...

Novo espaço na Serra gaúcha aproxima BRDE das

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

Novo espaço na Serra gaúcha aproxima BRDE das
Informativo Mensal do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul
Agência do Rio Grande do Sul / Ano 2 / nº 13 / Maio de 2013
Vera Ambrozi
À exemplo de cidades como Pelotas, Lajeado e Passo Fundo, onde
o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) já possui
representantes com status gerencial, agora é a vez de Caxias do Sul ver
ampliada a presença e atuação do banco. Com novo Espaço de Divulgação inaugurado em maio, na sede da Câmara da Indústria, Comércio e
Serviços (CIC) do município, sob o comando do gerente-adjunto André
Gotler, o banco terá mais condições de entender o universo e as necessidades da região. “O novo espaço vai aproximar ainda mais o banco da
comunidade empresarial da Serra, facilitando o acesso ao crédito e incentivando o investimento produtivo na região”, afirma Carlos Henrique
Horn, presidente do BRDE.
Somente nos quatro primeiros meses de 2013, o banco captou mais
de 60 possíveis negócios na Serra. A meta para o restante do ano é atingir
R$ 180 milhões em financiamentos na região. E opções de crédito não faltam para isso: BNDES-Automático, Finame-PSI (atualmente com taxa de juros
fixa de 3% ao ano) e Revitaliza são algumas das mais
Tecnovidro foi uma das empresas que cresceu
de 30 linhas disponíveis. Para projetos inovadores
com financiamentos do BRDE
oriundos de micro, pequenas e médias empresas, a
novidade é o Inovacred, linha da Agência Nacional
História de parceria
de Inovação (Finep). “Queremos investir bastante na
“O banco foi um dos responsáveis pelo cresindústria local”, destaca Gotler.
cimento de boa parte das grandes companhias da
A Serra mostra seu potencial em números roSerra. Queremos retomar esse trabalho de fomenbustos: das 500 maiores empresas do Sul do Brasil,
to às pequenas e médias empresas”, assinala Go20 estão instaladas na Serra; a região detém o tertler. De fato, no “baú” de financiamentos do BRDE
ceiro maior PIB do RS; e é considerada o segundo
desfilam aportes para grande parte das maiores
maior polo metalmecânico do Brasil, atrás apenas
empresas de segmentos simbólicos da região,
de São Paulo. Caxias do Sul, a principal cidade da
como vitivinicultura, polo moveleiro e indústria
Serra, é dona do 33° maior PIB do país. Jorge Demetalmecânica.
xheimer, analista de projetos da Gerência de PlaNão é de hoje que a Serra gaúcha vem denejamento do banco, que atuou por cerca de dez
senvolvendo um forte potencial de crescimento
anos na Serra, lembra o papel primordial do BRDE
BRDE contratou R$ 59 milhões em
econômico para o Rio Grande do Sul. Constituída
no crescimento de empresas da região. Ele cita
financiamentos para a Vitivinicultura em 2012
por 33 municípios, entre eles Caxias do Sul e Bento
como exemplo a Tecnovidro, fabricante de vidros
Gonçalves, a região ostenta o terceiro maior PIB do RS – atrás apenas
localizada no município de Farroupilha. “O BRDE viu essa empresa cresda região Metropolitana e Vale dos Sinos. Somente em Caxias do Sul
cer junto com os financiamentos do banco”, recorda Dexheimer. Hoje
estão instaladas gigantes como a Tramontina, Randon, Agrale, Guerra
com 25 anos de mercado, a Tecnovidro aumentou o faturamento e doe Marcopolo. Tal pujança não poderia ficar de fora do radar do BRDE.
brou o mix de produtos. Mais recentemente, o BRDE selou o financiamento da nova unidade da fabricante de peças e acabamentos plásticos
Acrilys, de Caxias do Sul.
Onde encontrar o BRDE na Serra
O objetivo do BRDE na Serra gaúcha é claro: apoiar cada vez mais
os clientes, que são os protagonistas do desenvolvimento, fomentando
Endereço: Câmara da Indústria, Comércio e Serviços (CIC), rua Ítalo
com mais vigor o crescimento das empresas locais. “Com um gerente na
Victor Bersani, 1134 - Jardim América, Caxias do Sul – RS - 95050-520 Serra conseguimos aproximar o banco dos empresários, conviver mais
na sede da Câmara da Indústria, Comércio e Serviços (CIC)
de perto com a realidade regional e buscar soluções mais ágeis para as
Contatos: (54)3218-8044 ou (51)9658-8264
demandas das empresas”, explica Gotler.
Divulgação
Novo espaço na Serra gaúcha
aproxima BRDE das empresas da região
PROTAGONISTA DO DESENVOLVIMENTO
Um ano de
alavancagem
para o BRDE
Vidroforte e BRDE
renovam parceria de
mais de duas décadas
Carlos Henrique Horn e José Hermeto Hoffmann*
Vera Ambrozi
ARTIGO
O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo
Sul divulgou recentemente o resultado financeiro das
operações relativas ao ano passado. Fechamos o exercício de 2012 com um lucro líquido de R$ 83,4 milhões, encorpando ainda mais a alavancagem da instituição. No
saldo dos financiamentos por setor econômico, a agropecuária respondeu por 33,9%; a indústria por 32,9%;
comércio e serviços, 20,7%; enquanto o setor de infraestrutura representou 12,5% do total. O ativo total do banco, com a soma dos resultados do ano passado, atingiu
R$ 9,3 bilhões e o patrimônio líquido, R$ 1,33 bilhão.
Empresa é detentora de tecnologia mundial no beneficiamento de vidros especiais
Some-se a estes números o aporte esperado de recursos oriundo da capitalização do BRDE, que em 2013
terá injetados R$ 400 milhões em seus cofres para a ampliação dos financiamentos a projetos de investimento
na região Sul. O aporte será um acontecimento histórico, visto que um reforço de caixa como este, por parte
dos estados, não acontece há pelo menos três décadas
no banco. Este processo terá como principal resultado a
ampliação da capacidade do BRDE de alavancar recursos
para financiar o desenvolvimento da região.
A estimativa é de que, para os três estados, a captação junto ao BNDES amplie em cerca de R$ 1,3 bilhão
por semestre. Expectativa que reforça nossa projeção de
um 2013 excelente em desempenho operacional. Em
solo gaúcho, o banco está engajado na recuperação da
indústria, que teve queda de rendimento no ano passado. O reforço da presença do banco na Serra gaúcha e o
Inovacred, linha que passou a ser operada em maio pelo
BRDE, são mais dois estímulos nesta direção. Com este
aumento de capital ampliamos a alavancagem de mais
recursos para viabilizar prioridades na indústria e infraestrutura, sem prejuízo da atuação na agroindústria.
*Presidente do BRDE e diretor Administrativo do BRDE
Cliente do BRDE desde a década de 90, a Vidroforte assina neste ano seu 18°
contrato com o banco. Desta vez, o projeto resultará em uma das maiores unidades de beneficiamento de vidros de proteção da América Latina. Com o financiamento, a empresa implantará sua nova filial no município de Três Cachoeiras,
onde está em construção a unidade de produção de vidros planos e automotivos,
destinados à construção civil e montagem de veículos.
O pavilhão industrial, com área de 14 mil m², destaca-se pelo alto nível de
automação empregado, o que trará excepcional ganho de produtividade. Outro
destaque são os evoluídos conceitos de sustentabilidade adotados, como o aproveitamento da energia solar e o sistema de reaproveitamento da água utilizada
durante o processo de beneficiamento. Com sede em Caxias do Sul, a Vidroforte
receberá R$ 9,5 milhões em financiamentos do Programa Revitaliza e Finame, mais
R$ 6,4 milhões enquadrados no Progeren, programa de capital de giro, além do
investimento que fará com recursos próprios.
Detentora de tecnologia mundial no beneficiamento de vidros especiais, a
empresa é fornecedora dos segmentos automotivo (montadoras e reposição),
construção civil (temperados, laminados e insulados), especiais (trens, metrôs,
embarcações náuticas, máquinas agrícolas), antivandalismo e de segurança, além
da linha de eletrodomésticos e moveleira.
ENTRANDO NA LINHA
Programa Inovacred
O BRDE agora é repassador do recém-lançado Programa Inovacred, da Finep,
que financia micro, pequenas e médias empresas, com receita operacional bruta
anual de até R$ 90 milhões, em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação
de produtos e processos, e inovações organizacionais e em marketing. Suprindo
uma atividade que até então era esparsa e parcialmente enquadrada em outros
programas, o Inovacred é uma linha específica para empresas que desejam investir em inovação, tecnologia, treinamento de pessoal e avanços em softwares,
aumentando a qualidade dos produtos e a competitividade do empreendimento.
Serão aceitos projetos entre R$ 150 mil e R$ 10 milhões de reais, com taxa de juros
equivalente à TJLP – atualmente em 5% ao ano. O período de carência é de 24
meses, com prazo de oito anos para quitação.
PERSPECTIVAS
Finep traz novo impulso
a quem quer inovar
Confira as atividades apoiáveis
Atividades que contribuem para a geração de conhecimento
- demonstração de conceito e simulação, quando associados à inovação;
- desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços;
- protótipo e prototipagem;
- engenharia básica (concepção e definição dos parâmetros desconhecidos
para detalhamento de projetos-engenharia não rotineira);
- absorção de tecnologia.
Atividades que utilizam e/ou aprimoram o conhecimento
- compra e adaptação de tecnologia (inclusive assistência técnica);
- aprimoramento de tecnologias, produtos, processos e serviços;
- Infraestrutura de P&D;
- desenho industrial;
- planta piloto (scale-up);
- comercialização pioneira.
Atividades que dão suporte à utilização do conhecimento
- implantação de sistemas de controle de qualidade;
- metrologia, normalização, regulamentação técnica e validação de conformidade
(inspeção, ensaios, certificação e demais processos de autorização);
- pré-investimento (estudos de viabilidade, estudos de mercado, planos de negócios,
planos de marketing, e prospecção tecnológica);
- modelos de negócios inovadores.
BRDE estreia nas telas
Desde o ano passado, o BRDE atua como agente financeiro dos recursos gerenciados
pela Agência Nacional de Cinema (Ancine). Em menos de um ano de parceria, já foram
selecionados 84 projetos para receber recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), totalizando R$ 107,1 milhões. As primeiras atrações produzidas com recursos administrados
pelo banco, o filme “Somos tão jovens” e as séries “As Canalhas” e “Três Teresas”, estrearam
no início de maio.
O FSA possui duas modalidades de editais - a primeira, encerrada em 2012, contemplou 41 projetos através de concurso público, e totalizou R$ 50 milhões. A segunda somou até agora R$ 57,1 milhões, valor distribuído em 43 projetos, mas os quatro editais
permanecem abertos até o dia 31 de maio. Para ser contemplado nestes editais, o projeto
não precisa competir com outros, basta ser aprovado nas análises e avaliações para receber
financiamento.
Durante a 25ª edição da Interiorização
do governo do RS, o governador do estado,
Tarso Genro, e o diretor-administrativo do
BRDE, José Hermeto Hoffmann, anunciaram o
financiamento de R$ 4,15 milhões para a Cooperativa Tritícola Mista Campo Novo (Cotricampo), além dos convênios com a Associação
Gaúcha dos Empreendimentos Lácteos (Agel)
e com a Cooperativa de Crédito Rural Horizontes Novos (Crehnor). Hoffmann, que também
atua como representante da Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento
(SDPI), detalhou as ações da secretaria na região Celeiro, no norte do estado.
A saber: o financiamento com a Cotricampo servirá para a ampliação da capacidade de
armazenagem e modernização da cooperativa, que atualmente conta com 10.430 associados. O novo contrato de convênio firmado
entre com a CREHNOR amplia o limite total de
financiamentos dos associados da cooperativa de crédito para aquisição de equipamentos
para R$ 9,2 milhões, através do PRONAF Investimento. E o convênio com a Associação Gaúcha dos Empreendimentos Lácteos (Agel) tem
a finalidade de dar acesso aos participantes
do Arranjo Produtivo Local (APL) da região a
recursos financeiros operados pelo BRDE.
Camila Domingues / Palácio Piratini
Empresas que investem na inovação de seus produtos e processos estão mais preparadas
para enfrentar a concorrência no mercado. E agora, mais do que nunca, o BRDE é um aliado de
quem deseja fazer diferente. No mês de abril, durante a assembleia da Associação Brasileira de
Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ABDE), o banco assinou contrato de parceria com a
Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP, ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Com isso,
passa a operar o Programa Inovacred, que abre espaço para financiamento de uma diversidade de
iniciativas que contribuem para a geração, aprimoramento e suporte ao conhecimento (ver box).
O banco estreia a nova linha já com três projetos em análise, enquadrados nas especificações da linha, cujo valor total é de R$ 7 milhões. O BRDE possui uma dotação inicial de recursos
de R$ 80 milhões para apoiar projetos de inovação na região Sul. De acordo com o presidente da
instituição, Carlos Henrique Horn, a projeção é de que o montante inicial seja ampliado, já que se
espera razoável demanda pela linha. “O Inovacred supre uma necessidade na área da inovação, já
que muitas vezes despesas com inovações não se enquadram nos programas existentes”, afirma
Horn. Agora o crédito para certificações, treinamento de pessoal e avanços de software, dentre
outros itens, passa a contar com uma linha específica de atuação.
Cotricampo absorve toda a produção regional de trigo
O BRDE assina neste mês convênio com a
Associação de Garantia de Crédito da Serra Gaúcha (GarantiSerra), sediada em Caxias do Sul. A
formalização da parceria acontece durante a reinauguração do espaço de divulgação do banco
na Serra, localizado na CIC de Caxias. A parceria
disponibiliza R$ 1 milhão para a associação, o
que amplia o aporte destinado aos associados
de micro, pequeno e médio porte da região do
Corede Serra. A parceria do BRDE com a GarantiSerra confirma o apoio ao desenvolvimento da
região, em benefício daquelas empresas que
precisam de crédito para investimento produtivo, mas que não possuem garantias suficientes
para aprovar um financiamento. A GarantiSerra
fica responsável por encaminhar a documentação necessária para a análise de crédito e, no
caso de aprovação pelo BRDE, a documentação
referente à fiscalização da operação.
Ping-Pong
André Gotler
FOMENTANDO A VITIVINICULTURA
Gerente Adjunto de Planejamento
da Região da Serra)
Rolf Dreher
Quando os primeiros colonos italianos chegaram ao Rio
Grande do Sul, há mais de 100
anos, trouxeram na bagagem
dois elementos de grande importância ao estado: mudas de
uvas europeias e a cultura de
beber vinho. Esse episódio foi essencial para definir a situação da
vitivinicultura gaúcha, que superou as pragas, cresceu em distribuição, variedade e qualidade,
e hoje impulsiona a economia
do estado principalmente com
o crescimento das exportações.
Apenas em 2012, as vendas de
vinhos para o mercado externo
aumentaram 40%. No mercado
interno, o acréscimo foi de 10%
em cinco anos.
O BRDE, como principal
banco de fomento na região serAla de tanques de suco de uva da Vinícola Salton, financiada pelo BRDE
rana, participa desse crescimento. No ano passado, foram R$ 59
milhões contratados para a vitivinicultura. Os valores investidos destinaram-se a melhorias
nos parreirais, plantio, infraestrutura, compra de máquinas, modernização de fábricas, entre
outros. Somente no primeiro trimestre de 2013 foram repassados R$ 25 milhões e outros R$ 15
milhões estão em análise. “O que tem predominado no setor é a aquisição de equipamentos
e construção civil”, informa Eliete Bierhals, gerente adjunta de operações industriais, confirmando o uso dos recursos na ampliação da capacidade de produção em tecnologia. O BRDE
apoia a vitivinicultura com os seguintes programas: BNDES Automático, Finame, Progeren,
Moderagro e Moderinfra.
No panorama atual da vitivinicultura, o que predomina é a produção de vinhos de mesa,
destinando a maior parte da colheita para este fim, mas os vinhos finos têm ganhado destaque nos últimos anos. A produção de vinhos espumantes de alta qualidade detém excepcional tecnologia enológica, e a região serrana vem investindo forte em inovação nesse nicho.
Em nível nacional, o solo brasileiro é considerado um dos melhores do mundo para o cultivo
de uvas destinadas à produção de vinhos e espumantes, e isso tem possibilitado o crescimento do setor dentro e fora do Brasil.
Vera Ambrozi
Exportações injetam ânimo
e qualidade ao setor
expediente
BRDE – Diretor Presidente: Carlos Henrique Horn | Vice-Presidente e Diretor Financeiro: Jorge Gomes Rosa Filho | Diretor Administrativo:
José Hermeto Hoffmann | Diretor de Planejamento: Renato de Mello Vianna | Diretor de Operações: Neuto de Conto | Diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito: Nivaldo Assis Pagliari
Agência do Rio Grande do Sul – Rua Uruguai 155 – Porto Alegre/RS. Tel (51) 3215.5211 – Superintendente: Paulo Raffin | Espaço de
Divulgação BRDE Região da Serra – Rua Ítalo Victor Bersani, 1134 – CIC Caxias do Sul/RS – E-mail: [email protected] | Espaço de
Divulgação BRDE Região do Planalto – Rua General Neto, 443 – 5º Andar – ACISA – Passo Fundo/RS – E-mail: [email protected]
| Espaço de Divulgação BRDE Região dos Vales – Rua Silva Jardim, 96 – ACIL – Lajeado/RS – E-mail: [email protected] | Espaço
de Divulgação BRDE Metade Sul – Rua Sete de Setembro, 274/603 – Associação Comercial Pelotas/RS – E-mail: [email protected]
Assessoria de Comunicação BRDE – Assessora Geral de Comunicação: Aline Tyska – Assessora de Comunicação no RS: Adriana Zottis –
Secom: Carmen Lotuffo, Carlos Pujol e Luciano da Rosa – Estagiários: Cecília Menta e Rodrigo Azevedo
O BRDE participa do Sistema de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul, conforme o decreto de nº 48.396, de 26 de setembro de 2011.
www.brde.com.br
“Vamos apoiar mais
investimentos em
divulgação das linhas de
crédito”
“Vamos apoiar mais investimentos em divulgação das
linhas de crédito”
Qual a principal diferença de atuação do novo
espaço de divulgação da Serra para o antigo?
O escritório antigo não dispunha de uma gerência, somente uma pequena estrutura de apoio
para os analistas do banco que visitavam a região
semanalmente, com o trabalho de um estagiário e
instalações modestas. Agora, a partir da criação da
Gerência Adjunta de Planejamento para a região da
Serra e a mudança para uma sala maior e melhor
localizada, o BRDE passará a atender com maior agilidade e rapidez aos clientes. Também ampliaremos
os meios de divulgação do crédito. Com um gerente na região conseguimos aproximar o banco dos
clientes, entender melhor as necessidades da região,
dar apoio ao trabalho da análise de financiamento e
de acompanhamento e recuperação de crédito.
Que linhas de crédito terão possivelmente terão
mais procura por parte das empresas da Serra?
As linhas são as que o banco oferece, focadas no
crédito de longo prazo para o investimento produtivo, mas cada região tem sua especificidade. Na Serra
nossos principais clientes são as indústrias, que procuram principalmente linhas para investimento fixo:
BNDES-Automático, Finame-PSI, Revitaliza e linhas
para capital de giro, tais como BNDES-PROGEREN.
Quais são as cidades com maior potencial de
captação de clientes?
Atenderemos os empreendedores de todas as
cidades, sendo que os principais municípios são Caxias do Sul, Farroupilha, Bento Gonçalves, Vacaria,
Flores da Cunha e Antônio Prado.
Fly UP