...

Programa de intervenção com exercícios físicos melhora

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

Programa de intervenção com exercícios físicos melhora
ISSN 2177-4005
Revista do Departamento de Educação Física e Saúde e do Mestrado em
Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul / Unisc
>> Acesse; http://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis
>> Ano 15 - Volume 15 - Número 3 - Julho/Setembro 2014
ARTIGO ORIGINAL
Programa de intervenção com exercícios físicos
melhora indicadores de aptidão física relacionada à
saúde e ao desempenho motor em escolares com
sobrepeso e obesidade
Intervention program with physical exercise improves health-related
physical fitness and motor performance in overweight and obese
schoolchildren
Kelin Cristina Marques1, Priscila Tatiana da Silva1, Debora Tornquist1, Rodrigo Muradás1, Natalí Lippert
Schwanke1, Leandro Tibiriçá Burgos1, Miria Suzana Burgos1
1
Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Santa Cruz do Sul, RS, Brasil.
Recebido em: setembro 2014 / Aceito em: setembro 2014
[email protected]
RESUMO
ABSTRACT
Objetivo: verificar se um programa de intervenção,
com exercícios físicos, melhora os indicadores de aptidão
física relacionada à saúde e ao desempenho motor em
escolares com sobrepeso e obesidade. Método: estudo
quase-experimental composto por um programa de intervenção interdisciplinar com exercícios físicos, orientação
nutricional, postural e bucal. A amostra foi composta por 20
escolares do grupo experimental e 19 do grupo controle, de
ambos os sexos, com idades entre 7 a 16 anos. As avaliações (pré e pós-teste) foram realizadas através de protocolos
do PROESP-BR. O programa de intervenção, com exercícios
físicos, teve a duração de 16 semanas consecutivas, com
frequência de três vezes por semana e com 60 minutos cada
sessão. Foi utilizado o programa SPSS v. 20.0 para a análise
estatística dos dados. Resultados e considerações finais: em
relação à aptidão física relacionada ao desempenho motor
dos escolares, o grupo experimental apresentou melhora
significativa para força de membros inferiores (p=0,009)
e para agilidade (p=0,001). Para os indicadores de saúde
relacionados à saúde, observa-se que o grupo experimental melhorou significativamente a flexibilidade (p=0,008).
Dessa forma, ressalta-se a importância da implementação
de programas com exercícios físicos na infância e adolescência, com o intuito de melhorar os indicadores de
aptidão física relacionada à saúde e ao desempenho motor
e evitar agravos precoces à saúde.
Palavras-chave: Sobrepeso; Obesidade; Aptidão
física; Criança; Adolescente.
Objective: verify whether an intervention program
with exercise improves health-related physical fitness
and motor performance in children with overweight and
obesity. Method: quasi-experimental study consists of
an interdisciplinary intervention program with exercise,
nutrition, posture and oral orientation. The sample
consisted of 20 students in the experimental group and
19 in the control group, of both sexes, aged 7-16 years.
The assessments (pre and post test) were performed
through PROESP-BR protocols. The interdisciplinary
intervention program, with exercise, lasted 16
consecutive weeks, with a frequency of three times
a week and 60 minutes each session. SPSS program
v. 20.0 was used for statistical analysis. Results and
final considerations: regarding physical fitness related
to motor performance, the experimental group showed
significant improvement for lower limb strength
(p=0.009) and agility (p=0.001). For health-related
physical fitness, it is observed that the experimental
group significantly improved flexibility (p=0.008).
Thus, it emphasizes the importance of implementing
programs with physical exercise in childhood and
adolescence, to improve health-related physical fitness
and motor performance and avoid early health problems.
Keywords: Overweight; Obesity; Physical fitness;
Child; Adolescent.
Cinergis 2014;15(3):118-122
Páginas 01 de 05
não para fins de citação
PROGRAMA DE INTERVENÇÃO COM EXERCÍCIOS FÍSICOS MELHORA INDICADORES DE APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE E AO DESEMPENHO MOTOR
EM ESCOLARES COM SOBREPESO E OBESIDADE
Kelin Cristina Marques, Priscila Tatiana da Silva, Debora Tornquist, Rodrigo Muradás, Natalí Lippert Schwanke, Leandro Tibiriçá Burgos, Miria Suzana Burgos.
INTRODUÇÃO
Vivemos em um período de grandes avanços tecnológicos, o que melhora a qualidade de vida das sociedades
em que vivemos. Adicionalmente, determinou-se uma
mudança nos padrões de comportamento alimentar e de
atividade física nas populações1. Com isso, observa-se
um resultado pouco satisfatório com relação à prática
de atividade física, o que repercute nos níveis de saúde.
Como consequência, nota-se que a aptidão física de
crianças e adolescentes está se construindo em níveis
não desejáveis, gerando preocupações relacionadas à
saúde dos mesmos2. Portanto, é importante o desenvolvimento das capacidades motoras, conhecimentos
e hábitos/estilo de vida que aumentem as chances de
uma boa aptidão física relacionada à saúde, desde os
primeiros anos de vida3.
Deve-se considerar, também, que a obesidade está
relacionada de forma inversa com a aptidão física relacionada à saúde 4-6 e ao desempenho motor7,8. Dessa
forma, não podemos considerar o peso corporal acima dos níveis desejados apenas como um problema
estético, mas sobretudo, por estar ligado a inúmeros
efeitos adversos à saúde9.
Estudos têm revelado alta prevalência de sobrepeso
e obesidade na infância e adolescência. Em Barcelona, na
Espanha, 32,3% dos meninos e 24,3% das meninas apresentam sobrepeso e obesidade. Na França, estima-se
que uma a cada cinco crianças apresenta sobrepeso,
sendo que a prevalência de obesidade é de 3 a 4%10.
A alta prevalência de sobrepeso e obesidade também
é acompanhada no Brasil. Em uma pesquisa realizada
em São Paulo, 32,5% dos meninos e 26,5% das meninas de uma escola pública apresentam sobrepeso e
obesidade11. Em Santa Cruz do Sul-RS, esse percentual
é de 27,1% para os meninos e 26,4% para as meninas12.
Devido a este cenário, tem-se realizado, com crianças
e adolescentes, estudos de intervenção com exercícios
físicos para redução de indicadores antropométricos13,14
e melhora da aptidão física relacionada à saúde14-16 e ao
desempenho motor17,18.
Devido à alta prevalência de escolares com sobrepeso e obesidade em Santa Cruz do Sul-RS12 e a relevância
de estudos de intervenção com esta população, o presente estudo objetiva verificar se um programa interdisciplinar
com exercícios físicos melhora os indicadores de aptidão
física relacionada à saúde e ao desempenho motor em escolares com sobrepeso e obesidade do referido município.
MÉTODO
Para a composição da amostra, deste estudo
quase-experimental, foram selecionadas três escolas de
Santa Cruz do Sul-RS, com maior prevalência de sobrepeso e obesidade e com características semelhantes.
Após, escolares com esta condição foram convidados
a participar de um programa de intervenção interdisciplinar com exercícios físicos, orientação nutricional,
postural e bucal. Assim, a amostra foi composta por
20 escolares do grupo experimental de uma escola e 19
do grupo controle de duas escolas, de ambos os sexos,
com idades entre 7 a 16 anos. Foram incluídos, no estudo,
os escolares que apresentaram uma frequência mínima de
Cinergis 2014;15(3):118-122
85% nas sessões da intervenção. Os pais ou responsáveis
pelos escolares assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido, autorizando a participação na pesquisa.
O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética com Seres
Humanos, da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC),
sob número 357.403, de 2013.
Todas as avaliações foram realizadas (pré e pós-teste) na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC),
através de protocolos do Projeto Esporte Brasil (PROESP-BR19 2012). Os escolares foram aconselhados a utilizarem
roupa leve e calçado adequado no dia das avaliações. Os
indicadores de aptidão física relacionada à saúde foram
avaliados através dos testes: resistência abdominal (máximo de repetições em um minuto), flexibilidade (com banco
de Wells) e aptidão cardiorrespiratória (teste de corrida/
caminhada de 6 minutos). Para os indicadores de aptidão
física relacionada ao desempenho motor, avaliou-se:
força de membros superiores (medicine ball), força de
membros inferiores (salto horizontal), velocidade (corrida de 20 metros) e agilidade (teste do quadrado). Os
resultados obtidos foram posteriormente classificados
de acordo com os critérios estabelecidos pelo PROESP-BR19, de acordo com sexo e idade.
O programa de intervenção foi realizado durante 16
semanas consecutivas, com frequência de três vezes por
semana, em dias alternados (segunda, quarta e sexta-feira), totalizando 90 minutos, sendo 60 minutos cada
sessão de exercícios físicos aeróbicos e resistidos, os
quais foram aplicadas no ginásio da escola, por profissionais de Educação Física. A intensidade dos exercícios
foi monitorada pela frequência cardíaca (FC), através de
frequencímetro (Polar, FT1). Foi estabelecida uma zona
alvo (40 a 80% da FC de reserva), através da equação:
FCreserva: FCmax – Fcrepouso. Também foram realizadas atividades de correção postural, por um período de
30 minutos. Adicionalmente, foram realizadas atividades de reeducação alimentar e de saúde bucal.
Foi utilizado o programa SPSS v. 20.0 (IBM, Chicago, EUA) para a análise estatística dos dados. As variáveis
categóricas foram pareadas, utilizando-se o teste de
Wilcoxon para comparar os dados pré e pós-teste. Foram
consideradas diferenças significativas para p<0,05.
RESULTADOS
A tabela 1 apresenta os dados dos indicadores de
aptidão física relacionada ao desempenho motor dos escolares, antes e após a intervenção. No grupo experimental,
observa-se melhora significativa para força de membros
inferiores (p=0,009), sendo que dos escolares que
estavam na classe “fraco”, três passaram para a classe
“razoável” e cinco para “bom”. Houve melhora significativa também para a agilidade (p=0,001); no momento
pré-teste, todos os escolares estavam na classe “fraco”,
sendo que após a intervenção, quatro passaram para
a classe “razoável”, seis para “muito bom”, quatro para
“bom” e um para “excelência”.
Para os indicadores de saúde relacionados à saúde
(tabela 2), observa-se que o grupo experimental melhorou
significativamente a flexibilidade, sendo que dos 12 escolares que estavam na classe “indicadores de risco”, no
pré-teste, sete passaram para a classe “desejável”, após o
programa de intervenção.
Páginas 02 de 05
não para fins de citação
PROGRAMA DE INTERVENÇÃO COM EXERCÍCIOS FÍSICOS MELHORA INDICADORES DE APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE E AO DESEMPENHO MOTOR
EM ESCOLARES COM SOBREPESO E OBESIDADE
Kelin Cristina Marques, Priscila Tatiana da Silva, Debora Tornquist, Rodrigo Muradás, Natalí Lippert Schwanke, Leandro Tibiriçá Burgos, Miria Suzana Burgos.
Tabela 1 - Comparação pré e pós-teste dos indicadores de aptidão física relacionada ao desempenho motor.
Pré-teste
Grupo experimental (N=20)
Fraco
Razoável
Bom
Pós-teste
Muito bom
Excelência
p*
Força membros superiores
Fraco
0
-
1
1
0
Razoável
1
-
0
1
0
Bom
0
-
1
2
0
Muito bom
0
-
2
6
2
Excelência
0
-
0
2
1
Fraco
11
3
5
0
-
Razoável
0
0
0
1
-
Fraco
19
-
-
-
-
Razoável
1
-
-
-
-
0,249
Força membros inferiores
0,009
Velocidade
0,317
Agilidade
Fraco
Grupo controle (N=19)
5
4
6
4
1
Fraco
Razoável
Bom
Muito bom
Excelência
0,001
Força membros superiores
Fraco
1
3
0
0
0
Razoável
0
2
0
0
0
Bom
0
1
1
1
0
Muito bom
0
1
1
4
1
Excelência
0
0
0
3
0
0,593
Força membros inferiores
Fraco
10
2
2
-
-
Razoável
1
2
0
-
-
Bom
1
0
1
-
-
0,453
Velocidade
Fraco
16
1
-
-
-
Razoável
1
0
-
-
-
Muito bom
1
0
-
-
-
0,414
Agilidade
Fraco
9
1
2
2
-
Razoável
1
2
1
0
-
Bom
0
0
0
1
-
0,028
Dados expressos em frequência; *teste de Wilcoxon; diferenças significativas para p<0,05.
Tabela 2 - Comparação pré e pós-teste dos indicadores de aptidão física relacionada à saúde.
Pré-teste
Grupo experimental (N=20)
Pós-teste
Desejável
Indicador de risco
Desejável
6
1
Indicador de risco
6
7
Desejável
8
0
Indicador de risco
7
5
p*
Resistência abdominal
0,059
Flexibilidade
0,008
Aptidão cardiorrespiratória
Desejável
4
2
Indicador de risco
3
11
Desejável
Indicador de risco
Desejável
8
2
Indicador de risco
2
7
Desejável
8
1
Indicador de risco
3
7
Grupo controle (N=19)
0,655
Resistência abdominal
1,000
Flexibilidade
0,317
Aptidão cardiorrespiratória
Desejável
1
1
Indicador de risco
3
14
0,317
Dados expressos em frequência; *teste de Wilcoxon; diferenças significativas para p<0,05.
Cinergis 2014;15(3):118-122
Páginas 03 de 05
não para fins de citação
PROGRAMA DE INTERVENÇÃO COM EXERCÍCIOS FÍSICOS MELHORA INDICADORES DE APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE E AO DESEMPENHO MOTOR
EM ESCOLARES COM SOBREPESO E OBESIDADE
Kelin Cristina Marques, Priscila Tatiana da Silva, Debora Tornquist, Rodrigo Muradás, Natalí Lippert Schwanke, Leandro Tibiriçá Burgos, Miria Suzana Burgos.
DISCUSSÃO
Nossos resultados demonstram que o programa de
intervenção interdisciplinar melhorou significativamente
os níveis de força de membros inferiores, agilidade e flexibilidade dos escolares. Já, Silva et al.16 realizaram um
estudo de intervenção multiprofissional de 16 semanas
com adolescentes obesos de Maringá (PR) e, entre os 19
adolescentes que completaram o estudo, observou-se
uma melhora significativa da força/resistência abdominal,
flexibilidade e aptidão cardiorrespiratória. Espindola et
al.20, ao realizarem um estudo de intervenção com 96
sessões de exercícios físicos com crianças de 7 a 10 anos
de Florianópolis (SC) que apresentavam excesso de peso,
observaram melhora significativa dos níveis de força/
resistência abdominal e de agilidade.
Cattai et al.21, ao realizarem um programa de intervenção de 16 semanas com adolescentes obesos de 11 a
17 anos da cidade de Maringá (PR), observaram melhora
nas variáveis força de membros superiores, resistência
abdominal e aptidão cardiorrespiratória. No estudo de
Poeta et al.14, com objetivo de analisar os efeitos de
um programa de exercícios físicos no desempenho relacionado à aptidão física de crianças obesas do Hospital
Infantil Joana de Gusmão – HIJG de Florianópolis (SC),
tendo o grupo intervenção composto por 16 crianças e
grupo controle, também por 16 crianças, observou-se um
aumento significativo da força de preensão manual direita
e da força abdominal.
Pienaar et al.15, em estudo na África do Sul com
grupo controle composto por 17 sujeitos com excesso
de peso e grupo experimental composto por 20 escolares
com excesso de peso, de idade média de 11 anos, que
participaram de 13 semanas de um programa de intervenção multiprofissional, com atividade física, observaram
uma melhora significativa, após a intervenção, em relação
à força muscular e flexibilidade no grupo experimental. Em
estudo de intervenção de 40 semanas com crianças obesas e inativas na Noruega, Sola, Brekke e Brekke17 observaram melhora significativa da aptidão cardiorrespiratória,
resistência muscular, velocidade, agilidade, coordenação,
equilíbrio e força.
Guedes et al.9 destacam a importância de se implantar programas de intervenção, com crianças e adolescentes, direcionados à prática e promoção da atividade física
e de estilo de vida saudável. Os resultados demonstrados
pelo presente estudo e pelos demais estudos citados
apontam para a importância destes programas, visto que,
em todos os estudos citados obteve-se melhora em algum
componente de aptidão física dos adolescentes obesos.
Como destaca Glaner22, melhoras na aptidão física são
importantes para a saúde, uma vez que moderados níveis
de aptidão cardiorrespiratória, flexibilidade, força/resistência muscular são relevantes para a saúde e bem estar e
servem como fator de proteção para o desenvolvimento
de doenças crônico-degenerativas.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Após um programa de intervenção com exercícios
físicos, escolares com sobrepeso e obesidade apresentaram melhora significativa na força dos membros
inferiores, agilidade e flexibilidade. Dessa forma, res-
Cinergis 2014;15(3):118-122
salta-se a importância da implementação de programas
com exercícios físicos na infância e adolescência, com
o intuito de melhorar os indicadores de aptidão física
relacionada à saúde e ao desempenho motor e evitar
agravos precoces à saúde.
REFERÊNCIAS
1. Pinheiro ARO, Freitas SFT, Corso ACT. Uma abordagem
epidemiológica da obesidade. Rev Nutr 2004;17(4):523-33.
2. Bergmann GG, Araújo MLB, Garlipp DC, Lorenzi TC, Gaya
A. Alteração anual no crescimento e na aptidão física
relacionada à saúde de escolares. Rev Bras Cineant Desemp
Hum 2005;7(2):55-61.
3. Pezzetta OM, Lopes AS, Pires Neto CS. Indicadores de
aptidão física relacionados à saúde em escolares do sexo
masculino. Rev Bras Cineant Desemp Hum 2003;5(2):07-14.
4. Aphamis G, Giannaki CD, Tsouloupas CN, Ioannou Y,
Hadjicharalambous M. The relationship between physical
fitness and obesity among a sample of adolescents in
Cyprus. Int J Adolesc Med Health 2014.
5. Cieśla E, Mleczko E, Bergier J, Markowska M, Nowak-Starz
G. Health-Related Physical Fitness, BMI, physical activity
and time spent at a computer screen in 6 and 7-year-old
children from rural areas in Poland. Ann Agric Environ Med
2014;21(3):617-21.
6. Liao Y, Chang SH, Miyashita M, Stensel D, Chen JF, Wen
LT, Nakamura Y. Associations between health-related
physical fitness and obesity in Taiwanese youth. J Sports Sci
2013;31(16):1797-804.
7. Krombholz H. Motor and cognitive performance of overweight
preschool children. Percept Mot Skills 2013;116(1):40-57.
8. Morano M, Colella D, Robazza C, Bortoli L, Capranica L.
Physical self-perception and motor performance in normalweight, overweight and obese children. Scand J Med Sci
Sports 2011;21(3):465-73.
9. Guedes DP,
de Paula IG, Guedes JERP, Stanganelli
LCR. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças
e adolescentes: estimativas relacionadas ao sexo, à
idade e à classe socioeconômica. Rev Bras Educ Fís Esp
2006;20(3):151-63.
10. Castetbon K. Recent prevalence of child and adolescent
overweight and obesity in France and abroad. Arch Pediatr
2015;22(1):111-5.
11. Albano RD, Souza SB. Estado nutricional de adolescentes:
“risco de sobrepeso” e “sobrepeso” em uma escola pública do
Município de São Paulo. Cad Saúde Pública 2001;17(4):941-47.
12. Burgos MS, Reuter CP, Burgos LT, Pohl HH, Pauli LTS,
Horta JA, Reckziegel MB, Franke SIR, Prá D, Camargo
M. Uma análise entre índices pressóricos, obesidade e
capacidade cardiorrespiratória em escolares. Arq Bras Cardiol
2010;94(6):788-93.
13. Blüher S, Petroff D, Wagner A, Warich K, Gausche R, Klemm
T, Wagner M, Keller A. The one year exercise and lifestyle
intervention program KLAKS: Effects on anthropometric
parameters, cardiometabolic risk factors and glycemic control
in childhood obesity. Metabolism 2014;63(3):422-30.
14. Poeta LS, Duarte MFS, Giuliano ICB, Farias Junior JC.
Intervenção interdisciplinar na composição corporal e em
testes de aptidão física de crianças obesas. Rev Bras Cineant
Desemp Hum 2012; 14(2):134-43.
15. Piennar AE, Du Toit D, Truter L. The effect of a multidisciplinary
Páginas 04 de 05
não para fins de citação
PROGRAMA DE INTERVENÇÃO COM EXERCÍCIOS FÍSICOS MELHORA INDICADORES DE APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE E AO DESEMPENHO MOTOR
EM ESCOLARES COM SOBREPESO E OBESIDADE
Kelin Cristina Marques, Priscila Tatiana da Silva, Debora Tornquist, Rodrigo Muradás, Natalí Lippert Schwanke, Leandro Tibiriçá Burgos, Miria Suzana Burgos.
physical activity intervention on the body composition and
physical fitness of obese children. J Sports Med Phys Fitness
2013;53(4):415-27.
16. Silva DF, Souza LL, Delfino RO, Bianchini JAA, Hintze LJ,
Nardo Junior N. Efeitos de um programa multiprofissional de
tratamento da obesidade e de sua cessação sobre a aptidão
física relacionada à saúde de adolescentes. Rev Educ Fis/
UEM 2012;23(3):399-410.
17. Sola K, Brekke N, Brekke M. An activity-based intervention
for obese and physically inactive children organized in primary
care: feasibility and impact on fitness and BMI. Scand J Prim
Health Care 2010;28(4):199-204.
18. Lazzer S, Boirie Y, Poissonnier C, Petit I, Duché P, Taillardat
M, Meyer M, Vermorel M. Longitudinal changes in activity
patterns, physical capacities, energy expenditure, and
Cinergis 2014;15(3):118-122
19.
20.
21.
22.
body composition in severely obese adolescents during
a multidisciplinary weight-reduction program. Int J Obes
2005;29(1):37-46.
Projeto Esporte Brasil. PROESP-BR. Manual. 2012. Disponível
em: <http://www.proesp.ufrgs.br> Acesso em: 20 abr. 2014.
Espindola JA, Capistrano R, Alexandre JM, da Silva J,
Beltrame TS. Efeitos do exercício físico na aptidão física
de crianças com sobrepeso. ConScientiae Saúde 2014;
13(2):281-88.
Cattai GBP, Rocha FA, Hintze LJ, Pagan BGM, Nardo Junior
N. Programa de tratamento multiprofissional da obesidade: os
desafios da prática. Ciênc Cuid Saúde 2008;7(Sup.1):121-6.
Glaner MF. Importância da aptidão física relacionada à saúde.
Rev Bras Cineant Desemp Hum 2003;5(2):75-85.
Páginas 05 de 05
não para fins de citação
Fly UP