ser uma obrigação trazer ao público o
que se está fazendo com algo que o Estado nos outorgou e que era seu monopólio. Na medida em que isso acontece,
nos sentimos na obrigação de retornar
à sociedade, explicando o que estamos fazendo e o IBEF, que é uma área
de ponta, de gente capacitada, merece
saber o que acontece aqui. É também
uma proveitosa troca de experiências
entre as partes.”
Maestro
Considerado o “maestro” que vem regendo o ambicioso projeto de ampliação de Viracopos, Roberto Figueiredo
Guimarães, diretor administrativo financeiro da Aeroportos Brasil Viracopos e também associado do IBEF, destacou que o alto investimento que vem
sendo feito e que ainda terá que ser
feito para a concretização do projeto
será plenamente compensado “por ser
um projeto factível”, disse.
“Aeroportos Brasil Viracopos vai investir a preços de hoje, R$ 10 bi, cerca
de US$ 4 bi. Nessa primeira fase, estamos investindo R$ 3 bi em dois anos,
IBEF EM REVISTA
IBEF EM REVISTA
O
compromisso do IBEF Campinas em acompanhar de perto
o desenvolvimento da cidade
e da região onde ela está situada foi
reafirmado com a realização de uma
palestra com dirigentes do maior aeroporto da América Latina, o de Viracopos. No evento, realizado no Auditório
do Prédio Administrativo da Aeroportos Brasil Viracopos, a concessionária
que administra o terminal aéreo, os
convidados tiveram a chance de tomar
conhecimento de como está sendo feita a ampliação, cuja primeira etapa já
está concluída.
“Sei que Viracopos não está se preparando exclusivamente para a Copa.
Ele está se preparando é para atender
sempre os milhões de usuários que se
manterão demandando a aviação civil
pelos próximos anos. Portanto, fico orgulhosa de estar ao lado de vocês quando sabemos que, mais do que nunca,
a região de Campinas e o Brasil merecem um aeroporto da mesma magnitude.” Com essas palavras a presidente
do IBEF Campinas, Gislaine Heitmann,
saudou os diretores da concessionária
Aeroportos Brasil Viracopos, durante
evento realizado em 29 de abril.
O anfitrião do evento, Luís Alberto Küster, presidente da Aeroporto Brasil Vi-
sempre você consegue isso, porque
quando um projeto depende de estimativas futuras, o que vai acontecer
com o movimento de cargas, com o
movimento de passageiros, por exemplo, você tem que provar com muita
matemática, com muita estatística,
com muita documentação, com muito trabalho que aquilo que você está
apresentando para o futuro é factível,
não é um sonho de Excel. Esse foi o
grande trabalho”, destacou o diretor.
Guimarães fez ainda questão de elogiar
a iniciativa do IBEF em promover o encontro que, segundo ele, foi uma oportunidade para a troca de experiências.
“Foi uma satisfação conversar com o
pessoal do IBEF; é um privilégio participar do IBEF e uma honra mostrar o que
está sendo feito em Viracopos, assim
como dividir experiências com pessoas
altamente qualificadas no que fazem.”
Localização privilegiada
Aluízio Margarido, diretor Comercial
da Aeroportos Brasil Viracopos, também elogiou a iniciativa do IBEF e se
revelou privilegiado em poder falar
“com pessoas que têm muito amor
pela cidade e que são nossos embaixadores.” Em sua palestra, Margarido
abordou a nova realidade econômica
que o aeroporto viverá a partir de sua
ampliação e modernização.
“Os aeroportos modernos baseiam
suas receitas em novos negócios, não
se limitando ao que é gerado a partir
das companhias aéreas, da movimentação das aeronaves, assim como do
movimento de cargas, que são operações regulamentadas pela Anac. O
que nós pretendemos é incentivar o
aluguel de espaços para restaurantes,
aluguel de áreas externas, entre outros,
bem como abrir espaço para hotéis e
centros de convenções, por exemplo.
Além dos recursos provenientes destes negócios, nós também estaremos
atraindo mais passageiros que são os
nossos maiores clientes e que poderão
se servir de um aeroporto muito mais
estruturado.”
foto: Giancarlo Giannelli
foto divulgação
Viracopos: o maior quer ser o melhor.
Repercussão da visita a Viracopos
“Muito importante a iniciativa do IBEF de nos trazer até Viracopos e nos
conscientizar do tamanho desse projeto. O planejamento da Aeroportos
Brasil nos deixa muito felizes porque valoriza a região e apimenta os
negócios no interior do nosso estado. Hoje o trânsito torna inviável nossa
dependência dos aeroportos de São Paulo.”
Letícia Micchelucci
“Parabéns ao IBEF. Ficamos orgulhosos em conhecer um projeto desse
tamanho, com grandes perspectivas de médio prazo. Queremos crescer
juntos e cada vez mais. Afinal é nosso país, nosso estado, nossa região.”
Rachel Renno
“O aeroporto em si é um orgulho pelo fato primeiro de eu ser campineiro.
Sou da época que vínhamos nos finais de semana para ver o movimento dos
aviões. É também um orgulho sem tamanho para Campinas. Os diretores da
Aeroportos Brasil nos enriqueceram com informações importantes para os
nossos negócios. Eventos assim promovem o contato entre amigos e ouvir os
líderes das grandes empresas que já estão aqui incentiva outras empresas
a também investirem na nossa região.”
Jair Pilatti Jr.
“Gostei bastante, porque a gente lê muita coisa no jornal sobre Viracopos,
acompanha o dia a dia, assiste as entrevistas, mas é diferente ver mais de
perto o projeto, estar próximo do presidente da Aeroportos Brasil Viracopos.
A densidade das apresentações é muito melhor. Viracopos vai influenciar
a cidade inteira, inclusive meu negócio.”
Confira o melhor do IBEF Campinas!
“A iniciativa é excelente. O que nos deixou esperançosos é que Campinas
e região estão sendo olhadas por outras empresas. O aeroporto vai trazer
uma integração da malha viária com a parte aérea. Essa integração trará
frutos para a nossa região, principalmente no que tange a novos postos de
trabalho e ao desenvolvimento em si. O planejamento vai muito além do
que eu imaginava e os frutos serão colhidos tanto pelos investidores quanto
pelos residentes na região e pelos usuários.”
Curta nossa página no Facebook
Wiliam S. Campagnone
Luiz Celso Afáz – Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo
“Excelente iniciativa. É uma oportunidade única de conhecer pessoas
novas de setores diversos que interagem com a fiscalização também.
Vivenciar dá um ânimo maior. Você vê as notícias nos jornais e pela TV,
mas não sabe a imensidão que é isso aqui, Viracopos.”
Florisberto Francisco da Silva – Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo
Acesse nosso site
“A modernização do aeroporto vai trazer grandes benefícios e progresso
para a RMC. É sempre importante encontrar executivos das mais diversas
áreas, principalmente representantes do comércio, da indústria, de serviços,
além de um momento para compartilhar experiências e trocar informações.
É muito válida a iniciativa do IBEF Campinas de discutir Viracopos.”
www.ibefcampinas.com.br
Fernando Pazinatto Borges
Fly UP