...

Natalie Borges

by user

on
Category: Documents
2

views

Report

Comments

Transcript

Natalie Borges
UM OLHAR DO TURISMO HISTÓRICO SOBRE AS PRINCIPAIS IGREJAS
CATÓLICAS EM CUIABÁ - MT
Natalie Borges D’Elia
PET Geografia; GECA/UFMT
[email protected]
Julyanne Adalgiza de Almeida e Silva
GECA/UFMT
[email protected]
Jésssica Siqueira
PET Geografia/UFMT
[email protected]
Giseli Dalla Nora (Orientadora)
Professora da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT
[email protected]
Resumo
O presente trabalho aborda um pouco das características das principais
igrejas católicas da cidade de Cuiabá-MT, tendo como foco o seu contexto
histórico, visto que estas são de grande importância cultural tanto por sua
história quanto pelo próprio papel que assumem diante de uma sociedade,
além é claro de suas exuberantes arquiteturas. Tornam-se assim valiosas
peças do tesouro dos patrimônios da cidade, e com potencial turístico.
Localizadas no Centro histórico de Cuiabá (e no entorno), em local estratégico
e quase que em um aglomerado, percebemos a influência do catolicismo desde
o período colonial, onde este se consolidou em novo território a partir da
descoberta do ouro, dando suporte e estrutura para povoações e moldando
indiretamente o espaço e os valores da época e que ainda se remetem em
tempos atuais.
Palavras-chave: Igreja; patrimônio; cultura.
Introdução
A Igreja Católica exerceu e ainda exerce grande influência na formação
e no desenvolvimento da cidade de Cuiabá. Percebemos isso desde, a
implantação das primeiras igrejas, em 1722, com a descoberta do ouro no leito
do Córrego da Prainha, até na observação de práticas e traços que se mantêm
vivos nos dias de hoje. O objetivo deste trabalho é apresentar os patrimônios
religiosos de importância histórica e cultural para a cidade de Cuiabá, tomando
como referência as igrejas: Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, Igreja Nossa
Senhora do Bom Despacho, Igreja do Rosário e São Benedito e Catedral
Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá (Igreja Matriz).
Materiais e métodos
Para a realização deste trabalho, utilizou-se material bibliográfico e
pesquisas por meio eletrônico e internet, assim como na escolha do acervo de
fotos e imagens.
A elaboração do mapa temático de localização das igrejas na cidade de
Cuiabá foi feito através de imagens de satélite do Google Earth, e a utilização
do Software Paint para sua confecção. Em seguida, realizou-se uma análise
geográfica da importância destas igrejas para a cidade e para o turismo.
Resultados e Discussão
A cultura em si representa formas de expressões constituídas por
simbologias e significados que se tornam crenças para um determinado grupo
de pessoas, as quais se diferem de um grupo para outro. A religião está
inserida nesse grupo de expressões de forma que implica em diversos tipos de
valores que, muitas vezes, intervém nas relações sociais. Podendo ser vista
por muitos como algo abstrato e de caráter particular, percebemos a relevância
das igrejas, templos e locais de adoração a Deus e aos deuses, como forma de
se transformar um espaço em um local materializado para promover crenças
específicas com o intuito de cativar fiéis, englobando todo um papel social.
Advindo com nossos colonizadores portugueses, o catolicismo foi a
religião que se difundiu em nosso país no período colonial. Por isso as igrejas
constituídas naquele período, hoje têm grande importância histórica.
Elas
continham um caráter organizacional e papel administrativo para a sociedade
daquela época, determinando padrões e costumes.
Não diferente, a cidade de Cuiabá se desenvolveu em torno das
principais igrejas construídas (figura 1) logo após a descoberta do ouro por
Miguel Sutil no século
XVIII, originando o antigo Arraial de Cuiabá, hoje
Cuiabá. Tendo então uma participação direta na formação dessa sociedade e
na configuração de seu espaço. Constatamos a herança e influência da Igreja
Católica na cidade, através de práticas e traços que ainda se mantém na
atualidade, como as festas de louvor a santos, a educação salesiana,
casamentos em igrejas tradicionais, entre outros. Aqui, então, apresentaremos
algumas características históricas das principais igrejas católicas de Cuiabá
para relacionarmos o contexto em que foram criadas.
Igreja do Rosário e São Benedito[G1]
É a Igreja mais antiga de Cuiabá construída por negros no ano de 1722,
representando as camadas excluídas. Em torno desta que a antiga Vila do Bom
Jesus de Cuiabá cresceu tornando-se a atual Cuiabá.
É um monumento religioso de significado histórico importante para a
cidade, sendo um de seus marcos de fundação. Simples, de adobe, típica do
período colonial.
Inicialmente feita de taipa e pilão (método conhecido como “terra crua”)
se degradou facilmente, sobrando apenas uma parede a qual foi usada para
erguer outro templo. Assumiu a transferência do altar-mor da catedral cuiabana
quando esta estava sendo reformada, então ali ficou. Nos anos 1920, passou
por uma modernização aderida do estilo neogótico, mas nos anos 1980
reconstituiu-se de seus aspectos primitivos.
Foi tombada como patrimônio e restaurada, encontra-se em boas
condições. Ao adentrarmos na igreja, percebemos três níveis de pisos
diferentes, o mais baixo era ocupado por escravos, o do meio por pessoas
comuns e o mais alto pelo clero.
Todo ano ocorre a tradicional Festa de São Benedito, em uma festa de
devoção que também envolve a cultura e a gastronomia regional.
Igreja do Senhor Bom Jesus de Cuiabá[G2]
Construída pelo capitão mor Jacinto Barbosa Lopes, em 1722, logo após
a descoberta do ouro por Miguel Sutil no Córrego da Prainha, a Igreja do
Senhor Bom Jesus de Cuiabá passou a ser referência após ser construída de
frente com o mesmo, inicialmente foi feita de pau a pique, em taipa de pilão.
Durante o período Colonial sofreu diversas alterações como uma
reconstrução em 1740, a implantação de uma torre em 1769. Já no período
imperial sofreu alterações na fachada em 1868. No período republicano passou
por fortes mudanças como a implantação de uma nova torre em 1920. Porém,
a alteração mais drástica foi em 1968 quando a igreja foi implodida por
dinamite, com a justificativa de que estava em péssimas condições, decisão
que ocasionou em grande perda de um patrimônio histórico. Assim, uma nova
igreja foi construída no mesmo local e inaugurada em 1973, tornando-se
catedral em 1974, com um design mais moderno contendo duas torres, vitrais
e um relógio na fachada, em seu interior, cinco altares em talha dourada e
policromada, além de grandes dimensões.
Seus fundadores, Miguel Sutil e Pascoal Moreira Cabral foram
sepultados da cripta da basílica. Conserva um dos maiores bens sacros do
Brasil, uma imagem do Senhor Bom Jesus.
Igreja Nossa Senhora da Boa[G3] Morte
Construída em estilo barroco no ano de 1810, durante o período colonial
e tombada como Patrimônio em 1987. Continha três altares e pertencia à
Irmandade dos Homens de Cor, no altar-mor se encontrava a imagem da
padroeira.
O festejo realizado em sua homenagem ocorre no dia 14 de agosto,
juntamente com o festejo em homenagem a Nossa Senhora da Glória que
ocorre no dia 15 de agosto.
Em 1905 foi instalada a Paróquia Nossa Senhora da Boa Morte, onde a
velha igreja virou matriz e a Paróquia passou a ser frequentada pelas
autoridades sacerdotais tendo a atuação dos frades franciscanos.
Igreja Nossa Senhora do Bom Despacho[G4]
Localizada no Morro do Seminário onde antes de sua existência se
encontrava uma capela com relatos de existência desde 1740. Dedicada a
Nossa Senhora, é uma igreja de características neogóticas com forte influência
francesa, projetada em 1918 do encontro do Frei Ignácio Gau com os
engenheiros franceses Georges Mousnier e Conde de Manoir, sendo
considerada uma inspiração na Catedral de Notre Dame.
Sofreu algumas interrupções em sua construção por falta de recursos,
depois de algumas campanhas recebeu materiais vindos da Bélgica, em 1924
sua capela-mor e suas capelas laterais foram terminadas. Em 1955, D. Antônio
Campelo de Aragão, bispo auxiliar de Dom Aquino, deu continuidade às obras,
mesmo assim, a obra não foi terminada por completo, faltando ainda sua torre
principal do modelo das catedrais europeias.
Essa igreja foi o primeiro bem imóvel tombado pelo Governo do Estado
de Mato Grosso, no dia 13 de outubro de 1977, como estava deteriorada,
passou por restaurações parciais e, em 2004, foi contemplada com uma
reforma.
Imagem
Figura 1- Mapa de Localização das Igrejas na cidade Cuiabá.
Considerações
O que se pode inferir da análise das igrejas citadas é a forte influência
do catolicismo no período de expansão em Mato Grosso, ao vermos a
instalação de Igrejas Católicas para estruturar povoados no local onde o ouro
foi encontrado com o intuito de explorá-lo, impondo valores e mantendo uma
organização social desse espaço. A construção de cada uma das igrejas
apresentadas simboliza um período na História de Cuiabá e mostra como esta
sociedade se organização no período do Brasil Colônia e Brasil Império. Sobre
a análise de suas características observamos diversos estágios e períodos que
influenciaram nos estilos das construções, como o barroco e o neoclássico,
lembrando que todas tiveram suas origens no período colonial, deixando vasta
herança cultural e belos monumentos.
Referências
ROBERTO, K. L. C. A. Igreja Católica na Cuiabá Colonial: da primeira
Capela à chegada do primeiro Bispo (1722 - 1808). 2006. 116 p. Dissertação.
Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá 2006. Programa de PósGraduação em História.
GONÇALVES, T. V; MARÍLIA, A. M. N; TEREZINHA, M. M. D. Uma proposta
de turismo para Rondonópolis-MT: desenvolvimento cultural e local. EGAL,
Peru. 20 p, 2013.
REGINA, M. B. Caracterização do roteiro turístico “um olhar cultural por
Cuiabá”. Cuiabá, 2008.
FRANÇA, H. Igreja está presente desde a fundação.
Disponível em: <http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=429528>
Acessado em: 20 de out. 2013.
BARRETO, S da S. A importância das raízes culturais para a identidade
cultural do indivíduo. Disponível em:
<http://meuartigo.brasilescola.com/artes/a-importanciadas-raizes-culturais-paraidentidade-.htm> Acessado em: 23 de outubro de 2013.
Fly UP