...

hexagrama 55: lidando com a abundância

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

hexagrama 55: lidando com a abundância
HOME
Texto complementar
1
HEXAGRAMA 55: LIDANDO COM A ABUNDÂNCIA
JULGAMENTO
“LIDANDO COM A ABUNDÂNCIA exerce-se influência, mas um
rei afasta-se dela sem lamentar-se [porque é] correto como o
sol ao meio-dia.”
Este hexagrama revela, para quem o obteve, uma situação
de prosperidade crescente ou de plenitude, de abundância
material e/ou espiritual: há o sentimento de que as coisas se
realizam e completam, de que não falta nada, satisfação total.
As pessoas que estão vivendo essa situação de
enriquecimento abundante podem ter ou não ter consciência
dela. O arranjo feliz das circunstâncias pode não ser ainda
aparente ou não se ter assentado de todo, mas o momento
existe, presente ou latente: com relação ao assunto da consulta,
as coisas ou já estão em ou se dirigem para um estado de
completude positiva.
Podem-se
consulente:
distinguir
três
situações
básicas
para
o
a) Se a pessoa tirou apenas este hexagrama na consulta, o
oráculo para ela é principalmente uma mensagem afirmando que
está tudo bem e recomendando que a pessoa aproveite as coisas
boas do presente ao invés de lamentar que elas um dia
passarão. Do mesmo modo, a pessoa não deve se preocupar em
aumentar a abundância material ou prolongar a plenitude
espiritual, porque isso poderia levar ao excesso que, como todo
desequilíbrio, é prejudicial e é um risco que existe na situação.
b) Se este hexagrama saiu como segundo na consulta, é
sinal de que um período de plenitude, de ausência de motivos
para preocupação, deverá seguir-se às circunstâncias indicadas
pelo hexagrama obtido primeiramente. Uma vez atingido aquele
estágio, valem também para este consulente as recomendações
da situação a.
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
2
c) Se este hexagrama saiu como primeiro da consulta, com
linhas mutantes, a mensagem é de que a situação de plenitude
ou já é presente ou é iminente, e novamente vale o conselho
para usufruir tranquilamente a situação, porém atentando antes
ao que é revelado ou recomendado pelas linhas que lhe saíram.
Tudo indica que a época da abundância ou a sensação de
plenitude é passageira, não vai durar para sempre, está inserida
no movimento geral da vida e por isso será alterada, mas não
necessariamente para pior. As coisas não são estáticas, estão
sempre em movimento, sempre em mutação, e cabe à pessoa
tirar o melhor partido de cada momento, de cada etapa do
processo. Isso fará com que ela usufrua plenamente aquele
momento e constituirá uma preparação para o momento
seguinte que será, naturalmente, outro, diferente.
A tendência dos fatores ora reunidos é se expandirem e
depois se dispersarem, na sua evolução normal. Isso exigirá
ações, providências, desprendimento de energia para o alcance
de objetivos que por ora não se impõem, para a superação de
obstáculos que por ora não aparecem. Então não é para se
preocupar com isso por enquanto.
O sujeito da consulta é comparado a um rei que, tendo
atingido um ápice, se engrandece ainda mais, e a um sol que
atinge o zênite, duas personagens que expressam poder,
abundância, manifestação plena e abrangência, e é nisto que a
pessoa deve pôr o seu empenho no momento: em usufruir da
sua posição favorável e compartilhá-la com os outros, em
expandir-se, expressar-se, ser ela mesma inteiramente, com
toda a liberdade e despreocupação.
O oráculo mostra ainda que a abundância e a grandeza se
originam da ação dirigida pela clareza do raciocínio.
IMAGEM
"Trovão e relâmpago atingem o máximo, a imagem de LIDAR
COM A ABUNDÂNCIA. Assim, o sábio decide os processos e
executa as penas."
A Imagem recomenda que, tão logo se atinja o ponto
culminante em um determinado setor da vida, trate-se de
eliminar correta e rapidamente qualquer problema pendente,
fazendo o que tiver de ser feito contra os responsáveis, porque o
momento da plenitude é, via de regra, tão raro, passageiro e
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
3
precioso que não se pode permitir que seja perturbado por
questões conflituosas ou desagradáveis.
Para garantir a rapidez e eficiência no cumprimento das
suas determinações, a pessoa deve agir com tal vigor que
impressione e até infunda um certo medo naqueles que devem
atendê-la.
E para garantir a correção e justiça das suas
determinações, a pessoa deve ter uma visão clara e nítida de
todos os elementos em questão.
Se, entretanto, a época da abundância ainda não se
instaurou, a Imagem é um conselho para que os assuntos
pendentes sejam resolvidos com rapidez, eficiência, correção e
justiça, a fim de criar o ambiente propício para atingir e viver
adequadamente uma situação de prosperidade, abundância e
plenitude.
1ª LINHA (9)
“Encontra seu parceiro e senhor. Se for só por dez dias não
há erro; avançar, ainda que desordenadamente, traz elogios.”
O oráculo para quem obteve esta linha é, em princípio,
favorável.
A pessoa a quem a linha se refere encontra alguém com
quem possui afinidade, com quem se identifica, e ambos se dão
apoio mútuo. Provavelmente um dos dois é o sujeito da consulta.
Além do grande entrosamento entre eles, cada um ainda
mantem, por si mesmo, boas relações com as pessoas do seu
círculo mais próximo.
A união é corretíssima. Por isso a ação, tanto em busca da
união - se ainda não concretizada no momento da consulta –
quanto decorrente da união, também será correta, durará o
tempo devido, terá bom resultado e obterá reconhecimento.
Porém, tentar prolongar indefinidamente uma dedicação
exclusiva poderá ser prejudicial.
O que a pessoa desta linha não deve fazer, no momento, é
tentar agir por conta própria na busca de coisas importantes,
porque isso não daria certo. Daria errado.
Em resumo, a pessoa da 1ª linha encontra ou busca
satisfação plena num relacionamento, num convívio agradável e
proveitoso para todos os envolvidos, seja na família, no trabalho,
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
4
no amor, na política, na área em que for. Deve tratar de usufruir
dos benefícios dessa associação, tanto no repouso quanto na
atividade, sem se preocupar com a sua duração.
2ª LINHA (6)
“Suas cortinas são tão abundantes que ao meio-dia vê a Ursa
Maior. Avançar desordenadamente gera dúvidas e sofrimento,
mas tendo confiança parecem sumir; benéfico.”
A 2ª linha do hexagrama 55 mostra alguém que, embora
estando no meio da claridade, não consegue ver.
Para essa pessoa a situação está completamente
enevoada, confusa, e ela só consegue vislumbrar a resolução da
questão que a levou à consulta como algo muito distante e
impalpável.
A pessoa está no meio-dia e se comporta como se
estivesse à noite. Se tentar agir imbuída desse estado de espírito
sua ação não terá bom sucesso.
Pode ser que seja a sua própria insegurança que acaba
gerando, nos outros, principalmente naqueles que detêm o
poder, falta de confiança na sua capacidade e falta de
valorização da sua pessoa. O fato é que existe uma interferência
negativa de terceiros atrapalhando a relação da pessoa da 2ª
linha com os poderosos da situação e, consequentemente,
dificultando-lhe o alcance dos objetivos.
Para alcançar o que deseja a pessoa deve, antes de mais
nada, afastar todas as cortinas, para ver e mostrar francamente
o que quer. Ela verá que o que quer não é tão inatingível assim:
pelo contrário, é mais acessível do que pensa. Do mesmo modo,
verá que os poderosos não são tão poderosos assim: por trás da
sua posição são pessoas como ela, que tem suas fraquezas e são
capazes de sensibilizar-se.
Depois, ela deve ver que a sua situação pessoal não é de
desvalia e abandono: ela é racional, equilibrada, e possui amigos
ou, pelo menos, bons relacionamentos. A sua posição é boa,
dentro das circunstâncias.
E, finalmente, ela deve atuar sendo ela mesma, em toda a
sua inteireza, sem se preocupar com opiniões próprias ou
alheias, encaminhando-se suave e discretamente na direção
desejada, com naturalidade, sem desistir nem forçar. Deve
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
5
lembrar-se do JULGAMENTO deste hexagrama e ser "como o sol
ao meio-dia.”
3ª LINHA (9)
“Seus véus são tão abundantes que ao meio-dia vê espíritos
malignos e monstros; quebra seu braço direito, mas não
erra.”
A pessoa da 3ª linha tem que se virar sozinha, porque
perde seu apoio principal e não vai recuperá-lo tão cedo. Ela não
tem culpa dessa carência que a impede de agir por um certo
tempo.
No momento ela se julga perdida: quer avançar mas não
vê mais o caminho e assim não pode fazer o que importa. Não
há pessoas ou elementos que possam ajudá-la. Aquele que
poderia ajudá-la afastou-se e fechou as portas, não só para ela,
mas para todos. Perto dela, aqueles com quem mantém relações
são fracos e estão ocupados com seus próprios interesses.
Se ela conseguir superar o choque de se ver sozinha,
constatará que, apesar dos danos sofridos, não está realmente
perdida ou sem saída no escuro. É o enredamento em que se
meteu que está lhe obstruindo a visão do real e provocando a
visão de problemas imaginários: além do pântano o sol brilha, é
meio-dia e ela está no meio-dia.
Ela possui as capacidades de percepção, penetração e
expressão. Assim, deve armar-se dessas habilidades e aguardar
a ocasião de agir, sem se angustiar.
4ª LINHA (9):
“Suas cortinas são tão abundantes que ao meio-dia vê a Ursa
Maior, [mas] encontra seu igual e senhor. Benéfico.”
Para o sujeito desta linha o oráculo distingue dois
momentos consecutivos, podendo ser um passado e um
presente, ou um presente e um futuro.
O 1º momento mostra a pessoa numa situação de inação e
de falta de perspectiva, num estado de espírito pessimista,
achando tudo muito difícil e obscuro. Essa negatividade deve-se
a que a pessoa não encontra, por si mesma, um direcionamento
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
6
a dar a seus impulsos de ação e expressão - sentindo desejo de
agir e de falar - e ao fato de que ela não tem, junto a si, alguém
ou algo que lhe possa dar esse direcionamento com firmeza e
segurança.
O 2º momento mostra a pessoa encontrando alguém a
quem se sente ligada pelas afinidades que existem entre eles, e
que é capaz de dar um direcionamento e um sentido à sua ação.
Estabelece-se a comunicação e a cooperação entre os dois.
Crescimento, em todos os sentidos, é atingido através
desse relacionamento. A ação a partir daí pode desenvolver-se e
há uma grande probabilidade de bom sucesso no assunto da
consulta.
Na verdade, o caminho para a atuação da pessoa da 4ª
linha já era visível desde o início; ela é que não o enxergava,
devido a bloqueios e conflitos internos seus.
Na continuação, a pessoa atinge a compreensão daquilo
que a estava tolhendo, que a impedia de ver e de agir, e libertase definitivamente daqueles problemas, deixando-os para trás e
seguindo seu caminho.
5ª LINHA (6)
“Chega manifestando-se, recebe consolo e elogios; benéfico.”
O oráculo desta linha é extremamente favorável.
A pessoa está numa posição privilegiada, de quem
realmente atingiu a culminância em algum empreendimento
específico ou em algum setor da vida. Porém mantém a
modéstia, apresenta-se igual aos outros em geral.
Ela possui grande capacidade de comunicação e um poder
de penetração carregado de otimismo, que se infiltra mesmo por
entre barreiras e atinge os mais distantes. Quando há alguma
afinidade entre ela e as pessoas abrangidas pela sua influência,
estas se tornam valiosos aliados seus e a ação conjunta gera um
resultado que satisfaz a todos plenamente.
Assim a pessoa da 5ª linha se enriquece abundantemente
pela reunião e também pela dispersão de fatores positivos, os
quais podem ser de ordem pessoal, social, material, etc.,
dependendo do assunto da consulta.
Com isso ela assegura a evolução natural da abundância e
evita o exagero, o que é bom porque a abundância necessita ser
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
7
compartilhada, caso contrário o acúmulo contínuo geraria o
excesso, que acabaria por derrubar-se a si mesmo devido ao seu
“peso” excessivo.
Outra característica do sujeito desta linha é que ele se
mostra, se manifesta, não se esconde, mesmo no auge da
riqueza ou do sucesso, e com isso consolida mais ainda o apoio
dos que o cercam e até dos que estão mais distantes, talvez só o
conhecendo por intermédio de outros.
Neste momento especial de plenitude, a pessoa da 5ª linha
deve simplesmente usufruir da sua felicidade, compartilhando-a
com quem de direito. Deve gozar a satisfação de ser quem é e
de estar onde está. Deve ser ela mesma integralmente, sem se
preocupar com problemas que não existem e tratando de decidir
rapidamente a solução dos que existam e estejam pendentes,
eliminando a possibilidade de que venham a interferir na
harmonia reinante.
Na continuação, as suas possibilidades de ação e de
expressão aumentam, como convém a uma situação de
crescimento. A ação consolida-se: passa de um movimento
rápido, quase impulsivo, para um movimento forte e
consolidado, que atrai seguidores. A própria pessoa torna-se
mais forte e mais bem relacionada, e percebe que, de fato,
efetuou-se uma mudança no assunto que originou a consulta ao
oráculo e que ela está no controle dos acontecimentos (ou deve
assumir o controle) ao invés de ser conduzida por eles.
6ª LINHA (6)
“Sua casa é exuberante e segrega sua família. Espia pela
porta e, desolado pela solidão, por três anos não enxerga.
Prejuízo.”
A 6ª linha representa o egoísmo na abundância.
A pessoa a quem se refere esta linha está, como as outras
indicadas pelo hexagrama, numa situação de crescimento
abundante, quase atingindo a plenitude no assunto da consulta.
A recomendação geral, para quem está na abundância, é o
compartilhamento, a expansão e a manifestação plena; no
entanto, é exatamente o contrário disso que a pessoa faz: ela
retém só para si os seus bens, se esconde, não se comunica
francamente com ninguém. Seu comportamento é antissocial,
desconfiado e egoísta.
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
HOME
Texto complementar
8
O resultado disso é o isolamento e a infelicidade - inclusive
a própria infelicidade de não viver plenamente a abundância – os
quais tendem a se prolongar por bastante tempo.
A tendência é de haver, no futuro, talvez quando a pessoa
envelhecer, uma alteração nas suas condições que a leve a
perder autonomia e a ter dependência de outros, provavelmente
forçando-a a desenvolver um pouco de humildade e amplitude
de visão. Pode ser então que ela tome consciência do quanto sua
atitude anterior estava errada e entre num processo de revisão
dos seus atos.
Elisabete Araujo Leonetti
[Contatar]
Yi Jing: Oráculo chinês interpretado
Fly UP