...

Queijo: Princípios de Fabricação

by user

on
Category: Documents
5

views

Report

Comments

Transcript

Queijo: Princípios de Fabricação
Queijo:
Princípios de Fabricação
Prof. Msc Celina M. S. Ignácio
Departamento de Engenharia de Alimentos
Unemat – Barra do Bugres
Queijos
Considerações Iniciais
• Fundamentais para uma vida saudável.
–Proteínas de alto valor biológico, cálcio, fósforo,
zinco, iodo, selênio, vitaminas e oligoelementos.
• Existem mais de1.000 tipos;
Queijos
Considerações Iniciais
“Queijo é o nome genérico dado a um
grupo de alimentos a base de leite
fermentado produzidos em todo o mundo e
com uma grande diversidade de sabores,
texturas e formas.”
Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade dosQueijos
“Entende-se por queijo, o produto fresco ou maturado que se
obtém por separação parcial do soro do leite ou leite
reconstituído (integral, parcial ou totalmente desnatado), ou
de soros lácteos coagulados pela ação física do coalho, de
enzimas específicas, de bactérias especificas, de ácidos
orgânicos, isolados ou combinados, todos de qualidade apta
para uso alimentar, com ou sem agregação de substâncias
alimentícias e/ou especiarias e/ou condimentos, aditivos
especificamente indicados, substâncias aromatizantes e
matérias corantes.”
Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade dosQueijos
• Queijo fresco
• Queijo maturado:
• Queijo Processado:
–Trituração, mistura, fusão e emulsão;
–Queijo = ingrediente lácteo utilizado como matéria
prima preponderante na base Láctea.
Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade dosQueijos
Queijo: Princípios de Fabricação
Histórico
"És forte porque estás próximo da origem da
criatura.
És nutritivo porque manténs o melhor do leite.
És quente, porque és gordo...”
(Hipócrates - 450 a.C.)
• Lenda 1:
Origem do Queijo
Lendas
–Aristeu, filho de Apolo
e Rei da Arcádia
• Lenda 2:
Origem do Queijo
Lendas
–Nômade Árabe carregando leite em cantil feito com
estômago seco de cordeiro.
Origem do Queijo
Onde
• Crescente Fértil entre os rios Tigre e Eufrades
Origem do Queijo
Quando
• 10.000 aC: ordenha
• + 8.000 anos aC
• Antes da Manteiga
• Observação do processo natural de coagulação do leite de
cabras e ovelhas, então domesticadas pelos primeiros
pastores
• Leite coagulado, desprovido de soro e salgado
Origem do Queijo
• Leite de Cabras
e Ovelhas
• Leite Bovino
Origem do Queijo
• Egípcios: gado bovino
• Passagens bíblicas:
• Europa:
– Gregos: cabras e ovelhas;
– Romanos: divulgação dos queijos pelo mundo, inúmeras variedades 
alimentação dos soldados e atletas.
• Idade Média: higiene.
• Sec XIV e XV: feiras e mercados;
• Sec XIX: produção industrial / pasteurização.
Queijo: Princípios de Fabricação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Classificação
Queijo: Princípios de Fabricação
Princípios de produção
Princípios de Produção
• Aplicação de princípios físicos, químicos,
bioquímicos e biológicos.
• Enzimas:
–lactose  ácido lático;
–caseína  coalhada;
–aroma, textura e sabor do queijo maturado
Princípios de Produção
• Concentração de sólidos do leite com adição de
outros aditivos como:
–Coalho para obter a coagulação do leite;
–Fermentos bacterianos para acidificação da coalhada;
–Sal de cozinha à gosto do consumidor
–Cloreto de cálcio para melhorar a disposição da
coagulação.
Princípios de Produção
• Três princípios, semelhantes desde sua descoberta.
• Leite
• Acidificação /Coagulação;
• Coalho.
A Matéria Prima: Leite
• Leite: “produto integral da ordenha completa e
ininterrupta em condições legais de higiene, de uma
fêmea leiteira sadia, bem alimentada e em
repouso.”
• Isento de substâncias estranhas e não conter
colostro.
A Matéria Prima: Leite
Composição
A Matéria Prima: Leite
Composição
• Propriedades do leite importantes para o
processamento do queijo:
–Composição do leite,
–Leite anormal
–Contaminações,
–Presença de resíduos
A Matéria Prima: Leite
Composição
• Proteínas do Leite:
–Caseína
• Propriedade Elétrica;
• Solubilidade;
• Propriedades Associativas
–Proteínas do Soro
A Matéria Prima: Leite
Composição
• Proteínas do Leite:
A Matéria Prima: Leite
Composição
• Proteínas do Leite:
• Lactose:
A Matéria Prima: Leite
Composição
–Degradação Bacteriana
–Ácido Lático
–Coagulação do Leite
• Gordura:
A Matéria Prima: Leite
Composição
–Gordura + Caseína = 90% dos sólidos totais do
queijo;
–Dificulta a sinerese  aumenta o teor de umidade
• Minerais:
A Matéria Prima: Leite
Composição
–Cálcio, Magnésio e Fosfatos: equilíbrio ácido-base;
–Cálcio: coagulação enzimática  aglomerado de
micelas (coágulo mineralizado)
• Vitaminas:
A Matéria Prima: Leite
Composição
–Atividade Metabólica da Cultura Láctea
A Matéria Prima: Leite
Composição Microbiológica
Bactérias ácido lácticas
• Fermentação láctica
• Ácido lático  caseína  coagulação do leite.
• Acidez Microorganismos
A Matéria Prima: Leite
Composição Microbiológica
Bactérias proteolíticas
• Atacam a caseína
• Pseudomonas: lipases termoestáveis.
• Bacillus: esporos estáveis
A Matéria Prima: Leite
Composição Microbiológica
Bactérias Lipolíticas
• Degradam as gorduras  rancidez
• Pseudomonas: lipases termoestáveis
A Matéria Prima: Leite
Composição Microbiológica
•
•
•
•
•
•
Microorganismos produtores de gás
Olhaduras dos queijos, suspensão da massa e produção
de gás no leite.
Leveduras: fendas internas. Contribuem para a
maturação de queijos tipo camembert e gorgonzola.
Coliformes
Clostridium tyrobutyricum: estufamento tardio
Propionibacterium: olhaduras do queijo tipo suíço.
Culturas lácticas heterofermentativas.
A Matéria Prima: Leite
Composição Microbiológica
• “leite baboso”;
• Alcaligenes viscolactis.
•
•
•
•
“Ropy bacteria”
“Sweet curdling bacteria”
Bactérias que produzem enzimas que podem coagular o leite.
Bacillus subtilis e Bacillus cereus.
Bactérias fermentadoras do ácido cítrico
Aroma delicado e “flavor” da manteiga, cream cheese, sour cream, e queijo
cottage.
Leuconostoc citrovorum, Leuconostoc dextranicum, e S. diacetilactis.
A Matéria Prima: Leite
Obtenção
A Matéria Prima: Leite
Obtenção
A Matéria Prima: Leite
Tratamento Térmico
• Pasteurização
– Lenta
– Rápida
• Modificações no Leite
A Matéria Prima: Leite
Tratamento Térmico
A Matéria Prima: Leite
Padronização
• Acertar o EST
Adição dos Ingredientes
Cloreto de Cálcio
• Reduz a perda gordura no soro;
• Melhora a liga
• Coalhada mais rápida e mais firme
• Excesso  sabor amargo (2 a 3%)
Adição dos Ingredientes
Fermento Lácteo:
• 0,5 a 2%
• Bactérias selecionadas produtoras de ácido lático
• Inibir microrganismos indesejávei;
• Elevar a acidez do meio
• Formação de olhaduras, sabor e aroma.
Adição dos Ingredientes
Fermento Lácteo
• Fermento mesofílico (25 a 30ºC)
• Fermento termofílico (40 a 45°C)
• Fermentos Homofermentativos
• Fermentos Heterofermentativos
Adição dos Ingredientes
Coalho
• Enzimas
• Ação:
–Temperatura;
–Quantidade;
–Poder de Coagulação
–Tempo
• Atua ainda durante a maturação
Coagulação do Leite
• Etapa decisiva na fabricação de queijos. Visa
concentrar a proteína do leite retendo também a
gordura.
Coagulação do Leite
Coagulação ácida:
• Fermentação microbiana  ácido lático;
• Adição de ácidos orgânicos diretamente ao leite
• Ex: Petit-Suisse, Cottage, Requeijão
Coagulação do Leite
Coagulação enzimática
• Coalho ou coagulante.
• Pepsina e Quimosina.
• Velocidade máxima: 40-42ºC;
• Usualmente: 32 a 35ºC,
Coagulação do Leite
Coagulação enzimática
Adição de Ingredientes
Outros Ingredientes
• Corante:
• Nitrato :
Tratamento da Massa
• Coágulo formado, com consistência adequada
(Ponto de corte)
Tratamento da Massa
Corte
• Corte  sinérese (dessora da massa).
• Tamanho dos grãos X tipo de queijo
Dessoragem
• Espaço no tanque para adição de água quente;
• Facilitar o processo de delactosagem dos grãos;
• Diminuir o volume de massa
• Facilitar o processo de agitação na segunda
mexedura
• 30-35% do soro
Enformagem
Prensagem
• Completa separação do soro
• Massa mais resistente e seca
• 4 h com 6 a 8 vezes o peso da massa (queijos
pequenos)
• 24 h com 25 vezes o peso (queijos grandes)
Salga
•
•
•
•
Salmouras, salga na massa e salga a seco.
Conservação, sabor, eliminação do soro, formação da casca.
Sal puro, fino e seco (2 a 5% em peso)
Eficiência:
– Tamanho e o formato do queijo;
–Tempo de salga;
– Umidade
– Teor de gordura;
– pH do queijo e da salmoura;
– Temperatura, concentração, agitação e o teor de cálcio na
salmoura
Salga
Salga
Maturação
• Maturação
• Fermentação da lactose + hidrólise das proteínas e
gorduras + síntese de compostos aromáticos.
• Temperatura
• Umidade
• Composição química e microbiológica
Operações Finais
• Parafinagem
• Embalagem
Exposição e Comercialização
Exposição e Comercialização
Exposição e Comercialização
Obrigada
[email protected]
Fly UP