...

OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A.

by user

on
Category: Documents
6

views

Report

Comments

Transcript

OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A.
OURO FINO SAÚDE ANIMAL
PARTICIPAÇÕES S.A.
CNPJ nº 20.258.278/0001-70
Relatório da Administração - 2015
Aos Acionistas, A administração da Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. (“Companhia”) e suas controladas (conjuntamente denominadas “Ouro Fino” ou “Grupo”) submete
à apreciação de V.Sas. o presente relatório da administração, as demonstrações financeiras individuais e consolidadas e o parecer dos auditores independentes, relativos ao
exercício social findo em 31/12/2015. Referidas demonstrações financeiras foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e as normas internacionais
de relatório financeiro (IFRS), emitidas pelo International Accounting Standards Board
(IASB).
MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO - Encerramos o ano de 2015 obtendo o resultado esperado e com crescimento consistente. Nossas receitas aumentaram 23,6%, atingindo R$
534,0 milhões, tivemos um aumento de 21,3% do EBITDA, que somou R$ 119,1 milhões, e
um aumento de 27,7% no lucro líquido, que totalizou R$ 69,2 milhões. O segmento de animais de produção teve um crescimento em suas receitas de 25,9%, totalizando R$ 435,7
milhões, e refletindo ganho de share em várias linhas, bem como incremento de faturamento relativo aos 7 novos produtos lançados. Destacamos, em especial, os lançamentos, em
agosto, do Voss Performa, um endectocida à base da molécula Eprinomectina com foco no
período de terminação do gado, e, em novembro, do Superhion, um ectoparasiticida inovador que alia o efeito de knock-out da molécula Fipronil com a proteção duradoura da molécula Fluazuron. Em animais de companhia, iniciamos no fim de 2015 o projeto “Ouro Fino
Distribuição Pet”, que consiste no atendimento direto aos petshops e clínicas das regiões
sul e oeste da cidade de São Paulo e tem como objetivo ser referência de trabalho para os
42 distribuidores da rede atual, assim como promover treinamentos para aperfeiçoamento e práticas de gestão para diversos públicos do mercado de animais de companhia no
Brasil. Avançamos em 2015 no processo estratégico de internacionalização. No México,
expandimos nossa operação, com aumento da equipe comercial e incremento da base de
clientes. Na Colômbia, adquirimos em setembro o distribuidor local, ampliamos a equipe
comercial e iniciamos o processo de registro de novos produtos. Continuamos trabalhando
para consolidar a nossa presença internacional e mostrar resultados consistentes ao longo
dos próximos períodos. Avançamos substancialmente na construção da nova planta de
produtos biológicos e continuamos em linha com o planejamento para obter as licenças e
começar a produção das novas vacinas no início de 2017. Por fim, como consequência do
nosso trabalho, fomos reconhecidos como a melhor empresa veterinária das Américas Latina e do Sul de 2015 em prêmio concedido pela Animal Pharm. Seguimos entusiasmados
com o nosso negócio e agradecemos a todos pela confiança depositada em nosso trabalho.
Dolivar Coraucci Neto
Fábio Lopes Júnior
CEO
CFO e Diretor de Relações com Investidores
Breve Histórico - A Companhia é uma sociedade anônima de capital aberto, registrada
no Novo Mercado da BM&FBovespa S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, com
sede em Cravinhos, estado de São Paulo. Foi constituída em 10/04/2014 e tem como objeto social e atividade preponderante a participação em sociedades que atuam na indústria
de saúde animal (produção e comercialização de medicamentos, vacinas e outros produtos
veterinários) por meio de 3 segmentos de negócio:
• Animais de Produção: Representa a fabricação e comercialização no mercado interno
de medicamentos, vacinas e outros produtos veterinários para bovinos, suínos, aves, ovinos, equinos e caprinos e prestação de serviços de industrialização para outras empresas
do setor;
• Animais de Companhia: Representa a fabricação e comercialização no mercado interno
de medicamentos e outros produtos veterinários para cães e gatos;
• Operações Internacionais: Representa a fabricação e comercialização no mercado externo, principalmente para América Latina, de medicamentos, vacinas e outros produtos
veterinários para animais de produção e de companhia. O atendimento aos segmentos
de atuação é realizado por meio de um portfólio completo de produtos para saúde animal, composto por 119 produtos veterinários e aproximadamente 4.200 clientes, incluindo
revendas agropecuárias, cooperativas, agroindústrias, produtores rurais e distribuidores
presentes em todo o território nacional e no exterior. Dentre os clientes, o maior representa cerca de 4% da receita da companhia, não havendo, portanto, concentração que gere
dependência com relação a clientes específicos. O grupo econômico no qual a Companhia
hoje se insere foi constituído em 1987 por seus sócios fundadores Norival Bonamichi e
Jardel Massari, inicialmente com negócios voltados exclusivamente para a fabricação de
medicamentos e outros produtos veterinários para animais de produção (bovinos, equinos,
aves e suínos). No período de 1987 a 1999, o crescimento ocorreu de forma orgânica e,
substancialmente, na linha de animais de produção. Em 2000, a Ouro Fino deu o primeiro
passo rumo à diversificação atuando também, no mercado de produtos para animais de
companhia (cães e gatos). De 2001 a 2004, acreditando na inovação e no desenvolvimento tecnológico como diferenciais estratégicos, a Ouro Fino investiu na construção, em
Cravinhos, São Paulo, de um novo e moderno parque industrial e tecnológico, uma vez
que as antigas instalações já não comportavam o seu crescimento. O ano de 2007 marcou
o inicio dos investimentos para a entrada no segmento de biológicos, com a construção
de uma moderna planta industrial (fábrica e laboratório biosseguro) para a produção de
vacinas contra febre aftosa. As obras foram concluídas em outubro de 2008 e a certificação
pela Comissão de Biossegurança do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
– MAPA foi concedida em dezembro do mesmo ano. Essa certificação tornou a Ouro Fino
apta para receber as sementes de vírus e iniciar o desenvolvimento da vacina. A licença
para comercialização foi concedida pelo MAPA em outubro de 2010, após dois anos de
desenvolvimento. Ainda em 2007, a Ouro Fino iniciou a construção da planta industrial de
produtos terapêuticos hormonais, com o objetivo de desenvolver um portfólio para protocolo completo de Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF). A construção da fábrica foi
concluída no início de 2008 e a comercialização da produção própria iniciada no segundo
semestre daquele ano. Em 2014, após o cumprimento de diversas exigências legais, o
Grupo concluiu o processo de oferta pública de distribuição primária e secundária de suas
ações ordinárias. A oferta foi realizada em mercado de balcão não organizado, em conformidade com a Instrução CVM 400. No ano de 2015, intensificamos nossas ações no mercado externo, fortalecendo a nossa presença no México com a ampliação da equipe comercial
e aumento da base de clientes. Também concluímos em setembro o processo de aquisição
do nosso distribuidor local na Colômbia, com objetivo de ampliar a presença da companhia
nesse país. Como consequência do nosso trabalho no ano, fomos reconhecidos como a
melhor empresa das Américas Latina e do Sul de 2015 em prêmio concedido pela Animal
Pharm. A premiação considerou aspectos como inovação, desenvolvimento e estratégias
internacionais em negócios para sanidade animal.
Sobre o Mercado - A indústria de saúde animal compreende a fabricação e comercialização de medicamentos, vacinas e outros produtos destinados a animais de produção
e animais de companhia. Neste mercado atuam empresas nacionais e multinacionais,
sendo que os principais players multinacionais são também (ou foram) grandes empresas
da indústria farmacêutica de saúde humana com atuação global. Este mercado se divide
basicamente em ruminantes, aves, suínos, cães e gatos, equinos e outros. Tendo em vista
que os ruminantes representam 55% do mercado total de saúde animal no Brasil (Fonte:
Sindan), as venda dos produtos veterinários para animais de produção são impactadas
por uma sazonalidade característica do mercado, onde são observados dois momentos de
maior concentração de vendas: Abril/Maio e Outubro/Novembro. Isso se deve às campanhas nacionais de vacinação contra a febre aftosa no rebanho bovino, com exceção para
o estado de Santa Catarina. Como a vacinação é obrigatória, o pecuarista comumente
procura associar a aplicação de outros produtos veterinários junto da vacina contra febre
aftosa, racionalizando assim o manejo dos animais. Neste cenário, a Ouro Fino fabrica
soluções para bovinos, equinos, aves, suínos, caprinos, cães e gatos em todas as formas
farmacêuticas: sólidos, líquidos, comprimidos, semissólidos, orais e injetáveis, além de
vacinas. No segmento de animais de produção, as soluções são anti-inflamatórios, antibióticos, anticoccidianos, antimastíticos, desinfetantes, ectoparasiticidas, endectocidas,
endoparasiticidas, hemoparasiticidas, inoculantes, probióticos, suplementos, terapêuticos,
produtos para a reprodução animal e vacinas. Para o segmento de animais de companhia,
as soluções são anestésicos, sedativos, anti-inflamatórios, antibióticos, antimicrobianos,
dermatológicos, desinfetantes, ectoparasiticidas, endoparasiticidas, otológicos e suplementos. A demanda por produtos do segmento de animais de produção tem potencial de crescimento por fatores como baixo índice de tecnificação nas propriedades, potencial de difusão
do uso de protocolos de reprodução, como a técnica de inseminação artificial por tempo
fixo (IATF), e potencial de melhoramento genético do rebanho brasileiro. O processo de expansão da fronteira agrícola sobre a área anteriormente destinada à pecuária e o aumento
do preço da terra, que forçará a redução da pecuária extensiva, exigem que o pecuarista
seja cada vez mais tecnificado para obter os melhores resultados em suas propriedades.
Nesse contexto, o aumento da demanda por tecnologia torna-se fundamental para que o
pecuarista mantenha seu negócio competitivo em termos de rentabilidade em comparação
com as oportunidades apresentadas pela agricultura. De acordo com dados da consultoria
Agroconsult, este movimento pode ser percebido quando se comparam as áreas de pastagens em relação à produção de arrobas por hectares, onde nota-se uma redução da área
destinada as pastagens com o aumento do número de arrobas produzida por hectare. Essa
curva inversamente proporcional demonstra a tendência de tecnificação, ou seja, do maior
uso de produtos para saúde animal a fim de melhorar a produtividade. Outro aspecto a
ser considerado é o baixo uso de protocolos de IATF, que aumentam a produtividade dos
produtores. A taxa de desfrute, ou seja, a produção em arrobas ou cabeças em determinado espaço de tempo em relação ao rebanho inicial, é baixa se comparada a países mais
desenvolvidos. Quanto maior a taxa de desfrute, maior a produção interna do rebanho.
Posto isso, o incentivo ao uso de técnicas de reprodução como a IATF oferece vantagens
como maior controle dos manejos nas propriedades com redução do intervalo entre os
partos, otimização do uso da mão de obra, acompanhamento sistêmico do rebanho, menos
descarte de animais por falta de prenhez, fatores diretamente ligados à produtividade nas
fazendas. Há portanto, espaço para expansão do mercado e da companhia. Neste cenário,
a Ouro Fino mantém um Centro de Treinamento e Capacitação em Guatapará (SP) que
recebe semanalmente alunos para as aulas dos cursos de reprodução animal onde são
ministradas aulas teóricas e práticas, além da visita à sede. A capacitação para IATF tem
duração de cinco dias e é credenciada com certificado pela Asbia (Associação Brasileira
de Inseminação Artificial) aos alunos. Dessa maneira, a empresa contribui com o desenvolvimento das propriedades e constrói relacionamento e fidelização com os clientes que
se beneficiam pela estrutura oferecida pela companhia. Aliar produtos a serviços é uma
tendência mercadológica e a Ouro Fino faz valer esta máxima já em sua missão, quando
se propõe a oferecer ao mercado as melhores soluções em saúde animal, contribuindo
para a alta performance da cadeia produtiva de proteína. Em suma, todo o investimento
em tecnologia deve ser acompanhado de investimento em capacitação da mão de obra,
outra oportunidade de mercado. Além disso, o rebanho brasileiro passa por melhoramento
genético com o aumento da utilização de raças europeias, que trazem precocidade, qualidade da carne e aumento de produtividade no leite, entre outras vantagens. A difusão
desta genética gera a utilização de mais insumos, tendo em vista a maior susceptibilidade
destes animais aos desafios sanitários atualmente enfrentadas no Brasil. Para os animais
de companhia, os fatores a serem considerados são o aumento do número de animais de
companhia nos lares brasileiros: a faixa etária da população que mais cresce está entre 30
e 49 anos; a média de filhos por mulher caiu drasticamente; o número de idosos tem subido;
há aumento dos domicílios que moram apenas uma pessoa, segundo mostra a Pesquisa
Nacional por Amostra de Domicílio (Fonte: Pnad). Com isso, há uma tendência deste nicho
da população em adquirir animais de companhia pois neste contexto, ainda existe o fato da
relação entre as famílias e seus animais de estimação ter se tornado cada vez mais emocional. A mudança de status dos pets é evidente. Eles deixaram de ser vistos como animais
de estimação, os “amigos” dos donos, para se tornarem os animais de companhia, vistos
como “membros da família” e ninguém deixa um ser que “ama” sem itens fundamentais,
como comida, banho, cuidados com a saúde, vacinas, etc. A Pesquisa Nacional de Saúde
(PNS 2013) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que existem
mais cachorros de companhia do que crianças no Brasil. Em quase 45% dos domicílios do
país, o equivalente a 29 milhões de casa, há pelo menos um cachorro. Em sua missão, a
Ouro Fino declara trabalhar em prol da longevidade dos animais de companhia e está diretamente inserida neste contexto. Todo este panorama e a mudança de perfil populacional
possibilitam a expansão do mercado Pet de modo significativo, o que vem sendo observado
com crescimento médio de aproximadamente 18% nos últimos 5 anos (Fonte: Sindicato
Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal - SINDAN).
Faturamento do Mercado Veterinário
Indústria brasileira de saúde animal - R$ milhões
Endividamento - Em R$ milhões
31/12/14
31/12/15
com margem EBITDA Ajustado de 22,3% e um total de R$ 119,1 milhões. Esse resultado
103,1
57,3
reflete o crescimento das receitas e a diluição do SG&A, que compensaram o recuo da Circulante
Não circulante
112,6
159,2
margem bruta.
EBITDA Ajustado
Dívida Bruta
215,7
216,5
(-) Instrumentos financeiros derivativos, líquidos
9,2
0,4
Dívida Líquida de derivativos
206,5
216,1
(-) Caixa e equivalentes de caixa¹
72,5
23,4
Dívida Líquida
134,0
192,7
Custo médio da dívida (em dezembro)²
7,54%
7,98%
Dívida líquida/EBITDA anual ajustado
1,37
1,62
Notas: ¹ Em 2014, contempla o caixa de R$ 6,1 da holding não incluído nas demonstrações
combinadas. ² Custo médio apurado levando em consideração os instrumentos financeiros
derivativos de proteção.
Aging do endividamento bancário
Fonte: Sindan (site)
A Ouro Fino ocupa o terceiro lugar no ranking nacional de saúde animal e possui 9,93% Resultado Financeiro
de participação nesse mercado, no exercício fechado de 2014, de acordo com dados do R$ Milhões
2014
2015
Var %
Sindan.
Resultado financeiro
(11,4)
(10,6)
-7,0%
Evolução do Market Share da Companhia
A despesa financeira líquida em 2015 ficou em R$ 10,6 milhões contra uma despesa líquida
Animais de Produção
de R$ 11,4 milhões em 2014. O aporte de capital decorrente do IPO foi utilizado parcialmente para liquidação das dívidas indexadas ao CDI, contribuindo para a melhoria do resultado
financeiro em 2015 em relação a 2014.
Imposto de Renda e Contribuição Social
R$ Milhões
2014
2015
Var %
Imposto de renda e contribuição social
15,1
18,1
19,9%
Percentual sobre o Lucro antes do IR e CS
21,8%
20,7%
-1,1 p.p.
O IR e CS em 2015 foi de R$ 18,1 milhões com alíquota efetiva de 20,7% e redução de 1,1
pontos percentuais em relação a 2014.
Lucro Líquido
R$ Milhões
2014
2015
Var %
Lucro das operações continuadas
54,2
69,2
27,7%
(margem lucro)
12,5%
13,0%
0,5 p.p.
O lucro líquido em 2015 totalizou R$ 69,2 milhões, um crescimento de 27,7% em relação
a 2014, refletindo substancialmente a melhora do EBITDA Ajustado do período, em função
Fonte: PPE Sindan (Ouro Fino) do melhor desempenho dos negócios no ano.
Animais de Companhia
Lucro das operações continuadas - R$ milhões
Aging do endividamento considera o ano entre 1º de janeiro e 30 de dezembro do ano.
Unidades industriais - Nossas fábricas estão situadas em Cravinhos, São Paulo, sendo:
• Fábrica de medicamentos de saúde animal, considerada uma das mais modernas da
América Latina, com aproximadamente 24.840m² de área construída. O projeto foi concebido conforme os preceitos das “Good Manufacturing Practices (GMP)”. São atendidos conceitos das normas aplicáveis do Ministério de Agricultura (MAPA) incorporando conceitos
das mais rigorosas normas regulatórias mundiais como as emitidas pelo “Food and Drugs
Administration - FDA”, dos Estados Unidos, e pela “European Medicines Agency – EMA”,
da União Europeia. • Fábrica de vacina contra febre aftosa, com aproximadamente 5.651m²
de área construída e equipada com um laboratório biosseguro (nível Bio 4), certificada
pelo MAPA – Ministério da Agricultura e Abastecimento, com capacidade de produção de
50 milhões de doses/ano. • Planta de Biológicos (previsão de conclusão para o final de
2016), com aproximadamente 6.842m² de área construída. São atendidos conceitos das
normas aplicáveis do Ministério de Agricultura (MAPA) incorporando conceitos das mais
rigorosas normas regulatórias mundiais como as emitidas pelo “Food and Drugs Administration - FDA”, dos Estados Unidos, e pela “European Medicines Agency – EMA”, da União
Europeia. Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação – PD&I - O grupo tem como uma de
suas principais metas manter-se na vanguarda tecnológica do segmento, investindo continuamente em pesquisa, desenvolvimento e inovação. A estrutura de PD&I conta com 6
laboratórios internos para o desenvolvimento de novos produtos e uma equipe interna com
aproximadamente 120 pessoas, formada por farmacêuticos, químicos, veterinários, biólogos e engenheiros. Ademais, o grupo mantém parcerias com diversas universidades e
centros de pesquisa, dentre eles: USP, UNIFRAN, IPT, EMBRAPA, FIOCRUZ, INSTITUTO
BUTANTÃ, UNICAMP, UFSCAR, UCDB, UFV e UNESP. As parcerias e convênios firmados
trazem como vantagem o acesso a um grande capital intelectual, inovação e tecnologia,
bem como reciclagem dos métodos utilizados para o processamento dos produtos. Em
consonância com esses investimentos, lançamos 9 produtos no ano de 2015:
Fonte: PPE Sindan (Ouro Fino)
Lançamentos de 2015
Desempenho econômico e financeiro
Nome
Indicação
Categoria
Linha Mês Lançado
Informações sobre as demonstrações financeiras - Tendo em vista que a Companhia foi
constituída em 10/04/14, as demonstrações financeiras individuais e consolidadas (“consolidaLactofur
Combate as principais infecções que acometem
AntiAnimais de
do”) de 2015 possuem informações de resultado comparativas que não representam de forma
bovinos (corte e leite) e suínos.
microbiano
Produção
mar/15
adequada a totalidade das operações do Grupo. Nesse contexto, para 2014, a Administração
Ciprolac
Indicado para a cura e prevenção a mastite (inflamação da glândula mamária) no
AntiAnimais de
optou por apresentar em seu relatório de administração informações derivadas das demonsVaca Seca
período seco para que o rebanho produza mais leite e de melhor qualidade.
microbiano
Produção
mar/15
trações financeiras combinadas-consolidadas (“combinado”) das controladas da Companhia.
Referidas informações financeiras combinadas, relativas a 2014, também foram ajustadas para
Isocox
Ajuda no tratamento de um problema conhecido
Animais de
melhor refletir o lucro líquido das operações continuadas, ajustado por eventos extraordinários,
como diarreia negra.
Outros
Produção
abr/15
em especial para considerar despesas da controladora, não incluídas no combinado, e para
Trissulfin SID
Indicada para o tratamento de infecções dos tratos intestinal, urinário,
desconsiderar despesas específicas relacionadas ao processo de abertura de capital.
respiratório, infecções de pele e ouvidos e ainda no tratamento das
Antibiótico & Animais de
Desempenho financeiro
isosporoses caninas, causadas por agentes sensíveis a seu espectro de ação. Terapêutico Companhia
jun/15
R$ Milhões
2014
2015
Var %
Receita líquida
432,2
534,0
23,6%
Enfrent
Indicado para o tratamento e profilaxia
Animais de
Custo dos produtos vendidos
(171,9)
(236,6)
37,6%
da tristeza parasitária bovina (TPB).
Parasiticida
Produção
ago/15
Lucro bruto
260,3
297,4
14,3%
Voss Performa Endectocida de amplo espectro à base de
Animais de
(margem bruta)
60,2%
55,7%
-4,5 p.p.
Eprinomectina para bovinos
Parasiticida
Produção
ago/15
Despesas (*)
(179,6)
(199,5)
11,1%
Lucro operacional
80,7
97,9
21,3%
Doxifin Tabs
Antimicrobiano palatável à base de doxiciclina
AntiAnimais de
(margem operacional)
18,7%
18,3%
-0,4 p.p.
para cães e gatos
microbiano Companhia
ago/15
Resultado financeiro
(11,4)
(10,6)
-7,0%
Superhion
Reúne os dois princípios-ativos mais modernos do mercado, Fluazuron e
Imposto de renda e contribuição social
(15,1)
(18,1)
19,9%
Fipronil, que agem no combate aos parasitas externos, carrapatos,
Animais de
Lucro das operações continuadas ajustado
54,2
69,2
27,7%
(margem lucro ajustado)
12,5%
13,0%
0,5 p.p.
bernes e mosca-dos-chifres
Parasiticida
Produção
nov/15
EBITDA ajustado
98,2
119,1
21,3%
Colosso
Indicado para o controle das pragas nos galpões avícolas
Animais de
(margem EBITDA ajustado)
22,7%
22,3%
-0,4 p.p.
Avicultura
e associa ativos de alta segurança
Parasiticida
Produção
dez/15
(*) em 2014 considera ajustes relativos a despesas operacionais da controladora, não incluidas no combinado, e despesas relacionadas ao IPO.
Em 2015, foram investidos aproximadamente 6,4% da receita líquida em PD&I, totalizando 2015, o número de colaboradores era de aproximadamente 1.300 empregados, caracteReceita Líquida
R$ 34,1 milhões. No gráfico abaixo, é possível verificar os investimentos totais da Compa- rizados por um perfil diversificado, jovem e dinâmico, sendo que 59% dos colaboradores
R$ Milhões
2014
2015
Var % nhia de 2013 até 2015.
possuem menos de 35 anos de idade. Cabe destacar, ainda, o bom nível educacional, com
Receita líquida das vendas
432,2
534,0
23,6%
55% dos colaboradores com curso superior ou acima (15% pós-graduados, 29% superior
Animais de produção
346,2
435,7
25,9%
completo e 11% superior incompleto e/ou em andamento). O corpo diretivo, em especial, é
Animais de companhia
59,3
62,4
5,2%
formado por profissionais de reconhecida experiência profissional no mercado e na própria
Operações internacionais
26,7
35,9
34,5%
companhia. Responsabilidade Social - Iniciamos em 2015 o estudo da implantação dos
A Companhia apresentou receita líquida de R$ 534,0 milhões em 2015, o que representa
requisitos de responsabilidade social da norma SA 8000, com a estruturação de mecanisum crescimento de 23,6% frente a 2014.
mos para avaliar os impactos sociais positivos dos projetos desenvolvidos. O objetivo da
6,4 %
Receita Líquida - Evolução - (R$ milhões)
Norma é definir e guiar o compromisso da Ouro Fino com a responsabilidade social. Este
6,3 %
compromisso implica na definição de níveis de desempenho esperados pela empresa com
6,4 %
relação a cada requisito da norma SA 8000 e seu sistema de gestão de responsabilidade
social, tanto em âmbito interno (aspectos controláveis e influenciáveis pela Ouro Fino),
como em termos de padrões de conformidade esperados de seus clientes, fornecedores
e subfornecedores. Esperamos que a gestão e o compromisso com a responsabilidade
social sejam continuamente aprimorados, abrangendo toda cadeia de valor da empresa.
Sabemos de nossa participação no desenvolvimento socioeconômico do meio em que estamos. Para isso destinamos recursos próprios, ou oriundos de leis de incentivos fiscais,
para diversos projetos socioeducativos contribuindo para a inclusão social e a melhoria da
Governança Corporativa - Novo mercado: Realizamos nossa oferta pública inicial de qualidade de vida da comunidade. Estamos envolvidos em diversos programas e projetos
ações (IPO) em outubro de 2014, participando do Novo Mercado da BM&FBovespa, segui- sociais intensificando nosso compromisso de trabalhar com a comunidade. Com o progra• O segmento de Animais de Produção apresentou uma receita líquida de R$ 435,7 milhões mento da bolsa de valores com as maiores exigências em relação a transparência e práti- ma “Jovens de Ouro” atendemos anualmente a 130 crianças na sede da Ouro Fino, com
em 2015, com crescimento de 25,9%. Destacam-se, em 2015, a receita incremental relativa aos cas de governança corporativa. A listagem nesse segmento especial implica na adoção de a missão de contribuir para o desenvolvimento e inclusão social de crianças carentes de
7 lançamentos de novos produtos e o crescimento de vendas na atual linha de produtos com um conjunto de regras societárias que ampliam os direitos dos acionistas, além da adoção escolas públicas por meio de ações que ocupam o tempo ocioso das crianças com práticas
ganho de share em várias classes terapêuticas, principalmente na linha de antiparasitários. • O de uma política de divulgação de informações mais transparente e abrangente. Conselho esportivas, desenvolvimento de atividades artísticas, responsabilidade ambiental, além de
segmento de Animais de Companhia obteve receita líquida de R$ 62,4 milhões em 2015, com de administração/Diretoria estatutária: O Conselho de administração é composto por reforço alimentar e apoio às famílias. O Projeto “Cidadãos de Ouro” é uma extensão deste
crescimento de 5,2% em relação a 2014. O desempenho abaixo das performances históricas cinco membros, dos quais três externos e independentes, segundo as definições do novo programa e atende anualmente 30 adolescentes por meio da formação de uma orquestra
reflete principalmente a decisão da Companhia de antecipar o projeto “Ouro Fino Distribuidora mercado. A diretoria executiva estatutária da Companhia é composta por dois diretores. A de flautas e aulas de cidadania. Nesta etapa de continuidade, os jovens são cadastrados
Pet” que fará atendimento direto aos petshops e clínicas das regiões sul e oeste da cidade de São lista com o nome, descrição de cargo e breve currículo dos conselheiros e diretores pode para trabalharem, futuramente, como menores aprendizes (a partir dos 14 anos) nas emPaulo e também tem como objetivo ser referência de trabalho para os outros 42 distribuidores ser encontrada no Formulário de Referência da Companhia, na seção de relação com in- presas da região e na Ouro Fino. Outro programa com foco em desenvolvimento social
da rede atual, com vendas já no 1º trimestre de 2016. • O segmento de Operações Internacio- vestidores no website www.ourofino.com/ri. Conselho fiscal: O conselho fiscal é um órgão é o curso de inseminação artificial que oferecemos a profissionais de todo o Brasil, posnais apresentou receita líquida de R$ 35,9 milhões em 2015, com crescimento de 34,5%. Esse fiscalizador independente da diretoria e do conselho de administração, que busca, através sibilitando o acesso ao conhecimento técnico, com certificação da Associação Brasileira
crescimento deve-se substancialmente ao aumento das vendas da controlada do México, que dos princípios da transparência, equidade e prestação de contas, contribuir para o melhor de Inseminação Artificial - ASBIA, relativo ao campo de reprodução bovina. Investimos na
cresceram 72,2% em pesos mexicanos em relação ao ano anterior, refletindo o resultado da desempenho da organização. É composto por três membros externos e independentes e capacitação deste pessoal arcando com todas as despesas como estadia, alimentação e
ampliação da equipe comercial e a expansão da base de clientes. Destaca-se, ainda, a retoma- suas atribuições estão previstas no artigo 163 da Lei 6.404/76 e no Estatuto da Compa- materiais utilizados no curso. Contamos com o apoio de seis universidades e centros de
da das vendas na Colômbia, após a aquisição do antigo distribuidor local no mês de setembro.
nhia. Comitê de auditoria estatutário: Órgão consultivo de assessoramento, vinculado pesquisa que contribuem na aplicação prática dos conceitos trabalhados em sala de aula.
Custo dos Produtos Vendidos, Lucro Bruto e Margem Bruta
diretamente ao Conselho de Administração, com a finalidade de: (i) analisar a contratação e No último dia do treinamento, oferecemos aos participantes uma visita à nossa sede, para
R$ Milhões
2014
2015
Var % destituição da auditoria independente, (ii) revisar e supervisionar as atividades da auditoria que conheçam o processo de fabricação dos produtos que utilizaram. Foram capacitadas
Custo dos produtos vendidos
(171,9)
(236,6)
37,6% interna e externa, (iii) monitorar a qualidade e integridade dos mecanismos de controles in- 645 pessoas em 2015 e 567 pessoas em 2014. Em outro projeto, de equoterapia, atendeLucro bruto
260,3
297,4
14,3% ternos e informações contábeis, (iv) avaliar e monitorar a exposição de risco, e (v) avaliar e mos anualmente 35 pessoas com deficiência física ou mental, em parceria com o Pelotão
(margem bruta)
60,2%
55,7%
-4,5 p.p. monitorar, juntamente com a Administração e auditoria interna a adequação das transações de Cavalaria do 3º Batalhão da Polícia Militar do Interior, localizado em Ribeirão Preto (SP).
O lucro bruto alcançou R$ 297,4 milhões em 2015, um aumento de 14,3% na comparação com partes relacionadas. Atualmente, o Comitê de Auditoria é composto por 3 membros Participamos com a disponibilização de uma educadora para a execução das terapias, com
com 2014. A redução da margem bruta nos períodos apresentados decorre, substancial- externos independentes eleitos pelo Conselho de Administração, sendo presidido por um os uniformes dos praticantes e dos terapeutas e com medicamentos para o tratamento dos
mente, do não repasse integral aos preços dos aumentos de custos pela apreciação do membro independente do Conselho de Administração. Comitê de remuneração: Auxilia o animais utilizados. Por meio de incentivos fiscais colaboramos ainda com diversos projetos
dólar e pela inflação de 2015, da estratégia de priorização de ganho de share em alguns Conselho de Administração na definição das políticas de remuneração e de benefícios dos incentivados, dentre eles: Hospital do câncer em Barretos, Projeto “Ciranda na Praça”,
produtos, da comercialização de um mix menos favorável com maior participação de aves conselheiros e diretores. O Comitê de Remuneração conta com 3 membros eleitos pelo Projeto “Herdeiros do futuro”, Associação de Equoterapia Vassoural e Fundação de Apoio
e suínos e por um pior cenário de preços das vacinas contra febre aftosa.
Conselho de Administração, dos quais 2 são externos, sendo presidido por um membro ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina de
Lucro bruto
independente do Conselho de Administração. Relacionamento com os auditores inde- Ribeirão Preto – FAEPA/USP.
pendentes: Em conformidade com a Instrução CVM nº 381/03, a Companhia e suas con- Meio ambiente - Com tudo o que conquistamos ao longo destes anos, o momento da
troladas adotam como procedimento formal, previamente à contratação de outros serviços Ouro Fino é de garantir a perenidade dos negócios aliada à preservação ambiental. Nosso
profissionais que não os relacionados à auditoria contábil externa, consultar os auditores esforço está ligado tanto às ações internas, com a gestão de seus aspectos e impactos amindependentes, no sentido de assegurar-se que a realização da prestação destes outros bientais, quanto à atuação externa, com o desenvolvimento de novos produtos e mercados.
serviços não venha a afetar sua independência e objetividade, necessárias ao desempenho Em nossas operações atendemos a todas as legislações ambientais aplicáveis e buscamos
dos serviços de auditoria independente. Neste contexto, durante o exercício findo em 31 de diminuir as principais “pegadas” ecológicas, seja incentivando a eficiência energética e hídezembro de 2015, foram contratados os seguintes serviços adicionais:
drica, ou ainda reduzindo a geração de resíduos. O reflexo desta busca pode ser percebido
Data da
Natureza
Hono% em relação aos nas práticas diárias dos colaboradores, assim como nos investimentos em equipamentos
contratação do serviço
rários serviços de auditoria e processos mais eficientes. A agropecuária brasileira está no centro de diversas questões
Abr/2015
Emissão de bringdown letter por
R$
sensíveis e importantes ao meio ambiente, como a expansão ilegal da pastagem sobre
ocasião do exercício
58,3
áreas de alta biodiversidade (como o desmatamento da Amazônia e do Cerrado), além da
do greenshoe IPO.
Mil
11,96% relação com aumento de emissões de gases causadores de efeito estufa pelo crescimento
Despesas com vendas, gerais e administrativas
de rebanhos. Postados neste mercado, direcionamos nossos esforços para desenvolver
Ago/2015
Due Diligence financeira, tributária,
R$ Milhões
2014
2015
Var %
legal e trabalhista no processo de
R$
produtos que aumentem a eficiência produtiva e minimizem os impactos. Entendemos este
Despesas com vendas, gerais
combinação de negócios com a
159,4
desafio e colocamos em nossa visão de negócio o desenvolvimento de um setor agropee administrativas e outras
(179,6)
(199,5)
11,1%
Bracol Agronegócio SAS.
Mil
32,68% cuário de menor impacto ambiental. Trabalhar desta forma nos permite a geração de valor
Percentuais sobre receita líquida
41,6%
37,4%
-4,2 p.p.
em produtos, pois a redução de impacto ambiental dos pecuaristas passa pelo aumento
Set/2015
Avaliação de Riscos de Segurança
R$
Refletindo os esforços da Companhia para ter mais eficiência nas operações e reduzir
do desempenho produtivo, ou seja, produzir mais em menores áreas e utilizando menos
da Informação e Estratégia de Pro25,8
gastos, o total das despesas com vendas, gerais e administrativas em 2015 cresceu em
teção de Informações Sensíveis.
Mil
5,29% recursos. Para alcançar este objetivo, estamos ao lado do produtor por meio de nossa
proporção menor que as receitas líquidas com diluição das despesas. Em 2015, o SG&A foi Arbitragem: Pelo Regulamento do Novo Mercado, e pelo Estatuto Social da Companhia, equipe comercial e diferentes canais de comunicação, promovendo o entendimento sobre
de R$ 199,5 milhões, uma diluição de 4,2 p.p. sobre a receita liquida.
o acionista controlador, os administradores, a própria Companhia e os membros do Con- as melhorias de desempenho ao se utilizar corretamente os produtos ofertados. Atuar na
EBITDA e margem EBITDA
selho Fiscal devem comprometer-se a resolver toda e qualquer disputa ou controvérsia cadeia de valor, entendendo os reais e significativos impactos da produção rural, além de
R$ Milhões
2014
2015
Var % relacionada ou oriunda a estas regras do Regulamento do Novo Mercado, do Contrato de conseguir mensurá-los, será o desafio e o compromisso que assumimos para os próximos
Lucro das operações continuadas
54,2
69,2
27,7% Participação no Novo Mercado, das Cláusulas Compromissórias, em especial, quanto à anos. Direcionaremos-nos para a redução dos riscos ambientais na cadeia de valor, di(-) Operações descontinuadas
(1,2)
-100,0% sua aplicação, validade, eficácia, interpretação, violação e seus efeitos, através da arbi- fundindo as condições para melhoria na produtividade, medindo e monitorando a eficácia
(+) Despesas operacionais da controladora
7,1
-100,0% tragem. Também serão resolvidas por arbitragem as divergências quanto à alienação de dessas ações e colhendo os resultados no meio ambiente de maneira analítica e precisa.
(-) Despesas relacionadas ao IPO
(8,8)
-100,0% Controle da Companhia. Declaração da diretoria estatutária: Em conformidade com o Nosso principal desafio será estimular uma cultura de mercado que entenda o valor da
Lucro líquido do período
51,3
69,2
34,9% inciso VI do Artigo 25 da Instrução CVM nº 480/09, os diretores da Ouro Fino declaram que preservação ambiental para a prosperidade do setor pecuarista, permitindo a diminuição
(+) Resultado financeiro líquido
11,4
10,6
-7,0% discutiram, reviram e concordaram com as opiniões expressas no parecer dos auditores in- dos inúmeros riscos ambientais ao se negligenciar o valor dos recursos naturais e dos
(+) Imposto de renda e contribuição social
15,1
18,1
19,9% dependentes e com as demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado ecossistemas. Para o ano de 2016, estamos nos posicionando em relação a gestão de
(+) Depreciação e amortização
16,7
20,1
20,4% em 31 de dezembro de 2015. Recursos Humanos - A satisfação dos nossos colaborado- mudanças climáticas, através do inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa com
EBITDA
94,5
118,0
24,9% res é um dos nossos principais valores e um diferencial competitivo. Uma vez satisfeitos, metas de curto, médio e longo prazo. Considerações finais - Confiante e apoiada no bom
(+) Operações descontinuadas
1,2
-100,0% nossos colaboradores tornam-se motivados em busca de geração de valor ao negócio. desempenho histórico, a Ouro Fino mantém o compromisso e o foco na continuidade dos
(-) Despesas operacionais da controladora
(7,1)
-100,0% Nesse contexto, as políticas de Recursos Humanos baseiam-se em um conjunto de ações seus esforços para um crescimento sustentável. Na busca constante de excelência empre(+) Despesas relacionadas ao IPO
8,8
-100,0% alicerçadas em princípios que visam à captação e retenção de profissionais de acordo sarial, a Ouro Fino agradece seus clientes, fornecedores, agentes financiadores, acionistas
(+) Outros
0,8
1,1
37,5% com as demandas dos negócios por meio de remuneração adequada, desenvolvimento e colaboradores pela confiança depositada em suas ações e convida a todos a continuarem
EBITDA Ajustado
98,2
119,1
21,3% profissional constante, segurança e bem-estar aos colaboradores. Em 31 de dezembro de compartilhando de seus ideais também para os próximos anos.
Receitas líquidas das vendas
432,2
534,0
23,6%
Demonstração do valor adicionado - Em milhares de reais
Demonstração do resultado
margem EBITDA
21,9%
22,1%
0,2 p.p.
Controladora
Consolidado
Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma
margem EBITDA Ajustado
22,7%
22,3%
-0,4 p.p.
Período
Período
Controladora
Consolidado
O EBITDA Ajustado em 2015 apresentou um crescimento de 21,3% em relação a 2014,
Exer- compreenExer- compreenPeríodo
Período
Balanço patrimonial - Em milhares de reais
cício dido entre
cício dido entre
Exer- compreenExer- compreenfindo em
10/04/14 findo em
10/04/14
cício dido entre
cício dido entre
Controladora
Consolidado
Controladora
Consolidado
31/12/15 e 31/12/14 31/12/15 e 31/12/14
findo em
10/04/14 findo em
10/04/14 Receitas
Ativo
Nota
2015
2014
2015
2014 Passivo e patrimônio líquido
Nota
2015
2014
2015
2014
Vendas
brutas
de
produtos
e
serviços
586.158
362.558
Nota
31/12/15
e
31/12/14
31/12/15
e
31/12/14
Circulante
Circulante
Outras receitas
1.120
326
Caixa e equivalentes de caixa
9
468
11
23.380 72.453
Fornecedores
17
29.450 22.390 Operações continuadas
Receitas relativas à
Receita
21
534.045
327.360
Contas a receber de clientes
11
225.740 178.111
Instrumentos financeiros derivativos
10
1.297
12
construção
de
ativos
próprios
16.457
11.715
Custo
das
vendas
22
(236.684)
(133.411)
Instrumentos financeiros
Empréstimos e financiamentos
18
57.260 103.093
Provisão para créditos de liquidação duvidosa
(1.105)
(190)
297.361
193.949
derivativos
10
22 10.376
Salários e encargos sociais
99
64
24.333 24.912 Lucro bruto
602.630
374.409
Despesas com vendas
22
(161.618) (103.597)
Estoques
12
109.263 86.848
Tributos a recolher
546
434
6.585
5.638
Insumos
adquiridos
de
terceiros
Despesas
gerais
e
administrativas
22
(1.688)
(6.763)
(39.882)
(28.168)
Tributos a recuperar
13
201
96
7.471
6.905
IR e CS a pagar
1.873
763
Custo dos produtos vendidos,
Resultado de
Imposto de renda e
Dividendos e juros sobre o capital próprio 28 16.433
8.959
16.433
8.959
das mercadorias e dos serviços prestados
(194.695) (107.083)
equivalência patrimonial
5
71.332
44.813
contribuição social a recuperar
1.020
2.486
Partes relacionadas
28
119
660
Outras receitas (despesas), líquidas 23
110
(331)
2.041
(5) Materiais, energia, serviços de
Partes relacionadas
28
5.615
4.398
1.870
998
Comissões sobre as vendas
7.313
5.669
terceiros e outros
(652)
(6.385) (135.182)
(92.996)
69.754
37.719
97.902
62.179
Outros ativos
12
9.611
7.439
Outros passivos
16
420
4.790
5.468 Lucro operacional
Ganhos (perdas) de valores ativos, líquidos
679
(3.618)
Receitas financeiras
4
51
26.872
22.638
6.284
4.517 378.377 365.616
17.213
9.877 149.994 176.904
(652)
(6.385) (329.198) (203.697)
Despesas financeiras
(566)
(50) (37.507)
(30.712)
Não circulante
Instrumentos financeiros derivativos
10
1.164
(652)
(6.385) 273.432
170.712
24
(562)
1 (10.635)
(8.074) Valor adicionado bruto
Realizável a longo prazo
Empréstimos e financiamentos
18
159.227 112.560 Resultado financeiro
Depreciação e amortização
(20.539)
(11.313)
Instrumentos financeiros
Provisão para contingências
19
3.841
2.664 Lucro antes do imposto de renda
e da contribuição social
69.192
37.720
87.267
54.105 Valor adicionado líquido
derivativos
10
1.713
IR e CS diferidos
14
3.812
produzido
pela
entidade
(652)
(6.385)
252.893
159.399
IR
e
contribuição
social
25
Tributos a recuperar
13
32.322 22.529
163.068 120.200
Correntes
(25.237)
(9.840) Valor adicionado recebido em transferência
Imposto de renda e
Total do passivo
17.213
9.877 313.062 297.104
Diferidos
7.177
(5.387) Resultado de equivalência
contribuição social diferidos
14
5.558
1.920 Patrimônio líquido
20
patrimonial
71.332
44.813
Lucro
do
exercício/período
Partes relacionadas
28
104.260
Capital social
298.889 298.889 298.889 298.889
Receitas financeiras
4
51
26.932
22.638
69.192
37.720
69.207
38.878
Outros ativos
2.616
261
Reserva de capital
(6.392)
(6.275)
(6.392) (6.275) das operações continuadas
Royalties
100
41
100
41
Operações descontinuadas
104.260
42.209 24.710
Opções outorgadas
1.491
1.491
Outras
26
1.591
924
Prejuízo
do
período
de
Investimentos em controladas
5 391.110 231.169
Reservas de lucros
70.241
22.136
70.241 22.136
70.810
38.520 281.516
183.002
operações descontinuadas
(688) Valor adicionado total a distribuir
Intangível
15
78.690 66.300
Ajustes de avaliação patrimonial
15.952
15.319
15.952 15.319
Distribuição do valor adicionado
Imobilizado
16
194.095 170.635
380.181 330.069 380.181 330.069 Lucro líquido do exercício/
Pessoal
período
69.192
37.720
69.207
38.190
Total do ativo não circulante
391.110 335.429 314.994 261.645
Participação dos não controladores
128
88
Remuneração direta
864
318
96.000
59.001
Total do patrimônio líquido
380.181 330.069 380.309 330.157 Atribuível a:
Benefícios
4
2
18.374
10.643
Acionistas
da
Companhia
69.192
37.720
Total do ativo
397.394 339.946 693.371 627.261 Total do passivo e do patrimônio líquido
397.394 339.946 693.371 627.261
FGTS
7.234
3.992
Participação
dos
não
controladores
15
470
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.
Impostos, taxas e contribuições
69.207
38.190
Demonstração do resultado abrangente - Em milhares de reais
Federais
695
430
46.884
32.907
Lucro (prejuízo) por ação
Controladora
Consolidado atribuível aos acionistas da
Estaduais
1
1.009
5.694
Municipais
207
66
Exercício findo Período compreendido entre Exercício findo Período compreendido entre
Companhia durante o
Remuneração de capitais de terceiros
execício/período (em Reais)
26
em 31/12/15
10/04/14 e 31/12/14
em 31/12/15
10/04/14 e 31/12/14
Juros
54
50
37.099
30.183
Lucro líquido do exercício/período
69.192
37.720
69.207
38.190 Lucro (prejuízo)
Aluguéis
4.656
1.760
básico por ação
Outros componentes do resultado abrangente
Outras
846
566
De operações continuadas
1,28271
1,07876
Itens a serem posteriormente reclassificados para o resultado
Remuneração de capitais próprios
(0,01932)
Variação cambial de investimento reflexo localizado no exterior
633
111
658
111 De operações descontinuadas
Lucros retidos
52.759
28.761
52.759
28.761
1,28271
1,05943
Total do resultado abrangente do exercício/período
69.825
37.831
69.865
38.301
Juros sobre capital
Lucro (prejuízo) diluído por ação
Atribuível a:
próprio e dividendos
16.433
8.959
16.433
8.959
De operações continuadas
1,28105
1,07876
Acionistas da Companhia
69.825
37.831 De operações descontinuadas
Participação dos não controladores
15
470
(0,01932)
Participação dos não controladores
40
470
70.810
38.520 281.516
183.002
1,28105
1,05943 Valor adicionado distribuído
69.865
38.301
As notas explicativas da administração são parte
As notas explicativas da administração
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.
continua
integrante das demonstrações financeiras.
são parte integrante das demonstrações financeiras.
continuação
Demonstração das mutações do patrimônio líquido - Em milhares de reais
Demonstração dos fluxos de caixa - Em milhares de reais
Atribuível aos acionistas da controladora
Controladora
Consolidado
Período
Período
Exer- compreenExer- compreenContribuições de acionistas
Nota
Total
cício dido entre
cício dido entre
Integralização de capital em 10/04/14
1
findo em
10/04/14 findo em
10/04/14
Incorporação de acervo líquido
20 (a)
15.208
203.834
31/12/15 e 31/12/14 31/12/15 e 31/12/14
Integralização de capital com incorporações de ações
20 (a)
(2.746)
1.073
Fluxos de caixa das atividades operacionais
Perda na aquisição investimento
20 (a)
(3.368)
(3.368)
Lucro antes do IR e da CS
69.192
37.720
87.267
53.417
Aumento de capital com emissões de ações
20 (a)
106.443
106.443
Ajustes de:
Custo de captação
20 (b)
(6.275)
(6.275)
Provisão de créditos de liquidação duvidosa
1.105
190
Participações dos não controladores
(382)
Provisão (reversão) para perdas
Total de contribuições de acionistas
298.889
(6.275)
(6.114)
15.208
301.708
(382)
e baixas de estoques
(679)
2 .842
Resultado abrangente do período
Equivalência patrimonial
(71.332)
(44.813)
Lucro líquido do período
37.720
37.720
470
38.190
Depreciação e amortização
20.132
11.313
Variação cambial de controlada no exterior
111
111
111
Provisão para impairment do ativo intangível
407
776
Total do resultado abrangente do período
111
37.720
37.831
470
38.301
Ganho na alienação de imobilizado
Distribuições aos acionistas
e ativo intangível
(1.855)
(151)
Destinações do lucro:
Variações monetárias, cambiais e juros, líquidos
22.310
18.656
Reserva legal
20 (c)
1.886
(1.886)
Instrumentos financeiros
Juros sobre o capital próprio e dividendos
20 (c)
(9.470)
(9.470)
(9.470)
derivativos não realizados
(11.098)
(7.552)
Retenção de lucros para expansão
20 (c)
26.364
(26.364)
Reversão de provisão de contingências
(27)
(1.254)
Total de distribuições aos acionistas
1.886
26.364
(37.720)
(9.470)
(9.470)
Outras perdas/ganhos
(377)
420
Em 31/12/2014
298.889
(6.275)
1.886
20.250
15.319
330.069
88
330.157
Opções de ações outorgadas
21
1.491
Em 1º/01/2015
298.889
(6.275)
1.886
20.250
15.319
330.069
88
330.157
Variação no capital circulante
Resultado abrangente do período
Contas a receber de clientes
(48.164)
(55.315)
Lucro líquido do exercício
69.192
69.192
15
69.207
Estoques
(22.723)
4 .783
Variação cambial de controlada no exterior
633
633
25
658
Tributos a recuperar
3
(8) (9.841)
6 .358
Total do resultado abrangente do período
633
69.192
69.825
40
69.865
Outros ativos
23
(1.011)
(175)
(1.682)
Contribuições de acionistas
Fornecedores
4.864
(16.747)
Distribuição de dividendos adicionais de 2014
20 (c)
(3.931)
(3.931)
(3.931)
Tributos e taxas a recolher
54
433
976
(1.514)
Opções de ações outorgadas
20 (e)
1.491
1.491
1.491
Outros passivos
(230)
(4.102)
1.504
242
Custo de captação
(117)
(117)
(117) Caixa gerado pelas (aplicado
Total de contribuições de acionistas
(117)
1.491
(3.931)
(2.557)
(2.557)
nas) operações
(2.269)
(11.781) 45.117
14.782
Distribuições aos acionistas
Juros pagos
(7.785)
(7.914)
Destinações do lucro:
IR e CS pagos
(21.823)
(6.015)
Reserva legal
20 (c)
3 .460
(3.460)
Caixa líquido gerado pelas
Juros sobre o capital próprio e dividendos
20 (c)
(17.156)
(17.156)
(17.156)
(aplicado nas) atividades operacionais (2.269)
(11.781) 15.509
853
Retenção de lucros para expansão
20 (c)
48.576
(48.576)
Fluxos de caixa das atividades de investimentos
Total de distribuições aos acionistas
3 .460
48.576
(69.192)
(17.156)
(17.156)
Adiantamentos para futuro
Em 31/12/2015
298.889
(6.392)
1.491
5.346
64.895
15.952
380.181
128
380.309
aumento de capital
(28.400) (104.260)
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.
Aquisição de investimento
(387)
Aplicações
de
recursos
em
ativos
intangíveis
(21.965)
(15.498)
Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras em 31/12/2015 - Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma
Compras de imobilizado
(35.087)
(14.271)
Partici- ParticiSeção A – Informações gerais - 1.1 Contexto operacional - A Ouro Fino Saúde Animal ativos pode não ser recuperável com base em fluxos de caixa futuros. Se o valor contábil (b) Participação societária nos investimentos
Recebimento de dividendos
pação pação
Participações S.A. (“Companhia”) é uma sociedade anônima de capital aberto, com sede destes ativos for superior ao seu valor recuperável, o valor líquido é ajustado e sua vida útil
e juros sobre o capital próprio
44.015
15.884
em Cravinhos/SP. A Companhia tem ações negociadas no Novo Mercado da BM&FBoves- readequada para novos patamares. (e) Provisão para contingências - O Grupo é parte Nome
País
Negócio
direta indireta
Valor recebido pela venda de imobilizado
1.056
10.867
pa S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. A Companhia e suas controladas (con- envolvida em processos tributários, trabalhistas e cíveis que se encontram em instâncias (i) Ouro Fino
Caixa líquido gerado pelas (aplicado
juntamente, “o Grupo”) atuam no segmento de saúde animal, especificamente no desenvol- diversas. As provisões para contingências, constituídas para fazer face a potenciais perdas Saúde
Brasil
Pesquisa, desenvolvimento, industrialização
nas) atividades de investimentos
15.615
(88.376) (56.383)
(18.902)
vimento, produção e comercialização de medicamentos, vacinas e outros produtos prováveis dos processos em curso, são estabelecidas e atualizadas com base na avaliação Animal
e a comercialização de medicamentos,
Fluxos de caixa das atividades de financiamentos
veterinários para animais de produção e de companhia. Foi constituída em 10/04/2014 e da administração, fundamentada na opinião de seus assessores legais e requerem elevado Ltda.
vacinas e outros produtos veterinários.
Aumento de capital
106.443
106.443
em Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 30/06/2014, foi aprovada a incorporação grau de julgamento sobre as matérias envolvidas. (f) Valor justo do plano de outorga de
A comercialização no mercado interno
Custo de captação
(6.275)
(6.275)
de acervo líquido das empresas Ouro Fino Saúde Animal Ltda. (e sua controlada Ouro Fino opções de compra de ações - O valor justo atribuído às opções outorgadas é determinado
ocorre com as empresas mencionadas nos
Obtenção de empréstimos e financiamentos
97.158
61.369
de México, S.A. de CV), Ouro Fino Agronegócio Ltda. e Ouro Fino Pet Ltda., a valores com base no modelo de precificação Black-Scholes-Merton, modelo este que leva em conitens (ii) e (iii). A comercialização no mercado
Pagamentos de empréstimos e financiamentos
(112.888)
(61.589)
contábeis, no montante líquido de R$ 188.626. Portanto, as demonstrações financeiras sideração o valor do ativo objeto, o preço de exercício, o tempo a decorrer até o exercício
externo é realizada diretamente com terceiros
Obtenção de recursos de
consolidadas no exercício findo em 2015 não são totalmente comparáveis com aquelas das opções, a probabilidade da opção ser exercida, a volatilidade histórica, a taxa de divie por meio das empresas mencionadas nos
partes relacionadas - mútuo
8 .600
relativas ao período compreendido entre 10 de abril e 31 de dezembro de 2014. A emissão dendos e a taxa de juros livre de risco. (g) Perda (impairment) do ativo intangível - Anualitens (iv) e (v). Também presta serviços de
Pagamento de partes relacionadas - mútuo
(32.640)
dessas demonstrações financeiras individuais e consolidadas foi autorizada pelo Conselho mente, o Grupo avalia a recuperabilidade (impairment) dos saldos de desenvolvimento de
industrialização por encomenda de terceiros. 100,00%
Pagamento de dividendos e
de Administração em 17/03/2016. 1.2 Base de preparação - As demonstrações financei- produtos no intangível, sempre que praticável por meio do método de fluxo de caixa des- (ii) Ouro Fino Brasil
Comercialização no mercado interno de medicajuros sobre o capital próprio
(12.889)
(12.889)
ras, individuais e consolidadas, foram preparadas conforme as práticas contábeis adotadas contado, considerando dentre outros aspectos: (i) premissas de geração futura de receitas, Agronegócio
mentos, vacinas e outros produtos veterinários
Instrumentos financeiros derivativos realizados
19.860
no Brasil incluindo os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contá- fundamentadas nos tamanhos dos mercados (atual e previsto), e na participação de merLtda.
para animais de produção adquiridos da empresa
Caixa líquido aplicado nas (gerado pelas)
beis (CPC) e as normas internacionais de relatório financeiro (International Financial Repor- cado que o Grupo espera atingir; (ii) estimativas dos custos diretos e indiretos de fabricamencionada no item (i) e de terceiros.
100,00%
atividades de financiamentos
(12.889) 100.168
(8.759)
75.908
ting Standards (IFRS), emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB)), e ção; e (iii) gastos associados à comercialização, tais como, despesas de marketing, comis- (iii) Ouro Fino
Comercialização no mercado interno de medicaAumento (redução) líquido de
evidenciam todas as informações relevantes próprias das demonstrações financeiras, e sões e fretes e armazenagens. O exercício das projeções abrange cinco ou mais anos, a Pet Ltda.
Brasil mentos, produtos veterinários e artigos correlatos
caixa e equivalentes de caixa
457
11 (49.633)
57.859
somente elas, as quais estão consistentes com as utilizadas pela administração na sua partir da data estimada de lançamento, dependendo da estimativa do ciclo de vida do propara animais de companhia adquiridos da
Caixa e equivalentes de caixa
gestão. As principais políticas contábeis aplicadas na preparação dessas demonstrações duto, desenvolvimento de mercado e grau de inovação tecnológica associada. O registro de
empresa mencionada no item (i).
100,00%
no início do exercício/período
11
72.453
14.424
financeiras estão apresentadas na Nota 30. As demonstrações financeiras foram prepara- provisões é feito quando o valor de recuperação (valor presente líquido do fluxo de caixa) (iv) Ouro Fino México Comercialização de medicamentos e
Ganhos cambiais sobre caixa
das considerando o custo histórico como base de valor e ajustadas para refletir o custo for inferior ao valor do ativo registrado, de acordo com a política contábil da Companhia de
outros produtos veterinários, exclusivamente no
e equivalentes de caixa
175
170
atribuído de terras e terrenos na data de transição para IFRS/CPCs, e que, no caso de ati- apresentada na Nota 30.8. 3 Gestão de risco financeiro - 3.1 Fatores de risco financeiMéxico, S.A.
mercado mexicano, adquiridos da empresa
Caixa recebido na aquisição de investimentos
385
vos financeiros disponíveis para venda, outros ativos e passivos financeiros (inclusive ins- ro - As atividades das empresas do Grupo possuem riscos financeiros relacionados princide CV
mencionada no item (i).
96,43% Caixa e equivalentes de caixa
trumentos derivativos) é ajustado para refletir a mensuração ao valor justo. A preparação palmente às variações cambiais, à flutuação das taxas de juros, ao risco de crédito e ao (v) )Bracol
Colôm- Comercialização de medicamentos e outros
no fim do exercício/período
468
11
23.380
72.453
das demonstrações financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críticas e risco de liquidez. O objetivo do gerenciamento de riscos é reduzir possíveis variações não Agrobia
produtos veterinários, exclusivamente no mercado
As notas explicativas da administração
também o exercício de julgamento por parte da administração no processo de aplicação esperadas nos resultados, advindas dos referidos riscos. O Grupo gerencia seus riscos finegócio
colombiano, adquiridos da empresa
são parte integrante das demonstrações financeiras.
das políticas contábeis. Aquelas áreas que requerem maior nível de julgamento e possuem nanceiros como fundamento para sua estratégia de crescimento e de um fluxo de caixa
S.A.S
mencionada no item (i).
100,00%
maior complexidade, bem como as áreas nas quais premissas e estimativas são significati- saudável e dispõe de um comitê financeiro que estabelece as estratégias de administração (c) Resumo das informações financeiras - Os quadros abaixo apresentam um resumo (iv) Demonstração dos fluxos de caixa sintética
Exercício findo em 31/12/2015
vas para as demonstrações financeiras individuais e consolidadas, estão divulgadas na de tais exposições, podendo fazer uso de instrumentos financeiros derivativos ou não deri- das informações financeiras das controladas.
Controladas
Nota 2. A apresentação da Demonstração do Valor Adicionado (DVA), individual e consoli- vativos para proteção contra esses riscos potenciais. São monitorados os níveis de exposi- (i) Balanço patrimonial sintético
2015
Diretas
Indiretas
dada, é requerida pela legislação societária brasileira e pelas práticas contábeis adotadas ção a cada risco de mercado (variação cambial e taxa de juros) e a sua mensuração inclui
Controladas
Ouro Fino Ouro Fino
Ouro Ouro Fino
Bracol
no Brasil aplicáveis a companhias abertas. As IFRS não requerem a apresentação dessa uma análise com base na exposição contábil e previsão de fluxos de caixa futuros. (a)
Diretas
Indiretas
Saúde AniAgroneFino de México, Agronegódemonstração. Como consequência, pelas IFRS, essa demonstração está apresentada Riscos de mercado - (i) Risco cambial - O risco cambial é o risco de que as alterações
Ouro Fino Ouro Fino
Ouro Ouro Fino
Bracol
mal
Ltda.
gócio
Ltda.
Pet
Ltda.
S.A.
de
C.V.
cio
S.A.S
como informação suplementar, sem prejuízo do conjunto das demonstrações contábeis. 1.3 das taxas de câmbio de moedas estrangeiras possam fazer com que o Grupo incorra em
Saúde AniAgroneFino de México, AgronegóMudanças nas políticas contábeis e divulgações - A seguinte alteração de norma e in- perdas não esperadas, levando a uma redução dos valores dos ativos ou aumento dos Circulante
mal Ltda. gócio Ltda. Pet Ltda. S.A. de C.V. cio S.A.S Fluxos de
caixa
das
atividades
terpretação, vigente a partir de 1º/01/2015, que foi adotada pelo Grupo é: • Revisão CPC 07 valores dos passivos. A principal exposição no tocante à variação cambial refere-se à flu- Ativo
176.630
217.371
26.915
11.273
6.995
operacionais
– Método de equivalência patrimonial. As seguintes alterações de normas e interpretações, tuação do dólar norte-americano. Para proteção dos riscos de variações cambiais, quando Passivo
(84.606)
(82.709)
(3.658)
(8.135)
(8.040)
Caixa gerado pelas
vigentes a partir de 1º/01/2015, que não tiveram impactos para o Grupo são: • CPC 15/IFRS necessário, são utilizadas operações de derivativos, substancialmente swap cambial. Os Ativo (passivo)
(aplicado
nas) atividades
3 – Combinação de negócios; • CPC 46/IFRS 13 – Mensuração de valor justo; • CPC 05/ swaps, classificados como derivativos de valor justo por meio do resultado, foram contrata- circulante, líquido
92.024
134.662
23.257
3.138
(1.045)
operacionais
(3.920)
23.870
26.441
1.577
(571)
IAS 24 - Partes relacionadas; • CPC 22/IFRS 8 – Informações por segmento. Outras altera- dos para troca de encargos de empréstimos e financiamentos originalmente em moeda Não circulante
(4.793)
(2.993)
ções e interpretações em vigor para 2015 não são relevantes para o Grupo. 1.4 Consoli- estrangeira para encargos com base na variação dos Certificados de Depósitos Interbancá- Ativo
288.616
24.040
569
439
1.190 Juros pagos
IR
e
CS
pagos
(19.259)
(2.564)
dação - A Companhia consolida todas as entidades sobre as quais detém o controle, des- rios (CDI), bem como para troca de taxas de juros originalmente contratadas como pré-fixa- Passivo
(131.637)
(33.318)
(179)
(2.205)
Caixa líquido gerado
critas na Nota 5 (b), de acordo com o descrito na Nota 30.1. Seção B - Riscos - 2 das para taxas pós-fixadas. Ganhos e perdas são reconhecidos em “Resultado financeiro” Ativo (passivo)
Estimativas, premissas e julgamentos contábeis críticos - As estimativas e os julga- na demonstração do resultado, por não ser atualmente adotada a contabilidade de hedge não circulante, líquido
156.979
(9.278)
390
439
(1.015) pelas (aplicado nas)
atividades operacionais
(8.713)
1.618
23.877
1.577
(571)
mentos contábeis são continuamente avaliados e baseiam-se na experiência histórica e em (hedge accounting). A seguir, são apresentados os saldos contábeis consolidados de ativos Patrimônio líquido
outros fatores, incluindo expectativas de eventos futuros, consideradas razoáveis para as e passivos indexados ao dólar norte-americano:
(passivo a descoberto)
249.003
125.384
23.647
3.577
(2.060) Caixa líquido aplicado nas
atividades
de
circunstâncias. Com base em premissas, o Grupo faz estimativas com relação ao futuro. Ativos em moeda estrangeira
2014
2015
2014
investimento
(53.584)
(2.967)
(206)
(509)
(89)
Por definição, as estimativas contábeis resultantes raramente serão iguais aos respectivos Caixa e equivalentes de caixa
Controladas
2.221
2.266
resultados reais. As estimativas e premissas que apresentam um risco significativo, com Contas a receber de clientes
Diretas
Indiretas Caixa líquido gerado pelas
18.941
13.965
(aplicado
nas)
probabilidade de causar um ajuste relevante nos valores contábeis de ativos e passivos Adiantamentos a fornecedores
Ouro Fino
Ouro Fino
Ouro
Ouro Fino
3.113
10.820
atividades de
para o próximo exercício social, estão contempladas a seguir. (a) Valor justo de instruSaúde AniAgroneFino
de México,
24.275
27.051
financiamentos
42.738
(26.227) (27.615)
581
mentos financeiros derivativos - O valor justo de instrumentos financeiros derivativos é Passivos em moeda estrangeira
Circulante
mal Ltda. gócio Ltda. Pet Ltda. S.A. de C.V.
determinado mediante o uso de técnicas de avaliação. O Grupo usa seu julgamento para Empréstimos e financiamentos (*)
Ativo
186.359
221.786
35.603
5.077 Aumento (redução)
810
817
escolher diversos métodos e definir premissas que se baseiam principalmente nas condi- Fornecedores
Passivo
(149.317)
(90.909)
(7.537)
(2.696) líquido de caixa
12.826
11.330
e equivalentes
ções de mercado existentes na data do balanço. (b) Provisão para créditos de liquidação Adiantamentos de clientes
37.042
130.877
28.066
2.381
1 Ativo circulante líquido
de caixa
(19.559)
(27.576)
(3.944)
1.068
(79)
duvidosa (impairment) - O impairment é estabelecido quando existe uma evidência obje13.636
12.148 Não circulante
tiva de que as empresas não serão capazes de receber todos os valores devidos. A provi- Exposição líquida ativa
Ativo
239.504
22.619
355
98 Caixa e equivalentes
10.639
14.903
de
caixa
são é calculada em montantes considerados suficientes para cobrir perdas prováveis na (*) Os saldos de empréstimos e financiamentos em moeda estrangeira não consideram Passivo
(170.070)
(54.132)
(258)
no início do exercício
30.274
32.660
9.206
302
385
realização das contas a receber, considerando a situação de cada cliente e as respectivas capitais de giro no montante de R$ 57.005 (2014 – R$ 63.648), por haver contratação de Ativo (passivo) não circulante líquido 69.434
(31.513)
97
98
garantias possuídas. (c) Imposto de renda e contribuição social diferidos - Os saldos de swap cambial. O acompanhamento das variações entre os ativos e passivos em moeda Patrimônio líquido
106.476
99.364
28.163
2.479 Ganhos cambiais
sobre caixa e
imposto de renda e contribuição social diferidos ativos, calculados sobre prejuízos fiscais e estrangeira é feito regularmente, através do fluxo de caixa projetado de entradas e saídas (ii) Demonstração do resultado sintética
equivalentes de caixa
105
70
bases negativas, foram contabilizados com base em expectativa de realização futura, ba- de ativos e passivos cambiais. Ao longo do ano existem oscilações nas variações entre os
Exercício findo em 31/12/2015
seada em projeções de resultados preparadas pela administração, que consideram o de- ativos e passivos em moeda estrangeira podendo existir descasamento ou não. Diante disControladas Caixa e equivalentes de caixa
no fim do exercício
10.820
5.154
5.262
1.370
306
senvolvimento normal dos negócios e mercados de atuação, de acordo com os cenários so, de forma a mitigar os riscos incorridos pela possível exposição cambial, eventualmente,
Diretas
Indiretas
Período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014
atualmente conhecidos. (d) Revisão da vida útil do imobilizado - A capacidade de recu- quando necessário podem ser contratadas operações de derivativos. No quadro abaixo
Ouro Fino Ouro Fino
Ouro Ouro Fino
Bracol
Controladas
peração dos ativos que são utilizados nas atividades do Grupo é avaliada quando eventos são considerados cinco cenários, considerando as variações percentuais das cotações de
Saúde AniAgroneFino de México, AgronegóDiretas
Indiretas
ou mudanças nas circunstâncias indicarem que o valor contábil de um ativo ou grupo de paridade entre o Real e o Dólar.
Receitas líquimal Ltda. gócio Ltda. Pet Ltda. S.A. de C.V. cio S.A.S
Ouro Fino
Ouro Fino
Ouro
Ouro Fino
da das vendas
304.960
420.057
66.052
12.674
2.798
Impacto da apreciação/ depreciação do dólar no saldo das carteiras
Saúde AniAgroneFino
de México,
Lucro
(prejuízo)
3,90
4,23
3,17
2,12
5,29
6,35
mal Ltda. gócio Ltda. Pet Ltda. S.A. de C.V.
antes do IR e CS
6.598
63.184
25.712
665
(1.960)
Ativos/passivos
Risco
2015
Cenário 1
Cenário 2
Cenário 3
Cenário 4
Cenário 5
2.246
(19.634)
(2.685)
(250)
156 Fluxos de caixa das
(provável)
(depreciação do
(depreciação do
(apreciação do
(apreciação do IR e CS
atividades operacionais
Lucro
líquido
(prejuíUS$ - 25%)
US$ - 50%)
US$ - 25%)
US$ - 50%)
zo) do exercício
8.844
43.550
23.027
415
(1.804) Caixa gerado pelas
Caixa e equivalentes de caixa
Depreciação do US$
2.221
185
(602)
(1.203)
602
1.203
(aplicados nas)
Período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014
Contas a receber de clientes
Depreciação do US$
18.941
1.581
(5.130)
(10.261)
5.130
10.261
atividades operacionais
(66.256)
65.732
25.682
(87)
Controladas
Adiantamentos a fornecedores
Depreciação do US$
3.113
260
(843)
(1.686)
843
1.686
Juros
pagos
(2.403)
(5.511)
Diretas
Indiretas
Empréstimos e financiamentos
Apreciação do US$
810
(68)
219
439
(219)
(439)
IR e CS pagos
(4.935)
(1.080)
Ouro
Fino
Ouro
Fino
Ouro
Ouro
Fino
Fornecedores
Apreciação do US$
12.826
(1.070)
3.474
6.948
(3.474)
(6.948)
Saúde AniAgroneFino
de México, Caixa líquido gerado
Efeito líquido
10.639
888
(2.882)
(5.763)
2.882
5.763
pelas (aplicado
mal Ltda. gócio Ltda. Pet Ltda. S.A. de C.V.
(ii) Riscos de taxa de juros - O Grupo possui risco de vir a sofrer perdas econômicas contratual futuros pela taxa de juros vigente no mercado, que está disponível para o Grupo Receitas líquidas das vendas
nas) atividades operacionais
(68.659)
55.286
24.602
(87)
168.212
265.533
43.699
4.499
devido a alterações adversas nas taxas de juros. Os riscos de taxas de juros do Grupo para instrumentos financeiros similares. Os instrumentos financeiros são mensurados no Lucro antes do IR e CS
3.628
39.512
19.712
1.610 Caixa líquido gerado
decorrem predominantemente de empréstimos e financiamentos. O endividamento está balanço patrimonial pelo valor justo, o que requer divulgação das mensurações do valor IR e CS
pelas
(aplicado
nas)
ativi(471)
(13.771)
(1.633)
(812)
indexado, essencialmente, à taxa de juros pré-fixadas e aos Certificados de Depósitos In- justo pelo nível de hierarquia. Todos os instrumentos financeiros do Grupo foram classifica- Lucro líquido do período
dades de investimentos
(24.788)
7.657
(280)
terbancários - CDI. O Grupo busca manter uma relação estável em seu endividamento de dos como Nível 2 “Outros dados significativos observáveis”, conforme demonstrado abaixo. das operações continuadas
3.157
25.741
18.079
798 Caixa líquido gerado pelas
curto e longo prazo, mantendo uma proporção maior no longo prazo. Quanto às aplicações
Consolidado Prejuízo das operações
(aplicado nas) atividades de
financeiras, o indexador é o CDI. O Grupo monitora continuamente as taxas de juros de Conforme balanço patrimonial
Classificação
2015
2014
financiamento
119.571
(39.571)
(15.883)
descontinuadas
(688)
mercado com o objetivo de avaliar a eventual necessidade de contratação de operações de Ativo - Instrumentos financeiros derivativos
Lucro líquido do período
3.157
25.053
18.079
798 Aumento (redução) líquido de caixa
derivativos para proteção contra o risco de volatilidade dessas taxas. O Grupo entende que Swap cambial
Nível 2
1.735 10.376 (iii) Demonstração do resultado abrangente
e equivalentes de caixa
26.124
23.372
8.439
(87)
atualmente eventuais flutuações das taxas de juros não afetariam significativamente seu Passivo - Instrumentos financeiros derivativos
Período compreendido Caixa e equivalente de caixa
resultado financeiro, uma vez que em 2015, 56,4% (2014 – 49,3%) dos seus empréstimos Swap de taxas de juros
Nível 2
(1.297) (1.176)
no
início
do
período
3.994
9.273
768
389
Exercício findo
entre 10/04/2014
e financiamentos estão indexados à taxas de juros pré-fixadas.
438
9.200 Ouro Fino Saúde Animal
em 31/12/2015
e 31/12/2014 Ganhos cambiais
(b) Riscos de crédito - O Grupo está potencialmente sujeito ao risco de crédito relacionado Seção C – Informações por segmento
sobre caixa e equivalentes
Ltda. (controlada direta)
com as contas a receber dos clientes, aplicações financeiras e contratos de derivativos. 4. Apresentação de informações por segmento
de caixa
155
15
Lucro líquido do exercício/período
8.844
3.157
Para limitar o risco associado com os ativos financeiros especialmente as aplicações fi- O Conselho de Administração é o principal tomador de decisões e definiu os segmentos Outros resultados abrangentes
633
111 Caixa e equivalentes de
nanceiras, o Grupo opta por instituições financeiras de primeira linha. O risco de crédito operacionais com base na tomada de suas decisões estratégicas sobre os negócios. Es- Total do resultado abrangente
caixa
no
fim
do
período
30.273
32.660
9.207
302
9.477
3.268
é mitigado pela pulverização da carteira de clientes, seleção criteriosa dos clientes por ses segmentos são:
Controladas
segmento de negócio (animais de produção e animais de companhia), além da utilização • Animais de produção - comercialização no mercado interno de medicamentos, vacinas e (d) Reconciliação das informações financeiras dos investimentos
Ouro Fino
Ouro Fino
Ouro Fino
de instrumentos de garantias, estabelecimento de limites individuais de exposição e uma outros produtos veterinários para bovinos, suínos, aves, ovinos, equinos e caprinos.
Saúde Animal Ltda.
Agronegócio Ltda.
Pet Ltda.
Total
política de crédito bem definida, com utilização de uma modelagem de risco de crédito com • Animais de companhia – comercialização no mercado interno de medicamentos e outros
2015
2014
2015
2014
2015
2014
2015
2014
atribuição de rating para cada cliente, amparada nos 28 anos de experiência de mercado. O produtos veterinários para cães e gatos.
106.476
103.208
99.364
78.311
28.163
25.967
234.003
207.486
Grupo dispõe de comitê de crédito que estabelece as diretrizes e avalia e monitora os níveis • Operações internacionais - comercialização no mercado externo, principalmente para Patrimônio líquido em 1º de janeiro
8.844
3.157
43.550
25.053
23.027
18.079
75.421
46.289
de riscos de crédito a que está disposto a se sujeitar no curso de seus negócios. Além dos América Latina, de medicamentos, vacinas e outros produtos veterinários para animais de Lucro líquido do exercício / período
131.810
850
132.660
mitigadores de risco estabelecidos nas políticas de crédito, o Grupo possui apólices de se- produção e de companhia. A fabricação dos produtos ocorre nas instalações industriais na Integralização de capital com AFACs
1.240
159
71
1.470
guro de crédito que cobrem parte de suas vendas. O Grupo classifica sua carteira de clien- cidade de Cravinhos, Estado de São Paulo. As vendas são bastante pulverizadas, desta Opções de ações outorgadas
(18.539)
(4.000)
(27.615)
(15.883)
(46.154)
(19.883)
tes através de metodologias de análise de risco desenvolvidas com o objetivo de expressar forma não há clientes que representem mais do que 10% da receita líquida. Os ativos e Distribuição de dividendos e juros sobre o capital próprio
633
111
633
111
através disso o real risco de seus clientes. São atribuídos pesos para cada indicador e a passivos, as despesas gerais e administrativas, as outras receitas, líquidas, o resultado Variação cambial reflexa de investimentos no exterior
Patrimônio
líquido
em
31
de
dezembro
249.003
106.476
125.384
99.364
23.646
28.163
398.033
234.003
partir da combinação deles, é definido uma classificação de rating. A classificação sintética financeiro e o imposto de renda e a contribuição social são analisados de forma conjunta
100%
100%
100%
100%
100%
100%
de risco de crédito do Grupo para os clientes é descrita de acordo com ratings que variam e por isso não estão sendo apresentados por segmentos de negócio. Os resultados por Percentual de participação societária - %
Participação nos investimentos
249.003
106.476
125.384
99.364
23.646
28.163
398.033
234.003
de “AA” até “E”, sendo “AA” o menor risco e “E” o maior risco (Nota 8).
segmento são os seguintes:
(6.923)
(2.834)
(6.923)
(2.834)
(c) Riscos de liquidez - É o risco do Grupo não possuir recursos líquidos suficientes para
Exercício findo em 31/12/2015 Lucro não realizados nos estoques
Saldo contábil do investimento na Controladora
242.080
103.642
125.384
99.364
23.646
28.163
391.110
231.169
honrar seus compromissos financeiros, em decorrência de descasamentos de prazos ou
Segmentos de negócios
de volumes entre os recebimentos e pagamentos previstos. O Grupo adota uma política
6. Combinação de negócios - Em 15/09/2015, a controlada Ouro Fino Saúde Animal Ltda. Estoques
591
262
853
Animais de Animais de
Operações
responsável de gestão de seus ativos e passivos financeiros, cujo acompanhamento é
212
212
produção
companhia internacionais
Total adquiriu a totalidade das ações da Bracol Agronegócio S.A.S (“Bracol”), pelo valor de R$ Tributos a recuperar
efetuado pela diretoria financeira, por meio de estratégias operacionais visando assegurar Receitas líquidas
417
417
435.717
62.378
35.950
534.045 387. Como resultado da aquisição, o Grupo espera expandir sua participação no mercado IR e CS diferidos
liquidez, rentabilidade e segurança. A previsão do fluxo de caixa é elaborada com base no Custos das vendas
2
940
942
(209.210)
(15.264)
(12.210) (236.684) colombiano, em linha com seu planejamento estratégico de crescimento na América Latina. Intangível
orçamento aprovado e posteriores atualizações. Essa previsão leva em consideração, além Lucro bruto
28
28
226.507
47.114
23.740
297.361 O ágio (Goodwill) de R$ 618, que surge da aquisição é atribuível à previsão de rentabilidade Imobilizado
de todos os planos operacionais, o plano de captação para suportar os investimentos pre- Despesas com vendas
276
276
(130.390)
(19.634)
(11.594) (161.618) futura na investida. De acordo com a legislação atual, não se espera que o ágio registrado Demais ativos
vistos e todo o cronograma de vencimento das dívidas. A tesouraria monitora diariamente Resultado segmentado
(1.121)
(1.121)
96.117
27.480
12.146
135.743 seja dedutível para fins de imposto de renda. A tabela a seguir resume a contraprestação Fornecedores
as previsões contidas no fluxo de caixa para assegurar que ela tenha recursos suficientes Resultado não segmentado
(577)
(577)
(66.536) paga pela participação adquirida, o valor justo na data de aquisição dos ativos identificáveis Empréstimos e financiamentos
para atender às necessidades operacionais. Adicionalmente, o Grupo possui linhas de Lucro líquido do exercício
Salários e encargos sociais
(11)
(11)
69.207 adquiridos e passivos assumidos e o ágio (Goodwill) apurado:
crédito pré-aprovadas disponíveis para aumentar e fortalecer a sua posição de liquidez.
Formação do preço de compra
Tributos a recolher
(3)
(3)
Período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014
As disponibilidades de caixa são investidas, principalmente, em Certificados de Depósitos
(a) Contraprestação paga
387
Provisão para contingências
(1.204)
(1.204)
Segmentos de negócios
Bancários (CDBs) e Operações Compromissadas, correspondentes a instrumentos de alta
Valores
Ajuste ao
Valores
Demais passivos
(831)
(831)
Animais de Animais de
Operações
liquidez. O Grupo mantém sua alavancagem de modo a não comprometer sua capacidacontábeis
valor justo
ajustados (b) Valor total dos ativos e passivos da investida
(646)
415
(231)
produção
companhia internacionais
Total Valor justo dos ativos identificáveis
de de pagamento e investimentos. Como diretriz, o maior percentual do endividamento Receitas líquidas
adquiridos e passivos assumidos
(c) Participação adquirida
100,00%
264.084
43.699
19.577
327.360
deve estar no longo prazo. A tabela abaixo analisa os passivos financeiros por faixas de Custos das vendas
385
385 (d) Investimento - (b x c)
(231)
(118.861)
(6.913)
(7.637) (133.411) Caixa e equivalentes de caixa
vencimento, correspondentes ao período remanescente entre o balanço patrimonial até a Lucro bruto
Contas a receber de clientes
403
403 (e) Ágio da aquisição (a - d)
618
145.223
36.786
11.940
193.949
data contratual do vencimento. Os valores divulgados na tabela são os fluxos de caixa não Despesas com vendas
(89.054)
(10.736)
(3.807) (103.597) Seção E – Notas relevantes selecionadas
2015
2014
descontados contratados.
Resultado segmentado
56.169
26.050
8.133
90.352 7. Instrumentos financeiros por categoria
Controladora
Consolidado
Controladora
Consolidado
Consolidado Resultado não segmentado
(52.162)
Empréstimos e
Ativos ao valor justo
Empréstimos Empréstimos e
Ativos ao valor justo Empréstimos
Menos de Entre 1 e Entre 2 e Acima de Lucro líquido do período
38.190 Ativos, conforme o balanço patrimonial
recebíveis
por meio do resultado
e recebíveis
recebíveis
por meio do resultado
e recebíveis
Em 31/12/2015
1 ano
2 anos 5 anos
5 anos A composição, por país, das receitas do segmento de operações internacionais é como Caixa e equivalentes de caixa
468
23.380
11
72.453
Fornecedores
29.450
segue:
Instrumentos financeiros derivativos
1.735
10.376
Empréstimos e financiamentos (*)
70.870 138.263
24.644
15.327
Exercício findo
Período compreendido
Contas a receber
225.740
178.111
Instrumentos financeiros
em 31/12/2015 entre 10/04/2014 e 31/12/2014
Partes relacionadas
5.615
1.870
108.658
998
derivativos, líquidos
1.275
(1.713)
México
12.674
4.499
Outros ativos, exceto despesas antecipadas
10.124
12
5.458
Dividendos e juros sobre o capital próprio
16.433
Emirados Árabes
4.326
728
6.083
1.735
261.114
108.681
10.376
257.020
Demais passivos
45.554
1.153
2.688
Colômbia
3.517
2.004
2015
2014
163.582 137.703
27.332
15.327 Bolívia
3.040
567
Controladora
Consolidado
Controladora
Consolidado
Em 31/12/2014
Paraguai
2.621
1.486
Outros
Outros
Outros
Outros
Fornecedores
22.390
Equador
2.159
250
passivos Passivos ao valor justo
passivos
passivos Passivos ao valor justo
passivos
Empréstimos e financiamentos (*)
113.048
60.987
59.139
339 Venezuela
5.131 Passivos, conforme o balanço patrimonial
financeiros
por meio do resultado
financeiros
financeiros
por meio do resultado
financeiros
Instrumentos financeiros
Outros
7.613
4.912
Fornecedores
29.450
22.390
derivativos, líquidos
(10.364)
1.164
35.950
19.577
Instrumentos financeiros derivativos
1.297
1.176
Dividendos e juros sobre o capital próprio
8.959
Seção D – Estrutura do Grupo
Empréstimos e financiamentos
216.487
215.653
Demais passivos
39.248
799
1.001
7.878 5. Investimentos
Dividendos e juros sobre o capital próprio
16.433
16.433
8.959
8.959
173.281
62.950
60.140
8.217 (a) Movimentação dos investimentos:
Partes relacionadas
119
660
(*) Como os valores incluídos na tabela são os fluxos contratuais de caixa não descontados,
Controladora
Comissões sobre as vendas
7.313
5.669
e portanto incluem encargos financeiros futuros, esses valores são diferentes dos valores
2015
2014
Outros passivos
16
4.790
420
5.468
divulgados no balanço patrimonial para empréstimos e financiamentos.
No início do exercício/período
231.169
16.568
1.297
275.133
9.379
1.176
258.139
3.2 Gestão de capital - Os objetivos do Grupo ao administrar seu capital são os de sal- Incorporação de acervo líquido (*)
203.834 8. Qualidade do crédito dos ativos financeiros - A qualidade do crédito dos ativos finan- Aplicações financeiras
2015
2014
2015
2014
vaguardar a capacidade de continuidade e oferecer retorno aos acionistas, mantendo uma Equivalência patrimonial
71.332
44.813 ceiros que não estão vencidos ou impaired é avaliada mediante referências às classifica- Operações compromissadas
454
18.365
40.030
classificação de crédito forte a fim de apoiar os negócios e maximizar o valor para os Aquisição de quotas (**)
1.222 ções externas de crédito (se houver) ou às informações históricas sobre os índices de ina- CDB
27.865
acionistas. O Grupo administra a estrutura do capital e a ajusta considerando as mudanças Integralização de capital com AFACs (***)
132.660
dimplência de contrapartes. Os saldos de conta corrente, operações compromissadas e de Outros
42
54
nas condições econômicas. A estrutura de capital decorre da escolha entre capital próprio Integralização de capital com investimentos
1.073 depósitos bancários (CDB’s) no montante de R$ 23.344 (2014 – R$ 72.400) são mantidos
454
18.407
67.949
(aportes de capital e retenção de lucros) e capital de terceiros para financiar suas opera- Opções de ações outorgadas
1.470
em instituições financeiras consideradas de “primeira linha”, sendo todas de classificação
468
11
23.380
72.453
ções. O monitoramento do capital é feito com base no grau de alavancagem financeira, que Juros sobre o capital próprio
(5.539)
(4.000) BB+ Standard & Poor’s. Os saldos das contas a receber de clientes são avaliados como 10. Instrumentos financeiros derivativos
2015
2014
pode ser medido por meio de vários indicadores. Os indicadores de alavancagem em 2015 Dividendos recebidos
(40.615)
(15.884) descrito na Nota 3.1 (b), conforme abaixo.
Ativo
Passivo
Ativo Passivo
e 2014 podem ser assim sumariados:
Variação cambial reflexa de
Consolidado Swaps cambial e de taxa de juros
1.735
1.297 10.376
1.176
Consolidado
investimentos no exterior
633
111
2015
2014 Não circulante
(1.713)
(1.164)
Nota
2015
2014 No final do exercício/período
391.110
231.169 AA
70.081
57.652 Circulante
22
1.297 10.376
12
Empréstimos e financiamentos
18 216.487
215.653 (*) Refere-se a incorporação de acervo líquido formado por investimentos das empresas A
83.036
55.468 Os valores de referência (notional) dos contratos de swaps cambial, em aberto em 2015,
Instrumentos financeiros derivativos, líquidos
10
(438)
(9.200) Ouro Fino Saúde Animal Ltda. (e sua controlada Ouro Fino de México, S.A. de CV), Ouro B
32.773
31.631 correspondem a US$ 14,500 mil (2014 – US$ 23,750 mil), e de swaps de taxa de juros,
Caixa e equivalentes de caixa
9 (23.380)
(72.453) Fino Agronegócio Ltda. e Ouro Fino Pet Ltda., com base em laudo de avaliação a valor C
21.910
22.987 correspondem a R$ 20.400 (2014 – R$ 20.400).
Dívida líquida
192.669
134.000 contábil em 30/04/2014, emitido por avaliadores independentes.
D
17.631
11.275 11. Contas a receber de clientes
2015
2014
Patrimônio líquido
20 380.309
330.157 (**) Refere-se a recompra de 990.117 quotas de sócios minoritários da controlada Ouro E
3.069
2.508 No país
209.559
167.556
Total do capital
572.978
464.157 Fino Agronegócio Ltda. e 738 quotas da controlada Ouro Fino Pet Ltda., conforme Ata da
228.500
181.521 No exterior
18.941
13.965
Índice de alavancagem financeira %
33,63
28,87 Assembleia Geral Extraordinária realizada em 25/09/2014. O valor de aquisição diverge 9. Caixa e equivalentes de caixa - Estão representados por saldos em caixa e bancos e Provisão para créditos de liquidação duvidosa (impairment)
(2.760)
(3.410)
3.3 Estimativa do valor justo - A determinação do valor justo (“fair value”) dos instrumen- do valor patrimonial da participação nos investimentos adquiridos, nos montantes de R$ por aplicações financeiras em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) com atualiza- Circulante
225.740
178.111
tos financeiros contratados pelo Grupo é efetuada com base em informações obtidas junto 3.347 e R$ 21, respectivamente. A diferença (perda) foi lançada diretamente no patrimônio ção de até 100,0% da variação da taxa dos Certificados de Depósito Interbancários (CDI). A análise por vencimentos está representada abaixo:
2015
2014
às instituições financeiras e preço cotado em mercado ativo, utilizando metodologia usual líquido da Companhia, conforme item 23 do CPC 36 (R3), por se tratar de transação com
Controladora
Consolidado A vencer: Até três meses
133.399
107.816
padrão de apreçamento no mercado, que compreende avaliação do valor nominal até a sócios minoritários.
Caixa
2015
2014
2015
2014
De três a seis meses
60.683
46.199
data do vencimento e desconto a valor presente às taxas de mercado futuro. O Grupo (***) Em 10/02/2015, foi aprovado o aumento de capital social da controlada Ouro Fino Em moeda nacional
6
6
Em mais de seis meses
17.954
10.760
avalia, na data do balanço, se há evidência objetiva de que um ativo financeiro ou um grupo Agronegócio Ltda. com adiantamentos para futuro aumento de capital realizado pela Com- Em moeda estrangeira
30
47
212.036
164.775
de ativos financeiros está registrado por valor acima de seu valor recuperável (impairment). panhia no montante de R$ 850, passando o capital social de R$ 79.772 para R$ 80.622.
36
53 Vencidos: Até três meses
7.631
10.126
Pressupõe-se que os saldos das contas a receber de clientes e das contas a pagar aos Em 25 de fevereiro, 6 de julho e 31 de dezembro de 2015, foram aprovados os aumentos de Bancos
De três a seis meses
2.079
341
fornecedores pelo valor contábil, menos a perda (impairment), estejam próximos de seus capital social da controlada Ouro Fino Saúde Animal Ltda. com adiantamentos para futuro Em moeda nacional
14
11
2.746
2.232
Em mais de seis meses
6.754
6.279
valores justos, especialmente considerando prazo e natureza. O valor justo dos passivos aumento de capital realizado pela Companhia no montante de R$ 103.410, R$ 25.000 e R$ Em moeda estrangeira
2.191
2.219
16.464
16.746
financeiros, para fins de divulgação, é estimado mediante o desconto dos fluxos de caixa 3.400, respectivamente, passando o capital social de R$ 87.064 para R$ 218.874.
14
11
4.937
4.451
181.521
continua 228.500
Capital
social
1
188.626
3.819
Reserva de
capital
Opções
outorgadas
Reserva
legal
Reservas de lucros
Reserva de
retenção de lucros
Ajustes de
avaliação patrimonial
Lucros
acumulados
Participação dos
não controladores
Total do
patrimônio líquido
1
203.834
1.073
(3.368)
106.443
(6.275)
(382)
301.326
continuação
A provisão para créditos de liquidação duvidosa (impairment) foi
constituída para os títulos vencidos há mais de 180 dias e que não possuem garantias. Para
os demais títulos vencidos, a administração mantém procedimentos de cobrança e acredita
que não incorrerá em perdas. A movimentação na provisão é apresentada como segue:
Saldo incorporado
3.220
Adições, líquidas
190
Em 31 de dezembro de 2014
3.410
Adições, líquidas
1.105
Baixas definitivas
(1.755)
Em 31 de dezembro de 2015
2.760
12. Estoques
2015
2014
Produtos acabados
49.386
33.254
Matérias-primas
34.403
24.347
Materiais de embalagem
9.189
10.431
Produtos semi-elaborados
6.288
6.568
Importações em andamento
695
6.021
Adiantamentos a fornecedores
4.382
3.672
Outros
6.765
5.137
Provisão para perdas nos estoques
(1.845)
(2.582)
109.263
86.848
13. Tributos a recuperar
Controladora
Consolidado
2015
2014
2015
2014
ICMS
32.108
26.161
ICMS, PIS e COFINS sobre aquisições de imobilizado
1.010
743
IRRF
201
96
3 .747
521
IPI
703
510
PIS e COFINS
1.199
1.402
Outros
1.026
97
201
96
39.793
29.434
Não circulante
(32.322)
(22.529)
Circulante
201
96
7.471
6.905
Os créditos de ICMS são gerados substancialmente pela Ouro Fino Saúde Animal Ltda.
(2015 – R$ 31.698; 2014 – R$ 22.058). A geração dos referidos créditos decorre de saídas
com isenção nas operações internas e com redução de 60% na base de cálculo nas operações interestaduais, com manutenção integral/parcial dos créditos das entradas, conforme
convênio ICMS 100/97. Após a fiscalização dos saldos credores, os mesmos são considerados apropriados nos termos da legislação aplicável e poderão ser utilizados nas compras
de insumos e máquinas e equipamentos e/ou transferidos para outras empresas do Grupo
com relação de interdependência e que apuram regularmente ICMS a pagar. Atualmente,
a maior parte dos referidos créditos encontra-se em processo regular de fiscalização. Os
créditos de ICMS relativos aos anos de 2010, 2011, 2012 e 2013 no montante de R$ 18.846
foram homologados pela fiscalização, sendo R$ 11.048 liberados imediatamente para utilização. O saldo residual de R$ 7.798 ficou temporariamente retido em virtude de autos de
infração em discussão administrativa e obrigações relativas à entrega de arquivos eletrônicos nos termos da portaria CAT 83/2009. Até 2015, todos os créditos liberados já haviam
sido utilizados. Relativamente aos anos de 2014 e 2015 os pedidos de crédito acumulado
serão realizados através da entrega do arquivo de ecredac nos termos da Portaria CAT
83/2009, os quais estão sendo preparados pela Companhia, nos prazos previstos na lei.
14. Imposto de renda e contribuição social correntes e diferidos (consolidado) - A
Companhia e suas controladas Ouro Fino Saúde Animal Ltda. e Ouro Fino Agronegócio
Ltda. apuram o imposto de renda e a contribuição social pelo regime do “Lucro Real”,
calculados às alíquotas de 25% e 9%, respectivamente, enquanto que a Ouro Fino Pet
Ltda., adota o regime de “Lucro Presumido”. As empresas sediadas no México e Colômbia
apuram seus tributos com base nas regras vigentes naqueles países. Portanto, os valores
apresentados nas demonstrações consolidadas dos resultados não guardam correlação
direta com o resultado que seria obtido pela aplicação das alíquotas usuais acima mencionadas. Os créditos tributários diferidos de imposto de renda e contribuição social são
decorrentes, substancialmente, de diferenças temporárias. (a) Composição, natureza e
realização dos tributos - (i) Ativos líquidos por IR e contribuição social diferidos
Créditos tributários sobre:
2015
2014
Prejuízos fiscais acumulados e bases negativas - Combinação de negócios 645
Diferenças temporárias
Provisões
7.422
2.841
Lucro não realizado nos estoques
3.567
Variação cambial - regime de caixa
738
Gastos pré-operacionais baixados
960
Instrumentos financeiros derivativos
441
Provisão para contingências - combinação de negócios
482
14.255
2.841
Débitos tributários sobre
Diferenças temporárias
Custo atribuído a terras e terrenos
(7.878)
Instrumentos financeiros derivativos
(590)
(921)
Mais valia - combinação de negócios
(229)
(8.697)
(921)
Total do ativo, líquido
5.558
1.920
(ii) Passivos líquidos por IR e CS diferidos
Créditos tributários sobre
2015
2014
Diferenças temporárias
Provisões
(4.311)
Lucro não realizado nos estoques
(1.460)
Gastos pré-operacionais baixados
(1.152)
(6.923)
Débitos tributários sobre
Custo atribuído a terras e terrenos
7.878
Variação cambial - regime de caixa
430
Instrumentos financeiros derivativos
2.208
Depreciação acelerada
219
10.735
Total do passivo, líquido
3.812
Total créditos tributários diferidos
14.255
9.764
Total débitos tributários diferidos
8.697
11.656
O imposto de renda e a contribuição social diferidos estão apresentados líquidos por empresa no balanço patrimonial. A movimentação líquida da conta de imposto de renda e
contribuição social diferidos é a seguinte:
2015
2014
Saldo inicial
(1.892)
3.495
Gastos pré-operacionais baixados
(192)
(128)
Prejuízos fiscais acumulados e bases negativas
(5.650)
Instrumentos financeiros derivativos
2.980
(3.605)
Provisões
270
2.274
Lucro não realizado nos estoques
2.107
1.460
Variação cambial- tributação pelo regime de caixa
1.168
239
Provisão para contingências - Combinação de negócios
482
Mais valia - combinação de negócios
(229)
Prejuízos fiscais acumulados
e bases negativas - Combinação de negócios
645
Depreciação acelerada
219
23
Saldo final
5.558
(1.892)
Os montantes pelos exercícios estimados de sua compensação são os seguintes:
Ativo de imposto diferido a ser recuperado
2015
2014
em até 1 ano
12.293
8.899
de 2 a 5 anos
1.962
865
14.255
9.764
Passivo de imposto diferido a ser liquidado:
em até 1 ano
217
3.778
de 2 a 5 anos
602
depois de 5 anos
7.878
7.878
8.697
11.656
15. Intangível
Saldo
Provisão
incorAdipara
AmortiEm
Marcas e
porado
ções impairment Baixas zação 31/12/2014
licenças adquiridas
716
(222)
494
Desenvolvimento e
registros de produtos
37.063 10.497
(776)
(1.953)
44.831
Softwares
17.744 4.601
(37) (2.497)
19.811
Outros
764
400
1.164
56.287 15.498
(776)
(37) (4.672)
66.300
Em
Provisão Aquisição
AEm
1º/01/
Adi- para im- de invesmorti31/12/
Ágio (Goodwill)
2015
ções pairment
timento Baixas zação
2015
na aquisição
de controlada
618
618
Marcas e licenças
adquiridas
494
942
(759)
677
Desenvolvimento
e registros de
produtos
44.831 17.881
(407)
(1.354) (3.374) 57.577
Softwares
19.811 3.820
(23) (5.054) 18.554
Outros
1.164
264
(164) 1.264
66.300 21.965
(407)
1.560 (1.377) (9.351) 78.690
2014
Provisão pa- Amortização
LíCusto ra impairment acumulada
quido
Marcas e licenças adquiridas
2.200
(1.706)
494
Desenvolvimento e registros de produtos 56.492
(1.285)
(10.376) 44.831
Softwares
25.924
(6.113) 19.811
Outros
1.164
1.164
85.780
(1.285)
(18.195) 66.300
2015
Provisão pa- Amortização
LíÁgio (Goodwill) na
Custo ra impairment acumulada
quido
quisição de controlada
618
618
Marcas e licenças adquiridas
3.142
(2.465)
677
Desenvolvimento e
registros de produtos
72.612
(1.692)
(13.343) 57.577
Softwares
29.696
(11.142) 18.554
Outros
1.428
(164)
1.264
107.496
(1.692)
(27.114) 78.690
O desenvolvimento e registro de produtos referem-se, substancialmente, aos gastos incorridos com novos medicamentos veterinários de R$ 52.166 (2014 – R$ 38.668) e gastos
com desenvolvimento da vacina contra a febre-aftosa de R$ 5.411 (2014 - R$ 6.163). A
amortização dos ativos intangíveis de desenvolvimento e registro de produtos é reconhecida no “Custo das vendas”. Em 2015, o Grupo reconheceu uma perda por impairment no
montante de R$ 407 (2014 - R$ 776). As premissas utilizadas para analisar a existência de
impairment estão divulgadas na Nota 30.8.
16. Imobilizado (consolidado)
Em
Saldo incorAdi- TransfeDepre31/12/
porado
ções rências Baixas ciação
2014
Terras e terrenos
24.947
24.947
Edificações e benfeitorias
66.696
1.591
9.260
(1.527) (1.431) 74.589
Máquinas, equipamentos e
instalações industriais
48.462
4.690
4.835
(658) (2.960) 54.369
Veículos, tratores e aeronave 10.989
2.669
(7.559) (1.037)
5.062
Móveis e utensílios
2.753
851
1
(153)
(373)
3.079
Equipamentos de informática 3.549
641
(149)
(676)
3.365
Obras em andamento
14.058
3.704 (14.103)
(630)
3.029
Outros
2.648
125
7
(421)
(164)
2.195
174.102 14.271
(11.097) (6.641) 170.635
Em
Por aquiEm
1º/01/
Adi- sição de Transfe- Bai- Depre31/12/
2015
ções investida rências xas ciação
2015
Terras e terrenos
24.947
38
24.985
Edificações e benfeitorias 74.589
1.735
(2.225) 74.099
Máquinas, equipamentos e
instalações industriais 54.369 8.379
3.722 (66) (5.012) 61.392
Veículos, tratores
e aeronave
5.062 2.058
(711) (1.546) 4.863
Móveis e utensílios
3.079
587
(168) (14)
(564) 2.920
Equipamentos
de informática
3.365 1.311
(33) (1.078) 3.565
Obras em andamento 3.029 21.268
(4.597)
19.700
Outros
2.195 1.446
28
(692) (50)
(356) 2.571
170.635 35.087
28
(874) (10.781) 194.095
Em 31/12/2014
Em 31/12/2015
Taxas
médias
DepreDepreanuais
ciação
ciação
de
acumuLíacumuLí- depreCusto
lada quido Custo
lada
quido ciação
Terras e terrenos
24.947
24.947 24.985
24.985
Edificações e benfeitorias 88.322 (13.733) 74.589 88.359 (14.260) 74.099 2,57%
Máquinas, equipamentos
e instalações industriais 81.964 (27.595) 54.369 93.315 (31.923) 61.392 6,12%
Veículos, tratores e
aeronave
14.543 (9.481) 5.062
7.291 (2.428) 4.863 21,07%
Móveis e utensílios
6.245 (3.166) 3.079
6.462 (3.542) 2.920 10,30%
Equipamentos de
informática
9.515 (6.150) 3.365
9.654 (6.089) 3.565 20,65%
Obras em andamento
3.029
3.029 19.700
19.700
Outros
4.182 (1.987) 2.195
4.914 (2.343) 2.571 11,72%
232.747 (62.112) 170.635 254.680 (60.585) 194.095
Os saldos de obras em andamento referem-se, substancialmente, à construção da nova
fábrica da unidade biológicos no montante de R$ 10.444 (2014 – R$ 1.799) e às obras de
adequação/aumento de capacidade na fábrica de vacina contra febre aftosa, no montante
de R$ 5.796. No período findo em 31/12/2014, a redução na conta de obras em andamento refere-se à conclusão da primeira fase da obra da nova fábrica da unidade biológicos
(laboratórios). Os montantes de arrendamentos, operacionais e financeiros, não são significativos. Durante 2015, foram capitalizados custos de empréstimos no montante de R$
546 (2014 - R$ 541), a uma taxa média de 4,35% (2014 – 4,44%). Terrenos, edificações e
máquinas e equipamentos, no montante de R$ 88.470 (2014 – R$ 89.087), estão cedidos
em garantia a empréstimos e financiamentos (Nota 18).
17. Fornecedores
2015
2014
No país
16.624
11.060
No exterior
12.826
11.330
29.450
22.390
18. Empréstimos e financiamentos
Em moeda estrangeira
BNDES - FINEM
Nota de crédito à exportação
Capital de giro
Capital de giro
Em moeda nacional
FINEP (Inovação tecnológica)
BNDES - FINEM
BNDES - FINAME
Nota de crédito de exportação
Arrendamento mercantil financeiro
Vencimento
Encargos financeiros incidentes
final
Média das variações cambiais dos recursos captados pelo BNDES e taxa média
ponderada de 2,37% ao ano (31 de dezembro de 2014 - 2,57% ao ano)
2016
Variação cambial e taxa média ponderada de 4,28% ao ano
Variação cambial e taxa Libor + 1,15% ao ano
2016
Variação cambial e taxa média ponderada de 2,97 % ao ano (31 de dezembro de 2014 de 1,68% ao ano)
2018
Taxa média ponderada de 4,35% ao ano (31 de dezembro de 2014 - 4,44% ao ano)
Taxa média ponderada de 9,80% ao ano (31 de dezembro de 2014 - 7 ,89% ao ano)
Taxa média ponderada de 6,09% ao ano (31 de dezembro de 2014 - 4,50% ao ano)
Taxa média ponderada de 8% ao ano (31 de dezembro de 2014 - 8% ao ano)
Taxa média ponderada de taxa pré fixada de 16,88% ao ano e pós fixada de 16,79%
ao ano (31 de dezembro de 2014 - 12,32% ao ano)
2024
2016
2023
2016
2018
Circulante
Não circulante
(a) Garantias de empréstimos e financiamentos - Os financiamentos destinados a Pesquisa,
Inovação e Desenvolvimento de produtos, contratados com a FINEP e que, em 2015, totalizavam R$ 132.890 (2014 - R$ 122.555), estão garantidos por aval da parte relacionada Ouro
Fino Participações e Empreendimentos S.A., Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. e por
fianças bancárias no montante de R$ 27.714, além de garantias reais constituídas pela planta
industrial de saúde animal localizada no município de Cravinhos-SP. Não há cobrança pela
garantia prestada. Para os financiamentos contratados com o BNDES destinados, substancialmente, à construção de plantas industriais, aquisição de equipamentos nacionais e capital
de giro, foram oferecidas garantias reais constituídas pela planta industrial de saúde animal
localizada no município de Cravinhos-SP, até o limite do saldo devedor dos financiamentos,
bem como os próprios equipamentos financiados, além de garantias fidejussórias dos acionistas controladores. Empréstimos para capital de giro e operações de arrendamento mercantil
estão garantidos por meio de garantias fidejussórias da controladora e/ou dos acionistas controladores. Operações de Finame são garantidas por meio de alienação fiduciária dos bens
financiados, além de garantias fidejussórias da controladora e/ou dos acionistas controladores.
Os valores contábeis dos empréstimos e financiamentos aproximam-se de seu valor justo. A
composição dos empréstimos e financiamentos de longo prazo é apresentada como segue:
2015
2014
2016
53.682
2017
53.937
31.985
2018
69.043
26.555
2019
7.323
223
2020
7.163
94
2021
7.069
15
2022
7.059
6
2023 a 2024
7.633
159.227
112.560
(b) Empréstimos para capital de giro em moeda estrangeira - Para os empréstimos e
financiamentos de capital de giro, contratados em moeda estrangeira (USD), no montante
de R$ 57.005 (2014 - R$ 63.648), foram contratadas operações de Swap cambial para
troca de encargos com base na variação dos Certificados de Depósitos Interbancários CDI (Nota 10). 19. Provisão para contingências - Algumas empresas do Grupo possuem
processos tributários, trabalhistas e cíveis que se encontram em instâncias diversas. As
provisões para contingências, constituídas para fazer face às potenciais perdas decorrentes dos processos em curso, são estabelecidas e atualizadas com base na avaliação da
administração, fundamentada na opinião de seus assessores legais. Um sumário das provisões constituídas é apresentado como segue:
2015
2014
Trabalhistas
2.981
2.561
Cíveis, previdenciárias e tributárias
860
103
3.841
2.664
Adicionalmente, algumas empresas do Grupo são parte em outras demandas administrativas e judiciais, inclusive objeto de autuações fiscais, sobre as quais não foram constituídas
provisões para fazer face a eventuais perdas, tendo por base a orientação de seus consultores jurídicos. As demandas classificadas como possível êxito totalizam R$ 44.761 (2014
- R$ 38.938), sendo substancialmente ações de naturezas tributárias (ICMS) e trabalhistas.
Segue demonstrativo da movimentação da provisão para contingências:
2015
2014
Saldo inicial
2.664
3.918
Adições
1.521
(87)
Por aquisição de investida
1.204
Baixas
(1.548)
(1.167)
Saldo final
3.841
2.664
20. Patrimônio líquido - (a) Capital social - O capital social foi integralizado em
10/04/2014 pelo montante de R$ 1, correspondente a 500 ações. Após a incorporação
descrita na Nota 1.1, o capital social passou a ser representado por 188.627.485 ações
ordinárias, todas sem valor nominal, totalmente subscritas e integralizadas no montante de
R$ 188.626. Em AGE realizada em 20/08/2014, os acionistas aprovaram o grupamento, da
totalidade de ações ordinárias representativas do capital social da Companhia, na proporção de três ações para uma ação da mesma espécie, passando o número de ações ordinárias para 62.875.828 e mantidas as proporções de participação. Em AGE realizada em
25/09/2014, os acionistas aprovaram: (i) o aumento de capital da Companhia, no montante
de R$ 3.819, com a emissão de 209.521 novas ações ordinárias. A integralização ocorreu
mediante a contribuição do acervo líquido representado por 764.874 quotas de emissão da
controlada Ouro Fino Agronegócio Ltda. e 4.262 quotas da controlada Ouro Fino Pet Ltda.,
nos valores de R$ 3.545 e R$ 274, respectivamente, conforme laudos de avaliação emitidos em 19/09/2014 por empresa especializada. (ii) o grupamento, da totalidade das ações
ordinárias representativas do capital social da Companhia, na proporção de 1,26170698
ações para uma ação da mesma espécie, passando o número de ações ordinárias para
50.000.000 e mantidas as proporções de participação. O valor da integralização de capital
realizada mediante contribuição do acervo das controladas Ouro Fino Agronegócio Ltda.
e Ouro Fino Pet Ltda., divergiu do valor patrimonial das participações nos investimentos
adquiridos (Nota 5), nos montantes de R$ 2.623 e R$ 123, respectivamente. A diferença (perda) foi lançada diretamente no patrimônio líquido da Companhia, por se tratar de
transação com sócios minoritários. Em reunião de Conselho de Administração realizada
em 17/10/2014, os acionistas aprovaram o aumento de capital mediante 1.923.077 novas
ações que resultou em um aumento de capital de R$ 51.923. Em reunião de Conselho de
Administração realizada em 18/11/2014, os acionistas aprovaram o aumento de capital de
2.019.230 ações ordinárias, o qual resultou em um aumento de capital no montante de R$
54.520 em decorrência do exercício integral da opção para distribuição de lote suplementar
de ações no contexto da Oferta. Em 2015, a Companhia possui 53.942.307 ações ordinárias. (b) Reserva de capital - Os valores considerados como “Reserva de capital” referemse a todos os gastos incorridos com o IPO - Initial Public Offering, conforme quadro abaixo:
Descrição
Operação Primária
Aumento de capital
106.443
Custos de captação
(6.392)
Custos diretos (Comissões)
(4.264)
Custos indiretos (Advogados, auditores, consultorias e outros)
(8.187)
Custos de captação proporcionais a oferta
secundária reclassificados para o resultado
6 .059
100.051
(c) Destinação do lucro - De acordo com o estatuto social, o lucro líquido terá a seguinte
destinação: • 5% para a constituição da reserva legal, limitada a 20% do capital social; • dividendos mínimos calculados à razão de 25% do lucro líquido ajustado nos termos do artigo
202 da Lei nº 6.404; e • o saldo restante será destinado pelos acionistas em Assembleia
geral representando pelo menos 2/3 (dois terços) das ações com direito a voto, observadas
as disposições legais aplicáveis.
Destinações do lucro
2015
2014
Lucro líquido do exercício/período
69.192
37.720
Reserva legal (5%)
(3.460)
(1.886)
Base para o cálculo dos dividendos mínimos
65.732
35.834
Dividendos distribuídos (25%)
(16.433)
(8.959)
Juros sobre o capital próprio
(5.025)
(3.630)
IRRF sobre juros capital próprio
723
512
Dividendos mínimos obrigatórios
(12.131)
(5.840)
Em AGO realizada em 28/04/2015, os acionistas aprovaram uma distribuição adicional de
dividendos no montante de R$ 3.931 (R$ 0,07286693 por ação), totalizando uma distribuição de dividendos no montante de R$ 12.889 (R$ 0,23893959 por ação) sobre o resultado
do exercício findo em 31/12/2014. (d) Ajustes de avaliação patrimonial - Referem-se ao
reflexo da adoção do custo atribuído (deemed cost) para terras e terrenos em controladas
ocorridas em 1º/01/2009 e todas as diferenças de câmbio resultantes da conversão do
balanço patrimonial e do resultado das controladas no exterior. (e) Plano de outorga de
opção de compra de ações - Em AGE realizada em 30/12/2014, foi aprovado o Plano
de Outorga de Opções de Compra de Ações da Companhia (“Plano”), com objetivo de: (i)
estimular a expansão, o êxito e a consecução dos objetivos sociais da Companhia, (ii) alinhar os interesses dos acionistas da Companhia aos das pessoas elegíveis, (iii) possibilitar
a atração e manutenção de seus profissionais e prestadores de serviço, incentivando a
criação de valor à Companhia e (iv) compartilhar riscos e ganhos de forma equitativa entre
acionistas, administradores e empregados. O Plano é gerido pelo Conselho de Administração, e de acordo com seu regulamento, podem ser elegíveis como beneficiários: Administradores, Empregados e Prestadores de Serviços da Companhia ou outras sociedades sob
seu controle. O número total de ações ordinárias relativo ao qual podem ser outorgadas
opções não excederá 1,5% do total de ações ordinárias do capital social da Companhia.
O Plano de Opções da Companhia encontra-se disponível na CVM. O período de carência
(vesting) considera que o direito pode ser exercido pelos beneficiários em parcelas de 1/5
(um quinto) do total das ações objeto da outorga a partir do final do primeiro ano contado
da assinatura do contrato de adesão, e esta mesma quantidade de ações anualmente até
o final do quinto ano, desde que os beneficiários permaneçam continuamente vinculados à
Companhia. O preço de exercício será definido com base na média de cotação das ações
da Companhia na BM&FBOVESPA, ponderado pelo volume de negociações, nos 60 (sessenta) últimos pregões que antecederem a outorga, corrigido monetariamente de acordo
com o IGP-M. O prazo máximo de vigência das opções será de 4 (quatro) anos a partir
do término do respectivo prazo de carência (vesting). As opções não exercidas nos prazos e condições estipuladas serão automaticamente extintas, sem direito a indenização.
(i) Outorgas realizadas - Em 30/12/2014, o Conselho de Administração aprovou os Regulamentos e Contratos de adesão ao referido Plano, bem como definiu os eleitos para a
primeira outorga, que totalizou 809.135 opções de compra de ações, distribuídos entre 17
beneficiários, conforme tabela abaixo:
Encerramento do período de carência (vesting)
31/12/15 31/12/16 31/12/17 31/12/18 31/12/19
Quantidade de opções
161.827 161.827 161.827 161.827 161.827
Preço de exercício
no lançamento (strike)
28,22
28,22
28,22
28,22
28,22
Valor justo das opções outorgadas
9,65
11,16
12,48
13,74
14,90
Prazo máximo para exercício
31/12/19 31/12/20 31/12/21 31/12/22 31/12/23
O valor justo atribuído a estas opções foi determinado com base no modelo de precificação
Black-Scholes-Merton, modelo este que leva em consideração o valor do ativo objeto, o
preço de exercício, o tempo a decorrer até o exercício das opções, a probabilidade da
opção ser exercida, a volatilidade histórica, a taxa de dividendos e a taxa de juros livre de
risco, conforme premissas abaixo:
Premissas e informações
Encerramento do período
gerais sobre a avaliação
de carência (vesting)
31/12/15 31/12/16 31/12/17 31/12/18 31/12/19
Preço da ação na data da outorga
30,61
30,61
30,61
30,61
30,61
Preço estimado de exercício (strike)
33,45
35,41
37,46
39,35
41,38
Tempo de vida esperado (em anos)
3,0
4,0
5,0
6,0
7,0
Volatilidade esperada
26,20% 26,20% 26,20% 26,20% 26,20%
Taxa de juros livre de risco
12,80% 12,60% 12,40% 12,30% 12,20%
Em 2015, foi reconhecida despesa de R$ 1.491 com opções de ações.
21. Receitas - A reconciliação das vendas brutas para a receita líquida é como segue:
Período
compreendido
Exercício findo
entre 10/04/2014
No país
em 31/12/2015
e 31/12/2014
Vendas brutas de produtos e serviços
559.192
350.870
Impostos e deduções sobre venda
(61.097)
(43.087)
498.095
307.783
No exterior
Vendas brutas de produtos
36.172
19.577
Impostos e deduções sobre venda
(222)
35.950
19.577
534.045
327.360
22. Custos e despesas
Controladora
Consolidado
por natureza
Período
Período
compreencompreenExercício dido entre Exercício dido entre
findo em 10/04/14 e findo em 10/04/14 e
Custo das vendas
31/12/15
31/12/14
31/12/15
31/12/14
Custos variáveis (matériaprima e materiais de consumo)
152.109
82.053
Despesas com pessoal
45.218
20.605
Depreciação e amortização
12.167
6.290
Serviços de terceiros
12.269
7.793
Energia elétrica
6.569
2.729
Provisão (reversão) para perdas e baixas de estoques
(679)
2.842
Provisão para impairment
407
776
Outros
8.624
10.323
236.684
133.411
Despesas com vendas
Despesas com pessoal
62.870
39.118
Despesas com equipe de vendas
54.694
37.813
Serviços de terceiros
15.855
8.254
Despesas com fretes
13.136
10.490
Depreciação e amortização
4.473
2.732
Telecomunicações e energia
1.584
793
Outros
9.006
4.397
161.618
103.597
Despesas gerais e administrativas
Despesas com pessoal
1.035
380
27.927
18.260
Custo de captação - IPO (Nota 20 (b))
6.059
6.059
Depreciação e amortização
3.492
2.291
Serviços de terceiros
450
107
3.669
(2.392)
Despesas com viagem
24
49
1.087
694
Telecomunicações e energia
852
658
Despesas com veículos
1
81
245
435
Doações e patrocínios
217
329
Outros
178
87
2.393
1.834
1 .688
6.763
39.882
28.168
1 .688
6.763
438.184
265.176
23. Outras receitas (despesas), líquidas
Controladora
Período
compreenExercício dido entre
findo em 10/04/14 e
31/12/15
31/12/14
Ganho na alienação e
baixa de imobilizado
Ganho na alienação de ativo intangível
Ganhos (perdas) nas vendas
de sucatas, aluguéis
REINTEGRA
Tributos e taxas federais,
estaduais, municipais (*)
Outras perdas
121
42
2015
2014
228
817
10.111
582
57.005
53.537
132.890
1.151
1.364
22.306
122.555
6.268
1.276
20.889
961
200
216.487
215.653
(57.260) (103.093)
159.227
112.560
Consolidado
Período
compreenExercício dido entre
findo em 10/04/14 e
31/12/15
31/12/14
210
151
1.645
(67)
994
476
(11)
(371)
(493)
(564)
(2)
(248)
(68)
110
(331)
2.041
(5)
(*) Em 2015, incluem despesas de operações que já foram descontinuadas no montante de R$ 667.
24. Resultado financeiro
Controladora
Consolidado
Período
Período
compreencompreenExercício dido entre Exercício dido entre
findo em 10/04/14 e findo em 10/04/14 e
Receitas financeiras
31/12/15
31/12/14
31/12/15
31/12/14
Ganhos com derivativos (variação cambial)
14.219
11.068
Variação cambial
7.946
9.113
Receita de aplicações financeiras
2
51
3.632
1 .555
Juros ativos
723
365
Variação monetária
265
274
Outras
2
87
263
4
51
26.872
22.638
Despesas financeiras
Variação cambial
(9)
(23.691)
(19.169)
Juros passivos
(2)
(8.485)
(6.541)
Perdas com derivativos (juros)
(2.557)
(3.516)
Encargos financeiros
(1.149)
Perdas com derivativos (variação cambial)
(564)
(893)
Outras
(564)
(41)
(1.061)
(593)
(566)
(50)
(37.507)
(30.712)
Resultado financeiro
(562)
1
(10.635)
(8.074)
25. Despesa de imposto de renda e contribuição social - Os encargos de imposto de
renda e contribuição social são reconciliados com as alíquotas vigentes, como segue:
Controladora
Consolidado
Período
Período
compreencompreenExercício dido entre Exercício dido entre
findo em 10/04/14 e findo em 10/04/14 e
31/12/15
31/12/14
31/12/15
31/12/14
Lucro antes do IR e da CS
69.192
37.720
87.267
53.417
Alíquotas vigentes
34%
34%
34%
34%
(23.525)
(12.825)
(29.671)
(18.162)
Reconciliação para a taxa efetiva:
Diferenças permanentes:
Equivalência patrimonial
24.253
15.236
Incentivo P&D
6.010
600
Ajuste do cálculo de
controlada tributada pelo lucro presumido
6.058
5.069
Ajuste do cálculo de controlada no exterior
tributada pela alíquota vigente de seu país
(535)
(265)
Juros sobre o capital próprio
(175)
1.708
1.360
Instrumentos financeiros derivativos
(1.887)
Tributos diferidos não constituídos
(553)
(2.386)
(553)
(2.386)
Outras diferenças permanentes
(25)
(1.077)
444
IR e CS
(18.060)
(15.227)
Reconciliação com a demonstração do resultado:
Correntes
(25.237)
(9.840)
Diferidos
7.177
(5.387)
(18.060)
(15.227)
Em consonância com os requerimentos da Lei no 12.973/14, vigente a partir de 1º/01/2015
(considerando que não se optou pela antecipação da sua adoção), foram abertas subcontas para registro das diferenças positivas e negativas entre os valores dos ativos mensurados conforme a legislação societária e os valores mensurados de acordo com os critérios
contábeis vigentes em 31/12/2007 (RTT), para que o efeito tributário desses ajustes seja
dado à medida da realização desses ativos. 26 - Lucro por ação - (a) Básico - O lucro
líquido básico por ação é calculado mediante a divisão do lucro atribuível aos acionistas
da Companhia pela quantidade média ponderada de ações ordinárias durante o período.
Período
Exercício findo
compreendido entre
Lucro líquido no exercício/período
em 31/12/2015 10/04/2014 e 31/12/2014
atribuível aos acionistas da Companhia
69.192
37.720
Média ponderada do número de ações
ordinárias no exercício/período
53.942
35.604
Lucro básico por ação
1,28271
1,05943
(b) Diluído - O lucro líquido diluído por ação é calculado mediante a divisão do lucro atribuível aos acionistas da Companhia pela quantidade média ponderada de ações ordinárias
durante o período, ajustado pela quantidade média ponderada dos instrumentos com efeitos diluidores.
Período
Exercício findo
compreendido entre
Lucro líquido no exercício/período
em 31/12/2015 10/04/2014 e 31/12/2014
atribuível aos acionistas da Companhia
69.192
37.720
Média ponderada do número de ações ordinárias no exercício/período, considerando instrumentos diluidores 54.012
35.604
Lucro diluído por ação
1,28105
1,05943
27. Benefícios a empregados - (a) Plano de previdência privada - Contribuição definida - O Grupo patrocina um plano previdenciário do tipo “contribuição definida” para seus
empregados. O plano foi iniciado em agosto de 2008 e está sendo administrado pelo Itaú
Vida e Previdência S.A.. As contribuições das empresas para o plano em 2015 totalizaram
R$ 1.070 (período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014 – R$ 659).
(b) Participação nos lucros - O Grupo dispõe de um programa de remuneração variável,
para seus empregados, calculada com base em metas quantitativas e qualitativas definidas
pela administração. Em 2015, o valor da provisão para participação nos resultados foi de
R$ 8.678 (Período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014 - R$ 7.449).
28. Saldos e transações com partes relacionadas - (a) Principais saldos e operações
Controladora - 2015
Ouro Fino
Ouro
Ouro
Saúde
Fino
Fino
Animal
Pet Química
AcioPrincipais saldos
Ltda.
Ltda.
Ltda.
nistas Outros Total
Ativo circulante
Outros ativos (i)
42
448
417
907
Juros sobre o capital próprio
4.708
4.708
Passivo circulante
Dividendos e JCP
16.433
16.433
Outros passivos (i)
41
78
119
Exercício findo em 31/12/2015
Ouro Fino Ouro Fino
Ouro
Ouro
Saúde
AgroFino
Fino
Animal
negócio
Pet Química
Principais operações
Ltda.
Ltda.
Ltda.
Ltda. Total
Reembolso de centro de
serviços compartilhados
(154)
4
6
(144)
Receitas de royalties
100
100
Outras despesas, líquidas
(2)
(2)
Controladora - 2014
Ouro Fino Ouro Fino
Ouro
Saúde
AgroFino
Animal
negócio Química AcioPrincipais saldos
Ltda.
Ltda.
Ltda. nistas Outros Total
Ativo circulante
Outros ativos (i)
44
448
506
998
Juros sobre o capital próprio
3.400
3.400
Ativo não circulante
AFAC
103.410
850
104.260
Passivo circulante
Outros passivos (i)
41
151
3
78
273
Dividendos e juros sobre o capital próprio
8.959
8.959
Período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014
Ouro Fino
Ouro Fino Ouro Fino
Saúde Agronegócio
Química
Principais operações
Animal Ltda.
Ltda.
Ltda. Total
Reembolso de centro de
serviços compartilhados
(94)
(157)
(251)
Receitas de royalties
42
42
Outras despesas, líquidas
(59)
(114)
(49) (222)
Consolidado - 2015
Ouro CondoOuro Fino
Fino mínio
Partici- Quími- Rural
pações e
ca Ouro
Acio- OuPrincipais saldos
Empr. S.A. Ltda.
Fino BNDES nistas tros Total
Ativo circulante
Outros ativos (i)
29
952
24
448 417 1.870
Passivo circulante
Outros passivos (i)
582
78
660
Empréstimos e financiamentos
2.743
2.743
Exercício findo em 31/12/2015
CondoOuro Fino
Ouro mínio
ParticiFino Rural
pações e Química
Ouro
Principais operações
Empr. S.A.
Ltda.
Fino BNDES Total
Lucro bruto das vendas de mercadorias
84
84
Reembolso de centro de
serviços compartilhados
66
3.171
3.237
Receitas de royalties
100
100
Outras receitas (despesas), líquidas
142
(740)
(855)
(1.453)
Receitas financeiras
46
46
Juros sobre empréstimos e financiamentos
(652) (652)
Consolidado - 2014
Ouro CondoOuro Fino
Fino mínio
Partici- Quími- Rural
pações e
ca
Ouro
Acio- OuPrincipais saldos
Empr. S.A.
Ltda.
Fino BNDES nistas tros Total
Ativo circulante
Outros ativos (i)
28
880
78
448 506 1.940
Passivo circulante
Outros passivos (i)
222
78
300
Dividendos e juros sobre o capital próprio
8.959
8.959
Empréstimos e financiamentos
8.361
8.361
Período compreendido entre 10/04/2014 e 31/12/2014
CondoOuro Fino
Ouro
mínio
ParticiFino
Rural
pações e Química
Ouro
Principais operações
Empr. S.A.
Ltda.
Fino BNDES Total
Lucro bruto das vendas
de mercadorias
37
37
Reembolso de centro de
serviços compartilhados
199
6.934
7.133
Outras receitas (despesas), líquidas
96
278
(609)
(235)
Receitas na alienação de imobilizado
18
18
Receitas de royalties
42
42
Despesas financeiras
(83)
(83)
Juros sobre empréstimos e financiamentos
(1.487) (1.487)
(i) Outros ativos e passivos - Os outros ativos e passivos estão representados por ressarcimentos de despesas, principalmente, gastos incorridos com o Centro de Serviços Compartilhados (“CSC”), conforme contrato de compartilhamento de despesas celebrado em
30/06/2014. (b) Remuneração dos administradores - O pessoal-chave da administração
inclui os conselheiros e diretores estatutários, cuja remuneração é autorizada pela Assembleia Geral Ordinária. A remuneração paga ou a pagar ao pessoal-chave da administração,
por seus serviços, está apresentada a seguir:
Período
Exercício findo
compreendido entre
em 31/12/2015
10/04/2014 e 31/12/2014
Salários
2.563
1.437
Encargos trabalhistas
176
79
Benefícios diretos e indiretos
146
126
Remuneração variável
486
Pagamentos com base em ações (i)
515
3.886
1.642
(i) Apesar de aAdministração da Companhia entender que as despesas com os pagamentos com
base em ações não possuírem natureza remuneratória, os montantes lançados a este título estão
demonstrados nesta Nota de acordo com as divulgações exigidas no CPC 05 – Divulgação sobre
Partes Relacionadas. 29. Cobertura de seguros - O Grupo mantém coberturas de seguros para
riscos operacionais e de responsabilidade civil geral, com limites máximos para indenização em
2015 de R$ 295.800. Seção F – Políticas contábeis - 30. Resumo das principais políticas
contábeis - As principais políticas contábeis aplicadas na preparação dessas demonstrações financeiras estão definidas abaixo. Essas políticas foram aplicadas de modo consistente nos exercícios apresentados, salvo disposição em contrário. 30.1 - Consolidação - As seguintes políticas
contábeis são aplicadas na elaboração das demonstrações financeiras. (a) Controladas são todas
as entidades nas quais o Grupo detém o controle. As controladas são totalmente consolidadas a
partir da data em que o controle é transferido para o Grupo. A consolidação é interrompida a partir
da data em que o Grupo deixa de ter o controle. Os ativos identificáveis adquiridos e os passivos
e passivos contingentes assumidos para a aquisição de controladas em uma combinação de
negócios são mensurados inicialmente pelos valores justos na data da aquisição. Custos relacionados com aquisição são contabilizados no resultado do exercício conforme incorridos. (b) Transações, saldos e ganhos não realizados entre empresas do Grupo são eliminados. Os prejuízos
não realizados também são eliminados a menos que a operação forneça evidências de uma
perda (impairment) do ativo transferido. As políticas contábeis das empresas controladas são alteradas, quando necessário, para assegurar a consistência com as políticas adotadas pelo Grupo.
30.2 Conversão de moeda estrangeira - (a) Moeda funcional e moeda de apresentação - Os
itens incluídos nas demonstrações financeiras de cada uma das empresas do Grupo são mensurados usando a moeda do principal ambiente econômico, no qual as empresas atuam (“a moeda
funcional”) sendo substancialmente o Real, exceto pelo mencionado no item (c) a seguir e, portanto as demonstrações financeiras individuais e consolidadas estão apresentadas nessa moeda.
(b) Transações e saldos - As operações com moedas estrangeiras são convertidas para a moeda funcional utilizando as taxas de câmbio vigentes nas datas das transações ou da avaliação, na
qual os itens são mensurados. Os ganhos e as perdas cambiais resultantes da liquidação dessas
transações e da conversão pelas taxas de câmbio do final do período, referentes a ativos e passivos monetários em moedas estrangeiras, são reconhecidos na demonstração do resultado
como “receita ou despesa financeira”. (c) Empresas do Grupo com moeda funcional diferente
do Real - Os resultados e a posição financeira da Ouro Fino de México, S.A. de CV e Bracol
Agronegócio S.A.S (controladas da Ouro Fino Saúde Animal Ltda.), cuja moeda funcional é diferente da moeda de apresentação, são convertidos na moeda de apresentação, como segue: (i)
Os ativos e passivos de cada balanço patrimonial apresentado são convertidos pela taxa de fechamento da data do balanço. (ii) As receitas e despesas de cada demonstração do resultado são
convertidas pelas taxas de câmbio médias (a menos que essa média não seja uma aproximação
razoável do efeito cumulativo das taxas vigentes nas datas das operações, e, nesse caso, as receitas e despesas são convertidas pela taxa das datas das operações). (iii) Todas as diferenças
de câmbio resultantes são reconhecidas como um componente separado no patrimônio líquido,
na conta “Ajustes de avaliação patrimonial”. 30.3 Ativos financeiros - 30.3.1 Classificação - O
Grupo classifica seus ativos financeiros, no reconhecimento inicial, sob as seguintes categorias:
empréstimos e recebíveis e mensurados a valor justo por meio do resultado. A classificação depende da finalidade para a qual os ativos financeiros foram adquiridos. (a) Empréstimos e recebíveis - Os empréstimos e recebíveis são ativos financeiros não derivativos, com pagamentos fixos ou determináveis, que não são cotados em um mercado ativo e que não sejam classificados
como ao valor justo por meio de resultado. São apresentados como ativo circulante, exceto aqueles com prazo de vencimento superior a 12 meses após a data de emissão do balanço (estes são
classificados como ativos não circulantes). Os empréstimos e recebíveis compreendem contas a
receber de clientes, demais contas a receber e equivalentes de caixa. (b) Ativos financeiros ao
valor justo por meio do resultado - Os ativos financeiros ao valor justo por meio do resultado
são ativos financeiros mantidos para negociação. Um ativo financeiro é classificado nessa categoria se foi adquirido, principalmente, para fins de venda no curto prazo. Os ativos dessa categoria são classificados como ativos circulantes. Os derivativos também são categorizados como
mantidos para negociação. 30.3.2 Reconhecimento e mensuração - As compras e as vendas
regulares de ativos financeiros são reconhecidas na data de negociação. Os ativos financeiros ao
valor justo por meio de resultado são, inicialmente, reconhecidos pelo valor justo e os custos da
transação são debitados à demonstração do resultado. Os ativos financeiros são baixados quando os direitos de receber fluxos de caixa tenham vencido ou tenham sido transferidos, neste último
caso, desde que tenham sido transferidos, significativamente, todos os riscos e os benefícios da
propriedade. Os ativos financeiros mensurados a valor justo por meio do resultado são, subsequentemente, contabilizados pelo valor justo. Os empréstimos e recebíveis são contabilizados
pelo custo amortizado, usando o método da taxa efetiva de juros. 30.3.3 Impairment de ativos
financeiros - Ativos mensurados ao custo amortizado - A administração avalia na data de
cada balanço se há evidência objetiva de que um ativo financeiro ou um conjunto de ativos financeiros está deteriorado. Um ativo ou conjunto de ativos financeiros está deteriorado e os prejuízos
são incorridos somente se há evidência objetiva de impairment como resultado de um ou mais
eventos ocorridos após o reconhecimento inicial dos ativos (um “evento de perda”) e caso aquele
evento (ou eventos) de perda tenha um impacto nos fluxos de caixa futuros estimados do ativo
financeiro ou grupo de ativos financeiros e desde que tal impacto possa ser estimado de maneira
confiável. 30.4 Instrumentos financeiros derivativos - Os instrumentos financeiros derivativos
contratados têm o propósito de proteger as operações de flutuações nas taxas de câmbio e juros,
e não são utilizados para fins especulativos. O Grupo opera substancialmente com contratos de
Swap cambial e Swap de taxa de juros. Os derivativos são reconhecidos pelo valor justo na data
da celebração do contrato e são subsequentemente remensurados ao seu valor justo. Em virtude
do Grupo não ter adotado como política a contabilidade de hedge (hedge accounting), as variações no valor justo de qualquer um desses instrumentos derivativos são reconhecidos imediatamente na demonstração do resultado, em “Resultado financeiro”. 30.5 Contas a receber de
clientes - As contas a receber de clientes são avaliadas pelo montante original da venda, incluindo quando aplicável, as variações cambiais e atualizações monetárias incorridas, deduzidas da
provisão para créditos de liquidação duvidosa (“PDD” ou “impairment”). Se o prazo de recebimento é equivalente a um ano ou menos, as contas a receber são classificadas no ativo circulante.
Caso contrário, são apresentadas no ativo não circulante. 30.6 Estoques - Os estoques são demonstrados pelo menor valor entre o custo médio das compras ou da produção ou o valor líquido
de realização. O método de avaliação dos estoques é o da média ponderada fixa. Os custos dos
produtos acabados e dos produtos em elaboração compreendem os custos das matérias-primas,
mão de obra direta, outros custos diretos e despesas gerais de produção (com base na capacidade operacional normal). O valor líquido de realização é o preço de venda estimado no curso normal dos negócios, menos os custos de execução e os custos estimados necessários para efetuar
as vendas. As importações em andamento são demonstradas ao custo acumulado de cada operação. 30.7 IR e CS corrente e diferido - As despesas de IR e CS do período compreendem os
impostos correntes e diferidos. Os impostos sobre a renda são reconhecidos na demonstração do
resultado, exceto na proporção em que estiverem relacionados com itens reconhecidos diretamente no patrimônio líquido. Nesse caso, o imposto também é reconhecido no patrimônio líquido.
Os encargos de impostos de renda e contribuição social correntes e diferidos são calculados com
base nas leis tributárias vigente na data do balanço dos países em que as entidades do Grupo
atuam e geram lucro tributável. As alíquotas atualmente aplicáveis no Brasil para o imposto de
renda e para a contribuição social são de 25% e 9%, respectivamente. O IR e a CS correntes e
diferidos são apresentados líquidos, por entidade contribuinte, no passivo quando houver montantes a pagar, ou no ativo quando os montantes antecipadamente pagos excedam o total devido na
data do relatório. O IR e a CS diferidos são reconhecidos sobre prejuízos fiscais acumulados,
bases negativas de contribuição social e diferenças temporárias entre as bases fiscais dos ativos
e passivos e seus valores contábeis nas demonstrações financeiras. São determinados com base
nas alíquotas vigentes na data do balanço, que devem ser aplicadas quando o respectivo imposto de renda diferido ativo for ser realizado ou quando o imposto de renda diferido passivo for ser
liquidado. O imposto de renda e a contribuição social diferidos ativos são reconhecidos somente
na proporção da probabilidade de que lucro tributável futuro esteja disponível e contra o qual as
diferenças temporárias possam ser usadas. A empresa Ouro Fino Pet Ltda. apura o imposto de
renda e a contribuição social pelo regime de lucro presumido. O lucro presumido é uma forma de
tributação simplificada para determinação da base dos tributos das pessoas jurídicas que não
estiverem obrigadas, no ano-calendário, à apuração do lucro real, ou cuja receita bruta total tenha
sido igual ou inferior a R$ 78.000. 30.8 Ativos intangíveis - (a) Pesquisa e desenvolvimento
de produtos - Os gastos com pesquisa são reconhecidos como despesa quando incorridos. Os
gastos incorridos com desenvolvimento de produtos são reconhecidos como ativos intangíveis
somente se o custo puder ser mensurado de modo confiável e quando for provável que os mesmos tragam benefícios futuros. O Grupo avalia seus projetos com base em metodologia própria,
que considera vários marcos de análise, sendo que os projetos serão bem sucedidos a partir do
desenvolvimento de “pilotos” dos produtos, efetuados de acordo com os requerimentos dos órgãos reguladores, acompanhados de análises de viabilidade financeira. Os gastos de desenvolvimento capitalizados são amortizados, desde o início da comercialização do produto, pelo método linear e ao longo do exercício do benefício esperado, o qual é em média de 10 anos. Os custos
dos encargos sobre os empréstimos tomados para financiar um projeto são capitalizados durante
o período necessário para desenvolver os produtos. (b) Marcas e licenças adquiridas - As
marcas registradas e as licenças adquiridas separadamente são demonstradas, inicialmente, pelo
custo histórico. As marcas e licenças, uma vez que têm vida útil definida, são contabilizadas pelo
seu valor de custo menos a amortização acumulada. A amortização é calculada pelo método linear durante sua vida útil estimada de, aproximadamente, 10 anos. As marcas registradas e as
licenças adquiridas em uma combinação de negócios são reconhecidas pelo valor justo na data
da aquisição. A amortização é calculada pelo método linear durante sua vida útil estimada entre
10 e 18 meses. (c) Softwares - As licenças de softwares adquiridas são capitalizadas com base
nos custos incorridos para adquirir os softwares e fazer com que eles estejam prontos para serem
utilizados. Esses custos são amortizados durante sua vida útil estimável de cinco anos pelo método linear. Os custos associados à manutenção de softwares são reconhecidos como despesa,
conforme incorridos. (d) Ágio (Goodwill) na aquisição de controladas - O ágio (Goodwill) resulta da aquisição de controladas e representa o excesso da (i) contraprestação transferida, e (ii) o
valor justo na data da aquisição dos ativos identificáveis adquiridos e passivos assumidos. O ágio
de aquisições de controladas é registrado como “Ativo intangível” nas demonstrações financeiras
consolidadas. O ágio é testado anualmente para verificar perdas (impairment). Ágio é contabilizado pelo seu valor de custo menos as perdas acumuladas por impairment. Perdas por impairment
reconhecidas sobre ágio não são revertidas. Os ganhos e as perdas da alienação de uma entidade incluem o valor contábil do ágio relacionado com a entidade vendida. 30.9 Imobilizado - O
imobilizado é mensurado pelo seu custo histórico, menos depreciação acumulada. Esse custo foi
ajustado nas controladas para refletir o custo atribuído de terras e terrenos na data de transição
para IFRS e é depreciado pelo método linear, considerando-se a estimativa da vida útil econômica
dos respectivos componentes. As taxas anuais de depreciação estão mencionadas na Nota 16.
Os custos subsequentes são incluídos no valor contábil do ativo ou reconhecidos como um ativo
separado, conforme apropriado, somente quando forem prováveis que fluam benefícios econômicos futuros associados ao item e que o custo do item possa ser mensurado com segurança. O
valor contábil de itens ou peças substituídas é baixado. Todos os outros reparos e manutenções
são lançados em contrapartida ao resultado, quando incorridos. Se o valor contábil de um ativo for
maior que o recuperável, constitui-se uma provisão para impairment de modo a ajustá-lo ao seu
valor recuperável estimado. Os custos dos encargos sobre os empréstimos tomados para financiar a construção do imobilizado são capitalizados durante o período necessário para executar e
preparar o ativo para o uso pretendido. Os ganhos e as perdas de alienações são determinados
pela comparação dos resultados com o valor contábil e são reconhecidos em “Outras receitas
(despesas), líquidas” na demonstração do resultado. 30.10 Impairment de ativos não financeiros - Os ativos que estão sujeitos à amortização são revisados para a verificação de impairment
sempre que eventos ou mudanças nas circunstâncias indicarem que o valor contábil pode não ser
recuperável. Uma perda por impairment é reconhecida quando o valor contábil do ativo excede
seu valor recuperável, o qual representa o maior valor entre o valor justo de um ativo menos seus
custos de venda e o seu valor em uso. Para fins de avaliação do impairment, os ativos são agrupados nos níveis mais baixos para os quais existiam fluxos de caixa identificáveis separadamente.
30.11 Fornecedores - As contas a pagar aos fornecedores são obrigações a pagar por bens ou
serviços que foram adquiridos no curso normal dos negócios, sendo classificadas como passivos
circulantes se o pagamento for devido no prazo de até um ano. Caso contrário, as contas a pagar
são apresentadas como passivo não circulante. São, inicialmente, reconhecidas pelo valor justo
e, subsequentemente, mensuradas pelo custo, amortizado com o uso do método de taxa efetiva
de juros. Na prática, são normalmente reconhecidas ao valor da fatura correspondente. 30.12 Empréstimos e financiamentos - Os empréstimos e financiamentos tomados são reconhecidos
inicialmente no recebimento dos recursos, líquidos dos custos das transações. Em seguida, os
empréstimos e financiamentos tomados são apresentados pelo custo acrescido de encargos e
juros proporcionais ao exercício incorrido (“pro rata temporis”), usando o método da taxa efetiva.
Os empréstimos e financiamentos são classificados como passivo circulante, a menos que se
tenha um direito incondicional de diferir a liquidação do passivo por, pelo menos, 12 meses após
a data do balanço. 30.13 Benefícios a empregados - (a) Previdência privada - O Grupo patrocina um plano previdenciário do tipo “contribuição definida” para seus empregados. Nos planos de
contribuição definida, as empresas pagam contribuições ao plano de pensão de administração
privada em bases contratuais e assim que as contribuições tiverem sido realizadas, as empresas
não têm obrigações relativas a pagamentos adicionais. As contribuições regulares compreendem
os custos periódicos líquidos do período em que são devidas e, assim, são incluídas nos custos
de pessoal. (b) Participação nos lucros - O Grupo reconhece um passivo e uma despesa de
participação nos resultados. Essas provisões são calculadas com base nas metas quantitativas e
qualitativas definidas pela administração e contabilizadas em contas de despesas com pessoal no
resultado do período. (c) Remuneração com base em ações - A Companhia possui, devidamente
aprovado pelo Conselho de Administração, um plano de remuneração com base em ações (Stock
Options), segundo o qual recebe os serviços de seus executivos e terceiros como contraprestações
das opções de compra de ações outorgadas. O prêmio dessas opções, calculado na data da outorga, é reconhecido como despesa em contrapartida ao Patrimônio líquido, durante o período de carência. 30.14 Reconhecimento da receita - A receita compreende o valor justo da contraprestação
recebida ou a receber pela comercialização de produtos e serviços no curso normal das atividades.
A receita é apresentada líquida dos impostos, das devoluções, dos abatimentos e dos descontos,
bem como das eliminações das vendas entre empresas do Grupo. A receita é reconhecida quando
seu valor puder ser mensurado com segurança, é provável que benefícios econômicos futuros fluirão para a entidade e quando critérios específicos tiverem sido atendidos para cada uma das atividades, conforme descrição a seguir. O Grupo baseia suas estimativas em resultados históricos, levando em consideração o tipo de cliente, o tipo de transação e as especificações de cada venda.As
receitas de venda são ajustadas para refletir os efeitos de um componente de financiamento significativo quando se espera, no início do contrato, que o período compreendido entre a comercialização
de produtos e serviços e o momento em que o cliente paga por esses produtos ou serviços é superior a um ano. Quando aplicável, o ajuste a valor presente nas operações de venda a longo prazo
tem como contrapartida a rubrica “Contas a receber” e sua realização é registrada na rubrica de
“Receita Financeira”, pela fruição do prazo. 30.15 Distribuição de dividendos e juros sobre o
capital próprio - A distribuição de dividendos e os juros sobre o capital próprio para os acionistas
são reconhecidos como um passivo nas demonstrações financeiras com base no estatuto social da
Companhia. Qualquer valor acima do mínimo obrigatório somente é provisionado na data em que
são aprovados pelos acionistas, em AGO. O benefício fiscal dos juros sobre o capital próprio, em
virtude de em substância representar redução da taxa efetiva de imposto de renda e de contribuição
social, é reconhecido na demonstração de resultado. 30.16 Novas normas que ainda não estão
em vigor - As seguintes novas normas foram emitidas pelo IASB, mas não estão em vigor para o
exercício de 2015.Aadoção antecipada de normas, embora encorajada pelo IASB, não é permitida,
no Brasil, pelo Comitê de Pronunciamento Contábeis (CPC). • IFRS 9 - “Instrumentos Financeiros”
aborda a classificação, a mensuração e o reconhecimento de ativos e passivos financeiros.Aversão
completa do IFRS 9 foi publicada em julho de 2014, com vigência para 1o/01/2018. Ele substitui a
orientação no IAS 39, que diz respeito à classificação e à mensuração de instrumentos financeiros.
O IFRS 9 mantém, mas simplifica, o modelo de mensuração combinada e estabelece três principais
categorias de mensuração para ativos financeiros: custo amortizado, valor justo por meio de outros
resultados abrangentes e valor justo por meio do resultado. Traz, ainda, um novo modelo de perdas
de crédito esperadas, em substituição ao modelo atual de perdas incorridas. O IFRS 9 abranda as
exigências de efetividade do hedge, bem como exige um relacionamento econômico entre o item
protegido e o instrumento de hedge e que o índice de hedge seja o mesmo que aquele que a administração de fato usa para fins de gestão do risco. A administração está avaliando o impacto total de
sua adoção. • IFRS 15 - “Receita de Contratos com Clientes” - Essa nova norma traz os princípios
que uma entidade aplicará para determinar a mensuração da receita e quando ela é reconhecida.
Ela entra em vigor em 1o/01/2018 e substitui a IAS 11 - “Contratos de Construção”, IAS 18 - “Receitas” e correspondentes interpretações. A administração está avaliando os impactos de sua adoção.
Não há outras normas IFRS ou interpretações IFRIC que ainda não entraram em vigor que poderiam ter impacto significativo sobre o Grupo.
continua
continuação
Conselho de Administração
Jardel Massari
Presidente do Conselho de Administração
Conselho Fiscal
Hugo Saraiva Carvalho Júnior
Conselheiro Fiscal
Norival Bonamichi
Vice-Presidente do Conselho de Administração
Luiz Antonio Santos Baptista
Conselheiro Fiscal
César Augusto Campes Neto
Conselheiro Fiscal
José Francisco Hintze Júnior
Conselheiro de Administração
Martin Emiliano Escobari Lifchitz
Conselheiro de Administração
Pedro Augusto Ribeiro Novis
Conselheiro Independente
Controladoria
Diretoria
Dolivar Coraucci Neto
CEO
Fábio Lopes Júnior
CFO e Diretor de Relações com Investidores
Parecer do Conselho Fiscal da Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A
O Conselho Fiscal da Ouro Saúde Animal Participações S.A. (“Companhia”), em cumprimento
às disposições legais e estatutárias, examinou as demonstrações financeiras individuais da
Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. que compreendem o balanço patrimonial em 31
de dezembro de 2015 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente,
das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo nesta data,
bem como as demonstrações financeiras consolidadas da Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. e suas controladas que compreendem o balanço patrimonial consolidado em 31 de
dezembro de 2015 e as respectivas demonstrações consolidadas do resultado, do resultado
abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo
nesta data, assim como o resumo das principais políticas contábeis e as demais notas explica-
tivas. O Conselho Fiscal também examinou a demonstração do valor adicionado (DVA), individuais e consolidadas, referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2015, preparada
sob a responsabilidade da administração da Companhia, cuja apresentação é requerida pela
legislação societária brasileira para companhias abertas, e como informação suplementar pelas
IFRS que não requerem a apresentação da DVA. A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo
com as práticas contábeis adotadas no Brasil e as normas internacionais de relatório financeiro
(IFRS), emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB), as quais foram aprovadas pelo Conselho de Administração da Companhia em 17 de março de 2016, e auditadas pela
PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, cujo relatório foi emitido, sem ressalvas,
Aos Administradores e Acionistas, Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. - Examinamos as demonstrações financeiras individuais da Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. (a “Companhia” ou “Controladora”) que compreendem o balanço patrimonial
em 31/12/2015 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente,
das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo nessa
data, bem como as demonstrações financeiras consolidadas da Ouro Fino Saúde Animal
Participações S.A. e suas controladas (“Consolidado”) que compreendem o balanço patrimonial consolidado em 31/12/2015 e as respectivas demonstrações consolidadas do
resultado, do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de
caixa para o exercício findo nessa data, assim como o resumo das principais políticas
contábeis e as demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre
as demonstrações financeiras - A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as
práticas contábeis adotadas no Brasil e as normas internacionais de relatório financeiro
(IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB), e pelos controles
internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude
ou por erro. Responsabilidade dos auditores independentes - Nossa responsabilidade
é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa
auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria.
Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelo auditor e que a auditoria
seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução
de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e das
divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados
dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante
nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou por erro.
Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a
em 18 de março de 2016. Por fim, o Conselho Fiscal, examinou a proposta da Administração
da Companhia com relação à distribuição do lucro líquido apurado no exercício social findo em
31 de dezembro de 2015 e de orçamento de capital para o exercício social de 2016. O Conselho Fiscal, tendo examinado as referidas demonstrações financeiras, e com base nas análises
periódicas, nos esclarecimentos prestados pela Administração da Companhia por meio do Relatório da Administração, bem como a proposta da Administração da Companhia com relação à
distribuição do lucro líquido apurado no exercício social findo em 31 de dezembro de 2015 e de
orçamento de capital para o exercício social de 2016, e, ainda, valendo-se dos esclarecimentos
prestados em reunião presencial com os auditores da PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, e o parecer de auditoria apresentado sem ressalvas, é de opinião que as mesmas
Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras individuais e consolidadas
elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para
planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não
para expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia.
Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das políticas contábeis utilizadas e
a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação
da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que
a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião.
Opinião - Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam
adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da
Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. e da Ouro Fino Saúde Animal Participações
S.A. e suas controladas em 31/12/2015, o desempenho de suas operações e os seus fluxos
de caixa, bem como o desempenho consolidado de suas operações e os seus fluxos de
caixa consolidados para o exercício findo nessa data, de acordo com as práticas contábeis
adotadas no Brasil e as normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo
Kleber Cesar Silveira Gomes
Controller - CRC: SP-197597/O-7
representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a situação patrimonial e financeira da Ouro Fino Saúde Animal Participações S.A. referentes ao exercício findo em 31 de
dezembro de 2015, conforme os propósitos a que se destinam, e que as mesmas encontram-se
em condições de serem apresentadas ao mercado e submetidas aos acionistas da Companhia,
na Assembleia Geral Ordinária. Portanto, em consonância com o disposto no artigo 163 da Lei
6.404 de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada, o Conselho Fiscal opina favoravelmente
pela aprovação das referidas demonstrações financeiras. Cravinhos, 18 de março de 2016.
Hugo Saraiva Carvalho Júnior - Conselheiro Fiscal
Luiz Antonio Santos Baptista - Conselheiro Fiscal
César Augusto Campez Neto - Conselheiro Fiscal
International Accounting Standards Board (IASB). Outros assuntos - Informação suplementar - Demonstrações do Valor Adicionado - Examinamos também as Demonstrações do Valor Adicionado (DVA), individuais e consolidadas, referentes ao exercício findo
em 31/12/2015, preparadas sob a responsabilidade da administração da Companhia, cuja
apresentação é requerida pela legislação societária brasileira para companhias abertas,
e como informação suplementar pelas IFRS que não requerem a apresentação da DVA.
Essas demonstrações foram submetidas aos mesmos procedimentos de auditoria descritos anteriormente e, em nossa opinião, estão adequadamente apresentadas, em todos os
seus aspectos relevantes, em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto.
Ribeirão Preto, 18 de março de 2016
PricewaterhouseCoopers
Maurício Cardoso de Moraes
Auditores Independentes
Contador
CRC 2SP000160/O-5 “F”
CRC 1PR035795/O-1 “T” SP
Fly UP