...

o trabalho do assistente social no centro de atenção psicossocial da

by user

on
Category: Documents
5

views

Report

Comments

Transcript

o trabalho do assistente social no centro de atenção psicossocial da
O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NO CENTRO DE
ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DA CIDADE DE AURORA – CEARÁ
Magnum Jeymes Pereira Souza – FSM - [email protected]
Sheila de Morais Santana – FSM - [email protected]
Carmen Silva Alves - FSM - [email protected]
INTRODUÇÃO
O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I) é um serviço do Ministério da
Saúde que veio a ser implantado mediante as orientações do novo modelo de
assistência a saúde mental, preconizada pela Reforma Psiquiátrica desenvolvida e
ampliada desde a década de 1970, que vem contribuir na rede de serviços
especializado da Saúde Mental.
Os objetivos do Centro de Atenção Psicossocial se encontram no
fornecimento de serviços à população, realizando acompanhamento clínico com
finalidade na reinserção social dos usuários através da autonomia e do acesso ao
trabalho, ao lazer e a garantia de direitos civis mediante fortalecendo dos laços
familiares e comunitários. A missão de um CAPS se pauta pela substituição dos
hospitais psiquiátricos no país, sendo suas principais funções apresentadas como:
A prestação de atendimento clínico em regime de atenção diária,
evitando as internações em hospitais psiquiátricos; acolher e atender
as pessoas com transtornos mentais graves e persistentes,
procurando preservar e fortalecer os laços sociais do usuário em seu
território; a promoção à inserção social das pessoas com transtornos
mentais por meio de ações intersetoriais; dar suporte a atenção à
saúde mental na rede básica; organizar a rede de atenção às
pessoas com transtornos mentais nos municípios; articulando
estrategicamente a rede e a política de saúde mental num
determinado território (BRASIL, 2004, p. 31).
O Serviço Social inserido do Centro de Atendimento Psicossocial tem objetivo
a serem alcançados no processo de inserção ou reinserção social dos usuários,
trabalhando o controle social e realizando atividades institucionais voltadas para
seus
usuários
específicos,
sendo
algumas
delas:
encaminhamento,
acolhimento\triagem, Projeto Terapêutico Singular (PTS), atendimento de grupo,
suporte social, atendimentos em oficinas terapêuticas, visitas e atendimentos
domiciliares, atendimento a família, e trabalhos voltados para a perspectiva da
Redução de Danos. Tais exemplos se dão como algumas formas de intervenção do
trabalho do Serviço Social que visa integrar e articular os serviços prestados setor
almejando a reinserção social da sua demanda, objetivando a melhoria da qualidade
de vida da pessoa com problema mental na perspectiva ofertar estabilidade ao seu
quadro psíquico, assim como na orientação do ingresso na vida autônoma e social.
METODOLOGIA
No decorrer de dois períodos consecutivos (2013.1 e 2013.2) de estágio
supervisionado em Serviço Social, desenvolvido no referido CAPS desses períodos
pode-se presenciar e observar de fato o papel do Assistente Social no âmbito da
política de Saúde Mental dentro de uma equipe interdisciplinar para alcançar os
objetivos propostos por tal serviço, assim vários instrumentais técnicos, próprios
desse profissional, adotados pelo serviço de saúde mental, demonstrado como uma
ferramenta de trabalho no desenvolver dos serviços existentes.
Ressalta-se, assim que nesse processo de prática profissional o profissional
irá sempre traçar metas mediante o seu Código de Ética Profissional (CFESS, 2012)
nos dizeres do Art. 4º onde se apresenta as competências profissionais do
Assistente Social, assim, em consonância com o próprio Código irá produzir suas
atribuições dentro dos CAPS.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Pode-se acompanhar e observar tanto o papel social do Serviço Social no
acolhimento as famílias e usuários, assim como nas visitas domiciliares, na busca
ativa e na realização de atividades burocráticas que acabam sendo necessários para
o acompanhamento de cada caso em específico, alguns exemplos são as triagens,
as evoluções de quadro do individuo inserido nesse serviço entre outros. Outro
papel desempenhado pelo Serviço Social na instituição são os acompanhamentos
nas atividades realizadas em grupo que visão (re) inserir os indivíduos enquanto
sujeitos sociais e sociáveis, trazendo atividades que podíamos observar tanto as
competências, limitações e especificidades de todos os usuários participantes.
Um aspecto que pode ser observado na permanência desse espaço se deu
mediante a criação de projetos pelo Assistente Social, aja visto no período do
estágio passado, ressaltou uma deficiência nesse ponto, uma vez que o centro de
atenção há pouco tempo está recebendo financiamento e incentivo econômico por
parte do Estado, agora nesse outro momento foi possível constatar que uma
melhora significativa vem ocorrendo nesse aspecto, prova disso são a aplicação do
projeto “Cuidando do Cuidador”, e um projeto que culminou no “Dia Mundial da
Saúde Mental” ambos são projetos idealizados pela profissional do Serviço Social,
demonstrando assim seu significativo papel na formulação de projetos que visam
melhor desempenhar os trabalhos ofertados para a população usuária.
Dentre essa perspectiva de aplicação de projetos é destacável a culminância
do Projeto de Intervenção idealizado por nós estagiários desse campo, ainda no
período antecedente, onde pudemos ter maior clareza desse desafio que se dá na
aplicação dos planos, programas ou projetos, aja visto é somente na prática e
aplicabilidade que se pode se habituar a pontos não previstos na idealização do
projeto, no nosso caso em específico, a dificuldade para garantir o cronograma se
deu como um fator pertinente, entretanto mesmo com alguns empecilhos foi possível
superar e pode finalizar o almejado.
CONCLUSÕES
Algumas lagunas ou limitações desafiam as práticas cotidianas da equipe.
Uma das principais sinalizam a falta de um transporte próprio, o que dificulta,
principalmente, o desempenho das atividades do Serviço Social que se faz nas
visitas domiciliares para tratar de conhecer as condições sociais e econômicas para
traçar planos e projetos como um Projeto Terapêutico Singular (PTS) ainda não
adotado pela instituição), assim como vem a dificultando a busca ativa, que se
apresenta como um instrumento importante para que se possa levar a oferta desse
serviço para aqueles que ainda o desconhecem.
Deste modo, o estágio supervisionado possuiu e possui uma singular
importância no desenvolvimento de formação estudantil na área do Serviço Social,
aja visto, vem a possibilitaram ensino-aprendizagem circunscrito na relação teoriaprática, uma vez que os estágios auxiliam na percepção de demandas sociais
presentes no campo de estágio, além de demonstrar com mais lucidez o processo
que consistente no desenvolver histórico, e algumas vezes contraditório, que
envolve a prática do assistente social, as requisições institucionais e profissionais
presentes na dualidade para responder as múltiplas refrações da questão social.
Por fim, é possível concretizar a importância desse momento único de
observação de práticas profissionais no momento do estágio, aja visto o
aprimoramento da prática embasada pelas teorias expostas e apreendidas durante o
nosso percurso acadêmico faz com que possa abranger o pensamento e
posicionamento enquanto futuros profissionais do Serviço Social, e somente nesse
contato direto ora observando, ora intervindo se remetem a novas conquistas da
nossa formação profissional desapontando para a busca de novos alastres em
nosso campo categórico, fortalecendo-nos agora no nosso campo de estudos e
posteriormente nas nossas ações prestadas.
REFERÊNCIAS
CFESS. Código de ética do/a Assistente Social. Lei 8.662/93 de regulamentação
da profissão. - 10ª. ed. Brasília: 2012.
BRASIL. Saúde Mental no SUS: os Centros de Atenção Psicossocial. Brasília:
Ministério da Saúde, 2004.
Fly UP