...

PROJETO PLANTAR E COLHER: HORTA Conscientização

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

PROJETO PLANTAR E COLHER: HORTA Conscientização
Escola Estadual Augusta Maciel Vidigal
Rua Adelino Felipe, 347, Bairro Serra, Nova Era – MG
Cep: 35920000 fone: (31) 3861 – 1660
PROJETO PLANTAR E COLHER: HORTA
Conscientização Ambiental
Modificação de Atitudes e Práticas Pessoais
Maio
2008
Escola Estadual Augusta Maciel Vidigal
Rua Adelino Felipe, 347, Bairro Serra, Nova Era – MG
Cep: 35920000 fone: (31) 3861 – 1660
Projeto Plantar e Colher: Horta
Conscientização Ambiental
Modificação de Atitudes e Práticas pessoais
Projeto pedagógico elaborado por
Marina do Rosário da Silva, professora de Língua
Portuguesa da Equipe Pedagógica da
Escola Estadual Augusta Maciel Vidigal,
em Nova Era, sob a orientação da Sra. Lica (85 anos)
proprietária de um sítio, a ser apresentado à
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
DE MINAS GERAIS, como proposta de trabalho
para início em 2008, na Escola Estadual Augusta
Maciel Vidigal, nesta cidade.
2008
Escola Estadual Augusta Maciel Vidigal
Rua Adelino Felipe, 347, Bairro Serra, Nova Era – MG
Cep: 35920000 fone: (31) 3861 – 1660
Projeto Plantar e Colher: Horta
Conscientização Ambiental
Modificação de Atitudes e Práticas pessoais
Oh plantinha, não estás sozinha!
De um lado estou eu a te cuidar,
Do outro, muitas mãozinhas a te acariciar.
Em torno e embaixo de ti,
Terra e adubo a te sustentar.
Pelo ar, caindo levemente,
Gotinhas de água a te molhar.
E você, doce sementinha,
Quando irá se levantar?
Marina do Rosário da Silva (2008)
1. Realização
Escola Estadual Augusta Maciel Vidigal
1.1- Período de Realização
Início em maio/2008, esperando que a atividade seja permanente.
1.2- Responsável Institucional
Irene Aparecida Sales
Diretora
1.3- Responsável pela elaboração
Marina do Rosário da Silva
Professora de Língua Portuguesa na
Escola Estadual Augusta Maciel Vidigal
1.4- Coordenadores do Projeto
 D. Lica (85 anos) proprietária de um sítio em Nova Era
 Alunos das turmas 501 – 502 – 602
2- Introdução
Ser Semente
Márcia Maria de Souza (2002)
Um dia, o que antes era uma frutinha, ganhou um nome,semente.
Foi colhida, ficou estocada em celeiros, vasilhames, invólucros e em sua
própria casca.
Foi atirada, deixou-se plantar, morreu e renasceu.
Encontrou uma terra: seca? Árida? Fértil?
Certamente com as condições para nascer, crescer e dar frutos.
Deixou-se cuidar, moldar, para ser fruto novo.
Teve coragem de soltar suas cascas, abandonar a couraça e envolver-se com a
terra e a sua essência de fertilidade.
Abriu-se ao mundo, às coisas, às pessoas, à natureza e a Deus.
Produziu frutos esperados, servindo a todos, embelezando a natureza,
recuperando a pureza do ar, saciando famintos, enriquecendo a cidade, o país,
o mundo e o ser.
Dinamizou a sua vida de tal forma que nem mais sentiu tão forte a
problemática que a envolvia.
Assim, criou forma de uma semente, própria para atender todas as
necessidades.
Após cumprir sua missão, tornou-se semente e caiu em minhas mãos, para
que, com ela nas mãos, eu possa cumprir minha missão: ser semente.
Quando ouvimos falar sobre “meio ambiente” pensamos logo em
florestas, campos e lugares, que tenham plantas ou animais a serem
preservados. A expressão, entretanto, pode indicar qualquer “espaço” em que
um ser vive e se desenvolve. Na interação e trocas de energia, que se
estabelecem entre ser vivo e meio ambiente, há transformação tanto em um
como em outro.
No ser humano, além do espaço físico e biológico, existe também o
espaço sociocultural. Desse modo, pode-se considerar o local onde se mora,
onde se trabalha e onde se estuda, como parte do meio ambiente.
Todos os seres vivos se relacionam entre si e com o meio ambiente, mas
apenas o homem atua conscientemente sobre ele. É direito do cidadão ter um
ambiente sadio, é um dever de todos preservá-lo.
Para isto, a responsabilidade na formação de cidadãos, aptos para tomar
decisões sobre questões ambientais, necessárias para o desenvolvimento de
uma sociedade sustentável.
Segundo o programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente
(PNUMA), uma sociedade sustentável deve estar em harmonia com os
seguintes princípios:








Respeitar e cuidar da comunidade dos seres vivos;
Melhorar a qualidade da vida humana;
Conservar a vitalidade e a diversidade do Planeta Terra;
Minimizar o esgotamento de recursos não responsáveis;
Permanecer nos limites da capacidade de suporte do Planeta Terra;
Modificar atitudes e práticas pessoais;
Permitir que as comunidades cuidem do seu próprio ambiente;
Gerar uma estrutura nacional para a integração de desenvolvimento e
conservação;
 Constituir uma aliança global.
3- Justificativa
“A vida uiva através dos ventos, verdeja
vales e montanhas, inflama
corpos sombrios e se deleita por
rios e mares. Pode sentir?”
Marina do Rosário da Silva ( 2008 )
Como levar o aluno a ser capaz de ler o mundo, de interagir e interferir
nele? Como capacitá-lo para ter uma tomada de posição ativa, questionando,
motivado, transmitindo suas interpretações vivenciadas?
Este Projeto busca dar ao aluno este poder: o de ampliar sua
compreensão do mundo, buscando seu espaço, auto-conhecimento, descobrir
significações, não só explícitas, mas também implícitas; reconhecer
caminhos, limites de atitudes em equipe, valores humanos, noção de tempo,
alegria na realização de determinada atividade, conduzindo-o a um ato de
reflexão e não de repetição.
Apropriando-se de novos conhecimentos com a intermediação do
professor, ele terá condição de se tornar sujeito ativo na busca da verdade,
renovando o seu próprio comportamento na escola em que está inserido e na
sociedade, em geral.
Assim, consciente de sua habilidade de ouvir e aprender, ele responderá
mais à convivência em grupo, irá se comunicar com o outro, descobrir
informações, usar sua criatividade, sendo mais prático e útil em suas ações.
Partindo desta capacitação, o aluno irá interagir, normalmente, de
diversas formas.
É o que se espera, com certeza!
4-
Objetivos
4.1- Objetivo geral
.Modificar atitudes e práticas pessoais, promovendo a educação
ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização para a preservação
do meio ambiente.
4.2- Objetivos específicos
 Motivar o aluno a fazer as atividades com alegria;
 Levar o aluno a adquirir conhecimento e cuidar da natureza,
reconhecendo os seus benefícios;
 Trabalhar a sua concentração, socialização, iniciativa e criatividade;
 Ensinar valores éticos: respeito, companheirismo, saber compartilhar;
 Observar o seu contato com a terra, deixando liberar o excesso de
energia;
 Envolver toda comunidade escolar;
 Ensinar e aprender: troca fundamental para um relacionamento
equilibrado;
 Enriquecer a merenda escolar, deixando-a mais saborosa e nutritiva;
 Ampliar o vocabulário.
5- Proposta de trabalho
 Realizar um levantamento da área escolar onde possa fazer a horta;
 Levar às turmas, inicialmente envolvidas ( 501 – 502 – 602 ), a relação
do material necessário e se existente na escola: enxada, pá, regador,
garfo de terra, vassoura;
 Comunicar a toda comunidade escolar sobre o projeto, solicitando
esterco, mudas e sementes;
 Confeccionar painel com nome do projeto, dado pelo aluno, kayo, da
turma 602: “Plantar e Colher”, mais fotos tiradas de alunos e professora
de Língua Portuguesa;
 Limpar canteiros e recolher lixo;
 Molhar, fofar a terra; tirar fotos do canteiro, com alunos;
 Informar com a Sra. Lica (85anos), sobre como fazer uma horta, como
evitar bichinhos; receitas;
 Misturar o esterco à terra; colocar as mudas das hortaliças e
sementinhas;
 Colocar estacas com nomes das hortaliças; limpar os matinhos;
 Colocar pedras em volta dos canteiros;
 Arrumar tela para cercar a horta.
6- Cronogramas das Atividades

Maio: preparação da terra: limpeza, fofar, esterco e fotos;
Informação à Comunidade Escolar sobre o projeto;
Cartaz do Projeto: “Plantar e Colher”; fotos;
 Junho: colocação das mudas e sementes nos canteiros;. nomes;
Informações escritas aos alunos,inicialmente envolvidos, de
como fazer horta e receitas, dadas por D. Lica;
 Julho: cuidados diários e observação do crescimento das mudas;
Convite ao Sr. Chico, marceneiro e amigo da escola, para
colocação da cerca na horta;
Marisete (comunidade) empréstimo da escavadeira;
Cléria ( comunidade ) doação de 4 estacas para cercar a horta.
7- Benefícios
 Melhoria de comportamento dos alunos;
 Redução de agressividade;
 Motivação e iniciativa observadas;
 Interação entre professores, alunos, comunidade;
 Demonstração de habilidades, sensibilidade e conscientização para
preservação do meio ambiente;
 Conhecimento das hortaliças e suas utilidades;
 Participação de alunos, que estavam inquietos fora da sala de aula, de
outro professor;
 Alegria nas atividades realizadas pelos alunos, alguns, de início,
acanhados;
 Interesse e ações de alunos, que mostravam-se ao contrário, na sala de
aula.
8- Metas
 Até outubro de 2008, espera-se a formação em abundância das
hortaliças;
 Tirar fotos com a comunidade escolar, fazendo um painel mostrando o
antes e o depois dos canteiros; publicar no jornal comunitário;
 Convidar a Sra. Lica, de 85 anos, para a inauguração da horta, com
Hino Nacional e agradecimentos;
 Realizar visitas a outras escolas, que tenham horta.
9- Avaliação
 Acompanhamento, pelo professor de Língua Portuguesa, de todas as
atividades desenvolvidas pelos alunos e comunidade escolar.
 Observação dos alunos participantes, valendo as atividades realizadas
para recuperação de notas, no segundo bimestre/08
Fly UP