...

Terça feira 22 4« dezcmbr» 4« 1885 Condessa de Samodies. D

by user

on
Category: Documents
6

views

Report

Comments

Transcript

Terça feira 22 4« dezcmbr» 4« 1885 Condessa de Samodies. D
Terça feira 22
4« dezcmbr» 4«
1885
Condessa de Samodies.
D. Julia da Conceição
Crespo.
D. Adelaide Calh' iro0.
D.
Maria
Alvoi
do Serpa Leitão Pi
ment'l.
•
_
D. Maria do Jesus Gorjfto.
E es are.:
Barão do Bertelinbo.
Commend* dor Diogo Maria d«
Fretas Brito
EJuardo de Ornellas (Calçada).
Antonio Xavier Rodrigues Cor
deiro.
Pra-ciioo
José Guedes Viegas
Qumhonea da Silveira Mattos Ca
bral.
Daniel Cordeiro Feio de Aran-
CATHARINA DE FRANÇA.
GRANDE
BARATEZA
mm
10T9JJB
Complect o Borttmealo
Acontecimentos
de
Hetpanha
Madrid, 20, n.
Foi
prtso
o
infanta
duqaa d»
Sarilha.
(Havas).
Tentativa
de arrombamento
Na nouia da 16 pira 17 do corrente os ladrôís
tentaram ootrar
por meio da arrombiirento Da casa do sr. dr. Auoibal Aagasto MélJo, advogado nà Figueira.
Oi Ian pios
paios craados
for*m
prasan'iJo*
da essa,
pondo st
am debandada.
Morte e roubo
Em
Lamego
a* cam»,
o
app*r«e°a
morto
sr. Antonio Barnsrdo
da Silva Veiga.
N.io
ra»nto,
qae
o
sindo tB'omridos o tastsnem
diffannus
faltai lo
vikres
tiobs calcula 8
qua tudo tenha silo roub do.
A
poli;Unta- de iavtnstigar
m»s ip«s*r
d£8
sssidats diligen
•jias, nada se spurou aada p»r* a
verdade cfo ÍKto.
DIÁRIO 1LLUSTRADO
deiapparecia
qutntiiade
0 ranrral de El Rei
D. Fernando
giu pira »s
transito
formar em liaba
commandente
sim «xi
sr. duque
gero qae
ran
ordiaarfo
militar
bastante
concorrida,
á hora ea
da
guarda
de Palmeila,
d'EI Rei
D. Luiz
e d'El-
nha.
A'gumas
o presti
A
commiss5es
ei íçÕis, artistas
cidade
spresmtava
a
essa
hora am aspecto tristíssimo.
As rais
desertas
§ is
dramaticos • ou-
0 préstito foi organisado contorne fôra annunciido.
infantarias apoiando
a
e muni-
lariças do Iafante.
Eram ce^ca
de
«Itara D)S dois lados é faaraeci-
Libera mê
de
de gaardaa da
guinte ordem:
esquadrão
vado pira a quadratura da patriar-
em mármore de côres.
chal, onde
ha dais eç*s
foi
de
camâra
doz»ntos
d'estado,
routi ip\l de
e
da
eamara
do
deput d^s.
imprensa,
conselho
terminarav, foi
clero e digni-
dido, com elegantes e
armada coma
No centro do pantheon estão le-
à frente, marchando
se distingaia no
vantadas daas
1 •—Coche berlinda cosi o porteiro e gu*rda-roupas da real ca
mara.
Músicos
Sobre el!a,n'am
gumas das cor ô;s
Do lado eiqairdo ea*.ontra-se o
Luii
oria^ipe D C»rlos,in-
Amelia,
Amelia,
ciaes da cisa real.
de
4.#—Co*he com ontros cfflciaes
da casa re*l.
5.°—Coche com os ministros de
Hespanhi e de It-lit, represents
no préstito os respectivos mo-
narches
relhas
tirado
por tres pa-
de cavallos, coai o mordoc%sa
homem
Suado
do
re*l e o genti!príncipe, o sr.
marque* de Pombaj.
3.*—Coche,
franjadas
de
oiro.
João e D
do sr. D. Fe;-
dcii
tirado
por
quatro
sotas, condatindo a corôa
real, coberta
de crepe e acompa-
pinhala
un
por
Este
official da cas*
coche
ia
Udeado por
12 criados com brandõis.
9.#—Coche,
corôa
de
violetas
com
caaelias
brancas
Do G»binete Portugaiz
de Lei-
armado
Da Re i Associação de egricalta-« portogaezt.
e este a 6 de
novembro
de 1861;
d; rainha D. Estephana,
fallecida
em 17 de julho de 1859: rainha D.
Bombeiros Vo-
luntários.
de no-
orincipe D.
Augusto fallecido a
23
de 1815; rainha
Cirlota
D
Dos alumnos
da escola de Bel-
las Artss.
fanta D
de março
Joa
do Rio de Janti'0.
1788; ininfanta
D. Maria Isabel, Mlecida a 14
de
contendo
os
restos
Era o coche da respeito.
10
o
—Coche,
condutia
quatro
bertos
o
cirro funtbe que
ferelro,
ptrelhas
de
letas lilazes e rosas
tirado
de
pjr
cavallos co-
guiidrjpas
pretas
e
guiade por 033 cocheiro a dois jockeys
e
ladea4o
por 20 cremos
daas
largas
fit s
ultimo
de setim preto
franjas de ciro.
Da comcoissão exeentifa d*Eiposição agrícola de 1884.
Do
pessoal
de
serviço
da sr."
*
d'estes
ricas cortinaa de
coches,
velludo
com
#
e oiro,
Todi a força
148
#
de
A noite chegou •u>fi n.
FOLHETIM
O ancião
não
olho
os
fere-
ta D. Mari?, filha
de
IH. fallecido
em
ca; iaf«Dt* D
D
rei
amor,
attingindo
o
seu paroxisao, abrazkva-lhe o cérebro e p;ralyaava-lhe a rasão.
(1
A esp;ços lactava
26
de
maio de
Maria
Francis-
M ria Dorothea M
de 1771;
parioso
Jntofio
hiro
io 1 Bejs
desejo
de
Adriana a paixão
confessar
a
devoradora que
por ella santia.—Estas lactas, poróxa>, eram de breve dura, e deixavam o sr. de Ciustin mus
CEGUNBA
rABTE
decidi-
! do que nunca a aproveitar a o ocasião.
Ccfitícuado do numero 4:537;
De pé e vestido desde
do so, coae as luvas
— S* a
sr.»
duqutzà
n*iuies#. preferia ir
m'o per-
a pó...— ;e-
Micou Br^n.c» — D*iqui á
rua
de
Victoria tão é longe, e
um pouco
de exercício faz m€-bi
bem...—
Entrarei de caminho na
ni..
Ea Dão *ou
nho ranius acçõis
tíir a D us
por
Magdale-
iograta e te
de graças que
me
tir
trazido
i qni...
—Fíçaaminha
querida
como
1b* approuvar...
D ndo n ostras de ler as cartas
que Jbe eram dirigidas,
o
não perdera uma única
das pala*
vras tro •adis entre
a
dnqus
duqueza e
Branra Adriane.
Os seus
alegria ao
saia no dia
olhos
ouvir qne
seguinte
a
de
donzella
aósinhi
e a
pé.
31 de
»arço
de
ds D
Pedro
II,
fallecida a 15 de
Muito attento e de ouvido
cuta, junto da porta mal
se
bondòio
as provas
D.
O
sr.
dez,
no
Antonio de Campos Val-
alóm
manifestara».
Fernando, cuja
a
Rainha
D.
Maria,
nando
la
desgraça acontecida
poncos
Antonio,
Meie*
das Neoessidades uaa filha do
Pedro
de Souza Ciai varro, *
de el-rei o sr. D
corporações
Fer-
também
d'aquelle
representou
a
qual re-
cebeu ó nome de Maria da Gloria,
Sor ser este o da sua augusta ma-
a empreza do real de thea
as
Mouzinho da Silvei-
Goniôa Canavarro, a
rinha.
tro de S. Carlos com o sea socio e
Su*s
assistir
Migestades
digaaram se
a ceremonia
do baptismo
querendo com a sua real presença
boa.
uma
prova
que
de coniideraçào
tudo perdera em de-
Miis tarde quando a creança se
toraoa ama gentH
#
#
D asemos qae o almirante da es-
senhora, e qae
o
sea cazamento se
o
sr.
barão
faidra ingleza pedira para deaem
foi
barcar as forçis de bordo afim de
Fernando
to*arem pxrte cortejo.
Bento,
realisoa com
de R beira de Pene,
ainda Saa M'gestide o sr. D.
seu
padrinho
qaerendo
de caza
Saa M gestide
a
attenção,
mais uma vez conceder ama nova
mas não foi acceite em
rasão das
honra á família Canavarro. E' qu»
Agradeceu se lhe
leis do reino se opporeoa a jeso
o
rei
D
Fernando,
om
grand*
coração, sabi*, coa>o poucos, agradecer os serviços pastados.
Teve
um
grande
sucesso
no
filha
do
11
inferno, qae ali subia
vez a seen», no sibbado
ultimo -
f.l'eeido a 20 de outubro d« 17156;
—A'
minha
espera,
vossa ex-
ea atraveisava
—A sr.» duquezA dignou-se dar-
. —Qae
o vestíbulo do pi
A filha de Pedro Ré Ion en
Vendo
a
preparada
—Preciso fallar-ihe...
donzella
para
de
em que se lia a
desconfiança e o odio.
dizer-me?...— Estou ouvindo...
Branca cruzou o sea olhar com
—Não póle ser aqui...
0 da velba,
A despeito da sua diabólica aa-
disse lne n'am tom tão polido que
dominar
a sua pertur-
e tremia quasi tinto como
o prop'io Henrique de Chaslin.
—Mis, senhor
duque... come
parou
diante d'ella e
parecia ironico.
—Peço-lhe a fineza de prevenir
a sr.* duqueza deque me aproveito
di licença que sua excellencia
quem
pil% nossa collega,
a valer!—J sr. du-
de ver-se,
dar aberta...
esse o meu
se eu não an
Hei de andar qae é
dever...
Este monologo foi interrompido
por um incidente que Miriana estava longe de esperar.
vestíbulo,
A ami de Helena olhou para el
uos ao esperar pela
feli:idade
a
a minha
tran-
minha vida... a
de imbos cós..: Disse
A
arções...—respondeu
incumbo
sr.*
duqueza
que tencionava entrar na egreja...
Teve muito qae esperar.
para sair...
Irei
Por fim ouviu fechar ama porta
bem...
Espera?...
a
porta
precisamente
momento em qae Adriina
no
ia pas-
sando e saia ao patamar.
lá
ter...—Espera-me...—
—O sr. duque ordena-m'o?
•
com voz qaasi somida:
dea-lhe
Saia...
O
sinhor
duqae
Vae sahir?—
e
da
Silva. Já a tem recebido
dividido,
prazer
A falsa
Adriana
dem,
—Pois bem, ordeno...
desceu
—O
atravessou o piteo.
dever e obedecer...
esperarei...
com
aoriu
os
Marianna
mas,
Brauca mettea-se
ao corredor e desappirecea.
XIX
murmurou
Doido de esperança e de venta-
«
Está muito
acolhea estas
um sorriso de dA-
a porta envidraçada,
degraas
do / patim e
Gilbert segaia-a com
1 vista • resmungava:
—Sim...
sim... A sr.1 duque-
no
qae elle sente am
enorme, porqae nada mais
o satisfaz do qáe repartir dinheiro
por moita
g«nte;
e se essa gente
é pobre, então isso para elle é ouro
sobre azai.
E'
cambista felic, mas se o nio
fosse,
devia
espicie
de
sel-o.
cargo
Exerce uma
de thesoureiro
dos pobres, porque a sua felicidade
dá-lhe
a
consolição de poder
remediar muita geçte.
Qamtos
prémios granies rece-
beu elle durante o anno? E* incalculável
Cksas
o numero, porque poucas
conhecemos
d'elle
tenha
sido
qae
como
a
mais amimada
pela sorte do que a do nosso Silva.
Não
vão decorridos anitos an nos
qae este ifortaaado omhfst* diitfjbaia o premio dos 450:000*000
róis por grande nnmero de felizes
qae
tiveram
o bom senso de da-
rem
preferencia
â
sua casa para
«e h bilitareD. P.rfs hoje bem fará
quem
taabam
h .bilitar,
tfaqutlla loja se
visto
que ó
amanhã o
lia da extracção da gf-ndeloteris.
Bem sabemos que de 450 contos s6
á sem duvid* a casa dos mais felizes, e fe'iz como a do Silva poucas
qae
ha oatros prémios
Se a saúde nio nos fal-
e os cobres não. nos escassea-
rem,
lá
tai
estaremos tambeae, por-
não
qaeremos
outro
cam-
bista.
Apeaas se
achoa a« ra*, Bran-
ca estugou o p uso.
Sabendo que o duqae ia segail-a
quiria levar-lhe alguma dianteira.
E,
dizendo,
mnito
contrariado
com semelhante encontro, o sr. de
e desceu o patim.
Mari<nm meneou a cabiça murmurando comngo mes na:
Bem dizia eu que a tal Adriana
demoniot.. .—Dan-lhe feitiço.
Vae
atraz
d'ella, ia pôr as mãos
no f:gol...—Ah! minha rica ama,
nem ao
via
em
derredor em olhar pres-
crutador.
Um
homem
qae se achava de
menos
A
donzella
levantoa
os
olhos
homem e reconheceu o
semblante pallido e o olho vasado
de Pedro Réion.
balbuciou ella.
é o
—Uma ordem é qae eu quero.
E, sem
liiençi
E, se não voltasse, ainda
palavras
sarpreza, soltou
grito
de recados...—
—Não ordeno, eupplico...
mea
bru-
melhor...
Entritanto não deixoa de esboam pequeno
dido
pira este
le muito admirada.
ta euvi jraçada
quilidade...
abria
luem? O folia cambista Jcã) Can-
apresentoa-lh'os.
péo na cibeç*. .
—Como está vendo...
—Eu não tenho qae ver com as
saber
pontis dos dedos na agua benta e
co me
n'isto
que uxa creança de dezesseis ân-
donzella;
espanto. ^ Qaerem
de luva calçada e clu-
Chaslin abriu p:r sea tareo a por
da escada.
cauie
$é junto do baptistério, mo hou as
talmente Marianne,—nem tão pou-
tapete
F0*sa recebel-os se® que isso Ih#
Chaslin appareceu no
O sr. de
nada,— vae
no
E parece iDcriv.l, mas ha quem
Madalena, entrou à egreja e vol-
mostraodo-se
te um fru-fru de seda
uma visita sem cerimonial
mília.
suas
segaidamen
recebe
quem
á ra\ Royaie, subiu as es »das da
—Tão cedo... e a pé?...
ó...—inter-
entrar pala
bia o meu leite... Pertenço à fa-
que e: tarei
antes de al-
verem
Foi »8*i* qae chegou em breve
—V« o,—respondeu elle.
devolta
os
Helena be.
se dignou conceder me hontem, e
moço.
por
Ella ó bonita
chapéu,
sair a outra vol-
veu-lbe um olhar
tem vossa excelUncia a
phii, escripta
de um biogra-
ta do h»
controu-se com Miritnna Gilbert.
me essa licençt...
é ssguido
D. Per-
que não >ô outra coisa, e o remi-
lacio.
—Vou sair...
nanlo
(TE!
te e fechou a ports.
Davam nove horas quando Bran-
são as
erqaaç^m
principr*
Chaslin entrou p*ra o sea gabine-
—Estava á su* espera, Adriana.
felizes
to do Mlerido e ilustre
" sr. D. Guiomar Torrezão.
de
como
dentro a.assim como
das operas que a compa-
o sr.
Club
ha em Lisboa. Alén d'isso não se
rompeu o ancião com voz apaixo-
no andar de cima, e
porta
ião ser
sósioho
e
de
t*r
—Oh!
meiro rendez-vous.
dades
gueza. O retrato
ver-se
do
pessoas que teem certas probabili-
foi appl;alida apesir de
cerrada,
do pri-
da tores,
cia, qae
>0
faodido
Qae bonitosl corço elUs são se-
de j^lho de 1742; raiaha D
re,
e tecidos de Tbo-
Ou 450a000jkH>0
teutadores
çou ella.
hora
socio
caja moite enlutou a níçlo portu-
á es-
sobresaitado
e
pela 1.» vez a Lu-
nhia melhor tem cantado.
empregàdo na real fa-
fiação
n'eqiella noite
p;hs de D. Pedro II, filleiída a 4
o sr. Ar-
1886; coáiém am «agaiti^o retra-
estremecia ao mais pequeno ruido
maia
brica de
infante D. Fr;n%isco, fallefiido * 21
ifgnQdas nu
ante hontem
tautiisimo
também se cantou
em
S.
qniata-feira, e se-
thur Cezar d'A^aujo Pardal, pres-
Jjão
Mara
No
puitou-se
na
ha am premio, mas esse pro:araAlmanach das Senhoras
•
1 —e a *
^k 0 .
a mé . *
■ *
O Almanach das Senhoras pars
theatro do Prm-.ipe Real do Poít),
pela
a 3 de
la-
depois era bipticadanareal capei-
ra
de representar hontem
faaeral
f.nt: D. Manuel,
fallecido
es-
lamentamos, e sui auguit»
ria d ta Dores
A
bação
por onde Adriana havia de sair.
iniiuivocas
d« saaesposa'» ex.*' sr • D. Ma-
ju ho de 1736; e seus irmãos o ia-
ftte de um triumpho tão prompto,
a escada
bem
Effictivamente,
sr.
1736;
o chapóo
porta do qual dava para
Nova de
Carlos, M
dacii a filha de Pedro Cirnot, em
ne trabalho, uma
a ea-
Gaya.
inf nu D. Francisca J^sepha, fi h«
no seu gabinete
receram intermináveis
de
leidoem30de
não podia
çar am gesto de
sr.
de Auitria; infante D.
ao aiemee da mão, estibeieciu-se
versação que vimos de referir paao
erc
o nascer
Branca previa esta apparíçao.
As boras queiuccederam á con-
Chaslin.
o
O duque pressentia a
corascaram
João V. fillejiíô
cellencial—E para qui?..u
contra o ia-
mara municipal de Villa
D. Pedro
Hdnrique balbuciou:
A febre do
representava
Maria II
duqai 1
toda ella.
briozo cffl-.ial, consternou
feza de Suas Migestades.
estão
—Qae medo que me mettia, sr.
pngou
baia
te egramma que recebea em Lis-
Do lado direito
Sophia, mulher
civallaria se-
d'uma
áquelle
julho de 1776; infinti D
coníessa d'Edla.
com brandões.
O
bruscas, com
dois
do do 8iu vice-presidente, por um
julho de 1750; rainha D. Mariano»
Da er.* condessa d E11»; de vio-
M '11o
Falleceu
Gymntstico de Lisboa.
d'uno% filha d%quelle militar.
de Sam-
mai* respeito u a ho-
Sons
e prestaram-fee a serem padrinhos
Magestade 0
com
é necessário
tiár,
dos
ris de D. Maria II.
V; D
por 46 creados com brandões.
cego
dar
Da Sociedade do Jirdim
do Grupo do Lião.
S.
de instrucção publics.
que o
de
camara de Alcácer do Sal, a pedi
cavallos co* guiid-apas pretas e
Dos mistas
Pedro
mortaes de mus tres filhos feeno
principe D. Padro, filho de D. Joàe
tas vestidos de joek-ys, • Iideado
paio e
theatro,
caixões
de
sr. conselheiro Lopo Vaz
tres
Da sr.* condessa do Bon fim.
gico.
No enterro
todas
rim, tirado por quatro parelhas de
gaudo por um co?.h*iro e dois so-
pelo
O dezistre aconte-
pontaneamente
*
a elelçãe da
de é o i lustre jarisconsulto.
de Torres
acção
rezulndo
ment ram
janeiro de 1777; seguem se ainda
lecída em 14 de jineiro
Z)olo-
em
esposa
»•
para
francimente,
tratar
catftado
de^interesse e sympatbiis qae
a
Miria Clementina, falleci-
1876; a rainha D.
Lttterarlo Portugaiz.
n'ess*
recebea.
sião
PEDRO QUINTO
MANDOU ERIGIR SEU AUGUSTO PAE
Pedro III, filler-
Stgues se os do
Do Lyciu
em cama-
1853;
15
tros do infante D. Juão e da infan-
Dos S>lv*dores
EL REI D
deie&bro
da a 20 de julho de 1776;
Da eolonia ingleza, ama grande
que
perda
do a 11 de setembro de
netos
a batalha
militar
1855
Jj*é, filho de D
dos
dea
valente
olhos,
NO REINADO DE SUA MAGESTADE
Fernmdo, t*i-
Dos
Tres
para ser
foi
O
príncipe D
Necessidades.
mesmo
foi composto
Vedras,
REGENTE DO REINO
10 de março de 1826;
servidores das
do
sr.*0r«-sifohu
mem de talento, como na realida-
se
os dos ia
Da princeza D. Antónia.
e
qae
EL-REI D. FERNANDO SEGUNDO
fallecido
c fflciaes
coros
Canavarro .ficou
E MAIS PESSOAS REABS
no
quina; rei D. J >ão VI
tora do Rio de Janeiro.
parelbas de cavallos com cocheiro
real.
branco
n<ndo que estão na Allemmha.
mo-Bór da
e
setim
dos
Ora
nos officios do maestro Cassoul.
Mlecida «
25 de janeiro de 1873;
do
rosas , brancas, com fita a
de 1876;
fallecida
vembro de
e
e
do
Nio ó preciso miis.
e
toda a gente, sendo por essa oesa-
el-rei D. Luiz e do floado pr ncin«.
[laies
Cotogai
QUE
em
de Inglaterra; de li-
comissão
fallecida em 22 de abril
M^ria II, fillecidv
Da rainha
S. C»rlos,
cido ao
lecidos, aquille a 27 de
Miria Pie, ei
ss<emb éa
DA SERENÍSSIMA CASA DE BRAGANÇA
t*s
setim preto franj idas de oiro com
da
tumulo da infanta D Izabel M*ríat
imperatriz D.
tendo cinso fitas de
barítono
disiin ;tos
Hoje 22 dr dezembro faz *onos
inscripção,
REAL MZIGO
Fanchal a 4 de fevereiro de 1853;
riquíssima co-
de
sssigoatnra
baixo Piato, acompanhados da or-
tarjão de
DOS MONARCHAS PRÍNCIPES
princezi D.
que cobriam o carro
oiro.
firro, lô se a seguinte
lhe foram
f Antes D
de
largo
em letras de bronze doirado:
que
do theatro
maestro Gtzui,
A porta ó de
foi depositado.
oflTe reciiss.
•
real;
comprimento so-
vinhaiico, com gnnies almofadas.
panoos pre-
pelos
ia
O Libera mé
Pedro V, o ultimo reinmte qae ali
de
como o Libera-
O regente é o maestro Gizul.
bre 9,75 de largara.
onde está D.
maristas e >judanUs de campo de I f*nt'S D. Affjuso e D. Augusto.
cffl
a missa
de H«sp nha.
doirado. A ante sala do jazigo me-
dro IV, e a segnnda
• ô * de louro e oarvalho com bolo-
J#—Co:he-berlinda com os ca- [rei D
com
T nto
rei
theatro
Ao lado conservaa-se ainda al-
#
D* família
primeira
tos fru)j ^dos de oiro,
gimentos de infontena.
As co ôis
a
de 16 cetros de
e contingentes dos re-
•
eças,
Estão cobertas
talbõas de caçadores.
I os nomes da sr.# D
3 •—Coche-berlinda
confrontar a letra do té*tofo<\-®a
na egrtja
se as armas portngaezis em relevo
com 0 corpo do rei soldado, D. Pe
e com a musica
funerário eram:
segaiate ordem:
D. Affonso XII,
chestra
festões. No arco qae a fórma veenda
Músicos e contingentes dos ba-
Seguiam-se então cs coches pela
pri«orosos
ô escortinadores, quando é verda-
escreveu a sua assigaetaral&a^ta
Na parte
A porta do j izigo é de farro fan-
on* documentos em que se
Martyres pira sufTrigar a alma de
tenor M isini,
ministros de
dos da casa real a c>v*llo
mármore e de-
coraçõas em alto relero.
Veiga
sr. dr. AnanJio da Motta
de que nos editaes s. ex.a sórnetft*
tários da casa real.
Uai contingente de artilheria.
vernador civil, et?. D p is os crea-
7.*—Coche,
com embatidos de
faces,
ao
dos
R*ginento de cavallaria 4.
a cuirda municipal à frente.
Porto,
quatro
Novidades, por espirito, fal-
ram
• o Libera-mê
do maestro G zul.
artist >s
3ueno unifoime»
armad ,
No ceQtro
ás das eçis.
estado honorários • 'ffeetivos. go
do
depois
maestro Cberubini
theon sigaiio pelo
Batalhão de engenheria, «de pe-
eorpo diplomático, gr»ndes do reie
aegaindo-se
com
mosaico
Regimento de lanceiros.
sua f*nf«rra
de associações, cffl
exercito
no, pires
sobre a
XI
A'manha canti-seama «hsa do
em mosaico, comgaarn çõeseguaes
a fo çi qae mais
Lisboa, ju zes e disexb^rg dor»s
eoamissão da
collosado
de
Affonso
mé Bio cintados
préstito
Seguiam-se cerca
subdivididas
todas em apainelados
As
de El-Rei
taram hontem à verdade. Attr baiD.
o faretro transportado pirão pm
r
de lanceiros.
ciaes do
do co» eçis geraee,
Pin da esta oração, o caixão foi le -
Logo qae estas
perf»itimente, ni melhor ordem e
Abria a ourcha asa
commissõee
eterna, etc
Exéquias por alma
7,50 de
superior do jazigo ergue-se o altar
M-riabeiros
na se-
«obre
aatifona:
U e piquete de cavallaria da au-
onze horts co-
comprimento
plangente
monte
x
lioz. Vede
a
«ieipal.
meçou o ppfstito a de. filar
tres con a
37 metros de
pedra
Preços «em cumpetencla
e
cintochao
e te-
para brlaadee
de tree angalos vivos oa sallientes
de
de enro
e prata de floo gosto* proprlo*
abobada
gaarne:idos
C.'
variado eor
ta me 11 to d'objecloe
Veteranos.
tados.
along»ndo-se pelas raa d s cava-
o
&
Áurea
Grande expeelfáo ele
piUres de
de
MARQUES
Rua.
9,75 metros de largura e
to, P-ropulha e
Nacesiid'dis e
de Bra-
entoou *
to de trinta e tantos offleiaes mon-
das
e
cantaria em barretes
arrinqaados
do se peli trives*a do Saer«na®n-
brgo
e a ir-
ceber o cadaver.
os offi ;io§.
no
corado coa arcadas
e dois reiotrantei,
Gineral • estado maior compos-
ta
casa
collegiada
alfaadega.
a direi
chegoaaS
sea painel ao fia da escadaria re-
largo d s Necessidades. evadin-
aa de cavallaria ap^iaa'o
da
CARLOS
nando. O j»z'goóqaadrílongo, de-
misericórdia com
segunda eç»;
Ve'des;
#
préstito
À*ylo ígricola de Albarraque.
J nellas
de Fóra, onde estão os. restos des
meira eça, a
dos carteiros
OURIVESARIA
No régio pintheoade S. Vicente
Diversar pbiiaraoni&as.
Uai contingente
direit» do
í..
#
reis e prJn-ipis
mandade da
legr phistas.
ram de fóra, formaram alas, as de
falle-
Cintra a 12 de
• #
Collocado o íeretro sobre a pri-
C rporaçío
tadas co* os contigentes qae tí«
de
setembro de 1665.
da mari-
Viceate, veia a collegiada
trophes.
das lejas fecb»d&8.
As forças da guarnição, aogmeu
eido noi piços de
de S. Vi
direita no hospitil
Qaandoo
cipaes de Lisboa e conselhos limi-
portas
d« deiembro
•'
#
de asso-
Bombeiros voluntários
9
1700; e o rei D. Affonso VI,
passiv*, indo
janto
em
Pedro II,
gança, foi depositado o gr. D. Fer-
tras pissoas, a pé.
da pessoas.
cavallaria
Hei D. Fernando, e em segaida:
partir das Necessidades
daiia
fallecido
va se pastada a artilheria, apoiàndo a
A guarda real dos archeiros.
ama
ém alas,
No ctmpo de Sinta Clara acha-
esa
e a
de julho de 1699; rei D
cente.
real o
què, conforme o p-ograam*, devia
to, nio 8$ encontrava
post.'das
logo qae o pnstíto
e proiuzia um bello ef-
beiro mór o sr. duqae de Loaté. o
do
inf nterii,
anistico,
dizer-se,
d*
de
iam formando atrai di
préstito. Pode
nis
algum is
Atraz d'este coche iam o estri
cidade converdo
corô.s,
Vicente. As
d'ellas de granie pnço e de valor
X
rats
de
guia o préstito até S.
uma enorme
ft i -O.
Foi imponeíte.
A população da
sobre
te deixam morrer
em paz!...
O duque vem atraz de mim. .—
lhe disse ella em voz baixa.
—Qae te quer elle?
—Paliar mi ea segredo.
—Louco de amor, hein?
—Perdidiafcoí...
—Bravo, rapariga, és uma joia!
—Ea
mas
também
cedo
o grande por
vez
ao
fallar-te,
daque...
Qaindo o deixares, vem ter comigo.. .
—Aonde?
—Aqui...
—Está dito...
Cesar, barão de Fossaro, transformado
Depois de craiar
a
preciso
Ródou
por ama hora em Pedro
o
zarolho,
eseooa-se por
tão monavental, o daque encami-
entre
nhou-se para as bandas do Eiyseu
ziam as sais devoções
a fim
da egreja, e Branca ajoelhou jan-
de
desnortear os curiosos,
os
za sbrin a porta ao mafarrico, del-
se por acaso o viessem espreitan-
to de ama
xando-se embeiçar com a tal Adria-
do; não
nave.
no!— A velhaca dá-se ares de san-
volta pela raa d'Ainmeaa e de Sa-
ta, mas para a vem de carrinho...
reme.
tardou
porem que desse
numerosos fieis qae fanas coxias
eolamua, à entrada da
Continua).' *jg
"
Xá voa Di Josrrfr*.
DTÀRIO ILLUSTfUDO
A'distinga
t•
íctflE Btatriz Ren-
fortm offer «eidos
briadts
01 ssgaintts
uinóiu do sm bsnifleio
no thsttro do Gyaroisio:
UiBt linda bilhsttira; a* toilette
de
Tiigtd;
am mrgnifleo ntr<to
da
bmifl íiida
miílimetros com alguma baixaíde
JemperatnsB,
vonto
variavel
chuva.
O traçado das isobaras mostra
ae pressões mais fracas sobre o
remo
8W.
creacendo
para
o
AVISO
Nfi.
JOIO
Por
Íbia Paosbns; u* eatojo de *.uro
l$
de cry«t»l
e eiraelUi;
um bouquet de
florei
de
biscuit;
um esptibo dé
floreiras;
chtTsn»*; bor-
crystal;
dados
reira,
ÍSTIÇÍO
primorosos; uma phospho-
e
co» tinteiro;
onro
com
broches de prati
pérolas e ssphiras;
na tipete pira
esodieiro; figuras
de pòrcellani eom ftyreir*; prato»
da
Iidi»
simo
da
muito antifo; u® liodi»-
^h«psn
Maison
quissioit
wnffôfo
de
e um fitàu
Franee; uma *ati
secretaria
de X^Io; um
de
vi;g«m,
Alfredo
Aur liano Ferreira, hotel Fran
cfort, ausente.
Visconde de Serrado, hotel Matat; idem.
foetus
artiflsíaea;
um
CAMINHOS
DE
FERRO
guarda
DE LI8B0Ã AO PORTO, BRAGA, VÀUJHÇA
tos;
8 TUA
Partida de Lisboa 7 h. da
bilhetes de Mieita-
$■»; poeiiis
e muitos bouquets e
tarde.
coio^ *to£BKÉÊÉEÊÊÊÉ Chegada a Coimbra 2 h. 51' m. n.
Aveiro 4 h. 48* m., ao Ports 6 h.
Diz-dos um noaao collega que o
Partida de Porto 8 h. da noite.
sr. ministro da justiça
diifgenceia
Chegada a Braga 10 h. 24'v m., n
encontrar um tdiffsto
adeqcudo á
Valença 1 h. 9' t. s Tua 2 h
36 t.
Partida de Tua 10 h. 80* m., d<
prisão
correcional,
para
acabar
com o Limoeiro, e que o velho p»lacio será depois vtndido em hasta publica.
rJ
12 h. t. de Braga 2 b
Chegada ao Porto 5 h. IO1 tarde.
Partida do Porto 6 h. 30' t. de
Aveiro 8 h. 48' t. de Coimbra
Gatuno H
O cabo
Valença
38 ta
Sacarrão prendeu hon-
tem do Aterro, á hora do
10 h. 57' t.
ESPECTÁCULOS
Carlos
D*lormiy, o
Francez, que tem extenso cadastro
Tinha
8 h —Real Thbatro de Sí Carlos — 30.* recita de assignatnra.
Opera: Mephistofeles.
na policia.
comsigo uma g»sus, qua
atirou para
o
mar,
mas que foi
encontrada em ruão da
maré es-
J
tar tariiSy*
Bailados da opera.
8 1/4—Thbatro dá
Uóka e Motta.
deeaetrosa
TrihdAdb—
8 b — Thbatro do Gtotiasio—
Renefic'o — Malaquias,
mulher e
HoDt«m, qmndo
passava á Ri-
beira V«iha o presti o real, deuna a grande dssgraça oiu do tope
de nu mastro de uma
cirgt nm dos
ta* frjgit»
frsgata de
tripulantes da mes-
ficando
instantanea
mente morto.
' *Comp»receram as
auctoridades
e tomaram conta
da occorren-
s
moderna
Contioui
e
aberta todos os dias>
10 horas da manhã, ás qu»tro
meia da tarde, a axpo*ição doa
trabalhos dos artistas do Grupo do
Leão
nas
salas do Commercio de
Portugal. Um d'estes dias começaremos uma apreciação critica dos
trabalhos expostos.
os
bilhetes com
K h. — THSÃT^o Príncipe
REAL
—Beneficio—Orphãs da caridade.
O beneficio annuneiado para o
d a 21, fica tranbferido para o dia
13 de j*n*»iro.
8 h. — Theatbo
dos Recreios —
Beneficio do actor P. de Sousa —
Inales e francez—Vida d'um rapaz
pobre (acto aaa ruinas.) Prestidigitação
por J. Q..Oliveira o Ma-
demoiselle
velhts.
Exponlçâo
dis
Tefm entrada
a data de 21.
Antonietta — Moços
, .
■ .%<l ; ^
e
8/4—Chalet dà Rua dos Cohdeí
—Btneficio de Constantino Coelho (contra regra d'eate theatro)..
A
mascotte n.» 2 — fíeroe para
cazar.
8/2 — C0LI8EU
Lea
Roíb
do
dos Recreios —
Tapia,
Rieiey,
pela troupe Brasileira —Mede
moi8elle Elvira Guerra—Os Bemoes-Tandem por D.
Dias—Os
Martinettes
Edoardo
e todos
ob artistas da companhia.
Os sr8. accionistas e subscri
ptores dos
Homenacem da
iadependenela
Assim se intitula o numero uoi-
Ricreioe, tem entrada
hoje pagando icetade dos preços.
Jardim Zoolooico — Exposiç^ao
de animaes — Vendas garantidias
co de. um jornal litter rio, elegan-
de
temente imprenso, publictdo
8ica nos domingos, aas 2 ás 5 da
tarde—Entrada geral, 100 réis.
Academii de Br>g*
pela
e destioado a
fôUnmfsir a glorio** d'.ta da no«$\ irHepeódsn;ii.
E'
director da
Homenagem,
didicada
bracarenses,
o sr. A'bano Coelho.
O jornil,
damas
cujo pensamento
ciai honra
ticos d\
ás
os
D.
bracarense, e
Guiowar
M»taeno,
0
-mAY£R
remedi?
CONTRA SEZÕES
Tòrrezão,
(axer'saode core)
Abil Aca-
elo S «bastião
da
Pereira
Rodrl/o Vetloso,
A!b»no
F. C*stiço, G^mes
de Pindell», Silva
CURA RAP1QMIEKTE E COM CDTTTZA
as
Vicente No-
vaes. A freio Caupos,
.Febres Infermitlentes
Cunha
Coelho.
IReraitíentcs oBiliosas;
de Amorim, V.
5, os Calafrios,
C TODAS AS
Bruschy, Perei
ra Caldas, Jj*qaim Martins de Carfolestias Paludosas.
tf
LltKTt PAIA
valho, Cunha Vianna, José Caldas
e outros...
1153&I
CITACJO
PELO
list
16
m
Dr.J.CAYrBâCLUowfl.M«U*Ik
vende-se
macias
e
Terça 23—S. Honorato, martyr.
raes
Parnmentoa roxos.
Lau9pr«nne na egr <ja parochial
Mousinho
nas
príncipes pua.
drogarias. Agentes gi -
James Casseis k C.% rua d)
da
Silveira Porto 417
de 8anta Maria Maior.
Principio da aurora 5 h. e 43 a.
Nascimento do sol 7 h. e 18 m.
Occaso, 4 h. e 42 m.
c|ue
e Pis
/>
Dona H miqueta Cbave» da
Josqu<na Chaves doa Santos, via
va de. Joaquim Augusto dos 8 n
tos, Dona Joanna M quiMna Chaves
Tibau
do
.
& *£
de.
miano Tiban e Dona Emilia Ade
laide doe Santos, solteira todos
dfeBta cidade, correm éditos de
trinta dies, a contar da pubiica
ção do seenndo annuncio no Dia
rio do Grverno, a citar e chamt>r
todas e
quaesquer pessoas, que
se julguem com direito a oppor
TUPS
¥
peratura maxima ante hontem «on
Lisboa foi de 14,7, a minima 9,3.
v
Vwto
eNE.
moderado d'entre NW.
Ceu
nuvens
Trta do
Com
d'algumas
respeito ao
a
^ &
4^^
press&o
de 1 a 3
em todas
prinolpaes
Pharmacias
^
do tempo dis:
Diminuiu
>$r $$
ou Uu-
estado geral
& Eneontra-se
e Perfumarias.
Grande
n.° 44, pri-
andar,
Sendo
es
loteria
prémios
i.«
li^uida-
se
• •
3."
no mesmo estabele-
corrente
de
Madrid
cimento, Chiado, n.°
maiores
os
segòtes
• ••
fc.oOf sOOO
pesetes
• • •
2.000:000
»
1 «00 0:000
»
9&OtOOO
»
600:000
»
•• • •
•• •
• •
61
2.°
andar,
com
abati-
Bilhete
ARREMATAÇÃO
sortimento
de
lindos
D«
objectos
em
madeira
esculpida
proprios pa-
boa
propriedade urbana sita na antiga praia de Santos,
hoje,
ria
Vinte e qaalro
de Julho,
fregunz a de Santos,
nao tem numrcos de policia, confina
pelo naseente eom a
Fabrica de moagens dos srs. Costa & Irmão, é livre de fora
presentes
de Natal.
ro on
^JO
pensão.
dia
23
de
deaembro corrente, pelas 11 hora», e á porta do
tribunal da Boa Llora, pelo juiso da
6.» vara e escrivão Almei-
x iV r.úcluer,mento dos iuttTe*BU08 no inventario de J jronymo Joe6 Moreira, para partilhas, se procederá á arrematação da dita propriedade, que caDBta de un armazém em pavimenro baixo dividido
em trea compartimentos, tendo por cima um aad*r também dividido
em dois compartimento e um sotfto,.tud» r cente e perfeitamente
cone traído, servindo ao presente de deposito dp o reaes.
48 acçõfs da companhia de Fia-
Reede um liOOMQOO e foi avaliado em 18:000^000 réis. cu^o valor
vae á praga.
C&o e Tecidos Lisbonenflpg, n "
92 a 189 do capital de. 10*000 ra.
titulo de dei acções da com
panhia Lisbonense de Illnminaçfio a Gas, n." 18981 a 18990 do
canital de 500*(J00 réis.
Pastellaria
z titaloa
de cinco obrigações
cada nm do Empréstimo à Cida
do de Lisboa de 1881, n." 2144 e
2145
do capital cada um
de
450*000.
™
4 titulos de cinco
acções
da
companhia das Agnaa do Lisboa
n.01 10966 a 10970,10971 a 10975
10976 a 10980, 10981 a 10985 do
capital cada 450*U00 réir.
4 obripaçõ a da mesma eompsnhia
n.« «0962 a 109Í5 do capi
Caetana Rosa Lino,
João
Correia
Uno
Ju-
nior, Amelia Lino Tran-
coso,
Adelaide
Lino
10| tituloa
de
cinco acções do
Banco
de Portuca), n.»" 8244,
8245. 8818,
92*3 10023. 10721.
10722.
10723
10724 « 17066 do
eapital cada titulo de 500*000 re.
5 acções da CompA»*"» a- 80
gurus Providencia, n." 10915
a
10919
do
valor
nominal
de
Fernando
Lima,
da
Julia
Purificação
Mora, Antonio
no
Eleutério
Trancoso,
n.°*
Ferreira
a
843
do
capital
de
100*000 réis cada uma.
8 titnlos de uma acçSo cada nm
da Companhia de Hfgnro8 Fid»li
do
capital
nominal
de
de 1:000*000 réi*, es d a nm.
Lino
Fru tis francesas criatalisadas, patês do frait cristalisadas.
Fructaa conaorvadaa ao proprio bucco. Fractas conservadas em xaropee, etc.
Multas qual dades de vinhos fiaissimoa estrangeiros e uma variedade importante de licores estrangeiros em todas as qualidades. B
est*.casa torn.-se recommend * vel so favor publico, câo só pela boa
qoalidade doa art'g??B qu-< ^xoÕ' cn-nn trn h-in jy. |a VMri<:dade4
Cypria-
da
CALCADO
Cesto
Antonio
Lima,
More,
e
Especialidade
Rua
da
Conceição
e
3872,
3873.
3874,
3875
réis cada.
2 titulos de 5 acções do Banco
NbC'onal Ultramarino n,1* 29'J25,
a 29929 311> 0 * 31184 do capi
tal de 450*000 róis cada.
8 acções do raeimo Banco, n."
24637. a 24639,
90*000 réis cada.
do
o
capital
seus
iéia
n."
36
parentes,
e pes-
B6e92 56893 63421, 6H999 64001
69097, f9098. 77261, 79J87. 8^947
90008,900(9 90«10, 90011 90012
90811, 90859,90860 92988, 93765
23 do valor nomma' d- 500*000
n."
15*68
17568,
soas
o
de
suas
77020,
772K4,
da
relações
fallecimento
chorado
Palma
117,
119,
121
GUYOT
Guyot
serve
para
preparar
de
esposo,
içada
seu
das mucosas.
O Goudron Gmyot foi experimentado com TaBtagem
real nos princip&es hospitâes de França, da Bélgica a
pae,
Espanha.
sogro
e
irmão
Durante os calòres e em tempo epidemlco é um
bebida hygienic* e preservadora. Um so vidro hasta
João
para preparar doze litros d'uma bebida aalutarisaimau
Corrêa
de
Lino, que se ha
O
Oriental,
saindo
Qrestito
fúnebre
Goudron
no rotulo
a com trei cores a assignatnra
o
Vanda a varejo na mor parte daa Pharaaolaa.
«4BIUCAÇA0 KM ATACADO |
da
Can L.
greja
Santa
parochial
Maria
et Ch.
TOECHON,
19, ra» Jaoob,
PARIS,
de
DEPOSITO
2 2 de
P.
és
PEEEE
Magda-
lena, terça feira
dezembro
Guyot
AUTHENTICO
é rendido em vidros, trazendo
sepultar no cemite-
DE
MAGALHAES,
DEJANTE
&
C.»
10 horas
da manVã.
Larca
Depositada
18899,
22576, 22577, 26225, 26>-9l 29582
29583,34641, 34646, 34647, 38756
66767,
Nova
O doudron
2«54.
17,07,17266,80255 349 9 43963
44153 4s488, 48711, 503 9 50320
os generos por medida, preços
Instantanaeinente uma agua de alcatraô, muito efíicai a
rio
32 Ioscripções d'assm amento
da Junta do Credito Publico do
capital
nominal
cada
uma
todos
ALCATRÃO GUYOT
Licor titulado • dosifioado
10 acções da companhia da Fa-
226 653 do capital representati
vo de 200*000 róis.
em
GOUDRON
de
brica d'Algodfto de Xabregas, n.*
86, 87 8S, 89, 90, 209, 210, 219,
e crianças,
doloroso'
8876.
3*77 e 8958 do capital de 100*^00
senhoras
Silva,
díiverde participar aos
8 titules de nma ac^So do Ban
co Lisboa & Açores
n.®« 8871.
homens,
Maria
100*000 réis cada nm.
7 t tu I o d de nma acçSo cada um
5 obrgftções do Barco N*eio
nal Ultramarino t>.0» 14251,14252
para
sem competeneia.
Maria
cumprem
UO, 3311, 3312, 3313 do capi
tal cada um do qninh**ntoa mil rs
sortimento
ditto á ingleza e phanlazia.
José
2.titulos de uocaacção cada um
da comnanhia
Seguroa Tngns,
n •• 2Í 01 * 2002 do capital d*
Ha companhia das Lesirías do
Tejo e Sado n •» 936. 659, 664,
Italia
CT ST A recebeu ba pouco de Paris um importante e variado sortimento de bonbons fondants, chocolat, boubons c-elce de todas
as qualidades.
dad«. n.#l 6, TL 8, 9, 10, 883, 884
1200
de
57, Roa da Escola Polytechnica, 59
Grande
100*000 réis eada uma.
20 aeçõea do Bunco Português
824
Estrella
Marrons glacés, marrons au sirops. etc.
tal cada 90*000 réia.
e
92:000
mento, um variadíssimo
bilitar como únicos herdeiros p
representantes de soa n Se e avó
99812,
115862, 116381, 117319, 129131.
10 obrigeçõi 8 da comp^ehia do
uma.
v
(Ivenj)
se á r' ferida justificação na qual
os justificantes ae pretemdem ha
Fabrico d'Algodoes de X bregas
do capital de cem nil reis cada
Conforme
o boletim do Observatório do infante D. Lois, a tem-
co
viuva de João M*»xi
43708. 54146, 549j2 62506, 62507
e onse dit»s do c»ni'ai de 100*
rs
n.M 29495.
33584,
6374S,
Seroado preamar ás 3 h. e 42 m.
da tarde. '
Baixamar ás 9 h. e 54 m. da tar-
Francis-
#
39522 40704 40705.40706,40707
Dentilricos
do
laatificaç&o em que afto jastificsn-
féie
Agua
Primeiro preamar áa 3] h. e 18 m.
da manhã.
Baixamar ás 9 h. e 30 m. da ma
nh5.
de direito d» 6
vara e csrtorio do escrivão
este ass'gne, e nos autoa de
1:000*0°0
CHROMES
juiao
EDITAL
14253, 14245 - 14246 do capital
cada uma d« 90:( 01) réis.
eonie de S modais, Teixeira Coelho, Alv«s
D!irio lllistraí#
V. da eiaelmaadeu ti
seotimentos pátrio
mocidade
l4
ini-
colaborado pilos seguintes escriptores:
animaes, ovos e plantas—Ma
íworiplui io
S.
23
para
• •
1
filha—Não me embaçam.
Horle
2.°,
guintes:
muito seu conhecido,
E' u* tal
61,
de
do Ouro, 231
da rua do
Dona Maria Elov Chaves, a qu»l
herança alem de outro8 bens se
compõe doB papeis de credito se-
funeral
d'El Rei B. Fernando, uú: gatuno
rua
meiro
Silva Zarallo,
casada com João
Soares
Z^gwllo,
Dona
Carlota
jóias de crystal; um rig*lo; retr-i
cutis a
SILVA
Simon
Orofe8sor de francas. Rua d
PrtÇi da Figueira, 46, 1.»
;e8
liweiro; nm boni •
Chiado,
a
Eugène
Suisso,
Amanhã
1<íQ
Rogério 8'lva, rua dos
Cardae8 de Jesus, 53, 2.#; idtm.
Augusto Taborda ; espera Ina
estação.
to bouquet de forget má Hot, rosa»
e
mm» ^sAy>aael
Joaqui ai Sonsa, rua do Almada;
nao foi encontrado.
beira Nova, 18; idem.
Dr. Bernardo Meirelles Leite,
rua do Norte, 153, l.°j idem.
bull dog, em pra-
zém
gOí,LOCAM-8E dentes dteii
ttm até á dentadura iompl^tt
eaixis com lenço*; Iu**s de sed»;
c*b?çi de
22$, Rua
em deposito chega
Joaquim Fortunato, rua da Bi-
ta,
ímitsç&o
M
xima mudança do Arma-
escola «eáit
cirúrgica de Lisboa
Despachos
doa h on tem :
de bronze antigo;
uma
SiMliUdt lei
TELEIBAPHO-POSTAL
de Veneia com vio-
lettas
CANDIDO
da pró-
Faltam boletins de França.
feito oa photogra-
a Rasai* pira Iara»; um» carbeil-
motivo
E assim sfio citados os mesmos
incertos para na segunda aud en
cia d'eete jniso, posterior ao praso doa edit, b, vir* macensar lhes
a citação e
sesignar se-ibee a
ttrceiía sudiencia para contrata
rem, querendo, a mesma habili
tacão, seb p-na de revelia.
Vi ri fiqu» 1- Fonseca Pinto.
O %scrivâo da 6.* vara.
João Javier dê Catvalho.
Esperam
rem
este
lhes hon-
acto
com
a
D &0Í
BUA DO
4LECBIH, 99
IH, TBAVEI8A DE
sua
presença.
S. NICOLAU, 184
• WTINHOS de tod8S as qualidades. Vinho do Porto d^sde 300 réia
a garrafa. Caixas sortidas eom 12g8rra as de vinhos finos nroprias psra preseote desde 8:000; 4:5<»0 e 6.000 rs. etc, até 18:000.
MOLÉSTIAS CONTAGIOSAS
Cara prompt* e garantida. Tratamento faoil, podendo uzar-8e em viagem. Approvado pela
Academia de Medicina. Certificados dos
Senr* Ricord, Cullkrikr, D&sruhllks, Cirurgiões
cheffes, especialmente encarregados nos Hospitâes
de Paris, do serriço das Doenças contagiosas; os
quaes certificam que, o aio das CAPSULASKOTHBS, teem sempre dado os melhores resultados, nfto avendo outro tratamento que possa ser
melhor Indicado e recomendado.
w. m. — Para coitar as fraudes, mxtja a» a
Kttqufxm conforme o modelo junto como Timbre.
em azul. do Estado Francez.
SM TODAS AS PRINCIPAIS PH ARM ACI A B
Di A no lLL0STtl&l>0
CADIZ
Espera-se a 31 do oorrente
Pa» carga o nassagens ta
■e no Caes do Sodré, 64, 1.*.
Oi agentes
S. Finto Bailo r C
NOTÁVEL
f
d fl P
fl
X X li
TRABALHO
IMPRESSO
EM
CHROMOTYPOGRAPHIA
Um elegante Kaiendario para o anno de
1886,
contendo nma resenha dos titnlos de Suas Magestades El-Rei D.
1 u U D
® *
Rainhsi
D Mari
*Pia
-
de
Luiz
I,
Saboya
Para Lourenço Marques Inhamba-
I
O O P
1
link
ne,
Chiloane,
UNDO
KALENDABIO:
PREGO
500
RS.
Mo-
çambique, Ibo, Lindi e Zanzibar.
1UIIU
Com eseata pelos portos
m
Q,uil imane,
LUXUOSAMENTE
do Gabo da Boa Esperuça
CARTONADO
O paquete
A notissima publicação do KUEKDA1H6 REAL, para o asno de 1886,
mais digna de ornar as salas das Camaras Moniõpaes do paii, e figurar io*
é o primeiro
trabalho,
i'wto
leaer», apresei tad» en Peritjal, • a
jabimles dos fanaieiarios do Estadé, uvis e Militam, reparticlw
publicas e adminislratWas, decretarias, Ljcens e CoHegios, como lambem em todo» os escriptorios commerciaes, iadistriae», maritrrnos, cms puíciliares, para o que especialmente foi feito e é dedicado.
Os pedidos
Bragança,
mento
aos
devem
Una
do
ser
dirigidos
TViesonro
à
Ve\\vo,
I^ivraria
1%,
Fornecedora
LAsboa.
Vax-se
da
Casa
rasoavel
de
abati-
revendedores.
Expede-se
franco
de
porte
em
para
as
estampilhas
ou
Províncias,
vales
do
mandando
a
importancia
correio.
ACHA-SE A VENDA EM TODAS AS LIVRARIAS DO REINO. ILHAS E NO BRIZ1L
Sairá a 28 do
N.
O Xlizir alimentício
A treno ê muito agrada vel ao
paladar e as pessoas a quem
mais repugnam os alimentos, o tomam até por gosto.
Gotta,
Solução
Rheumatismo,
*<.
Dores
Doutor
Laureado da Faculdade de Medicina de Paris.
ros
B.
e
Pede-se aos
carregadores,
declararem
Clin
— Premio Montyon.
rente,
corrente.
até
ao
srs. passageio
obsequio
dia
19
ao
de
cor-
qual o lo gar que pretendem.
/Zr^CARNE
'^r AGUARDENTE f
A Verdadeira Solução CLIN ao Salicylato de Soda emprega-se para curar:
ALIMENTÍCIO
CASCAS do LAR AHJAS
V
AMARGAS
As Aifecções Rheumatismaes agudas e chronicas, o Rheumatismo gottoso,
i
as
Dores articulares
e musculares, e
todas as vezes que ó necessário calmar os
soffrimentos occasionados por estas moléstias.
A Verdadeira Solução CLIN é o melhor remedio contra o Rheumatismo,
É um tonico poderosíssimo,
aconselhado para as mulheres
e crianças delicadas, os velhos,
os convalescentes em quem
desperta o appetite e restabelece as forças.
Convém sobretudo nospalzes
quentes, onde as forças diminuem pela transpiração,conde
se esta sujeito a moléstias
contagiosas. — Para mais detalhes, leta-se o prospecto que
acompanha cada vidro.
Pariz,20,Place des Vosges
I B EM TODAS AS PHAUMACIAS I
a Gotta e as Dores.
1147
Exigir a Verdadeira Solução de CLIN & Cio, de PARIS,
que se encontra em
Pérola
Espera-se
3
CURADOS px aeio d» LICOR I das PÍLULAS do Dr LAVILLE :
actos de Marcelino Mesqn •
ta & venda
nas principals Uvis •
0 LICOR cura o estado agudo; u PILDLAS curSo o estado chronico.
Exigir sobre os Frascos o Sello
^^
do Estado Frnncer e a assignatura
^
DeD'SitonasPharmaclase Drogarias.
"1
T(aili por Maior: F.Comar, 28, r.St-Claade, Paris 27- ^/./T
Remetlè-se a quem pedir uma Brochura c&plicatioa.
f*OME DIA-DRAMA,
e»
Atelier de gravura
MESA
do
26
do
corrente
com.
OS AGENTES
1L
Pinto
Basid
k
C,A
mma do Ouro. * IO, Lís)i*a
Steam
Navigation Company
da Real Irmandade
Santíssimo Sacramento
da freguesia
a
Para carga e passagens trata-se
The Pacific
Ik
paquete
casa dos Droguistas e Pharmaceuticos.
r»*«.
AVISO
O
Umâ explicação detalhada acompanha cada traaoo.
de
Nessa
Para o Bio de Janeiro,
8enbor*
doa Martyres, partecipa a todos
ob setii irmãos qus recebeu hoje
um cffijio do cr. rev. paroeno
communicando lhe que na proxi
ma quarta Mra 23, teem logar
Selas 11 horas prefixas, na fgreja
a irmandade sol^mnes exeqaias
£r a'ma de Sua Magest°de o Rei
Hespsnha, assistindo Suas Ma
gestades fid-lissinias, côrte, 8na
Emmet eia Rever?ndisaima e offi
Montevideu
Buenos-Ayres, Valparaizo, Aries, Islay 9 Callai
1ESSAGER1ES
Paqnebots
Liiniia
IARITIISS
poste
frança!*
quinzenal
ciando o Ex.»# e Rev."" srs. Nun
oio; e que a colonia hespachola
convidou a mesa da irmandade
para assistirem aquelle acto honrando-cs com as suas pr« senças.
A mesa portanto eep;ra que os
■eus irmãos baj»m ?de concorrir
•orreepondendo.. assim ao ob?e
ÍaioBo
SAlHiVO
OS
e delicado convite recebi-
}. Lisbon em mesa 20 de deiembro de 1885.
O segundo escrivão
«alicia 22 dt dsssrobro.
| Cotopaxi 19 da janeiro.
•Araaranla 6 de jouairo.
j «Aconcagna 3 do favtrtiro.
••Os
O
vapor
BRIXHAM
chegou
e
Francuco Simões Carneiro.
p»qu*tes
Araneania a
Aconeagna firào
Penuabuco a Btbia par* ouda só recabtcn aais3 « passageiros.
Fax-ss abatimento às fcmilus qa* ?i&j*rtn p*ra
a
sae
3.
feira
22
do
corrente.
tstti* jftf
os portos de Bim
ril • Rio da Prata.
Na
O vapor CZAR espera-se 2/ feira
passagem
do
3."
clwse por estes »agnifiroi vaporu, eiU !a»
eluido vinho à hora da co»id%, croupa, «to.
A bordo ha cri*doa, cosralwro* portaifueiai e nadiso.
21
pACILITAM
a
diçestSo
e
A
abrem o app' tit o. Vendeai#
se na rua Augusta. 166 l. e pharmae'a Avellar, rua Augusta, 225
e 227.
Garrafa
de 1'tro 140 róis
DoenQas
dê
peJle — AntoniHenriques do Valle.—Dá consu
tas na rua Nova de S. Domingo
22. l.° das 11 ás 2 da tarde.
Tratamento especial pelo ver
dadeiro e infallivel especifico d«
do
corrente.
Para
O
8ATRA7 DEPOIS DE POUO^
DEMORA nfeste porto o paqa-ít*
francês NIQER.
Commandante, Baule.
Que se espera de Bordeaux e?.
23 do corrente.
Para mais informações trate*
no eseriptorio da agencia, travç?
sa io Sequeiro das Chagas, ne« \
Os agentes
TMmUs t 0.*.
vapor
OSSIAN
espera-se
Bcrdeux
e
Liverpool o pa-
na
quete COTOPAXI.
terça
feira
22
do
corrente.
Espera-se
Para
do
carga
Sodré,
trata-se
Caes
AGENTES
PWTOMSIO
parte
sabhado
eorrente.
Para carga o paii&gt» trafa-i* coa os
64,1.°.
OS
E.
no
e
&C.»
No Parto
r*u* Per sir € Pinte
Larif#
de
8.
Jofi^
tte Littoo
S. P ink Scjls )
it
Caos do ãodzé. fi;
do
Fly UP