...

a importância da instalação de estações - RedeLitoral

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

a importância da instalação de estações - RedeLitoral
PROFA. MSC. VASSILIKI T. G. BOULOMYTIS
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – IFSP, CAMPUS CARAGUATATUBA
DOCENTE – DEPT. DE CONSTRUÇÃO CIVIL E RECURSOS NATURAIS, [email protected]
INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS – INPE
DOUTORANDA – DEPT. DE SENSORIAMENTO REMOTO
A IMPORTÂNCIA DA INSTALAÇÃO DE ESTAÇÕES
FLUVIOMÉTRICAS E PLUVIÔMETRICAS PARA O
ESTUDO DA HIDROLOGIA: CASO DA BACIA DO RIO
JUQUERIQUERÊ
São Sebastião, 24 de novembro de 2011
CONTEXTO
FALTA DE
PLANEJAMENTO
URBANO
OCUPAÇÃO ÀS
MARGENS DOS
RIOS
CONTAMINAÇÃO DAS
ÁGUAS
ASSOREAMENTO
DAS CALHAS
INUNDAÇÕES
CONTEXTO
ÁREAS
DENSAMENTE
OCUPADAS
ÁREAS
IMPERMEABILIZADAS
OCUPAÇÕES EM
ÁREAS COM DECLIVE
FALTA DE PROJETOS
ADEQUADOS DE
DRENAGEM
FALTA DE
PLANEJAMENTO
URBANO
ELEVADO ESCOAMENTO
SUPERFICIAL
DIMINUIÇÃO DA
INFILTRAÇÃO
CARREAMENTO DE
SEDIMENTOS
CONTEXTO
CONTEXTO
FALTA DE VONTADE POLÍTICA
ESCASSEZ DE PROFISSIONAIS
QUALIFICADOS
INEXISTÊNCIA DE EQUIPAMENTOS E
ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS
LONGA DURAÇÃO PARA A COLETA DE
DADOS
FALTA DE DADOS HIDROLÓGICOS
HISTÓRICOS
DIFICULDADES PARA
O ESTUDO DA
HIDROLOGIA
URBANA
CUSTO ELEVADO: IMPLANTAÇÃO,
MANUTENÇÃO E MÃO-DE-OBRA
IMPOSSIBILIDADE DE REALIZAÇÃO DE
PESQUISAS A CURTO PRAZO
VARIAÇÃO ESPACIAL E TEMPORAL DAS
MANCHAS DE OCUPAÇÃO E REDES DE
DRENAGEM
DEFINIÇÃO
A PARTIR DA HIDROMETRIA É POSSÍVEL MEDIR E ANALISAR AS
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E QUÍMICAS DA COM O AUXÍLIO DE
MATERIAIS E MÉTODOS UTILIZADOS EM HIDROLOGIA.
A FLUVIOMETRIA VISA MEDIR AS VAZÕES E COTAS DE RIOS, E
CONTEMPLA
DADOS
NECESSÁRIOS
PARA
OS
ESTUDOS
DE
APROVEITAMENTOS HIDROENERGÉTICOS, PLANEJAMENTO DE USO DOS
RECURSOS HÍDRICOS, PREVISÃO DE CHEIAS, GERENCIAMENTO DE
ABASTECIMENTO
PÚBLICO E INDUSTRIAL, NAVEGAÇÃO, IRRIGAÇÃO, TRANSPORTE, MEIO
AMBIENTE DE MODO GERAL.
BACIAS
HIDROGRÁFICAS,
SANEAMENTO
BÁSICO,
AS ESTAÇÕES PLUVIOMÉTRICAS PROPICIAM O LEVANTAMENTO DE
PRECIPITAÇÃO DIÁRIA.
DEFINIÇÃO
UMA ESTAÇÃO FLUVIOMÉTRICA É COMPOSTA POR DISPOSITIVOS DE
MEDIÇÃO DO NÍVEL DA ÁGUA (RÉGUAS LINIMÉTRICAS DEVIDAMENTE
REFERENCIADAS A UMA COTA CONHECIDA E MATERIALIZADA NO
TERRENO) INSTALADOS EM UMA SEÇÃO DO RIO, EM LOCAIS QUE
OFEREÇAM FACILIDADES PARA A LEITURA DAS COTAS OU MEDIÇÃO DE
VAZÃO
(
COM FÁCIL ACESSO POR TERRA OU POR BARCOS, PRÓXIMOS
DE PONTES, ETC).
A AVALIAÇÃO DIÁRIA DA VAZÃO POR UM PROCESSO DIRETO (MEDIÇÃO
E INTEGRAÇÃO DO CAMPO E VELOCIDADES NA SEÇÃO TRANSVERSAL)
SERIA COMPLEXO E ONEROSO, POR ESTE MOTIVO OPTA-SE PELO
REGISTRO DOS NÍVEIS DO RIO E DETERMINA-SE UMA RELAÇÃO ENTRE
A VAZÃO E O NÍVEL DENOMINADA CURVA-CHAVE.
EXEMPLIFICAÇÃO
Fonte: Pereira, Silva Neto e Tucci (2003).
SITUAÇÃO
Fonte: Pereira, Silva Neto e Tucci (2003).
ÁREA DE ESTUDO: RIO JUQUERIQUERÊ, CARAGUATATUBA
ÁREA DE ESTUDO: RIO JUQUERIQUERÊ, CARAGUATATUBA
CONTEXTO
ÁREAS BREJOSAS
COTAS ALTIMÉTRICAS ABAIXO DO NÍVEL DO MAR
RETIFICAÇÃO DE VÁRIOS MEANDROS DA ÁREA
AGROPASTORIL
FALTA DE ESCOAMENTO NATURAL PROPICIANDO O
REPRESAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS
PROXIMIDADE DA ÁREA SERRANA
IMPERMEABILIZAÇÃO DE GRANDES ÁREAS NO
LOCAL DE EXPANSÃO
FRAGILIDADE
AMBIENTAL DA ÁREA
DE ESTUDO
ÁREA DE ESTUDO: RIO JUQUERIQUERÊ, CARAGUATATUBA
Fonte: PMC (2011).
MÉTODOS
CN DO SCS:
RELAÇÃO ENTRE O ESCOAMENTO SUPERFICIAL E O TIPO DE SOLO E DE
OCUPAÇÃO (1<CN<100);
NÚMERO REDUZIDO DE PARÂMETROS.
MÉTODOS
PARÂMETRO CN:
Fonte: Tucci (2005).
MÉTODOS
DADOS DE ENTRADA NO MODELO (MOREIRA, 2008):
MEDIDAS DO NÍVEL DA ÁGUA
–
COTAS FLUVIOMÉTRICAS OU
MEDIDAS LINIMÉTRICAS.
MEDIDAS DE CHUVA: CONSIDERAÇÃO DA ÚLTIMA MEDIDA DO DIA,
COM OS VALORES ACUMULADOS.
MÉTODOS
LOCAL DE INSTALAÇÃO DAS RÉGUAS
Fonte: Google Earth (2011).
RESULTADOS ESPERADOS
A PARTIR DAS ESTAÇÕES FLUVIOMÉTRICAS E PLUVIOMÉTRICAS:
ADQUIRIR OS DADOS DE ENTRADA DO MODELO PARA A CALIBRAÇÀO E
VALIDAÇÃO DO MODELO;
A PARTIR DO MODELO HIDROLÓGICO:
SUBSIDIAR A COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES ENTRE O PLANEJAMENTO NA
OCUPAÇÃO URBANA E A RESPOSTA HIDROLÓGICA DAS BACIAS.
CLASSIFICAR
AS ÁREAS HOMOGÊNEAS DE OCUPAÇÃO, PARA QUE
O PARÂMETRO
CN,
QUE É AMPLAMENTE UTILIZADO, POSSA SER
MAIS CONSISTENTE COM O QUE COSTUMA SER UTILIZADO NA
MODELAGEM HIDROLÓGICA, PROVENDO UM MAIOR NÍVEL DE
REFINAMENTO PARA O MAPEAMENTO DAS ÁREAS IMPERMEÁVEIS, E
GARANTINDO ASSIM, MAIOR INOVAÇÃO TÉCNICA E APLICADA.
AGRADECIMENTOS
Professores Wilson e Paolo Alfredini pela orientação técnica
para aquisição das estações.
Ao Projeto Rede Litoral pela aquisição das estações
fluviométricas e pluviométricas na Bacia do Rio
Juqueriquerê, Caraguatatuba.
Prefeitura Municipal de Caraguatatuba, pela disponibilização
de materiais técnicos e acadêmicos, pertinentes ao projeto
de pesquisa.
Pela atenção de todos os presentes.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
PEREIRA, L. M. Modelagem hidrológica dinâmica distribuída para estimativa do
escoamento Superficial em uma microbacia urbana. 2009. 158 p. Dissertação
(Mestrado em Sensoriamento Remoto) – Instituto Nacional de Pesquisas
Espaciais, São José dos Campos, 2009.
PEREIRA, R. S.; SILVA NETO, A.;TUCCI, C.E.M. Princípios da Hidrometria.
UFRGS: Hidrologia I (apostila), 2003, 16p.
PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAGUATATUBA – PMC. Mapa do Projeto de Lei
- Plano Diretor Municipal de Caraguatatuba, 2011.
TUCCI, C.E.M. Modelos hidrológicos. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS, 2005a, 678p.
TUCCI, C.E.M. Modelos precipitação-vazão. In: TUCCI, C. E. M. (org.) Modelos
hidrológicos. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS, 2005b. Cap. 6, p. 233-319.
Fly UP