...

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Valnei Guedes - TCC On-line

by user

on
Category: Documents
3

views

Report

Comments

Transcript

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Valnei Guedes - TCC On-line
UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ
Valnei Guedes Lopes Junior
O HELICÓPTERO NA AVIAÇÃO AGRICOLA BRASILEIRA
CURITIBA
2011
Valnei Guedes Lopes Junior
O HELICÓPTERO NA AVIAÇÃO AGRICOLA BRASILEIRA
CURITIBA
2011
Valnei Guedes Lopes Junior
O HELICÓPTERO NA AVIÇÃO AGRICOLA BRASILEIRA
Trabalho de Conclusão de Curso
apresentado
no
curso
Pilotagem
Profissional
Faculdade
de
de
Tecnologia
em
de
Aeronaves,
da
Aeronáuticas,
da
Ciências
Universidade Tuiuti do Paraná.
Orientador: Prof. Luciano Mauro de Souza
CURITIBA
2011
(TCC)
TERMO DE APROVAÇÃO
Valnei Guedes Lopes Junior
O HELICÓPTERO NA AVIÇÃO AGRICOLA BRASILEIRA
Este Trabalho de Conclusão de Curso foi julgado e aprovado para obtenção do grau de
tecnólogo do Curso de Tecnologia em Pilotagem Profissional de Aeronaves, da Faculdade de
Ciências Aeronáuticas, da Universidade Tuiuti do Paraná.
Curitiba, 24 de maio de 2011.
________________________
Curso de Tecnologia em Pilotagem Profissional de Aeronaves
Universidade Tuiuti do Paraná
Orientador: Prof. Luciano Mauro de Souza
Faculdade de Ciências Aeronáuticas
“Se voar é sobre-humano, pairar é divino.”
Autor desconhecido
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO ....................................................................................................... 9
1.1 QUESTÃO PROBLEMA......................................................................................10
1.2 OBJETIVOS.........................................................................................................10
1.2.1 Objetivos Gerais...............................................................................................10
1.2.2 Objetivos Específicos.......................................................................................10
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA..............................................................................11
3 VANTAGENS DO HELICOPTERO NA AGRICULTURA.......................................12
3.1 EFEITO DOWNWASH.........................................................................................12
3.2 APLICAÇÃO PRECISA .......................................................................................13
3.3 MANOBRABILIDADE ..........................................................................................13
3.4 MULTIUSO ..........................................................................................................14
3.5 RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS....................................................15
3.6 MANEJO DE REBANHOS ..................................................................................15
3.7 INDÚSTRIA MADEIREIRA...................................................................................15
3.8 AGILIDADE E CUSTO BENEFICIO.....................................................................16
4 AÇÕES DE INCENTIVO.........................................................................................16
5 CONCLUSÃO.........................................................................................................18
6 REFERÊNCIAS.......................................................................................................19
RESUMO
A pesquisa leva em consideração as potencialidades do helicóptero na
agricultura brasileira. Além da facilidade de operação em terrenos acidentados e
vales, á ainda a possibilidade do helicóptero ser utilizado em áreas de
reflorestamento. Levando em consideração todas as vantagens apresentadas o fato
de esse tipo de tecnologia ainda não ser utilizada no Brasil se da por falta de
incentivo e políticas de estado para a aviação agrícola.
Palavras-chave: helicóptero; vantagens; aeroagricola; pulverização.
ABSTRACT
This research was done to analyze the potential use of helicopters in Brazilian
agriculture. Besides the ease of use in valleys and irregular terrains, the possibility of
using helicopters in reforestation areas. Considering all advantages presented, the
reason why this kind of technology is still not in use in Brazil is because of the lack of
incentives and policies from the state to support the use of helicopters for agricultural
aviation.
Key words: helicopter; advantages; agricultural aviation; spraying.
9
1. INTRODUÇÃO
A aviação agrícola tem se tornado uma solução eficaz para o campo, pois a
aplicação área é mais segura, rápida e econômica para fazer o processo necessário,
e é também a menos invasiva para o ambiente. O trabalho que um equipamento
terrestre faz em um dia pode ser executado por um helicóptero ou um avião em
apenas uma hora. Isto significa economia de combustível e menos poluição além de
manter o equipamento fora do cultivo não causando compactação do solo o que
resulta em perdas na produção. Com o atual crescimento da demanda mundial por
alimentos o Brasil se propõe a ser um dos maiores fornecedores de alimentos do
mundo e para isso tem que buscar tecnologias de produção mais rápidas, eficientes
e ecologicamente corretas para o cultivo de suas terras, uma das alternativas que é
amplamente explorada por países mais desenvolvidos, é o uso de aeronaves de
asas rotativas na área agrícola, por suas vantagens em relação a equipamentos
terrestres e até mesmo a aviões agrícolas. O presente trabalho tem como objetivo
analisar e apresentar técnicas mais eficazes, seguras, econômicas e sustentáveis
para o meio agrícola por meio de aeronaves de asas rotativas e informar a não
utilização dessa técnica no Brasil.
10
1.1. QUESTÃO PROBLEMA.
Quais as vantagens da utilização do helicóptero na agricultura e porque essa
técnica ainda não foi aplicada no Brasil?
1.2. OBJETIVOS
1.2.1.
Objetivos Gerais.
Demonstrar a eficiência do helicóptero nas atividades agrícolas brasileiras.
1.2.2.
Objetivos Específicos.
•
Definir atividade aeroagrícola.
•
Analisar as medidas adotadas nos últimos anos.
•
Demonstrar técnicas já utilizadas em outros países.
•
Analisar o atual cenário do mercado aeroagricola brasileiro.
•
Identificar as vantagens e o custo-benefício.
11
2. FUNDAMENTAÇÃO TEORICA.
No Brasil o atual mercado aeroagricola é desempenhado apenas por aviões, a
área aplicada corresponde a cerca de 6,7 milhões de hectares plantados tendo o
desempenho como crescimento e estabilidade de apenas 0,05% de área plantada
e/ou colhida, tendo como base a safra do ano de 2009/2010, informação dada pelo
SINDAG (Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola, 2010). Em
comparação temos o cenário aeroagricola dos Estados Unidos que é de 77 milhões
de hectares sendo dos quais 12% (9,24 milhões) é desempenhada por helicópteros
dados da NAAA (National Agricultural Aviation Association, 2010), ou seja, mais do
que toda a área brasileira.
É mais que urgente que seja implantada uma política de estado para a aviação
agrícola no Brasil. Sem dúvida o que preocupa boa parte dos profissionais dessa
área é se adequar as melhores técnicas de tecnologia em aplicação agrícola
disponível no mercado. A idéia base desses produtores é a de desperdiçar o mínimo
possível de água e tempo durante o tratamento. Porém para isso é imprescindível
serem feitos ajustes necessários entre manutenção da aeronave e haver uma
discussão entre o produtor o técnico e o operador, dessa forma encontra-se uma
solução apropriada para atender as necessidades de acordo com a nossa realidade
da aviação agrícola. Entretanto vale lembrar que no Brasil não existe nem uma
“política de estado” de acordo e eficaz para tratar desse tipo de assunto, ao contrario
do que seria necessário haver por parte do estado um incentivo financeiro e
viabilizações nessa área. (Rezende, 2011)
12
Conforme levantamento realizado no ano de 2006 a expectativa de acordo com
o mercado em potencial para helicópteros utilizados no trabalho agrícola brasileiro,
seriam cerca de 50 aeronaves com base nos interesses manifestados por empresas
de reflorestamento para a indústria de papel e celulose para aquele ano, entretanto
a projeção deste mercado seria a implantação de mais de 500 aeronaves até 2016.
Tendo em vista necessidades já existentes como na expansão da cultura de cana de
açúcar em São Paulo e reflorestamento (São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo),
sem contar o mercado de cultivo de frutas. (Lobo, 2006)
3. VANTAGENS DO HELICOPTERO NA AGRICULTURA.
3.1.
EFEITO DOWNWASH.
O efeito downwash se resume em diminuição da perda das pequenas gotas
ocasionalmente perdidas nas pontas das asas dos aviões agrícolas. Com esse efeito
devido às gotas serem empurradas para baixo pelas hélices ao redor do helicóptero
a perda de material é quase inexistente, e traz a melhor distribuição das gotas em
um campo especifico. Esse efeito pode também ser utilizado para melhorar a
polinização. Outro beneficio desse efeito é o combate a geada, pois esse efeito
impede a formação de camadas de cristais de gelo na superfície das folhagens, por
isso é comum observar operadores norte americanos e europeus sobrevoar suas
plantações durante a madrugada.
13
Figura 1: Efeito downwash
Fonte: Figura extraída do site www.cfidarren.com/hlesson4.htm. Acesso em 01 mar. 2011.
3.2.
APLICAÇÃO PRECISA.
O efeito downwash aliado com a utilização de bicos de pulverização com
tecnologia para redução de deriva torna mínimas às chances de a pulverização
alcançar campos vizinhos e provocar danos.
Além dos benefícios observados no efeito downwash, a manobrabilidade, baixa
velocidade de voo e excelente controle do tamanho das gotas aliados ao DGPS
(Sistema de Posicionamento Global Diferencial) torna a aplicação de agroquímicos
mais precisa resultando na redução de deriva.
3.3.
MANOBRABILIDADE.
O helicóptero é um tipo de aeronave que utiliza rotação ou giro para voar,
chamada de aeronave de asas rotativas. Ao contrário de um avião ou planador, um
helicóptero tem asas que se movem. Ao contrário de um balão, um helicóptero é
mais pesado que o ar e usa um motor para voar. As asas rotativas de um
14
helicóptero, ou o rotor, lhe permitem fazer coisas que um avião não pode (NASA,
2010).
O helicóptero não necessita pista de pouso para recarga e abastecimentos, o
espaço da pista pode ser otimizado pela agricultura, além disso, opera com precisão
dentro dos limites do campo, levando assim vantagem em relação ao avião, pois não
necessita fazer curvas de reversão. Com essa manobrabilidade conseguem evitar
vôos em cima de residências, lagos, estradas entre outros ambientes sensíveis. Em
terrenos montanhosos o helicóptero por seu controle de movimento em todo o seu
eixo leva vantagem em todas as outras plataformas aéreas. Em termos práticos a
pulverização de culturas em áreas montanhosas, com revelo adverso a qualquer tipo
de mecanização, com dezenas de operadores manuais pode levar dias, sendo que
com o helicóptero este trabalho pode ser realizado em apenas uma hora.
Figura 2: Curva de reversão
FONTE: Figura extraída do site http://www.pulverizar.com.br. Acesso em 20 dez. 2010.
3.4.
MULTIUSO.
15
Ainda não há helicópteros desenvolvidos especificamente para a agricultura
sendo necessária a utilização de um sistema de pulverização (HELIPOD de
pulverização), a instalação deste sistema dependendo do modelo da aeronave leva
apenas 15 minutos e o mesmo tempo para ser desinstalado. O helicóptero tem mais
valor agregado, pois quando não utilizado nas aplicações aéreas pode desempenhar
outras atividades.
Figura 3: HELIPOD de pulverização para Robinson R44
FONTE: Figura extraída do site http://www.simplexmfg.com. Acesso em 07 abr. 2011
3.5.
RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS.
A utilização da técnica Heli-Hydroseeding que consiste em hidrosemeadura
com o helicóptero, pode ser utilizada na indústria de reflorestamento e para
recuperação de áreas agrícolas degradadas pela erosão.
3.6.
MANEJO DE REBANHOS.
Como grande parte da agropecuária brasileira utiliza o sistema de manejo
extensivo, ou seja, criação de rebanho em grandes áreas é possível a adaptar e
utilizar a técnica conhecida como Heli-Mustering desenvolvida em outros países
para o monitoramento e concentração de rebanho.
3.7.
INDÚSTRIA MADEIREIRA.
16
O transporte de troncos por helicóptero (Heli-looging) pode significar um
grande avanço contra o desmatamento possibilitando o uso do corte seletivo, onde
só as espécies de valor comercial são cortadas e levadas às serrarias. Isto significa
menos desmatamento, pois não é necessária a abertura de estradas para o
transporte terrestre da madeira extraída da floresta.
3.8.
AGILIDADE E CUSTO BENEFICIO.
Para o efetivo sucesso das aplicações com o helicóptero e necessário que o
equipamento de apoio seja planejado para dar agilidade a operação. A maior parte
dos helicópteros não chega a pousar no solo para o reabastecimento e recarga, que
são feitos diretamente no equipamento de apoio (caminhão com plataforma para
pouso, abastecimento e recarga). O helicóptero permanece mais que 60% do tempo
total aplicando durante os trabalhos aéreos, enquanto o avião agrícola permanece
35% e os meios terrestres menos de 30% este tempo efetivo da pulverização torna o
helicóptero mais vantajoso que seus demais concorrentes.
4. AÇÕES DE INCENTIVO.
Na atual aviação agrícola brasileira não há helicópteros operando. Uma
tentativa de inserir este tipo de aeronave foi feita na década de 80, quando dezenas
de helicópteros faziam a pulverização nas culturas de banana e cana-de-açúcar nos
estados do nordeste, mais a dificuldade na aquisição de equipamentos (peças,
aeronaves e sistemas de pulverização), além do alto custo do seguro dos
helicópteros, impossibilitaram o desenvolvimento dessa eficiente tecnologia de
aplicação aérea.
17
O governo pode dar o primeiro passo no incentivo a esta tecnologia. Na área
da saúde pública o helicóptero pode desempenhar missões para o controle de
mosquitos vetores de doenças como dengue, malaria e febre amarela. Todos os
anos observamos a endemia de dengue e o que contribui para isso é a ineficiência
dos pulverizadores terrestres que não conseguem cobrir o grande tamanho das
áreas infestadas, este trabalho poderia ser desempenhado pelo helicóptero de forma
eficiente, rápida e alcançando lugares que os pulverizadores terrestres não tem
acesso, como por exemplo os morros ocupados desordenadamente. Entretanto, a
aplicação aérea de produtos químicos, necessários para o combate à forma adulta
dos mosquitos, ainda é vetado pelo Ministério da Saúde, mesmo depois do sucesso
da aplicação com aviões para o combate de mosquitos transmissores da encefalite
no litoral de São Paulo, em 1975.
Figura 4: Bell 206B da Agência de controle de mosquitos do estado New Jersey, EUA
FONTE: Figura extraída do site http://www-rci.rutgers.edu/~insects. Acesso em 10 dez. 2010
Já na área ambiental o governo pode utilizar a técnica Heli-Hydroseeding para
recuperação da mata ciliar e reflorestamento. A hidrosemeadura por helicóptero
pode ser usada para a recuperação dos morros atingidos pelas catástrofes que
ocorreram em Santa Catarina (2008), Rio de Janeiro (2011) e do litoral paranaense
(2011).
18
5. CONCLUSÃO.
Conclui-se então que a utilização do helicóptero na agricultura brasileira pode
trazer muitos benefícios para o campo, mas é importante que a ANAC (Agência
Nacional de Aviação Civil) e o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento) reformulem os seus regulamentos para tornar a atividade
aeroagrícola menos burocrática e honrosa.
O helicóptero possui inúmeros pontos positivos, tais como: tem mais
manobrabilidade, faz a distribuição dos agroquímicos com mais precisão, não
necessita de pista de pouso para recarregar e abastece e não compacta o solo, o
que faz com que o resultado seja muito mais eficaz. Com o atual crescimento da
demanda mundial por alimentos, o Brasil se propõe a ser um dos maiores
fornecedores do mundo e a utilização do helicóptero traria benefícios como a
diminuição do consumo de combustíveis (colaborando assim com as estratégias de
sustentabilidade), menor invasão do solo, agilidade, maior produtividade o que
aumenta assim a produção de insumos tanto para dentro como para fora do país.
O helicóptero, além de ser de grande ajuda para a agricultura também serve
como recuperador de áreas degradadas pela erosão, para a indústria de
reflorestamento, e também no manejo de grandes rebanhos. Por fim, com todos os
benefícios e vantagens que o helicóptero oferece se faz necessário que o governo
dê o primeiro passo incentivando o uso desta tecnologia.
O alto custo inicial de operação aliado com a falta de linhas de financiamento
acessíveis torna inviável a utilização do helicóptero na agricultura brasileira. É
urgente que seja implantada uma política de estado para o uso do helicóptero na
aviação agrícola.
19
6. REFERÊNCIAS
ABRAPE, revista. O Helicóptero nas Aplicações Agro-florestais. Publicação ago.
2006, p. 03 a 06.
FLAP, revista. Helicópteros no Brasil. Publicação n° 405, jun 2006, p. 32 a 46.
SINDAG, Sindicato. Disponível em http://www.sindag.org.br. Acesso em 20 fev.
2011.
NAAA, Association. Disponível em http://www.agaviation.org. Acesso em 25 fev.
2011.
LOBO,
Manoel
Ibrain
Junior.
Helicópteros
na
Agricultura.
Disponível
em
www.pulverizar.com.br. Acesso em 10 nov. 2010.
REZENDE, Jeferson Luís, Política de Estado para a Aviação Agrícola brasileira em
discussão. Disponível em http://www.agrolink.com.br/aviacao. Acesso em 11 mai.
2011.
SIMPLEX, Aviation Mission Equipment. Disponível em www.simplexmfg.com.
Acesso em 05 abr. 2011.
TERRASOL,
Environment
Inc.
Heli-hydroseed.
Disponível
em
www.terrasolenvironment.ca/erosion. Acesso em 05 mar. 2011.
HELI-MUSTER. Disponível em http://www.heli-musternt.com.au/. Acesso em 25 abr
2011.
NASA, What Is a helicopter?. Disponível em www.nasa.gov/audience/forstudents/58/features/what-is-a-helicopter-58.html. Acesso em 10 mai. 2011.
Fly UP