...

As tolices do pastor Amilton Justus 1 AS TRINTA RAZÕES POR

by user

on
Category: Documents
2

views

Report

Comments

Transcript

As tolices do pastor Amilton Justus 1 AS TRINTA RAZÕES POR
As tolices do pastor Amilton Justus
AS TRINTA RAZÕES POR QUE NÃO GUARDO O SÁBADO (Amilton Justus)
Vamos mostrar, aqui, segundo as Escrituras, os crassos erros de interpretação bíblica desse
autor:
“Queres te salvar? Guarda os mandamentos” . Jesus, em Marcos 10.19. Quantos são? Ora,
todos sabem que são dez!
Antes de responder ao “pastor” Amilton Justus, vamos a algumas colocações dirigidas a
TODOS OS PASTORES EVANGÉLICOS que julgam que o Sábado não está repetido no
Evangelho, por isso não o guardam:
Em 2014, num sábado, estando eu a assistir pela TV a pregação do mais famoso e discutido
pastor evangélico, fundador e dono de sua própria congregação, empresário de sucesso,
conhecido por saber o Evangelho quase de cor, de muito gesticular, de gritar, de fazer
teatrinhos cômicos durante as pregações e de usar seus programas para tentar eleger
candidatos políticos - misturando política com cristianismo -, além de estar sempre a repetir
que não é legalista, ouvi dele nitidamente a seguinte colocação: “Nove dos mandamentos
nós guardamos porque se repetem no Evangelho, mas o do sábado nós não
guardamos, pois não está repetido”, como se isso, simples assim, pudesse colocar um
ponto final na observação do Sétimo Dia de Deus, adulterando as leis cravadas nas Rochas
do Monte Sinai pelo Deus Eterno.
Ora, aquele pastor, que julga que “sabe tudo”, ao tentar anular o único Mandamento de Deus
nomeado por ele como Bendito, Santo e Solene, criado na Fundação do Mundo, não só para
o primeiro casal, mas para a Humanidade, instituído como um Sinal para toda carne, e
cravado a fogo nas Rochas dos altos do Monte Sinai, esqueceu-se de que em sua primeira
pregação, Jesus Cristo foi logo de cara avisando que não havia chance alguma de se
retirar um só caractere das leis e, como são Dez, a lei do sábado (que contém 80 palavras
ou 433 caracteres) está perfeitamente intrínseca também no Evangelho. Somente isso
desmente o famoso pastor sabido. Mas tem mais preceitos que o desmentem claramente:
Em Hebreus, capítulo 4:4 e seguintes a Palavra de Deus repete o Sétimo Dia por mais de
uma vez; em Tiago 2:10-11 o sábado está subentendido, também em Marcos 2:28, Jesus
revela que o sábado foi estabelecido por causa do homem (novamente o sábado repetido
e absolutamente consolidado também no Evangelho). Sobretudo, Jesus e sua Igreja
mostraram-se, de modo inequívoco e ostensivo, guardando e santificando os sábados e,
consequentemente, o sábado está novamente repetido por mais SETE VEZES e da forma
mais objetiva possível, pois exibe claros exemplos da Igreja Primitiva santificando-o,
legitimando-o e propagando-o de modo absolutamente incontestável para deixar como
claro exemplo a ser seguido pelos cristãos: em Lucas 4:16 – Lucas 23:56 – Atos 13:41 Atos 16:13 - Atos 18:4 – Atos 1:12 e Mateus 24:20.
1
As tolices do pastor Amilton Justus
Repetindo pela alta importância: em Marcos 2:28 Jesus declara que o sábado foi
criado para o homem. Para o homem sábio, somente esse preceito legitima o sábado
também no Evangelho, queiram ou não os fariseus, vulgos cristãos da Palavra de Deus.
Então, somando-se todas, são DOZE as repetições sobre a validade do sábado no
Evangelho. Essa Verdade Bíblica que não pode ser mudada, desmente completamente o
pobre pastor citado.
Então, se está provado que o sábado está mais que repetido, provado, comprovado,
propagado e legitimado também no Evangelho, o que aquele pastor famoso, “muito sabido”,
pode querer mais? Ele não conhece suficientemente a Bíblia ou é apenas mais daqueles que
que anestesiam a sua consciência ou bloqueiam a sua mente para tentarem fugir da
dificuldade da santificação do sábado. Ele mesmo, no passado, afirmou que um exemplo vale
mais que mil palavras, mas convenientemente para ele mesmo, até com grande dose de
hipocrisia, foge desses exemplos divinos acima colocados que valem mais do que milhões de
palavras.
O que vale mais perante o Senhor Deus: Continuar em seu engano para não ter de se
humilhar perante seus fiéis que têm sido enganados pelos pregadores sobre a Verdade de
Deus, aqui mostrada inequivocamente, sempre segundo as Escrituras, ou submeter-se à essa
Verdade que não pode ser mudada em hipótese alguma pelo fato de ela Estar Escrita e dela
não se poder fugir? Será que o Senhor Deus aprovaria a continuação dessa mentira? Mas é
claro que não! Mas é claro que NÃO mesmo!!! Sendo Deus imutável em suas promulgações à
Humanidade, é certo que não aprova erros tão graves como o corte de um ou dois de seus
Mandamentos instituídos para toda carne que estava e está sobre a Terra:
“Então me lembrarei da minha aliança, que está entre mim e vós, e entre toda a alma vivente
de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne. E
estará o arco nas nuvens, e eu o verei, para me lembrar da aliança eterna entre Deus e toda a
alma vivente de toda a carne, que está sobre a terra. E disse Deus a Noé: Este é o sinal da
aliança que tenho estabelecido entre mim e entre toda a carne que está sobre a terra”.
Gênesis 9:15.
E não adianta alegar que o Decálogo do Monte Sagrado de Deus foi dado apenas aos
israelitas, pois a Verdade de Deus é diferente e, como sempre, é inequívoca:
“E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram,
também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus
estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas
todas as nações da Terra”. Atos dos Apóstolos 3:24 - 25.
Quando os fariseus acusaram Jesus de violar o sábado, apenas pelo fato de ele haver
realizado um milagre, ele respondeu que apenas APARENTAVA isso:
Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja
quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem?
2
As tolices do pastor Amilton Justus
Não julgueis segundo a aparência,
mas julgai segundo a reta justiça”.
Jesus, em João 7:23,24
“... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o
mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo,
em Romanos, 16:25.
“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram,
também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão
julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os
que praticam a lei hão de ser justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente,
ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!
As colocações bíblicas acima invalidam completamente a afirmação do pobre pregador
famoso, dizendo que o sábado nunca foi repetido no Evangelho e, por propagar seu erro a
milhares ou a milhões de pessoas, faz dele mais um pobre tolo, fariseu predador das
Escrituras, pois na sua “autoridade bíblica” faz a pior das coisas: ensina errado. Sobretudo, a
Lei do Quarto Mandamento do Senhor Deus, mesmo estando fartamente repetido, também no
Evangelho, nem havia a necessidade de ficar a repetir, pois os primeiros cristãos, provindos
em sua imensa maioria dos israelitas, sempre tiveram a plena consciência e a fixação mental
da importância da santificação do sábado, o Mandamento mais obedecido naturalmente por
todos. Para aclarar muito bem isso, Está Escrito que os príncipes e sacerdotes do templo, por
várias vezes, tentaram matar Jesus pelo fato de julgarem erradamente que ele violava o
sábado santo. Cabe aqui a revelação de Jesus:
“Eu voz bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas dos
sábios e entendidos, e as revelastes aos pequeninos”. Jesus, em Mateus 11:25.
:
As 30 Razões:
Agora amos aos falsos argumentos do autor que segundo suas colocações se revela sem
condições de escrever sobre a Bíblia por causa de sua fraqueza espiritual. As colocações
desse “pastor” Hamilton Justus estão em azul
“Ora, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que
ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de
parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as
coletas quando eu chegar. (I Coríntios 16:1-2)”.
Ora, só isso, autor? Essas colocações não provam a santificação do domingo pela
Igreja de Paulo. Pois ele faz alusões a que os cristãos ajuntem ofertas para que quando
ele passar, as recolherá. Mas vamos à Verdade de Deus sobre qual dia Paulo levava sua
igreja a santificar, ESCRITAS COM SENTIDO DIRETO E SÃO COMO SUPOSIÇÕES DO
AUTOR?
3
As tolices do pastor Amilton Justus
! Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de
Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor:
“No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar
de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”.
Atos dos Apóstolos 16:13.
Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos
sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados.
Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os
sábados assim como os homens! Mas fariseus de quase todas as denominações,
também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo.
É possível uma tolice dessas?
“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas
os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”. Atos 13:41 - 44.
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados,
mas sim um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. A
Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a
seguir, exatamente para nos revelar que o sábado sempre será o Dia do Senhor.
“E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”.
Atos 18:4.
Os defensores do domingo inventado argumentam, falsamente, que Paulo comparecia
às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los,
mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição jamais aceitariam que gentios pagãos no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em
simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos
no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos
judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros
cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a
Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.
Chega, ou o autor deseja mais provas de que os cristãos de Jesus santificavam os
sábados, e jamais um domingo?
A seguir, estão colocadas as provas bíblicas que revelam, claramente, e sem nenhuma
sombra de dúvidas, Jesus e sua Igreja santificando os sábados com o objetivo maior
de nos deixar esses claros exemplos, pelos quais devemos abominar o tal domingo,
certamente imposto por Satanás através dos papas romanos, como aqui foi mostrado:
“E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o
seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”.
Lucas 4:16.
Jesus, nos
concedendo o exemplo.
4
As tolices do pastor Amilton Justus
Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:
“O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo,
observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam
aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”. Lucas 23:55 56. A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.
Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os
sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:
“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade
tanto como a uma jornada de sábado...”. Atos 1:12.
Ora, ao se referirem a uma
jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de
um preceito em uso.
“Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.
Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado
(nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na
terrível carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada),
nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.
Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:
“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por
causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”.
Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que
seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo
Somente essa primeira resposta ao Amilton Justus acaba com todas as pretensões dele
quanto à falência do sábado, chamado por Deus como ABENÇOADO, SANTO E SOLENE,
mas mesmo assim, vamos dar continuidade à tolices que escreveu:
Pr Amilton Justus
PRIMEIRA RAZÃO
O SÁBADO FAZ PARTE DE UM CONCERTO OU PACTO ENTRE DEUS E O POVO
ISRAELITA E NINGUÉM MAIS.
Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo: Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo:
Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas
5
As tolices do pastor Amilton Justus
gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica. Portanto guardareis o
sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer
que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo. Seis dias se
trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao SENHOR; qualquer que no
dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá. Guardarão, pois, o sábado os filhos
de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua. Entre mim e os filhos de
Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, e ao
sétimo dia descansou, e restaurou-se. (Êxodo 31:12-17)
(Obs [minha, de Miguel Ângelo]: Deus menciona a morte para todo aquele que profanar o
Sábado e isto faz parte da ordem de Deus para o pleno cumprimento da lei do Sábado. Será
que os Adventistas estão dispostos a "exterminam do meio do povo" quem profana o Sábado
para o pleno cumprimento da Lei? Ver Gálatas 3:10)
Primeira Razão já respondida acima.
SEGUNDA RAZÃO
ANTES DO CONCERTO DO SINAI DEUS NÃO ORDENOU A NINGUÉM QUE GUARDASSE
O SÁBADO.
A ÚNICA Lei dada por Deus ao homem a princípio foi a que está inserida em Gênesis 2:1617:
E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás
livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no
dia em que dela comeres, certamente morrerás.
Quando o Senhor chamou Abraão e lhe anunciou o Evangelho da salvação, o qual viria a ser
revelado de maneira mais ampla e clara com a vinda de Jesus, nada lhe comunicou quanto à
necessidade de se guardar o Sábado, ou mesmo a "Lei de Moisés", coo algo necessário para
se obter a salvação, conforme registardo em Gálatas 3:8.
Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou
primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti.
Segundo sua Segunda Razão o autor demonstra desconhecimento das Escrituras, e assim
mesmo ousa escrever sobre temas bíblicos. DEUS ORDENOU, SIM, a guarda do sábado
bem antes do Monte Sinai:
“E ele disse-lhes: Isto é o que o Senhor tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do
Senhor; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o
em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.
E guardaram-no até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal nem nele
houve algum bicho.
6
As tolices do pastor Amilton Justus
Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do Senhor; hoje não o achareis
no campo.
Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá”.
Êxodo 16:23-26
A citação a respeito de Abraão nada tem a ver com o caso.
TERCEIRA RAZÃO
O SÁBADO ERA UM PACTO ENTRE DEUS E OS ISRAELITAS. ERA BILATERAL. SÓ
TERIA VALIDADE COM A ACEITAÇÃO E O CUMPRIMENTO DE AMBAS AS PARTES.
Chega-te tu, e ouve tudo o que disser o SENHOR nosso Deus; e tu nos dirás tudo o que te
disser o SENHOR nosso Deus, e o ouviremos, e o cumpriremos. (Deut. 5:27)
Antes por amor deles me lembrarei da aliança com os seus antepassados, que tirei da terra
do Egito perante os olhos dos gentios, para lhes ser por Deus. Eu sou o SENHOR. Estes são
os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o SENHOR entre si e os filhos de Israel, no monte
Sinai, pela mão de Moisés. (Lev. 26:45, 46)
DEUS NÃO FAZ DISITINÇÃO DE PESSOAS OU DE RAÇAS. Além disso, se o Decálogo
teria sido escrito apenas para os israelitas, e por isso nada temos a ver com isso”, então
também nada temos a ver com os livros tais como: os Salmos, Daniel, Isaías, etc, e
principalmente com o livro de Malaquias onde os pastores evangélicos buscam a legitimação
dos dízimos. Ora, então á farisaísmo alegar que nada temos a ver com o Decálogo. O autor
usa de dois pesos e duas medidas...
QUARTA RAZÃO
O SÁBADO CONSTA DO DECÁLOGO E ESTA NÃO É A PARTE MAIS IMPORTANTE DA
LEI DE DEUS.
E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande
mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e
de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o
segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois
mandamentos dependem toda a lei e os profetas. (Mateus 22:35-40)
Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis
os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor. (Mateus 12:7-8)
Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as
tuas forças. (Deuteronômio 6:5)
Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR teu Deus pede de ti, senão que temas o SENHOR
teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR teu Deus
com todo o teu coração e com toda a tua alma (Deuteronômio 10:12)
7
As tolices do pastor Amilton Justus
ERRADO, o sábado do Decálogo é tão importante que Deus o nomeou como Santo e
abençoado ccomo também criado como UM SINAL entre ele e a humanidade:
O Espírito Santo de Deus, por intermédio do apóstolo Paulo, revela, inequivocamente, que
também nós do Evangelho somos os diretos herdeiros dos israelitas. Ora, os herdeiros
herdam os bens, as bênçãos, mas também as obrigações:
“E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram,
também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus
estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas
todas as nações da Terra”. Atos dos Apóstolos 3:24 - 25.
Sobretudo, Deus revela, repetidamente, que não faz distinção de pessoas ou de raças:
“ e, levantando a voz, Pedro disse: na verdade reconheço que Deus não faz distinção de
pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que pratica a justiça e teme ao Senhor faz a sua
vontade e lhe é agradável”. Atos dos apóstolos, 10.34.
“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram,
também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão
julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os
que praticam a lei hão de ser justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente,
ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!
“Santificai os meus sábados, pois servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que
eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Ezequiel 20:20. E como Deus não faz distinção alguma
entre pessoas e raças, esse SINAL foi decretado para nós, também.
QUINTA RAZÃO
A PALAVRA "LEI" EM NENHUMA DAS 400 VEZES QUE OCORRE NA BÍBLIA SE REFERE
SOMENTE AO DECÁLOGO, ONDE ENCONTRAMOS A GUARDA DO SÁBADO.
Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em
ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz (Efésios 2:15)
Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma
maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. (Colossenses 2:14)
Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem
nossos pais nem nós pudemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do
Senhor Jesus Cristo, como eles também. (Atos 15:10 – 11)
Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
(Hebreus 7:18)
8
As tolices do pastor Amilton Justus
Pobre tolo não consegue entender que Jesus legitimou COMO LEIS todos os 10
Mandamentos do Decálogo ao reger, em Mateus, 5:17 a 38:
“Passarão os céus e a Terra antes que das leis se consiga retirar um só til”. O sábado está
entre essas leis. A segui, Jesus revela que aquele que guardar qualquer um desses
mandamentos e assim ensinar será grande no Reino de Deus.
No mais, como registrei no início, O SÁBADO ESTÁ REPETIDO NO EVANGELHO POR
DOZE VEZES e ponto final.
No mais, o tolo desse pastor Justus não consegue entender que Gálatas, Efésios,
Colossenses e Atos citados se refere às leis abominadas por Paulo, leis antigas que
escravizavam e que por isso mesmo não tiveram lugar no Evangelho da Graça, pois só
vigoraram até João (Lucas 16:16) Vamos colocar aqui as principais leis que só Vigoraram até
João, totalmente abominadas nas Cartas de Paulo:
Vamos então às principais leis antigas que escravizavam e até matavam legalmente o homem e a
mulher até a chegada de Jesus. Segundo Lucas 16:16, as leis abaixo colocadas só vigoraram até
João, leis essas às quais Paulo chamava-as de obras da carne (nada a ver com obras de caridade)
1) Os holocaustos, as matanças diárias de animais nos templos seguidas da aspersão do sangue
deles nos presentes para o “perdão dos pecados”. (sacrifícios, obras da carne, ordenanças
antigas de Levítico, que não tiveram lugar no Evangelho, segundo Hebreus 9:11-12)
2) A operação na carne (na época dolorosa e perigosa) a fimose, chamada circuncisão - que veio
com Abraão -, oficialmente anulada em Atos dos Apóstolos, capítulo 15, obra da carne (carga
pesada) que os judeus da antiga tradição queriam ver imposta nos ombros do cristão, por isso
mesmo essa lei antiga foi completamente abolida no Evangelho.
3) A separação racial imposta pela tradição israelita, removida por Jesus quando regeu que Deus
não faz distinção de pessoas ou de raças e que todos são iguais perante ele.
4) A lei da morte por adultério, provinda de Levítico, anulada por Jesus ao perdoar e salvar a
mulher adúltera condenada ao terrível esfacelamento mortal.
5) A lei das 40 chibatadas e outras mais de menor importância, todas elas chamadas por Paulo
como obras da carne, ordenanças antigas, prejudiciais e contra o homem, originárias das leis
de Levítico (Paulo levou 39 chibatadas por cinco vezes).
6) A lei da morte também a quem fosse flagrado trabalhando aos sábados, carga pesada segundo
Jesus no capítulo 23 de Mateus, também só vigorou até João (Lucas 16:16) Exatamente
apoiados nessa lei antiga, os fariseus tentaram, por várias vezes, matar Jesus, interpretando
errado que ele violava os sábados. Na verdade, Jesus apenas praticava a caridade (obras),
9
As tolices do pastor Amilton Justus
também aos sábados, quando curava e consolava as pessoas e isso não representava trabalho
braçal (Números 15:32-36).
SEXTA RAZÃO
O SÁBADO NÃO É UMA INSTITUIÇÃO PERPÉTUA, COMO A LEI NÃO É.
Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece. (II
Cor. 3:11)
Mas digo isto: Que tendo sido a aliança anteriormente confirmada por Deus em Cristo, a lei,
que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a invalida, de forma a abolir a promessa.
Porque, se a herança provém da lei, já não provém da promessa; mas Deus pela promessa a
deu gratuitamente a Abraão. Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das
transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta
pelos anjos na mão de um medianeiro. Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é um.
Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma
lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou
tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos
crentes. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para
aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos
conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não
estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. (Gal. 3:1726)
Paulo se refere às leis que escravizavam, citadas logo acima. Nada das colocações do autor
eu possam, nem de leve, acabar com os santos sábados de Deus.
SÉTIMA RAZÃO
DEUS ABORRECE O SÁBADO, PORQUE ENVOLVE UM PRECEITO CERIMONIAL
CARENTE DA VERDADEIRA FÉ.
Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os
sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a
reunião solene. As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me
são pesadas; já estou cansado de as sofrer. (Isaías 1:13-14)
O SENHOR, em Sião, pôs em esquecimento a festa solene e o sábado, e na indignação da
sua ira rejeitou com desprezo o rei e o sacerdote. (Lamentações de Jeremias 2:6b)
E farei cessar todo o seu gozo, as suas festas, as suas luas novas, e os seus sábados, e
todas as suas festividades. (Oséias 2:11)
10
As tolices do pastor Amilton Justus
Que pobre de espírito é esse autor. Ele coloca as coisas como se Deus fosse um tremendo
incoerente, tentando fazer Deus terminar com o sábado ATÉ PARA OS ISRAELITAS. Até
uma criança que ler a Bíblia e esse trecho vai saber que isso tudo foi um DESABAFO DE
DEUS, por ver seu povo tão desobediente.
OITAVA RAZÃO
O SÁBADO FAZ PARTE DA LEI E ESTA FOI TOTALMENTE ABOLIDA POR CRISTO.
Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de
separação que estava no meio, Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos
mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo
homem, fazendo a paz (Efésios 2:14-15)
Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma
maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. (Colossenses 2:14)
Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
(Hebreus 7:18)
Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece,
perto está de acabar. (Hebreus 8:13)
Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para
estabelecer o segundo. (Hebreus 10:9)
O que está evidente nos textos acima citados ? Ao cumprir Cristo a Lei, esta foi por ele:
Desfeita
Riscada
Tirada de nosso meio
Cravada na Cruz
Ab-rogada
Acabada por envelhecer
Tirada para dar lugar à graça
Por que alguns procuram complicar uma coisa que é tão simples ? Cabe aqui a advertência
de Paulo ergistrada em II Coríntios 11:3
11
As tolices do pastor Amilton Justus
"Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também
sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há
em Cristo."
A complicação com as coisas simples do Evangelho geram confusão doutrinária, e esta
conduz à heresia; daí surgirem aqueles que dizem que, para ser salvo, o homem tem que
guardar o Sábado, e que, quem guarda o Domingo tem o sinal da besta.
Jesus Cristo , o único que cumpriu realmente a lei, "cravando-a na cruz", recusou-se a
guardar o Sábado do fariseu. Ressuscitou no Domingo, primeiro dia da semana, e sua igreja
tomou esse dia como seu dia de descanso. E Jesus Cristo não proibiu essa inovação, nem
chamou de bestas os primeiros cristãos que começaram a guardar o Domingo como seu dia
de repouso e culto. Besta é o homem que troca o amor e a graça pelos rigores da lei – que só
condena...
A lei foi abolida por Cisto? Mas que ignorância ativa desse pobre autor. Ele tenta fazer Jesus
de tolo, pois Jesus Cristo bradou:
“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como
eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”. João, 15.10.
Ora, será que o tolo do autor poderá julgar que MANDAMENTOS NÃO SÃO LEIS? Sem
leis os hornens ficariam perdidos nas trevas que Jesus veio para transformar em Luz.
Quanto às leis e Jesus, muitos pastores evangélicos – como tenho presenciado -, alguns deles
fariseus no pleno sentido da palavra, a favor da extinção do Sétimo Dia por pura conveniência
doutrinária, tentam, de todas as formas, perverter as declarações de Jesus acima. Mas não
conseguindo eles, de modo algum, interpretar diferente o preceito “passarão os Céus e a Terra
antes que das leis seja possível retirar um til” por ser direto, completo, cristalino,
conclusivo, irrevogável, irretratável e absolutamente esclarecedor, focaram seu veneno no preceito:
mas vim para cumprir”. Bem, esse preceito em negrito precede a declaração do Filho de Deus:
“Eu não vim para revogar as leis”, e só isso basta para concluir-se que Jesus está
declarando, oficialmente, que não revogou lei alguma e nem mesmo um simples til
delas todas (nem a do sábado, é claro), então, como disse, os fariseus se concentraram no preceito:
“mas vim para cumprir”, afirmando esses pobres “entendidos” que Jesus Cristo veio e “cumpriu as
leis por nós”, e que por isso mesmo “nós não precisamos mais cumprir”, simples assim, como se
agora, sem as responsabilidades do Decálogo de Deus, o homem solto e livre de obrigações pudesse
honrar estátuas, fazer ídolos, repetir o Santo Nome de Deus em vão, desonrar o Sétimo Dia, dizer
falso testemunho, pudesse roubar, matar, adulterar, invejar e por aí afora, jogando tudo isso nas
costas de Jesus?
Como explicar essa grotesca insensatez de certos pastores ao afirmarem que Jesus veio do
Reino de Deus para cumprir as leis do Pai que logo em seguida “seria anulada” por ele próprio?
Como Jesus iria cumprir uma lei que em seguida “seria pregada na cruz por ele mesmo? Mas que
enorme tolice! Na Verdade, Jesus veio do Reino de Deus Pai para complementar as Leis do Criador,
promulgadas aos seres humanos, com a Lei do Amor, da Graça e a Lei da Liberdade (Tiago 1:25) e,
12
As tolices do pastor Amilton Justus
principalmente, para nos libertar do jugo do pecado, nos redimindo e nos habilitando ao Reino de Deus
no Grande Dia de Jesus, e jamais para impor leis provisórias a si próprio deixando o povo sem leis.
Que enorme tolice! Quanto ao pecado dos homens, que pecado poderia haver sem leis? Até a Graça
e a Liberdade de Jesus é pautada biblicamente em leis:
“Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera...”. Tiago 1:25.
Sobretudo, Jesus disse para cumprir, e como ele cumpriu o Decálogo como ninguém, pois Está
Escrito que na condição de homem jamais pecou e, da mesma forma, como tudo o que ensinou foi
direcionado para exortar o cristão e toda a Humanidade a imitá-lo, como sempre fez, fica para nós
mais esse exemplo a seguir: o Mestre cumprindo as Leis de Deus, dessa forma nos exortando,
também, a esforçar-nos na medida do possível para cumprir todas as Dez, pois essa obediência
representa parte integrante dos merecimentos para a salvação na Eternidade (Tiago 2:10-11).
Não pode ser negado que para realçar completamente que o Jesus da Graça e da Liberdade, no
Sermão do Monte, em Mateus 5:17 e seguintes, se referia aos Mandamentos do Decálogo, pois está
claro que na sequência cita dois dos Dez Mandamentos como completamente válidos, e ainda
aumenta a dificuldade de o ser humano observar essas duas leis:
“Ouviste dos antigos: não matarás, mas qualquer um que se indispor com seu irmão (o semelhante) já
pecou em seu coração”. Mateus, 5:21.
“Ouviste dos profetas: não adulterarás, mas qualquer um que olhar com cobiça para uma mulher já
pecou em seu coração”. Mateus 5:27.
“Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til
jamais passará da lei sem que tudo seja cumprido”. Está Escrito que tudo será cumprido na
Consumação dos Séculos, no Grande Dia de Jesus, quando os Portais do Reino de Deus serão
abertos aos mortais de Jesus, antes fechados desde Adão e Eva (João 14:1 - 3).
NONA RAZÃO
ESTAMOS EM UM NOVO CONCERTO, O DA GRAÇA.
Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor
aliança que está confirmada em melhores promessas. Porque, se aquela primeira fora
irrepreensível, nunca se teria buscado lugar para a segunda. Porque, repreendendo-os, lhes
diz: Eis que virão dias, diz o Senhor, Em que com a casa de Israel e com a casa de Judá
estabelecerei uma nova aliança, Não segundo a aliança que fiz com seus pais No dia em que
os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; Como não permaneceram naquela minha
aliança, Eu para eles não atentei, diz o Senhor. Porque esta é a aliança que depois daqueles
dias Farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, E
em seu coração as escreverei; E eu lhes serei por Deus, E eles me serão por povo; E não
ensinará cada um a seu próximo, Nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece o Senhor;
Porque todos me conhecerão, Desde o menor deles até ao maior. Porque serei misericordioso
para com suas iniquidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei
mais. Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se
envelhece, perto está de acabar. (Hebreus 8:6-13)
13
As tolices do pastor Amilton Justus
Mais importante que Ter uma lei do Senhor par condenar o pecado é Ter o Senhor, cheio de
graça e amor, salvando o pecado, libertando e dando a condição para se viver nele, em
novidade e santidade de vida.
Novamente o desconhecimento bíblico do autor, interpretando ERRADO o apóstolo Paulo.
Vamos ver, REALMENTE, o que Paulo chava das Leis de Deus, mas desta vez DAS LEIS DO
DECÁLOGO:
A Hora da Verdade do apóstolo Paulo: Principalmente na Carta aos Gálatas, ele abominava as leis
que só vigoraram até João, mas quando às leis do Decálogo, se confessa escravo delas:
“Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente,
sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. Romanos, 7:25.
“Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Romanos, 7:22.
“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também
sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os
simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser
justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e
lembrando que são Dez!
“... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o
mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em
Romanos, 16:25.
Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída,
promulgada e propagada e ainda cita uma das leis do Decálogo provando que se referia, de fato, às
Dez Leis:
“Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o
pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não
dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.
“Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo, justo e bom”. Romanos, 7:12.
O Apóstolo Paulo revela, ainda, que sem leis não se reconheceria o pecado, portanto, sem leis
não teria como existir o pecado no mundo e, por consequência, Adão e Eva não poderiam ter sido
ser expulsos do Paraíso se a eles não tivesse sido dada uma lei pelo Senhor Deus; não teria como
Deus julgar os homens no Grande Dia de Jesus, pois os julgamentos, necessariamente, têm de ser
fundamentados em leis previamente promulgadas, estabelecidas e propagadas, e isso foi
realizado por seu próprio Filho e só não toma conhecimento também dessa Verdade de Deus quem
não quer!
DÉCIMA RAZÃO
NO NOVO CONCERTO, SOB O QUAL ESTAMOS, NÃO EXISTE MANDAMENTO PARA
GUARDAR O SÁBADO, EMBORA ENCONTREMOS TODOS OS OUTROS DO DECÁLOGO.
14
As tolices do pastor Amilton Justus
Mandamento
Antigo Testamento
Novo Testamento
1.º
Êxodo 20:2-3
I Coríntios 8:4-6;Atos 17:23-31
2.º
Êxodo 20:5,6
I João 5:21
3.º
Êxodo 20:7
Tiago 5:12
4.º
Êxodo 20:8-11
??????????
5.º
Êxodo 20:12
Efésios 6:1-3
6.º
Êxodo 20:13
Romanos 13:9
7.º
Êxodo 20:14
15
As tolices do pastor Amilton Justus
I Coríntios 6:9-10
8.º
Êxodo 20:15
Efésios 4:28
9.º
Êxodo 20:16
Colossenses 3:9;Tiago 4:11
10.º
Êxodo 20:17
Efésios 5:3
Em nenhum lugar do Novo Testamento encontramos qualquer texto que ensine o que o
cristão deve guardar o Sábado como mandamento e que, uma vez quebrado, traga
condenação da parte do Senhor.
Outra grande tolice do autor, pois já mostrei, no início, que o SÁBADO ESTÁ REPEETIDO
NO EVANGELHO POR 12 VEZES. Sobretudo, ali está mostrado que JESUS, E SUAA
IGREJA, INCLUSIVE A IGRREJA DE PAULO SE MOSRARAM SANTIFICANADO OS
SÁBADOS? O que pode contra isso?
DÉCIMA-PRIMEIRA
JESUS CRISTO, O MEDIADOR DO NOVO CONCERTO, E NOSSO SALVADOR, NUNCA
ORDENOU A NINGUÉM QUE GUARDASSE O SÁBADO.
Se fosse para o cristão guardar o Sábado, como alguns afirmam, por que será que Jesus não
o ordenou ? Teria ele cometido tamanha lapso de memória ? Que tipo de Mestre seria esse
que iria exigir de seus discípulos a guarda de um preceito, sem nunca tê-lo ensinado ?
Ridículo, não acha ? Um simples homem poderia esquecer, todavia ficaria sem moral para
exigir cumprimento por parte dos seus seguidores. Todavia, Jesus não esqueceu, porque
jamais teve intenção de ensiná-lo. Jesus não foi, nem é algum tolo, como alguns o querem
fazer. Ele é o Filho de Deus que tudo sabe (João 2:25)
E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas
coisas no sábado. E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho
também. Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só
16
As tolices do pastor Amilton Justus
quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a
Deus. (João 5:16-18)
Mas como está mostrado acima, Jesus respondeu aos fariseus que o causavam disso que
apenas APARENTAVA isso.“Se um homem pode ser circundado num sábado, para que a Lei de Moisés não seja violada,
por que vos indignais contra mim, pelo fato de eu ter curado num sábado, ao todo, um
homem? Não julgueis pela aparência, mas, sim, pela reta Justiça”. Jesus em João, 7.23 e
24.
Pobre autor que tão pouco entende de Bíblia....
DÉCIMA-SEGUNDA RAZÃO
O MINISTÉRIO DA LEI (O SÁBADO TAMBÉM) FINDOU COM O MINISTÉRIO DE JOÃO
BATISTA.
A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o
homem emprega força para entrar nele. (Lucas 16:16)
Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João. (Mateus 11:13)
Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. (João 1:17)
“Se um homem pode ser circundado num sábado, para que a Lei de Moisés não seja violada,
por que vos indignais contra mim, pelo fato de eu ter curado num sábado, ao todo, um
homem? Não julgueis pela aparência, mas, sim, pela reta Justiça”. Jesus em João, 7.23 e
24.
A lei foi dada por Moisés se refere às Leis de Levítico, cuja maioria não tiveram lugar no
Evangelho e a Verdade veio por Jesus, quando também num Monte promulgou e propagou
NOVAMENTE todas as 10 leis de Deus Pai, e ainda aumentou o grua de dificuldade da
observação de alguns dos Mandamentos do Decálogo:
Não pode ser negado que para realçar completamente que o Jesus da Graça e da Liberdade, no
Sermão do Monte, em Mateus 5:17 e seguintes, se referia aos Mandamentos do Decálogo, pois está
claro que na sequência cita dois dos Dez Mandamentos como completamente válidos, e ainda
aumenta a dificuldade de o ser humano observar essas duas leis:
“Ouviste dos antigos: não matarás, mas qualquer um que se indispor com seu irmão (o semelhante) já
pecou em seu coração”. Mateus, 5:21.
“Ouviste dos profetas: não adulterarás, mas qualquer um que olhar com cobiça para uma mulher já
pecou em seu coração”. Mateus 5:27.
“Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til
jamais passará da lei sem que tudo seja cumprido”. Está Escrito que tudo será cumprido na
17
As tolices do pastor Amilton Justus
Consumação dos Séculos, no Grande Dia de Jesus, quando os Portais do Reino de Deus serão
abertos aos mortais de Jesus, antes fechados desde Adão e Eva (João 14:1 - 3).
Abaixo temos mais uma gigantesca evidência da validade das Dez Leis, também no Evangelho:
“Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar
aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e
ensinar será chamado grande no reino dos céus”.
Jesus, no Sermão do Monte, em Mateus
5:18-19, realçando, novamente o Decálogo de Deus também no Evangelho.
DÉCIMA-TERCEIRA RAZÃO
A GUARDA DO SÁBADO NÃO JUSTIFICA NINGUÉM, PORQUE A LEI NÃO FOI DADA
PARA JUSTIFICAR, MAS PARA REVELAR AO HOMEM O SEU PECADO.
Em geral, quem guarda o Sábado o faz procurando alcançar favor de Deus, procurando
melhorar sua situação diante de Deus. Dizem que quem não guarda o Sábado não poderá ser
salvo. Todavia isso é um absurdo, porque a lei do Sábado é preceito da lei, e não foi dada
com o objetivo de justificar ninguém. A finalidade da lei é mostrar ao homem o seu pecado e
então levá-lo até Jesus Cristo, para que, a pessoa aceitando o sacrifício de Jesus Cristo pela
fé, receba então, o perdão e a justificação de seus pecados.
Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a
posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um
medianeiro. Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é um. Logo, a lei é contra as
promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar,
a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado,
para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes. Mas, antes que a fé
viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de
manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela
fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. (Gálatas
3:19-25)
Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os
ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os
homicidas, Para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os
mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina (I Timóteo 1:9-10)
Grandes tolices do paupérrimo autor pretencioso: Vamos aqui ao exemplo que Jesus nos
deixou a respeito das leis (Dez). Pelo exemplo do Jovem Rico Jesus nos mostra que para a
nossa SALVAÇÃO existem DUAS CONDIÇÕES sinequanon: A Obediência a Deus (O
Decálogo) e a prática do amor de caridade (a Graça de Jesus):
18
As tolices do pastor Amilton Justus
vejamos um exemplo indiscutível da fé inválida, sem ação, sem obras: Em Marcos 10:17 a
respeito do jovem rico que, depois de ouvir uma pregação de Jesus, o que resultou numa incerteza de
sua salvação, decidiu-se consultá-lo:
“Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?”. (Se não tivesse fé ele não teria se chegado a
Jesus e nem teria vivido a observar as leis do Decálogo).
Mesmo sabendo tudo sobre a vida do Jovem rico, até mesmo sabedor do resultado da consulta, mas
como exemplo direto a nós outros, Jesus cita para ele a obediência ao Decálogo como primeira
condição para a salvação:
“Antes, obedeça a Deus guardando seus Mandamentos. Tu sabes os mandamentos: Não
adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém;
honra a teu pai e a tua mãe”. (Como primeira condição de salvação, Jesus Cristo aconselhou ao
jovem rico que continuasse a guardar todas as leis do monte Sinai. Isso está subentendido na
resposta do Mestre, pois ele disse: “Tu sabes os mandamentos”.
Atenção para esse detalhe: Notem que no preceito acima Jesus legitima e propaga novamente as Dez
Leis do Pai, desmentindo os falsos pastores que pretendem a anulação das leis ou apenas uma só
delas, pois ele cita claramente as leis do Decálogo provando que nada foi anulado por ele e que
o Decálogo é a base do Evangelho.
“Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade”. O Jovem rico e sua fé.
Jesus revela e adverte gravemente ao jovem rico que para que ele se salvasse, além da necessária
obediência a Deus em todos os seus Mandamentos – como está subentendido – era (e é)
imprescindível complementar essas leis, vivendo, na prática, a religião da Graça, do Amor, da
Caridade, a parte mais difícil (mas bem mais difícil mesmo!), que se resume em servir o semelhante
como gostaria de ser servido a ponto de necessariamente dividir toda a sua fortuna com os
necessitados. Jesus complementa ao Jovem Rico a única forma de alcançar o Reino de Deus Eterno:
“Então falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no
céu”.
Segundo Jesus, é impossível viver verdadeiramente o cristianismo apegado a bens materiais, sem
praticar, também, o amor de I Coríntios 13:13 e de Mateus 25:31 - 44. Sem amor de caridade, que faz
repartir (obras), ninguém terá lugar no Reino de Deus, mesmo obedecendo fielmente a todos os
Mandamentos do Decálogo e vice-versa. Essa norma é divina, então, visando a salvação, não há a
mínima condição de fugirmos dela!
Jesus revelou ao jovem rico - e por tabela a nós outros -, que para que ele se salvasse na Eternidade
havia (e sempre haverá) duas condições sinequanon: primeiramente obedecer aos mandamentos
do Decálogo e necessariamente complementar os merecimentos ao reino de Deus desapegando-se
das riquezas excedentes a favor dos necessitados (obras),
e quem tem pouco reparta pouco e quem nada tem que distribua o amor ao próximo.
Para a salvação, movidos pela fé, tem de estarem presentes a obediência e atos de Amor! Tanto a
Fé quanto o Amor só de boca, sem ações a favor do semelhante (obras) inviabilizam a salvação. De
que adianta Crer se não se Praticar? De que adianta apenas reconhecer a Jesus como o Senhor, ser
batizado, se faltar a caridade do Amor que obrigatoriamente leva a usar os bens materiais para
socorrer o necessitado (obras)? Afinal, o que vale mais: o dinheiro, o poder, prestígio, vitória financeira
ou a Salvação? O que vale mais para Deus: apenas ter fé ou sacrificar-se por amor aos mais
necessitados? O que vale mais: apenas ter fé ou agir pela fé tentando tirar um irmão ou irmã do erro
(também caridade)? Vamos ver o que Deus nos deixou ESCRITO a respeito:
19
As tolices do pastor Amilton Justus
“Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode
salvá-lo? E se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano e algum de
vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o
corpo, que proveito virá daí?
Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.
Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te
mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.
Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta?”. Tiago 2:14-20.
As obras por amor dirigidas ao semelhante, citadas acima, nada têm a ver com as obras abominadas
pelo apóstolo Paulo, principalmente em Gálatas, que se resumiam em preceitos mundanos, provindos
da antiga tradição de Levítico, os principais citados um a um com detalhes mais que suficientes nesses
escritos.
A respeito da dificuldade de amar o semelhante a ponto de dividir com ele os seus bens, vem ao caso
o preceito:
“E, se ao justo é difícil ser salvo, o que será do ímpio e pecador?". 1 de Pedro 4:18.
DÉCIMA-QUARTA RAZÃO
GUARDAR O SÁBADO, PARA O CRISTÃO, É INCORRER EM UM GRAVE PECADO
CHAMADO – ADULTÉRIO ESPIRITUAL.
NÃO sabeis vós, irmãos (pois que falo aos que sabem a lei), que a lei tem domínio sobre o
homem por todo o tempo que vive? Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele
viver, está-lhe ligada pela lei; mas, morto o marido, está livre da lei do marido. De sorte que,
vivendo o marido, será chamada adúltera se for de outro marido; mas, morto o marido, livre
está da lei, e assim não será adúltera, se for de outro marido. Assim, meus irmãos, também
vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que
ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus. (Romanos 7:1-4)
Entendo essa declaração do autor como OBRAD E SATANÁS, pois tenta colocar Deus como
adúltero. O Pobre autor nem consegue notar que o apóstolo Paulo, que até se declarou
ESCRAVO DAS LEIS DE DEUS estava s manifestando contras as leis da tradição israelita
que realmente escravizavam. Nada a ver com o Decálogo de Deus imutável. Quanto a isso,
o autor tenta fazer Deus de MUTÁVEL, de contraditório, pois depois de promulgar suas 10 leis
à humanidade, num cerimonial indescritível, riscar o QUANT MANDAMENTO DAS ROCHAS
DAS LEIS. Impossível!!!
Como pretendem ou autor e muitos outros como Jesus poderia ter “lixado” as leis das Rochas de
Deus Pai, ou apenas uma só delas, que foram decretadas solenemente, no maior evento da Terra
depois de Gênesis (evidentemente deixando-se à parte o nascimento e a morte de Jesus Cristo), ou
mesmo uma só vírgula delas todas se ele, o Criador, promulgou-as à Humanidade num cerimonial
incrivelmente suntuoso, exuberante, deslumbrante, magnificente, surpreendente, grandioso, altamente
espetacular, assustador e até mesmo aterrador (pois raios e trovões pipocavam sobre o Monte que
20
As tolices do pastor Amilton Justus
tremia fortemente, envolvido em fogo, sob altíssimo som das trombetas angelicais), que durou várias
semanas sem interrupção?
“Todo o Monte Sinai fumegava, pois o Senhor havia descido sobre ele em fogo. A
fumaça subia como fumaça de uma fornalha, e todo o Monte tremia muito. Enquanto o
som das trombetas aumentava cada vez mais, Moisés falava ao Senhor e ele respondia
por meio de um trovão”. Êxodo 19:18 – 19.
Qual o objetivo divino da magnífica exibição desse grandioso evento, senão o de chamar, de modo
ostensivo, a atenção da Humanidade (pois Está Escrito que Deus não faz distinção de pessoas ou de
raças, cujos preceitos afins estão a seguir) para a imensa importância da obediência fiel aos Dez
Mandamentos instituídos, promulgados e propagados de forma escrita nas rochas, nos altos do Monte
Sinai?
DÉCIMA-QUINTA RAZÃO
EM NENHUM LUGAR DO NOVO TESTAMENTO O ESPÍRITO SANTO DÁ SEU PARECER
FAVORÁVEL À GUARDA DO SÁBADO.
Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum,
senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do
sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos
guardardes. Bem vos vá. (Atos 15:28-29)
Se fosse questão de perdição ou salvação a guarda do Sábado, Jesus Cristo e o Espírito
Santo no-lo teriam dito, com muitas ênfases. Mas essa ênfase só existe na cabeça legalista
dos judaizantes sabatistas.
O pobre autor nem tem competência para perceber que o capítulo 15 de Atos só serve para
abominar a lei antiga que escravizava: a CIRCUNCISÃO DA CARNE. Mais encargo algum
citado por Pedro, se referia especificamente à operação de fimose, dolorosa, a Circuncisão,
carga pesada.
DÉCIMA-SEXTA RAZÃO
OS GRANDES ACONTECIMENTOS DO CRISTIANISMO NÃO SE DERAM NO SÁBADO,
MAS NO DOMINGO.
Ressurreição de Jesus: João 20:1; Marcos 16:9-11
Jesus apareceu a 10 discípulos (João 20-19)
Outra prova de desconhecimento bíblico do autor: Jesus não apareceu aos apóstolos apenas
aso domingos, mas também segunda-feira:
“Ao cair da tarde daquele dia, o primeiro dia da semana... Jesus apareceu aos seus
discípulos”. Atos, 20.19, mas logo a seguir, Jesus reaparece a eles numa segunda-feira:
21
As tolices do pastor Amilton Justus
“Passados OITO DIAS, estavam outra vez ali reunidos os seus discípulos... Jesus apareceu”.
Atos, 20.26. Passados oito deias depois de um domingo é uma segunda-feira.
Jesus apareceu a 11 discípulos (João 20-26) Não, também foi numa segunda-feira:
“ E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou
Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco”,
Jesus apareceu a vários outros discípulos (Mateus 28:1-10; Lucas 24:13-35; João 20:11)
Mentira do autor, pois foi num sábado e não domingo:
“”E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a
outra Maria foram ver o sepulcro”. Mateus, 28:1
Cumprimento da Vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes (Levítico 23:16; Atos 2:1-13)
Primeira pregação do Apóstolo Pedro (Atos 2:14)
Três mil conversões (Atos 2:41)
Primeira administração de um batismo em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Atos
2:41)
Jesus apareceu ao Apóstolo João na Ilha de Patmos (Apocalipse 1:10) Mais uma colocação
satânica do autor, pois ele ingressa na maldição do Apocalipse 22: 18 e 19, pois muda os
textos bíblicos. Vamos à Verdade de Deus que mostra que a Revelação se deu NO DIA DO
SENHOR? Onde está dizendo que foi num domingo? A Bíblia por inteiro revela que O DIA
DO SENHOR É O SÁBADO criado na Fundação do Mundo e colocado como UM SINAL
entre ele e a humanidade.
NO DIA SSO SENHOR, TIVE UM SONHO” Apocalise 1:10
Mas mesmo que essas colocações do autor fossem verdadeiras, nada disso tem força
suficiente para desmentir Jesus e os evangelistas que mostram que, TAMBÉM NO
EVANGELHO O SÁBADO EE´O DIA DO SENHOR. Quanto a isso, qual o dia que Jesus, sua
Igreja e até a Igreja de Paulo santificavam? Não dizem os sábios que um exemplo bom vale
mais que mil palavras? Á colocado no início, há nada menos que SETE colocações bíblicas
mostrando Jesus e sua Igreja santificando o sábado e entre elas o apostolo Paulo, décadas
após a ressurreição e Jesus levando quase TODA ACIDADE A LOUVAR AOS SÁBADOS.
Estudando-se o Novo Testamento com critério e atenção, concluímos que a palavra de Deus não
atribui nenhum significado litúrgico ao dia da ressurreição, simplesmente porque esse acontecimento
tem de ser visto apenas como uma realidade existencial experimentada pelo poder do Cristo vitorioso
também sobre sua própria morte. De modo algum a ressurreição de Jesus pode ser vista como uma
22
As tolices do pastor Amilton Justus
prática cristã associada a culto aos domingos. Cristo, que havia ressuscitado a outros, não poderia ser
vencido pela morte, o que anula totalmente a pretendida importância do tal domingo. Mas a
Monumental Vitória de Jesus Cristo deu-se com a sua sofrida Morte na cruz!
Sobretudo, Jesus não poderia ter ressuscitado num sábado, pois nesse dia os anjos teriam de remover
a pesada pedra e a grossa camada de barro que vedava o seu túmulo. Alguém pode até gracejar
disso, afirmando que não haveria desrespeito ao sábado a remoção da pesada pedra, mas Deus é
perfeito e tudo o que faz tem sentido, afinal, também no cristianismo .os exemplos têm de vir de cima
DÉCIMA-SÉTIMA RAZÃO
A IGREJA PRIMITIVA GUARDAVA O DOMINGO E NÃO O SÁBADO.
E, depois dos dias dos pães ázimos, navegamos de Filipos, e em cinco dias fomos ter com
eles a Trôade, onde estivemos sete dias. E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os
discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e
prolongou a prática até à meia-noite. (Atos 20:6-7)
ORA, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que ordenei às
igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder
ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar. (I
Corintíos 16:1-2)
Nenhuma dessas colocações faz do domingo o Dia do Senhor. Agora, mais uma vez, vamos
desmentir o paupérrimo autor mostrando VERDADEIRAMENTE, qual o dia que a IGREJA
PRIMITIVA santificava:
“No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar
de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”.
Atos dos Apóstolos 16:13.
Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos
sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados.
Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os
sábados assim como os homens! Mas fariseus de quase todas as denominações,
também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo.
É possível uma tolice dessas?
“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas
os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”. Atos 13:41 - 44.
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados,
mas sim um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. A
Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a
seguir, exatamente para nos revelar que o sábado sempre será o Dia do Senhor.
23
As tolices do pastor Amilton Justus
“E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”.
Atos 18:4.
Os defensores do domingo inventado argumentam, falsamente, que Paulo comparecia
às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los,
mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição jamais aceitariam que gentios pagãos no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em
simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos
no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos
judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros
cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a
Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.
Chega, ou o autor deseja mais provas de que os cristãos de Jesus santificavam os
sábados, e jamais um domingo?
A seguir, estão colocadas as provas bíblicas que revelam, claramente, e sem nenhuma
sombra de dúvidas, Jesus e sua Igreja santificando os sábados com o objetivo maior
de nos deixar esses claros exemplos, pelos quais devemos abominar o tal domingo,
certamente imposto por Satanás através dos papas romanos, como aqui foi mostrado:
“E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o
seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”. Lucas 4:16. Jesus, nos
concedendo o exemplo.
Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:
“O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo,
observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam
aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”. Lucas 23:55 56. A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.
Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os
sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:
“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade
tanto como a uma jornada de sábado...”. Atos 1:12.
Ora, ao se referirem a uma
jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de
um preceito em uso.
“Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”.
Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado
(nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na
terrível carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada),
nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.
Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:
24
As tolices do pastor Amilton Justus
“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado;
de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em
Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos
colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo
DÉCIMA-OITAVA RAZÃO
TODOS OS QUE GUARDAM O SÁBADO (LEI), COMO MEIO DE JUSTIFICAÇÃO, OU
CAÍRAM DA GRAÇA OU NUNCA ENTRARAM NELA. ESTÃO SEPARADOS DE CRISTO.
ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos
debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar,
Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar,
que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais
pela lei; da graça tendes caído. (Gálatas 5:1-4)
Outra prova que o autor nada entende de Bíblia, O apóstolo Paulo apenas recriminava um
grupo de Gálatas que pretendia que alguma das leis israelitas antigas, assim como a
circuncisão (citada nesse capítulo) tivesse continuidade no Evangelho, mas essas leis só
vigoraram até João Batista.
Está bem claro no verso colocado pelo autor pois contém a palavra CIRCUNDAR, Lei antiga
varrida do Evangelho no capítulo 15 de Atos. Nada a ver com separação de Cristo, ao
contrário Cristo declarou que o sábado foi estabelecido para o homem, e não domingo algum.
DÉCIMA-NONA RAZÃO
PAULO CHAMA A GUARDA DO SÁBADO DE RUDIMENTO FRACO E POBRE.
Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra
vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e
meses, e tempos, e anos. Receio de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco.
(Gálatas 4:9-11)
O pobre autor não consegue identificar quando Paulo malhava as leis, se referia às leis
retrógradas da tradição israelita que só vigoraram até João, e quando Paulo enaltecia as leis,
dizendo-se escravo delas se referia às leis do Decálogo no qual o Sábado está intrínseco. E o
sábado fosse “rudimento” Jesus e sua Igreja inclusive a Igreja de Paulo teriam errado
gravemente nos concedendo exemplos santificando os sábados. Pobre tolo esse autor!
VIGÉSIMA RAZÃO
NENHUM APÓSTOLO, EM NENHUM LUGAR DO NOVO TESTAMENTO, RECOMENDA OU
ORDENAA GUARDA DO SÁBADO.
25
As tolices do pastor Amilton Justus
Os apóstolos foram guiados pelo Espírito, que ´eo Deus da verdade e não da confusão.
Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque
naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. 20 Porque não sois vós quem
falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós. (Mateus 10:19-20)
E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o
Espírito Santo lhes concedia que falassem. (Atos 2:4)
Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo, e vós, anciãos de Israel,
(Atos 4:8)
Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os
homens. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus
Cristo. (Gálatas 1:11-12)
Não disseram os sábios que um bom exemplo vale mais que mil palavras? Então as
argumentações do pobre autor são inválidas quando Jesus nos mostra a IGREJA PRIMITIVA
SANTIFICANDDO OS SÁBADOS.
VIGÉSIMA-PRIMEIRA RAZÃO
NAS RESOLUÇÕES TOMADAS PELA IGREJA NO CONCÍLIO DE JERUSALÉM, NADA
CONSTA SOBRE A NECESSIDADE DA GUARDA DO SÁBADO.
Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum,
senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do
sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos
guardardes. Bem vos vá. (Atos 15:28-29)
Como já citei, essa primeira reunião cristã foi criada como O INTUITO EXCLUSIVO de
acabar com a tal circuncisão carnal ENADA MAIS. Nada a ver com sábados.
VIGÉSIMA-SEGUNDA RAZÃO
O APÓSTOLO PAULO ERA APÓSTOLO DOS GENTIOS, E EMBORA TENHA DITO QUE
TUDO DE PROVEITOSO ELE ENSINOU, E QUE ENSINOU TODO O CONSELHO DE
DEUS, NADA ENSINOU ACERCA DA NECESSIDADE DA GUARDA DO SÁBADO.
Mas Paulo fez muito mais que ensinar: convocava TODA A CIDADE PARA LOUVAR AOS
SÁBADOS. Vamos ver?
“No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de
oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos
Apóstolos 16:13.
26
As tolices do pastor Amilton Justus
Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres
cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia
de descanso, santificando os sábados assim como os homens!
“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os
judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”. Atos 13:41 - 44.
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, mas sim de um
culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado. A Palavra Escrita registrou essas
duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelarnos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também
na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus
Imutável:
“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.
Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu
filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro,
que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e
tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e
o santificou”. Êxodo 20:8-11
“Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos
homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar
será chamado grande no reino dos céus”.
Jesus, em Mateus 5:18-19, promulgando novamente
o Decálogo de Deus também no Evangelho.
“E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos”.
Êxodo 20:6
E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que
entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com
toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me
sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e
pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em
nosso Senhor Jesus Cristo.
Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. Porque nunca
deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus. (Atos 20:18-21, 26, 27)
A obsessão do sabatismo é tão sem base e inútil como o legalismo mortal dos judeus, que
condenaram o próprio Filho de Deus, por salvar, curar e libertar no Sábado (João 5). Sobre
isso Paulo Diz:
"A letra mata, mas o espírito vivifica" (II Coríntios 3:6) A letra mata? Ora, o próprio autor
copiou diversos versos bíblicos, principalmente de Paulo que escreveu tais letras. Ora, então
será que os Evangelhos de Paulo matam? Ora, o sentido de a letra mata não se refere aos
Escritos de Deus.
VIGÉSIMA-TERCEIRA RAZÃO
27
As tolices do pastor Amilton Justus
GUARDAR O SÁBADO, POR SER PRECEITO DA LEI, E PROCURAR IMPOR SUA
OBSERVÂNCIA SOBRE OUTROS, É O MESMO QUE TENTAR A DEUS.
Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem
nossos pais nem nós pudemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do
Senhor Jesus Cristo, como eles também. (Atos 15:10,11)
Então Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do
Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti.
(Atos 5:9)
Pôr a lei con denatória na frente da graça salvadora é por Moisés à frente de Jesus...É
inutilizar o feito libertador e salvador do Deus amoroso, gracioso e bom. É por a lei na frente
do sangue de Jesus Cristo, que já a cumpriu, para colocar o testamento da graça. Contrariar o
plano de Deus é tentar a Deus e chamar sua ira...
Pobre autor, como a maioria dos pastores evangélicos que tenta anestesiar e bloquear suas
mentes parra não ingressar nas dificuldades da santificação do santo sábado, buscam e
rebuscam tudo o que podem para tentar riscar da Rochas de Deus o seu amado QUARTO
MANDAMENTO, assim como faz agora. Mas não adianta tanto esforço inútil, pois queiram ou
não queiram O SÁBADO DO DEUS IMUTÁVEL É PARA SEMPRE!!!
VIGÉSIMA-QUARTA RAZÃO
OS APÓSTOLOS, COLUNAS DA IGREJA, PEDRO, TIAGO E JOÃO, E TAMBÉM PAULO,
DOUTOR DOS GENTIOS, NÃO GUARDAVAM O SÁBADO (LEI); PELO CONTRÁRIO,
FORAM DUROS E RIGOROSOS NO COMBATE ÀS DOUTRINAS SABATISTAS.
Já mostramos aqui que a IGREJA PRIMITIVA DE JESUS SANTIFICAVAM TODOS OS
SÁBADOS E OS APÓSTOLOS FORAM OS CABEÇAS DESSA IGREJA. Ponto final!!!
ENTÃO alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se não vos
circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. Tendo tido Paulo e Barnabé
não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns
dentre eles, subissem a Jerusalém, aos apóstolos e aos anciãos, sobre aquela questão.
E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos, e
lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. Alguns, porém, da seita dos
fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandarlhes que guardassem a lei de Moisés. Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos para
considerar este assunto. E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes:
Homens irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre nós, para que os
gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem. E Deus, que conhece os
corações, lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como também a nós; E
não fez diferença alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé. Agora, pois,
28
As tolices do pastor Amilton Justus
por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais
nem nós pudemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus
Cristo, como eles também. (Atos 15:1,2,4-11)
O autor insiste em Atos 15, que foi criado para acabar com a carga pesada da Circuncisão, a
operação no pênis, com faca e sem anestesia a qualquer um que desejasse ingressar no
cristianismo.
ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos
debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar,
Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar,
que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais
pela lei; da graça tendes caído. (Gálatas 5:1-4)
Se homens de Deus, considerados colunas da Igreja, não guardaram o Sábado, por não
receberem tal preceito de Jesus e do Espírito Santo, por que nós deveríamos guardá-lo ?
Somos salvos pela fé em Jesus Cristo e não pela lei de Moisés. Nosso coração é "purificado
pela fé" , e não por "usos de Moisés". Trocar a graça libertadora de Deus pelo jugo de Moisés
é simplesmente andar para trás, andar ao contrário, e "tentar a Deus", na tese dos apóstolos.
O decálogo e o profeta Moisés são tão importantes que se ao homem fosse possível banir UMA
SÓ das Dez Leis no Evangelho, por que as Escrituras nos revelam que no Grande Dia de Jesus a
imponente Arca da Aliança Sagrada, que guarda as duas pranchas das Rochas das Leis de Deus,
será retirada do Tabernáculo Celeste e será exibida ostensivamente a todas as nações da Terra
(Apocalipse 11:19)?
Por que Deus Pai promoverá cerimônia tão solene e grandiosa frente aos povos de todos os tempos
se Jesus tivesse pregado as leis da Arca da Aliança na cruz, ou apenas uma ou duas delas todas,
deixando-a vazia, incompleta, adulterada ou aleijada? O que há na Arca da Aliança mais importante
que as Rochas das Leis? Certamente o bastão de Arão ou o Maná é que não são!
Se as leis pudessem ter sido “apagadas” por Jesus ou uma só delas, por que o maior dos profetas:
Moisés, que tem tudo a ver com as Leis de Deus do Monte Sinai, será o único deles a ser
homenageado no Grande Dia de Jesus, quando seus eleitos, vestidos de branco, solenemente
cantarão o Hino de Moisés (Apocalipse 15:3)? Pergunto: Por que Deus Pai profetizou que vai honrar
solenemente o Profeta do Decálogo frente a todas as nações da Terra - certamente desde Adão e Eva
-, se o Filho tivesse “anulado as leis” como querem os fariseus?
Então, pobre autor ignorante, não me venha falar de Moisés como se no Evangelho não
tivesse valor.
VIGÉSIMA-QUINTA RAZÃO
PAULO DIZ QUE NINGUE´M DEVE JULGAR ALGUÉM QUE NÃO GUARDA O SÁBADO,
OPRQUE TODOS OS DIAS SÃO IGUAIS.
29
As tolices do pastor Amilton Justus
Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou
da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.
(Colossenses 2:16, 17)
Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio SENHOR ele está em pé ou cai. Mas
estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar. Um faz diferença entre dia e dia, mas
outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.
Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o
não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para
o SENHOR não come, e dá graças a Deus. (Romanos 14:4-6)+
Outro erro de interpretação do autor, também da maioria dos pastores evangélicos que vêem
nesse verso a derrocada do sábado, mas não é nada disso:
“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou
sábados”. Colossenses 2:16.
Na Verdade, o mesmo Paulo que levava toda a sua Igreja a louvar aos sábados (Atos 16:13 e 13:41),
como aqui está mostrado, jamais poderia abominar esse santo dia de Deus, de outra forma, pela alta
contradição, todos os seus demais escritos cairiam em descrédito. Então, esse preceito isolado
não tem autoridade alguma para anular os santos e benditos sábados do Senhor! Para bem entender
esse preceito isolado, Paulo estava se referindo à desobrigação do povo de viver pelas ordenanças
antigas, cargas pesadas, que giravam em torno do sábado e das festas de Lua Nova.
Dessa forma, Paulo fez-se entender aos judeus ainda apegados à sua antiga tradição - uma parte
deles rebelde ao cristianismo verdadeiro, assim com uma parte dos Gálatas -, que ninguém poderia
julgar um cristão pela não observância das ordenanças que cercavam os sábados, como também as
que cercavam as festas de Lua Nova. Assim, nenhum cristão ou judeu poderia ser julgado por
desrespeitar as duras tradições, regulamentos ou ordenanças e até as cargas pesadas – denunciadas
por Jesus em Mateus, capítulo 23 - que giravam em torno do sábado dos profetas até João (Lucas
16:16). Por essas ordenanças antigas, aos sábados não se podia dar muitos passos, nem acender o
fogo na cozinha, nem fazer qualquer tipo de esforço físico tal como levar alguém a um médico, e se
alguém fosse flagrado trabalhando aos sábados, esse poderia ser julgado e até morto, como tentaram
matar Jesus (leis escravas e mortais). Quanto a isso, Jesus acusa os fariseus:
“Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém,
nem com seu dedo querem movê-los”. Jesus, criticando violentamente os fariseus do templo, em
Mateus 23:4 e por todos os outros preceitos desse capítulo.
Sobretudo, segundo Colossenses 2:16, Paulo, um tanto irado, espelhou-se no próprio Deus, também
irado que, vendo seu povo afastar-se das suas leis, fez um grave desabafo:
“... eis que cercarei o seu caminho com espinhos. Reterei, a seu tempo, o meu trigo e o meu vinho, e
arrebatarei a minha lã e o meu linho, que lhe deviam cobrir a nudez. Ninguém a livrará da minha mão.
Farei cessar todo o seu gozo, as suas Festas de Lua Nova, os seus sábados e todas as
suas solenidades. Devastarei a sua vide e a sua figueira...”. Maldições do Senhor ao seu povo
desobediente e ingrato, em Oséias, capítulo 2.
Sabemos que o Senhor Deus Imutável jamais pretendeu acabar com o Sábado cravado nas Rochas,
nomeado por ele como Santo, Solene e abençoado, como um Sinal entre ele e a Humanidade,
também da mesma forma procedeu com as festas de Lua Nova e, do mesmo modo, repetindo, o
30
As tolices do pastor Amilton Justus
apóstolo Paulo imitou o Criador, desabafando, pois nunca houve a menor condição da abominação
dos sábados por ele, como já vimos. Diferente disso, Paulo teria sido um alto contraditório e isso é
impossível, pois falava e agia sob a orientação segura do Espírito Santo de Deus!
VIGÉSIMA-SEXTA RAZÃO
O SÁBADO, A LUA, OS DIAS DE FESTAS E OUTROS CERIMONIAIS DA LEI, SÃO MERAS
SOMBRAS DOS BENS FUTUROS.
O Sábado, que quer dizer "descanso" , é uma sombra de Cristo, por que Jesus Cristo é o
verdadeiro descanso para a alma, segundo Mateus 11:28-30 e Isaías 32:2. Jesus é a luz do
mundo. A sombra desapareceu porque a Luz chegou. (Eclesiastes 7:8)
Ora, quando o sábado foi sombra?
Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou
da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.
(Colossenses 2:16-17)
Já traduzido corretamente acima
Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé
que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a
Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos
debaixo de aio. (Gálatas 3:23-25)
Como já repeti, Paulo dá uma bronca num grupo de Gálatas que pretendia colocar no
Evangelho leis que nos escravizariam e até nos matariam. Tais leis só vigoraram até João.
Nada a ver com o DECÁLOGO IMUTÁVEL DE DEUS, legitimado por Jesus no Sermão do
Monte.
Melhor que Ter o Sábado do Senhor, é Ter o Senhor do Sábado...
Quanto a ser o senhor do sábado vamos ver a tradução correta:
“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de
sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”. Jesus Cristo, em Marcos 2:28
Está Escrito, também, que mesmo tendo Jesus sido colocado na Terra menor que os anjos (Hebreus
2:9), Deus Pai deu toda autoridade nos Céus e na Terra para ele, então ele é Senhor de tudo, tanto
do Sábado Santo quanto de todos os outros dias, é claro. Agora julgar que Jesus estaria
desmerecendo o Sétimo Dia ao revelar que é o Senhor do sábado é outra enorme tolice pastoral, pois
o Mestre nos revelou, nesse mesmo preceito, que o sábado foi estabelecido para o
homem, foi criado para o homem e ponto final, e isso sendo afirmação conclusiva de
Deus, jamais poderá ser ignorada ou mudada no Evangelho. O sábado NÃO foi criado na Fundação
do Mundo apenas para Adão e Eva e nem para os hebreus, depois israelitas, mas para o homem, o
que abrange a Humanidade de todos os tempos passados e futuros, inclusive você. Cuidado: barata
viva não atravessa galinheiro!
31
As tolices do pastor Amilton Justus
Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6 –
maior que Abraão (João 8:57) e maior que Jonas (Lucas 11:32) Maior que Salomão (Mateus
12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles.
VIGÉSIMA-SÉTIMA RAZÃO
O SÁBADO É UM SINAL ENTRE DEUS E ISRAEL. NÃO É NEM PODE SER UNIVERSAL.
Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto
isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o
SENHOR, que vos santifica.
Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança
perpétua. Entre mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez
o SENHOR os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, e restaurou-se. (Êxodo 31:13,16,17)
“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também
sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os
simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser
justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e
lembrando que são Dez!
Portanto, como já coloquei acima o texto bíblico que revela que SOMOS OS DIRETOS
HERDEIROS DOS ISRAELITAS , por isso mesmo O DECÁLOGO INTEIRO FOI DADO POR
DEUS A NÓS TAMBÉM.
Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem
nossos pais nem nós pudemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do
Senhor Jesus Cristo, como eles também. (Atos 15:10-11) Novamente o pobre autor com Atos
15, já desmentido acima.
Israel-Nação podia guardar o Sábado porque, sendo um país pequeno, tem em todos os
lugares o mesmo fuso horário, em todo o país a hora é sempre a mesma. Porém não é o
mesmo caso do mundo todo, onde são observados horários diferentes.
Oa adventistas não podem observar todos o mesmo período de tempo na guarda do Sábado,
devido aos fusos horários. Por exemplo: Os adventistas da Califórnia trabalham três horas no
Sábado dos adventistas de Nova Iorque. Os sabatistas da Costa Rica começam a guardar o
Sábado 12 horas depois dos sabatistas chineses. O Sábado na austrália começa 18 horas
antes do Sábado da Califórnia.
Mas que idiotice desse pobre pastor! Será que Deus não sabe que quando aqui é dia lá no
Japão é dia? O que isso tem a ver com o sábado. Ou será que Deus errou ao fazer o mundo
32
As tolices do pastor Amilton Justus
redondo? Teria de ter criado um só plano para que o Sol iluminasse todo o plano? E não sou
adventista....
Como os sabatistas vão saber que estão guardando o dia de descanso da Criação, se a data
desse período não pode ser precisada e se os calendários históricos mudaram em semnúmero de vezes ?
Os judeus de hoje bem sabem que dia é o sábado, por isso nós mesmos o guardamos, pois
prefeririam a morte a ver mudado o santo dia do Sábado. Então o autor mais uma vez
demonstra incoerência.
Nas regiões polares, de acordo com a época do ano, o dia dura vários meses.
É por isso que é bom adar dentro da Bíblia, com honestidae e segundo a orientação do
Espírito, e não dos homens.
Essas tolices e idiotices do pobre autor serviriam também para o Domingo. É ou não é?
VIGÉSIMA-OITAVA RAZÃO
DURANTE SUA VIDA NA TERRA, JESUS ESCOLHEU O SÁBADO COMO DIA DE
TRABALHO.
Foi no Sábado que Jesus fez as seguintes obras, segundo relato das Escrituras:
A libertação do endemonhiado (Lucas 4:31-37)
A cura da sogra de Pedro (Lucas 4:38-39)
A cura do homem da mão mirrada (Lucas 6:6-11)
A cura da sogra da mulher paralítica (Lucas 13:10-17)
A cura de um hidrópico (Lucas 14:1-6)
A cura do paralítico de Betesda (João 5:5-16): (Jesus não só curtou como mandou o homem
carregar a sua cama, provocando protestos)
A cura de um cego de nasceça (João 9:1-41)
A pregação aos espíritos em prisão (I Pedro 3:18-20, 4:6)
33
As tolices do pastor Amilton Justus
Jesus fez questão de trabalhar muito no Sábado, para ensinar a aliança da graça aos judeus.
Ele fez questão de contrapor-se ao legalismo fanático dos judeus, satirizando-o...
Jesus trabalhou pesado no sábado? Mostrar o Alto Poder de Deus ao curar no sábado acaso
é trabalho? Outra idiotice do pobre autor. Vamos ver o que Jesus revelou a respeito disso?
Vejamos alguns exemplos que PROVAM que apenas APARENTAVA que Jesus violava os sábados
santos, pois aos sábados continuava a praticar a Caridade do Amor:
“Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada,
indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem?
segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”.
Não julgueis
Jesus, em João 7:23,24
“E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse à
multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia
de sábado.
Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da
manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber? E não convinha soltar
desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha
presa?”. Lucas 13:14-16
“E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram,
dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma
ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais
vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados.
Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra. E os
fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”. Mateus 12:10-14
“E os escribas e fariseus observavam-no, se o curaria no sábado, para acharem de que o acusar. Mas
ele (Jesus) bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levantate, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé. Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos
hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar?
E, olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe
foi restituída sã como a outra. E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o
que fariam a Jesus”.
Lucas 6:7-11
“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.
Jesus, em Marcos 7:9
Tá vendo, Amilton Justus? Tudo o que você escreveu a respeito das leis e sábados perde
todo o valor quando buscamos nas Escrituras a VERDADE!!!!!!
VIGÉSIMA-NONA RAZÃO
34
As tolices do pastor Amilton Justus
PROCURAR GUARDAR O SÁBADO É O MESMO QUE TENTAR GUARDAR A LEI DE
MOISÉS, PORQUE É ELE PRECEITO UNICAMENTE MOSAICO, E QUEM PROCURA
JUSTIFICAR-SE PELA OBSERVÂNCIA DA LEI ESTÁ:
Tornando sem valor a morte de Cristo (Gálatas 2:21)
Vivendo na carne e não no Espírito (Gálatas 3:2,3)
Colocando-se debaixo da maldição (Gálatas 3:10)
Metendo-se debaixo de jugo (Gálatas 5:1; Atos 15:10)
Separando-se de Cristo e caindo da Graça de Deus (Gálatas 5:4)
Passando para outro evangelho (Gálatas 1:6-9)
Pondo-se debaixo do ministério da morte e da condenação (II Coríntios 3:7-9)
Todas essas colocações já foram explicadas dentro da Verdade que Paulo abominava as leis
que escravizavam o homem e até o matavam (exemplo; Jesus salvou da morte e perdoou a
mulher adúltera que havia infringido as leis antigas). As leis citadas acima pelo autor foram
dadas por Deus a Moisés para regular as ações dos israelitas nos sofridos 40 anos de
deserto, mas essas leis de Levítico só vigoraram até João, como citado acima. Nada a ver
com as leis do Decálogo. O autor escreveu:acima que as leis de Moisés estão debaixo da
maldição, debaixo do jugo, e são Ministério da Morte, então, estando o autor a caracterizar
essas lesi conm referência ao Decálogo, VOU LHE FAZER UM SANTO DESAFIO: se o senhor
julga que quando Paulo citava as leis que escravizavam o homem ele estaria se referindo às Dez Leis
de Deus, e que por isso teriam sido abolidas por Jesus no Evangelho da Graça e do Amor, então o
nobre pastor não terá dificuldade alguma de apontar, diretamente, nessas leis, quais delas nos trazem
elementos de escravidão, de maldição. Vou colocar aqui as Dez Leis originais e se o senhor for um
cristão de verdade, honesto, sensato, peço que me aponte, sem delongas, qual ou quais dessas leis
são malditas. Pastor, pelo menos me aponte uma só delas que possa apresentar-se com conteúdo
nocivo ao cristianismo. Por favor, não se acanhe!”:
O Senhor falou conosco face a face, no monte, no meio do fogo.
1 Não terás outros deuses diante de mim. Na opinião do pastor, será este um mandamento da Lei
de Deus que traz escravidão, que é prejudicial ou é contra nós?
2 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus,
nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto;
porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a
terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações
daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos. Deuteronômio, 5.4 a 9. Na opinião do
pastor, será este um mandamento da Lei de Deus que traz escravidão, que é prejudicial ou é contra
nós?
3 Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão.
Na opinião do pastor, será este outro
mandamento da Lei de Deus que traz escravidão, que é prejudicial ou é contra nós?
35
As tolices do pastor Amilton Justus
“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.
Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem
tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro
das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao
sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:811.
Na opinião do pastor, será este outro mandamento da Lei de Deus que traz escravidão, que é
prejudicial ou é contra nós?
5 Honrarás teu pai e tua mãe. Na opinião do pastor, será este outro mandamento da Lei de Deus
que traz escravidão, que é prejudicial ou é contra nós?
6 Não matarás.
Na opinião do pastor, será este outro mandamento da Lei de Deus que traz
escravidão, que é prejudicial ou é contra nós?
7 Não cometerás adultério.
é prejudicial ou é contra nós?
Será que este outro Mandamento da Lei de Deus traz escravidão, que
8 Não furtarás.
Será que este outro Mandamento da Lei de Deus que traz escravidão, que é
prejudicial ou é contra nós?
9 Não dirás falso testemunho.
Será que este outro Mandamento da Lei de Deus que traz
escravidão, que é prejudicial ou é contra nós?
10 Não cobiçaras a casa de teu próximo nem desejarás a sua mulher, nem coisa alguma que
lhe pertença. As Escrituras Sagradas. Êxodo, 20.
Na opinião do pastor, será este outro
mandamento da Lei de Deus que traz escravidão, que é prejudicial ou é contra nós?
“E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa
liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão”. Gálatas 2:4
“Então, nobre pastor, depois dessa apresentação bíblica, o senhor ainda ousa julgar que Paulo se
referia às Dez Leis das Rochas de Deus contendo elementos de escravidão? Como o Senhor Deus
cravaria, nas Rochas, para obediência, leis que nos escravizariam? Cadê o Deus da bondade?
Ou será que Paulo se referia às leis nocivas vividas pelos judeus, que realmente escravizavam
(descritas abaixo), leis nocivas essas que, sob a ira do apóstolo Paulo, um grupo de Gálatas tentou
introduzir no Evangelho, segundo Gálatas 2:4?” (Essas leis só vigoraram até João).
“Então, nobre pastor, me aponte quais ou qual desses mandamentos são contra nós ou nos são
prejudiciais e que por isso mesmo “foram removidos por Jesus”, o Cristo de Deus?”
“... tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual
nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz”. Segundo Colossenses, 2.14.
“Aposto dez por um que, como todos os demais, o nobre pastor não terá a coragem de apontar
diretamente um só mandamento do Decálogo que possa encaixar-se em Colossenses 2:14-16, nos
trazendo escravidão, maldição ou que se apresenta nocivo e contra nós cristãos, pois saberá que se
apontar um só que poderia trazer-nos conteúdo nocivo estará se revelando um servo de Satanás por
causa da hipocrisia ao indispor-se violentamente contra Deus e seus desígnios”.
TRIGÉSIMA RAZÃO
36
As tolices do pastor Amilton Justus
O SÁBADO DO DECÁLOGO TEM UMA PARTE MORAL E ETERNA, E UMA OUTRA
CERIMONIAL E TRANSITÓRIA.
A parte moral: Um dia em sete.
A parte cerimonial: Um dia fixo de descanso.
O aspecto cerimonial, isto é, o dia fixo de descanso, é mutável. Jesus mostrou isso (Mateus
12:5; João 7:21-23).
Guardamos o Domingo porque é o dia do Senhor Jesus Cristo, isto é, poruqe Jesus Cristo,
completada sua obra redentora, nele "descansou", quando ressuscitou dos mortos e
assentou-se à destra da Majestade, nas alturas..
Estudando-se o Novo Testamento concluímos que a Palavra de Deus não atribui nenhum
significado litúrgico ao dia da ressurreição, simplesmente porque esse acontecimento foi visto
apenas como uma realidade existencial experimentada pelo poder do cristo vitorioso até
sobre sua própria morte. De modo algum a ressurreição de Jesus pode ser vista como uma
prática litúrgica, associada ao culto dominical. Cristo, que havia ressuscitado a outros, não
poderia ser vencido pela morte, por isso mesmo reviveu seu corpo na Terra!
Deus nunca mandou guardar domingo algum que na época de Jesus era uma segunda-feira
comum.. Se fosse possível mudar o dia de sábado para domingo, Jesus e seus apóstolos
seriam imensos contraditórios,.pois se guardavam os sábados, já mostrados aqui, não tem
como apegar-se ao domingo como Dia do Senhor. No mais Jesus seria o maior contraditório
do mundo ao reger que os céus e a Terra acabarão antes que das leis se consiga retirar um
só til, e a lei do sábado(que contém 80 palavras ou 433 caracteres) está intrínseca. No mais
Jesus revelou que O SÁBADO FOI CRIADO PARA O HOMEM, então, se pudesse ser
possível abominar os sábado a favor do tal domingo, isso teria de estar repetidamente escrito
no Evangelho, PRINDIPALMENTE no Evangelho de Paulo, mas ao contrário PAULO SE FEZ
MOSTRAR LEVANDO QUASE TODA A CIDADE A LOUVAR AOS SÁBADOS, portanto O
sábado é para sempre!!!
Waldecy A Simões
[email protected]
www.segundoasescrituras.com.br
37
Fly UP