...

É preciso atenção e tratamento adequado

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

É preciso atenção e tratamento adequado
4
Saúde
• Dezembro/2007 e Janeiro/2008
ASMA
É preciso atenção e tratamento adequado
A doença é muito comum, não tem cura, mas é fácil de ser controlada com a ajuda de um médico especialista.
Dr Luiz Fernando F. Pereira*
orientações.
A asma é uma doença muito
comum, com muitos mitos e preconceitos até no nome, e em geral
mal tratada. Entenda um pouco
mais sobre a asma e viva melhor. A
maioria dos asmáticos que consulta,
pela primeira vez, um profissional
treinado no tratamento da doença,
percebe que não está se tratando
adequadamente.
Peça ao seu médico orientações
sobre medidas de higiene ambiental, técnica de uso correto dos aerossóis, como conduzir o tratamento
de manutenção e como manejar em
período de crise asmática.
Mas, lembre-se: A asma é
muito comum, não tem cura, mas
é fácil de ser controlada.
Quais são as medidas gerais
e de higiene ambiental?
Vários fatores alérgicos ou irritantes
podem desencadear sintomas e inflamação das vias aéreas e devem ser
evitados sempre que possível.
Os ácaros são os alérgenos mais
importantes da poeira de casa, ao
lado do pêlo de animais e as fezes de
baratas. Para reduzir a exposição aos
ácaros domiciliares recomenda-se:
• recobrir totalmente colchão e
travesseiros com plástico ou tecido
impermeável ao pó;
• retirar do quarto de dormir
objetos que acumulem poeira como
tapetes , livros, bichos de pelúcia, etc;
• lavar roupas de cama duas
vezes/semana (temperatura superior
a 55 graus);
• retirar cortinas ou usar apenas
as de tecido leve e desde que sejam
lavadas cada 15 dias;
• evitar cobertores de lã ou felpudos; dar preferência ao uso de
edredons ou acolchoados;
• aspirar diariamente carpetes;
se possível, substituí-los por piso liso,
sintético;
• expor semanalmente ao sol colchões, travesseiros e almofadas (pelo
menos por 4 horas);
• manter o ambiente o mais seco
e arejado possível;
• não permanecer nos locais onde
está sendo feita a faxina diária;
• passar pano úmido no piso e
móveis diariamente.
Os fungos (mofo) podem ser
alérgenos importantes, por isto devem
ser evitados ambientes úmidos, pouco
arejados, mofados ou fechados por
tempo prolongado.
As secreções dos animais podem
ser potentes fatores alérgicos. Não é
aconselhável ter animais de estimação
que tenham penas ou pêlos. Quando
isto não for possível mantê-los fora
de casa, especialmente do quarto de
dormir e, dar banho semanal em cães
e gatos.
Evitar locais com plantas que possam piorar os sintomas.
Em pacientes sensíveis ao ácido
acetilsalicílico evitar o uso de aas, antigripais, anti-inflamatórios e outros.
Evitar contato com irritantes como
inseticidas, produtos de limpeza do lar,
tintas e cheiros fortes em geral.
Não fumar e evitar locais onde
pessoas estejam fumando.
O que é a asma?
A asma é um dos tipos de bronquite, que geralmente, mas nem sempre,
tem fundo alérgico, daí muitos denominarem-na de bronquite alérgica. Entretanto, seu nome correto é bronquite
asmática ou simplesmente asma. É uma
doença crônica inflamatória das vias
aéreas decorrente de predisposição genética (familiar) e exposição ambiental
a fatores alérgicos. Acomete de 10% a
20% da população, com predomínio na
infância. É caracterizada por:
• Inflamação das vias aéreas que
causa produção de muco e catarro;
• Grande sensibilidade das vias aéreas aos fatores irritantes e alérgicos e
• Variação do grau de obstrução
ao fluxo aéreo, estreitamento dos brônquios que dificulta a passagem do ar.
Quais são os sintomas?
A asma geralmente se manifesta
por chiado, tosse com catarro mucoso
ou amarelado e falta de ar. Alguns
asmáticos podem se queixar apenas
falta de ar ou tosse. Nesses casos é fundamental a consulta com especialista
para realização de testes respiratórios,
devido à dificuldade de diferenciação
com doenças cardíacas e outras doenças alérgicas ou de vias aéreas.
A asma é uma doença grave?
Tem cura?
Não! A asma geralmente é uma doença leve, fácil de ser controlada, que,
no entanto, pode ser grave, com risco
de vida em pequena porcentagem dos
pacientes. É uma doença que não tem
cura, mas pode ser facilmente controlada permitindo uma vida normal,
inclusive a prática de esportes. Vários
campeões olímpicos são asmáticos.
Em que se baseia o tratamento da asma?
O tratamento se baseia na higiene ambiental, uso de medicamentos
preventivos e de broncodilatadores de
alívio. A maioria dos asmáticos tem
vida normal e poucas crises, quando
o médico sabe orientar o tratamento
e o paciente segue corretamente as
Quais são os tipos de medicamentos para o tratamento
da asma?
As vias aéreas do asmático estão
inflamadas mesmo no período fora
de crise, por isso é essencial o uso de
medicamentos preventivos todos os
dias, exceto para os casos de asma intermitente com crises leves bem espaçadas. Existem basicamente dois tipos
de medicamentos para tratar asma, os
de alívio e os preventivos:
• Broncodilatadores (medicametnos de alívio- fenoterol, salbutamol,
terbutalina, formoterol), com rápido
início de ação, devem ser usadas
quando o paciente tem chiado, falta
de ar ou tosse.
• Anti-inflamatórios (preventivoscorticóides, anti-leucotrienos), devem
ser usados todos os dias, independente
dos sintomas e cujo efeito pode demorar semanas para atingir o máximo.
Por que a via inalatória é a
melhor?
A via inalatória é a melhor via
para administrar medicamentos em
asmáticos, por utilizar doses 40 vezes
menores do que por via oral; possibilitar
efeito máximo dos broncodilatadores
em poucos minutos e causar menor
número de efeitos colaterais (principalmente dos corticóides).
Quais são os dispositivos
inalatórios mais usados?
Os medicamentos inalatórios
podem ser administrados através de
quatro dispositivos:
• Aerossol dosimetrado (“spray,
bombinha”): não viciam e nas doses
corretas não fazem mal para o coração.
Sua técnica de uso exige coordenação
entre o disparo do aerossol e a inspiração profunda. Podem ser acopladas
a espaçadores que facilitam a técnica
de uso adequado.
• Inaladores de pó seco: mais
fáceis de usar e mais caros do que as
bombinhas. Alguns depositam maior
quantidade de droga nos pulmões e
tem marcador de dose. Sua técnica de
uso é mais simples do que o aerossol
dosimetrado.
• Nebulizadores de jato para micronebulização (compressores): mais
usados para tratamento de crises no
hospital e para tratamento de crianças
menores ou idosos. Exigem fonte de
oxigênio ou de eletricidade e cada dia
são menos utilizados.
• Nebulizadores ultrassônicos:
mais usados em fisioterapia. São mais
caros e fazem menos ruído do que
os de jato.
Qual o papel dos corticóides?
Os corticóides persistem como
medicamentos mais eficazes para
controle da asma. Principais bases
para sua utilização:
• Na maioria dos asmáticos é
essencial o uso continuo de medicamentos preventivos porque as vias aéreas encontram-se inflamadas mesmo
no período fora de crise.
• Todo asmático que usa mais do
que duas doses de broncodilatadores
por semana deve usar medicamento
preventivo.
• Os corticóides (cortisonas) são
as drogas mais eficazes para controle
da inflamação crônica das vias aéreas.
Quando usados corretamente ajudam
a diminuir os sintomas, melhoram
a capacidade respiratória, reduzem
crises, reduzem internações e a longo prazo previnem o estreitamento
irreversível das vias aéreas.
• A maioria dos pacientes e muitos médicos têm medo das cortisonas,
devido ao grande número de efeitos
colaterais causados pelo uso prolongado de altas doses por via oral.
• Os corticóides inalatórios são
medicamentos seguros devido ao
seu efeito direto sobre a mucosa das
vias aéreas possibilitar o uso de doses
muito menores do que por via oral.
• Pequena porcentagem dos
pacientes tratados com cortisona inalatória podem desenvolver candidíase
oral (sapinho), irritação da garganta
ou rouquidão devido deposição do
aerossol na boca e garganta. Estes
efeitos podem ser reduzidos se for
acoplado à bombinha uma câmara
espaçadora ou se for feito bochecho
e gargarejo com água após o uso de
cada dose.
• Os efeitos colaterais gerais
devido aos corticóides inalatórios são
raros e em geral de pouca importância
quando são usadas doses adequadas;
e se devem à absorção de da droga
pelos pulmões e tubo digestivo.
• Atualmente dispomos de quatro
corticóides inalatórios que variam
quanto a eficácia, efeitos adversos,
custo e dispositivo para uso - beclometasona, fluticasona, budesonida
e cicleosinda (este é ativado apenas
nos pulmões).
• Asmáticos graves, que não são
controlados com corticóides inalatórios, podem necessitar de corticóides
orais por longos períodos para se
manterem bem. Este grupo pode
ter efeitos colaterais como catarata,
afilamento da pele, acne (espinhas),
edema (inchaço), hipertensão arterial,
osteoporose, retardo do crescimento
em crianças, descontrole do diabetes,
aumento do peso, dentre outros.
• Os corticóides orais (prednisona
40 mg/dia) ou injetáveis são essenciais
durante as crises de asma e causam
poucos efeitos colaterais quando
usados por cinco a 10 dias.
• Não suspenda o uso do corticóide sem orientação médica devido ao
risco de piora da asma. Converse com
seu médico sobre o momento mais
adequado para reduzir ou suspender
o uso dos corticóides.
Qual o papel dos broncodilatadores de longa ação (formoterol e salmeterol) por via
inalatória?
São medicamentos que dilatam os
brônquios por 12 horas, potencializam
os efeitos dos corticóides e não devem
ser usados sem estes. São indicados
para asma persistente moderada ou
grave. O formoterol além de ter longa
duração tem rápido início de ação e
por isto pode ser usado para alívio dos
sintomas quando necessário.
Qual o papel das vacinas?
Não estão indicadas para a maioria
dos asmáticos. Podem ser úteis quando bem indicadas, são usados extratos
puros e utilizadas corretamente por três
a cinco anos.
O que fazer durante a crise
de asma?
Ficar calmo, inalar um broncodilatador que tenha rápido início de
ação. Repetir a dose de acordo com
orientação de seu médico. Procurar
atendimento em pronto-socorro em
caso de sinais e sintomas de crise
grave como: falta de ar intenso que
não melhora com broncodilatador,
dificuldade para falar, suor intenso,
palidez e lábios ou unhas arroxeadas.
É também importante manter controle
regular com o seu pneumologista.
* Dr Luiz Fernando F. Pereira é médico
coordenador da equipe de pneumologia que atende no Biocor Instituto.
Fone: (31) 3289-5040
Fly UP