...

Referencial de Educação para os Media. - Direção

by user

on
Category: Documents
8

views

Report

Comments

Transcript

Referencial de Educação para os Media. - Direção
Referencial
de Educação
para os
Media
REFERENCIAL
DE EDUCAÇÃO PARA OS MEDIA
Educação Pré-Escolar
Ensino Básico (1.º, 2.º e 3.º ciclos)
Ensino Secundário
Ficha técnica:
Título
Referencial de Educação para os Media para a Educação Pré-escolar, o Ensino Básico e o Ensino Secundário
Autores
Sara Pereira, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho
Manuel Pinto, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho
Eduardo Jorge Madureira, Projeto “Público na Escola”
Teresa Pombo, Direção-Geral da Educação
Madalena Guedes, Direção-Geral da Educação
Coordenadores
Luís Filipe Santos, Subdiretor-Geral da Direção-Geral da Educação
José Vítor Pedroso, Diretor de Serviços de Projetos Educativos da Direção-Geral da Educação
Editor
Ministério da Educação e Ciência
Diretor-Geral da Direção-Geral da Educação
Fernando Egídio Reis
Design Gráfico
Isabel Espinheira
Data:
2014
ISBN
978-972-742-374-3 (impressos)
978-972-742-373-6 (on-line)
Tiragem
0000
Depósito legal
0000
Este Referencial de Educação para os Media foi aprovado pelo Senhor Secretário de Estado do Ensino Básico e
Secundário, Dr. João Henrique Grancho, por despacho de 29 de abril de 2014.
ÍNDICE
INTRODUÇÃO
5
1. Dez grandes Princípios da Educação para os Media10
2.TEMAS, OBJETIVOS E RESULTADOS DE APRENDIZAGEM12
Quadro 1 - Temas, Subtemas e Objetivos
12
Quadro 2 – Síntese dos Resultados de Aprendizagem por Tema15
3. descritores de desempenho POR TEMA, NÍVEL E CICLO DE EDUCACÃO E
ENSINO16
TEMA 1: Comunicar e Informar
16
TEMA 2: Compreender o Mundo Atual
18
TEMA 3: Tipos de Media
19
TEMA 4: As TIC e os Ecrãs21
TEMA 5: As Redes Digitais
23
TEMA 6: Entretenimento e Espetáculo
25
TEMA 7: Publicidade e Marcas
27
TEMA 8: Produção e Indústria / Profissionais e Empresas
29
TEMA 9: Audiências, Públicos e Consumos
31
TEMA 10: Liberdade e Ética, Direitos e Deveres
33
TEMA 11: Os Media como Construção Social
35
TEMA 12: Nós e os Media37
4. BIBLIOGRAFIA40
5. RECURSOS42
ss
INtRODUÇÃO
A Educação para os Media é um processo pedagógico que procura capacitar os cidadãos para viverem de forma
crítica e interventiva a “ecologia comunicacional” dos nossos dias. Visa aproveitar os recursos e oportunidades
que os meios e redes de comunicação facultam para enriquecer o desenvolvimento pessoal e social, de modo
a que cada pessoa possa conviver, aprender e trabalhar com mais qualidade. Envolve a abordagem de questões
tais como: condições e possibilidades de acesso aos equipamentos e aplicações tecnológicos; diversidade
e modalidades de uso dos media; capacidades de procurar, avaliar e selecionar informação relevante, de a
analisar criticamente e de a aplicar de forma significativa às necessidades da vida quotidiana; capacidades para
comunicar melhor consigo e com os outros.
Os cidadãos, enquanto consumidores de media, confrontam-se com desafios cada vez maiores face à
quantidade e à diversidade de dados e de informação, o que exige níveis de literacia cada vez mais apurados
e sofisticados nesta área. Em Portugal, à semelhança do que acontece com outros países da União Europeia e
da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a Educação para os Media deve
assumir-se como educação ao longo da vida, um processo relativamente ao qual a educação formal representa
uma etapa decisiva.
O presente documento visa propor um quadro de referência para o trabalho pedagógico em torno das
questões da Educação para os Media na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário, tomando como
referência documentos análogos de diversos países, bem como tomadas de posição recentes de instituições
europeias e internacionais. Cabe aqui destacar a Diretiva 2007/65/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho
de 11 de dezembro de 2007, relativa ao exercício de atividades de radiodifusão televisiva (Considerando 47);
a Recomendação da Comissão Europeia, de 20 de agosto de 2009 (Considerandos 11 e 16); a Comunicação
da Comissão ao Parlamento Europeu, ao Conselho ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité das
Regiões - Uma abordagem europeia da literacia mediática no ambiente digital; a Recomendação 1466 (2000) da
Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa e a Declaração de Grünwald sobre a Educação para os Media
(UNESCO, 1982)1.
No país, entre outros, foram considerados os documentos seguintes: Recomendação n.º 6/2011, do Conselho
Nacional de Educação, sobre Educação para a Literacia Mediática2; o estudo promovido e editado pela
Entidade Reguladora para a Comunicação Social Educação para os Media em Portugal: Experiências, Atores e
Contextos, elaborado por Manuel Pinto, Sara Pereira, Luís Pereira e Tiago Ferreira (2011); e Literacia dos Media
– Declaração de Braga (2011).
A importância da Educação para os Media nas Escolas advém do facto de as crianças e jovens se constituírem,
de forma cada vez mais intensa, como consumidores e produtores de media. Importa, então, dotá-los de
conhecimentos e capacidades que os habilitem a um consumo e a um conhecimento mais informados,
Para conhecer o teor destes documentos, sugerimos a consulta do Portal da Literacia Mediática, nomeadamente o sítio http://www.
literaciamediatica.pt/pt/documentos-de-referencia. Revelou-se igualmente útil a consulta destes dois trabalhos da UNESCO: Media
Education - A Kit for Teachers, Students, Parents and Professionals (UNESCO, 2006); Media and Information Literacy - Curriculum for Teachers
(UNESCO, 2011).
2
Diário da República, 2.ª série, n.º 250, de 30 de dezembro de 2011.
1
referencial de educação para os media
5
introdução
sobretudo tendo em conta a crescente complexidade desses meios e dos contextos em que surgem e se
desenvolvem os media.
No quadro do sistema educativo, a concretização da Educação para os Media permitirá às crianças e jovens
apropriarem-se de instrumentos que os habilitarão a um uso consciente do potencial dos media, assim como
dos perigos a que através destes se podem expor.
O desenvolvimento da literacia mediática deve articular-se com todas as outras modalidades de literacia,
devendo haver uma estreita articulação entre as suas diversas áreas temáticas.
A Educação para os Media supõe a capacidade de compreender - ou “ler criticamente” - os Media e os
processos sociais e culturais através dos quais se apresentam imagens e representações do mundo em que
vivemos, com recurso a diferentes linguagens. As atenções vão naturalmente para a imprensa, a música, a
fotografia, a banda desenhada, a rádio, a televisão, a publicidade, o cinema, o vídeo, os videojogos – em suportes
e formatos quer analógicos quer digitais –, mas também para as plataformas e redes digitais, os telemóveis, os
tablets, os smartphones e outras formas de circulação e difusão de mensagens.
“Ler criticamente” os media supõe ser capaz de reconhecer e valorizar aquilo que neles contribui para
o alargamento de horizontes, para o conhecimento do que se passa no mundo, para o acolhimento da
diversidade de valores e mundividências e para a construção das identidades. Envolve também a aquisição
de processos de autodefesa face aos riscos e ameaças, incluindo os que advêm dos novos media e das redes
sociais.
Os media não são apenas os conteúdos e as tecnologias que os veiculam e que, de algum modo, lhes dão forma.
Compreender os media supõe igualmente olhar para lá dos ecrãs (para ver os profissionais, as organizações, as
lógicas e estratégias editoriais, as leis e regulamentos, etc.), assim como para os utilizadores e consumidores
(o que estes fazem com os media, qual o seu impacto na vida das pessoas e das comunidades).
Designada, em algumas partes do mundo (por exemplo, na América Latina), Educação para a Comunicação
ou Educomunicação, supõe igualmente a mestria no uso esclarecido dos media para acolher a palavra, a
mensagem de outros, e para saber estabelecer com eles formas ativas e críticas de comunicação. Ela parte
de realidades e experiências muito básicas da existência, como seja a capacidade e dificuldade de estabelecer
relações gratificantes uns com os outros, e visa, finalmente, desenvolver a interação e a comunicação a todos
os níveis, desde o intrapessoal ao global, passando pelo grupal e organizacional.
Entende-se aqui, na esteira de vários outros autores, que a Educação para os Media é um dos processos
(vivido na família, na escola, nos grupos de pares, nas comunidades…) que vai capacitando as pessoas para se
tornarem cidadãs sensíveis, ativas e responsáveis. Pode dizer-se que este tipo de formação, na medida em que
aposta na capacitação e responsabilização das pessoas para fazerem escolhas inteligentes, é uma alternativa
cívica e política à censura e à excessiva regulamentação por parte do Estado.
A Educação para os Media supõe igualmente a aquisição de capacidades de reflexão e espírito crítico que
habilitem a comunicar através dos media e também com os próprios media: assumindo um papel informativo
sobre matérias de interesse público; exercendo o direito constitucional de resposta e retificação; e/
ou colaborando com a crítica, o aplauso, a sugestão e a proposta, através de iniciativas individuais ou de
movimentações organizadas.
referencial de educação para os media
6
introdução
A Educação para os Media não se reduz a (nem se confunde com) o uso dos media na educação, ainda que
possa beneficiar desse uso. Muito menos se pode confundir com o mero uso de tecnologias, sejam elas velhas
ou novas. Há que dissipar este tipo de mal-entendidos.
A Educação para os Media implica fazer dos media – não apenas dos “tradicionais”, mas também dos novos
media - objeto de estudo, de reflexão e de prática. E isto para se ser mais esclarecido no seu uso; para
compreender criticamente as suas linguagens, mensagens e modos de funcionamento; para desvendar o
mundo que os ecrãs ocultam, quais biombos entre nós e os profissionais, as empresas, as tecnologias.
Através do percurso proposto no âmbito da Educação para os Media, a meta será conseguir um nível elevado
de literacia no que se refere à comunicação e aos media. Esta dimensão cultural e de cidadania inscrita
na Educação para a Literacia acerca dos Media confere-lhe um horizonte que a distingue da Literacia da
Informação, mais focada nos conhecimentos e capacidades relativos ao acesso, avaliação, uso ético e eficaz de
dados e informação. Já o conceito de literacia digital surge habitualmente mais associado ao desenvolvimento
de capacidades e habilidades relacionadas com a compreensão e o uso eficiente das tecnologias – diferentes
tipos de hardware, as ferramentas de software, da Internet e, em geral, das redes digitais bem como de aspetos
relacionados com as linguagens hipertextuais, interativas e multimédia. Em todo o caso, é difícil, se não
impossível, desenvolver a literacia digital desligada da informação e do fenómeno informativo, do ponto de
vista da produção, edição, apresentação, acesso e uso.
Na última década, a United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization, Organização das Nações
Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) tem desenvolvido esforços no sentido de fazer
convergir a Educação para os Media e a Literacia da Informação, trabalhando o conceito de Literacia Informativa
e Mediática e sublinhando os muitos aspetos comuns e as especificidades de uma e outra tradição. Neste
processo, aquela organização das Nações Unidas conferiu especial realce a uma faceta que, também no caso
português, constitui um ponto crítico e decisivo para a efetivação e tradução prática deste Referencial – a
formação de professores e educadores3. Os diferentes agentes têm de ter plena consciência de que, sem o
investimento nessa dimensão, muitos docentes não se sentirão apetrechados e confiantes para se abalançarem
a uma tarefa que podem até reconhecer como importante e necessária.
Enquadramento curricular do Referencial de Educação para os Media
A perspetiva a adotar nas Escolas para a abordagem e implementação da Educação para os Media dificilmente
passará por iniciativas únicas e demasiado generalistas; pelo contrário, beneficiará de uma metodologia
diversificada, dado entender-se como uma temática transversal e transdisciplinar da Educação para a Cidadania.
Face à pertinência da promoção e da implementação da Educação para os Media, e tendo em conta o contexto
escolar das crianças e jovens, o Ministério da Educação e Ciência associou-se ao Centro de Estudos de
Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho4, instituição com comprovado trabalho de investigação
nesta área, preparando este Referencial, que deverá servir de documento de orientação para as escolas no
que respeita à Educação para os Media.
Cf UNESCO (2011) Media and information literacy: curriculum for teachers, Paris (ver: http://unesdoc.unesco.org/
images/0019/001929/192971e.pdf). Uma tradução em português foi editada no Brasil em 2013, sob o título Alfabetização midiática e
informacional: currículo para formação de professores: http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002204/220418por.pdf
4
http://www.comunicacao.uminho.pt/cecs/
3
referencial de educação para os media
7
introdução
Assim, este documento constitui-se como referência para a implementação da Educação para os Media em
meio escolar e pré-escolar. Pode ser utilizado em contextos diversos, mediante adaptações, no seu todo ou
em parte, nomeadamente:
I - da dimensão transversal da Educação para a Cidadania, em contexto de ensino e de aprendizagem de
qualquer disciplina ou área disciplinar, nos 1.º, 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e no ensino secundário e
também no quadro da educação pré-escolar, tendo em conta a Orientações Curriculares para a Educação
Pré-Escolar em vigor;
II - da oferta de componentes curriculares complementares no 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, desde que
criadas pela escola, em função da gestão do crédito letivo, de acordo com o estipulado no Decreto-Lei n.º
139/2012, de 5 de julho;
III - da oferta complementar do 1º ciclo do Ensino Básico, nos termos previstos no Decreto-Lei n.º
91/2013, de 10 de julho, que introduziu alterações ao Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho;
IV - do desenvolvimento de projetos e atividades que tenham como objetivo contribuir para a formação
pessoal e social dos alunos, em articulação com o projeto educativo do Agrupamento de Escolas / Escola
não agrupada;
Organização e estrutura do Referencial
O esquema organizador que agora se propõe no Referencial poderá, no âmbito da Educação para a Cidadania,
ser adotado e adaptado de diferentes modos nos vários níveis e ciclos de educação e ensino. Este Referencial
tem em conta não só a literatura científica produzida nesta área da Educação para os Media, como também
o leque de experiências que têm sido desenvolvidas em Portugal, particularmente nos últimos anos. O
Referencial procurou também ter em consideração a experiência mediática e comunicacional das crianças e
adolescentes, nas condições e contextos em que tal experiência é vivida nos dias que correm.
Este Referencial acolhe uma abordagem do campo comunicacional e mediático que procura ser o mais
universal e abrangente possível. De outra forma, cair-se-ia em posicionamentos reducionistas, como aqueles
que restringem a comunicação aos media e estes ao jornalismo; ou, então, em abordagens que se posicionam
do ponto de vista das tecnologias, secundarizando os vínculos destas com a vida social. Esta opção acaba por
tornar mais complexa a operacionalização do rationale na medida em que são numerosos os tipos de media
considerados, vários dos quais convergindo entre si nas redes e plataformas digitais, além de que poderão ser
bastante distintos os ângulos de abordagem considerados.
Propõe-se, assim, o tratamento progressivo, desde a educação pré-escolar até aos ensinos básico e secundário,
de diversos temas: 1. Comunicar e informar; 2. Compreender o mundo atual; 3. Tipos de Media; 4. As TIC e
os ecrãs; 5. As redes digitais; 6. Entretenimento e espetáculo; 7. Publicidade e marcas; 8. Produção e indústria/
profissionais e empresas; 9. Os Media como construção social; 10. Audiências, públicos e consumos; 11.
Liberdade e ética, direitos e deveres; 12. Nós e os Media. Cada um destes temas engloba subtemas e objetivos.
Para cada conjunto de tema/subtemas, foram incluídos diversos objetivos, com o propósito de fornecer aos
educadores e professores uma referência acerca do que pode ser considerado mais geral ou mais específico,
sem prejuízo da adequação dos mesmos ao nível etário e ao percurso educativo das crianças e dos jovens.
referencial de educação para os media
8
introdução
Os descritores de desempenho, em cada um dos níveis e ciclos de educação e ensino, são também os
considerados adequados ao nível de desenvolvimento e ao escalão etário das crianças e jovens a que se
destinam. Estes descritores integram um conjunto de conhecimentos, capacidades, atitudes/valores e
comportamentos necessários à concretização da aprendizagem pretendida.
Este Referencial inclui, ainda, referências a bibliografia essencial e a recursos que podem apoiar a formação e
a ação docente nos campos cinematográfico, videográfico, sonoro, multimédia, etc.
Considera-se ainda que as Bibliotecas Escolares constituem um parceiro fundamental na Educação para os
Media e na aplicação deste Referencial, através das iniciativas - próprias ou em colaboração - que poderão ser
desenvolvidas, em articulação quer com a aprendizagem formal quer com a aprendizagem informal.
referencial de educação para os media
9
introdução
1. Dez grandes Princípios da Educação para os Media
Em termos gerais, a Educação para os Media pretende levar os alunos a compreender que:
1. À semelhança do curso da História, as pessoas e as sociedades vivem da qualidade da relação que
entre elas se estabelece. E essa relação vive, por sua vez, da qualidade da comunicação (no sentido de
intercâmbio, de escuta, de empatia, de troca de mensagens e de gestos) e da qualidade da informação
(dados trabalhados, que se trocam e transmitem);
2. As tecnologias e processos de informação e comunicação que ao longo da história humana foram
desenvolvidos, ao mesmo tempo que moldaram as sociedades, foram também por elas construídos e
apropriados e dotados de significado, respondendo a necessidades e anseios e gerando novos dinamismos
e oportunidades;
3. A Internet e, em particular, a web, nas suas várias evoluções, se apresenta não apenas como um novo
medium, mas também como um ambiente propiciador de diferentes formas e níveis de comunicação
e informação, desde a comunicação intra e interpessoal e grupal, até à comunicação organizacional e
de massas. A tecnologia digital cria a possibilidade da interação, circulação intertextual, combinação de
diferentes media, criação e valorização da memória, entre outros aspetos;
4. Aquilo que os media produzem e disponibilizam aos seus públicos reflete, em alguma medida, a realidade
social, mas é, sempre, sobretudo e necessariamente, uma interpretação dessa realidade. A interpretação
não é forçosamente manipulação, mas uma forma de ver e de enunciar, ainda que pautada por critérios de
rigor e de procura da verdade. Nesse sentido, é que se costuma dizer que os media constroem a realidade,
na informação, mas igualmente na ficção, no entretenimento, na publicidade e na propaganda; não só nos
media profissionais, mas também nos selfmedia, nos social media e nas redes sociais;
5. Num mundo global, a informação sobre o que se passa à nossa volta é vital. O jornalismo ocupa-se da
atualidade; não apenas de contar e reportar, mas também de contextualizar, de interpretar, de investigar,
de questionar, de selecionar e de verificar. Os condicionalismos e desafios a que está sujeita esta atividade
e as transformações que advêm de pressões internas e externas têm levado a questionar o seu papel que,
no entanto, tem sido reconhecido como absolutamente crucial para a vida social e para as democracias;
6. Os media não existem nem funcionam à revelia da sociedade. Isto significa que os interesses, mundividências,
tradições, identidades e valores que os contextualizam desempenham um papel de referência, quer como
potencialidade, quer como limitação. O mesmo se diga relativamente às normas e leis definidas pelos
Estados ou por instituições autónomas que possam interferir no desempenho das organizações que
enquadram os meios de comunicação;
7. Para entender os media, é necessário perceber o que as pessoas fazem com eles; que práticas, gostos e
hábitos que cada um de nós em torno deles desenvolve; de que modo eles ocupam e entretecem a nossa
vida; que lugares ocupam e que repercussões suscitam. Importa, para tal, observar e analisar os consumos
e as audiências, atendendo às especificidades de cada contexto sociocultural e geográfico, aos fatores
socioeconómicos, etc.;
referencial de educação para os media
10
dez grandes princípios
8. Na relação com os media, se condensam inevitavelmente as assimetrias que caracterizam a sociedade. Por
isso, torna-se necessário olhar e compreender o ecossistema informativo e mediático também a partir
dos grupos sociais desfavorecidos, das periferias e áreas de pobreza e das zonas em que o acesso aos
media e às redes se torna mais difícil. As desigualdades de recursos e de situações podem fazer crescer
novos grupos de excluídos digitais, mesmo entre aqueles que dispõem de acesso à Internet;
9. Tal como no passado, o domínio das capacidades de leitura e de escrita se tornou um requisito básico
para qualquer cidadão, hoje essas capacidades alargam-se a (e cruzam-se com) novas linguagens e formas
de comunicação, exigindo não apenas literacias múltiplas, como capacidades e recursos transversais às
diferentes literacias. A sua aprendizagem é necessária não apenas para a formação de cidadãos críticos,
esclarecidos e reflexivos, mas igualmente para as exigências da vida quotidiana, no plano da saúde, do
trabalho, das finanças ou da relação com os serviços públicos;
10. A educação para a informação e os media se tornou, por tudo isto, uma vertente incontornável da
formação de qualquer cidadão e um caminho que, desde a família à escola e a outras instâncias formativas,
não pode deixar de ser promovido e cuidado, com vista a promover: a literacia mediática, uma vida com
mais dignidade e qualidade e uma participação social e política esclarecida.
referencial de educação para os media
11
dez grandes princípios
2.TEMAS, OBJETIVOS E RESULTADOS DE APRENDIZAGEM
Quadro 1 - Temas, Subtemas e Objetivos
TEMAS
1. Comunicar e
informar
2. Compreender
o mundo atual
3. Tipos de Media
SUBTEMAS
OBJETIVOS
GERAIS
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Entender o que é comunicar
- Conhecer a natureza da comunicação
- Conhecer as regras da comunicação humana
Compreender
- Definir o conceito de informação
- Situações de comunicação os fenómenos
da
Comunicação
- Perceber o que são fontes de informação
- Problemas de comunicação
e Informação,
- Perceber a seleção e hierarquização da
- História da comunicação
a sua história,
informação
- Comunicar e informar
meios e
Perceber como circula a informação
problemáticas.
- Meios de informação
- Saber que há informação verdadeira e informação
falsa ou distorcida e saber como podem ser
distinguidas
- Saber que a informação é quantificável
- O que se passa no mundo
- Jornalismos
- Vida e opinião públicas
- Ferramenta e cultura
- Linguagens dos media
- Acesso e práticas de uso
referencial de educação para os media
Compreender
a relação dos
media com o
mundo atual.
Conhecer e
compreender
as diferentes
tipologias e
características
dos media.
12
- Distinguir o espaço público do espaço privado
- Saber o que é a globalização
- Entender como a globalização encurta o tempo e
o espaço
- Perceber a influência dos media no modo como
olhamos o mundo
- Saber o que é um medium
- Identificar as características e as linguagens
específicas da imprensa, da rádio, da televisão, do
cinema e dos novos media (ver número 4)
- Perceber como se produz cada um dos media
- Distinguir media de propriedade privada de media
de propriedade pública
Imprensa
- Conhecer sumariamente a história da imprensa
- Conhecer um jornal
- Conhecer as características de uma primeira
página
- Conhecer e identificar as secções de um jornal
- Identificar as características dos diversos géneros
jornalísticos
Rádio e Televisão
- Conhecer sumariamente a história da rádio e da
televisão
- Conhecer características específicas da rádio e da
televisão
- Conhecer uma rádio e um canal de televisão
- Saber o que é a realização e a montagem
Cinema
- Conhecer sumariamente a história do cinema
- Conhecer características específicas da linguagem
cinematográfica
- Identificar características de uma estrela de
cinema e a sua importância e influência na vida
dos jovens
temas, objetivos e resultados de aprendizagem
TEMAS
4. As TIC e os
ecrãs
SUBTEMAS
- Tecnologia
- Tecnologias de informação
e comunicação
- Tipos de ecrãs
- Sociedade multiecrãs
- Viver em rede / fazer rede
- Riscos de ser enredado
- Cyberbullying e Sexting
5. As redes
digitais
- Negócio vs. Criação
6. Entretenimento - Heróis, “vedetas”, fãs e
e espetáculo
cultos
- Material promocional
(merchandising)
7. Publicidade e
marcas
8. Produção
e Indústria/
Profissionais e
empresas
- Media e publicidade
- Artes da sedução
- Empresas e grupos de
Media
- Profissionais dos Media
referencial de educação para os media
OBJETIVOS
GERAIS
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Conhecer sumariamente a história das TIC
- Refletir sobre os usos da Internet, dos telemóveis
e dos videojogos
- Identificar as principais características da Internet
Compreender a
- Identificar as vantagens e os inconvenientes do
importância dos
telemóvel
novos media e
Refletir sobre os valores transmitidos através de
das tecnologias
diferentes
tipos de videojogos
de informação e
comunicação.
- Conhecer os problemas decorrentes de um uso
prolongado dos ecrãs
- Refletir sobre o modo como as TIC e os ecrãs
mudaram a forma de relação com os outros, com
o tempo e com o espaço
Conhecer e
compreender o
funcionamento
das principais
redes sociais.
- Conhecer as principais redes sociais digitais
- Entender quais são as suas vantagens e os seus
inconvenientes
- Debater o fenómeno do Cyberbullying e do Sexting
e identificar formas de o combater
- Conhecer entretenimentos do passado e do
presente
Conhecer e
- Conhecer a história do lazer
compreender
- Identificar os principais tipos de entretenimento
os diferentes
- Saber o que é a fama e como se constrói uma
tipos de
“vedeta”
entretenimento.
- Saber o que é o material promocional
(merchandising)
Compreender
o fenómeno da
publicidade.
- Saber o que é a sociedade de consumo
- Conhecer as regras da publicidade e do marketing
- Saber como se constrói uma marca
- Conhecer os elementos presentes numa imagem
publicitária
- Saber distinguir a publicidade da informação
- Conhecer os principais expedientes publicitários
- Reconhecer o papel da publicidade na
mobilização de causas sociais
- Saber identificar situações em que os media
recorrem à colocação de produto – product
placement (nos programas televisivos, nos
videojogos,…).
Conhecer
- Saber quais são os principais profissionais dos
os principais
media
grupos
empresariais e
- Perceber como funciona o negócio dos media
profissionais dos - Saber o que é uma empresa ou grupo de media
media.
13
temas, objetivos e resultados de aprendizagem
TEMAS
9. Audiências,
públicos e
consumos
10. Liberdade e
ética, direitos e
deveres
SUBTEMAS
- Consumos de Media
- Quem e por que (se)
mede
- Liberdade de informação e
de expressão
- Direitos e deveres
OBJETIVOS
GERAIS
Compreender
o que são e
quais são as
audiências e
públicos dos
media.
Compreender
o direito à
liberdade de
informação e de
expressão.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Saber o que são públicos
- Entender a importância dos diferentes tipos de
públicos
- Saber o que é a opinião pública
- Saber o que é e para que serve medir tiragens e
audiências
- Saber para que servem os fãs
- Saber como se procura – bem e mal – cativar o
público
- Saber porque é importante informar, informar-se
e ser informado livremente
- Conhecer os principais documentos que
consagram o direito à liberdade de informação e
de expressão
- Reconhecer a liberdade de expressão como
um direito humano fundamental (art.º 19.º da
Declaração Universal dos Direitos Humanos)
- Conhecer a censura, a sua história e as suas
características
- Compreender o que é o interesse público da
informação e entender porque o interesse
público não é o mesmo que o interesse do
público
- Perceber porque é relevante distinguir vida
pública e vida privada e porque importa respeitar
o direito à privacidade
- Conhecer os direitos de autor e entender
porque devem ser respeitados
- Conhecer o trabalho dos provedores do leitor,
do ouvinte e do telespectador, percebendo a
função que desempenham e a eles recorrendo,
sempre que for pertinente
Compreender
como os media
11. Os Media
- Representações do mundo são agentes
como construção
de construção
- Efeitos, impactos e riscos
social
social e
influência.
- Perceber os conceitos de verdade e de
representação
- Perceber o conceito de construção social
- Perceber como é que os media constroem a
realidade
- Compreender os conceitos de agenda setting e de
espiral do silêncio
- Conhecer a linguagem e os cerimoniais dos media
- Perceber como e quando as personagens dos
media correspondem a estereótipos
- Perceber a influência dos media em matéria de
violência e de sexo
Desenvolver
estratégias de
comunicação
através dos
diversos media.
- Saber como se pode criar um media
- Aprender a fazer um jornal escolar
- Aprender a fazer um blogue
- Saber se e como se pode ter voz num meio de
comunicação social
- Conhecer e aplicar os princípios éticos de criação
e de publicação de conteúdos no espaço público
- Tomar conhecimento da possibilidade de direito
de resposta e de direito de retificação nos media
12. Nós e os
Media
- Participar nos/pelos Media
- Produzir conteúdos/
mensagens
referencial de educação para os media
14
temas, objetivos e resultados de aprendizagem
Quadro 2 – Síntese dos Resultados de Aprendizagem por Tema
TEMAS
Resultados de aprendizagem
1. Comunicar e informar
Os alunos compreendem a importância da comunicação e distinguem
diferentes formas de comunicar. Compreendem como é que a informação é
vista e valorizada na e pela sociedade.
2. Compreender o mundo atual
Os alunos conhecem o que se passa no mundo e interessam-se pelos assuntos
da atualidade, do mundo mais próximo ao mais distante. Distinguem o espaço
de comunicação pública do espaço privado. Compreendem o fenómeno da
globalização.
3. Tipos de Media
Os alunos identificam diferentes tipos de media, caracterizam as suas principais
funções e conhecem as suas linguagens específicas. Demonstram capacidade
para analisar e interpretar criticamente os media, os seus conteúdos e
mensagens.
4. As TIC e os ecrãs
Os alunos compreendem os diferentes usos das TIC em contextos distintos e
para diferentes propósitos. São capazes de explorar o potencial das TIC para
pesquisar e aprender.
5. As redes digitais
Os alunos identificam diferentes redes sociais e tomam consciência dos seus
diferentes usos e do seu impacto na vida e no relacionamento das pessoas.
6. Entretenimento e espetáculo
Os alunos compreendem a importância do entretenimento e do espetáculo
na vida das pessoas e exploram o seu lugar nos diferentes media. Tomam
consciência da indústria que envolve o entretenimento e exploram alguns dos
seus produtos. Compreendem o fenómeno dos fãs.
7. Publicidade e marcas
Os alunos compreendem os objetivos e as funções da publicidade e são capazes
de identificar e de analisar criticamente a diversidade de técnicas usadas.
8. Produção e indústria/profissionais e
empresas
Os alunos tomam consciência de que os media são produzidos em determinados
contextos sociais, culturais e económicos. Os alunos compreendem como as
questões da propriedade e da concentração dos media se relacionam com os
princípios da democracia e da liberdade de expressão. Exploram o conceito
de liberdade editorial e a sua importância para garantir a independência dos
meios (em relação a quem detém a propriedade e a atores oficiais ou não
oficiais). Os alunos tomam conhecimento da existência dos Estatutos Editoriais
de diferentes media.
9. Audiências, públicos e consumos
Os alunos descobrem como é que as pessoas usam os media nas suas vidas
e identificam a diversidade de usos e de funções dos media. São capazes de
refletir sobre as suas próprias práticas mediáticas e de fazer uma leitura crítica
das mesmas. Reconhecem a importância dos contextos (social, familiar) na
receção e interpretação das mensagens/textos.
10. Liberdade e ética, direitos e deveres
Os alunos compreendem que um cidadão mais informado está mais preparado
para tomar decisões e para participar numa sociedade democrática. Os alunos
compreendem a liberdade de expressão como um direito humano fundamental,
essencial para o pensamento crítico. Os alunos identificam casos em que há
restrições à liberdade de expressão.
11. Os media como construção social
Os alunos exploram representações, presenças e silêncios nos media em geral.
São capazes de identificar estereótipos veiculados pelos media. Identificam
preconceitos e estratégias de manipulação. Compreendem que o processo de
edição dá ao texto/mensagem um determinado significado.
12. Nós e os Media
Os alunos são encorajados a produzir conteúdos, envolvendo-se num
processo de explorar, planear e fazer. Os alunos usam diferentes tipos de
meios para expressar as suas ideias, vozes e opiniões através de um processo
criativo. Produzem diferentes mensagens que apresentem diversas perspetivas
e representações. Usam os media como plataformas para a expressão da
sua cidadania. Identificam os diferentes canais e plataformas que os media
disponibilizam para o público interagir e participar e avaliam-nos criticamente.
referencial de educação para os media
15
temas, objetivos e resultados de aprendizagem
referencial de educação para os media
16
temas, objetivos e resultados de aprendizagem
- Aprender a comunicar uma
ideia, um acontecimento, uma
opinião.
- Compreender o que pode
perturbar o processo de
comunicação;
- Aprender que a comunicação
implica saber escutar o outro;
- Sentir-se livre para expressar
a sua opinião e ouvir a do
outro;
- Aprender a expressar ideias
e sentimentos, a escutar os
outros e a sentir empatia;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
- Inventariar formas de
comunicação em diferentes
situações sociais;
- Conhecer a raiz etimológica
da palavra “comunicação” e
vocábulos da mesma família
(a partir da consulta de um
dicionário);
- Desenvolver a capacidade
de comunicar uma ideia, um
acontecimento, uma opinião;
SECUNDÁRIO
- Desenvolver a capacidade de
debater ideias, de defender pontos
de vista e de argumentar;
- Desenvolver a capacidade
de comunicar uma ideia, um
acontecimento, uma opinião;
- Aprender a expressar ideias e
sentimentos, a escutar os outros e a
sentir empatia;
- Conhecer aspetos de algumas teorias
dos media (agenda setting, espiral do
silêncio) e de textos de alguns autores
mais relevantes para a formação de um
espírito crítico;
- Compreender o percurso da
informação ontem e hoje (das agências
de informação ao despacho e ao artigo
do cidadão-repórter);
- Aprender a distinguir “boa” de “má”
informação;
- Aprender processos aprofundados de
pesquisa e de validação de informação
na Internet;
- Aprender a lidar com o excesso de
informação e a suprir a sua carência;
- Discutir o papel e a importância da
- Discutir o papel e a importância da
comunicação e da informação no dia a
comunicação e da informação no dia
dia;
a dia;
3.º CICLO
- Reconhecer linguagens e
códigos de comunicação;
- Refletir sobre o modo
de comunicar com os
- Aprender a distinguir textos
outros e aprender que a
- Aproximar e distinguir
informativos, opinativos e
comunicação implica saber
comunicação animal e humana
publicitários;
escutar o outro;
(procurar, ver e analisar vídeos
em comum);
- Aprender a redigir textos com
- Aprender a comunicar uma
propósito informativo.
ideia, um acontecimento,
- Aprender a expressar ideias e
uma opinião;
sentimentos, a escutar os outros
e a sentir empatia;
- Aprender a expressar
ideias e sentimentos, a
escutar os outros e a
sentir empatia;
- Tomar consciência do
papel da comunicação
na vida quotidiana e
identificar formas de
comunicação;
- Valorizar a comunicação como
- Aprender o valor e a
processo pessoal e social;
importância de comunicar;
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Situações de comunicação | Problemas de comunicação | História da comunicação | Comunicar e informar | Meios de informação
TEMA 1: COMUNICAR E INFORMAR
3. descritores de desempenho POR TEMA, NÍVEL E CICLO DE EDUCACÃO E ENSINO
referencial de educação para os media
17
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
- Ser capaz de identificar
dificuldades em comunicar e
seus motivos, de representar
algumas dessas situações e de
debater formas de as superar;
- Desenvolver atitudes
positivas e de
respeito para com os
interlocutores de uma
conversa ou diálogo;
- Identificar meios de
comunicação e de
informação.
- Compreender o que pode - Compreender qual é a função
causar ruído num processo de um texto informativo.
de comunicação e como
lidar positivamente com o
conflito;
- Aprender a debater ideias, a
defender pontos de vista e a
argumentar;
- Aprender a debater ideias,
a defender pontos de vista
e a argumentar;
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
3.º CICLO
- Identificar as lógicas de produção de
informação e as possíveis assimetrias
no acesso.
- Considerar a questão cultural e
intercultural como relevante para a
efetividade da comunicação;
SECUNDÁRIO
Situações de comunicação | Problemas de comunicação | História da comunicação | Comunicar e informar | Meios de informação
TEMA 1: COMUNICAR E INFORMAR - (cont.)
referencial de educação para os media
18
descritores de desempenho
- Ser capaz de dar e de receber
uma notícia.
- Expressar o modo como, no
seio da sua família, se sabe o
que se passa no mundo;
- Tomar consciência do
papel dos media na
informação sobre o
mundo atual.
- Ganhar curiosidade
- Identificar as principais
e interesse pelos
formas de conhecer os
acontecimentos da atualidade;
assuntos da atualidade;
- Debater com os colegas
- Conhecer os principais assuntos que
assuntos da atualidade e
expressar a sua opinião sobre os fazem a atualidade;
mesmos;
- Debater com os colegas assuntos da
atualidade e expressar a sua opinião
- Identificar os principais meios
sobre os mesmos;
de conhecer os assuntos da
atualidade;
- Compreender a importância de
conhecer o que se passa no mundo
- Tomar consciência do papel dos
a nível político, económico, social;
media na informação sobre o
mundo atual;
- Reconhecer o papel de informação
dos media na sociedade atual;
- Identificar formas de circulação
e difusão de informação;
- Investigar e conhecer a diversidade
de funções e as hierarquias dentro
- Reconhecer os profissionais
da profissão de jornalista;
cujo trabalho é narrar o que
se passa no mundo (identificar
jornalistas, estabelecer contacto - Pesquisar sobre como é que as
com eles, entrevistá-los, etc.).
pessoas (os avós, os pais, os primos
ou amigos) se informam.
- Falar sobre acontecimentos
- Ganhar curiosidade
do mundo atual, do mais
e interesse pelos
próximo (da família, da escola,
acontecimentos da
da vizinhança, da localidade)
atualidade;
ao mais distante;
- Aprender a expressar
- Expressar a sua opinião sobre
a sua opinião sobre os
alguns acontecimentos;
assuntos da atualidade;
- Compreender o conceito de
assuntos ou acontecimentos da
atualidade;
3.º CICLO
- Conhecer o que se passa no
mundo;
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
O que se passa no mundo | Jornalismos | Vida e opinião públicas
- Estar atento ao que se passa à - Estar atento ao que se
sua volta;
passa no mundo;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 2: COMPREENDER O mundo atual
- Saber o que é o Big Data e o modo
como se tenta gerir a quantidade
extraordinária de informação produzida
a cada minuto.
- Conhecer alguns cientistas –
designadamente os físicos que
receberam Prémios Nobel – que, pelas
suas descobertas, mudaram o mundo
da comunicação;
- Conhecer os principais marcos da
história dos media;
- Conhecer os papéis dos media em
tempos de guerra e em tempos de paz;
- Tomar consciência do modo como os
media “encolhem” o mundo;
- Tomar consciência do modo como os
media “aceleram” o mundo;
- Tomar consciência do modo como
os media alteram a vida das pessoas
e o modo como elas percecionam o
mundo;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
19
descritores de desempenho
- Expressar as razões para
gostar ou não gostar de
certos programas.
- Identificar e caracterizar os
heróis mediáticos e relacioná-los com os seus gostos e
preferências;
- Conhecer brinquedos óticos;
- Aprender como é a TV nos
bastidores;
- Nomear os canais de TV
preferidos e mencionar as
razões;
- Identificar distintos canais de
televisão e falar sobre eles;
- Expressar os seus gostos
em matéria de televisão:
programas, personagens;
- Falar sobre os meios de
comunicação que mais se
utilizam em casa e o modo
como se utilizam;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
tecnológica dos media;
- Refletir sobre a evolução
- Conhecer e distinguir as diferentes
linguagens dos media (verbal, verbal
oral, icónica ou da imagem);
3.º CICLO
- Descrever os hábitos e
práticas mediáticas de
amigos e familiares;
- Saber identificar diferentes tipos
de media;
- Diferenciar os tipos de televisão e as
suas funcionalidades;
- Conhecer as distintas funções
dos media e o seu impacto nas
- Identificar e caracterizar os
experiências das pessoas;
- Conhecer brinquedos
diferentes géneros televisivos;
Conhecer
as
diferentes
óticos e a sua história;
linguagens dos media (verbal,
- Conhecer a organização das
verbal oral, icónica ou da
- Fazer experiências
empresas televisivas (organigrama
imagem);
em torno da ilusão do
humano e técnico);
movimento das imagens;
- Tomar consciência de que as
mensagens e conteúdos dos
- Compreender o funcionamento
- Procurar informação sobre media podem ter um impacto
da televisão (analisar a organização
as distintas profissões
positivo ou negativo nas pessoas, empresarial da TV);
relacionadas com os media; em função do que é oferecido e
de como é usado;
- Comparar os distintos estilos
- Diferenciar as distintas
comunicativos e organizativos das
funções da TV;
estações televisivas;
- Identificar e caracterizar os
diferentes géneros televisivos;
- Conhecer o modo de
- Desenvolver uma atitude crítica
produção de um programa
em relação aos distintos estilos e
- Desenvolver uma atitude crítica
de televisão;
ofertas de programas;
em relação aos distintos estilos
e ofertas de programas;
- Comparar e tirar
- Compreender que cada meio de
conclusões sobre a
comunicação tem a sua própria
- Conhecer os primórdios
programação televisiva de
linguagem, as suas convenções e os
do cinema e o seu papel nas
distintos canais;
seus géneros;
primeiras décadas;
importância dos media na
vida das pessoas;
- Refletir sobre a
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Ferramenta e cultura | Linguagens dos media | Acesso e práticas de uso
TEMA 3:tipos de Media
- Conhecer as principais correntes
estéticas da história do cinema
e, nomeadamente, as vanguardas
(Formalismo Russo, Neorrealismo,
Nouvelle Vague);
- Aprender a fazer um uso seguro da
Internet: desenvolver a capacidade
de distinguir entre “boa” e “má”
informação; analisar a veracidade e a
relevância da informação; aprender a
usar a multiplicidade de vantagens que
a Internet oferece; não revelar dados
pessoais;
- Reconhecer as características da rádio
como meio de comunicação;
- Analisar a informação e opinião que um
jornal oferece;
- Experimentar através da linguagem
radiofónica as possibilidades de
comunicação da linguagem oral;
- Utilizar os meios digitais para melhorar
a competência comunicativa;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
20
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
- Aprender a fazer um
uso seguro da Internet:
desenvolver a capacidade
de distinguir entre “boa” e
“má” informação.
- Refletir sobre as razões
que levam a gostar ou
a não gostar de certo
programa;
- Analisar programas de
televisão, procurando
descobrir a sua estrutura,
personagens, espaços,…;
1.º CICLO
- Aprender a fazer um uso seguro
da Internet: desenvolver a
capacidade de distinguir entre
“boa” e “má” informação.
- Explorar e compreender a
ilusão do movimento e da
animação;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
3.º CICLO
- Aprender a fazer um uso seletivo dos
telemóveis;
SECUNDÁRIO
- Aprender a fazer um uso seguro da
Internet: desenvolver a capacidade
de distinguir entre “boa” e “má”
informação.
- Compreender que o sentido de um
texto pode mudar em função do
meio em que é transmitido;
- Compreender a ‘gramática’ própria de
cada meio e os ingredientes chave que
- Conhecer a evolução do cinema: do
os caracterizam;
cinema mudo ao cinema sonoro, do
preto e branco à cor;
- Saber distinguir meios de comunicação
de propriedade privada de meios de
- Conhecer o Star-System;
comunicação de propriedade pública.
- Verificar como determinados
públicos (idosos, crianças, mulheres,
homossexuais, imigrantes, etc.) são
representados nos media;
Ferramenta e cultura | Linguagens dos media | Acesso e práticas de uso
TEMA 3:tipos de Media - (cont.)
referencial de educação para os media
21
descritores de desempenho
- Identificar o tipo de ecrãs
que têm em casa e para
que fins são usados;
1.º CICLO
- Partilhar sentimentos e
experiências de uso dos
meios digitais, sozinhos
ou com a sua família (por
exemplo, videojogos, Internet,
tablets).
- Falar do tempo que gastam
no uso das tecnologias
e compreender que é
importante fazer outras
atividades, por exemplo,
brincar;
- Identificar diferentes
tecnologias e meios de
comunicação e informação
(os mais e menos
acessíveis; os mais e menos
interessantes ou úteis).
- Identificar e compreender
as oportunidades, riscos e
potencialidades dos usos
da Internet;
- Ter consciência de que
os ecrãs podem gerar
dependência no seu uso;
- Refletir sobre o
tempo que gastam no
uso das tecnologias
e compreender a
importância de realizar
outras atividades;
- Falar do modo como usam os
ecrãs e do modo como são
usados pela sua família;
- Determinar as diferentes formas
de impacto das tecnologias, nas
suas vidas, nas dos amigos, da
família e da sociedade em geral;
- Identificar e compreender
as oportunidades, riscos e
potencialidades dos usos da
Internet;
- Ter consciência da condição de
consumidor de ecrãs;
- Ser sensível aos riscos que
podem surgir na Internet;
- Compreender a noção de
“tecnologias de informação - Conhecer as técnicas usuais de
e comunicação”;
informação e comunicação;
- Ser capaz de falar dos ecrãs
de que gostam mais de usar e
porquê;
- Aprender a respeitar as
indicações etárias dos
programas;
- Descobrir e começar a ser
capaz de se orientar num
ambiente digital;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
- Identificar devidamente os principais
riscos que se apresentam na
Internet;
- Ter uma prática cuidada de pesquisa
na Internet, sabendo selecionar e
validar a informação e atribuir a
autoria às fontes utilizadas;
- Saber escrever documentos em
suporte digital;
- Ser capaz de dominar as TIC e
saber usar convenientemente um
processador de texto;
- Aprender a conversar com a família
sobre o que se vê na televisão;
- Aprender a respeitar as indicações
etárias dos programas;
- Aprender a regular o tempo que se
está em frente aos ecrãs;
3.º CICLO
Tecnologia | Tecnologias de informação e comunicação | Tipos de ecrãs | Sociedade multiecrãs
- Identificar os ecrãs que as
crianças têm em casa e que as - Mencionar os ecrãs que
mais usam e para quê;
suas famílias usam;
- Aprender sobre o que é um
ecrã e para que serve;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 4: AS TIC E OS ECRÃS
- Analisar assimetrias sociais e culturais
relacionadas com o acesso e uso das
tecnologias.
- Perceber as oportunidades e os riscos
que as TIC colocam ao ensino;
- Compreender a evolução dos utensílios
de comunicação e dos seus usos;
- Ser capaz de entender a especificidade
da informação jornalística;
- Conhecer um conjunto de critérios
que permitem avaliar a qualidade de
um site;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
22
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
- Ter consciência dos aspetos físicos
relacionados com a atividade de
espectador ou de consumidor de
ecrãs (necessidade de atenção à
ergonomia, ao exercício físico, etc.).
- Partilhar e refletir sobre as
formas de estar online e de
uso dos meios digitais: websites
e videojogos mais visitados e
favoritos;
- Pesquisar os preços de alguns
equipamentos e relacioná-los
com o valor dos salários.
- Conhecer a evolução das
tecnologias através da geração
dos avós, dos pais e dos
próprios alunos;
3.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Tecnologia | Tecnologias de informação e comunicação | Tipos de ecrãs | Sociedade multiecrãs
TEMA 4: AS TIC E OS ECRÃS - (cont.)
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
23
descritores de desempenho
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Viver em rede / fazer rede | Riscos de ser enredado | Cyberbullying
- Ser capaz de conversar com um
- Saber identificar e lidar
adulto sempre que, em algum
com comportamentos
ecrã, for observada uma imagem
mais agressivos,
ou um conteúdo chocante;
de conhecidos ou
- Conversar sobre a
desconhecidos, que podem
importância das redes de
ser causa de zanga, mágoa, - Ser capaz de pedir a ajuda de
amigos e de familiares:
tristeza ou medo;
um adulto sempre que, através
partilha, ajuda, amizade…
de uma rede social, de SMS ou
- Falar das redes digitais: o
de e-mail, for alvo de pressões
- Ser capaz de conversar
que são, para que são usadas,
psicológicas para fazer algo que
com um adulto sempre
importância;
não se quer;
que for observada uma
imagem chocante;
- Ver e explorar exemplos
- Compreender o que é o
de redes sociais digitais:
Cyberbullying e saber que é
- Ser capaz de identificar
considerar que há redes
possível encontrar mensagens
casos de qualquer
digitais para além do
numa rede social, assim como
modalidade de assédio,
Facebook, algumas pensadas e
no telemóvel, no e-mail ou
através do telemóvel, por
concebidas para as crianças;
num chat, que podem fazer o
exemplo;
destinatário sentir-se zangado,
- Conversar sobre redes sociais
magoado, triste ou com medo;
usadas pelos pais e familiares; - Entender o conceito de
Cyberbullying;
- Falar da importância de não
- Reconhecer o tipo de
se conversar com pessoas
comportamentos que podem
Compreender
o
mal
estranhas, presencial ou
ser considerados cyberbullying;
que
se
causa
quando
se
virtualmente.
comete ou se é cúmplice
de um ato de Cyberbullying; - Compreender o mal que se
causa quando se comete, se é
cúmplice ou se é indiferente
perante um ato de Cyberbullying;
- Ter noção da ideia de rede:
grupo de amigos, grupo de
familiares;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 5: AS REDES DIGITAIS
- Ser capaz de conversar com um adulto
sempre que for observada uma imagem
chocante;
- Saber identificar e lidar com
comportamentos mais agressivos, de
conhecidos ou desconhecidos, que
podem ser causa de zanga, mágoa,
tristeza ou medo;
SECUNDÁRIO
- Compreender que a falta de cuidado
e um errado entendimento do
que são as redes sociais podem
criar situações favoráveis a assaltos
e roubos; ao assédio (suscitado
pela publicação de determinadas
imagens); à confusão (por não se
distinguir os diversos planos da
vida: íntima, familiar, escolar, etc.) e à
fraude (usurpação de identidade);
- Perceber que as inscrições numa
rede social são, frequentemente,
ditadas por curiosidade, ilusão ou
vontade de criar uma reputação
virtual;
- Compreender o mal que se causa
quando se comete ou se é cúmplice de
um ato de Cyberbullying ou de Sexting.
- Ser capaz de identificar casos de
- Compreender que as redes sociais
qualquer modalidade de assédio, através
servem para apresentar informações
do telemóvel, por exemplo;
pessoais, fotografias, motivos de
interesse, criar círculos de amigos,
- Entender o conceito de Cyberbullying e
arranjar parceiros comerciais ou
de Sexting;
clientes empresariais;
- Ser capaz de pedir a ajuda de um
adulto sempre que, através de uma
rede social, de SMS ou de e-mail, for
alvo de pressões psicológicas para
fazer algo que não se quer;
- Ser capaz de conversar com um
adulto sempre que, em algum ecrã,
for observada uma imagem ou um
conteúdo chocante;
3.º CICLO
referencial de educação para os media
24
descritores de desempenho
1.º CICLO
- Saber com quem se
deve falar quando se fica
a saber de um caso de
Cyberbulliyng.
- Saber que iniciativas podem
e devem ser promovidas para
desincentivar a prática de
Cyberbullying.
- Reconhecer a importância de
denunciar casos de Cyberbullying
em que os próprios ou os
amigos estejam envolvidos
(como vítimas ou como
agressores);
- Saber o que se pode e deve
fazer quando se está perante
uma situação de Cyberbullying;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Viver em rede / fazer rede | Riscos de ser enredado | Cyberbullying
- Ter noção da ideia de rede: - Saber porque é
grupo de amigos, grupo de importante denunciar
familiare virtualmente.
casos de Cyberbullying em
que os próprios ou os
amigos estejam envolvidos
(como vítimas ou como
agressores);
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 5: AS REDES DIGITAIS - (cont.)
SECUNDÁRIO
- Saber configurar a privacidade numa
rede social, não ignorando que a
privacidade é sempre limitada.
- Saber que dados se devem ou não
colocar online, pelo perigo que pode
representar o seu conhecimento
público;
- Saber que os dados ou as fotografias
que se colocam nas redes sociais
são, na prática, sempre públicos;
- Saber como lidar com
desconhecidos ou com agressores
online;
- Saber que iniciativas podem e devem
ser promovidas para desincentivar a
prática de Cyberbullying;
- Saber porque é importante denunciar
- Compreender o que é o
Cyberbullying e saber identificar e
casos de Cyberbullying em que os
lidar com comportamentos mais
próprios ou os amigos estejam
agressivos, de conhecidos ou
envolvidos (como vítimas ou como
desconhecidos, que podem ser causa agressores);
de zanga, mágoa, tristeza ou medo;
- Saber quem se deve contactar quando
- Reconhecer a importância de
se toma conhecimento de um caso de
denunciar casos de Cyberbullying
Cyberbullying.
em que os próprios ou os amigos
estejam envolvidos (como vítimas ou
como agressores);
3.º CICLO
referencial de educação para os media
25
descritores de desempenho
- Identificar as características e
a narrativa dos super-heróis,
estabelecendo comparações
em diversos media: filmes,
desenhos animados, livros,
videojogos.
- Diferenciar os heróis dos
media dos heróis da vida real
e caracterizá-los;
- Aprender sobre os
heróis, identificando os
heróis das crianças do
grupo, observando-os e
caracterizando-os;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
- Saber de que áreas são
os ídolos com mais fãs
(futebolistas ou surfistas?
músicos ou cientistas?)
e identificar anúncios
publicitários em que
participam, tentando
perceber a relação entre
ser famoso e publicitar
produtos.
- Conhecer heróis e
exemplos de produtos
promocionais associados
(merchandising) – t-shirts,
bonecos, canecas, material
escolar, pacotes de cereais
– relacionados com um
filme ou um programa de
televisão e discutir sobre
os seus objetivos;
- Conhecer diferentes
tipos de programas
e espetáculos de
entretenimento;
1.º CICLO
- Compreender o conceito de atenção e
como o entretenimento e o espetáculo
a procuram captar e manter;
- Compreender de que modo os valores
do entretenimento e o espetáculo
contaminam outras áreas, influenciando
mesmo o modo de ensino;
- Perceber o impacto dos programas/
conteúdos de entretenimento nos
públicos;
- Identificar os elementos que se
empregam na ficção televisiva e
fílmica;
- Ser capaz de identificar expressões,
gestos e roupas, por exemplo, que
entraram na moda por terem sido
usados por um ídolo, indicando as
causas de tal sucesso.
- Conhecer dois expedientes frequentes
para aumentar as audiências: o
sensacionalismo e o erotismo;
- Compreender de que modo a
informação é “contaminada” pela noção
de espetáculo;
- Entender o conceito de sociedade do
espetáculo;
SECUNDÁRIO
- Refletir sobre os tipos de
entretenimento;
3.º CICLO
- Identificar, caracterizar e distinguir
os diferentes tipos de programas
televisivos de entretenimento:
- Saber de que áreas são os
séries, telenovelas, filmes, concursos,
ídolos com mais fãs (futebolistas
desporto;
ou surfistas? músicos ou
cientistas?) e identificar anúncios - Ser capaz de identificar e discutir
publicitários em que participam,
modelos de referência do mundo
tentando perceber a relação
mediático para os jovens;
entre ser famoso e publicitar
produtos;
- Ser capaz de identificar expressões,
gestos e roupas, por exemplo, que
- Ser capaz de identificar
entraram na moda por terem sido
os géneros de produtos
usados por um ídolo, indicando as
promocionais mais usados,
causas de tal sucesso;
determinando se são a série, o
filme ou outro tipo de programa
que ajudam a vender estes
produtos ou se é o contrário
que sucede;
- Conhecer heróis e exemplos
de produtos promocionais
associados (merchandising)
– t-shirts, bonecos, canecas,
material escolar, pacotes de
cereais – relacionados com
um filme ou um programa de
televisão e discutir sobre os
seus objetivos;
- Conhecer diferentes tipos de
programas e espetáculos de
entretenimento;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Negócio vs. Criação | Heróis, “vedetas”, fãs e cultos
TEMA 6: ENTRETENIMENTO E ESPETÁCULO
referencial de educação para os media
26
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
- Compreender que a indústria
desenvolve campanhas de
marketing que envolvem
diferentes estratégias
promocionais para divulgarem e
promoverem os produtos.
- Reconhecer que o merchandising
faz parte de uma campanha mais
ampla de marketing de uma série,
de um filme ou de programas de
outros tipos;
- Ser capaz de identificar o tipo
de público escolhido como alvo
da tentativa de venda de um
tipo de produtos – crianças ou
adultos; raparigas ou rapazes
– e verificar se há mensagens
estereotipadas;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Negócio vs. Criação | Heróis, “vedetas”, fãs e cultos
TEMA 6: ENTRETENIMENTO E ESPETÁCULO - (cont.)
- Perceber porque se deve respeitar
a propriedade de outras pessoas,
razão por que não se devem fazer
cópias ilegais do trabalho dos
outros (música, videojogos e outros
programas).
3.º CICLO
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
27
descritores de desempenho
- Ser capaz de criar uma
frase (slogan) para vender um
produto (pode ser um produto
imaginado pela criança).
- Começar a tomar consciência
dos objetivos da publicidade
(saber para que serve);
- Identificar os elementos de
um anúncio, a partir da sua
experiência;
- Aprender a identificar um
anúncio publicitário;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
- Identificar a intenção persuasiva
das mensagens publicitárias;
- Conhecer os objetivos e
as funções da publicidade na
sociedade atual;
- Conhecer os objetivos da
publicidade;
- Perceber se a publicidade
fomenta atitudes de
competição, anima
comportamentos violentos,
ajuda a manter situações
de injustiça e rebaixa a
condição das pessoas a
simples consumidores;
- Tomar consciência dos valores e
dos modelos que se projetam na
publicidade;
- Identificar alguns elementos que
tornam sedutora uma mensagem
publicitária;
- Identificar num anúncio a ideiachave, os valores que apresenta, o
modo como, em certas ocasiões,
sugere uma ideia de felicidade;
- Conhecer os elementos
que intervêm nas mensagens
publicitárias;
- Identificar alguns elementos
que constituem uma mensagem
publicitária;
- Conhecer os elementos
que integram a publicidade:
cor, mensagem, ritmo,
música…;
- Saber realizar uma análise
elementar de um anúncio
publicitário;
- Identificar a presença de
um anúncio publicitário;
- Ser capaz de identificar
aquilo de que se gosta mais
num anúncio, referindo os
motivos;
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Media e publicidade | Artes da sedução
TEMA 7: PUBLICIDADE E MARCAS
- Identificar os géneros de anúncios que
são mais eficazes em chamar a atenção e
refletir sobre o modo como o fazem;
- Conhecer os elementos que
intervêm nas mensagens publicitárias;
- Saber que as empresas dispõem
de um conjunto de recursos para
fortalecer e projetar uma imagem de
marca: uma ideia própria, um slogan,
uma cor, um símbolo e um conjunto
de histórias;
- Saber que as marcas entram na nossa
vida quotidiana e íntima por dispositivos
como produtos derivados, operações
promocionais, marketing relacional;
- Distinguir a publicidade comercial da
publicidade institucional;
- Perceber como os anunciantes sugerem
a ideia de que o produto é clássico ou
moderno, de que é natural ou que faz
- Compreender as diferenças
existentes entre consumos essenciais apelo à alta tecnologia, de que é simples
ou refinado;
(a alimentação, por exemplo) e
supérfluos (os gadgets, por exemplo);
- Identificar os elementos que tornam
sedutora uma mensagem publicitária;
- Compreender a diferença entre
consumos benéficos e nocivos;
consumos individuais (a alimentação e - Perceber como se tenta, através do
o vestuário, por exemplo) e coletivos marketing viral, da moda, da publicidade,
(as estradas e a iluminação pública,
etc., influenciar o meio sociocultural,
por exemplo); consumo privado (o
para promover consumos;
das famílias) e público (o do Estado);
- Conhecer diversas técnicas de
- Saber identificar os principais
publicidade e de marketing: product
fatores de que depende o consumo:
placement (inserir nos programas
económicos (o rendimento dos
produtos de modo a que as suas marcas
consumidores, o preço dos bens, a
sejam vistas pela audiência) e branded
inovação tecnológica) e socioculturais content (conteúdo patrocinado por uma
(o meio sociocultural, a moda, a
marca, mas em que a mensagem da
tradição, a publicidade);
marca é veiculada no próprio programa);
SECUNDÁRIO
3.º CICLO
referencial de educação para os media
28
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
- Perceber como os heróis
que surgem a partir
dos programas infantis
são usados para vender
produtos de todo o
género, identificando
exemplos concretos.
1.º CICLO
3.º CICLO
- Perceber de que modo as marcas
procuram explorar a fragilidade
da autoimagem e a necessidade de
pertencer a grupos para vender os seus
produtos;
SECUNDÁRIO
- Conhecer o conceito de
consumerismo, um termo comum na
bibliografia sobre educação para o
consumo, no contexto da defesa dos
direitos do consumidor.
- Perceber de que modo as marcas
procuram explorar a fragilidade
da autoimagem e a necessidade de
pertencer a grupos para vender os
seus produtos;
- Reconhecer que certas pessoas,
- Conhecer alguns mecanismos
- Ser capaz de analisar e questionar as
ideias e objetos nunca aparecem
subliminares ou ocultos da
mensagens subliminares veiculadas pela
representadas nos anúncios,
publicidade em televisão;
publicidade;
determinando se são reais
as situações que os anúncios
- Conhecer as diversas e as mais
- Entender a importância de um
apresentam.
recentes técnicas de publicidade
consumo responsável, evitando ou
e de marketing: product placement
recusando comprar produtos e
(inserir nos programas produtos de
serviços que desrespeitam os direitos
modo a que as suas marcas sejam
humanos ou o ambiente;
vistas pela audiência) e branded
content (conteúdo patrocinado por
- Conhecer o conceito de
uma marca, mas em que a mensagem consumerismo, um termo comum na
da marca é veiculada no próprio
bibliografia sobre educação para o
programa);
consumo, no contexto da defesa dos
direitos do consumidor.
- Entender o modo como a
publicidade nos influencia;
- Ser capaz de analisar um
- Tomar consciência e ser capaz
de assumir uma atitude crítica
anúncio e de entender se é
perante os valores, papéis sociais
aceitável e justa a sociedade que
e estereótipos transmitidos pela
sugere;
publicidade;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Media e publicidade | Artes da sedução
TEMA 7: PUBLICIDADE E MARCAS - (cont.)
referencial de educação para os media
29
descritores de desempenho
- Aprender o processo de
produção: planear no papel
pequenas sequências de
uma história e produzi-las
em vídeo;
- Ser capaz de identificar
palavras da linguagem
fílmica: usar palavras-chave
para descrever o trabalho
de produção (por exemplo,
câmara de filmar, filmar,
cortar, efeitos especiais,
filme);
- Aprender os rudimentos do
processo de produção: planear
no papel pequenas sequências
de uma história e produzi-las
em vídeo;
- Ser capaz de identificar
palavras da linguagem fílmica:
usar palavras-chave para
descrever o trabalho de
produção (por exemplo, câmara
de filmar, filmar, cortar, efeitos
especiais, filme);
- Ser capaz de inventar um
super-herói e desenvolver
um guião para um filme
sobre os super-heróis.
1.º CICLO
- Perceber que um jornal, além da
redação, tem departamentos para
tratar de questões comerciais e
de marketing e saber de que se
encarrega cada um deles;
- Perceber que um jornal tem
ainda um diretor (e é comum ter
vários subdiretores), um chefe
ou um diretor de redação, vários
editores, grandes repórteres,
jornalistas, correspondentes,
colunistas, copydesks, fotógrafos,
cartoonistas, designers, telefonistas,
informáticos, arquivistas, etc.,
sendo capaz de indicar o que cada
um faz e porque é importante
esse trabalho;
- Perceber que um jornal tem um
proprietário;
- Identificar quais podem ser as
fontes de receita da imprensa;
- Perceber que a imprensa é
também um negócio que envolve
gente diversa, como o vendedor
de papel para a impressão
do jornal ou da revista ou o
empregado do quiosque;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Empresas e grupos de Media | Profissionais dos Media
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 8: Produção e indústria/profissionais e Empresas
SECUNDÁRIO
- Perceber que um jornal tem ainda
um diretor (e é comum ter vários
subdiretores), um chefe ou um
diretor de redação, vários editores,
grandes repórteres, jornalistas,
correspondentes, colunistas, copydesks,
fotógrafos, cartoonistas, designers,
telefonistas, informáticos, arquivistas,
etc., sendo capaz de indicar o que
cada um faz e porque é importante
esse trabalho;
- Saber quem são os proprietários
dos principais diários e semanários
portugueses e saber se eles são
também donos de rádios e/ou de
televisões;
- Perceber que a imprensa é também
um negócio que envolve gente diversa,
como o vendedor de papel para a
impressão do jornal ou da revista ou
o empregado do quiosque;
- Identificar os diferentes profissionais
que produzem os conteúdos mediáticos
e conhecer as suas funções;
- Identificar as tecnologias que são
usadas para produzir e distribuir os
conteúdos mediáticos;
- Perceber que um jornal tem um
proprietário, um diretor (e é comum
ter vários subdiretores), um chefe
ou um diretor de redação, vários
editores, grandes repórteres, jornalistas,
correspondentes, colunistas, copydesks,
- Identificar quais podem ser as fontes fotógrafos, cartoonistas, designers,
telefonistas, informáticos, arquivistas, etc.,
de receita da imprensa;
sendo capaz de indicar o que cada um faz
e porque é importante esse trabalho;
- Perceber que um jornal tem um
proprietário (uma pessoa ou um
- Perceber que um jornal, além da
grupo de pessoas, uma empresa ou
redação, tem departamentos para tratar
um grupo de empresas) e que ele
de questões comerciais e de marketing e
pode influenciar as notícias que o
saber de que se encarrega cada um deles;
jornal publica ou não;
3.º CICLO
referencial de educação para os media
30
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
- Conhecer funções dos diversos
profissionais de uma emissora
de rádio e de um canal de
televisão.
- Saber que se quiserem fazer
um jornal na escola também
é útil terem jornalistas,
desenhadores e fotógrafos,
gráficos, responsáveis pela
produção, vendedores e um ou
dois diretores;
- Identificar outras profissões
de algum modo envolvidas no
negócio da imprensa;
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Empresas e grupos de Media | Profissionais dos Media
- Conhecer funções dos diversos
profissionais de uma emissora de
rádio e de um canal de televisão.
- Conhecer os principais motores de
busca e o seu modelo de negócio,
percebendo como funcionam e o que
dita a ordenação das páginas relativas
ao item pesquisado.
- Conhecer as entidades que regulam a
ação dos media, compreendendo o seu
papel e sabendo como e quando a elas
se pode e deve recorrer;
- Identificar outras profissões de
algum modo envolvidas no negócio
da imprensa;
SECUNDÁRIO
- Identificar os principais grupos que
detêm as empresas de media e refletir
sobre as vantagens e desvantagens por
serem geridos por grandes grupos
económicos;
3.º CICLO
- Perceber que um jornal, além da
redação, tem departamentos para
tratar de questões comerciais e
de marketing e saber de que se
encarrega cada um deles;
TEMA 8: Produção e indústria/profissionais e Empresas - (cont.)
referencial de educação para os media
31
descritores de desempenho
- Compreender o conceito
de audiência;
- Identificar o público-alvo de
um programa: visionar um
conjunto de clips de géneros
diferentes e dizer a quem
se destina (crianças, jovens,
adultos, família), explicando a
razão da sua decisão;
- Compreender a diferença entre
audiência presencial e audiência
mediada e relacionar com
situações concretas;
- Pesquisar sobre o modo como
as pessoas usam os media nas
suas vidas, quais os seus hábitos e
padrões de uso;
- Identificar os mecanismos que os
media usam para alcançar, atrair e
constituir as audiências;
3.º CICLO
- Identificar o público-alvo
de um programa ou de
um anúncio (visionar clips
- Identificar o público-alvo
de géneros diferentes ou
- Ser capaz de falar da sua
de um programa ou de um
anúncios publicitários e dizer
experiência enquanto
- Saber como os públicos utilizam os
anúncio;
fundamentadamente a quem se
telespectador, jogador de
media na vida quotidiana, quais são
destinam);
videojogos, etc.;
os seus hábitos de utilização e de
- Compreender a
que formas se podem revestir estas
importância das audiências
utilizações;
- Perceber que os amigos
para os media: sem público - Reconhecer, a partir dos gostos
e preferências do grupo, que as
podem gostar de programas
não há televisão, não se
pessoas têm reações e respostas - Refletir sobre os usos dos media.
e de jogos diferentes e que
vendem jornais, não se
distintas em relação aos
podem ver ou jogar de formas produz cinema;
produtos mediáticos.
distintas.
- Tomar consciência de que
as audiências têm gostos e
preferências distintas.
- Identificar situações do
quotidiano em que se
constituem audiências;
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Consumos de Media | Medição de audiências
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 9: AUDIÊNCIAS, PÚBLICOS E CONSUMOS
- Compreender como é feita a medição
de audiências dos vários media e refletir
sobre a importância que esses dados
assumem para as empresas e para os
anunciantes;
- Compreender que as audiências usam,
interpretam e reagem aos media de
diferentes formas;
- Compreender que os conteúdos/
mensagens dos media não têm o
mesmo significado para todas as
pessoas;
- Refletir sobre os usos dos media;
- Identificar as “vozes que são ouvidas”
nos media e as “vozes que ficam no
silêncio”;
- Compreender a segmentação da
audiência, identificando eventuais
diferenças sociais na relação e no
comportamento das audiências género, idade, grupo socioeconómico,
profissão;
- Distinguir os conceitos de audiência e
de público e compreender as relações
e tensões entre eles;
- Conhecer a evolução histórica do
conceito de audiência;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
32
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Consumos de Media | Medição de audiências
TEMA 9: AUDIÊNCIAS, PÚBLICOS E CONSUMOS - (cont.)
3.º CICLO
- Entender como os públicos interpretam
os media e que significações e
gratificações deles retiram.
- Entender como os media se dirigem
aos seus públicos e que imagem têm os
produtores de media dos seus públicos;
- Distinguir as limitações do processo de
medição das audiências;
SECUNDÁRIO
- Aprender a importância dos
seus trabalhos (pinturas,
desenhos) terem o seu nome;
- Mostrar respeito pelos
trabalhos dos colegas;
33
- Sentir-se livre para expressar
as suas ideias e aprender a
respeitar as dos outros.
- Aprender que os programas
de televisão (os desenhos
animados, as telenovelas, os
filmes), o cinema, etc., têm
sempre uma pessoa que os
concebeu e produziu;
- Aprender a importância de
um trabalho ter o nome de
quem o faz;
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
3.º CICLO
- Conhecer os documentos que, em
- Compreender o conceito - Reconhecer a importância
da referência da autoria dos
Portugal e no mundo, garantem a
de liberdade de expressão;
trabalhos, sejam eles em suporte liberdade de expressão;
digital, audiovisual ou papel;
- Ter noção da importância
- Conhecer os princípios do direito
de referir sempre a autoria
- Identificar os elementos básicos
de resposta e de retificação
dos trabalhos;
para conferir crédito a um
relativamente aos media;
trabalho: título, nome e data.
- Reconhecer a importância
- Conhecer personalidades que
de atribuir autoria aos
seus próprios trabalhos;
defenderam e defendem a liberdade
de expressão;
- Compreender que não se
deve copiar o trabalho dos
- Conhecer organizações que
defendem a liberdade de expressão;
outros e usá-lo como se
fosse seu;
- Saber referenciar um texto retirado
- Sentir-se livre para
da Internet;
expressar as suas ideias
e aprender a respeitar as
- Aprender que ao ato de copiar o
dos outros.
trabalho de outros e apresentá-lo
como se fosse seu se chama plágio.
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Liberdade de expressão | Direitos e deveres
TEMA 10: Liberdade e ética, direitos e deveres
referencial de educação para os media
descritores de desempenho
- Entender a importância e conhecer
a legislação mais relevante sobre a
proteção da liberdade de expressão,
a proteção de menores, o respeito
pela vida privada, o direito à imagem,
o direito ao bom nome, à propriedade
intelectual;
- Compreender que o consumo
mediático coloca questões éticas
(exemplos: programas televisivos
ofensivos dos direitos e da dignidade
humana, promovendo algum tipo de
degradação);
- Conhecer a censura, a sua história e as
suas características;
- Compreender a importância de uma
imprensa livre, defensora dos direitos
humanos;
- Conhecer personalidades e
organizações defensoras da liberdade
de expressão;
- Conhecer os principais documentos
que, ao longo do tempo, pretenderam
garantir a liberdade de expressão;
- Compreender e descrever os princípios
da liberdade de expressão, liberdade de
imprensa e liberdade de informação;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
34
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Liberdade de expressão | Direitos e deveres
TEMA 10: Liberdade e ética, direitos e deveres - (cont.)
3.º CICLO
- Definir plágio e descrever as suas
consequências.
- Conhecer os direitos de autor
e entender porque devem ser
respeitados;
- Conhecer o trabalho dos provedores
do leitor, do ouvinte e do
telespectador, percebendo a função que
desempenham, prestando atenção ao
que dizem e a eles recorrendo sempre
que se justifique (quando uma notícia
é inexata ou apresenta incorreções
linguísticas, por exemplo);
- Conhecer e ser capaz de exercer os
direitos e os deveres dos cidadãos
em relação à ação dos media em
geral e do jornalismo em particular,
nomeadamente o direito de resposta
e de retificação e o direito de
participação;
- Compreender o que é o interesse
público da informação e entender
porque o interesse público não é o
mesmo que o interesse do público;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
35
descritores de desempenho
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Representações do mundo | Efeitos, impactos e riscos
- Aprender a contar uma
história ou a relatar um
acontecimento de diferentes
pontos de vista;
- Saber o que são estereótipos
- Perceber que os
e identificar alguns veiculados
media apresentam os
pelos media;
acontecimentos de
diferentes pontos de vista
(contar uma história de
- Reconhecer as diferenças
diferentes pontos de vista); que podem existir entre um
- Aprender que as notícias
acontecimento e o modo como
também são contadas e
relatadas de formas diferentes. - Saber identificar diferenças é noticiado nos media;
e semelhanças entre
notícias, discutindo sobre
- Realizar exercícios de análise
os tratamentos (títulos,
dos processos de construção
imagens, protagonistas...)
mediática, nomeadamente os
que uma mesma notícia,
de seleção e de ordenação da
publicada ou emitida em
informação, refletindo sobre
distintos jornais ou canais,
eles;
recebe;
- Distinguir entre acontecimento
- Ser capaz de identificar
e notícia – esta é sempre
grandes categorias de
uma elaboração do jornalista,
géneros de programas, por
a partir da sua perspetiva e
exemplo, notícias, ficção,
interpretação da realidade.
entretenimento.
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 11: Os Media como construção social
- Saber porque é que certos textos
parecem ser mais realistas do que
outros;
- Distinguir objetividade e imparcialidade;
- Conhecer alguns princípios das teorias
dos media (agenda setting, espiral do
silêncio) e textos de alguns autores
mais relevantes;
- Discutir sobre o modo como os media
representam certos grupos sociais;
- Reconhecer e analisar a estrutura,
finalidade e conteúdo de distintos
géneros jornalísticos (notícia,
reportagem, crónica, opinião,
editorial…);
SECUNDÁRIO
- Avaliar como os media representam
os grupos sociais particulares e saber
avaliar se estas representações são
exatas;
- Compreender como os estereótipos
marcam a representação de relações - Compreender como os media
sociais no cinema, na publicidade,
representam a realidade, identificando o
nas telenovelas (por exemplo, ricos
que “é dito” e o que “não é dito”;
e pobres; homens e mulheres; novos
e velhos).
- Entender como os textos mediáticos
suportam conceções do mundo
particulares e comunicam valores
morais ou políticos;
- Observar quem é que está incluído
no mundo dos media e quem é que
dele está excluído;
- Identificar os temas e os assuntos
que são incluídos e os que são
excluídos no mundo dos media;
- Compreender as noções de
seleção e de hierarquização da
informação, vistas sob diversos
ângulos (imprensa séria vs imprensa
tabloide);
- Conhecer e utilizar os géneros
jornalísticos como formas de
expressão de ideias e informações;
3.º CICLO
referencial de educação para os media
36
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Representações do mundo | Efeitos, impactos e riscos
TEMA 11: Os Media como construção social - (cont.)
3.º CICLO
- Analisar como a combinação ou a
sucessão de imagens, sons ou palavras
produzem significados.
- Compreender como as convenções
e códigos da linguagem mediática
funcionam nos diversos textos (por
exemplo, em textos da atualidade ou
textos do género de terror);
- Perceber como os diferentes usos da
linguagem se tornam familiares e como
se tornam generalizadamente aceites;
- Perceber que as representações
mediáticas têm incidência no modo
como encaramos grupos ou questões
sociais particulares;
- Compreender porque é que o
público aceita certas representações,
considerando-as como verdadeiras, ou
rejeita outras, considerando-as como
falsas;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
37
descritores de desempenho
1.º CICLO
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Participar nos/pelos Media | Produzir conteúdos/mensagens
3.º CICLO
- Criar os seus próprios meios
de comunicação: um jornal
de parede, impresso ou
digital; um vídeo; uma banda
desenhada;
- Criar e alimentar um
blogue como plataforma
para a expressão e
comunicação;
- Familiarizar-se com a ferramenta - Animar um blogue como um espaço
para partilhar experiências pessoais
de criação de blogues, de
(por exemplo, escrever críticas de
modo a ser capaz de produzir
livros, de filmes, de espetáculos, de
informação para comunicar com
videoclipes; relatos de viagens e de
os outros e tornar o blogue um
eventos; biografias de cantores, de
espaço esteticamente agradável
- Participar/colaborar no
atores, de desportistas e de outras
e
convidativo;
- Colocar-se no papel (o faz de
jornal ou revista escolar;
“vedetas” da sua preferência);
conta) de alguns profissionais
- Participar/colaborar no jornal
dos media;
- Compreender o papel de
- Relacionar as potencialidades
ou revista escolar;
alguns media profissionais
do recurso ao blogue com a
- Usar o e-mail, um sistema
(visita, entrevista);
importância do diálogo intercultural;
- Compreender o papel de alguns
de videoconferência e de
media profissionais (visita,
videochamada (como o skype, - Comunicar notícias aos
- Participar/colaborar no jornal ou
entrevista);
por exemplo);
media locais;
revista escolar ou tomar a iniciativa,
com os colegas, de elaborar um
- Comunicar notícias aos media
- Enviar notícias para os meios - Construir um brinquedo
destes meios de comunicação
locais;
de comunicação da localidade; ótico mais sofisticado (por
escolar;
exemplo, flip-book);
- Investigar e publicar informação
- Construir um brinquedo
- Compreender o papel de alguns
sobre aspetos da história do
ótico, simples (por exemplo,
- Criar uma história e
media profissionais (visita, entrevista);
cinema ou sobre um filme visto;
taumatrópio).
realizar um storyboard para
um filme de animação,
- Comunicar notícias aos media locais;
- Criar uma história e realizar
construindo também as
personagens e os cenários; um storyboard para um filme de
- Divulgar iniciativas através de
animação, construindo também
cartazes, anúncios digitais e páginas
as personagens e os cenários;
- Realizar em grupo um
especiais na Internet
filme de animação de nível
elementar.
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
TEMA 12: Nós E os Media
- Sugerir, a uma rádio local, a realização
de programas destinados a estimular a
participação dos mais novos;
- Escrever textos de opinião, crónicas ou
cartas ao diretor de um jornal;
- Divulgar iniciativas através de cartazes,
anúncios digitais e redes sociais;
- Conceber, realizar, editar e publicar
vídeos informativos, documentais e
criativos;
- Animar um blogue como um espaço
para partilhar experiências pessoais
ou de grupo (por exemplo, escrever
críticas de livros, de filmes, de
espetáculos, de videoclipes; relatos
de viagens e de eventos; biografias de
cantores, de atores, de desportistas e
de outras “vedetas” da sua preferência);
- Fazer um jornal, uma revista, uma rádio
ou uma televisão escolares;
- Saber apropriar-se dos diversos
meios (áudio, visuais, escritos, digitais)
para se fazer ouvir e para exprimir a
criatividade;
SECUNDÁRIO
referencial de educação para os media
38
descritores de desempenho
PRÉ-ESCOLAR
SUBTEMAS
1.º CICLO
- Filmar o quotidiano, à maneira
dos Irmãos Lumière (usando
tecnologia simples, como o
telemóvel ou utilizando câmara
de vídeo).
DESCRITORES DE
DESEMPENHO
2.º CICLO
Participar nos/pelos Media | Produzir conteúdos/mensagens
TEMA 12: Nós E os Media - (cont.)
SECUNDÁRIO
- Filmar o quotidiano e fazer
montagem dos planos filmados, para
construir um pequeno filme.
- Criar um guião e realizar um
pequeno filme;
- Escrever um texto opinativo sobre
um filme (por exemplo, para o
jornal ou para a página eletrónica da
escola);
- Conhecer aplicações com utilidade para
a vida estudantil ou juvenil.
- Saber quais são os meios mais eficazes
de comunicar a mensagem que se
pretende transmitir;
- Realizar vídeos sobre temas
relacionados com os conteúdos
dos programas ou, como exercícios
de liberdade criativa, para serem
disponibilizados online ou submetidos a
concursos;
- Criar uma rádio na escola;
- Participar em programas de rádio,
- Realizar programas de rádio e difundi-los
por exemplo, em espaços reservados através da Internet ou sugerir a sua
aos ouvintes;
difusão a uma rádio local;
3.º CICLO
4. BIBLIOGRAFIA
A listagem bibliográfica a seguir indicada inclui referências que serviram de base à elaboração do Referencial
e, sobretudo, referências, de publicação mais recente, que pretendem complementar e aprofundar o trabalho
na área da Literacia para os Media.
AAVV (2005). Livro de Estilo. Lisboa: Público (2.ª ed.)
Abrantes, J. C. (org.) (2006). Ecrãs em mudança. Lisboa: Livros Horizonte/CIMJ
André, S. (2010). Mitos urbanos e boatos. Lisboa: A Esfera dos Livros
Arons de Carvalho, A., Figueiredo, J.P., Monteiro Cardoso, A. (2012). Direito da Comunicação Social. Alfragide:
Texto Editores
Aubenas, F., Benasayag, M. (2002). A fabricação da informação. Os jornalistas e a ideologia da comunicação. Porto:
Campo das Letras
Aumont, J. (2009). A imagem. Lisboa: Texto & Grafia
Balle, F. (2006). Os Media. Porto: Campo das Letras
Bertrand, C.-J. (2002) A deontologia dos media. Coimbra: MinervaCoimbra
Bevort, E., Frémont, P., Joffredo, L. (2012). Éduquer aux médias. Ça s’apprend! Paris: CLEMI
Bonixe, L. (2013). Rotinas e valores-notícia da reprodução da realidade na rádio portuguesa. Lisboa: Livros Horizonte/CIMJ
Bourdon, J. (2006). Introdução aos media. Porto: Campo das Letras
Breton, P. (2002). A palavra manipulada. Lisboa: Caminho
Breton, P. (2007). Pequeno manual para discussões complicadas. Porto: Asa
Buckingham, D. (2001). Media Education. A global strategy for development. A policy paper for UNESCO sector of
communication and information. Disponível em: www.european-mediaculture.org/fileadmin/bibliothek/english/
buckingham_media_education/buckingham_media_education.pdf
Buckingham, D. (2003). Media education: Literacy, learning and contemporary culture. Polity Press
Cabecinhas, R.; Cunha, L. (2008). Comunicação intercultural - Perspectivas, dilemas e desafios. Porto: Campo das
Letras
Cardoso. G. (2009). Do quarto de dormir para o mundo. Jovens e media em Portugal. Lisboa: Âncora
Carr, N. (2012). Os superficiais. O que a Internet está a fazer aos nossos cérebros. Lisboa: Gradiva
Castells, M. A (2007) A era da informação (3 vol.) Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian
Cintra Torres, E. (2006). Anúncios à lupa. Lisboa: Bizâncio
Cintra Torres, E. (2008). Mais anúncios à lupa. Lisboa: Bizâncio
Correia, F. (2006). Jornalismo, grupos económicos e democracia. Lisboa: Caminho
Correia, F., Baptista, C. (2007). Jornalistas: do ofício à profissão. Mudanças no jornalismo português (1956-1968).
Lisboa: Caminho
Ferrão Tavares, C. (2004). A Escola e a televisão: Olhares cruzados. Lisboa: Plátano
Ferreira, G.B. (2012). Novos media e vida cívica. Estudos sobre deliberação, Internet e jornalismo. Universidade
da Beira Interior: Livros LabCom Disponível em: http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/92
Fiolhais, C., Marçal, D. (2012). Pipocas com telemóvel e outras histórias de falsa ciência. Lisboa: Gradiva
Furtado, J. A. (2012). Uma cultura da informação para o universo digital. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos
Santos
referencial de educação para os media
40
Ganito, C. (2007). O telemóvel como entretenimento. Lisboa: Paulus
Gardies, R. (org.) (2008). Compreender o cinema e as imagens. Lisboa: Texto & Grafia
Gillmor, D. (2005) Nós, os media. Lisboa: Presença
Gonnet, J. (2007). Educação para os media. As controvérsias fecundas. Porto: Porto Editora
Guerreschi C. (2009). As novas dependências. Internet, trabalho, sexo, telemóvel e shopping compulsivo. Prior Velho:
Paulinas
Hartley, J. (2004). Comunicação, estudos culturais e media. Conceitos-chave. Lisboa: Quimera
Jacquinot, R, Saint-Vincent, R., Saint-Vincent, O. (2006). Guia prático do storyboard. Avanca: Edições Cine-Clube
de Avanca
Jäger, T., Stelter, C., Amado, J., Matos, A., Pessoa, T. (ed.) (2012). Cyberbullying – Um manual de formação de pais.
Disponível em: http://ct4p.zepf.eu/CT4P_Training_manual_PT.pdf
Johnson, S. (2006) Tudo o que é Mau faz Bem. Como os jogos de vídeo, a TV e a Internet nos estão a tornar mais
inteligentes. Porto: Lua de Papel
Kapuscinski, R. (2008). Os cínicos não servem para este ofício. Conversas sobre o bom jornalismo. Lisboa: Relógio
d’Água
Kotler, P. (2006). Marketing para o século XXI. Lisboa: Presença (3.ª ed.)
Kovach, B., Rosenstiel, T. (2005). Os elementos do jornalismo. O que os profissionais do jornalismo devem saber e o
público deve exigir. Porto: Porto Editora
Lindstrom, M. (2009). Buy.ology. A ciência do neuromarketing. Lisboa: Gestão Plus
Lopes, F. (2012). Vinte anos de TV privada em Portugal. Lisboa: Editora Guerra e Paz
McLuhan, M. (2008). Compreender os meios de comunicação. Extensões do homem. Lisboa: Relógio d’Água
Marôpo, L. (2008). A construção da agenda mediática da infância. Lisboa: Livros Horizonte/CIMJ
Martins, M. L., et al. (2011). Imagem e Pensamento. Coimbra: Grácio Editor
Matos, A. P. (2006). Televisão e violência. (Para) Novas formas de olhar. Coimbra: Almedina
Media and Information Literacy (MIL) for Teachers - http://www.mil-project.org/
Neveu, E. (2005). Sociologia do jornalismo. Porto: Porto Editora
Pereira, L. (2013). Literacia digital e políticas tecnológicas para a educação. Santo Tirso: DeFacto Editores
Pereira, S. (2007). A minha TV é um mundo. Programação para crianças na era do ecrã global. Porto: Campo das
Letras
Pereira, S. (2007). Por detrás do ecrã.Televisão para crianças em Portugal. Porto: Porto Editora
Pérez Tornero, J. M. (2007). Comunicação e educação na sociedade da informação. Novas linguagens e consciência
crítica. Porto: Porto Editora
Pinto, M. (2000). A Televisão no quotidiano das crianças. Porto: Edições Afrontamento
Pinto, M. (2002). Televisão, família, escola – Pistas para a acção. Lisboa: Editorial Presença
Pinto, M., Pereira, S., Pereira, L., Dias, T. (2011). Educação para os media em Portugal: Experiências, Actores e
Contextos. Lisboa: ERC. Disponível em: http://www.erc.pt/pt/estudos-e-publicacoes/publicacoes
Ponte, C. (2012). Crianças & media. Pesquisa internacional e contexto português do século XIX à actualidade. Lisboa:
Imprensa de Ciências Sociais
Ponte, C., Jorge, A. et al. (2012). Crianças e Internet em Portugal. Coimbra: Minerva
Portela, P. (2011). Rádio na Internet em Portugal - A abertura à participação num meio em mudança. Ribeirão:
Húmus/Universidade do Minho, CECS
referencial de educação para os media
41
Radu, M., Chabrol, C. (2010). Psicologia da comunicação e persuasão. Lisboa: Instituto Piaget
Ramonet, I. (2001). Propagandas silenciosas. Porto: Campo das Letras
Ricardo, D. (2010). Ainda bem que me pergunta. Lisboa: Casa das Letras
Rieffel, R. (2004). Sociologia dos media. Porto: Porto Editora
Rodrigues, A.D. (1999). Comunicação e cultura: A experiência cultural na era da informação. Lisboa: Editorial Presença
Serra, J.P. (2008). Manual de teoria da comunicação. Covilhã: UBI, Livros Labcom. Disponível em: http://bit.
ly/1fLfD88
Sunstein, C. (2010). Dos rumores. D. Quixote
Tengarrinha, J. (2013). Nova história da imprensa portuguesa. Das origens a 1865. Lisboa: Temas e Debates
Tisseron, S. (2004). As crianças e a violência nos ecrãs. A influência da televisão, cinema e jogos de computador nas
crianças. Porto: Âmbar
Tisseron, S. (2007). Manual para pais cujos filhos vêem demasiada televisão. Lisboa: Edições 70
Trindade, L. (2007). Primeiras páginas. O século XX nos jornais portugueses. Lisboa: Tinta da China
Trindade, L. (2008). Foi você que pediu uma história da publicidade? Lisboa: Tinta da China
Ventura, I. (2012) As primeiras mulheres repórteres. Portugal nos anos 60 e 70. Lisboa: Tinta da China
Vieira, J. (2010). A nossa telefonia. 75 anos de rádio pública em Portugal. Lisboa: Tinta daChina
Wolton, D. (2006). É preciso salvar a comunicação. Casal de Cambra: Caleidoscópio
Zagalo, N. (2013) Videojogos em Portugal – História,Tecnologia e Arte. Lisboa: FCA Editora
5. RECURSOS
Agir contra o cyberbullying – Um manual de formação. Disponível em: http://www.cybertraining-project.org/
book/pt/.
Boletins “Público na Escola”. Disponível em: http://blogues.publico.pt/pagina23/category/boletim-publico-na-escola/
Cintra Torres, E., Fonseca T. (2006). Vamos ler imagens – imagens fixas, imagens em movimento. [2 CD-ROM]
Lisboa: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular
Créer un jornal lycéen – http://www.creerunjournallyceen.fr/
NOESIS, Revista trimestral. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/index.php?s=directorio&pid=277
Pereira, S., Aguiar, A., Pereira, L. (2013). Agenda de Atividades de Literacia Digital. Escolinhas Criativas - Projeto
QREN SI ID&T 13720. Disponível em: http://www.literaciamediatica.pt/pt/artigo/agenda-de-atividades-de-literacia-digital
Pereira, S., Pereira, L., Tomé, V. (2011). 25+UM – Agenda de Atividades de Educação para os Media. Braga: CECS
e GMCS. Disponível em: http://www.literaciamediatica.pt/pt/artigo/agenda-de-actividades-de-educacao-para-os-media
Pereira, S.; Pereira, L., Pinto, M. (2009). Como TVer. Braga: CECS / Universidade do Minho. Disponível em: http://
www.lasics.uminho.pt/edumedia/?page_id=69
Pereira, S.; Pereira, L., Pinto, M. (2010). Videojogos: Saltar para Outro Nível. Braga: CECS, Universidade do Minho.
Disponível em: http://www.lasics.uminho.pt/edumedia/?page_id=64
referencial de educação para os media
42
Pereira, S.; Pereira, L., Pinto, M. (2011). Internet e Redes Sociais. Tudo o que vem à Rede é Peixe?. Braga: CECS,
Universidade do Minho. Disponível em: http://www.lasics.uminho.pt/edumedia/?page_id=36
UNESCO (2006). L’éducation aux médias. Un kit à l’intention des enseignants, des élèves, des parents et des professionnels. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0014/001492/149278F.pdf (francês) http://unesdoc.
unesco.org/images/0014/001492/149278e.pdf (inglês)
UNESCO (2011). Media and Information Literacy. Curriculum For Teachers. Paris: UNESCO. Disponível em: http://
unesdoc.unesco.org/images/0022/002204/220418por.pdf (em português).
5.1. Sítios na Internet relacionados com Educação para os Media
Revistas de Educação para os Media
Aulária – Revista Digital de Educomunicación: http://www.aularia.org/
Communications in Information Literacy: http://www.comminfolit.org/index.php?journal=cil
Comunicar: www.comunicar.com
International Journal of Learning and Media: http://ijlm.net/journal
The Journal of Media Literacy: http://journalofmedialiteracy.org/
The Journal of Media Literacy Education: http://digitalcommons.uri.edu/jmle/
Nordic Journal of Digital Literacy: http://www.idunn.no/ts/dk
Portugal
Blogue Educomunicação: http://comedu.blogspot.pt/
Blogue Página 23: http://blogues.publico.pt/pagina23/
Catálogo BloguesEDU: https://www.portaldasescolas.pt/portal/server.pt/community/04_catalogo_blogs/284
Documentos de referência sobre Educação para os Media: http://www.literaciamediatica.pt/pt/documentos-de-referencia
Educommunication: http://www.scoop.it/t/educommunication
Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas, Direção-Geral da Educação: http://erte.dge.mec.pt/
Media Smart Portugal:http://www.mediasmart.com.pt/media_smart.1.html
Miúdos Seguros na Net: http://miudossegurosna.net/
Portal da Literacia Mediática: http://www.literaciamediatica.pt/
Portal de Jornais Escolares: http://jornaisescolares.dge.mec.pt/
Rádios e Televisões Escolares na Net: http://rten.dge.mec.pt/
Seguranet: http://seguranet.pt
referencial de educação para os media
43
Estrangeiro
Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação: http://www.abpeducom.org.br/
Centre de Liaison de l’Enseignement et des Moyens d’Information: www.clemi.fr
Cine y Educación: http://www.uhu.es/cine.educacion/cineyeducacion/
Common Sense Media: http://www.commonsensemedia.org/
Edutopia: http://www.edutopia.org/
EMEDUS - European Media Literacy Education Study: http://eumedus.com/
European Commission: Media Literacy: http://ec.europa.eu/culture/media/media-literacy/index_en.htm
Gabinete de Comunicación y Educación (UAB): http://www.gabinetecomunicacionyeducacion.com/
Grupo Comunicar – Colectivo Andaluz de Educacion y Comunicación http://www.grupocomunicar.com/
Media and Information Literacy: http://milunesco.unaoc.org/
Media Animation: http://www.media-animation.be/
Media Smarts: http://mediasmarts.ca/
OFCOM-Media Literacy: http://stakeholders.ofcom.org.uk/market-data-research/other/media-literacy/
The News Literacy Project: http://www.thenewsliteracyproject.org/
UNESCO-UNAOC UNITWIN on Media and Information Literacy and Intercultural Dialogue: http://www.
unaoc.org/communities/academia/unesco-unaoc-milid/
Fly UP