...

Compras - Impulso

by user

on
Category: Documents
4

views

Report

Comments

Transcript

Compras - Impulso
O CRÉDITO E AS COMPRAS
POR IMPULSO
Mais da metade dos consumidores realizaram compras por
impulso nos últimos 3 meses
53% dos consumidores ouvidos na pesquisa do SPC Brasil e
Meu Bolso Feliz realizaram compras por impulso (compras sem
necessidade), devido à facilidade de crédito nos últimos três
meses. Os percentuais são maiores entre as mulheres (57%),
pessoas da Classe A/B (61%), aqueles com ensino superior
incompleto (69%) e renda própria (58%). Considerando os 47%
que afirmam não ter adquirido nada de que não precisassem,
observam-se percentuais maiores entre os homens (51%), pessoas
da Classe C/D/E (49%, contra 39% na Classe A) e aquelas sem
renda própria (56%, contra 42% entre os que possuem renda).
Os produtos mais comprados por impulso são as roupas
(24%), principalmente entre as mulheres (28%), respondentes da
Classe A/B (30%) e com maior escolaridade (31%). Logo depois
aparecem os calçados (12%, aumentando para 24% na Classe
A/B), os CDs/DVDs (7%, aumentando para 11% entre os homens)
e os smartphones (7%, aumentando para 10% entre os homens e
para 12% entre aqueles com escolaridade maior).
Dentre as motivações que levam os consumidores a fazer
uma compra por impulso (sem planejamento prévio), a pesquisa
mostra que a maior delas é a promoção (51%), sobretudo entre as
mulheres (61%), pessoas da Classe C/D/E (55%) e aquelas sem
renda própria (56%).
O segundo motivo mais citado é o preço
atrativo (31%), com percentuais maiores entre os homens (45%,
contra 18% das mulheres) e os entrevistados que possuem renda
(36%, contra 23% entre os que não possuem). Também foram
mencionadas as características do produto (6%) e a facilidade de
pagamento (4%).
O supermercado/hipermercado (30%) é o local em que
mais acontecem as compras por impulso, principalmente entre
os homens (34%) e na Classe C/D/E (30%). Em seguida vem o
Shopping Center (20%), sendo que este é o espaço mais citado na
Classe A/B (32%). A lista dos lugares mais citados traz ainda:
internet/lojas virtuais (17% em geral, aumentando para 28%
entre aqueles com maior escolaridade), lojas de rua/bairro (14%)
e as lojas de departamento (5%).
Apesar de pouco citadas entre os espaços usuais para compras
por impulso, as lojas de departamento são as que mais
facilitam o crédito, estimulando esse tipo de aquisição (28%),
principalmente entre as mulheres (37%). Logo depois vêm as lojas
virtuais
(22%),
com
percentuais
mais
expressivos
entre
os
homens (29%), pessoas da Classe A/B (32%, contra 19% na
Classe C/D/E), maior escolaridade (41%) e aqueles com renda
própria (28%, contra 13% entre os que não possuem). Também
foram citadas as lojas de rua (15%), supermercados (12%) e
lojas de Shopping (10%).
Considerando os produtos que os consumidores acreditam que
irão
comprar
(considerando
as
compras
com
e
sem
planejamento) nos próximos três meses, os mais citados são as
roupas (39%), principalmente entre as mulheres (44%, contra 35%
entre os homens), pessoas da Classe A/B (59%, contra 34% na
Classe C/D/E) e maior escolaridade (54%).
Dentre os mais mencionados também estão os calçados
(22%), com percentuais maiores entre as mulheres (27%, contra
17% entre os homens), Classe A/B (39%, contra 18% na Classe
C/D/E) e maior escolaridade (38%).
A lista de produtos que os
entrevistados pretendem adquirir traz ainda perfumes/cosméticos
(17%), celular/smartphone (15%) e eletrodomésticos (15%),
dentre outros.
Conclusão
A pesquisa do SPC Brasil e Meu Bolso Feliz sugere que ainda
predomina, entre boa parte dos consumidores, a ideia de que uma
boa oferta justifica a compra de um item desnecessário: 53% dos
entrevistados
fizeram
compras
por
impulso
(compras
sem
necessidade, devido à facilidade de crédito) nos últimos três meses,
estimulados, principalmente, por promoções (51%) e preços
atrativos (31%) oferecidos pelas lojas.
Os percentuais de quem faz compras desnecessárias são
maiores entre as mulheres (57%), pessoas da Classe A/B
(61%), aqueles com ensino superior incompleto (69%) e renda
própria (58%). De qualquer modo, o que a pesquisa mostra é que
muitos consumidores acabam cedendo às compras desnecessárias,
sobretudo quando existe a possibilidade de contar com o crédito
como um facilitador, o que pode vir a desequilibrar e comprometer o
orçamento dessas pessoas.
Vale destacar algumas diferenças, no que diz respeito à classe
social
e
ao
gênero
dos
respondentes.
O
supermercado/hipermercado (30%) é o local em que mais
ocorrem as compras por impulso, principalmente entre os
homens (34%) e na Classe C/D/E (30%). Em seguida vem o
Shopping Center (20%), especialmente na Classe A/B (32%,
contra 16% na Classe C/D/E). Observa-se ainda que entre as
mulheres é maior o apelo das lojas de departamento como
facilitadoras do crédito para estimular as compras por impulso
(37%). Já entre os homens, as lojas virtuais mostram-se mais
efetivas (29%).
Finalmente, os resultados da pesquisa do SPC Brasil e Meu
Bolso Feliz reforçam o apelo de alguns produtos junto aos
consumidores, sobretudo as roupas e calçados. Eles lideram tanto
a lista dos mais adquiridos nos últimos três meses, em
compras
por
impulso, quanto a relação dos itens que os
entrevistados acreditam que deverão comprar (considerando
compras com e sem planejamento) nos próximos 90 dias.
Metodologia
Público alvo: Consumidores das 27 capitais brasileiras, homens e
mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes
econômicas
(excluindo
analfabetos).
Os
dados
foram
pós-
ponderados para ficarem representativos do universo estudado.
Método de coleta: pesquisa realizada pela web.
Tamanho amostral da Pesquisa: 642 casos, gerando margem de
erro no geral de 3,8 p.p para um intervalo de confiança a 95%.
Data de coleta dos dados: 23 a 31 de março de 2015.
Fly UP