...

Março - Universidade Católica de Santos

by user

on
Category: Documents
26

views

Report

Comments

Transcript

Março - Universidade Católica de Santos
Morte de
Ir. Dorothy
mobiliza País
Notas da Conferência
Nacional dos Bispos do
Brasil (CNBB) e da Comissão Pastoral da Terra
alertam para a violência
crescente no campo e a
necessidade de se fazer a
Reforma Agrária no Brasil.
Pág. 2
Jornal Mensal da Diocese de Santos - SP
Inicia aulas
de Teologia
para leigos
Distribuição gratuita
www.diocesedesantos.com.br
Março - 2005 - Nº 43 - Ano 4
Páscoa: opção pela vida
contra a lógica da violência
Arte Chico Surian
O Instituto de Teologia para leigos Beato José
Anchieta, da Diocese de
Santos, reinicia as atividades, destacando o Ano
Eucarístico. Há novidades no currículo e cursos
especiais para ex-alunos.
Pág. 5
O Papa João
Paulo II pode
renunciar?
O estado de saúde do
Papa acirrou os debates
na mídia sobre a possibilidade de sua renúncia.
Pe. Caetano Rizzi responde se a renúncia é
possível e o que diz o Código de Direito Canônico.
Pág. 4
Paróquias
têm novos
párocos
Num misto de alegria
e saudade, nos dias 5, 6 e
20 de fevereiro, as paróquias Sagrada Família, Senhor dos Passos, Coração
de Maria (Santos) e N.S.
da Lapa (Cubatão) receberam os novos párocos.
CF 2005:
Paz e
Ecumenismo
Pág. 4
Pág. 12
Empresários
visitam Igreja
São Tiago
A Semana Santa, de
20 a 27 de março, reúne
as principais celebrações
da Igreja. A Bênção dos
Ramos, a instituição da
Eucarístia, a celebração
da morte de Jesus e final-
mente a ressurreição do
Senhor. Em uma semana celebram-se os fatos
que deram origem à fé
cristã. Em todas as comunidades este é um
momento de graça, in-
trospecção e fortalecimento da fé. Veja também
os horários das confissões
comunitárias em todas as
paróquias.
Págs. 6 e 7
Pág. 10
Chico Surian
Chico Surian
Liceu Santista
usa Internet
sem fio
O Liceu Santista implanta a internet banda
larga sem fio, Speedy
Wi-fi e disponibiliza o
serviço gratuitamente
para seus professores e
alunos nas dependências
do Colégio.
Pág. 8
Jovens optam pela pobreza
São José Operário faz 80 anos
A exemplo de São Francisco de Assis e com profundo respeito a Jesus Eucarístico, jovens da Toca de
A comunidade está se
preparando para as festividades dos 80 anos, dia 19
de março, dia do Padroeiro.
Assis dedicam-se ao cuidado dos “irmãos sofredores”
que estão nas ruas.
Pág. 10
As festividades têm início já
no dia 6, com missa na Catedral de Santos e carreata.
Pág. 11
2Presença Diocesana
Panorama
Respeitar, defender e promover os direitos
da mulher é um dever de todos os que afirmam a
dignidade inviolável dos seres humanos...
Com a mesma convicção defendemos e
apoiamos os direitos do nascituro. Sabemos, por
testemunho de credenciados cientistas, que o ser
humano, desde a sua concepção, possui o seu
próprio patrimônio genético e o seu sistema
imunológico. Trata-se de um outro ser humano
gerado, de modo que mãe e embrião constituem
seres humanos distintos.
Cardeal Geraldo Majella Agnelo
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Presidente da CNBB - Dom Odilo Pedro Scherer
Bispo Auxiliar de São Paulo e Sec.-Geral da CNBB
CNBB - LITURGIA
O Jornal Presença Diocesana passa a publicar os artigos
sobre Liturgia, elaborados pela CNBB, no projeto Formação
Litúrgica em Mutirão. Outras informações sobre o projeto
podem ser obtidas no site da CNBB - www.cnbb.org.br
(Comissão Liturgia)
O tempo da Quaresma
Frei José Ariovaldo da
Silva, OFM
Para qualquer festa importante, a gente costuma se
preparar. E se prepara bem!
Festa de 15 anos, formatura,
casamento, bodas etc.... E
quanto mais importante a festa, parece que mais tempo
leva a preparação. Você com
certeza conhece exemplos de
festa preparada até com mais
de um ano de antecedência...
Na preparação já se começa
a viver a festa.
Nós cristãos celebramos
todo ano a festa da Páscoa:
Morte e ressurreição de Jesus e nossa. É a maior de todas as festas. A mais importante... Grande demais para
ser preparada em apenas três
dias ou uma semana. Por isso,
estendemos a sua preparação
para quarenta dias. Daí Quaresma, período de quarenta
dias, que vai da quarta-feira
de cinzas até a quinta-feira
santa pela manhã.
Nesses quarenta dias de
preparação para a Páscoa,
Deus nos leva a lembrar os
quarenta anos do povo de
Deus no deserto. Sobretudo,
Deus nos leva a reviver os quarenta dias que Jesus passou
no deserto, preparando-se
para a sua missão.
É um tempo forte na vida
da Igreja, em que fazemos o
caminho para a Páscoa, motivados pela Palavra e unidos
aos sentimentos de Jesus
Cristo, cultivando a oração, o
amor a Deus e a solidariedade com os irmãos.
É um tempo em que, na
tradição da Igreja, os catecúmenos se preparam intensamente para o batismo na noite da Páscoa, isto é, na Vigília pascal.
É um tempo de graça e
bênção, escuta mais intensa da
palavra de Deus, de conversão
e mudança de vida, de recordação e preparação do batismo, de reconciliação com Deus
e com os irmãos; tempo de oração mais intensa; tempo de jejum como aprendizarem, entrega e docilidade à vontade do
Pai; tempo de esmola ou de
partilha de bens e de gestos
solidários, de carinho com os
pobres e necessitados.
As celebrações mais importantes do tempo da Quaresma são: Quarta-feira de
cinzas, através da qual abrimos esse tempo de preparação pascal: “Convertei-vos, e
crede no Evangelho!”.
Depois temos cinco domingos da Quaresma, nos
quais as comunidades se reúnem para celebrar a presença viva do Senhor que nos
mostra o caminho para a vitória definitiva da Páscoa.
E então vem o domingo
de ramos, no qual lembramos
a entrada triunfal de Jesus em
Jerusalém, onde ele sofrerá a
paixão e mergulhará na morte, para depois ressuscitar vitorioso.
Ainda, como parte da
Quaresma, se celebra na
quinta-feira santa pela manhã a missa dos santos óleos.
Nas comunidades durante a Quaresma, se fazem também celebrações penitenciais, como sinais da nossa
busca de conversão e da misericórdia de Deus que nos
acolhe em seu perdão. Nelas,
também se celebram ofícios
próprios, como meio de intensificar a oração.
Concluindo, lembramos
esta belíssima oração que a
Igreja faz, já no primeiro domingo deste tempo forte de
sua vida: “Concedei-nos, ó
Deus onipotente, que, ao longo desta Quaresma, possamos
progredir no conhecimento
de Jesus Cristo, e corresponder a seu amor por uma vida
santa. Por nosso Senhor Jesus
Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo”.
E toda a assembléia confirma dizendo: “Amém”
Perguntas para reflexão pessoal ou em grupos:
1. O que significa para
você a Quaresma?
2. O que você costuma fazer no Tempo da Quaresma?
3. O que lembra para você
o Tempo da Quaresma?
4. Como viver hoje o Tempo da Quaresma, na família,
na comunidade, individualmente?
CF 2005
Ecumênica
Março/2005
BRASIL
Nota da CNBB sobre a morte de Ir. Dorothy Stang
(Mensagem da presidência da
CNBB, pela morte da Ir. Dorothy
Stang, a Dom Erwin Kräutler, bispo
prelado de Xingu, Altamira, PA).
Estimado Dom Erwin,
A Presidência da CNBB recebeu com imensa dor a notícia
do brutal assassinato de Irmã
Dorothy Stang, da Congregação
das Irmãs de Nossa Senhora
(Notre Dame), no dia 12 de fevereiro, em Anapu, PA.
Infelizmente, a religiosa foi
mais uma vítima da luta dos pobres pela terra para trabalhar e
viver e da preservação da natureza, onde entram tantos interesses em jogo. Ela o fez como missionária corajosa e dedicada e
como testemunha do Evangelho
de Jesus Cristo, apesar dos riscos
por ela conhecidos, que seu trabalho envolvia.
Este vil assassinato, como
tantos outros, que não são divulgados, traz novamente à tona, de
maneira trágica, a questão da violência no campo e a urgência
de soluções para dívidas sociais
tão antigas e graves, como a verdadeira reforma agrária, a definição clara das áreas de preservação ambiental, a demarcação
das terras indígenas, a presença
efetiva da autoridade pública nas
novas áreas de ocupação das terras e a vigilância atenta para que
a lei seja cumprida.
A morte de Irmã Dorothy aconteceu, por coincidência, quando
no Brasil iniciamos a Quaresma,
com o apelo “convertei-vos e crede no Evangelho”, e lançamos a
Campanha da Fraternidade com
o tema “solidariedade e paz”. Tragicamente, a morte violenta de
Irmã Dorothy vem a confirmar a
urgência de uma séria reflexão
nacional sobre as causas da violência e as maneiras de superála; põe em evidência a necessidade de aprofundar a solidariedade social no Brasil, através de
políticas públicas para promover o respeito à dignidade e aos
direitos fundamentais de cada
pessoa humana e para assegurar
justiça e paz para todos; por outro lado, põe em evidência a importância de desarmar as mãos e
os espíritos, sem sucumbir a intimidações, num paciente esforço para promover uma verdadeira
cultura da paz.
A violência nunca será capaz
de construir uma sociedade de
paz, mas somente a cultura da solidariedade, do respeito e da justiça. Que o sacrifício da vida de
Irmã Dorothy não seja em vão e
que seu exemplo continue sendo
um estímulo para todos os que se
dedicam aos pobres, aos pequenos, aos excluídos e aos desarmados, e para os que acreditam
na força da verdade e do amor.
A CNBB está unida na solidariedade e na prece aos familiares de Irmã Dorothy, à Congregação das Irmãs de Nossa Senhora e a toda a sua Prelazia. Que
Divulgação
4 mortes
em 72 horas
Deus acolha
Irmã Dorothy na
vida eterna e lhe
dê o prêmio
prometido por
Jesus aos que
se dedicam aos
mais pequeninos dos irmãos de Jesus (cf Mt
25, 40). “Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus (Mt 5, 9).
Cardeal Geraldo Majella
Agnelo - Arcebispo de São
Salvador da Bahia - Presidente da CNBB
Dom Antônio Celso de
Queirós - Bispo de
Catanduva - SP - VicePresidente da CNBB
Dom Odilo Pedro Scherer Bispo Auxiliar de São Paulo
- Secretário Geral da CNBB
Nota da Comissão Pastoral da Terra
Martírio da Irmã Dorothy
denuncia a iniqüidade do agronegócio - (Nota da Prelazia do
Xingu e da CPT Nacional)
Irmã Dorothy, brutalmente
assassinada no sábado, 12 de fevereiro, chocou e encheu de indignação a todos. Sua morte denuncia, diante do Brasil e do
mundo, a absurda estrutura rural de concentração da terra em
grandes propriedades, ao lado de
milhões de famílias que, teimosamente, buscam, sem consegui-lo, um pequeno pedaço de
chão que lhes sirva de abrigo e
que providencie seu sustento.
O latifúndio, mascarado de
agronegócio e modernidade,
quer manter esta estrutura
fundiária intocada, porque isto
lhe garante a manutenção do seu
poder hegemônico e seus privilégios sobre todas as instâncias
do Estado brasileiro. Fazendeiros, madeireiros, plantadores da
soja, acobertados pelo discurso
da produtividade, avançam sobre
as terras públicas, sobre territórios ocupados pelas populações
tradicionais - indígenas, ribeirinhos, posseiros e muitos outros.
Promovem a grilagem de terras,
a devastação das florestas e do
cerrado, a poluição das águas,
usando para isso, até com apoio
político e policial do governo estadual, muitas formas de violência, que vão desde a intimidação, passando pelo trabalho escravo e chegando ao assassinato.
Do seu lado a atuação que a
Irmã Dorothy vinha desenvolvendo junto às comunidades de
Anapu era o anúncio de um novo
tipo de sociedade agrária, buscando a terra como lugar de vida
e convivência, na preservação dos
valores da solidariedade, respeitando e cuidando do meio-ambiente e produzindo o alimento
com sustentabilidade. Mas esta
forma de vivência afronta o modelo econômico atualmente adotado pelo Brasil e se torna um
estorvo para os que buscam, acima de tudo, o lucro imediato.
Em Anapu, com mais de 90%
de suas terras consideradas
devolutas, os movimentos sociais
EXPEDIENTE
Presença Diocesana
Presença Diocesana é o
informativo oficial da
Diocese de Santos, lançado
em setembro de 2001
Bispo diocesano
D. Jacyr Francisco Braido, CS
Diretor
Pe. Eniroque Ballerini
Conselho Editorial
Pe. Antonio Alberto Finotti,
Pe. Valfran dos Santos,
Pe. Eniroque Ballerini,
conseguiram a criação de alguns
Projetos de Desenvolvimento Sustentável - PDS, onde estavam sendo assentadas 600 famílias. Nestas áreas, onde as comunidades
harmonizavam a produção familiar, a coleta florestal e o respeito ao meio ambiente, é que fazendeiros têm usado de todas as
formas de terror e violência para
expulsá-las, culminando com
prisões de lavradores e agora com
a morte da Irmã.
Visto que este vil assassinato
teve uma inusitada repercussão
internacional será elucidado rapidamente e seus responsáveis
julgados e punidos. O Governo
já está enviando para lá 2.000 soldados do Exército. Mas a profecia da Irmã Dorothy continua
apelando, como ela apelou sem
ser ouvida, pela atenção do Governo, para o crime organizado
na região, com o envolvimento de
autoridades e da polícia do governo estadual, na corrida e na
disputa pelo domínio, a qualquer preço, daquela área de total desordem fundiária, com claro desafio e enfrentamento da
Autoridade constituída.
Além disso, do lado do Estado temos um Judiciário cuja praxe na questão da terra tem sido
lamentável. Os juízes, na sua
maioria, não assimilaram ainda
o avanço constitucional da função social da propriedade da terra. Este Poder tem se mostrado
extremamente parcial ao expedir liminares de reintegração de
posse contra lavradores, sobre áre-
Pe. Marcos Sabino
Odílio Rodrigues Filho.
Humberto Jr.
Revisor
Monsenhor João Joaquim
Vicente Leite
Jornalista responsável
Guadalupe Corrêa Mota
DRT 30.847/SP
Projeto Gráfico e Editoração: Francisco Surian
Serviços de Notícias:
CNBB, CNBBSUL1, AnotE,
CatolicaNet, Adital,
Notícias Eclesias,
Zenit, ACI Digital
Greenpeace
as com titularidade muitas vezes
duvidosa, inclusive contra comunidades tradicionais, que ocupam as terras há dezenas de anos.
Em 2003, 35.292 famílias foram
despejadas da terra. E dados parciais de 2004 indicam o despejo
de outras 34.850 famílias camponesas.
O mesmo Poder é extremamente lento para julgar crimes
cometidos contra os lavradores.
Das 1.379 mortes no campo,
registradas pela CPT, de 1985 a
2004, somente 75 casos foram
julgados, tendo sido condenados
apenas 15 mandantes e 64 executores. Destes, 523 assassinatos
aconteceram no Pará e só foram
a julgamento 10 casos, com a
condenação de 5 mandantes e 8
executores. O massacre de
Eldorado de Carajás tem sido
paradigmático da forma como
são tratados os crimes contra os
trabalhadores e de como a Justiça tem agido. Dos 154 levados ao
banco dos réus, apenas dois comandantes da tropa foram condenados.
O testemunho de Irmã
Dorothy exige que a Reforma
Agrária se torne, efetivamente,
uma ação prioritária do governo
federal, sem medo de desapropriar o latifúndio e com peso financeiro não inferior ao que é
prodigamente dado ao agronegócio. Que se retomem as terras
públicas invadidas por grileiros
e sejam destinadas para projetos
de assentamento. Que se ampliem os recursos para o combate
Tiragem: 40 mil exemplares
Impressão: Gráfica Diário do
Grande ABC.
Distribuição: Presença Diocesana é distribuído gratuitamente em todas as paróquias e
comunidades da Diocese de
Santos, nos seguintes municípios: Santos, São Vicente,
Cubatão, Guarujá, Praia Grande,
Mongaguá, Itanhaém, Bertioga
e Peruíbe.
Os artigos assinados são de
responsabilidade exclusiva de
seus autores e não refletem,
necessariamente, a orientação
editorial deste Jornal.
Depois da morte de Ir.
Dorothy Stang, sábado, 12 de
fevereiro, às 9h, mais dois assassinatos aconteceram no
mesmo município (Anapu,
oeste do Pará, a 777 Km
de Belém). No mesmo
dia 12, à noite, foi morto o lavrador Adalberto
Xavier Leal (identificado como empregado
do fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura,
apontado pela Polícia
Civil como mandante
do assassinato da
freita). No dia 15, terça-feira, o corpo de
Olisvaldo Morais de Lima foi
encontrado às 18h30, com tiros no peito, a 28km da sede
de Anapu. Lima era posseiro
e disputava com o suposto assassino um lote na área. Foram três mortes em menos de
72 horas, e após o anúncio do
Governo de que iria impor uma
“punição penal, dura, rápida
e exemplar” aos responsáveis
pelo assassinato da religiosa.
Ainda no dia 15, o sindicalista Soares da Costa Filho,
do Sindicado dos Trabalhadores Rurais de Parauapebas
(sudeste do Pará, cerca de
450 Km de Belém), foi assassinado numa emboscada
quando se dirigia de moto
para o assentamento Carajás,
do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária
(Incra).
De acordo com a Comissão Pastoral da Terra, o Pará
lidera as estatísticas de assassinatos no campo no País. 521
pesoas foram assassinadas
entre 1985 e 2003.
ao trabalho escravo; que se rompa o acordo efetuado com os madeireiros, suspendendo todos os
planos irregulares de manejo florestal. Também é indispensável
que o Congresso cumpra o artigo
51 das Disposições Constitucionais Transitórias que determina
a revisão das doações, vendas e
concessões de terras públicas no
país e que coloque em pauta para
aprovação imediata a proposta de
Emenda Constitucional que
confisca as terras onde se explora o trabalho escravo.
As Igrejas se lançaram, com
feliz inspiração ecumênica, na
Campanha da Fraternidade 2005
pela Paz, fundada na Justiça. E a
CPT comemora, também neste
ano, seu jubileu de trigésimo aniversário e vai celebrá-lo no seu 2º
Congresso nacional com o lema:
“Fidelidade ao Deus dos pobres, a serviço
dos povos da terra”. Nossa Irmã foi
assassinada por causa de sua fidelidade a este Deus que tomou o
partido dos pobres. Foi por Ele
que ela se colocou radicalmente
a serviço dos pobres de Anapu.
Que o martírio de Irmã
Dorothy, hoje associada a Dema,
Brasília, Adelaide, Josimo, Margarida, Gringo e tantos outros,
nos faça realmente fiéis ao Espírito de Deus, que agora soprou
fortemente este vento da Justiça
e da Paz, vento que inflamou a
chama da pequena vela de
Anapu no coração dos povos da
terra e das águas e no coração do
povo brasileiro.
Brasília, 16 de fevereiro de 2005
Dom Erwin Kräutler - Bispo
Prelado do Xingu, PA
Dom Tomás Balduino Presidente da Comissão
Pastoral da Terra (CPT)
Presença Diocesana
Tel/Fax: (13)3221-2964
Cúria Diocesana
(13)3224-3000
Fax: (13)3224-3101
Centro de Pastoral
Pe. Lúcio Floro
(13) 3224-3170
Seminário S. José
(13) 3258-6868
Endereço para correspondência:
Presença Diocesana
Av. Cons.Rodrigues Alves, 254
11015-200 - Santos-SP.
O Jornal reserva-se o direito de não
publicar cartas que estejam com
nomes ou endereços incompletos.
[email protected]
diocesedesantos.com.br
EM
EDITORIAL
FOCO
Nota da CNBB sobre o processo
de revisão da legislação
sobre o aborto no Brasil
Marcam o presente período de nossa história, a violência urbana e rural, as situações de fome e miséria,
atentados, agressões e crescente número de assassinatos de inocentes.
As recentes articulações
para a revisão da legislação
sobre o aborto, nos colocam
diante do grave problema do
respeito à vida e a dignidade
humana. É dever de todos os
cidadãos e cidadãs afirmar o
direito à vida, contribuindo
para a promoção do bem comum, na solidariedade e paz.
A questão do aborto traz
para o centro do debate os direitos da mulher e em especial, da gestante. A busca e a
afirmação dos direitos específicos da mulher são um verdadeiro progresso da sociedade atual.
Respeitar, defender e
promover os direitos da mulher é um dever de todos os
que afirmam a dignidade inviolável dos seres humanos.
Nesse sentido, permanecemos abertos a um diálogo
construtivo com as mulheres
e suas respectivas organizações, em especial sobre os
seus direitos.
Com a mesma convicção
defendemos e apoiamos os
direitos do nascituro. Sabemos, por testemunho de
credenciados cientistas, que
o ser humano, desde a sua
concepção, possui o seu próprio patrimônio genético e o
seu sistema imunológico.
Trata-se de um outro ser humano gerado, de modo que
mãe e embrião constituem
seres humanos distintos.
A própria Constituição
Federal, em seu Artigo 5o.
protege o direito de todos à
vida e o Código Civil em seu
Artigo 4o. explicita: “a lei põe
a salvo, desde a concepção,
os direitos do nascituro”.
Acrescente-se que o Brasil é
signatário do Pacto de S. José
da Costa Rica, que em seu
Artigo 4o. estabelece: “toda
pessoa tem o direito a que se
respeite sua vida. Este direito está protegido pela lei e
em geral, a partir do momento da concepção”.
Por outro lado, reconhecemos que no âmbito dos direitos da mulher e do nascituro, ocorre um grave problema social de saúde pública.
Trata-se do drama da gravidez indesejada e da prática
de abortos clandestinos.
Esse quadro desolador
impõe que se estabeleçam
políticas públicas com programas adequados.de orientação, assistência e saúde.
Contudo, não se pode sanar
um mal com um mal maior.
Por isso a Igreja reafirma e
defende o direito inalienável
do nascituro à vida, desde a
sua concepção. Este tem seus
direitos próprios.
Toda concepção envolve
homem e mulher. No entanto, facilmente o homem esquece a sua responsabilidade quando envolvido na problemática aqui configurada.
Nesse processo de discussão, a Igreja reconhece e respeita a laicidade do Estado.
Esta porém, não pode impedir que qualquer cidadão, cidadã ou grupos, manifestem
as suas convicções e as proponham como diretrizes ou
leis, seguindo os trâmites democráticos e parlamentares.
Por essa razão, como cidadãos
e cristãos, queremos participar no processo das decisões
a serem tomadas em matéria
tão relevante.
Nossa luta em defesa da
vida se baseia na ética e no
direito e se confirma e se eleva pelos ensinamentos do
Evangelho de Jesus Cristo.
Brasília-DF, 23 de fevereiro de
2005
Cardeal Geraldo
Majella Agnelo
Arcebispo de São
Salvador da Bahia
Presidente da CNBB
Dom Odilo Pedro
Scherer
Bispo Auxiliar de São
Paulo e Secretário-Geral
da CNBB
HOMENAGEM
Ir. Delma plantou o bem
no coração de muita gente
À luz da parábola do Semeador, contada por Jesus,
podemos afirmar que Ir.
Delma foi terra boa.
Nela a semente do amor
de Deus, inicialmente cultivada por seus pais e, posteriormente, por ela própria, germinou, cresceu e produziu
muitos frutos. As pessoas não
tinham receio de se aproximar dela para pedir ajuda, ser
ouvidas, receber uma orientação. Elas sabiam que seriam acolhidas.
Cultivou o belo. A delicadeza, o detalhe, o gosto por
coisas bonitas eram marcas
do seu modo de ser: ao cuidar de uma capela, ao ornamentar ambientes para uma
celebração, ao cuidar do pequeno jardim, no modo de se
vestir, de se cuidar... Entre
nós, tudo que fosse delicado
e bonito era o “tipo Delma”.
Amou Santa Paulina.
Irmã Delma deixava estampado nas salas em que ocupava e por onde passava que
ali havia uma Filha de Santa
Paulina: um livro bem visível
e ao alcance, uma estampa,
uma imagem, o nome dela no
ambulatório de enfermagem.
Conviveu com uma do-
Assassinato de Irmã Dorothy não está solucionado
O
sangue derramado
de Irmã Dorothy
Stang, da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora (Notre Dame), no dia 12
de fevereiro, em Anapu, PA,
manchou o solo brasileiro de
forma indelével e profundo. Por
ser uma religiosa, norte-americana, com contatos internacionais, seu assassinato recebeu
do Governo, da Polícia Federal
e da mídia tratamento especial, mas nem por isso eficaz. Este
é um daqueles casos que não se
resolve apenas com a prisão de
pistoleiros e mandantes. Irmã
Dorothy deu sua vida por uma
causa, um ideal que com seu
martírio ganha importância e
destaque nacional e até internacional. A questão da terra no
Pará deixa de ser local.
O sangue derramado penetra profundamente em solo brasileiro e há de manchar não só a
VOZ
DO
ença grave. Durante 7 anos
Ir. Delma vivenciou intensamente as diversas fases impostas por uma doença da natureza da que adquiriu: tristeza, esperança, medo, confiança, entrega.
Aceitava e cumpria rigorosamente o tratamento estabelecido pela medicina. Mas,
foi em Deus, por meio de santos e santas de sua devoção e
em práticas religiosas, que
encontrou conforto e forças
para viver mais anos, meses e
dias, com aquela aparência
sempre bonita.
Agora a sua imagem,
revestida de vida em plenitude, está livre de toda doença,
e será sempre lembrada por
muitos e muitas de nós.
Irmãzinhas da
Imaculada Conceição Santos, 9/2/2005
Lancelot - São Paulo.
Interessados em participar podem fazer a inscrição
na Paróquia S. Judas Tadeu
(3363-5032). Não há taxa
de inscrição.
Outras informações:
3361-6784 / 3361-6633 - falar com Márcio.
terra, mas também as mãos daqueles governantes que continuarem
omissos nesse momento. Enquanto isso, em Brasília, deputados
tentam votam em sistema de urgência os aumentos de seus próprios salários de 12 para 21 mil
reais. Dizer que eles não têm nada
com isso é omissão. Pois a situação no Pará coloca a reforma agrária como ordem do dia. Com a
morte de Irmã Dorothy e dos mártires da terra, essa causa precisa
se transformar na primeira bandeira de todos os movimentos sociais. A pressão precisa ser insuportável para aqueles que abusam
do poder e para os políticos que,
por interesses pessoais, impedem
a reforma agrária.
Neste caso a prisão de mandantes e pistoleiros é apenas o
primeiro passo da justiça. A causa pela qual irmã Dorothy entregou sua vida, e com ela tantos outros mártires da terra, ecoa como
princípio de justiça e que precisa ser executado para que o
sangue derramado seja redimido. Para efeito de condenação
exemplar e para que cesse a violência no campo, naquela região, a reforma agrária deveria
iniciar exatamente nas terras
dos mandantes do crime. Neste
caso, mais que reprimir a ação
violenta, é necessário que a justiça intervenha junto às causas
da violência. Caso contrário, em
alguns anos, os mandantes do
crime estarão livres, com suas terras, e vitoriosos em seu empreendimento, mostrando à nação
e ao mundo que assassinar lideranças populares pode ser uma
solução para pôr fim à reforma
agrária.
Somente quando a justiça
chegar ao campo, com a esperada reforma, prometida a cada
nova eleição, é que finalmente
se poderá dar por encerrado esse
Somente quando a
justiça chegar ao
campo, com a esperada reforma agrária,
prometida a cada
nova eleição, que
finalmente se poderá
dar por encerrado esse
crime nefasto
crime nefasto. Enquanto isso não
acontecer, nosso solo continuará
exalando o cheiro do sangue dos
inocentes. Cada fruto que sair das
terras brasileiras terá o gosto do
sangue dos inocentes. E se esse
Governo terminar seu mandato
sem que a reforma agrária tenha
acontecido de forma eficaz, manchará para sempre a estrela da
esperança com o sangue dos inocentes...
PASTOR
Eucaristia, mistério de luz
(Trechos da Carta Apostólica Mane Nobiscum Domine, do
papa João Paulo II, para o Ano
da Eucaristia: II - A Eucaristia,
mistério de luz)
----
A narração da aparição de
Jesus ressuscitado aos dois discípulos de Emaús ajuda-nos a
pôr em destaque um primeiro
aspecto do mistério eucarístico,
que deve estar sempre presente
na devoção do povo de Deus: a
Eucaristia, mistério de luz! (...)
Jesus designou-Se a Si mesmo como «luz do mundo» (Jo
8,12), e esta sua propriedade
aparece bem evidenciada em
momentos da sua vida como a
Transfiguração e a Ressurreição, onde refulge claramente a
sua glória divina. Diversamente, na Eucaristia, a glória de
Cristo está velada. O sacramento eucarístico é o «mysterium
fidei» por excelência. E, todavia, precisamente através deste
sacramento da sua total ocultação, Cristo torna-Se mistério de
luz, mediante o qual o fiel é introduzido nas profundezas da
vida divina.
A Eucaristia é luz antes de
mais nada porque, em cada
Missa, a liturgia da Palavra de
Deus precede a liturgia Eucarística, na unidade das duas
«mesas» - a da Palavra e a do
Pão. Esta continuidade transparece já no discurso eucarístico do Evangelho de João, quando o anúncio de Jesus passa da
apresentação fundamental do
MENSAGEM
Encontro de professores de Cubatão
A Pastoral da Educação
de Cubatão convida para o
8º Encontro de Professores.
Dia: 2 de abril
Local: Senai de Cubatão
Hora: Das 9h às 12h
Tema: Felizes os que
promovem a paz.
Palestrante: Pe. Júlio
3
Presença Diocesana
Com a palavra
Março/2005
DO
Papa João Paulo II
seu mistério à ilustração da dimensão eucarística propriamente dita: «A minha carne é, em verdade, uma comida e o meu sangue é, em verdade, uma bebida»
(Jo 6,55). Sabemos que foi esta
dimensão que fez entrar em crise
grande parte dos ouvintes, induzindo Pedro a fazer-se porta-voz
da fé dos outros Apóstolos e da
Igreja de todos os tempos: «Senhor, para quem havemos nós de
ir? Tu tens palavras de vida eterna» (Jo 6,68). Na narração dos discípulos de Emaús, o próprio Cristo intervém para mostrar, «começando por Moisés e seguindo por
todos os profetas», como «todas as
Escrituras» conduzem ao mistério da sua pessoa (cf. Lc 24,27).
As suas palavras fazem «arder» os
corações dos discípulos, tiram-nos
da obscuridade da tristeza e do
desânimo, suscitam neles o desejo de permanecer com Ele: «Fica
connosco, Senhor» (cf. Lc 24,29).
Os Padres do Concílio Vaticano II, na constituição Sacrosanctum
Concilium, quiseram que a «mesa da
Palavra» abrisse com maior abundância os tesouros da Sagrada Escritura aos fiéis. Por isso, consentiram que, na celebração litúrgica, especialmente as leituras
bíblicas fossem apresentadas na
língua compreensível a todos. É o
próprio Cristo que fala, quando na
Igreja se lê a Sagrada Escritura.
Ao mesmo tempo recomendaram
ao celebrante a homilia como parte da própria liturgia, destinada a
ilustrar a Palavra de Deus e
atualizá-la na vida cristã. Passados 40 anos do Concílio, o Ano da
Eucaristia pode constituir uma
importante ocasião para as comunidades cristãs fazerem um exame sobre este ponto. De fato, não
basta que os textos bíblicos sejam proclamados numa língua
compreensível, se tal proclamação
não é feita com o cuidado, preparação prévia, escuta devota, silêncio meditativo que são necessários para que a Palavra de Deus toque a vida e a ilumine.
É significativo que os dois
discípulos de Emaús, devidamente preparados pelas palavras
do Senhor, O tenham reconhecido, quando estavam à mesa,
através do gesto simples da «fração do pão». Uma vez iluminadas as inteligências e rescaldados os corações, os sinais «falam». A Eucaristia desenrola-se
inteiramente no contexto dinâmico de sinais que encerram
uma densa e luminosa mensagem; é através deles que o mistério, de certo modo, se desvenda aos olhos do crente. (...)
Não há dúvida que a dimensão mais saliente da Eucaristia é
a de banquete. A Eucaristia nasceu, na noite de Quinta-feira
Santa, no contexto da Ceia Pascal. Traz por consegüinte inscrito na sua estrutura o sentido da
comensalidade: «Tomai, comei...
Tomou, em seguida, um cálice
e... entregou-lho dizendo: Bebei
dele todos...» (Mt 26,26.27). (...)
Todas estas dimensões da
Eucaristia se encontram num aspecto que, mais do que qualquer
outro, põe à prova a nossa fé: é o
mistério da presença «real». Com
toda a tradição da Igreja, acreditamos que, sob as espécies
eucarísticas, está realmente presente Jesus. Uma presença como eficazmente explicou o
Papa Paulo VI - que se diz «real»,
não por exclusão como se as outras formas de presença não fossem reais, mas por antonomásia
enquanto, por ela, Se torna substancialmente presente Cristo
completo na realidade do seu
corpo e do seu sangue. Por isso, a
fé pede-nos para estarmos diante da Eucaristia com a consciência de que estamos na presença
do próprio Cristo. É precisamente a sua presença que dá às outras dimensões - de banquete,
memorial da Páscoa, antecipação
escatológica - um significado
que ultrapassa, e muito, o de puro
simbolismo. A Eucaristia é mistério de presença, mediante o
qual se realiza de modo excelso
a promessa que Jesus fez de ficar
conosco até ao fim do mundo. (...)
BISPO
Páscoa: a vitória da vida
T
rês são grandes festas do
Cristianismo. A primeira
é o Natal, tão lindo e sugestivo. O próprio Deus nasce
entre nós, como pessoa humana. É sua vida que começa. A
segunda é exatamente a Páscoa: é a ressurreição de Jesus
de sua morte humilhante na
cruz. A terceira é Pentecostes, a
descida do Espírito Santo sobre a Igreja nascente.
Mas a mais decisiva é a
Páscoa. Pois se Jesus não tivesse ressuscitado, não significaria muito o Natal. Seria o nascimento de mais um ser humano, mesmo que ilustre. E nem
haveria a festa de Pentecostes,
pois tudo teria desaparecido
com sua morte. Mas - este é o
grande evento! - a Páscoa aconteceu: Jesus voltou à vida! É o
fato inédito na história da humanidade.
Páscoa é, pois, a grande festa
da vida. Em que sentido? Vivemos neste mundo “pós-moderno”: poderoso, cheio de recursos maravilhosos na tecnologia,
na produção, na ciência e nas
descobertas de proteção à vida
à saúde. Neste campo, sobretudo, sonha alto e deseja para os
homens e mulheres de hoje uma
vida longa e feliz.
Mas, percebemos que o domínio do homem sobre a Terra
não preenche todos as aspira-
D. Jacyr Francisco
Braido,CS
Bispo Diocesano
de Santos
ções do seu coração se lhe faltar o
sentido da vida. Daí a sedução do
prazer, do ter e do poder faz as pessoas de hoje optarem por caminhos do individualismo, da imposição e da prepotência, que se voltam contra a vida, própria e dos
outros. É a violência, a guerra, as
drogas... Como aceitar o aborto, a
interrupção da vida de seres indefesos que estão sendo gestados
na esperança inconsciente do
amor que os acolha? Como entender a eutanásia, já praticada em
nossos hospitais? E a utilização
da células-tronco de embriões?
Não é destruir vidas para eventualmente salvar outras?
Diante da evolução do mundo
moderno, levantam-se questões
fundamentais: “O que é o ser humano? Que sentido tem a dor, o mal e a morte, que resistem, apesar de tantos progres-
sos? De que adiantaram as vitórias tão
custosamente conquistadas? O que a
pessoa deve dar à sociedade ou o que
esperar dela? Que acontece depois da
morte?” (GS, 10).
Cristo vem responder a estes
quesitos. Ele tem o verdadeiro
sentido da vida humana. Faz
suas escolhas a partir da vontade do Pai. Ama os outros, mesmo os inimigos. Cura os doentes. Procura a ovelha perdida.
Põe-se do lado dos pobres, dos
pequenos e dos que promovem
a paz. Combate o orgulho e a
prepotência dos que usam até a
religião para se promover. Foi
por isso perseguido e ameaçado. Mas não desistiu.
E aqui nos vem à lembrança
a vida e atuação dos santos e santas que optaram por Cristo e dedicaram todas as suas energias,
sobretudo aos mais pobres e humildes: S. Francisco de Assis, o
“poverello”, instrumento da paz de
Deus; Santa Josefina Bahkita, a
santa que veio da escravidão e
que soube perdoar a seus seqüestradores; a Beata Teresa de
Calcutá e sua doação aos pobres.
Optaram por Cristo, o que lhes
deu sentido às suas vidas, e se
dedicaram em favor das pessoas
mais simples. Colocaram a vida
no centro.
E como não lembrar neste
momento o martírio da Ir.
Dorothy Stang? “Temos de louvar a
Cristo põe-se do lado
dos pobres, dos pequenos e dos que
promovem a paz.
Combate o orgulho e a
prepotência dos que
usam até a religião
para se promover.
Deus, nos admirarmos diante da virtude e
da coragem da Ir. Dorothy e reconhecer
neste ato heróico o fruto de sua fé em
Cristo, que lhe deu força para consagrarse à missão em bem do povo sofrido” (D.
Luciano M. de Almeida)
E chegado o momento da
condenação à morte por crucifixão, Jesus carregou a cruz até o
Calvário. E deu sua vida pela salvação de todos, perdoando seus
inimigos e entregando seu espírito nas mãos do Pai. E foi sepultado. Mas ao terceiro dia, ressuscitou e apareceu, vivo, aos discípulos apavorados: “A paz esteja
convosco!
É a vitória definitiva da vida.
Ela se dá em Jesus, o primeiro
dos ressuscitados. E nós aguardamos com fé a ressurreição que
nos vem por Ele! “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo
que morra, viverá” (Jo 11, 25).
No Cristo ressuscitado, desejo-lhes Feliz Páscoa!
4Presença Diocesana
QUAL
É A DÚVIDA ?
CF 2005
Pe. Caetano Rizzi - Vigário
Judicial da Diocese de Santos
O Papa pode
renunciar?
Diante do estado de saúde do Santo Padre o Papa e
sua recente internação hospitalar, nossa Redação recebeu vários telefonemas solicitando informações. Uma
das perguntas era a que dá
título a esta matéria: O PAPA
PODE RENUNCIAR?
Nosso Código de Direito
Canônico, que contém todas
as leis referentes à vida e missão da Igreja Católica Apostólica Romana, assim diz em
seu cânone 332,2: “Se acontecer que o Romano Pontífice renuncie a seu múnus
(ministério) para a validade
se requer que a renúncia seja
livremente feita e devidamente manifestada, mas não que
seja aceita por alguém.”
Nós sabemos da vontade,
sempre expressa pelo Papa
João Paulo II, de governar a
Igreja até quando Deus o quiser. Seu corpo está doente,
mas sua mente está lúcida. É
um exemplo de força de vontade e de confiança na Providência Divina. Sabemos também que o Papa jamais irá
querer prejudicar a Igreja,
que ele ama e sempre amou e
se sacrifica por ela. Seus escritos e seus pronunciamentos sempre foram de amor à
Igreja e da busca da Unidade. Se pudéssemos definir o
Pontificado de João Paulo II,
não teríamos dúvida alguma
em defini-lo como “O Pontificado da Unidade”.
Por causa deste imenso
amor à Igreja, se por acaso o
Papa perceber que estaria
prestando um desserviço,
continuando a governar sem
estar mais em condições, não
temos dúvida alguma de que
ele fará mais este sacrifício
pela Unidade da Igreja.
Apresentará sua renuncia e
viverá seus dias como ele
mesmo decidir, claro sem
mais algum título de governo. Outro,então, será eleito.
Surge também outra
questão: “SE O PAPA SE
TORNAR INCAPAZ?”
Num caso extremo de incapacidade do Sumo Pontífice, se ele sofrer de amência
perpétua, se não recuperar
mais o uso da razão e estiver
em funções vegetativas e for
declarado incapaz, uma jun-
ta médica credenciada apresentará a questão ao Colégio
dos Cardeais, que é quem elege o Papa, e este definirá o
que deve ser feito, tendo sempre em vista o bem da Igreja.
O Código de Direito Canônico não prevê esta questão, mas
sabemos que a Igreja é assistida pelo Espírito Santo. Ele
saberá, como sempre soube,
inspirar a quem de direito,
para que se tome a melhor
solução.
Neste momento difícil,
não se quer tomar nenhuma
atitude e nem dar palpites
sobre o que se deve fazer. É
como na vida da família da
gente. Ninguém quer que o
pai morra ou seja declarado
incapaz. Todos rezamos para
que se faça a Vontade de
Deus .
Na Igreja também. Sempre rezamos pela saúde e pelo
bem-estar do Papa, nosso sinal de Unidade. Na Oração
que antecede a Bênção do
Santíssimo Sacramento, há
uma bela prece que diz:
“Deus o conserve e lhe dê vida
e o faça feliz sobre a terra e
não o entregue nas mãos de
seus inimigos”.
Seja esta também a nossa
oração. O Senhor Jesus prometeu permanecer em sua Igreja
até o fim dos tempos e disse
também a Pedro que “as portas do inferno (as portas do
mal), não prevalecerão contra
ela” (Mt 16,18). Continuemos
com nosso trabalho, cumpramos a nossa missão que recebemos no Batismo, por isso
somos Igreja, e confiemos na
Providência Divina. Afinal, já
estamos no Terceiro Milênio
do Cristianismo e, apesar de
nossa fragilidade humana, a
Igreja continua e continuará
sempre, pois na Barca de Pedro
é o Senhor quem está na direção. A única coisa que pode
enfraquecer a Igreja é o nosso
pecado. Aproveitemos, portanto, este tempo santo da Quaresma e vivamos a graça do
Santo Batismo.
Lembremos: a nossa conversão, a nossa vida em graça,
fortalece a Igreja. Isto tudo se
faz pela oração, pela vivência
fraterna da caridade e pela
Eucaristia, que é a nossa força e a força da Igreja.
PARAPSICOLOGIA - PE. QUEVEDO, SJ
Diretor do Centro Latino-Americano de
Parapsicologia - Site: www.clap.org.br
A Magia dos horóscopos
Imersos numa sociedade
de consumo, cheia de contradições e problemas sem resoluções, sempre é necessário
recorrer a algum tipo de ajuda que nos traga um maior
conforto em nossa vida diária.
Muitas vezes consultamos
aqueles amigos conselheiros
que sempre dizem a palavra
justa ou a solução perfeita;
também o psicólogo em diversas oportunidades é sujeito
aos pedidos de conforto, mas,
aqui no Brasil, a busca do bruxo, do jogador de búzios, da
cartomante ou do horóscopo
são coisas tão cotidianas e conhecidas como a corrupção.
Acreditando de uma maneira quase absoluta que
aquela pessoa que realiza nosso horóscopo sabe mais de nós
que nós próprios, nos entregamos cegamente à vontade
de algumas folhas de papel,
tratando de fazer tudo se encaixar da melhor maneira,
como as crianças fazem. E é
aí que começa o problema.
Em primeiro lugar, vivemos
escravos do que dizem os horóscopos e, a partir disso, descobrimos que existe uma vida
diferente: a que nós mesmos
podemos construir desde o
horóscopo até nós. E o que
significa isso? Nada menos
que deixar de sermos construtores de nossa vida para
Março/2005
Espiritualidade
submetermo-nos a invencionices de algumas relações astrais, amalgamadas com complicados cálculos matemáticos para tornar mais difícil
nossa compreensão.
Vejamos um exemplo. A
senhora Luíza, antes de realizar um negócio com a sua vizinha, foi consultar um astrólogo. Este, depois de realizar
suas tarefas “científicas”, diz
para a senhora Luíza: “Não é
tempo de nenhum tipo de negócio. Você está passando por
circunstâncias que a levarão à
perda de dinheiro, espere um
tempinho. É melhor não ir
contra as leis astrais, pois elas
possuem o controle de tudo o
que acontece no universo...”
Depois destas palavras, ditas com a segurança e a firmeza de um juiz, Luíza foi embora
muito contente, acreditando
que o melhor para ela seria
aquilo que o horóscopo dizia!
Luíza não realizou o negócio,
assim nunca pôde saber se era
verdade o que a consulta lhe
havia revelado. E nunca tomou
consciência de que não pôde
escolher livremente. Viveu assim a experiência mais primitiva e indigna do ser humano: a
crendice cega. Lamentavelmente, Luíza acreditou mais no
horóscopo do que em sua própria capacidade, e em Deus...
(Continua na próxima edição)
Pastor Eduardo Stauder Igreja Evangélica
de Confissão Luterana
no Brasil
O desejo por paz é crescente
na vida das pessoas. Esta busca
revela o quanto a paz tem sido
uma estranha em nossas vidas.
O medo, fruto da violência que
permeia a sociedade, tem sido
uma ingrata companhia. Vemos
as pessoas organizando as suas
vidas, não para promoverem a paz,
mas para se defenderem da violência. Levantar muros, blindar
carros, contratar seguranças armados tem sido a alternativa de
muitas pessoas para garantir a
sua segurança. Esta segurança
não promove a paz. Ela até pode
trazer uma certa tranqüilidade,
mas é um meio de se defender
da violência. Estas atitudes não
combatem a violência.
Infelizmente temos que reconhecer que a construção de
uma paz duradoura não tem sido
uma prioridade nos dias de hoje.
A sociedade gasta muito mais
recursos para se defender da violência, do que para a promoção
da paz.
O apostolo Paulo nos chama
a vivermos o bom combate da fé.
Sem dúvida, o combate contra a
violência deve mobilizar todos os
crêem em Jesus Cristo. Os cristãos são chamados a dar um testemunho de unidade, participando de forma conjunta e comprometida neste combate. Na
construção da paz haveremos de
nos engajar com todas as pessoas de boa vontade que buscam a
justiça e querem viver a solidariedade.
Habitamos todos a mesma
“casa” (mundo). Os desafios a
serem superados pela vida em
sociedade estão colocados diante de todos, independente da
confissão de fé. Ou será que somente os evangélicos luteranos
Paz e
Ecumenismo
sofrem com a violência doméstica e as balas perdidas atingem
somente os católicos?
Todos fazemos parte da mesma sociedade. Todos buscamos
a comunhão com Deus por meio
de Jesus Cristo. É claro que sabemos que nem tudo é igual
entre as igrejas cristãs. Devemos
assumir as diferenças que existem nas nossas manifestações de
fé. O nosso falar de Deus, o jeito
como realizamos as nossas celebrações, como organizamos a estrutura de nossas igrejas. Expressarmos a nossa fé de diferentes formas, mas a injustiça
social e a violência que se abate
sobre nós é a mesma. O amor de
Deus que nos envolve também é
o mesmo.
Romper as distâncias e promover o diálogo entre as igrejas
é fundamental para consolidação de uma cultura da paz.
Aprender a viver na pluralidade,
respeitar o diferente são valores
da liberdade sem os quais não
alcançamos a paz, sem os quais
não aprendemos a viver o amor.
Não há como construir a paz sem
uma perspectiva ecumênica.
Construir a paz é um imperativo para os cristãos. Se queremos seguir a Cristo não há como
fugir deste compromisso. Nesta
caminhada conjunta é que iremos descobrir o que é ecumenismo. Veremos que o ecumenismo não é um belo conceito a
ser decorado e guardado em
nossas mentes. O ecumenismo
não é somente uma bela celebração realizada pelas igrejas
cristãs. Ecumenismo é testemu-
AGENDA
Retiro do CEIA
nho conjunto, é participarmos
juntos do bom combate da fé. É
não nos curvarmos à violência,
mas permanecermos firmes no
testemunho do amor.
A concorrência religiosa deixou marcas na história, na vida das
pessoas. Em nome de Deus muitos
abusos foram cometidos. Culturas
foram agredidas e destruídas. A
verdade foi imposta, a liberdade
corrompida e a paz se tornou uma
estranha. Somos desafiados a
aprender a dialogar para construirmos uma sociedade onde reine a
pluralidade e a diversidade, também no campo religioso. Como
Igrejas cristãs queremos, não somente nos aproximar no diálogo,
mas também no testemunho conjunto do amor de Deus, construindo juntos a paz neste mundo.
O amor de Deus, revelado por
meio de Jesus Cristo, traz e promove liberdade. O amor de Deus
cria uma relação que liberta. A
libertação cristã ensina que por
meio da fé somos livres de tudo e
de todos e não estamos sujeitos a
ninguém. Mas pelo amor somos
escravos de tudo e de todos. O
amor gratuito de Deus nos faz seres livres. O Deus da graça nos
aceita como nós somos. Porém,
ser libertado por graça e fé não
significa ser livre das injustas relações sócio-econômicas que dominam e oprimem a humanidade, mas ser livre para se tornar
libertador político e econômico,
social e cultural.
Diante de um mundo marcado pela violência somos livres para
viver a solidariedade que promove a paz.
Veremos que o ecumenismo não é um belo conceito
a ser decorado e guardado em nossas mentes.
O ecumenismo não é somente uma bela celebração
realizada pelas igrejas cristãs.
Ecumenismo é testemunho conjunto, é participarmos juntos do
bom combate da fé. É não nos curvarmos à violência,
mas permanecermos firmes no testemunho do amor.
Isaías: a santidade,
esperança e profecia
conosco (7,14), visto pelo Novo
Testamento como Jesus Cristo,
que veio ao mundo para salvar o
seu povo.
ESPERANÇA
b) Os capítulos que vão de
40 até 55 podem ter sido escritos por um autor anônimo lá na
época do exílio na Babilônia. A
mensagem forte é de esperança
e consolação. Este profeta também é chamado de Segundo Isaías. O fim do exílio é sentido
2ª feira
Palavra viva
Liturgia - Março
Intenção do mês
como um novo êxodo e, a exemplo do primeiro, Javé irá conduzir
o povo e garantir sua libertação.
A denominação “Servo do Senhor”
aplica-se ao povo oprimido pela
situação do exílio, mas no Novo
Testamento esse título é atribuído a Jesus, o Justo, que sofreu e
morreu para nos libertar. Uma vez
convertida e libertada a comunidade será missionária: uma luz
para que as nações se voltem para
o verdadeiro Deus.
CORAGEM
c) Costuma-se atribuir os capítulos que vão de 56 até 66 a um
Terceiro Isaías. Aqui encontramos uma coleção de oráculos
anônimos cujo objetivo é dar ânimo e coragem ao povo libertado
do exílio e se reuniu com os que
ficaram em Jerusalém. Condena
vários abusos e prega um jejum
verdadeiro que gera um novo céu
e uma nova terra (58, 1-12).
Pe. Carlos de Miranda
Alves - Pároco da Paróquia
N.S. Aparecida-Santos e
Chanceler do Bispado
3ª feira
4ª feira
01 Mt 18,21-35
Dom 06
02 Mt 5,17-19
1° Leit ura: 1Sm 16,1.6-7.10-13
07 Jo 4,43-54
5ª feira
09 Jo 5,17-30
A Paróquia Nossa Senhora
do Carmo, em Santos promoverá dias de reflexão bíblica,
aberta à comunidade.
Dias: 10/3 e 17/3 - às 15h.
No dia 6 de março haverá o
Retiro Inaciano. Para esse encontro, os interessados deverão
deixar nome e telefone na secretaria paroquial.
Informações: 3261-2793.
Curso bíblico
em Itanhaém
Estão abertas as inscrições
para o curso bíblico “Uma Introdução à Leitura Popular da
Bíblia - Primeiro Testamento”,
promovido pela Paróquia N. Sra.
da Conceição, de Itanhaém.
Os encontros serão realizados quinzenalmente, às sextas-feiras, das 19h30 às 20h30.
Início dia 18 de março. As
inscrições são limitadas.
Tel.: (13)3422-4029
Catequese
para surdos
A Pastoral dos Surdos, da
Paróquia N.Sra Aparecida, em
Santos, estará promovendo em
março encontros de Catequese infantil para crianças com
deficiência auditiva.
Informações, com Mariana,
pelo tel. 3271-8242.
A Associação Brasileira de
Psicólogos e Psiquiatras Católicos promove o IX Retiro de
Espiritualidade, com o tema
“Cultivo para uma espiritualidade comunitária: uma necessidade básica para os profissionais de Saúde Mental”.
Data: 1, 2 e 3 de abril
Local: Centro Pastoral
Santa Fé- SP.
Inscrição: R$ 180,00
Pregador: Pe. Germano
Von Deer Meer - Congregação
do Verbo Divino
Informações: (11) 66928378 e (11) 6693-8120 ou através do site: www.acpp.org.br
6ª feira
03 Lc 11,14-23 04 Mc 12,28-34
2° Leit ura: Ef 5,8-14
08 Jo 5,1-16
Reflexão bíblica na
Paróquia do Carmo
Retiro para
psicólogos e
psiquiatras
ESTUDO BÍBLICO
O livro do profeta Isaías é um
dos maiores da Bíblia e conforme os estudiosos gostam de fazer, este livro pode ser dividido
em três partes:
SANTIDADE
a) Os capítulos 1-39 apresentam a mensagem do profeta chamado Isaías. O tema principal
que se encontra nestas páginas
é a santidade de Deus, isto é, só
Deus é absoluto. Esse é um reconhecimento precioso para que
a prática das pessoas não se
transforme em idolatria.
O profeta é bastante crítico
tendo em vista que denuncia a
aliança que o governo da época
faz com as grandes potências.
Por outro lado clama que a nação só será salva se permanecer
fiel a Deus e a seu projeto que
tem na justiça o valor supremo.
Encontramos também uma referência ao Emanuel, o Deus-
O Centro de Espiritualidade Inaciana Anchieta (CEIA)
promove nos dias 11, 12 e 13 de
março o retiro de Exercícios
Espirituais, baseados na metodologia inaciana de oração.
Local: CEFAS
Pregador: Padre Álvaro
Barreto, SJ
O retiro é aberto a qualquer
pessoa, inclusive de outras denominações religiosas não-católica.
Informações e inscrições:
(13) 9788-0031, com Sr. Igor
Cândido.
10 Jo 5,31-47
Sábado
05 Lc 18,9-14
Evangelho: Jo 9,1-41
11 Jo 7,1-2.10.25-30 12 Jo 7,40-53
Para que em seus programas de
desenvolvimento, os governantes de todas Dom 13
1° Leit ura: Ez 37,12-14
2° Leit ura: Rm 8,8-11
Evangelho: Jo11,1-45
as nações contemplem preferencialmente
14 Jo 8,1-11
15 Jo 8,21-30
16 Jo 8,31-42
17 Jo 8,51-59 18 Jo 10,31-42
19 Mt 1,16.18-21.24
os pobres, os oprimidos e os marginalizados
Datas:
S E M A N A
S A N T A
d e
2 0
a
2 7
08 - Dia Internacional da Mulher
Dom 20
1° Leit ura: Is 50,4-7
2° Leit ura: Fl 2,6-11
Evangelho:Mt 27,11-54
19 - São José
20 a 27- Semana Santa
21 Jo 12,1-11
22 Jo 13,21-33.36-38 23 Mt 26,14-25 24 Jo 13,1-15 25 Jo 18,1-19,42 26 Mt 28,1-10
25 - Dia mundial da saúde
Fonte: Liturgia Diária, Paulus Ano XIV - nº 159 - Março de
2005.
Dom 27
1° Leit ura: At 10,34.37-43
D i a
28
Mt 28,8-15
2 7
29 Jo 20,11-18
2° Leit ura: Cl 3,1-4
-
P Á S C O A
30 Lc 24,13-35
D O
31 Lc 24,35-48
Evangelho:Jo 20,1-9
S E N H O R
Diocesanas
Março/2005
PASTORAL
DA
JUVENTUDE
JORNADA
Site PJ
DE
Presença Diocesana
5
ESTUDOS PASTORAIS
Pólo Porto volta a ser discutido entre o clero
Chico Surian
Membros da Comissão Diocesana da Juventude
O desafio da juventude
A partir desse mês, a
Equipe Colegiada de Assessoria da Pastoral da Juventude, aqui da nossa Diocese, terá
um espaço no nosso jornal
Presença Diocesana para falar sobre assuntos pastorais
ligados à juventude e seus
problemas. A nossa intenção
é mostrar ao jovem sua importância e seu papel transformador, não apenas no meio
eclesial, mas também na sociedade.
Mas, afinal, quais são os
desafios da juventude?
Muitos são os problemas
que vemos todos os dias na
mídia, nas ruas e em todos os
cantos das cidades. O desemprego, as drogas, a violência,
a falta de perspectivas e a perda do amor ao próximo são
alguns dos sintomas da doença social que a sociedade
que vivemos está passando.
Entretanto, não podemos
nos apegar só em coisas negativas ou achar que tudo está
perdido. O ser humano não
pode perder a esperança e a
capacidade de lutar contra o
errado, o injusto e o excludente. O cristão, seja ele jo-
vem ou adulto, não pode viver
derrotado ou conformado.
Esta é a proposta que a
Pastoral da Juventude quer
levar para toda a juventude:
nossa vontade é estudar e ter
como centro de nossa formação a pessoa de Jesus Cristo,
sua vida, obra e exemplo e
assim ser apóstolo e trabalhador da messe do Senhor.
Pretendemos nesse espaço mostrar nossas idéias e
gerar compromisso social.
Nós somos apenas um membro desse grande corpo chamado Igreja, e queremos contribuir para a plenitude da
vida humana.
CONTATOS
Para quem se interessar
em saber um pouco mais sobre a PJ, pode acessar o site
www.assessoriapjsantos.cjb.net ou mandar
um e-mail para nós no endereço [email protected]
Desejamos que esse ano
seja repleto de paz, amor e
alegria e que Deus possa habitar no coração de toda a humanidade.
CALENDÁRIO DIOCESANO
5 - Reunião do Núcleo CRB (CODIR)
Colégio São José
5 - CDPa - UniSantos/FACOS-9h
5 - Reunião Movimento Schoenstatt
CDPastoral - 14h às 18h
6 - Dia de Formação - CODIPAV Igreja da Pompéia- Santos
7 - Reunião Conselho Diocesano ECC
- Senhor Bom Jesus/Guarujá
10 - Reunião Conselho Presbiteral
Residência Sacerdotal - 9h
10 - CODILEI - Col. Stella Maris - 20h
10 - Equipe de Ecumenismo Sagrado Coração de Jesus - 20h
10 - Reunião CODICOM - CDP-19h30
11 - Reunião CODICEB’S - Centro
Diocesano de Pastoral - 20h
11 a 13 - Retiro do CEIA- CEFAS
12 - Reunião Ampliada do SP2
Santo Amaro-SP- 9h
12 - Reunião CODISP- CDP-9h
13 - Encontro Regional Social - Litoral
Sul - Mongaguá - 14 às 18h
13 - Formação para Líderes da IM
até 14 anos - Santos
14 - Reunião Pastoral Carcerária
ATENDIMENTO
Bispo Diocesano:
D. Jacyr Francisco Braido, CS
Horário: 3ª e 6ª-feira - 15 às 17h30
- Agendar horário
Vigário Geral:
Pe. Antonio Baldan Casal
Horario: 6ª-feira - 14 às 16h
Chanceler do Bispado:
Pe. Carlos de Miranda Alves;
3ªs e 6ªs - 14h30 às 17h30
Vigário Judicial:
Pe. Caetano Rizzi
Horário: 3ª e 6ª - 14h às 16h
Ecônomo Diocesano:
Pe. Claudenil Moraes da Silva
4ª-feira - das 15h às 17h
Coordenador Diocesano
Março
Santos - 15h
15 - Reunião CODIPAF - 20h
16 - Reunião do CEIA - CDP-19h30
18 - Reunião Comissão Secretários
CDP - 19h
19 - Reunião da Pastoral Familiar
do SP2 - Santos - 9h às 13h
19 - Reunião Geral CODIEF Litoral Sul - 14h
19 - Reunião da Região Centro 1 Seminário São José - 9h
19 - Festa de São José - Paróquia
São José Operário/Stos; e Igreja
São José/Caraguava
19 - Reunião Pastoral da Educação
S. Judas Tadeu/CB - 9h
20 a 27 - Domingo de Ramos
/Semana Santa - (programas nas p. 6 e 7)
24 - Quinta-feira Santa - Missa
dos Santos Óleos - Catedral - 9h
27 - Páscoa do Senhor Celebrações nas paróquias
28 - Reunião CODIPAF - CDP - 20h
28 - Reunião CODIPAL - Catedral 19h30
29 - Confraternização do Clero
Cúria Diocesana
de Pastoral:
Pe. Antonio Alberto Finotti
Horário: 3ª e 6ª - 14h30 às 17h30
Horário de atendimento
da Cúria:
De 2ª a 6ª feira, das 8h30 às 12
horas; e das 14 às 18h.
Centro Diocesano de
Pastoral Pe. Lúcio Floro:
Horário: De 2ª a 6ª, das 14 às
22 horas. Sábado: Das 8 às 12;
e das 14 às 18h.
Telefone: (13)3224-3170
Assessoria de Comunicação:
Horário: De 2ª a 6ª, das 8h30
às 18 horas.
Telefone: (13)3224-3000
CÚRIA DIOCESANA
Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 254 CEP – 11015-200 - Santos - SP -Telefone: (13)3224-3000
Fax: (13)3224-3101
www.diocesedesantos.com.br
[email protected]
A situação do complexo portuário de Santos e Guarujá voltou
a ser tema da Jornada de Estudos Pastorais (JEP) do Clero e
religiosas, no dia 17 de fevereiro
passado.
O Porto de Santos é um dos
pólos de atenção pastoral que
estão sendo estudados na Diocese, como parte do processo de
elaboração do Plano Diocesano
de Pastoral. Os outros pólos são:
turismo, universidade, idosos e
miséria e fome.
Na abertura do encontro, Padre Antonio Alberto Finotti, Coordenador Diocesano de Pastoral,
lembrou que “essas são realidades típicas de nossa Diocese e
que, por isso, merecem uma atenção especial. Isso não quer dizer
que tenhamos de criar novas pastorais, mas agir, como Igreja, respondendo a esses desafios”.
O tema foi apresentado pela
professora Soraya Maria do Socorro Vidal, Coordenadora da Linha de Pesquisa Porto e Meio
Ambiente, do Mestrado em Gestão de Negócios da Universidade Católica de Santos.
Segundo a pesquisadora, o
ponto de partida para a compreensão da atual situação do Porto
de Santos é a lei de Modernizaçao Portuária, de 93, “quando o
Brasil precisou adequar suas políticas públicas às exigências da
economia internacional. O Porto
passou por uma profunda reor-
CF 2005
Fórum de debates
sobre a CF 2005
É preciso conhecer melhor a complexidade das relações entre os agentes portuários
ganização estrutural e em suas
relações de trabalho que até hoje
ainda não foram satisfatoriamente equacionadas. Era preciso aumentar a produtividade e,
para isso, optou pela privatização
de seus terminais, dentre outros
aspectos”, destacou.
Um dos resultados imediatos dessa política, segundo
Soraya, foi a desregulamentação
das relações de trabalho, fragilizando as garantias de direitos
trabalhistas e perda da força dos
sindicatos e dos representantes
dos trabalhadores. Do outro lado,
alto investimento em tecnologia
e em contratação de pessoal especializado, nem sempre encontrado nos grupos de antigos trabalhadores.
Ainda de acordo com a pes-
quisadora, é preciso compreender a situação e o poder de atuação dos inúmeros agentes sociais que atuam na atividade portuária, para que se possa pensar
em desenvolver alguma atividade pastoral nessa realidade.
“Em muitos casos, quem decide, de fato, o que vai acontecer
no Porto e com os trabalhadores,
está a quilômetros de distância,
em outros países”.
Entretanto, a professora
aponta a importância da presença da Igreja nesse universo, procurando sensibilizar o empresariado para as questões de responsabilidade social e ética, além
do apoio aos trabalhadores, principalmente, em projetos de requalificação profissional e atendimento social.
Como parte das atividades da Campanha da Fraternidade 2005, a Comissão
Diocesana promove o Fórum
de Debates, com o tema “Solidariedade e Paz”.
Dia: 18 de março
Horário: 19h30
Local: Universidade Católica de Santos – Campus
Vila Mathias - R. Carvalho de
Mendonça, 144.
Debatedores:
- Prof. e teólogo Milton
Schwantes - Universidade
Metodista de São Bernardo
do Campo-SP.
- Prof. José Pascoal Vaz
– UniSantos
Mediadora: Profª Maria Helena Lamberti - Reitora
da UniSantos.
Representantes das Igrejas Católica, Metodista,
Anglicana e Luterana.
Entrada franca.
Informações: (13) 32842680 / 3387-2491.
F ORMAÇÃO
Leigos iniciam ano letivo no instituto Beato Anchieta
Chico Surian
A palestra sobre os “Relatos
da Instituição da Eucaristia”,
proferida pelo padre Javier Mateo
Arana, marcou o início do ano
letivo do Instituto de Teologia
para leigos Beato José de Anchieta, no dia 22 de fevereiro.
O encontro foi realizado no
auditório 301 da Universidade
Católica de Santos (onde as aulas serão realizadas) e reuniu
cerca de 150 alunos das 4 turmas, formada por agentes de pastoral das paróquias da Baixada
Santista.
Na apresentação, padre Caetano Rizzi, Diretor do Curso, fez
um retrospecto dos 8 anos de
existência do curso de teologia
para leigos na Diocese, com as
diversas mudanças ocorridas ao
longo desse tempo. “Isso porque
fomos percebendo a necessidade de adaptações para melhor
atender à formação dos nossos
agentes de pastoral”.
Dentre as novidades, a partir
deste ano a duração do curso passa a ser de 4 anos (e não mais de
Pe. Ricardo Barros apresentou a nova grade curricular do Instituto
três), com a inclusão de disciplinas complementares para
alunos já formados até 2004,
além de seminários e atividades
complementares (equivalentes a
100horas/aulas), fora do horário
das disciplinas regulares.
“Com isso, queremos reforçar
o objetivo principal deste projeto que é o de prover melhor for-
Dicastério Romano oficializa
Instituto de Direito Canônico
A Congregação para a Educação Católica - órgão da Santa
Sé responsável pelos seminários
e pelas instituições católicas de
ensino - oficializou o Instituto de
Direito Canônico da Arquidiocese de São Paulo, agregando-o à
Faculdade de Direito Canônico
da Pontifícia Universidade
Lateranense, de Roma, em decreto assinado pelo cardeal prefeito
no dia 27 de dezembro de 2004.
Agora, o Instituto - que tem
o nome oficial de Instituto de
Direito Canônico Giuseppe
Benito Pegoraro - pode continuar
a oferecer seus cursos de pós-graduação em Direito Canônico, visto que seus diplomas são reconhecidos oficialmente pela Sé
Apostólica através da Universidade Lateranense.
Erigido canonicamente por
decreto de dom Cláudio Hummes, de 10 de março de 1999, o
Instituto passou a funcionar já
naquele ano; conseguiu depois
sua afiliação à Universidade
Lateranense e, agora, sua agregação. Desde 2000 tem formado
especialistas em Direito Canônico, concedendo-lhes o título de
mestres em Direito Canônico, o
equivalente à licença romana.
Os alunos diplomados pelo
Instituto exercem funções ligadas ao Direito Canônico junto
aos tribunais e câmaras eclesiásticas, junto às cúrias diocesanas e também junto às escolas
de Teologia, na formação dos
quadros eclesiásticos.
Com o decreto de agregação
do Instituto, foi também assinado o decreto que nomeia seu diretor, o cônego Martim Segu
Girona, que já ocupa o cargo, e
foi um de seus fundadores e incentivadores.
Formação
Os interessados em estudar
ou conhecer o Instituto de Direito Canônico Giuseppe Benito
Pegoraro podem obter informações na Avenida Nazaré, 993;
pelo telefone 6162-2292, ou pela
internet, no site www.teologia-assuncao.br/direitocanonico.
Para estudar no Instituto, o
candidato deve ser formado em
Teologia ou Direito, e participar
das aulas e atividades que acontecem diariamente no período da
manhã.
(Fonte: O São Paulo, 2/2/05,p.5)
mação para nossos agentes de
pastoral. Por isso, não aceitamos
pessoas que não estejam
engajadas em alguma pastoral
ou serviço na comunidade, pois
o conhecimento aqui recebido
não é para ficar guardado ou para
enriquecimento pessoal exclusivamente, mas é para ser colocado a serviço da comunidade”,
enfatizou padre Antonio
Alberto Finotti, Coordenador
Diocesano de Pastoral e Coordenador de Pastoral do Instituto.
COMO VAI FUNCIONAR
As aulas serão ministradas
às terças e quartas-feiras, regularmente, à noite, no Campus
Dom Idílio da Universidade Católica de Santos. Serão ministradas por sacerdotes e leigos da
própria Diocese.
Os seminários acontecem às
quintas-feiras, em datas a serem
agendadas, e serão convidados
especialistas, de acordo com o
tema a ser discutido. O primeiro
seminário, em março, será sobre
Metodologia Científica.
Para alunos já formados, a
primeira disciplina complementar (às quartas-feiras) será
“Espiritualidade Cristã”, ministrada pelo padre Ricardo de Barros Marques, também Coordenador de Estudos do Instituto.
Para essas disciplinas, é preciso
fazer inscrição e apresentar comprovante de conclusão do curso.
Diocese recebe novos religiosos
para o trabalho na pastoral
Neste mês de fevereiro, diversas paróquias da Diocese receberam novos colaboradores,
que vão atuar em diferentes
pastorais. Eles foram apresentados ao clero durante a última
reunião da Jornada de Estudos
Pastorais (JEP), no dia 17 de fevereiro, no CEFAS, em Santos.
São eles:
- Ir. Michelle Batista da
Cunha, da
Comunidade
Missionária
Providência
Santíssima
(CMPS). Vai
atuar na próparóquia São
José Operário, em Caraguava/Peruíbe.
- Ir. Adeleon de Oliveira
Santana, da
Comunidade Missionária Provid ê n c i a
Santíssima
(CMPS).
Vai atuar
em Peruíbe.
- Fr. Odair Verussa, OFM
Cap. Vai
trabalhar na
Basílica do
Embaré, em
Santos. Ordenação: 28/
6/64; nasc.:
10/7/37.
- Fr. Benedito Gonçalves,
OFM. Atuará no Santuário Sto. Antonio do Valongo, em
Santos. Ordenação: 11/
12/93; nascimento: 15/
11/64
- Pe. Gilberto Dias Nunes,
Estigmatino. Vigário
paroquial
na paróquia
Sto. Antonio,
em
Praia Grande. Ordenação: 19/12/
2004; nascimento: 29/8/74.
A todos, nossas boas vindas!
6Presença Diocesana
Especial
SEMANA SANTA - 20
A
27
Março/2005
DE MARÇO
Celebrando os mistérios da Paixão do Senhor
A
Igreja propõe aos cristãos, durante as celebrações da Semana
Santa (este ano, de 20 a 27 de
março) os mistérios da Paixão,
Morte e Ressurreição do Filho de
Deus, tornado Homem, para, no
martírio da Cruz e na vitória sobre a morte, oferecer a todos os
homens a graça da salvação.
Durante esse tempo, os cristão participam de uma rica
liturgia, que começa com o Domingo de Ramos (20), como
marco da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado pelos judeus.
Na Quinta-feira Santa
(24), destacamos dois grandes
acontecimentos:
1 - Bênção dos Santos Óleos - O motivo de se fixar tal celebração na Quinta-feira Santa
deve-se ao fato de ser este último dia em que se celebra a missa antes da Vigília Pascal. São
abençoados os seguintes óleos:
2 - Instituição da Eucaristia e Cerimônia do Lava-pés Com a Missa da Ceia do Senhor,
celebrada na tarde de quintafeira, a Igreja dá início ao chamado Tríduo Pascal e comemora
a Última Ceia, na qual Jesus
Cristo, na noite em que vai ser
entregue, ofereceu a Deus-Pai o
seu Corpo e Sangue sob as espécies do Pão e do Vinho, e os entregou para os Apóstolos para
que os tomassem, mandandolhes também oferecer aos seus
sucessores.
Nesta missa faz-se, portanto,
a memória da instituição da Eu-
caristia e do Sacerdócio. Durante a missa ocorre a cerimônia do
Lava-Pés que lembra o gesto de
Jesus na Última Ceia, quando
lavou os pés dos seus apóstolos.
Sexta-feira Santa (25)- Celebra-se a paixão e morte de Jesus Cristo. O silêncio, o jejum e
a oração devem marcar este dia
que, ao contrário do que muitos
pensam, não deve ser vivido em
clima de luto, mas de profundo
respeito diante da morte do Senhor que, morrendo, foi vitorioso
e trouxe a salvação para todos,
ressurgindo para a vida eterna.
Às 15 horas, horário em que Jesus foi morto, é celebrada a principal cerimônia do dia: a Paixão
do Senhor. Ela consta de três
partes: liturgia da Palavra, adoração da cruz e comunhão eucarística. Depois deste momento
não há mais comunhão eucarística até que seja realizada a celebração da Páscoa, no Sábado
Santo.
Sábado Santo (26)- No Sábado Santo ou Sábado de Aleluia,
a principal celebração é a “Vigília Pascal”, que se inicia na noite
do Sábado Santo em memória da
noite santa da ressurreição gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
É chamada “A mãe de todas as
santas vigílias”, porque a Igreja
mantém-se de vigília à espera da
vitória do Senhor sobre a morte.
Cinco elementos compõem a liturgia da Vigília Pascal: a bênção do fogo novo e do círio pascal; a proclamação da Páscoa
(que é um canto de júbilo anunciando a Ressurreição do Senhor);
Fotos Pe. Nil Moraes
2 - Beato Anchieta
20 -18h - Procissão, Missa e Bênção
de Ramos
24 - 19h - Missa de Lava-pés e Adoração
25 - 15h - Celebração da Paixão;
19h - Encenação da Paixão,
procissão do Senhor Morto; Adoração
26 - 19h - Missa do Círio Pascal
27 - 19h - Missa de Páscoa
3 - N. Sra Auxiliadora
a liturgia da Palavra (uma série
de leituras sobre a história da Salvação); a renovação das promessas do Batismo e, por fim, a liturgia Eucarística.
Domingo de Páscoa (27) A palavra Páscoa vem do hebreu
Peseach e significa “passagem”.
A Páscoa que os judeus comemoram é a passagem do Mar
Vermelho, que ocorreu muitos
anos antes de Cristo, quando
Moisés conduziu o povo hebreu
para fora do Egito, onde era escravo. Jesus também festejava a
Páscoa. Foi o que Ele fez ao cear
com seus discípulos. Condenado à morte na cruz e sepultado,
ressuscitou três dias após, num
domingo, logo depois da Páscoa
judaica. A ressurreição de Jesus
Cristo é o ponto central e mais
importante da fé cristã. Através
da sua ressurreição, Jesus prova
que a morte não é o fim e que
Ele é, verdadeiramente, o Filho
de Deus. São celebradas missas
festivas durante todo o domingo.
(fonte: www.arquidiocesebh.org.br)
Semana Santa - 20 a 27 de março - Diocese de Santos
OBS.:
Celebrações da Semana Santa nas
paróquias da Diocese de Santos. Aqui
estão registradas apenas as celebrações na Matriz, salvo pequenas alterações. Informações completas nas
paróquias ou no site:
www.diocesedesantos.com.br
SANTOS
1 - Catedral
20 - 9h e 18h - Bênção, procissão e
Missa na Catedral;
16h - Missa no Monte Serrat;
23 - 18h30 - Missa
20h - Via-Sacra encenada nas
escadarias do Monte Serrat.
24 - 9h - Missa dos Santos Óleos,
com a presença dos sacerdotes da
Diocese, presidida por Dom Jacyr
Francisco Braido.
20h - Missa da Ceia do Senhor.
Adoração da Sagrada Eucaristia.
25 - 8h - Adoração;
15h - Celebração da Paixão;
19h - Procissão do Senhor Morto e
encontro com N. Sra. das Dores
26 - Catedral e Santuário fechados
até às 17h;
19h - Vigília Pascal
27 - 9h e 19h - Missas na Catedral;
16h - Missa no Santuário
2 - Convento N.Sra do Carmo
20 - 8h - Igreja OTC - Bênção dos
Ramos e Missa;
11h - Santuário - Missa;
18h - Santuário - Missa e procissão
do Senhor dos Passos
24 - 18h - Santuário - Missa do Lava-pés;
19h às 22h - Igreja OTC - Vigília
25 - 7h às 15h - Igreja OTC - Vigília;
(9h - 1.000 Ave-Marias)
15h - Santuário - Celebração da Cruz
26 - 18h - Celebração da luz
27 - 7h - Igreja OTC - Procissão da
Alvorada e Missa
11h e 18h - Santuário - Missas
3 - Santuário do Monte Serrat
20 - 10h - Celebração
24 - 15h - Celebração da Santa Ceia
27 - 10h - Celebração (todas serão
encenada pelas crianças)
4 - Jesus Crucificado
20 - 8h - Bênção e procissão dos
Ramos (saindo do Breque);
18h - Missa na Matriz
22 - 18h30 - Santa Missa;
20h - Via-Sacra
23 - 18h30 - Santa Missa;
20h - Celebração do Encontro
24 - 20h - Missa da Ceia do Senhor.
Adoração ao Santíssimo até às 24h
25 - 7h - Reinício da Adoração;
15h - Celebração da Paixão;
19h30 - Procissão do Senhor Morto
26 - Igreja fechada até às 19h;
20h - Solene Vigília Pascal.
27 - 18h - Missa de Páscoa
5 - N. Sra da Assunção
20 - 8h30 - Bênção e procissão dos
Ramos;
18h - Missa dos Ramos
21 - 19h - Celebração Eucarística
22 - 19h - Encer. Círculos Bíblicos
23 - 19h - Via-Sacra
24 - 20h - Missa da Santa Ceia
25 - 15h - Celebração e encenação
da Paixão; Procissão do Sr. Morto
26 - 20h - Vigília Pascal
27 - 7h e 18h - Missas de Páscoa.
6 - Imaculado Coração de Maria
20 - 8h30 - Missa e Bênção de Ramos;
18h - Missa de Ramos
23 - 20h - Via-Sacra nas ruas
24 - 20h - Missa de Lava-pés e Adoração.
25 - 8h às 13h - Vigília;
15h - Celebração da Paixão;
20h - Procissão do Encontro
26 - 20h - Celebração da Vigília Pascal
27 - 9h e 18h - Missas de Páscoa
7 - Santa Cruz
20 - 7h30, 9h30, 16h30 e 18h30
- Missas de Ramos
24 - 18h30 - Missa da Ceia do Senhor;
19h30 - Adoração Eucarística
25 - 9h - Via-Sacra;
15h - Liturgia da Paixão
26 - 18h30 - Vigília Pascal
27 - 7h30, 9h30, 16h30 e 18h30
- Missas de Páscoa
8 - N. Sra Aparecida
20 - 7h30 e 9h - Missas e Bênção
dos Ramos;
17h - Missa, Bênção dos Ramos e
procissão.
21 - 19h30 - Via-Sacra nas ruas
22 - 19h30 - Terço Doloroso na Igreja;
19h30 - Via-Sacra nas ruas.
23 - 19h30 - Procissão do Encontro.
24 - 19h - Missa da Santa Ceia.
Após a Missa, Vigília Eucarística.
25 - 8h às 15h - Vigília Eucarística;
9h - Via-Sacra nas ruas;
15h - Celebração da Paixão;
19h - Procissão do Senhor Morto
26 - A Igreja fechada até às 18h;
19h - Missa da Vigília Pascal. Após
a Missa, procissão do Senhor
Ressucitado e N. Sra. da Alegria
27 - 5h - Missa da Aurora. Outras
Missas: 9h, 17h e 19h
9 - Sagrada Família
20 - 7h - Procissão e Missa de Ramos
24 - 19h - Missa de Lava-pés
25 - 15h - Celebração do Senhor Morto;
19h - Encenação da Paixão - Praça
da Paz Universal. Em seguida,
procissão para a Paróquia Sta.
Margarida Maria
26 - 20h - Vigília Pascal
27 - Procissão do Senhor Ressuscitado
24 - 20h - Missa do Lava-pés e Adoração
25 - 15h - Celebração da Paixão;
18h30 - Novena da Misericórdia;
19h - Encenação da Paixão e
Procissão do Senhor Morto
26 - Igreja fechada até às 19h30;
19h30 - Novena da Misericórdia;
20h - Vigília Pascal.
27 - 7h30, 9h e 18h - Missas de Páscoa
19 e 20 - 18h - Procissão e Bênção
de Ramos
23 - 20h - Procissão do Encontro
24 - 20h - Missa da Santa Ceia
25 - 19h - Procissão do Senhor Morto
26 - 20h - Vigília Pascal
27 - 18h - Missa de Páscoa
23 - 20h - Via-Sacra nas ruas
24 - 20h - Missa da Ceia do Senhor.
Adoração ao Santíssimo
25 - 9h - Celebração da reconciliação;
15h - Leitura da Paixão;
20h - Via-Sacra pelas ruas
26 - 20h - Celebração da Ressurreição
27 - 9h e 18h - Missas de Páscoa
11 - S. José Operário
16 - Sagrado Coração de Jesus
10 - São Jorge Mártir
20 - 10h e 18h30 - Missas e
Bênçãos dos Ramos
21, 22, 23 e 24 - 15h30 - Encontro
com as crianças;
18h30 - Procissão do Senhor dos
Passos e Missa
22 - 18h30 - Procissão de N.Sra das
Dores e Missa
23 - 18h30 - Procissão do Encontro e
Missa
24 - 19h - Celebração do Lava-pés.
Adoração ao Santíssimo até às 24h
25 - 10h e 14h30 - Hora Santa;
15h - Liturgia da Paixão;
19h - Encenação da Paixão.
26 - 10h - Vigília
19h - Vigília Pascal
27 - 8h e 18h30 - Missas da
Ressurreição
12 - S. João Batista
20 - 9h30 - Missa com Bênção de Ramos;
18h - Bênção dos Ramos, procissão, e Missa na Matriz
21 - 18h30 - Missa e Via-Sacra
22 - 18h30 - Noite penitencial
23 - 19h - Procissão do Encontro
24 - 20h - Missa da Santa Ceia
25 - 15h - Liturgia da Paixão;
19h - Encenação da Paixão e
procissão do Senhor Morto
26 - 20h - Celebraçaõ da luz
27 - 9h30 e 18h30 - Missas de Páscoa
13 - São Judas Tadeu
20 - 7h15 - Bênção e Procissão;
7h30 - Missa de Ramos;
8h45 - Bênção e Procissão;
9h - Missa de Ramos;
17h45 - Bênção e Procissão;
18h - Missa de Ramos
21 e 23 - 19h - Missa
24 - 19h - Missa da Ceia do Senhor e
Adoração ao Santíssimo.
25 - 8h às 16h - Vigília de Adoração;
16h - Celebração da Paixão de Cristo;
19h - Procissão do Senhor Morto
26 - 19h - Vigília Pascal
27 - 7h30, 9h e 18h - Missas da
Ressureição
14 - Capela Santa Edwiges
24 - 19h30 - Missa de Lava-pés
25 - 15h e 19h30 - Liturgia da Paixão
26 - 19h30 - Missa e Via-Sacra
27 - 20h - Missa de Páscoa
15 - N. Sra do Carmo
20 - 9h - Procissão e Missa;
18h30 - Missa e Bênção dos Ramos
20 - 8h - Missa, Procissão e Bênção
dos Ramos;
17h e 19h - Missas dos Ramos
21- 15h - Via-Sacra;
16h - Missa da Saúde
23- 19h30 - Via-Sacra
24 - 20h - Missa Lava-pés. Adoração
25 - 7h - Reinício da Adoração;
15h - Liturgia da Paixão;
19h30 - Encenação da Paixão
26 - 20h - Vigília Pascal
27- 8h, 17h e 19h - Missas de
Páscoa; Batismo às 10h
17 - Basílica do Embaré
25 - 15h - Paixão do Senhor;
18h - Encenação da Via-Sacra;
19h - Procissão do Senhor Morto
26 - Igreja fechada até às 19h;
20h - Vigília Pascal
27 - 8h, 9h30, 11h, 18h, 19h30 Missas de Páscoa
18 - Senhor dos Passos
20 - 8h30 - Bênção e procissão de Ramos;
18h30 e 20h - Bênção dos Ramos
21 e 23 - 18h30 - Missa
24 - 20h - Missa da Ceia e Adoração.
25 - das 14h às 16h - Adoração;
16h - Celebração da Paixão;
20h30 - Via-Sacra
26 - Igreja fechada até às 18h;
20h - Vigília Pascal
27 - 8h30, 18h30, 20h - Missas de Páscoa
19 - Rosário de Pompéia
20 - 7h30, 9h30, 12h, 18h e
19h30 - Missas, Bênção e procissão
24 - 19h - Missa da Ceia do Senhor
25 - 15h - Celebração da Paixão;
18h - Via-Sacra;
19h - procissão do Senhor Morto
26 - 20h - Vigília Pascal
27 - 7h30, 9h30, 12h, 18h e
19h30 - Missas de Páscoa
20 - São Paulo Apóstolo
20 - 18h - Bênção e procissão de
Ramos - Igreja N.Sra Aparecida
(Gleba II) e Missa na Matriz.
21 - 18h30 - Via-Sacra - Cap. N.Sra
Aparecida e Missa.
22 - 18h30 - Via-Sacra - Capela Sta
Terezinha e Missa.
23 - 18h30 - Via-Sacra - Cap. S. José
(Vila Ema) e Missa na Matriz.
24 - 19h - Missa do Lava-pés na Matriz,
em seguida Adoração do Santíssimo
25 - 15h - Celebração da Paixão;
18h - Encenação da Paixão;
20h - procissão do Senhor Morto.
26 - 7h - Visita ao Senhor Morto;
20h - Bênção do Fogo Novo,
procissão e Missa festiva na Matriz.
27 - 8h e 19h - Missas de Páscoa;
10h - Missa de Páscoa das crianças
4 - Reitoria do Amparo
20 - 9h - Bênção Solene de Ramos,
procissão e Santa Missa;
17h - Santa Missa e Procissão do
Encontro;
21 - 18h30 - Santa Missa
24 - 20h - Missa da Ceia do Senhor e
Lava-pés. Após a Santa Missa, vigília
de adoração até às 23h
25 - 8h - Adoração;
15h - Ação Litúrgica da Paixão
26 - 20h - Solene Liturgia Eucaristica
27 - 9h e 17h - Santa Missa
C U B AT Ã O
1 - N. Sra da Lapa
20 - 7h30 - Concentração e Bênção de
Ramos, em frente à Praça Euclides
Figueiredo (Jd. Costa e Silva);
18h30 - Bênção de Ramos e
concentração na Praça da Bíblia,
seguida de procissão até a Matriz.
21, 22 e 23 - 19h - Missas na Matriz
24 - 20h - Celebração da Ceia do
Senhor e Adoraçao.
25 - 7h às 12h - Adoração.
18h - Celebração da Paixão na
Matriz, seguida de procissão até o
Cartodromo Nelson Piquet, onde
haverá a dramatização da Paixão de
Cristo pelo COTAC.
26 - 19h30 - Vigília Pascal
27 - 8h e 19h - Missas na Matriz;
2 - S. Judas Tadeu
20 - 7h45 - Bênção e Missa de
Ramos na Matriz;
9h - Concentração para a procissão
de Ramos (Pça da Independência) e
10h - Missa de Ramos na Matriz;
17h45 - Bênção e Missa de Ramos
21 - 18h - Santa Missa;
20h - Encerramento dos Encontros da CF
22 - 18h - Santa Missa;
19h30 - Celebração Penitencial
23 - 20h - Missa do Encontro
24 - 20h - Missa da Santa Ceia e Adoração
25 - 16h - Celebração da Paixão
19h - Procissão do Senhor Morto
26 - 20h - Celebrações do Sábado Santo
27 - 10 e 18h - Missas de Páscoa
GUARUJÁ
1 - Nossa Senhora de Fátima
20 - 8h, 9h15, 10h30, 18h,
19h15, 20h30 - Missas com Bênção
e procissão de Ramos na Matriz
24 - 20h - Missa da Santa Ceia
25 - 9h30 - Via Sacra
15h - Celebração da Paixão na Matriz;
20h - Procissão do Senhor Morto
26 - 20h - Vigília Pascal
27 - 8h, 9h15, 10h30, 18h,
19h15, 20h30 - Missas de Páscoa
24 - 19h30 - Missa da Santa Ceia
25 - 15h - Celebração da Paixão e
procissão do Senhor Morto
26 - 19h30 - Missa
27 - 7h, 9h, 19h30 - Missas de Páscoa
SÃO VICENTE
20 - 7h30h - Bênção de Ramos no
Asilo, procissão e missa;
9h - Bênção de Ramos em frente à
ASTRO, procissão e missa;
19h30h - Bênção de Ramos,
procissão e missa na Matriz;
24 - 20h - Missa da Ceia do Senhor e
1 - São Vicente Mártir
4 - Senhor Bom Jesus
20 - 9h - Procissão, Bênção e Missa
de Ramos
24 - 20h30 - Celebração da Santa Ceia.
Em seguida, Adoração até às 24h
25 - 8h às 17h - Adoração;
10h às 12h - Confissões;
17h - Via-Sacra de CF;
19h - Celebração da Paixão. Em
seguida, encenação da paixão com
Grupo de Teatro (jovens) e procissão
luminosa
26 - 20h30 - Vigília Pascal
27 - 9h e 17h - Missas de Páscoa
BERTIOGA
1 - São João Batista
20 - 8h30 - Missa, procissão e
Bênção dos Ramos;
19h - Missa
21, 22 e 23 - 19h - Missa
24 - 20h - Missa do Lava-pés
25 - 15h - Celebração da Paixão
26 - 20h - Vigília Pascal, Missa e
Procissão do Cristo Ressuscitado
27- 8h e 19h - Missas de Páscoa
PRAIA GRANDE
1 - Santo Antônio
20 - 8h, 10h, 17h, 19h - Missa
com Bênção de Ramos
21 - 19h - Confissão comunitária
23 - 19h30 - Missa dos Enfermos e
Noite da Família
24 - 19h - Celebração do Lava-pés
25 - 15h - Celebração da Cruz;
18h - Procissão do Senhor Morto
26 - 21h - Celebração da Luz
27 - 8h, 17h e 19h - Missas de Páscoa
MONGAGUÁ
1 - N. Sra Aparecida
20 - 9h - Bênção de Ramos - Cap.
N.Sra do Pérpetuo Socorro e
procissão à Igreja Matriz.
22 - 16h às 17h30 - Confissões no
Santuário;
17h30 - Missa, novena e bênção;
19h - Missa e louvor na Matriz
24 - 20h - Missa da Santa Ceia
25 - Toda a liturgia será na Matriz:
9h Via-Sacra;
15h - Liturgia da Paixão;
17h - Via-Sacra com procissão,
encenada pelos jovens da paróquia;
19h - Novena à Divina Misericórdia.
26 - 20h - Liturgia da Luz.
27 - 9h - Missa da Ressurreição, na
Matriz e no Santuário;
19h - Missa na Matriz
PERUÍBE
1 - São João Batista
20 - 8h - Bênção dos Ramos - Praça
Redonda (Centro), em seguida,
procissão e Missa na Matriz
19h - Missa na Matriz e Procissão do
Encontro
21 - 19h - Missa do Perdão
22 - 19h - Missa das 7 Dores de Maria
23 - 19h - Missa na Matriz e Via-Sacra
24 - 19h - Missa e Lava-Pés e Adoração
25 - 6h - Reinício da Adoração
15h - Celebração da Paixão;
20h - Procissão do Senhor Morto
26 - 19h30 - Solene Vigília Pascal
27 - 8h e 19h - Missas de Páscoa
I TA N H A É M
1 - N.Sra. da Conceição
20 - 7h - Santa Missa
22 - 19h - Santa Missa
23 - 19h - Via-Sacra pelas ruas
24 - 19h - Missa da Ceia do Senhor
25 - 15h - Celebração da Paixão,
seguida de procissão - Centro
Comunitário
26 - 19h - Celebração da luz e Vigília
Pascal - Centro Comunitário
27 - 7h - Missa de Páscoa na Matriz
9h e 19h - Missas de Páscoa no
Centro Comunitário
2 - N. Sra das Graças/VC
20 - 8h30 e 18h30 - Missas e
procissão de Ramos
24 - 19h - Missa da Ceia do Senhor
25 - 15h - Celebração da Paixão
26 - 20h - Vigília Pascal
27 - 8h30 e 18h30 - Missas de Páscoa
20 - 7h30, 9h e 18h - Bênção de
Ramos, Procissão e Missa
20 - 19h - Procissão do Encontro
23 - 20h - Via-Sacra luminosa
Adoração.
25 - 6h às 15h - Adoração;
16h - Via-Sacra, encerrando com a
Exaltação da Sta Cruz na Pça do Povo;
20h - Procissão do Senhor Morto
26 - 20h - Bênção do fogo e Missa.
27 - 7h - Procissão do Ressuscitado
7h30, 9h, 19h30 - Missas de Páscoa
3 - Santa Rosa de Lima
Pede-se aos fiéis que
levem velas para as
procissões e celebração
da Vigília Pascal
Especial
Março/2005
RUMO
À
PÁSCOA
7
Presença Diocesana
A CONTECEU
Chico Surian
Sacramento da Reconciliação: `Sim` ao projeto da vida
Chico Surian
Pe. Javier Mateo Arana pároco da Paróquia N.S. do
Carmo, Santos
O fato da Encarnação do
Verbo é fundamental para entender o significado profundo de
algo que estava presente no coração de Deus desde toda a eternidade, e no tempo, acontece,
em Maria, com a vinda do filho
de Deus para resgatar o todo que
se perdeu a partir do Paraíso,
onde os homens se desentenderam com Deus e iniciaram a construção de uma história humana
de costas para este mesmo Deus:
é a ruptura de relações amorosas
entre o homem e Deus.
No pecado é o homem que
toma a iniciativa, fundamentando-se no que a inteligência apresenta como de interesse de cada
indivíduo. É de inteira responsabilidade da pessoa. As conseqüências de tal atitude pertencem ao ser humano. Toda a criação é boa, o homem é bom. “Deus
viu que tudo era bom” (Gn. 1,31).
O homem é tão bom, tão perfeitamente homem, que podia até
afastar-se de Deus. E assim aconteceu e continua a acontecer. É
a liberdade! O homem pode decidir no tempo, quer dizer, dentro da sua temporalidade, portanto, no espaço social e psíquico
em que se encontra. O ser humano é instável. Finito. Sempre à
procura da felicidade. Tem a capacidade de errar.
DEUS É O MESMO
Deus é diferente. Ele sempre
é o mesmo. Na Bíblia, usa-se uma
linguagem antropomórfica, por
isso, dá-nos a impressão de que
o “comportamento” de Deus é
como o nosso, instável: agora ele
sente uma coisa, depois outra;
agora ele me ama, depois se deixa levar pela ira... É assim que o
homem imagina Deus, como se
fosse como nós. E isso dá uma
confusão...
Mas Deus É amor. Por amor,
o Verbo se fez carne e habita entre nós. Neste mistério acontece
o encontro de Deus com o homem
e do homem com Deus.
Sacramento da Reconciliação proporciona ao cristão o encontro com a misericórdia
Inicia-se, assim, o processo
de Reconciliação entre Deus e o
homem, por iniciativa de Deus.
É Deus que não abandona a
obra-prima da criação, o homem.
Deus o quer feliz e realizado. Foi
o homem que achou - e ainda
acha - que, sozinho, pode criar
um mundo humano totalmente
feliz com a sua própria inteligência e vontade, sem contar para
nada com a “Graça de Deus”.
Dando a entender que Deus nada
tem a ver com a criação, com o
mundo. Que o mundo é só coisa
do homem.
DESPREZO PELO HUMANO
A experiência nos mostra
que, na medida em que nos afirmarmos negando o senhorio de
Deus sobre as nossas vidas, o
mundo foi construindo uma história de desapontamentos, guerras, desprezo pelo “próprio” ser
humano, dor e morte. As conquistas da ciência e da técnica
foram escritas - e continuam a
ser escritas - às custas do sofrimento, miséria, para privilegiar
uma minoria exígua.
Deus continua o mesmo. Ele
não nos oferece apenas uma mão.
Ele entrega todo o seu Filho, por
quem tudo foi criado e é Nele
que o Pai quer reconciliar todas
as coisas entre nós e com Deus.
Em Jesus-Sacerdote crucificado
a natureza humana e cada pessoa vive a experiência da reconciliação. “E eu, quando for levantado da terra atrairei todos os
homens a mim. (Jo.12,13)”. “O
filho do homem veio, não para
ser servido, mas para servir e dar
sua vida para redenção de muitos” (Mt 20,28).
Ser atraído por Cristo e aceitar o seu “serviço” é de fato viver,
como resposta ao amor reconciliador do Pai, o encontro com
Deus. Um Deus que salva.
O Sacramento da Reconciliação (Penitência, Confissão...) é
um gesto duplo:
a) Deus me acolhe em Jesus.
b) Aceito o “projeto” de Deus
criador na minha vida. Portanto,
me entrego na morte e ressurreição do Cristo- Sacerdote que se
oferece como vítima pelos meus
pecados.
COMO VIVER ESSA
RECONCILIAÇÃO?
Em primeiro lugar: tenho
que me reconhecer pecador.
Afastei-me de Deus. Criei o meu
“próprio” projeto. Amei desordenadamente as criaturas e me esqueci voluntariamente do Criador. O meu coração se apegou
egoisticamente àquilo que me
agradou às custas da exclusão
do irmão. Criei situações de injustiça, de dor e sofrimento.
Reconhecer que perdi o eixo
da minha vida...
Em segundo lugar: reconhecer que só Deus pode dar um
jeito na minha vida. Que ele é
misericórdia e perdão. Que posso me jogar nos braços de Deus,
que nem o filho pródigo
(Lc.15) e vivenciar a alegria da
acolhida amorosa do Pai.
RECONCILIAÇÃO
O tempo da Quaresma, sobretudo na Semana Santa, é um
momento privilegiado para viver o mistério pascal da morte e
ressurreição, tanto individual
como comunitariamente. Confessar-se pecador e reconhecer
que faço parte de uma Igreja
também pecadora, e também
que o meu pecado tem uma dimensão social.
Não é fácil porque, muitas
vezes, vivemos uma “religião”
tremendamente individualista.
Dá a nítida impressão de que
religião é coisa minha com
Deus. Nos esquecemos que o
pecado na prática, nunca é uma
ofensa contra Deus, como se
Deus pudesse sofrer (visão antropomórfica). Não, Deus não
sofre! Com certeza, ofendemos
os filhos de Deus, os irmãos de
Jesus, não permitindo que o
projeto de Deus - que os homens
sejam felizes - se realize. A nossa liberdade misteriosamente
interfere no projeto de Deus.
Reconciliar-se é converterse a esse projeto. É respeitar o
ser humano, filho de Deus, e dar
uma satisfação Àquele que,
pela minha atitude, fiz sofrer.
Reconciliar-se é querer viver como feitos à imagem e semelhança de Deus.
Reconciliar-se é assumir o
mundo para ser partilhado entre
todos. É testemunhar com o nosso
comportamento que Deus é amor
e que todos têm direito à vida, e
lutar para que assim seja, de modo
que a “confissão” não seja rotineira, e sim a expressão (gesto) da
retomada do projeto de Deus.
Sacerdotes da Diocese participaram da celebração de ação de graças
Missa pelo jubileu de Padre Heládio
Como parte das comemorações do jubileu de ouro de
ordenação sacerdotal de Padre Heládio Alvarez Rodrigues (realizada em 8 de dezembro de 1954, em Roma),
padres e seminaristas da Diocese participaram de uma
missa em ação de graças.
A missa foi realizada na
Capela do Convento das Irmãs Carmelitas, no Marapé,
em Santos, no último dia 22
de fevereiro, do qual Padre
Heládio é orientador espiritual há mais de 35 anos.
Estiveram presentes na
celebração, Padre Antonio
Baldan Casal, vigário-geral;
Monsenhor José Geraldo
Caiuby Crescenti (padrinho
de ordenação de Padre Heládio); padre Eniroque Ballerini, padre Elmiram dos
Santos; Dom Luiz Pedro Soares, OSB; padre Carlos Arturo
Zuluaga (Seminário Diocesano São José); padre José Cardoso; padre Valfran dos Santos; Frei Lino de OLiveira, OC;
diácono permanente José
Pascon Rocha.
Na homilia, Mons. Crescenti destacou a importância
desta celebração no dia da festa da Cátedra de São Pedro,
“pois acompanhei de perto
durante estes longos anos o
grande amor com que padre
Heládio sempre viveu seu sacerdócio, em profunda unidade com o magistério da Igreja
e seu grande amor aos sucessores de Pedro”.
No próximo dia 29 de abril,
padre Heládio estará completando 76 anos de vida. Atualmente é cooperador na Paróquia São Francisco de Assis,
em Cubatão, e orientador espiritual do Seminário Diocesano de Anapólis-Go.
Chico Surian
Formação para casais que vão atuar na pastoral familiar é fundamental
Paróquias preparam confissões da Quaresma
O tempo litúrgico da Quaresma é um período especialmente
rico para a vida comunitária.
Nesse tempo, de modo especial,
a Igreja propõe aos fiéis que se
dediquem a fazer uma revisão de
vida mais profunda, procurando
compreender as exigências do
ser batizado, seguidor de Jesus.
Afinal, é neste tempo que o Mestre sobe para Jerusalém, a fim de
viver sua entrega total à humanidade por amor ao Pai. Com isso,
dá testemunho radical de sua
obediência, culminando um “caminho” de entregas diárias, reafirmadas ao longo de sua vida e
missão.
Esse tempo de Quaresma
deve ser, para os cristãos, como
um retiro coletivo de 40 dias, durante os quais a Igreja, propondo a seus fiéis o exemplo de
Cristo em seu retiro no deserto,
se prepara para a celebração das
solenidades pascoais, com a pu-
rificação do coração, uma prática perfeita da vida cristã e uma
atitude penitencial. Nesse tempo, a Igreja apresenta o Sacramento da Penitência como um
modo particular de acolher o
convite à conversão.
Este Sacramento ajuda o fiel
a se preparar para o encontro com
a Páscoa do Senhor e representa
um providencial dom do Senhor
e uma preciosa possibilidade
para aproximar-se Dele, voltan-
do para si mesmos e colocando-se em atitude de escuta de
suas interiores inspirações.
Nesse sentido, as paróquias de toda a Diocese já estão
preparadas para atender a todos aqueles que queiram celebrar o Sacramento da Penitência, vivendo com mais intensidade a Páscoa da Ressurreição. É um gesto de confiança
renovada na infinita misericórdia divina.
Calendário das confissões
Saiba mais sobre
a Quaresma
e a Páscoa no site
www.diocese desantos.com.br
SANTOS-----28/2 - 20h - São Jorge
Mártir (3236-3528)
4/3 - 20h - Igreja São Tiago
(Saboó)
20h - Imaculado Coração
de Maria (3224-8302)
5/3 - 9h - São Judas Tadeu (3251-4146)
7/3 - 20h - N.S. da Assunção (3235-1277)
20h - São Judas Tadeu
(3251-4146)
9/3 - 20h - Jesus Crucificado (3223-2338)
20h - São João Batista
(3258-6464)
10/3 - 20h - N.S. Aparecida
(3227-4100)
19h30 - Basílica do Embaré
(3227-5977)
11/3 - 20h - Sagrada Família
(3291-1515)
12/3 - 9h - N.S. Aparecida
(3227-4100)
14/3 - 20h - São Benedito
(3231-4071)
19h30 - São Paulo Apóstolo
(3225-5073)
15/3 - 19h30 - Basílica do
Embaré (3227-5977)
16/3 - 19h30 - Pompéia
(3251-7191)
17/3 - 20h - São José
Operário (3234-3530)
19h30 - N.S. dos Navegantes
(3234-8910)
18/3 - 20h - Sta Margarida
Maria (3203-2940)
19h30 - Senhor dos Passos
(3223-1366)
20h - Igreja Santa Cruz
(3232-9410)
21/3 - 20h - Catedral
(3232-4593);
19h30 - N.S. do Carmo
(Ponta da Praia) (3261-2793)
22/3 - 19h30 - Coração de
Jesus (3236-8155)
25 - 8h e 11h - Basílica do
Embaré (3227-5977)
SÃO VICENTE---3/3 - 19h30 - São Vicente
Mártir (3468-2658)
7/3 - 19h30 - N.S.
Auxiliadora (3566-2119)
9/3 - 19h30 - N.S.
Aparecida (3464-7392)
15/3 - 19h30 - N.S. das
Graças (468-3615)
16/3 - 19h30 - N.S. do
Amparo (3467-2848)
17/3 - 19h30 - Beato
Anchieta (3406-2396)
21/3 - 19h30 - S. João
Evangelista (3462-4798)
GUARUJÁ------8/3 - 20h - N.S. das Graças/
VC (3352-1218)
9/3 - 20h - N.S. de Fátima
(3386-6771)
14/3 - 20h - Sta Rosa de
Lima (3358-1479)
15/3 - 20h - S. João Batista Bertioga (3317-1838)
16/3 - 20h - Senhor Bom
Jesus (3355-1881)
CUBATÃO--------
Encontro de formação do ECC
Membros do Movimento
Encontro de Casais com
Cristo (ECC) da Diocese de
Santos participaram do I encontro de formação do ano,
nos dias 12 e 13 de fevereiro.
A formação foi realizada na
paróquia Imaculado Coração
de Maria, em Santos.
Durante a formação para
casais de todas as etapas (1ª,
2ª e 3ª ) foram apresentados
os objetivos, finalidades,
metodologias e formas de avaliação do Movimento, como
forma de melhor preparar os
agentes para atuarem em
seus núcleos de base, antes,
durante e após o encontro de
casais. Na Diocese existem
cerca de 16 núcleos.
ADOLESCENTES
Em Abril, nos dias 2 e 3
acontece o Encontro de Adolescentes com Cristo (EAC)
na paróquia Nossa Senhora das
Graças, em Vicente de Carvalho, no Guarujá, para adolescentes de 14 a 17 anos. O encontro está sendo preparado
pelos jovens da paróquia Nossa Senhora das Graças, de São
Vicente, que já fizeram o encontro em anos anteriores, e
por um casal de adultos.
Outras informações sobre o
ECC ou o EAC, pelos telefones
(13) 3561-6074 - 9112-2008, com
o casal Ângela e José Carlos.
8/3 - 20h - N.S. da Lapa
(3361-1272)
14/3 - 20h - S. Francisco
de Assis (3361-2777)
16/3 - 20h - São Judas
Tadeu/Jardim Casqueiro
(3363-5032)
Chico Surian
LITORAL SUL----1/3 - 19h - Nossa Senhora
da Conceição - Itanhaém
(3422-4029)
3/3 - 19h - N.S. do Sion
(Suarão) - Itanhaém
(3422-1216)
7/3 - 19h - Santo Antônio
(Boqueirão) - Praia Grande
(3491-1337)
8/3 - 19h - São José
Operário (Caraguava) Peruíbe (3455-3239)
10/3 - 19h - Santa
Terezinha (Belas Artes) Itanhaém (3426-3211)
15/3 - 19h - N.S. das
Graças (Ocian) - Praia
Grande (3494-5242)
15/3 - 19h - S. João Batista
- Peruíbe (3455-1491)
16/3 - 19h - N.S. Aparecida
- Mongaguá (3448-3358)
Mano Márcio denuncia em suas músicas a violência das periferias
Evento cultural da CF Ecumênica
Um evento cultural, no dia 11 de fevereiro, no SESC-Santos,
marcou o lançamento da CF Ecumênica 2005 na Diocese. Participaram do encontro representantes das Igrejas Luterana,
Anglicana, Católica e Metodista.
Além da apresentação dos grupos Midnight Band (pop),
Mano Márcio e Elemento X (hip hop), os organizadores do
evento falaram sobre os desafios do tema da CF, lembrando do
Referendo pelo Desarmamento, que será realizado no dia 2 de
outubro, em todo o País.
Fórum de Debates da CF 2005
Dia 18 de março, às 19h30
UniSantos
Carvalho de Mendonça, 144
8
E DUCAÇÃO
Presença Diocesana
PASTORAL
DA
UNIVERSIDADE
I NCLUSÃO
Colégio incentiva ações voluntárias
Celebrar
a Páscoa
Celebrar a Páscoa é reviver
a verdade fundamental de
nossa fé cristã. De fato, a proclamação da ressurreição de
Jesus feita pelos Apóstolos
trouxe-nos a confirmação de
todas as verdades proferidas
e ensinadas por Jesus em
sua pregação evangélica.
Cristo ressuscitou. O que
Ele disse e ensinou foi confirmado por esse estupendo
acontecimento.
De fato, nada pode ser
explicado sem a ressurreição de Jesus. O que quer dizer que todas as verdades
ensinadas por Ele têm aí o
seu fundamento.
As verdades ensinadas por
Jesus são Ele mesmo. Por isso
o Apóstolo com justeza, afirma: Ele é o caminho, a verdade e a vida. Conheçamos essa
verdade e procuremos tradu-
D. David Picão
Pró-Reitor de Pastoral
da Universidade
Católica de Santos e
Sec. Executiva
zi-la em vida.
Somos chamados a testemunhar essa vida a cada instante. De fato, a vida que está
em nós está dizendo que ela
existe em nós, se traduz em
cada gesto nosso.
A realidade que vivemos
diz-nos sempre: a vida existe.
Nós a traduzimos em nossos
gestos e trabalhos.
Viver a vida como ela se
apresenta deve levar-nos a
testemunhá-la sempre, a cada
instante. Para isso vivemos...
Pastoral da Criança é tema de TCC
Propor estratégias de Marketing
para tornar a Pastoral da Criança mais
conhecida na Diocese de Santos e, com
isso, captar novos
agentes, foi o desafio do Trabalho de
Conclusão de Curso
(TCC) de Gustavo
Aloise Afonso, recém-formado em Administração de Empresas pela UniSantos. O trabalho recebeu Nota 10, da
banca examinadora, composta pelo Prof.-Mestre Sebastião Ornela Luque (UniSantos)
e Marcelo Ouverney, profissional convidado (COSIPA).
O projeto Marketing no
Terceiro Setor: O caso da
Pastoral da Criança de Santos foi orientado pelo profes-
Há 15 anos, Olivaldo de Jesus Antonio, ao final do expediente no Colégio Marista de Santos, prepara-se para uma nova
jornada: de zelador torna-se técnico de futebol para 120 meninos de 7 a 18 anos. Isso, de segunda à sexta, das 19h30 às
21h30. Aos sábados, a jornada começa às nove da manhã e vai até
às quatro da tarde. Ah, e tem
ainda no domingo, com a meninada reunida para a missa às 9
horas na Catedral e depois, quem
quiser tem futebol novamente.
No Colégio, talvez poucos
conheçam Olivaldo de Jesus, mas
Vadico, com certeza é conhecido de todos. Trabalhando há 35
anos no Marista de Santos, Vadico é um dos funcionários que
desenvolvem projetos voluntários, mantidos pelo Colégio.
Além de ensinar futebol para
crianças das escolas públicas
que moram nos bairros próximos
ao Colégio, Vadico auxilia as
famílias, ajudando a regularizar
documentos, encaminhando
Marista de Santos/Arquivo
Vadico (ao centro) com meninos do projeto Irmão Menor: aposta no futuro
para assistência social e outras
necessidades. E as crianças
particiam também de encontros
e passeios.
“É um trabalho gratificante,
sobretudo porque a gente vê que
alguns acabam se encaminhando para o futebol profissional.
Mas o melhor é ver que esses
meninos aprendem a descobrir
a importância dos estudos na vida
deles”. Para participar do projeto, os meninos têm de estar matriculado em escola pública e
tirar boas notas.
Além do projeto Irmão Menor, desenvolvido por Vadico, o
Colégio desenvolve outras campanhas durante todo o ano letivo: Campanha da Fraternidade
(sempre com um gesto concreto
em prol de uma entidade assistencial), voluntário mirim (voltado para o protagonismo juvenil durante o mês de julho), Grupo Amigo do Lar Pobre (envolvendo alunos do 1º ao 5º anos do
EM), trabalhos com a Melhor
Idade (alunos das 3ªs e 4ªs series
visitam casas e abrigos de idosos), dentre outros.
Segundo a catequista e
membro do setor de Pastoral do
Colégio, Rosemeire Ribeiro
Abreu, “esses projetos e campanhas ajudam os alunos, bem
como todo o corpo docente, a se
sensibilizarem e a se comprometerem com a realidade que nos
cerca. Tendo como molas propulsoras os princípios de nosso fundador, de ´formar bons cristãos e
virtuosos cidadãos´ com uma
maior percepção social, a partir
da construção da cidadania; da
necessidade de oportunizarmos
o “protagonismo juvenil”, princípio que prega a autonomia e
atuação dos jovens na sociedade
e integração entre os jovens com
as comunidades mais carentes.”
Colaboração
Quem quiser colaborar com
os projetos sociais do Colégio
Marista de Santos, o telefone
para contato é (13) 3232-6116.
Chico Surian
F ORMAÇÃO
PROFISSIONALIZAÇÃO
Encontro Regional Social do Litoral Sul Cursos na Sociedade S. Vicente de Paulo
Gustavo (à dir.) e Prof. Elias:
importância do Marketing
para o Terceiro Setor
sor Elias Salim Haddad Filho,
Mestre em Admininistração.
O projeto foi inscrito no
Prêmio Ethos-Valor - categorias Graduação - concorrendo
ao prêmio de 6 mil reais (1º lugar), além de premiação aos 10
finalistas, 5 destaques regionais, professores orientadores e
Instituições de Ensino.
A Região Pastoral Litoral Sul
realiza no próximo dia 13 de março, domingo, das 14 às 18h, no
salão paroquial da Igreja Matriz
Nossa Senhora Aparecida, de
Mongaguá, o Encontro Regional Social.
Sob a assessoria de Pe.
Valdeci João dos Santos, Coordenador Diocesano das Pastorais
Sociais, o encontro servirá como
motivação para a reorganização
das pastorais incluídas dentro da
Dimensão Socio-transformadora
na Região.
São esperados para o encontro, todos os representantes das
pastorais já organizadas em cada
paróquia e demais interessados
em implantá-las.
PASTORAIS
Fazem parte da Dimensão
Sócio-Transformadora: Pastoral
da Criança, Pastoral do Menor,
Pastoral da Sobriedade, Pastoral
Carcerária, Moradores de Rua,
Pastoral da Saúde, Mundo do
Trabalho, Campanha da Fraternidade, Apostolado do Mar, Pastoral do Migrante, Negro ÍndioNipo; CEB´s, Pastoral da Comunicação, Pastoral da Educação
(Universitária, Escolas Católicas e Não-Católicas).
A Sociedade São Vicente de
Paulo, em Santos, está com inscrições abertas para vários cursos profissionalizantes.
São eles:
Aulas de Artesanato
Curso grátis para pessoas de
qualquer idade de ambos os sexos.
Dias: às terças-feiras, das 15h
às 17h. Retirar ficha de inscrição
na sede.
Marcenaria, Lustração e
Empalhação
Cursos grátis
Idade: de 12 a 16 anos (ambos os sexos).
Horário: de segunda a quin-
ta (meninos); sexta (meninas),
das 8h30 às 11h30.
Retirar ficha de inscrição na
sede.
Curso de Alfabetização de
Jovens e Adultos
Você que conhece alguém
que não sabe ler e escrever indique-o para o curso de alfabetização.
Horário: de segunda a quinta, das 18h às 20h.
Local: Sociedade São Vicente de Paulo - Av. Cons. Rodrigues Alves, 311 - Macuco - Santos/ S.P. Tel: 3235-1505.
UNISANTOS
LICEU SANTISTA
UniSantos prepara recepção aos alunos
Liceu implanta Internet sem fio
Roberta Barbosa
Sempre em busca da atualização de seus sistemas, o
Liceu Santista inova mais uma
vez ao implantar a internet
banda larga sem fio. O Speedy
Wi-fi é uma tecnologia de
última geração, disponibilizada pela Telefônica Assist,
e que permite a notebooks e
palmtops, com placa de
PCMCIA ou interface Wi-fi
interna, acessarem a internet
em alta velocidade sem a necessidade de cabos dentro de
um raio de alcance. O Liceu
Santista, que disponibiliza o
seviço gratuitamente, é a única escola de Educação Infantil e Ensinos Fundamental e
Médio a oferecer a solução
Speedy Wi-fi. Entre as instituições de ensino superior, a
Universidade Católica de
Santos - UniSantos também
foi pioneira na utilização do
sistema em toda a Baixada
Santista.
Na prática, a internet sem
fio poderá ser acessada de espaços comuns do Liceu Santista, como áreas livres.
Março/2005
Educação
Atividades de integração marcaram o início das aulas e prosseguem durante o semestre
Eraldo Silva
Usuários poderão utilizar seus notebooks e palmtops e se conectar à rede mundial
Alunos, professores e demais
usuários que estiverem na escola
poderão utilizar seus notebooks e
palmtops e se conectar à rede mundial. O Speedy Wi-fi já está disponível em diversos locais públicos,
como hotéis, shoppings, universidades, restaurantes, hospitais, centros de convenções e outros estabelecimentos.
Cursos de Informática
O Liceu Santista abriu inscrições aos interessados em freqüentar seus cursos de Informática. São cinco opções: Informática nível básico e avançado, Infoarte II
(nível avançado), Flash: criação de jogos e Manutenção de micros.
Vagas limitadas. Mais informações pelo tel.: (13) 3252-1225.
CURSO
Informática (nível básico)
72h/a - de 1/3 a 30/6
DIA / HORÁRIO
3ª e 5ª feira, das 16h às 17h40
2ª e 4ª feira, das 18h30 às 20h10
Síntese do programa
Informática (nível avançado)
72h/a - de 1/03 a 30/06
Infoarte II (nível avançado)
72h/a – de 1/03 a 30/06
3ª e 5ª feira, das 16h às 17h40
Microsoft Office completo: criação
de sites. Haverá Pré-requisitos.
3ª e 5ª feira, 18h30 às 20h10
Efeitos com imagens e manipulação
em softwares de autoria
Flash: criação de jogos
36 h/a - de 2/03 a 29/06
4ª feira, das 14h às 15h40
Criação de animações em Flash para
construção de jogos
Hardware: montagem, manutenção e configuração de micros. 72h - 2/03 a 29//06
2ª e 4ª feira, das18h30 às 20h10
Aulas práticas. Pré-requisito: conhecimento básico de Windows 9x
Microsoft Office, navegação básica,
criação de e-mails e pesquisa
A Universidade Católica de
Santos – UniSantos - desenvolve
uma série de atividades de recepção aos alunos (calouros e veteranos). Com o objetivo de
integrá-los, foi preparada uma
programação geral e programações específicas, organizadas pelos centros de ensino, cursos,
Pastoral da Universidade e representação estudantil.
Entre as atividades desenvolvidas, aconteceram: distribuição
do guia acadêmico 2005, exibição de filme institucional, visita
dos calouros às instalações, apresentação de órgãos de apoio.
Celebrações da Palavra, organizadas pela Pastoral, foram realizadas, em dois períodos, nos
campi Dom Idílio José Soares,
Pompéia e Boqueirão.
Integradas com veteranos e
novos alunos, Sabrina Silva Ferraz
Amaral, 19 anos, e Natália Carpintero Petri, 17 anos, disseram
que houve muito incentivo das
famílias para a escolha de um
curso na UniSantos, por ser uma
instituição católica. Ambas possuem habilidade no manuseio de
alimentos, daí a opção pelo curso de Nutrição. A irmã de Natália formou-se em Jornalismo e
sempre exaltou a qualidade de
ensino e os professores.
Ainda durante o primeiro semestre serão realizadas apresentações artísticas, feira de livros,
competições esportivas (IX Tiuni), festa de confraternização,
Ainda durante o primeiro
semestre serão realizadas
apresentações artísticas, feira
de livros, competições
esportivas (IX Tiuni) e festa
de confraternização, dentre
outras atividades .
campanhas de doação de
sangue, órgãos e alimentos
não perecíveis e palestras.
Além disso, haverá espaços
livres para manifestações culturais e artísticas. No dia 20 de
março, a partir das 10 horas, haverá festa de confraternização na
Barraca de Praia UniSantos/Sindicato dos Jornalistas
TROTE SOLIDÁRIO
Diretórios e centros acadêmicos também promoveram o trote
solidário. Os representantes do
curso de Psicologia organizaram
arrecadação de alimentos, produtos de higiene, livros e roupas.
O Diretório Acadêmico de
Ciências da Computação e Sistemas de Informação promoveu
o trote cidadania, com a distribuição de folhetos explicativos
sobre DSTs e Aids.
Representantes do diretório
dos cursos de Comunicação (Jornalismo, Publicidade e Relações
Públicas) arrecadaram caixas de
leite para as crianças da Associação dos Cortiços de Santos. A
idéia surgiu depois de uma visita de alunos do curso de Jornalismo aos cortiços.
Março/2005
Presença Diocesana
9
Seminário São José
Missa marca início do ano letivo
Pe. Jose Mario Baccio
Trespalacios -Reitor do
Seminário Diocesano
Silvio durante a ordenação
Ordenação
em Mongaguá
No dia 22 de janeiro passado, a Paróquia Nossa Senhora
Aparecida, em Mongaguá, esteve em grande festa. O Diácono
Silvio Rodrigues Roberto, de 31
anos, foi ordenado Sacerdote
pela imposição das mãos do Sr.
Bispo de Santos, Dom Jacyr Francisco Braido. Silvio é filho de
Mongaguá e concluiu sua formação na Congregação dos Padres Marianos da Imaculada
Conceição, em Curitiba.
Padre Pablo
reforça equipe
de formadores
O seguimento de Jesus se
torna mais vivo e eficaz pela participação no sacramento eucarístico porque nele Jesus, o bom
Pastor, se doa em alimento e estabelece com os discípulos e entre eles uma comunhão de vida e
missão. De maneria que, celebrar a Eucaristia é celebrar nossa vocação e missão de testemunhas de Jesus diante dos desafios do mundo.
Por tal motivo, sempre que
acontece um momento marcante
de nossa vida (aniversários, formaturas) ou da nossa comunidade (festa do Padroeiro) ou da
cidade (Dia da Fundação, entre
outras) queremos celebrá-los no
contexto eucarístico. Seguindo
esta maneira de proceder do nosso povo, também nós, no Seminário Diocesano São José, estabelecemos a Missa Inaugural de
cada ano, no dia 11 de fevereiro,
na celebração da memória de N.
Sra de Lourdes para lembrar, ao
mesmo tempo, a data de reabertura do Seminário Diocesano São
José, no atual prédio do Morro da
Nova Cintra.
Neste ano, a Missa Inaugu-
Dom Jacyr Braido presidiu a celebração no Seminário Diocesano
ral foi presidida pelo bispo diocesano, D. Jacyr Francisco Braido,
e concelebrada por 10 sacerdotes
da Diocese e pelos 3 sacerdotes
da Equipe Formativa. Também
estiveram presentes: os 21 seminaristas da Diocese de Santos e
os 4 da Diocese de Registro; familiares dos seminaristas e representantes do Serra Clube e da
Equipe de Manutenção.
A celebração aconteceu num
clima de fraternidade e familiaridade. D. Jacyr convidou os seminaristas a vivenciar este novo
ano de formação com abertura,
dedicação, trabalho e oração. Par-
A ele, as nossas boas vindas e
um frutífero apostolado!
tilhou com todos a experiência
de sua visita ao Santuário de
Lourdes, na França, e destacou a
importância da oração na vida do
cristão: “É pela oração constante que o
cristão cresce no seguimento de Jesus e se
torna servidor dele no serviço aos irmãos”,
afirmou. “Devemos encontrar o sentido de nossa vida no seguimiento de Jesus.
Ele está no centro da nossa vida. A nossa
missão é conhecê-lo e anunciá-lo às pessoas que querem vê-lo...”, completou.
No final da Eucarista, Pe.
José Mário Trespalacios, reitor do
Seminário, agradeceu a presença de todos na missa e lembrou
que “a formação presbiteral é
uma obra eclesial. Portanto, o
êxito da formação depende da
participação ativa e positiva de
todas as instâncias da Diocese.
O Bispo Diocesano é o primeiro
responsável pelo Seminário, mas
ele confia esta delicada missão
a uma Equipe Formativa. Por sua
parte, os padres da Equipe Formativa contam com a colaboração dos pastores e fiéis da Diocese para, juntos, assegurar o bom
andamento das atividades formativas do Seminário”.
Novos estudantes
no curso de Teologia
Seminaristas durante a Missa de Cinzas, na Catedral
Os seminaristas diocesanos
participaram da missa de Cinzas, no dia 9 de fevereiro, na Catedral de Santos. No início da celebração, o grupo foi apresentado à assembléia. Dom Jacyr
Braido, bispo diocesano, pediu
aos presentes que contribuam
Nome
Lucas Alves
Ricardo Silva
Alex Marques
Edson Felipe
Cláudio Conceição
Fernando Silva
Rafael Florêncio
Isac Carneiro
Edvaldo Gomes
Diogo Silvestre
Fabrício Ramos
Maciel Souza
Paolo Daniel
Vagner Argolo
Cléber Passo
Danilo Oliveira
Maicon Dadalt
André Mendes
Valdeni Lopes
Sílvio Luiz
Curso
1ºA Teol.
1ºA Teol.
1ºA Teol.
1ºA Teol.
2ºA Teol.
2ºA Teol.
2ºA Teol.
3ºA Teol.
4ºA Teol.
1ºA Fil.
1ºA Fil.
1ºA Fil.
1ºA Fil.
2ºA Fil.
2ºA Fil.
2ºA Fil.
2ºA Fil.
2ºA Fil.
3ºA Fil.
3ºA Fil.
Pe. Ricardo de Barros Marques
Assessor diocesano
da Pastoral Vocacional
A vocação
é uma arte?
Seminaristas começam estágio pastoral
Recém-chegado da Colômbia,
padre Pablo Velazquez, passa a
integrar a equipe de formação do
Seminário Diocesano São José.
Nascido em Santafé de Bogotá
(Colômbia) no dia 3 de setembro
de 1976, é o segundo dos três filhos de Guillermo e Graciela.
Em 1994 iniciou o processo
de acompanhamento na Pastoral
Vocacional dos Padres Eudistas
na Colômbia. Foi admitido à
Congregação de Jesus e Maria em
janeiro de 1995. Neste ano fez o
Curso Propedêutico no Seminario
Mayor Valmaría, em Bogotá.
Em 1999, Pe. Pablo conclui
sua formação filosófica. Foi enviado para o Equador para realizar o ano de experiência pastoral no Seminario Mayor Cristo Sacerdote na cidade de Ambato. Lá
colaborou durante ano e meio
como professor de Filosofia e deu
aulas também na Pontifícia Universidad Católica del Ecuador. No dia 19
de agosto de 2001, na solenidade de São João Eudes, foi incorporado à Congregação. Em 4 de
dezembro de 2004 foi ordenado
presbítero na capela do Seminario
Mayor Valmaría, em Bogotá.
Finalmente, o Pe. Pablo chegou a Santos no dia 3 de fevereiro para se unir aos padres Carlos
Arturo e José Mário, na Equipe
Formativa do nosso Seminário
Diocesano.
Atualmente ele está se esforçando em aprender a língua e,
mesmo assim, já assumiu várias
responsabilidades dentro do Seminário: auxiliar na economia,
acompanhamento do grupo 1º de
Filosofia e assessoria à Comissão Humano-Comunitária.
PASTORAL VOCACIONAL
com suas orações e com apoio
material e financeiro para a formação dos futuros sacerdotes.
A partir de março, os seminaristas começam os estágios
pastorais nas paróquias da
Diocese.
Veja o quadro abaixo:
Paróquia
Pároco
N.Sra Aparecida/SV Pe. Elmiran Santos
N.Sra da Lapa/CB
Pe. Valdeci João
Pastoral Vocacional Pe. José Mário
Coração de Jesus/Stos Pe. Antonio Finotti
São Vicente Mártir/SV Pe. Claudenil Moraes
Conceição/Itanhaém
Pe. Albino Schwengber
PV Diocesana
Pe. Ricardo Barros
S.João Batista/Santos Pe. Caetano Rizzi
N.Sra. das Graças/PG Pe. Joseph Thomas
S.José Operário/Stos Pe. Geraldo Lélis
N.S. Assunção/Stos Dom Luiz Pedro
N.S. Aparecida/Stos Pe. Carlos Miranda
Beato Anchieta/SV
Pe. Aluísio Silva
S.J.Batista/Stos
Pe. Caetano
São Benedito/Stos
Mons. Joaquim Leite
N.Sra Auxiliadora/SV Pe. João Chungath
Sagrada Família/Stos Pe. José Raimundo
S.Francisco Assis/CB Pe. Antônio Luz
PV Diocesna
Pe. Ricardo Barros
S. Judas Tadeu/CB
Pe. Eniroque Ballerini
Após
cursarem
a Filosofia
como seminaristas
na Diocese de Santo AmaroSP, Ricardo Silva de
Lara, e
Alexandre Marques da Silva
(abaixo) passam a integrar a equipe de estudantes
de Teologia do Seminário
Diocesano S. José.
Os novos
seminaristas farão o curso de Teologia no ITESP, juntamente com
Lucas Alves, Edson Felipe (1º
ano), Fernando Silva, Rafael
Florêncio, Claudio da Conceição
(2º ano), Isac Carneiro (3º ano),
Edvaldo Gomes (4º ano).
Foi numa de suas vindas
a Santos, cidade que considera bonita, que pude almoçar com Cláudio Pastro na
casa de um amigo. O nosso
entrevistado do mês é alguém
especial, um artista abençoado por Deus e famoso pelos
seus trabalhos. Paulistano,
estudou Ciências Sociais e
freqüentou academias de
arte na França, Espanha, Itália, México e Brasil. Tem trabalhos artísticos em igrejas
e capelas no Brasil, Alemanha, Argentina, Bélgica, Itália e Portugal. Ilustrou ou publicou vários livros. Leciona
aulas de Estética e Arte Sacra. Há dois grandes feitos de
Pastro que destaco: o ícone
oficial de Cristo para o ano
jubilar de 2000, escolhido
pela Santa Sé (Roma) e as
obras de arte do Santuário
Nacional de Aparecida (SP).
Cláudio Pastro, um leigo vocacionado ajuda-nos com
sua arte a contemplar Jesus.
Qual a pessoa que indo a
Itaici para um retiro ou curso não se entusiasmou (encheu-se de Deus) ao contemplar sua arte nas várias capelas lá existentes?
Padre Ricardo: Cláudio,
a vocação é uma arte ou
a arte é vocação? Se
isso é possível, onde
está a convergência
entre elas?
Cláudio Pastro: De origem
latina, a palavra arte significa
“serviço”. Portanto, toda e qualquer vocação existe não para
proveito próprio, mas como “serviço para...”. Cada um de nós
deve prestar o seu serviço e A
ARTE É VOCAÇÃO, pois o
belo “é um dos nomes de Deus”.
No meu caso a arte sacra serve
á liturgia, à Igreja.
Padre Ricardo: Como você
vive o seu “chamado”?
Cláudio Pastro: Desde cedo
senti que minha vocação seria
testemunhar Jesus Cristo na Igreja e no mundo. D’outra parte,
percebo que Deus deu-me esse
dom, primeiro para a minha própria santificação. O verdadeiro
artista sacro sabe que ao pintar
inúmeras vezes o Cristo e Seu
Mistério, ele deve, aos poucos, ir
se configurando ao “pintado”.
DOMINOTAS
2
Jubilando: Numa série de
festas jubilares de 50 anos de
sacerdócio, a nossa Diocese se
prepara para celebrar desta vez
o aniversário do padre Francisco Saez, que ocorrerá em 17
de julho.
Diáconos e esposas:
Aconteceu no período de 17 a
20 de fevereiro último, em
Luziânia-GO, o terceiro encontro nacional de diáconos e
esposas. A Igreja que leva a
sério a formação de seus ministros preparou algo em torno da vida ministerial e famí-
2
Entrevista do mês:
Claudio Pastro
Padre Ricardo: Falando
de liturgia, que elementos são necessários para
que ela seja bela?
Cláudio Pastro: Fundamental ter em mente que, antes de mais nada e somente
isso, ela é a própria atuação
do Mistério Pascal de Cristo.
O que conta é a nossa atitude
frente ao Mistério. Depois, é
necessário um espaço bem
organizado. Imprescindível é
o silêncio, a discrição, a nobreza de gestos, “o menor”,
para que Deus seja o único
Senhor da Liturgia.
Padre Ricardo: Observamos que algumas celebrações são barulhentas
e há um certo
emocionalismo. O
excesso indica carência?
Cláudio Pastro: O excesso indica ignorância. O emocional indica-nos que não temos confiança naquele que é
o Único Fiel, que já nos salvou desde ao dar-nos a vida e
o Batismo.
Padre Ricardo: poderia
indicar-nos um bom livro
que você leu e dizer o
porquê da indicação?
Cláudio Pastro: O melhor
livro que me apresentaram na
juventude para que se desenvolvesse em mim uma verdadeira vocação cristã foi “Deus
e os Homens” de Peter van der
Meer de Walcheren, livraria
Editora Agir, Rio, 1965. Por
quê? É um livro escrito entre
as duas primeiras grandes
guerras do século XX, biográfico, com grandes personagens
como Jacques e Raissa Maritain e outros que de alguma
forma prepararam e foram precursores do Vaticano II.
lia para àqueles que cuidam
da caridade e do serviço do
altar.
O saque certo: A jogadora de vôlei da seleção italiana, Michela Amadori, 26
anos, abandonou o esporte
para tornar-se freira carmelita
descalça (de clausura), deixando para trás uma promissora carreira.
Há 10 anos, em Serafina
Côrrea-RS, no dia 30 de
abril, foi ordenado bispo Dom
Jacyr Francisco Braido. Preparemo-nos para comemorar
data tão importante junto com
o nosso pastor.
2
2
10Presença Diocesana
VIVENDO
O
SÍNODO
Pe. Antônio Alberto Finotti
Coordenador Diocesano
de Pastoral
O Sacramento
da Eucaristia - XI
IV.- CELEBRAÇÕES DOMINICAIS NA AUSÊNCIA
DO PRESBÍTERO - CONDIÇÕES
Evite-se com cuidado
qualquer confusão entre as
reuniões deste gênero e a celebração eucarística. Tais
reuniões não devem diminuir
mas aumentar nos fiéis o desejo de participar na celebração eucarística e devem
torná-los mais diligentes em
freqüentá-la.
Compreendam os fiéis
que não é possível a celebração do sacrifício eucarístico
sem o sacerdote e que a comunhão eucarística, que eles
podem receber em tais reuniões, está intimamente unida ao sacrifício da Missa.
Partindo daqui pode mostrarse aos fiéis quão necessário é
orar ‘para que se multipliquem os dispensadores dos
mistérios de Deus, e sejam
perseverantes no seu amor’.
Compete ao Bispo diocesano, ouvindo o parecer do
Conselho Presbiteral, estabelecer se na sua diocese devem realizar-se regularmente reuniões dominicais sem
a celebração da Eucaristia, e
definir para elas não só as
normas gerais mas também
particulares, tendo em conta
os lugares e as pessoas. Portanto, não se constituam assembléias deste gênero, a
não ser por convocação do
Bispo e sob o ministério pastoral do Pároco.
‘Nenhuma comunidade
cristã se edifica sem ter a sua
raiz e o seu centro na celebração da santíssima Eucaristia’. Por isso, antes do Bispo estabelecer que se realizem reuniões dominicais
sem a celebração eucarística, devem ser examinadas,
além do estado das paróquias, as possibilidades de re-
correr a Presbíteros, mesmo
religiosos, não diretamente
ligado à cura de almas, e a
freqüência às Missas celebradas nas diversas igrejas e paróquias. Mantenha-se a primazia da celebração eucarística sobre todas as outras
ações pastorais, especialmente no domingo.
O Bispo, pessoalmente ou
por meio de outrem, instruirá
a comunidade diocesana com
uma catequese oportuna sobre as causas determinadas
desta provisão, mostrando a
sua gravidade e exortando à
co-responsabilidade e à cooperação. Ele designará um
delegado especial que vele
pela correta realização das
celebrações, escolherá aqueles que as hão de promover e
providenciará para que eles
próprios sejam instruídos.
Todavia terá sempre a preocupação de que esses fiéis
possam participar na celebração eucarística algumas vezes durante o ano.
Compete ao Pároco informar o Bispo sobre a oportunidade de tais celebrações, a
realizar na área de sua jurisdição, preparar os fiéis para
elas, visitá-los de vez em
quando durante a semana,
celebrar-lhes os sacramentos
no tempo devido, sobretudo a
Penitência. Tal comunidade
poderá assim experimentar
verdadeiramente o modo
como no dia do domingo se
reuniu não ‘sem Presbítero’,
mas somente ‘na sua ausência’, ou melhor, ‘na expectativa de sua vinda’.
(Fonte: 1º Sínodo da Diocese de
Santos - Documento Sinodal - Conclusões, p. 107 a 109 ).
C ATEQUESE
Pe. João Chungath
- assessor eclesiástico
da Codief
Geral
CIDADANIA/PASTORAL
DA
Março/2005
A CONTECE
CRIANÇA
Empresários visitam Igreja São Tiago
Curso de Liturgia
em São Vicente
ACMD
A
Associação Comunidade
de Mãos Dadas (ACMD),
o Rotary Club Porto e a Associação das Empresas do Distrito
Industrial e Portuário da Alemoa
(Ama) promoveram, em 22 de fevereiro, um “Café da Manhã” para empresários. O evento foi realizado na
sede da VOPAK. Depois, todos foram conhecer melhor o trabalho desenvolvido pela Pastoral da Criança, na Igreja São Tiago, no bairro
Saboó, em Santos (Paróquia Santa
Margarida Maria).
Durante o encontro, lideranças da entidade explicaram sobre a necessidade de a Pastoral
ter vários Núcleos Multiuso espalhados por toda a Baixada. Os
Núcleos são locais com melhor
infra-estrutura de atendimento,
onde as lideranças da Pastoral
podem ter cursos de capacitação, além de permitir a produção da multimistura, alimento
que contribui para o combate à
desnutrição.
Devido à parcerias firmadas
entre a ACMD e diversas entidades, já foram viabilizados quatro
Núcleos na Região. Quem qui-
Catequese
nos Passos
Agentes da Pastoral da Criança da Igreja SãoTiago, no Saboó: parcerias
ser obter mais informações a respeito dessas iniciativas, o telefone da ACMD é (13)3222-5002.
O “Café da Manhã para Empresas” é um projeto da ACMD,
que utiliza uma metodologia fácil e agradável, a fim de levar
para dentro das empresas a questão da Responsabilidade Social
e do envolvimento do empresariado com a comunidade local.
O projeto existe há três anos e
Pastoral Carcerária celebra
a Páscoa nos presídios
TOCA
DE
agora ganhou reforço financeiro
da Fundação AVINA, o que viabilizará mais eventos desse tipo.
Através do Café da Manhã é
possível transmitir aos empresários e seus funcionários informações sobre a importância da Responsabilidade Social e explicar
quais são as formas de atuação
na área social.
(Colaboração: Eduardo Ravasini/ACMD)
SOCIALIZAÇÃO
SOCIALIZAÇÃO
Agentes da Pastoral Carcerária da Diocese de Santos estão
se preparando para as celebrações da Páscoa, que serão realizadas nas penitenciárias e centros de detenção na Região.
PROGRAMAÇÃO
Dia 12/3 - Missa às 9h na PI/
CDP em São Vicente.
Dia 19 - Missa às 9h na PII/
CDP em Praia Grande.
Dia 21 - Missa às 16h no 2º
DP em São Vicente
Dia 23 - Missa às 9h no 5º DP
em Santos
Dia 24 - Missa às 16h na
Febem em São Vicente.
PASTORAL
A Pastoral Carcerária da Diocese de Santos conta com cerca de
40 agentes, trabalhando em Santos, São Vicente, Guarujá, Praia
Grande, Itanhaém e Peruíbe.
As necessidades são muitas
e os coordenadores pedem às
comunidades, com urgência,
doações de material de higiene
e limpeza (sabonete, sabão, aparelho de barbear, absorventes higiênicos, dentre outros).
Quem quiser colaborar, pode
entrar em contato com o diácono
Emanuel Lanfredi (3231-3482)
ou Murilo Martins (3464-3264).
Fim-de-Semana
do Encontro
Matrimonial
O Encontro Matrimonial de
Santos está com inscrições abertas para o primeiro FDS (Fim de
Semana) do ano, a ser realizado
nos dias 22, 23 e 24 de abril, no
CEFAS.
Casais interessados podem
fazer inscrição com os seguintes casais:
Peruíbe: Flávio e Magali
(13)3458-4480
Santos: Mário e Márcia:
(13)3225-4803
Cubatão: Ederaldo e Angélica (13)3361-7866
São Vicente: José Carlos e
Lizete (13)3406-1642.
ASSIS
Ideal de S. Francisco continua atraindo os jovens
Cristo,
nossa paz!
Sempre há muita conversa sobre a paz e solidariedade, toda vez que surge uma
guerra, conflito e matanças.
O seguidor de Jesus não espera acontecer um desastre
para pensar e falar sobre a
paz. A paz é um elemento
integral da nossa natureza,
por isso, devemos pensar, falar e organizar nossa vida
para acontecer a paz em todas as circunstâncias.
No Sermão da Montanha
Jesus nos solicita algumas
atitudes e disposições: pobreza de coração, mansidão,
não conformar-se com atitudes que escravizam. Uma decisão pessoal e comunitária,
firme e efetiva, de realizar
diariamente a justiça e a misericórdia; sofrer até o último momento para que aconteça a justiça e a paz. Não
intimidar-se com insultos e
mentiras e alegrar-se em sofrer por amor aos outros.
Como catequistas, devemos
nos tornar mestres em mansidão, misericórdia, bondade,
paciência e tolerância. Nossa
aproximação com crianças e
adolescentes deve ser de muito amor e doação. O que eles,
às vezes, não encontram em
casa e o que a família falta
ensinar e doar, devem receber
de nós. É bom lembrar que
catequese não é um curso para
se receber sacramentos, ou
para ter um diploma, mas é
para nossa vida e a vida dos
nossos catequizandos.
A motivação para levar a
vida em paz, na paciência, na
bondade e no amor deve ser
um convite cotidiano nos en-
contros catequéticos. Todos
os encontros devem terminar
necessariamente reforçando
esta verdade, e sempre cobrando dos catequizandos,
pelo menos, um ato de amor,
fraternidade e solidariedade
por dia. Uma avaliação aberta sobre o exercício deste ato
de amor e solidariedade, no
início do encontro catequético, ajuda os catequizandos
a serem mais responsáveis na
construção da paz.
Quero agradecer a todos
os catequistas que se esforçaram para estar na Missa de
Envio, em Peruíbe, no dia 26
de fevereiro. Foi uma celebração muito linda, bem participada e muito mais interiorizada. Assumamos a grande
missão, de coração, como prometemos. Quero agradecer a
Dom Jacyr pelas suas palavras
inspiradoras, animadoras e
sua bênção. Quero agradecer
os esforços dos nossos incansáveis párocos, a preocupação
dos nossos estimados padres
e dedicadas freiras.
Todos nós devemos sentir
e assumir a catequese como
um projeto prioritário na Diocese, nas Paróquias e nas Comunidades. Quando nosso
povo não tem uma efetiva formação sobre a doutrina do
nosso Mestre, nossa fé e nossa Igreja, é mais fácil aceitar
qualquer besteira como uma
verdade revelada. Que pena!
Realizando pequenas e
pequenas pascoazinhas (mudanças), chegaremos a celebrar a GRANDE PÁSCOA
com nosso Ressuscitado.
Feliz Páscoa a todos!
Quem os vê pelas ruas, com
suas longas túnicas marrons,
chinelos nos dedos, um colar
com o ´tao´ (a cruz que identifica a espiritualidade da família
franciscana), à primeira vista,
não pode deixar de expressar um
certo estranhamento.
Afinal, eles e elas são jovens,
bonitos, saudáveis, alegres, jovens como qualquer outro de suas
idades, não fosse o ´visual diferente´ indicar um estilo de vida
que, cada vez mais, vem atraindo
centenas de jovens em todo o
Brasil: são os irmãos e as irmãs
da Fraternidade de Aliança Toca
de Assis.
Em Santos, a Fraternidade
está instalada em duas casas,
uma masculina e uma feminina,
que abrigam cerca de 25 homens
e mulheres, ex-moradores de rua.
Seis religiosos e 17 religiosas, além de um “casal de aliança” e benfeitores, ajudam a fraternidades desenvolver o carisma
da “adoração ao corpo de Deus e
ao cuidado aos pequenos sofredores de rua”, conforme explica
o irmão Afonso.
Além do atendimento diário
aos moradores das duas casas,
(idosos em sua maioria), os religiosos realizam a Pastoral das
Ruas, indo ao encontro de homens, mulheres e crianças que
A paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, no Parque das
Bandeiras, em São Vicente,
está realizando um Curso de
Liturgia, ministrado pelo Frei
Edson Biazio, da Basílica do
Embaré. Os encontros acontecem todo 4º domingo do mês
(a partir do dia 20/2) , às 14h.
Outras iformações na secretaria. Tel.: 3566-2119.
Ana Letícia
A Paróquia Senhor dos
Passos, em Santos realiza nos
próximos dias 4-6 e 13 de
março encontros de preparação para o sacramento do Batismo.
No dia 5, às 16hhaverá
encontro com os crismandos.
Nos dias 6, 13, 20 e 27, das
17h às 20h - celebração com
os pais dos catequizandos.
Hora Santa
na Reitoria
do Amparo
Como parte das celebrações do Ano Eucarístico (que
se estende até outubro), a comunidade da Reitoria de
Nossa Senhora do Amparo estará realizando nos dias 1, 8,
22 e 29 de março, às 18h30, a
adoração ao Santíssimo Sacramento, seguida da Santa Missa, às 19h30.
Encontro
de Ministros da
Região Centro 2
A Região Pastoral Centro
2, em Santos, promove nos
dias 7, 8 e 9 de abril Encontro
de formação para os Ministos
Extraordinários da Sagrada
Eucaristia da Região.
Programa
Dia 7 - das 19h30 até 22h.
Palestra com Fr. Edison
Biazio, OFMCap.
Dia 8 - das 19h30 até 22h.
Padre com Padre Arcídio
Favretto, da Pastoral da Saúde.
Dia 9, das 8h às 12. Palestra sobre Espiritualidade,
com o casal Milton Paulo
Lacerda e Catarina.
A reunião acontece no
salão paroquial da Igreja N.
S. Aparecida - Av. Afonso
Pena, 640.
Encontro do
Movimento de
Schoenstatt
Jovens e moradores da Toca de Assis recebem a visita de Dom Jacyr Braido
se encontram nessa situação de
abandono e sofrimento.
ENCONTRAR JESUS
“Ás vezes, não levamos nenhum alimento ou roupa, ou qualquer ajuda material. Vamos simplesmente ao encontro desses irmãos para estar com eles, ouvilos, conhecer suas histórias, saber de seus sonhos e necessidades e descobrir que nele está a
pessoa de Jesus, o que para nós é
um grande mistério. Já aconteceu até de dormirmos nas ruas
com eles, porque a insegurança é
muito grande”, diz Afonso.
Se as necessidades dos mo-
radores de rua são muitas, as das
fraternidades também. Apesar
de toda ajuda que os religiosos
recebem com as doações de alimentos, roupas, material de higiene, as despesas fixas das casas ainda são um problema.
DOAÇÕES
Eles precisam mesmo de dinheiro para pagar as contas de
água, luz, aluguel, combustível.
Quem quiser conhecer e colaborar com a missão das fraternidades Toca de Assis, em Santos, os telefones para contatos
são: 3271-0453 (casa masculina);
e 3223-0535 (casa feminina).
Bazar
São
Martinho
Será realizado no dia 24
de abril o Encontro Anual de
coordenadores e zeladores da
Campanha Mãe Peregrina de
Schoenstatt. O encontro acontece na capela São Gaspar
Bertoni (Paróquia Santoa Antonio), em Praia Grande.
Durante o encontro, Ir.
Elisa (do Santuário de
Atibaia) falará sobre o tema
“Na ousadia da Aliança, assume a missão” (tema do ano para
o Movimento); e padre Antonoi
Pereira Luz, assessor diocesano do Movimento, falará sobre “Eucaristia” (tema do ano
da Igreja Católica).
Anuncie:
(13)3221-2964
PRESENÇA
DIOCESANA
Colabore com a obra do Bazar São Martinho,
doando materiais para a confecção de roupas
para crianças, enxovais para bebês, cobertores
para idosos, dentre outros.
O Bazar funciona às segundas-feiras, das 14h
às 18h, na Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 254.
Informações: 3224-3000, com dona
Raimunda.
Março/2005
SÃO
JOSÉ
Missa Festiva
A comunidade da Capela
São José, do Morro do José
Menino, em Santos (Paróquia
São Paulo Apóstolo) convida
para o tríduo e festa de seu
padroeiro.
Tríduo: Dias 16 a 18, com
pregação e encenação de um
aspecto da vida de São José, a
partir das 19h30.
Dia 19: 19h - Procissão
pelas ruas do bairro, com saída da Rua Pedro Borges, 51. A
missa na capela será presidida pelo padre Valfran dos
Santos.
Durante os festejos haverá
barracas com venda de doces e
salgados. Tel.: (13)3225-5073.
COMUNICAÇÃO
Missa na TV
Todo domingo, às 10 da
manhã, a Santa Cecília TV
retransmite missas das paróquias da Diocese de Santos.
6 - Santa Cruz/Santos
13 - São José Operário
(Santos)
20- São José Operário
(Santos) - missa festiva em
honra a São José
27 - N.S. Aparecida (São
Vicente)
A Santa Missá é transmitida pelos seguintes canais da
Santa Cecília TV:
52 UHF
13 NET
14 Cambrás
51 UHF Litoral Sul
SOCIAL
Ação entre Amigos
As paróquias N. Sra. do
Rosário de Pompéia (32517191), em Santos, e São Vicente Mártir (3468-2658), em São
Vicente, promovem a Campanha “Ação entre Amigos” em
prol da reforma e restauro das
duas igrejas.
Os bilhetes custam
R$ 5,00 e o sorteio será pela
Loteria Federal de 7/5/05 e
podem ser adquiridos nas
próprias igrejas.
Prêmios:
1 - um automóvel 0Km
2 - uma Tv de 29”
3 - Um DVD
4 - um celular
5 - Bicicleta adulto
Bazar na
São Jorge
A Paróquia São Jorge Mártir, em Santos, promove o Bazar da Solidariedade, mensalmente, em prol das obras
assistenciais da paróquia,
promovidas pela Pastoral da
Criança e Vicentinos.
Dias: 10/3, 7/4, 12/5, 9/6
Informações; 3273-2235,
com Marisa Gomes, coordenadora do Bazar.
11
Presença Diocesana
Agenda
JUBILEU
Paróquia São José Operário celebra 80 anos
A
Paróquia São José Operário
e Nossa Senhora do Terço,
no bairro do Macuco, em Santos,
está preparando uma grande festa para celebrar os 80 anos de criação da paróquia, no próximo dia
19, dia do Padroeiro.
PROGRAMAÇÃO
Carreata - No dia 6 de março, Domingo, às 9h haverá a missa na Catedral de Santos, presidida por padre Geraldo Lélis. Em
seguida, uma Carreata seguirá
até a paróquia, conduzindo a
imagem do Padroeiro. Na comunidade, a imagem será recebida
festivamente pela Banda de Música do 2º Batalhão de Caçadores, onde haverá a bênção dos
motoristas e motociclistas.
NOVENA PREPARATÓRIA
Dia 10/3 - Quinta-feira 18h30. Tema: Paróquia São José
Operário - pequena porção do
Povo de Deus.
Celebrante: Pe. Júlio Lopes
Llarena - Paróquia Santa Rosa de
Lima/Guarujá
Dia 11 - Sexta-feira - 18h30.
Tema: Paróquia São José Operário - sua história, seu Jubileu.
Celebrante: Pe. Adão Albino
Caetano - Paróquia São Cristovão/Pindamonhangaba
Dia: 12 - Sábado - 18h30.
Tema: Paróquia São José Operário - Comunidade de Irmãos.
Celebrante: Pe. Antônio Pereira Luz - Paróquia São Francisco de Assis/Cubatão
Dia 13 - domingo - 18h30
Tema: Paróquia São José
Operário - Comunidade chamada a ver Jesus, Caminho, Verdade e Vida.
Celebrante: Pe. Carlos de
Miranda Alves - Paróquia Nossa
Senhora Aparecida/Santos
Dia 14 - Segunda-feira 18h30. Tema: Paróquia São José
Operário - Comunidade chamada a viver e a distribuir a Misericórdia do Pai.
Chico Surian
Celebrações querem recuperar a história e a missão da Igreja São José
Celebrante: Pe. Javier Mateo
Arana - Paróquia Nossa Senhora
do Carmo/Santos
Dia 15 - Terça-feira - 18h30.
Tema: Paróquia São José Operário - comunidade de Amor, fé e
esperança.
Celebrante: Pe. Caetano
Rizzi - Paróquia Jesus Crucificado/Santos
Dia 16 - Quarta-feira - 18h30.
Tema: Paróquia São José Operário - comunidade chamada a
promover a Paz.
Celebrante: Pe. Joaquim
Ximenes Coutinho/Santos
Dia 17 - Quinta-feira - 18h30.
Tema: Paróquia São José Operário - comunidade chamada a viver a Eucaristia.
Celebrante: Pe. Luís Carlos
dos Passos - Paróquia Santa Margarida Maria/Santos
Haverá confissão comunitária após a missa.
Dia 18 - Sexta-feira -18h30.
Tema: Paróquia São José Operário - Comunidade chamada a ser
Missionária da Paz.
Celebrante: Pe. Antônio
Alberto Finotti - Paróquia Sagrado Coração de Jesus/Santos
DIA DO PADROEIRO
Dia 19 - Festa Solene de São
José - Haverá missas nos seguintes horários: 8h, 10h, 12h, 15h. Às
18h30 haverá missa campal, presidida por Dom Jacyr Francisco
Braido, bispo diocesano.
Em seguida, procissão luminosa, conduzindo a imagem de
São José pelas ruas do bairro.
SOCIAL
Nos dias 12, 13 (sábado e domingo), 18 e 19 (sexta e sábado)
haverá barracas com vendas de
doces, salgados e bebidas. No
dia 19 haverá o tradicional bolo
de São José com as medalhinhas.
TRADIÇÃO
Itanhaém começa celebrações da Festa do Divino
Começaram desde o dia 1º de
março as celebrações da Folia do
Divino, em Itanhaém. Adaptação
da antiga “Folia do Divino”, nela
as famílias permanecem com a
Bandeira do Divino Espírito Santo durante um dia em suas casas,
sendo que no seu recebimento
(por volta das 19h) acontece uma
reza ao Espírito Santo, pedindose paz para o mundo e bênçãos
para os lares.
Este ano serão 6 núcleos, com
59 famílias recebendo a Bandeira, durante o período de 1º de março e o dia 28 de abril, distribuídos
pelos bairros mais antigos da cidade: Centro, Vila São Paulo/Jd.
Mosteiro, Ivoty, Anchieta, Baixio/
Guaraú e Belas Artes.
Em cada núcleo, haverá um
“folião” (coordenador) que fará
as inscrições das famílias interessadas em receber a Bandeira
e o respectivo roteiro. Cada casa
que acolhe a Bandeira faz o compromisso de dar uma pequena
“esmola” para a realização da
Festa. As famílias interessadas
em receber a “Folia” devem entrar em contato com os coordenadores da festa pelos telefones
(13) 3422-2263 e 3422-2279.
A Festa do Divino Espírito
Santo de Itanhaém acontece entre 7 e 15 maio próximo.
Neste ano o Imperador é Tiago Passos Bechelli; a Imperatriz,
Mariana Passos Bechelli e o Ca-
O mastro com a bandeira é
um dos símbolos da Festa
pitão do Mastro, Antonio Carlos
Facciolo Filho.
CONCURSO CULTURAL
Este ano, a coordenação da
Festa do Divino, em parceria com
a Academia Itanhaense de Letras (AIL), está lançando um
concurso cultural - poesia e conto - tendo como objetivo incentivar a produção literária sobre
essa importante e tradicional
Festa de Itanhaém.
Participação - Poderão participar do Concurso moradores
ou não de Itanhaém, com exceção dos membros da Academia
Itanhaense de Letras.
O tema deverá estar ligado à
Festa do Divino Espírito Santo de
Itanhaém, em duas modalidades:
Poesias e Contos; e duas categorias: Estudantil (até 17 anos) e
Adultos (a partir de 18 anos), não
havendo limites de idade.
Inscrições - As inscrições
gratuitas deverão ser feitas do dia
1º de março ao dia 20 de abril de
2005, na Biblioteca Municipal
Paulo Bomfim (Rua Cunha
Moreira, 71, Centro, Itanhaém –
Cep 11740-000), em horário comercial, pessoalmente ou por
correspondência, nesse caso valendo a data de postagem. Cada
participante poderá inscrever até
3 (três) poesias e/ou contos. O
conto deverá ter um máximo de
120 linhas (quatro laudas), e o
poema 60 linhas (duas laudas).
As obras deverão ser identificadas apenas com um pseudônimo, o qual terá a sua identificação em um envelope à parte.
Premiação - O resultado do
Concurso será divulgado em cerimônia no dia 13 de maio de 2005,
às 20h30, na Igreja Matriz de Santana (Praça Narciso de Andrade
- Itanhaém. Cada modalidade
premiará com medalhas os 3
(três) primeiros colocados, e com
Certificado de Honra ao Mérito
do 4º ao 10º colocado.
As informações completas
podem ser obtidas pelos telefones (13) 3422-2263 e 3422-2279.
HISTÓRICO
Inicialmente, a comunidade
fazia parte das paróquias Nossa
Senhora do Rosário, Coração de
Maria e Santo Antonio do Embaré. Tornou-se a Paróquia de
São José Operário e Nossa Senhora do Terço da Vila Macuco, por
decreto assinado pelo então Bispo, Dom José Maria Parreira
Lara, em l de julho de 1925.
Na ocasião, houve uma celebração na Paróquia de Nossa
Senhora do Rosário (Catedral)
para instalar canonicamente a
Paróquia, no dia 5 de julho de
1925. O Cônego Ângelo Rezende, Secretário do Bispado, especialmente delegado para tal, leu
o decreto de instalação paroquial, em seguida declarando o
empossamento do Cônego José
Dias Machado, como primeiro
pároco.
Com o apoio da comunidade, levantou-se uma igreja simples, mas sempre acolhedora. Ao
lado, foi construída a Liga Beneficente N. Sra. da Divina Providência, onde funciona a Creche e Escola Divina Providência.
ALTARES
Nos altares, dispostos nas laterais do templo, estão diversas
imagens, representando alguns
santos e santas de devoção dos fiéis: Jesus Crucificado, Nossa Senhora do Terço, Nossa Senhora de
Fátima, Nossa Senhora Aparecida,
Nossa Senhora das Dores, Santa
Terezinha do Menino Jesus, Santa Rita de Cássia, São João Batista,
São Vicente de Paulo.
No altar principal encontrase o padroeiro, São José Operário
com o Menino Jesus, vindo diretamente da Itália, especialmente para a Paróquia.
PADRES E SUAS GESTÕES
- Padre José Dias Machado:
1925 a 1928
- Padre Pascoal Cassese: 1928
a 1932
- Padre Joaquim Faria: 1932
- Padre Braulio Mesquita:
1932
- Padre Agenor Maria Santana: 1932 a 1934 e 1938 a 1948
(Fundador da Liga Beneficente
de Nossa Senhora da Divina Providência).
- Padre Pedro Junqueira
Peres: 1934 a 1938
- Padre Cristovão Porfírio:
1948 a 1949
- Padre José Meireles: 1949 a
1952
- Padre Antonio Olivieri: 1952
a 1974 (trabalhou para dar continuidade e melhorar ainda mais
a creche e escola e instituiu o
Centro de recuperação Dona
Adelaide, para atender mulheres carentes).
- Padre Ayrton Blumer: 1974
a 2003. Permaneceu até os últimos dias de sua vida, onde manteve e melhorou, com grande empenho missionário, os diversos
trabalhos da comunidade.
- Padre Geraldo Lélis de
Andrade: 2003. Atual pároco.
GRUPOS E IRMANDADES
Trabalham na comunidade
diversos grupos: Apostolado da
Oração, Legião de Maria, Roupeiro de São José, Corte de São
José, Catequese, Irmandade do
Terço, Grupo de Casais, Acolhida, Pastoral da Criança, Grupo
de Oração, Pastoral do Dízimo.
Paróquia São José Operário:
Av. Cons. Rodrigues alves, 224 Macuco. Tel.: (13)3234-3530.
○
PROGRAMA
○
○
○
○
○
○
○
○
○
○
○
○
○
Presença
Católica
Rádio Litoral
FM 91,9
Pe. Javier Mateo
- diariamente:
8h30, 11h40,
13h, 16h e 20h
Boa Nova
Rádio Boa Nova 96,3 FM
Em caráter experimental 24 horas
no ar. Missa ao vivo: sábado, às
19h; domingo, às 18h30.
Produção: Paróquia N.S. das
Graças - Praia Grande
Amor e Paz
Rádio Cultura FM 106,7
de 2ª a 6ª, das 6h50 às 7h
Produção e apresentação:
Comunidade Família
de Deus.
Sintonizando um mundo novo.
Missas
em Peruíbe
As missas celebradas sábado e
domingo na Igreja São João Batista,
de Peruíbe, são transmitidas pelas
seguintes rádios locais:
Sábado, às 18h30 - Conquista FM
92,7 (3453-1193)
Domingo, às 8h - Juventude FM
98,3 - (3458-5254)
Domingo, às 19 horas - Astral FM
103,1 - (3453-3928)
Outras informações, na Paróquia:
(13)3455-1491.
Verbo FM 93,9
Programação 100% católica,
a cargo da paróquia São Francisco
de Assis - Cubatão.
Tel.: (13)3372-3508
Conversando
com Jesus
Rádio Sintonia 106,1
Conversando e cantando com Jesus Diariamente, às 6h da manhã
Conversando e cantando com Maria
- Diariamente, às 6 h da tarde. A
produção e apresentação é da
equipe de comunicação da paróquia São Judas Tadeu, de Cubatão
Fé e
Esperança
Santa Cecília TV
Momento de Fé e Esperança Mensagens de Frei Lino de Oliveira,
Reitor do Convento do Carmo, no
programa Te Vejo na Quarta.
Toda 4ª feira, às 19h. Reprise aos
sábados, às 14h30.
Produção: Cândido Gonzalez.
Canais: 52 UHF, 13 NET, 14
Cambrás, 51 UHF Litoral Sul
Rádio Gênesis
Rádio Gênesis FM 99,1 (Guarujá)
Programação 100% católica
transmistindo paz o dia inteiro
Padre Carlos
de Miranda
Momento de Fé - Rádio Guarujá
AM1550 - 12h - Diariamente,
Mensagem de Padre Carlos de
Miranda Alves, pároco da paróquia
N.S. Aparecida - Santos.
12
Geral
Presença Diocesana
D ESTAQUE
M ISSÃO
Arquivo N. S. das Graças
Dona Nenê
e a arte de servir
A comunidade da paróquia
Nossa Senhora das Graças, em
Vicente de Carvalho, celebrou
com alegria os 98 anos de vida
de Dona Maria da Conceição
de Faro Mendes, conhecida
carinhosamente como “Dona
Nenê”. A celebração foi presidida pelo padre Natal Ubaldi,
realizada no dia 11 de fevereiro, em sua residência.
Sobre a dedicação de Nona
Nenê, a comunidade fez uma
homenagem, publicada no Jornal “De Mãos Dadas”, em outubro de 2001, transcrita a seguir:
“Heroína anônima: Dona
Nenê
“Pliiiiniaaaaaa!...
Pliiiiniaaaaa!...” O grito, noite
adentro, sai fraco, mas na mente um tanto embaralhada de
Dona Nenê, as imagens da infância parecem surgir com
bastante nitidez. Cenas do início do século XX, quando a menina Maria da Conceição de
Faro Mendes brincava com suas
irmãs Plínia e Lavínia nos largos e verdejantes quintais ao
redor do posto alfandegário de
Itapema, do qual seu pai, Juarez Nunes, foi fundador. Acostumados a ouvir os pais chamarem-na de “Nenê”, os amigos perpetuaram o apelido que
sobrevive até hoje. Muitas pessoas a conhecem só por “dona
Nenê”.
A mãe, professora, foi responsável pela iniciação católica das crianças e, logo cedo,
a menina decidiu que serviria
ao Senhor, não apenas como
uma cristã comum e engajada, mas também auxiliando
os párocos na execução de tarefas árduas e cotidianas da
casa. Dessa forma - pensou os sacerdotes teriam mais tempo para cuidar dos assuntos
religiosos.
Para os vários padres que
passaram pela Matriz, dona
Nenê se portava como uma mãe
postiça: fazia-lhes a feira freqüentemente, cozinhava e se
preocupava com os afazeres domésticos deles; tudo isso sem
atrapalhar o seu cargo de escriturária na Alfândega. Por
Março/2005
Sacerdotes assumem novos desafios pastorais
Fotos Chico Surian
S
Dona Nenê: vida de dedicação
incansável ao serviço da Igreja
diversas vezes, trabalhou na cozinha da igreja preparando refeições. Talvez por isso tenha
demorado tanto para casar.
Suas amigas lembram que o
namoro com Joaquim Mendes,
que viria a ser seu marido, durou 25 anos. “Os pais da Nenê
não queriam o namoro”, lembra Maria Emília Barbosa,
amiga e companheira. No entanto, com cinco anos de casada, aproximadamente, precisou cuidar do marido acometido de uma doença óssea degenerativa, que o levaria à morte
dez anos mais tarde.
Benjamim Bossa, vigário à
época da construção do salão
Paroquial, lembra das várias
jóias valiosas que nossa homenageada, após a viuvez, foi doando para serem rifadas e o dinheiro revertido nas obras da
Igreja Matriz. Alzira Mendonça, outra amiga, cita o anonimato que dona Nenê fazia
questão de manter nesses casos. “O locutor anunciava por
exemplo: ‘esta pulseira de
ouro, oferecida por uma doadora anônima será rifada...’ mas
nós, que acompanhávamos os
trabalhos, sabíamos que era a
Nenê quem doava correntes,
relógios de ouro e outras jóias
de valor”, lembra Alzira.
Hoje, senil e nem sempre
lúcida, vivendo na casa de uma
amiga que desinteressadamente cuida dela, Maria da
Conceição mostra a todos os
que querem enxergar, como a
vivência na fé e no amor elevam
a alma e dão sentido à vida.
Com carinho,
comunidade da Paróquia
Nossa Senhora das
Graças/VC”
er ´sal e luz´ para o mundo
de hoje, assim como Jesus
o foi para a sociedade do
seu tempo. O evangelho do dia 6
de fevereiro (Mt 5, 13-16) parecia ser a palavra certa para os sacerdotes que encerravam uma
etapa de suas histórias e assumiam novos desafios vocacionais
em outras paróquias.
As missas de posses da nova
paróquia do padre José Raimundo da Silva (Sagrada Família, no
dia 5, em Santos), padre Élcio
Ramos (Senhor dos Passos, dia
6, em Santos), e padre Valdeci
João dos Santos (N.S. da Lapa,
dia 6, em Cubatão) foram marcadas por um clima de grande
alegria, esperança e calorosa recepção da comunidade aos novos pastores. Não menos diferente, foi a missa de posse do padre
Claudio Scherer da Silva, no dia
20 de fevereiro, na paróquia
Imaculado Coração de Maria, em
Santos, administrada pela Congregação dos Claretianos.
Baseando-se no evangelho,
Dom Jacyr Francisco Braido fez
um apelo aos párocos, para que
“não percam a qualidade especial de discípulos de Jesus, que
dá sabor à vida e à missão da Igreja. Diante das desigualdades que
o mundo vive, vocês são chamados a ser a ´luz que brilha no alto´
e dá novo sabor à realidade, através do testemunho de comunhão
e da fidelidade ao Evangelho de
Jesus. Vivam sempre em Cristo,
pois é dele que vem a verdadeira
sabedoria, que os torna capazes
de enfrentar os novos desafios
que agora vão assumir”.
Sinal de comunhão e despojamento frente ao chamado de
Jesus, também foi o gesto carinhoso das comunidades que fizeram questão de “entregar”
seus antigos párocos para a nova
paróquia. Em todos, a tristeza
pela despedida por tanto tempo
de convivência, mas, ao mesmo
tempo, a alegria de partilhar do
mistério da vocação sacerdotal,
que é, sobretudo, disponibilidade ao serviço da Igreja.
SENHOR DOS PASSOS
Na missa da paróquia Senhor
dos Passos, a comunidade fez
uma homenagem especial a padre Joaquim Ximenes Coutinho,
Pe. José Raimundo (à dir.) e padre Valdeci, na Sagrada Família
Pe. Élcio Ramos deixa Cubatão e
assume a paróquia dos Passos
Pe. Valdeci dos Santos (à dir.), Dom Jacyr e Pe. Élcio Ramos, na Lapa
Pe. Ximenes despede-se da
comunidade, dizendo que estará
“sempre por perto”
Pe.Claudio Scherer (em pé), padre Jaime Sanchez e Dom Jacyr Braido
que trabalhou por mais de 10
anos na comunidade. De modo
especial, foi lembrado o grande
incentivo que deu aos corais, criando o COPAS JOVEM (Coral
dos Passos) e apoiando sempre o
COPAS (existente há 26 anos) e
o COPINHAS (com 15 anos);
criou o COMPASSOS - Festival
de Música Sacra, reunindo diversos corais de várias cidades e
de outras denominações religiosas; as apresentações de músi-
ca erudita da Sinfônica Municipal na Igreja, além do cuidado
especial com toda a liturgia.
Padre Ximenes, aos 79 anos,
afasta-se da direção paroquial e
passa a colaborar com a paróquia
São José Operário, em Santos.
CORAÇÃO DE MARIA
Na missa de posse de Padre
Claudio Scherer, Dom Jacyr agradeceu os longos e frutíferos 90
anos de trabalho que os missionários Claretianos vêm desenvol-
vendo na Diocese, desejando que
o novo pároco “continue unindo
as forças vivas da paróquia, convergindo-as para o único ideal
da evangelização”.
O provincial da Congregação,
padre Jaime Sanchez, lembrou o
grande trabalho realizado pelo
ex-pároco, padre José Nilton
Cuoghi, também há mais de 10
anos na comunidade. “Temos
como princípio pastoral, que os
religiosos não fiquem mais de
seis anos em cada comunidade.
Toda partida é dolorosa, mas nos
ajuda a olharmos para o fundamental, que é a busca do Reino
de Deus, através das pessoas”.
Diversos sacerdotes, seminaristas, diáconos e religiosos participaram das celebrações, dentre eles Dom David Picão, bispo
emérito de Santos, e padre Antonio Baldan Casal, vigário-geral da Diocese.
Fly UP