...

Lista de Exercícios 3

by user

on
Category: Documents
29

views

Report

Comments

Transcript

Lista de Exercícios 3
Lista de Exercícios de Português 3 – 2º Bimestre –> 9º ano
Entrega: 06/06/2014
Nome: ___________________________________________________________________________ 9° ano____ Data: ___ /___/___
Tipos
Caracterização
Figuras
Figuras de palavras
ou tropos
Figuras de
pensamento
Transposição do
sentido literal das
palavras para o
sentido figurado.
Introdução de uma
ideia diferente daquela que a palavra
apresenta.
Comparação, metáfora, catacrese,
metonímia ou sinédoque, antonomásia,
sinestesia.
Antítese, paradoxo
ou oximoro, eufemismo, ironia, hipérbole, personificação
ou prosopopéia,
gradação, apóstrofe.
Figuras de construção ou
de sintaxe
Figuras sonoras
ou "mistério" de mim mesmo. Nesse caso, como você já
sabe, a figura chama-se metáfora.
-> METONÍMIA (ou sinédoque)— uso da parte pelo todo e
vice-versa, ou substituição de uma palavra por outra com o
qual se relaciona, tem relação de sentido:
"Já não há mãos dadas no mundo. / Elas agora viajarão sozinhas. / Sem o fogo dos velhos contatos, / Que ardia por dentro
e dava coragem." (Carlos Drummond de Andrade)
"Nos teus ramos serenos / Há florações eternas / E todas as
bocas se fartarão." (Cecília Meireles)
Mãos e bocas substituem a parte pelo todo, pois se referem
às pessoas (o todo) e não somente a determinadas partes do
corpo. Nesses exemplos, ocorre a figura chamada metonímia.
-> ANTÍTESE — representa o emprego de palavra com sentidos contrários ou opostos.
"Que em vivo ardor, tremendo estou de frio". (Luís Vaz de
Camões)
"Não, meu coração não é maior que o mundo. / É muito menor. / Nele não cabem nem as minhas dores." (Carlos Drummond de Andrade)
"Incêndio em mares de água disfarçado! / Rio de neve em
fogo convertido!". (Gregório de Matos)
Mudança na estrutura da
oração.
Geração de efeitos sonoros.
-> PARADOXO — oposição absurda, exagerada das ideias,
do pensamento.
"É dor que desatina sem doer". (Luís Vaz de Camões)
Hipérbato, elipse, zeugma,
pleonasmo, polissíndeto,
assíndeto, anacoluto, anáfora,
silepse.
Aliteração, assonância, onomatopeia, paranomásia.
Muitas vezes são empregadas palavras ou expressões que
ganham maior expressividade, dentro de um contexto, e enriquecem a linguagem. Esses recursos linguísticos que enfatizam as ideias chamam-se figuras de linguagem, que se
dividem em diferentes categorias como demonstrada no quadro acima.
-> COMPARAÇÃO (ou símile) — comparação clara, com o
emprego da conjunção comparativa "como", expressa claramente na frase.
"O poema deve ser como a nódoa no brim". (Manuel Bandeira)
"Antes que o Sol se vá como pássaro perdido, / também te
direi adeus". (Cecília Meireles)
-> METÁFORA — é uma comparação subentendida ou o
emprego de uma palavra ou expressão em sentido figurado ou
metafórico.
"Os poemas são pássaros que chegam". (Mário Quintana)
"Eu não acho a chave de mim!" (Abel Silva)
A palavra chave é empregada em sentido figurado ou conotativo e não no sentido real ou objetivo, pois significa "segredo"
-> EUFEMISMO — é o emprego de uma palavra ou expressão
por outra para a suavização da linguagem.
Entregou a alma a Deus (morreu).
-> IRONIA — Ocorre quando se diz o contrário, o oposto do
que se pensa, ou quer dizer; normalmente com intenção sarcástica.
“[...] / Quem me dera ouvir de alguém a voz humana, / Que
confessasse não um pecado, mas uma infâmia; / Que contasse não uma violência, mas uma cobardia! / Não, são todos o
Ideal, se os oiço e me falam. / Quem há neste largo mundo
que me confesse que uma vez foi vil? / Ó príncipes, meus
irmãos [...]” (Fernando Pessoa)
Nesse trecho, o eu-lírico insinua, de forma irônica, que há
somente seres perfeitos, já que não encontra quem confesse
suas próprias vilanias.
-> HIPÉRBOLE — é a figura que indica exagero como forma
de expressão das ideias.
Riu tanto que estourou.
"Rios te correrão dos olhos, se chorares..." (Olavo Bilac)
"Custódio enfiou um casaco de alpaca e voou à rua da Assembleia." (Machado de Assis)
-> PERSONIFICAÇÃO (ou prosopopeia) — seres inanimados parecem agir como se fossem seres humanos ou pessoas.
"O rio carrega sua fecundidade podre, grávido da terra negra". (João Cabral de Melo Neto)
d) "Eu sem você / sou chama sem luz / jardim sem flor / luar
sem amor [...]" (Vinícius de Moraes)
“A chuva bateu na minha janela / veio conversar comigo / tão
melancólica / tão fina. / falou-me de tristezas esquecidas.”
(Francisco Assis Barbosa)
e) "E assim o operário ia / Com o suor e com cimento / Erguendo uma casa aqui." (Vinícius de Moraes)
"A mata agita-se, revoluteia, contorce-se toda e sacode-se! / A
mata hoje tem alguma coisa para dizer." (Manuel Bandeira)
-> HIPÉRBATO — figura que expressa a inversão da ordem
das palavras numa frase
"Mas no Sol, e na luz, falte a firmeza, / Na formosura não se
dê constância, / E na alegria sinta-se tristeza." (Gregório de
Matos)
f) "As palavras não nascem amarradas, / elas saltam, se beijam, se dissolvem." (Carlos Drummond de Andrade)
g) "Roga a Deus, que teus anos encurtou, / Que tão cedo de
cá me leve a ver-te." (Luís Vaz de Camões)
h) "Tristeza não tem fim / Felicidade sim [...]" (Vinícius de
Moraes)
i) "Os prédios são altos e se espreitam traiçoeiramente com
binóculos na sombra." (Rubem Braga)
As palavras estão dispostas nesses versos na ordem indireta
ou inversa. Ao passá-las para a ordem direta, teremos:
j) "Da lua os claros raios rutilavam [...]" (Luís Vaz de Camões)
Mas firmeza falte no Sol e na luz, / Constância não se dê na
formosura, / E tristeza sinta-se na alegria.
I) "Nossa vida é um rascunho que jamais conseguiremos passar a limpo." (Mário da Silva Brito)
-> PLEONASMO — é um recurso empregado para reforçar
uma ideia.
m) "O sertanejo é antes de tudo um forte." (Euclides da Cunha)
Vi com meus próprios olhos o foguete desaparecer no céu.
n) "Então, como fidalgos camponeses, assentamos à mesa."
(Clarice Lispector)
As propostas sugeridas, o governo brasileiro rejeitou-as no
encontro sobre a Alca.
-> ALITERAÇÃO — a repetição de fonemas consonantais
para realçar determinado som ou dar ritmo à oração ou ao
verso.
[...] / Ó velho vento saudoso, / Velho vento compassivo, / Ó
ser vulcânico e vivo, / Taciturno e tormentoso. [...]
O emprego da aliteração nestes versos de Cruz e Sousa consiste na repetição dos sons consonantais v, t, s e z.
-> ASSONÂNCIA — Consiste na repetição de fonemas vocálicos em sílabas tônicas, criando um efeito sonoro semelhante
ao produzido pela aliteração.
[...] / Soluçou o peito ardente, / Sentiu que a alma demente :
Lhe desmaiava a tremer:
Embriagou-se de enleio, / No sono daquele seio / Pensou que
ele ia morrer! [...]
Observe no poema de Álvares de Azevedo a repetição dos
sons vocálicos e, i, o, u e en (nasalizado), que reforçam a
ideia de um lamento.
-> ONOMATOPEIA — Dá-se esse nome às palavras cuja
pronúncia imita ou representa certos sons ou ruídos.
o) "O pavão é um arco-íris de plumas." (Rubem Braga)
p) "Eu vim de infinitos caminhos, / e os meus sonhos choveram lúcido pranto pelo chão." (Cecília Meireles)
q) "Trabalhava ao piano, não só Chopin como ainda os estudos de Czerny". (Murilo Mendes)
r) "Ela colhia margaridas / quando eu passei. / As margaridas
eram / Os corações de seus namorados." (Carlos Drummond
de Andrade)
s) "Lento o bronze soa..." (Alberto de Oliveira)
t) “[...] / Segue o seco sem sacar que o caminho é seco. / Sem
sacar que o espinho é seco, / sem sacar que seco é o Ser Sol
/ [...]”. (Carlinhos Brown, Marisa Monte)
u) “[...] / alerta, alerta, pois, que o vento berra. / Se assopra a
vaidade e incha o pano, / [...]”. (Gregório de Matos)
v) A cada canto um grande conselheiro / Que nos quer governar cabana e vinha; / Não sabe governar sua cozinha, / E
podem governar o mundo inteiro. / [...] (Gregório de Matos)
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVA E ADVERBIAIS
REDUZIDAS
Zunem as cigarras, zino, zino, zino... / Como se fossem as
mesmas / Que eu ouvi menino.” (Manuel Bandeira)
Orações subordinadas adjetivas reduzidas de particípio
O galo aluado / subiu no telhado / e saudou a lua / cocorilua,
cocorilua.” (Sérgio Caparelli)
-> Restritiva: A modista entregou os vestidos encomendados
pela atriz. (que a atriz encomendou)
1- Classifique as figuras de linguagem nos trechos.
-> Explicativa: O cientista recebeu um prêmio valioso, avaliado em dois milhões de dólares. (que avaliaram em dois milhões de dólares)
a) "Como quis, que aqui fosse a neve ardente, / Permitiu,
parecesse a chama fria." (Gregório de Matos)
Orações subordinadas adjetivas reduzidas de gerúndio
b) "Numa hora acho mil anos, e é de jeito / Que em mil anos
não posso achar uma hora." (Luís Vaz de Camões)
c) A lua é uma gata branca, / mansa, / que descansa entre as
nuvens." (Sérgio Caparelli)
-> Restritiva: A moça percebeu o vulto caminhando em sua
direção, (que caminhava em sua direção)
-> Explicativa: Meu irmão, aproximando-se de mim, abraçoume. (que se aproximou de mim)
Orações subordinadas adverbiais reduzidas de infinitivo
a) Lutou muito para a conquista de seus ideais.
-> Causal: A venda da casa foi desfeita por faltarem documentos do comprador. (porque faltaram documentos do comprador)
b) É conveniente a verificação do resultado da pesquisa.
-> Temporal: Revi meus parentes ao voltar à minha terra
natal. (quando voltei à minha terra natal)
d) O aluno esperava a obtenção de boas notas este mês.
c) O gerente decidiu a contratação de mais duas camareiras.
e) Se quiseres meu apoio, não mintas.
-> Condicional: Você não terá sucesso sem trabalhar com
dedicação. (sem que trabalhe com dedicação)
-> Concessiva: Ela manteve a promessa apesar de ter ficado
prejudicada. (apesar de que tivesse ficado prejudicada)
f) Convém que as provas sejam revistas.
g) Viajou ontem porque tinha compromissos em Brasília.
h) Os passaportes que entregaram já tinham o visto.
-> Final: Júlio esperou-nos para sairmos juntos naquela manhã. (para que saíssemos juntos naquela manhã)
-> Consecutiva: Os dois se entendiam tanto a ponto de adivinharem o pensamento um do outro. (que adivinhavam o pensamento um do outro)
i) Ainda que ganhasse o jogo, meu time não seria classificado.
j) As ofertas que recebemos pelo quadro foram poucas. As
ofertas recebidas pelo quadro foram poucas.
Observe o anúncio e responda as questões de 05 a 09.
Orações subordinadas adverbiais reduzidas de particípio
-> Condicional: Recebido o salário, poderíamos viajar. (Se
recebêssemos o salário)
-> Causal: Magoado com a minha resposta, partiu. (Como se
magoou com a minha resposta)
-> Temporal: Feito o acordo, começamos a obra. (Depois que
fizemos o acordo)
-> Concessiva: Mesmo comportadas, aquelas crianças perturbariam. (Mesmo que se comportassem)
Orações subordinadas adverbiais reduzidas de gerúndio
-> Causal: Exaltando-se com o garçom, não o deixou falar.
(Como se exaltou com o garçom)
-> Temporal: Encontrei-a olhando as fotos da família, (enquanto olhava as fotos da família.)
-> Condicional: Fazendo ginástica, emagrecerás rápido. (Se
fizeres ginástica)
-> Concessiva: Ainda trabalhando, não saldará suas dívidas.
(Ainda que trabalhe)
2- Observe a frase "Quem é você para questionar minha
conduta, hã???", e responda:
a) A oração subordinada é reduzida ou está desenvolvida?
Por quê?
b) Que sentido apresenta a segunda oração?
5- No enunciado principal do anúncio “Nem todo mundo que
voa precisa dormir em posição desconfortável.”, quantas orações há?
6- Qual é a oração principal do enunciado?
7- Qual é a oração subordinada do enunciado? Como se classifica?
8- Se reduzida, como ficaria? E sua classificação?
c) Classifique a segunda oração e desenvolva-a.
3- Observe as frases e responda.
Preocupado com a criança, ele telefonou.
a) Na segunda frase, como se classifica a oração destacada?
b) Desenvolva-a.
4- Transforme a oração subordinada em oração reduzida e
classifique-a.
9- A imagem do morcego dormindo, acompanhada do enunciado, remete a que figura de linguagem?
Fly UP