...

Sugestão para Início da Primavera

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

Sugestão para Início da Primavera
Sugestão para Início da Primavera
Dramatização
Autora: Zenaide Alves Ferreira Bragança
Cenário: Um jardim com várias
flores. Os personagens estão
espalhados pelo jardim, uns
sentados, outros recostados,
outros de pé.
Personagens: Narradora; Rosa
do Amor; Violeta sem esperança,
Cravo egoísta; Flor de maio
desanimada; Beijinho invejoso; Camélia mentirosa; Palma fofoqueira; Folha da
Esperança; Lírio da Paz; Joio das Contendas; Girassol da Fé
Cada personagem deve estar vestindo alguma peça que caracterize sua
flor, sua personalidade. A Rosa do Amor, por exemplo, seria jovem,
estaria com um vestido vermelho e com um arranjo de rosas no cabelo.
Narradora (vem à frente e lê, na Bíblia, os textos) – 1Co 13. 1-13 e 1 Jo
4.7-11
Rosa do Amor – O amor é como uma flor que exala o
bom perfume de Cristo; só que o amor é uma flor que
jamais murcha. O verdadeiro amor ajuda o seu próximo
na caminhada árdua da vida. (começa a caminhar pelo
jardim e encontra a violeta). Olá, Violeta, soube que
anda sem esperança, quero ajudá-la , pegue minha mão
e vamos caminhar juntas.
Violeta sem Esperança (sentada no chão,
desanimada) - Não posso... Anoiteceu, vieram as decepções, minhas flores
murcharam, não tenho mais esperança de um novo amanhecer.
Rosa do Amor – Não fale assim, deixe-me ajudá-la. O amor tudo sofre, tudo
crê, tudo espera, tudo suporta.
Violeta (com voz de choro) - Vá embora, Rosa do Amor, eu quero ficar
sozinha.
(A rosa balança a cabeça, e afasta-se em direção ao cravo)
Rosa do Amor– Boa tarde, Cravo, posso ajudá-lo?
Cravo egoísta – Não preciso de sua ajuda. Sei me defender, sei viver sozinho
e fazer o que eu quero. E o que eu quero é agradar a mim mesmo, buscando
meus próprios interesses.
Rosa do Amor– Desse jeito você vai se dar mal. O amor nunca busca seus
próprios interesses.
(O cravo vira as costas para a rosa, esta continua a caminhar até a margarida
ressentida)
Rosa do Amor - Que bom vê-la, Margarida!
Margarida ressentida – Não fale comigo. Estou ressentida. Ressentida com as
leis desse jardim, com as pessoas, com a igreja, enfim, com todos e com tudo.
Rosa do Amor – Deixe-me ajudá-la, esse ressentimento só lhe trará
conseqüências ruins, não deixe que o sol se ponha sobre sua ira, ame e perdoe.
Margarida – Essa é boa, todo mundo me magoa e eu é que tenho que
perdoar? Não quero saber de seus conselhos!
(A rosa vai até a flor de maio desanimada)
Rosa do Amor – O que aconteceu com você, Flor de maio? Onde estão suas
flores?
Flor de Maio desanimada – Não sei como deixei o desânimo tomar conta de
mim! Um dia desisti de abrir uma flor, depois outra, em seguida outra... Hoje
estou assim; sem flores. Precisam da beleza das minhas flores, mas não sinto
vontade de fazer coisa alguma, apenas sentar-me, á beira do caminho.
Rosa do Amor – Levante-se, não perca o alvo, você é importante, precisam de
você!
Flor de maio – Até para levantar estou desanimada... Você me ajuda?
Rosa do Amor– Sim, devemos levar as cargas uns dos outros.
(A rosa ajuda a flor de maio a levantar-se, depois olha para o jardim e fala...)
Rosa do Amor – O que está acontecendo com esse jardim? Não há mais
beleza, nem alegria, só tristeza, ninguém se importa com o outro...
Beijinho invejoso (observando a rosa) – Como você é bonita, Rosa! Linda,
inteligente, suas pétalas parecem veludo, seu perfume é contagiante! Queria
ser como você, ter o seu jeito de andar, de falar, de sorrir, ser amada como
você! Tenho observado o jardim e vi como sou a menor de todas as flores,
insignificante. Ah! Se eu fosse como as outras, como você...
Rosa do Amor – Você está errada, Beijinho. Algumas flores são grandes,
outras pequenas, mas isso não significa que devamos deixar de transmitir
beleza e fragrância. Você tem que florescer do jeito que você é e onde você
está.
Beijinho (pensativa e depois exultante) – Obrigada, Rosa, você tem razão. Não
importa como sou, mesmo pequenina o Criador quer me usar para fazer
grandes coisas. Agora, vejo como perdi meu tempo querendo ser igual aos
outros. Você abriu meus olhos, daqui por diante quero caminhar sendo eu
mesma, amando o meu Criador, a mim mesma e ao meu próximo!
Rosa do Amor – Assim é que se fala! - (dirige-se, então, à Camélia) – Oi,
Camélia, e você, como está ?
Camélia mentirosa – Bem, sabe como é... tenho um pequeno defeito... é bem
pequenininho, mas os outros reclamam, não gostam de mim... é que... (fala
baixinho) é que sou mentirosa.
Rosa do Amor – O que você disse? Não ouvi.
Camélia – Eu disse que sou mentirosa. Se falo dez palavras, cinco são
mentiras. Já estou viciada em mentir, e as minhas mentiras tem prejudicado os
outros e a mim mesma, já nem tenho mais perfume...
Rosa do Amor – Que grave defeito! O apóstolo Paulo exorta-nos dizendo “Por
isso deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque
somos membros uns dos outros”. Se você quiser entrar na morada celestial,
tem que abandonar a mentira e falar somente a verdade.
Camélia – Continue o seu passeio pelo jardim, prometo pensar no que me
disse.
Palma fofoqueira – Olá, Rosa, já sabe das últimas? A flor do campo está
numa tristeza de dar dó! O ipê está com sérios problemas, nem queira saber o
porquê... A sempre viva está mais morta que viva, morta de vergonha... parece
que arranjou um caso por aí... O crisântemo ficou rico da noite para o dia...
com o salário que ele ganha, não sei , não... aí tem coisa! A tulipa está
querendo...
Rosa do Amor – Onde você conseguiu essas informações? Sabe, Palma, ao
invés de estar falando mal dos outros, você deveria é transmitir o bom perfume
de Cristo e, como a mulher virtuosa, a instrução da bondade é que deveria
estar na sua língua.
Folha da Esperança – Como é bom, Rosa, tê-la sempre por perto. Você tem
palavras sábias! De minha parte, cada dia que passa, estou me sentindo mais
feliz, porque a minha esperança está se confirmando... Jesus está voltando!
Rosa do Amor– Você tem razão! Esta é a nossa esperança e ela não será
frustrada. Você tem visto a Raiz?
Folha da Esperança – Tenho, sim, e, infelizmente, não são boas as notícias
dela. Deixou que a amargura tomasse conta de sua vida e agora todos a
chamam de Raiz da Amargura.
Rosa do Amor– Que pena ela preferir andar na companhia da Falta de Perdão!
Não quer saber do Amor!
Folha da Esperança – É... quantas vezes, vemos flores que ao invés de
expressarem na sua vida alegria genuína pelas bênçãos de Deus, guardam no
fundo do coração a erva daninha da raiz de amargura, por algo que lhes
aconteceu. Na maioria das vezes, há muito tempo... mas não sabem perdoar,
não conhecem o que é amar de verdade.
Lírio da Paz – (levantando-se) - Boa tarde, Rosa. A Paz do Senhor!
Rosa do Amor– A Paz do Senhor para você também, Lírio. Como você está
lindo, que perfume, que brancura!
Lírio – Estou usando o bom perfume de Cristo, ele é que me faz ficar mais alvo
que a neve e me traz grande paz!
Rosa do Amor – Que bom você ter chegado. Olhe para essas flores que estão
caminhando tão mal! (aponta para as que não estão bem) Vamos nos unir,
Amor e Paz, numa missão de recuperá-las!
(Ouve-se um riso sarcástico, o personagem Joio das Contendas, que durante
todo o tempo estava abaixado, num canto, e usando uma máscara sorridente
no rosto, levanta-se, arranca a máscara, deixando ver seu rosto todo pintado
de preto)
Lírio – Quem é você?
Joio das contendas – Eu sou o Joio, vim para semear contendas, desânimo,
falta de esperança, egoísmo, ressentimento, orgulho, inveja, impureza, vícios e
outros males mais...
Folha da Esperança – Mas onde você estava este tempo todo?
Joio – Disfarçado no meio de vocês, por isso não tive dificuldade para fazer o
meu trabalho.
Rosa do Amor– Mas você não conseguiu derrotar a todos.
Joio – Eu ainda não desisti! Espere para ver a minha vitória...
Girassol da Fé – O que está acontecendo por aqui?
Joio – Acontece que eu estou aqui! Eu vim para matar, roubar, destruir...
Girassol da Fé – Você pode ter enganado a muitos, mas ainda existem os que
crêem na palavra do Criador. E Jesus disse: “Eu vim para que tenham vida e a
tenham em abundância. Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas
ovelhas”. E ele também disse que estava indo preparar nossa morada e que
voltaria para buscar os seus, isto é, aqueles que o aceitaram como o único
Salvador e Senhor de suas vidas. Por isso nós nunca desistiremos da
caminhada.
Rosa do Amor (subindo em um lugar mais alto) – Escutem, por favor! Vamos
nos unir e arrancar o joio do meio de nós.
Narrador (voz oculta, lê em voz alta e pausada 1Jo 4.7,8,15,18,19)
Girassol da Fé – É isso mesmo! Com fé seremos mais que vencedores por
meio daquele que nos amou.
Narrador (voz oculta, lê 1 Jo 5.1-5)
Lírio da Paz – Não queremos contendas, nem desânimo, nem ressentimento,
nem inveja e outros males. Em nosso jardim, vamos lutar pela Paz e nos
empenhar por alcançá-la.
Narrador (voz oculta, lê 1Pe 3.10-12)
Rosa do Amor (sai andando pelo jardim e perguntando) – Então, o que vocês
decidem ? Vão se deixar vencer pelo mal, ou vamos vencer o mal com o bem?
Violeta – Eu decidi não ser mais uma violeta sem esperança, meu nome agora
é Violeta da esperança! (junta-se à rosa)
Cravo – Pois eu.. ainda não quero mudar... quem sabe, algum dia... (coloca-se
ao lado do Joio)
Flor de maio – Jogo fora o meu desânimo. A partir de hoje, quero ser uma flor
animada e muito útil. (junta-se à rosa)
Margarida – Não! Eu não consigo esquecer, não perdôo quem me ofendeu!
Fico com o Joio. (coloca-se atrás do Joio)
Beijinho – Eu já escolhi, vou florescer onde estiver plantada. (fica perto da
rosa)
Camélia – Usarei meus lábios par anunciar as boas novas, mentiras nunca
mais! (junta-se à rosa)
Palma – Deixar de falar dos outros? Não consigo imaginar um lugar assim.
Ficarei doente sem a minha diversão, escolho o Joio. (coloca-se atrás do joio).
Folha da Esperança (dirigindo-se ao joio) - Jesus diz que ninguém arrebatará
os seus de sua mão. Você, Joio, jamais conseguirá destruir os que foram
lavados no sangue de Jesus!
Joio – Mas, antes que Jesus volte, ainda vou levar outros comigo (sai com os
seus, gargalhando)
Rosa do Amor – Atenção! Todos que ficaram no jardim, vamos dar as mãos e
falar bem alto: “Nós os escolhidos do Senhor, jamais pereceremos, pois somos
o bom perfume de Cristo!”
(Todos repetem juntos)
Narrador (vindo à frente do jardim) - Hoje, estamos aqui na igreja como se
fosse um jardim. Jesus é o dono e a fonte de água viva do jardim. O Espírito
Santo sopra nesse jardim. E foi o próprio Deus quem plantou o jardim. Ele
passeia pelo jardim e vê cada flor. Que tipo de flor você é? Como você está
florescendo? Lembre-se: Jesus está voltando!. Você crê nisso?
Para finalizar, todos os presentes cantam o hino
“Vencendo vem Jesus” – nº 147 do Hinário Novo Cântico.
Fly UP