...

IPS e.Max: harmonização do sorriso

by user

on
Category: Documents
5

views

Report

Comments

Transcript

IPS e.Max: harmonização do sorriso
Artigo Clínico
IPS e.Max: harmonização do sorriso
Victor Grover Rene Clavijo*, Niélli Caetano de Souza*,
Marcelo Ferrarezi de Andrade**
Resumo
Neste artigo será relatada a reabilitação do sorriso com o Sistema
IPS e.Max, que constitui-se em um
novo sistema cerâmico altamente
promissor. A possibilidade de restaurar forma e função dentária com
as características estéticas de cor,
translucidez e opacidade, biomimetizando a estrutura dentária, tem
ampliado sua indicação. O protocolo
clínico, bem como a discussão das
possibilidades de uso do sistema IPS
e.Max na reabilitação do sorriso, serão analisados.
Palavras-chave: Estética dentária. Prótese parcial fixa. Cerâmicas.
* Mestres em Dentística Restauradora pela Faculdade de Odontologia de Araraquara – FOAr – UNESP.
**Professor Livre docente da Faculdade de Odontologia de Araraquara – FOAr – UNESP.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
33
IPS e.Max: harmonização do sorriso
INTRODUÇÃO
e nanopartículas, que garantem o biomimetis-
O desenvolvimento de novos sistemas ce-
mo com a estrutura dentária10.
râmicos sem metal para próteses parciais fixas,
Diante do exposto, este artigo relata o res-
com propriedades físicas semelhantes às das
tabelecimento do sorriso com o sistema e.Max
ligas metálicas, mas que atendam também ao
ZirPress, apresentando o tratamento protético
requisito estético, possibilita atualmente a con-
mediante a confecção de seis coroas cerâmicas
fecção de restaurações com ótimas proprieda-
nos dentes anteriores superiores.
des mecânicas e excelente resultado estético.
Ainda, dado o aumento da demanda por parte dos pacientes por um sorriso harmonioso, as
Paciente de 56 anos, gênero feminino, pro-
restaurações em cerâmicas sem metal desfru-
curou atendimento odontológico queixando-
tam de grande popularidade.
se da aparência estética de seu sorriso (Fig. 1).
Casos clínicos mais severos na região ante-
No exame clínico, foi verificada a presença de
rior, com acentuada alteração de cor, necessida-
uma coroa metalo-cerâmica no elemento 13 e
de de substituição de coroas ou amplas restau-
extensas restaurações em resina composta nos
rações, associados à necessidade de redefinição
elementos 11, 12, 21, 22 e 23 (Fig. 2). Na ava-
da forma e comprimento dos dentes, são muito
liação radiográfica, foram evidenciados den-
bem solucionados com próteses parciais fixas
tes polpados e despolpados, cujo tratamento
através dos novos sistemas cerâmicos.
endodôntico apresentava-se satisfatório nos
Dentre os sistemas disponíveis, destaca-se
dentes 13 e 22, permitindo a continuidade do
o sistema IPS e.Max, que tem se apresenta-
tratamento restaurador. Com a finalidade de
do como uma excelente alternativa, devido à
obter resultado estético e funcional, optou-se
possibilidade de reproduzir a naturalidade da
pela confecção de seis coroas totais unitárias,
estrutura dentária. Este sistema cerâmico apre-
abrangendo a região anterior superior, com o
senta quatro materiais altamente estéticos e
sistema IPS e.Max ZirPress (Ivoclar Vivadent).
resistentes para as duas tecnologias atualmen-
Após a aceitação inicial do paciente, foram
te disponíveis: injeção e CAD/CAM. Constitui-se
realizadas moldagens superior e inferior para
em um sistema versátil que vai das cerâmicas
confecção do enceramento de diagnóstico. Na
de vidro com base de disilicato de lítio injeta-
mesma sessão, foram feitas fotografias iniciais
do ou fresado, respectivamente e.Max Press e
(Fig. 3) para comunicação com o técnico em
e.Max CAD, até o óxido de zircônia injetado ou
prótese e determinação do formato final dos
fresado, e.Max ZirPress e e.Max ZirCAD .
dentes a serem restaurados.
5
34
RELATO DO CASO
Estas possibilidades de uso do IPS e.Max tor-
Concluído o enceramento diagnóstico (Fig.
nam o sistema totalmente flexível para os pro-
4), foi realizada uma moldagem do mesmo com
téticos, além de permitirem que os quatro ma-
silicone de adição, confeccionando-se uma guia
teriais de estruturas diferentes que constituem
de silicone para realização do ensaio restau-
o sistema IPS e.Max possam ser estratificados
rador “mock up“, com o objetivo de visualizar
com a mesma cerâmica de recobrimento.
previamente o resultado final, principalmente
A cerâmica de recobrimento consiste em
em relação à nova forma proposta dos dentes6.
uma cerâmica de baixa fusão, à base de apatita
Após o completo planejamento e interação
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 1 - Aspecto inicial do sorriso.
Figura 2 - Observe as extensas restaurações existentes, bem como o
escurecimento do elemento dentário 13.
Figura 3 - Protocolo de fotografias para comunicação com o laboratório.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
35
IPS e.Max: harmonização do sorriso
entre clínico, paciente e protético, iniciou-se o
procedeu-se a colocação do fio retrator 000 (Fig.
desgaste seletivo da estrutura dentária.
19) e verificação da adaptação das peças proté-
Com a guia, proveniente do enceramento de
diagnóstico, em posição (Fig. 5-8), foram con-
As restaurações receberam como tratamen-
feccionados sulcos de orientação (Fig. 9) com a
to de superfície: condicionamento interno com
ponta diamantada 3098MF (KG Sorensen), res-
ácido fluorídrico a 10% (Fig. 20) por 60s, lava-
peitando a inclinação dos terços cervical, médio
gem e secagem com jatos de ar/água e apli-
e incisal dos elementos dentários.
cação do agente silano Monobond S (Ivoclar
A seguir, uniram-se os sulcos de orienta-
Vivadent) (Fig. 21) por um minuto, seguida da
ção com a mesma fresa, proporcionando um
aplicação do primer para zircônia (Ivoclar Viva-
término em ombro arredondado aos preparos
dent) por 60s e aplicação do primer A e B do
protéticos. O acabamento do término gengi-
sistema de cimentação Multilink (Ivoclar Viva-
val foi realizado com instrumentos manuais
dent) (Fig. 22).
MA-2 (Safident-Cosmedent-Brasil®), que per-
Na estrutura dentária, o condicionamento
mitem um ótimo refinamento da região cer-
dos dentes foi realizado com o sistema adesivo
vical, finalizando assim os preparos dentários
autocondicionante do cimento Multilink, atra-
(Fig. 10, 11, 12).
vés da mistura Primer A + Primer B na proporção
Para os procedimentos de moldagem, optou-
1:1, apresentado em 2 frascos (condicionador e
se por utilizar silicone de adição Elite (Zermack,
primer juntos e adesivo separado). Com pincel
Itália) e o afastamento gengival, pela técnica do
microbrush, procedeu-se 15 segundos de apli-
fio duplo, realizada com o fio 000 e 0, Ultrapack
cação do condicionador sobre as estruturas
(Ultradent-Oraltech-Brasil). O fio 000 foi man-
dentárias esmalte/dentina, seguida de jato de
tido no interior do sulco durante a moldagem,
ar para eliminação do solvente (Fig. 23, 24, 25).
removendo-se apenas o fio 0.
O cimento resinoso foi manipulado com
Na seqüência procedeu-se a seleção da cor
auxílio de um stick e a peça foi cimentada ao
(Fig. 13, 14), seguida da cimentação dos provi-
preparo (Fig. 26), passados 120 segundos reali-
sórios, prensados já com a mesma forma do en-
zou-se, imediatamente, a remoção dos exces-
ceramento de diagnóstico (Fig. 15).
sos (Fig. 27, 28).
As restaurações foram confeccionadas com
O ajuste final da oclusão foi feito após remo-
sistema IPS e.Max ZirPress. Optou-se pela téc-
ção do isolamento do campo operatório, quan-
nica da injeção, utilizando-se uma pastilha de
do também foi realizado polimento pós-glaze
óxido de Zircônio estabilizado por ítrio (HO
da restauração, para remoção do brilho em ex-
- IPS e.Max ZirPress), devidamente indicada
cesso das restaurações, otimizando ainda mais
como estrutura para dentes com alteração de
a naturalidade da peças protéticas.
cor, além da cerâmica de estratificação do Sistema (e.Max Ceram) (Fig. 16, 17).
36
ticas, seguida do preparo pré-cimentação.
O resultado final mostra uma estética natural e funcional, com ótimas propriedades
Na sessão seguinte, foi realizada a cimenta-
ópticas, que são peculiares ao sistema cerâmi-
ção das restaurações. Após isolamento absolu-
co empregado, além da completa integração
to modificado e profilaxia com pedra-pomes e
das restaurações com o sorriso da paciente
escova ICB (Ultradent-Oraltech-Brasil) (Fig. 18),
(Fig. 30-34).
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 4 - Enceramento de diagnóstico reproduzido.
Figura 5 - Guia palatina de redução da estrutura dentária.
Figura 6, 7, 8 - Guia vestibular de redução da estrutura dentária.
Figura 9 - Sulcos de orientação confeccionados.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
37
IPS e.Max: harmonização do sorriso
Figura 10, 11, 12 - Preparos dentários concluídos.
Figura 13, 14 - Fotos para comunicação de cor com o laboratório.
38
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 15 - Provisórios prensados cimentados.
Figura 16 - Coroas confeccionadas.
Figura 17 - Confecção das coroas cerâmicas com o Sistema IPS Emax Zir Press. Aplicação da cerâmica IPS e.Max Ceram.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
39
IPS e.Max: harmonização do sorriso
Figura 19 - Colocação do fio retrator para cimentação das restaurações.
Figura 18 - Profilaxia dos preparos com escova ICB – Ultradent.
40
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Figura 20 - Condicionamento das peças protéticas com ácido fluorídrico
por 60 segundos.
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 21 - Aplicação do silano, aguardou-se 1 minuto.
Figura 22 - Aplicação do Primer para zircônia, aguardou-se 1 minuto, seguido da aplicação do Primer A-B do sistema Multilink.
Figura 23 - Aplicação do Primer A-B na estrutura dentária, aguardou-se
1 minuto.
Figura 24 - Leve jato de ar para evaporação do solvente.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
41
IPS e.Max: harmonização do sorriso
Figura 25 - Hibridização da estrutura dentária finalizada.
Figura 27 - Remoção do fio retrator, observa-se a grande quantidade de
cimento em excesso.
Figura 28 - Remoção dos excessos com lâmina de bisturi.
42
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Figura 26 - Cimentação das restaurações com cimento resinoso Multilink.
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 29 - Aspecto inicial da paciente.
Figura 30 - Resultado final, 7 dias após a cimentação.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
43
IPS e.Max: harmonização do sorriso
Figura 31 - Resultado final, 7 dias após a cimentação.
44
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 32 - Resultado final, 7 dias após a cimentação.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
45
IPS e.Max: harmonização do sorriso
Figura 33 - Resultado final, 7 dias após a cimentação.
46
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
Figura 34 - Resultado final, 7 dias após a cimentação.
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
47
IPS e.Max: harmonização do sorriso
DISCUSSÃO
segurança de polimerização em áreas de difí-
Como estética consiste na ciência de copiar
cil acesso de luz, adesão química às estruturas
ou harmonizar o trabalho com a natureza , um
dentárias e redução da sensibilidade pós-opera-
tratamento restaurador não deve ficar restrito
tória. Este cimento resinoso autopolimerizável
apenas à devolução da forma e função dos ele-
atual associa os benefícios da hibridização com
mentos dentários, mas também na capacidade
adesivo autocondicionante aos do cimento resi-
de restabelecer um novo sorriso que se adapte
noso de polimerização química.
1
ao estilo de vida do paciente e realce as características estéticas do mesmo.
Evidencia-se, além da redução da sensibilidade pós-operatória, excelentes resultados de
Neste caso clínico optamos por reabilitar a
resistência adesiva em esmalte e dentina, quan-
região anterior com o Sistema IPS e.Max Zir-
do comparado a outros sistemas similares de
Press, pela técnica da injeção devidamente indi-
cimentação adesiva8.
cada como estrutura para dentes com alteração
Com relação à adaptação marginal, segundo
avaliação, valores menores que 120μm aparecem
de cor.
Para a técnica de injeção, estão disponíveis
na escala da aceitação clínica, no que diz respei-
dois tipos de pastilhas: IPS e.Max Press, uma
to à longevidade. Foi evidenciado recentemente
cerâmica de dissilicato de lítio, e IPS e.Max Zir-
que o sistema IPS e.Max Press apresenta valores
Press, uma cerâmica estética de vidro para ser
de adaptação marginal inferiores a 120μm, sen-
sobreinjetada em estruturas de óxidos de zircô-
do considerados totalmente aceitáveis quando
nia, de forma eficaz e rápida.
associado à cimentação adesiva9.
A cerâmica de cobertura IPS e.Max Ceram é
Diante da grande tendência de utilização
uma cerâmica à base de nanofluorapatita, desti-
das restaurações indiretas metal free, torna-se
nada a estratificar todos os tipos de estruturas
de fundamental importância ter o conhecimen-
do Sistema IPS e.Max, independentemente de ser
to que o sucesso do tratamento restaurador
dissilicato de lítio ou óxido de zircônio, injetável
indireto, com estes novos sistemas cerâmicos,
ou CAD/CAM. Além da versatilidade do sistema,
deve ser avaliado do ponto de vista do restabe-
apresenta-se também com excelente resultado
lecimento estético e funcional, do conforto e da
estético, garantindo à restauração de cerâmica
fonética. Dessa forma, apresentando à Estética
propriedades ópticas, como translucidez e fluo-
em Odontologia um eterno compromisso entre
rescência, semelhantes às da estrutura dentária.
biologia e função7.
No tratamento restaurador proposto, uma
adequada cimentação adesiva torna-se funda-
Verificamos que o sistema cerâmico IPS e.Max
sivos e dos cimentos resinosos, aliado ao desen-
constitui-se atualmente numa excelente alter-
volvimento dos sistemas cerâmicos, permitiu
nativa restauradora, no entanto seu protocolo
uma adequada união da cerâmica à estrutura
clínico de utilização deve ser rigorosamente se-
dentária e, desta maneira, aumentou a longe-
guido, para que os tratamentos restauradores
vidade e a performace clínica para este tipo de
com modernos sistemas cerâmicos associados
restauração . A escolha pelo cimento resinoso
às novas técnicas adesivas e cimentos resinosos
autopolimerizável Multilink é justificada pela
favoreçam a longevidade dessas restaurações.
3,4
48
Conclusão
mental . O desenvolvimento dos sistemas ade2
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
Victor Grover Rene Clavijo, Niélli Caetano de Souza, Marcelo Ferrarezi de Andrade
IPS e.Max: harmonization of the smile
Abstract
This article reports a smile rehabilitation using
color, translucence and opacity allows this new
IPS e.Max System, a new highly promising
system to be highly recommended. The clinical
ceramic system. The ability of restoring dental
protocol and the indication of IPS e.Max System
form and function with aesthetic characteristics
on the smile rehabilitation will be discussed in
mimicking the dental structure in matters of
this article.
KEY WORDS: Dental esthetic. Denture partial fixed. Ceramics.
Agradecimento: Ao T.P.D. Marcos Celestrino pela colaboração e atenção dedicada a este
caso clínico.
Referências
1. BLOOM, D. R.; PADAYACHY, J. N. Smile lifts: a functional and aes-
8. SALZ, U.; DUARTE, S. J. R.; ZIMMERMANN, J.; LOPES, M. M.; PER-
thetic perspective. Br Dent J, London, v. 200, no. 4, p. 199-203,
DIGÃO, J. Bond strengths of self cured, self etching resin cement
2006.
systems. J Dent Res, Alexandria, v. 83, 2004. (Spec Iss A), A3179.
2. BLATZ, M.; SADAN, A.; KERN, M. Resin ceramic bonding: a review
9. STAPPERT, C. F.; DENNER, N.; GERDS, T.; STRUB, J. R. Marginal ad-
of the literature. J Prosthet Dent, St. Louis, v. 89, no. 3, p. 268-274,
aptation of different types of all ceramic partial coverage resto-
2003.
rations after exposure to an artificial mouth. Br Dent J, London,
3. BURKE, F. J.; FLEMMING, G. I.; NATHANSON, D.; MARQUIS, P. M. Are
v. 199, no. 12, p. 779-783, 2005.
adhesive technologies needed to support ceramics? An assess-
10.STAPPERT, C. F.; ATT, W.; GERDS, T.; STRUB, J. R. Fracture resistance
ment of the current evidence. J Aesthet Dent, Singapore, v. 4,
of different partial coverage ceramic molar restorations: an in
no. 1, p. 7-22, 2002.
vitro investigation. J Am Dent Assoc, Chicago, v. 137, no. 4, p. 514-
4. DE GÓES, M. F.; PEREIRA, P. N. R.; NIKAIDO, T.; TAGAMI, J. Early bond
522, Apr. 2006.
strengths of dual cured resin cement to resin coated dentin. J
Dent Res, Alexandria, v. 79, p. 453, 2000. Abstr. 2477.
5. GUESS, P. C.; STAPPERT, C. F.; STRUB, J. R. Preliminary clinical results of a prospective study of IPS e.Max Press and Cerec ProCAD
partial coverage crowns. Schweiz Monatsschr Zahnmed, Bern,
v. 116, no. 5, p. 493-500, 2006.
6. MAGNE, P.; BELSER, U. Restaurações adesivas de porcelana na dentição anterior: uma abordagem biomimética. São Paulo: Quintessence, 2003.
7. SAADOUN, A. P. Periprosthetic interdependence in dental implant therapy (I), A. A. P. Boston: [s.n.], 1998.
Endereço para correspondência
Victor G. R. Clavijo
Av . Visconde de Indaiatuba 1307
Jd. América - Indaiatuba/SP
CEP. 13.330-000 - E-mail: [email protected]
R Dental Press Estét, Maringá, v. 4, n. 1, p. 33-49, jan./fev./mar. 2007
49
Fly UP