...

Curtir, compartilhar e continuar no sofá

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

Curtir, compartilhar e continuar no sofá
SOCIEDADE & AMBIENTE
Site: www.aipan.org.br
Fone: (55) 3333-0256
Curtir, compartilhar e continuar no sofá
Sejamos
mega sinceros meu camaradinha:
curtir, compartilhar e
continuar no sofá não tem, digamos assim, pra não ser radical nem desrespeitosa com
"vossa pessoa," extraordinária
serventia ou de valor insubstituível, se comparado a ações e
práticas constantes, junto a sua
comunidade. Ainda que as intenções on line sejam de fato
as melhores possíveis e milhares de clicks (tu e eu: incluirme-ei também), contribuam
para dias melhores na vida de
outras espécies ao redor do planeta, em longínquos rincões...
Porque continuar no sofá,
curtindo ou descurtindo dependendo do caso, através do computador ou ferramentas compatíveis é, desculpe a sinceridade,
quase um desleixo (pausa para
meditação... enquanto eu conto cinco minutos com Jesus!).
Pués bién... hoje não vou
escrever nesse artigo sobre a
tragédia de Mariana, que você
já sabe tudinho, cada detalhe
horripilante. Nem vou escrever
sobre o encontro (e as múltiplas celebridades sorridentes
em frente aos holofotes),do clima em Paris, que você já está
acompanhando igualmente
passo a passo pela televisão.
Nem sobre o contínuo descaso no nosso canil municipal
e o seu desfecho ainda imprevisível. Ou a suposta discrepância
entre a quantidadede lixo que sai
de Ijuí versus a quantidade que
chega ali em Giruá, que por enquanto suscitam dúvidas cruéis!
Não vou descrever o péssimo estado das ruas e o trabalho interminável da Corsan na
conclusão da bendita estação de
tratamento. Não vou especificar
a troca, troca de cadeiras na Secretaria Municipal de Meio Ambiente que causam tristeza ainda
maior, graças a pouca atenção
que o Poder Público dispensa a
ela, que na minha humilde opinião é uma das secretarias mais
importantes dessa e de qualquer
administração pública que mereça respeito ou que se preze!
Não vou falar sobre o índice
crescente (e alarmante) da presença do mosquito da dengue,
pra não dar créditos "a essa gangue", porque somos nós que permitimos com "nossa porquice diária" que ele, o mosquito, realmente tome conta do pedaço.
Não vou listar coisas do tipo:
sim, continuamos atravessando a
rua fora da faixa de segurança. Sim,
continuamos jogando papel de bala
no chão e latas e garrafas vazias
de cerveja na calçada, folhetos de
propagandas em qualquer lugar,
menos onde se diz "reciclar". Sim,
nós continuamos cometendo os
mesmos pecados de sempre.
Não vou encher sua paciência, digitando nesse nobre espaço que você realmente não pre-
cisa trocar seu celular, seu smartphone, seu tablet ou seu notebook a cada final de ano, porque a vida útil de todos eles,
salvo descarga elétrica, banho
de chuva ou tombo de uma escada de 15 degraus, duram bem
mais do que você imagina.
Não vou torrar seu dia, dizendo que você pode diminuir
sensivelmente seu nível de stress
aprendendo a fazer origami,
bonsai, cultivar mudas de plantinhas em garrafas pets, criar
peças de artesanato com jornais
e revistas velhas, cuidar de uma
hortinha no fundo do pátio ou
na mais profunda acepção da
palavra "caridade," dar uma geral no seu guarda roupas no próximo final de semana e doar dezenas de peças de roupas que
estão lá estocados, apenas para
recreação das tracinhas e sua infinidade de parentes!
Não vou estender o convite
para que você conheça (e se
enganje) o trabalho fantástico
de ONGS como Aipan, Bandeirantes do Verde, AAAI, Gicai e
demais... Não quero parecer xarope, pedante ou insistente, tentando remover você aí da sua
zona de conforto, estendido na
frente do sofá, achando que vai
salvar o mundo em um ou dois
clicks. Mas se liga miguxo... sua
cidade precisa de você bem mais
do que você imagina!
Régis Mubarak
A Cronista em jornais impressos
e portais de notícias do RS e SC.
Fly UP