...

mosca da azeitona

by user

on
Category: Documents
3

views

Report

Comments

Transcript

mosca da azeitona
Jovens Agricultores
MOSCA DA AZEITONA
Classificação cientifica
variedade de azeitona.
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Díptera
Subordem: Brachycera
Familia: Tephritidae
Género: Dacus
Espécie: Bractocera oleae (Gmelin)
Cada fêmea pôe em média 3 ovos por hora
num total de 10 a 12 ovos por dia.
Através do seu oviscapto, a femêa deposita um
pequeno ovo esbranquiçado com pouco menos
de 1mm de comprimento com forma cilindrica
alongada, debaixo da epiderme do fruto. Depois
de um período de incubação variável, segundo
as condições climáticas, nasce a larva que se
desenvolve no interior duma galeria feita na
polpa da azeitona. No início esta galeria é estreita e sinuosa, depois vai aumentando até
formar uma cavidade que ocupa uma parte importante do fruto. Nesta galeria a larva passa
pelos seus diferentes estados larvares até atingir o final do seu desenvolvimento, acabando
por pupar numa camâra no interior do fruto.
Depois de pupar, emerge o adulto voltando a
repetir-se o ciclo anteiromente descrito.
A duração média do ciclo biológico depende
em grande parte das condições climáticas,
variando entre 30-80 dias no Verão a 130-160
dias no Inverno.
A oliveira é uma planta que tem numerosas espécies fitófagas, entre elas encontra-se a mosca da azeitona (Bractocera oleae), uma das
principais pragas que, dependendo dos anos,
pode causar danos avultados na produção de
azeitona.
No nosso país esta praga manifesta-se em 3
zonas de acordo com
Figura 1
o mapa da figura 1 e
com diferentes graus
de incidência. De ligeiros na zona 1 a graves
na zona 3, em resultado das respectivas condições de temperatura
e húmidade.
No Verão, a duração dos diferentes estados
evolutivos são:
Ovos de 2 a 4 dias, larvas entre 10 a 12 dias,
pupas uns 10 dias. Isto significa que que a duração de uma geração estival está compreendida entre 32 a 36 dias.
Ciclo da Vida
A maior parte da população passa o Inverno
no estado de pupa no solo, emergindo no final
da estação. Os adultos provenientes das pupas
invernantes aparecem no principio da Primavera (Março-Abril) alimentando-se de substâncias açucaradas e azotadas da oliveira.
No Inverno:
Ovos de 12 a 14 dias, as larvas 14 dias, as
pupas 47 a 49 dias, o que significa que desde a
fecundação até à saída dos adultos ocorre um
período de 134 a 143 dias.
As condições climáticas são muito influenciadoras da evolução da praga. As posturas são
inibidas a partir dos 30ºC, ocorrendo elevada
mortalidade de ovos, larvas e até adultos
acima dos 35ºC. As temperaturas óptimas
de desenvolvimento variam entre 20 e 25ºC.
As postura têm início quando os frutos apresentarem as características adequadas, em que
entram diversos factores ligados à dimensão
do fruto, consistência da epiderme e da polpa,
lenhificação do caroço, riqueza em gorduras e
Jan
+
Fev
+
Mar
+
Abr
+
Mai
+
Jun
++
••
••
••
••
••
••
Jul
+++
­○ ○
-••
Ago
+++
­○ ○
-••
Set
+++
­○ ○ ○
--•••
Out
+++
­○ ○ ○
--•••
Nov
++
­○ ○
-••
Quadro 1
Dez
+
••
+Adultos ○ Ovos - Larvas • Pupas
22
AJAP
Jovens Agricultores
O número de gerações varia entre 2, com clima
mais frio, e 4, com clima mais ameno.
Estragos/prejuízos
de forma e tamanho variável. A fêmea distingue-se facilmente do macho pelo abdómen,
que,nela é consideravelmente mais largo na
parte central e afilado na extremidade distal.
O macho é mais pequeno que a fêmea.
Os estragos causados pela mosca da azeitona
podem ser directos, no caso das azeitonas de
mesa, ou indirectos, no caso de azeitonas para
azeite.
No caso das azeitonas de mesa ocorre uma
depreciação dos frutos, mediante a destruição
parcial da polpa e queda dos mesmos. Na
azeitona para azeite verifica-se a acidificação
do azeite, provocada pela entrada de ar nas
galerias feitas pelas larvas, ar esse que origina
a hidrólise e oxidação dos óleos.
2º) Ovo
Meios de protecção
A larva recém nascida
mede apenas 1mm de
comprimento. De cor
amarelada, a larva é
ápoda ao longo de todas as suas 3 fases,com
a cabeça pontiaguda e
de cor escura. Quando
atinge o seu completo desenvolvimento mede
entre 6 a 8mm de comprimento por 1,3 a
1,4mm de largura.
A monitorização da evolução da mosca é feita
por capturas de adultos em armadilhas cromotrópicas amarelas e armadilhas sexuais e ainda
pela observação dos frutos atacados com larvas nos diferentes estados.
As contagens dos adultos nas armadilhas e as
observações efectuadas nos frutos permitem
seguir a evolução da mosca, estimar os níveis
de infestação dos olivais e determinar a oportunidade das intervençõees a efectuar.
O sucesso da luta química depende da oportunidade do tratamento pelo que é indispensável
a colaboração dos olivicultores na observação
cuidadosa dos olivais.
Descrição dos diferentes estados de desenvolvimento
1º) Adulto
O adulto tem um tamanho médio de cerca de
4-5mm de comprimento
e envergadura de cerca
de 10-12mm. Os olhos
compostos são azul-esverdeados iridiscentes.
O tórax é de cor amarela
com 4 bandas grisáceas. As asas são hialinas
com uma mancha castanha típica no ápex. O
abdómen é amarelado com manchas pretas
nas áreas laterais dos primeiros 4 segmentos,
O ovo tem uma forma
cilindrica alongado, com
aspecto esbranquiçado
com a superfície aparentemente lisa. Tem aproximadamente 0,8mm de
comprimento por 0,2mm
de largura.
3º) Larva
4º) Pupa
A pupa tem forma eliptíca e a sua cor varia do
esbranquiçado ao amarelado dependendo do
estado de dessecação
da epiderme. Mede
entre 4 a 4,5mm de
comprimento e 2mm
de largura.
REFERÊNCIAS
Control de plagas y enfermedades del olivarManuel Civantos López.Villalta
El cultivo del olivo – D Barrancos, R Fernandez-Escobar, L Rallo-2001
Enciclopédia Mundial da Oliveira – Conselho Oleícola Internacional
Sapecagro.pt
23
AJAP
Fly UP