...

Cabesp +Vida chega à centésima edição

by user

on
Category: Documents
8

views

Report

Comments

Transcript

Cabesp +Vida chega à centésima edição
Nº 100
Fevereiro/2012
Cabesp +Vida
chega à centésima edição
Cuidados com a saúde, qualidade de vida, atividade física, comportamento, emoção, idosos, crianças,
gestantes, mulheres, homens, portadores de necessidades especiais... Não há assuntos comportamentais
ligados à vida e saúde humana que ainda não tenham sido tratados no Cabesp+Vida.
O jornal chega à centésima edição firme no seu compromisso de
informar os beneficiários Cabesp e ser um importante canal para
gerar interesse pela saúde e bem estar. Para comemorar este
momento, a equipe de +Vida fez um levantamento de alguns dos
principais assuntos publicados. É o que você verá nas próximas
páginas:
Amamentação:
seu filho merece
esse carinho
A infância ganhou
destaque em várias edições
do jornal, com temas
como a importância do
aprendizado para o desenvolvimento psicomotor do bebê, o sono,
o consumo, os primeiros passos, a segurança de equipamentos
como cadeirinha de carro, andador, etc. Um dos temas de maior
abordagem tem sido a importância da amamentação até o sexto
mês de vida. Veja parte de uma das reportagens, publicada recentemente, na edição 97.
“Apesar de ser notória a importância da amamentação nos primeiros meses de vida do bebê, pesquisas mostram que apenas 6% das
crianças brasileiras são amamentadas exclusivamente no seio até dois
meses de vida, o que é um dado preocupante. Atualmente, amamentar passou a ser uma opção para os pais; as crianças, no entanto,
não podem optar e são as maiores prejudicadas quando ocorre a
interrupção do aleitamento materno.
O leite materno é um alimento completo para o bebê até os seis
meses de vida, pois contém vitaminas, minerais, proteínas, gorduras
e açúcares numa quantidade equilibrada para o organismo do bebê.
Depois dos seis meses, a amamentação deverá ser complementada
com outros alimentos saudáveis como frutas, verduras e legumes,
além de carnes, grãos e cereais. Os alimentos industrializados devem
ser sempre evitados.”
SAIBA MAIS:
cabesp100.indd 3
•
•
•
•
Mulher é mais cuidadosa
O mundo feminino, a saúde, qualidade de vida, emoções, problemas hormonais... as centenas de matérias publicadas sobre a saúde
da mulher comprovam que de sexo frágil, afinal, elas não têm nada.
Pelo menos no que se refere à parte biológica, o organismo feminino foi desenhado para durar mais do que o masculino, segundo
garantem os médicos. As estatísticas mostram que, mundialmente, as
mulheres sempre vivem, em média, de dois a três anos a mais do que
os homens. A mulher brasileira é mais cuidadosa com sua saúde do
que o homem, mas ainda está longe de representar um exemplo de
quem age como conhecedora da importância da prevenção. Exames
periódicos evitam o desenvolvimento de doenças femininas graves e
ajudam a garantir mais anos de vida com qualidade.
Homens precisam virar o jogo
No campo da saúde, os homens só ganham mesmo das
mulheres em más estatísticas. São os que mais sofrem de males
do coração, de câncer, diabetes, colesterol e hipertensão arterial.
E mais: segundo o Ministério da Saúde, a cada três mortes de
pessoas adultas, duas são de homens.
O público feminino é mais atento
à prevenção. Realiza exames para
detecção precoce de doenças e é
mais perseverante nos tratamentos, o
que é fundamental especialmente em
doenças crônicas.
A estatística do perfil da
saúde masculina não é boa, mas
o homem pode mudar esse
panorama: a saída é cuidar-se
mais e não tratar apenas da
doença.
Veja mais nas páginas 2 e 3
Informação e diagnóstico precoce: os exemplos de Itamar e Rosana
Mexa-se com prazer e eficiência
Proteja seus olhos do sol
Empossada nova diretoria da Cabesp
4
5
6
8
16/03/2012 12:10:46
comunicação
Idosos, um foco constante
O Cabesp +Vida foi muito além de apenas tratar das doenças comuns que acometem a Terceira Idade. Mostrou
que a “Nova geração de idosos rompe tabus” como já estampou em título de matéria sobre o assunto.
Cozinha e área de serviços
•Pia e bancada com alturas
de 85 a 90 cm.
•Armários não muito altos.
•Gavetas de fácil abertura, com
divisões para talheres e travas
de segurança.
•Barras de apoio instaladas em
locais firmes.
•Fogão com botões de controle
na parte da frente.
Escadas e área de circulação
•Corrimãos ao longo dos degraus com altura média
de 0,80 m.
•Início e o final da escada
demarcados com fita
antiderrapante nos degraus.
Sempre que possível usar
rampas (com declividade
máxima de 10%) ao invés das
escadas para acesso às
construções.
Sala de estar e jantar
•Ambientes livres de
obstáculos, principalmente
objetos e móveis baixo.
•Poltronas e sofá confortáveis,
de boa altura (média 50 cm),
fáceis de sentar e levantar
(profundidade média 70 a
80 cm), com braços. Os
assentos não devem ser muito
macios, densidade moderada.
Banheiros
•Paredes em alvenaria com
resistência para a instalação
de barras de segurança.
•Box ou espaço interno do
chuveiro – suficiente para
abrigar duas pessoas
(facilidade ao cuidador);
largura mínima de 80 cm;
piso e proteção antiderrapante;
desnível mínimo de 1,5 cm;
assento fixo para o banho.
•Suporte, corrimão lateral e
barras de apoio com alturas
variáveis; porta objetos
fixo; fechamento de Box com
material inquebrável e firme,
sistemas de porta de correr
ou utilização apenas de
cortina plástica.
•Vaso sanitário: altura média
de 48 a 50 cm; a base do
Na última reportagem, de outubro de 2010, foram oferecidos vários
cuidados básicos para diminuir os riscos de queda em casa. Afinal,
mais de 70% das pessoas que caem dentro de casa sofrem algum
tipo de fratura, um dos maiores inimigos das pessoas idosas. Veja
algumas das dicas (acompanhe no site www.cabesp.com.br as
reportagens completas – busque a edição de interesse, no
quadro abaixo):
vaso deve ser aumentada em 10 cm; barras de apoio
com altura de 30 cm acima
do tampo do vaso.
Quarto
•Cama – altura de 45 a 50 cm incluindo o colchão,
com densidade adequada
ao peso do usuário. Sentada,
a pessoa deve apoiar os pés
no chão.
•Mesa de cabeceira – altura
cerca de 10 cm acima da
cama e bordas arredondadas.
•Armário – portas leves, de
fácil acesso, arejadas,
cabideiro baixo; gavetas
com trava de segurança nos
deslizantes.
ilustrações: ronaldo romano
Ao mesmo tempo em que a população brasileira envelhece, as
pessoas adotam novos comportamentos para ganhar maior qualidade de vida e saúde na velhice: elas dançam, cantam, viajam,
preenchem seu tempo com cuidados com o corpo, têm atividades
esportivas e se olham mais.
A segurança no lar é um tema de tamanha relevância que foi
abordado duas vezes com profundidade num prazo de três anos.
3ª Idade
Edição32 -Outubro/2000 Doença de Alzheimer É possível amenizar o
sofrimento.
33 -Dezembro/2000 Doença de Parkinson Saiba como age este
inimigo e proteja-se.
44 -Outubro/2002 - Nova
geração de idosos
rompe tabus.
72 -Junho/2007 Segurança no lar:
Quem tropica
também cai.
79 -Agosto/2008 Quando os pais viram
filhos.
82 -Fevereiro/2009 Cuidador - o papel da
família na recuperação
do doente.
92 -Outubro/2010 - Casa
segura - Cuidados
básicos diminuem
riscos de quedas.
Obesidade
Edição32 -Outubro/2000 Obesidade: o mal do
novo milênio.
58 -Fevereiro/2005 Obesidade Problema, no Brasil,
é maior que a
desnutrição.
74 - Outubro/2007 Obesidade Infantil Fofinho hoje, gordinho
e sem saúde amanhã.
92 - Outubro/2010 Obesidade Infantil O papel da família na
luta contra esse mal.
2
cabesp100.indd 4
16/03/2012 12:08:02
Site abriga maior parte da biblioteca
Veja no site Cabesp (www.cabesp.com.br) algumas das principais reportagens publicadas no jornal:
Institucionais
Meio ambiente e saúde
Emoções e transtornos mentais
Saúde Bucal
Edição49 -Agosto/2003 – Edição 62 - Outubro/2005 - Mostrando
a participação da Cabesp nas Integrações do Banespa.
55 - Agosto/2004 - Lançamento do Programa Remédio Fácil.
57 - Dezembro/2004 - Lançamento do Cabesp Família.
69 - Dezembro/2006 - Lançamento do Cartão com Tarja
Magnética: a Cabesp se modernizando.
78 - Junho/2008 - Comemorando os 40 anos de fundação
da Cabesp.
Edição 59 -Abril/2005 - O poder do riso.
66 -Junho/2006 - Que solidão, que nada.
73 -Agosto/2007 - Como as emoções influenciam no seu
estado de saúde físico e mental.
93 -Dezembro/2010 - Felicidade e saúde: esta dupla dá certo.
96 -Junho/2011 - A busca do equilíbrio.
Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças
Edição54 -Junho/2004 - Explode Coração.
60 -Junho/2005 - Prevenção é arma contra deficiências
físicas evitáveis.
64 -Fevereiro/2006 - Saúde da Mulher - É cor de rosa choque.
73 -Agosto/2007 - Envelhecimento masculino e a Andropausa.
83 -Abril/2009 - Câncer de Mama: prevenção e diagnóstico
precoce.
85 -Agosto/2009 - Saúde do homem - As fragilidades do
imaginado “sexo forte”.
90 -Junho/2010 - Sexualidade e saúde, uma associação que
dá certo.
91 -Agosto/2010 - Saúde Homem: Vamos virar esse jogo.
96 -Junho/2011 - Diabetes - Brasil tem 500 novos casos
da doença por dia.
97 -Agosto/2011 - Hipertensão: um inimigo que pode
ser evitado.
Atividade Física
Edição 33 -Dezembro/2000 - A preguiça que mata.
68 -Outubro/2006 - Dois prá lá, dois prá cá - Os benefícios
da dança.
77 -Abril/2008 - Correndo contra o vento.
92 -Outubro/2010 - Dança - No embalo de sábado à noite.
93 -Dezembro/2010 - Andar: um passaporte para a saúde.
Infância
Edição 56 -Outubro/2004 - No embalo de um sonho infantil.
80 -Outubro/2008 - A importância do aprendizado para o
desenvolvimento psicomotor do bebê.
81 - Dezembro/2008 - Consumo - Saiba dizer Não, sem afetar
a autoestima de seu filho.
97 - Agosto/2011 - Amamentação: seu filho merece
esse carinho.
Edição53 -Abril/2004 - Ter sombra e água fresca. Depende de nós!
61 -Agosto/2005 - Reciclagem - O meio ambiente diz obrigado.
71 -Abril/2007 - Aquecimento Global - A parte que lhe cabe
nesta discussão.
83 -Abril/2009 - Meio Ambiente - Conexões entre clima e saúde.
88 -Fevereiro/2010 - Poluição Sonora - Ruído constante afeta
saúde auditiva.
Edição73 -Agosto/2007 - Inflamação de gengiva pode causar
perda do dente
76 -Fevereiro/2008 - Saúde bucal - Melhor prevenir e sorrir
89 -Abril/2010 - Saúde bucal - Sucesso, saúde e felicidade
têm elo com cuidados orais
91 -Agosto/2010 - Diga adeus ao popular “bafo de onça”
92 -Outubro/2010 - Saiba como higienizar próteses fixas
e implantes
97 -Agosto/2011 - Saiba escolher o seu creme dental
Dependências Químicas
Edição29 -Abril/2000 - Alcoolismo - Informar para prevenir,
assumir para tratar.
58 -Fevereiro/2005 - Alcoolismo - Um inimigo à espreita.
84 -Junho/2009 - Dependência Química - Drogas ilícitas
mataram 200 mil em 12 meses.
Nutrição
Edição61 -Agosto/2005 - Alimentos funcionais: mitos e verdades.
68 -Outubro/2006 - Somos o que comemos.
93 -Dezembro/2010 - Sementes e grãos: mais saúde e
prazer à mesa.
97 -Agosto/2011 - Ômega 3, um amigo da sua saúde.
Diversos
Edição51 -Dezembro/2003 - Curta o seu fim de ano com saúde
e sem estresse.
59 -Abril/2005 - Emergência Médicas: lidando com o problema.
63 -Dezembro/2005 - Preservar a saúde financeira garante fim
de ano mais tranquilo.
64 -Fevereiro/2006 - Família - Saiba como adotar uma criança.
66 -Junho/2006 - Adoçantes - Boatos e Verdades.
91 -Agosto/2010 - Comportamento - Afeto entre seres
humanos e animais é benéfico.
99 -Dezembro/2011 - 12 Atitudes para começar bem 2012.
Esses são apenas alguns exemplos. Não se esqueça
de que foram 99 edições até agora e que em
cada edição foram abordados, em média, oito temas:
é impossível citar todos, mas você pode consultar os
exemplares mais novos no site da Cabesp.
3
cabesp100.indd 5
16/03/2012 12:08:14
promoção da saúde
Informação e diagnóstico precoce:
aliados no gerenciamento de sua saúde
Itamar, um exemplo para os homens
Em 2003, ao assistir uma palestra com um médico urologista sobre
câncer de próstata, durante a Semana Saúde da Cabesp, Itamar
Fernandes Esmeraldino teve a certeza de que seria o próximo na
sua família. O urologista explicou que, quando se tem um caso na
família, sua chance de ter câncer de próstata é de 10%, com dois
casos = 20%, e com três ou mais casos, 40%. O pai e dois irmãos
de Itamar tiveram câncer de próstata.
Com esse histórico, Itamar já fazia a prevenção desde que completou 50 anos, em 2000, com os exames de PSA e de toque, anualmente, e eventualmente, ultrassom da próstata. Em 2006, com um
PSA em 3,2% e uma próstata aumentada, fez a cirurgia de ressecção
prostática, também conhecida como “roto-rooter”, endoscópica pelo
canal da urina. Houve uma melhora no jato da urina e nos níveis
do PSA e o urologista Rogério Sayão, que o acompanhou, indicou
exames de rotina semestrais. Em 2010, com uma PSA novamente em
3,2%, realizou biópsia. Dos 18 fragmentos analisados, dois registraram a neoplasia maligna, em 1/3 da amostra. “Eu diria que o câncer
de próstata você não evita, você posterga o seu aparecimento e
previne-o, principalmente em razão da hereditariedade”, diz.
Itamar faz parte de um perfil incomum no mundo masculino até
pouco tempo, embora cada dia que passa mais homens percebem a
importância dos cuidados com a saúde, abandonando preconceitos
em relação à prevenção, especialmente quanto aos órgãos sexuais.
“Sempre procurei trabalhar a prevenção, em busca de uma qualidade de vida. Faço atividades físicas regularmente, caminhadas,
muitas corridas e algumas maratonas. A última foi a de Berlim em
setembro de 2011, após o câncer”, testemunha.
Ele trabalha na Cabesp desde 1971. Aposentado desde 2003,
casado há 37 anos, 62 anos, três filhas, dois genros e um neto, Itamar é defensor ferrenho da prevenção. “Hoje não faz mais sentido,
as pessoas não prevenirem as possíveis doenças, como o câncer de
próstata. Com uma expectativa de vida cada vez maior, as chances
de aparecer esse tipo de câncer aumentam”, justifica.
Exames de rotina: a sorte de Rosana
Rosana Gioia tinha 45 anos quando, num exame de mamografia
rotineiro, descobriu um nódulo que se revelou maligno em 2004.
Foi um grande susto, mas como o tumor estava no início, a cirurgia
foi simples e realizou apenas radioterapia, seguida de exames
trimestrais.
Quando achou que estivesse tranquila com o tratamento, inchaços
abdominais e acúmulo de gases colocaram-na novamente nas mãos
dos oncologistas: exames detectaram novos tumores nos dois ovários, em média 10 cm em cada um. Desta vez, foi preciso uma nova
cirurgia e a retirada de todo o aparelho reprodutor.
Os tumores estavam encapsulados no ovário, não havia metástase, mas mesmo assim ela fez oito sessões de quimioterapia. “O médico me disse que estou curada desses tumores, mas
como sou paciente de risco, farei acompanhamento para o resto
da minha vida”, diz.
Atenta aos sinais do corpo, Rosana é grata aos médicos que cuidaram dela, o oncologista Dr. Luiz Carlos Teixeira e o mastologista Dr.
Henrique Brenelli da Clínica de Mamas de Campinas, mas considerase mesmo felizarda por ter dado atenção às recomendações para
manter a prevenção. Hoje, ela acha fundamental qualquer tipo de
campanha que busque conscientizar as pessoas para a importância
da prevenção.
“Campanhas como as que
a Cabesp costuma fazer são
extremamente importantes,
porque hoje sei que a prevenção
pode ser a diferença entre a vida
e a morte. As mulheres precisam
fazer os exames. Entre as que
fizeram tratamento comigo, a
maioria tinha câncer na mama”,
testemunha.
Solteira, sem filhos, hoje com
53 anos, Rosana aposentou-se
em Jundiaí, onde aderiu ao Programa de Demissão Voluntária
do Banco. “Mas resolvi manter a
Cabesp, o que se revelou muito
prudente”, diz.
foto: arquivo pessoal
foto: arquivo pessoal
A modernidade e o envelhecimento da população colocam para
a sociedade a necessidade da adoção de um comportamento
preventivo, na busca de melhor saúde e de maior qualidade
de vida. Para incentivar esse comportamento, a Cabesp lança
campanhas e trabalha firmemente na conscientização de seus
beneficiários. Veja nesta página o exemplo de dois associados que
comprovam a importância da prevenção.
4
cabesp100.indd 6
16/03/2012 12:08:29
ATIVIDADE FÍSICA
Mexa-se com prazer e eficiência
foto: arquivo pessoal
Musculação
Já o alongamento realizado
após as atividades físicas tem
a função de relaxamento, de
diminuir a tensão do músculo.
foto: purestock
A busca por uma atividade física que seja eficiente e prazerosa
é uma constante. Cada vez mais
as pessoas se conscientizam
da importância de realizar 30
minutos diários de exercícios.
Entre as pessoas mais maduras,
a procura por atividades que
unam bem-estar, segurança e
fortalecimento muscular tem
crescido muito nos últimos
tempos. Profissionais da área
de saúde têm recomendado a
musculação e o alongamento
para pessoas com idade acima
de 60 anos como forma de
prevenção da osteoporose, proteção das articulações, melhora
da postura, levando assim ao
fortalecimento geral e favorecendo a prevenção de quedas.
Veja nesta página informações
e recomendações sobre as duas
modalidades e mexa-se.
Está comprovado que os
exercícios de musculação são
muito importantes em indivíduos
com quadro de osteopenia/
osteoporose (perda de mineral
ósseo) e sarcopenia (redução
de massa muscular).
Favorece, também, o fortalecimento geral da musculatura
esquelética, das articulações e
tendões, além de proporcionar
aumento da disposição e diminuição do risco de quedas.
Como toda atividade física,
auxilia na redução da pressão
arterial e no controle do diabetes,
uma vez que aumenta o metabolismo de carboidratos, melhorando a sensibilidade à insulina.
A musculação também é reconhecida como importante aliada
aos que sofrem com o mal de
Parkinson, pois melhora a força
e coordenação neuromotora.
Mas atenção: especialmente às pessoas que possuem
patologias prévias, é essencial
uma avaliação médica. Somente
o especialista poderá fazer uma
prescrição segura.
Alongamento
Você já deve ter ouvido falar
da importância do alongamento. Bastam poucos minutos,
mas alongar é indispensável
tanto no início como no fim de
um grupo de exercícios físicos,
seja este qual for: caminhada,
natação, musculação, jogos,
corridas, etc.
O alongamento feito antes
do exercício ajuda a aumentar
a flexibilidade e a falta dele
pode acarretar dores, tensões
musculares, uma simples contratura muscular e até a ruptura
de músculos e tendões, já que
o músculo não está preparado
para o esforço.
Siga alguns princípios básicos
na hora de alongar:
•Cada pessoa tem o seu
limite. A amplitude deve ir
até onde for suportável;
•Faça um preaquecimento
(pode ser uma pequena
caminhada ou uma pedalada
de 5-10 minutos antes de
realizá-los);
•Dê preferência para alongar
os grupos musculares e
regiões do corpo mais sujeitas
ao encurtamento que são o
peitoral, a lombar e os
músculos da parte de traz da
coxa e panturrilha;
•Os alongamentos devem
incluir os grupos musculares
trabalhados na atividade
diária principal;
•Se tiver alguém que ajude
a alongar que essa pessoa
tenha bom senso. Dor é sinal
de alarme. Melhor se for um
profissional de Educação
Física;
•Mantenha o alongamento
de 10-60 segundos por
articulação;
•Mantenha uma regularidade
de 3-5 vezes por semana a
fim de obter bons resultados
no ganho de flexibilidade.
Você está inseguro sobre
o melhor tipo de exercício?
Converse com seu médico e, se
não houver restrições, procure
uma instituição que tenha
profissionais com experiência em
trabalhar com a 3ª idade.
O Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Social da
Indústria (Sesi) são boas referências. Informe-se nos sites:
www.sescsp.org.br
www.sesisp.org.br/home/2006/esportelazer/3idade.asp
Fontes:
Grupo de Estudos Avançados em Saúde e Exercício (Gease) - www.gease.pro.br
Mônica Tegon – Fisioterapeuta da Auditoria Médica da Cabesp
5
cabesp100.indd 7
16/03/2012 12:08:41
OFTALMOLOGIA
Mais do que estilo,
óculos de sol são segurança
Muito mais do que um acessório de moda, os óculos escuros existem para proteger os nossos olhos dos perigosos raios solares, tanto no Verão, como no Inverno (mesmo os dias mais frios podem ter uma luminosidade
muito intensa!). Da mesma forma que protege a pele contra a intensidade do sol, deve proteger os olhos
contra o envelhecimento prematuro, o cancro da pele e uma variedade de lesões ou doenças oculares.
Nesta entrevista, o oftalmologista Dr. Jorge Mitre, do
Hospital de Olhos, credenciado
da Cabesp, fala sobre a importância da escolha dos óculos
solares:
Cabesp +Vida – Qual o principal objetivo das lentes de sol?
Dr. Jorge Mitre – Os óculos
escuros têm a função de diminuir a quantidade de luz que
incide sobre o olho, que ocorre
nos dias ensolarados. É útil para
pessoas de olhos claros, ou de
pouco pigmento na Iris e na
Retina, mas o principal objetivo
das lentes de sol é bloquear os
raios ultravioleta e também os
raios da cor azul presentes na
luz solar.
Como é a ação dos raios
ultravioletas nos olhos?
Os raios ultravioletas são
extremamente danosos às
estruturas do globo ocular, provocando lesões irreversíveis e
comprometendo a visão. Dentre
os principais problemas que eles
podem causar estão:
•desenvolvimento precoce
de catarata;
•formação de pterígio, tecido
(pele) que cresce
anomalamente sobre a
córnea, provocando olho
vermelho e dificuldade na
lubrificação da córnea;
•destruição do Epitélio
Pigmentado da Retina, tecido
que fica junto à retina. Como
consequência, leva à morte
dos cones e bastonetes, as
células que transformam a luz
em impulso nervoso.
f ot
XC
o: S
.HU
.TOP
F ER
Os óculos considerados
eficientes precisam ter que
índice de bloqueio da ação
dos raios?
Os raios ultravioletas possuem um espectro de 280 a 380
nanômetros. Para que uma lente
de óculos seja eficiente, ela
tem que bloquear 100% desses
raios. Nem todas as lentes do
mercado possuem esse índice.
Os oftalmologistas
costumam “conferir” a
correção dos óculos escuros
como o fazem com os
óculos de grau claros?
Quase nenhum oftalmologista
possui o equipamento para
conferir a eficiência das lentes
no Bloqueio dos Raios Ultravioleta; confiamos no controle
do Inmetro, órgão público
responsável pela fiscalização
desse segmento.
É seguro comprar óculos
escuros em qualquer lugar
ou em comércios informais
de rua?
Não é seguro comprar
óculos escuros sem procedência
comprovada ou do comércio
informal, pois você não terá
como reclamar os seus direitos.
A obrigatoriedade de possuir
informações das lentes com o
filtro ultravioleta está na Lei
número 8078 do Código de
Defesa do Consumidor Brasileiro de 1990. Segundo pesquisa
recente da Faculdade de
Medicina da USP, de Ribeirão
Preto, das 14 marcas analisadas
de lentes, duas não estavam
em conformidade com a lei, ou
seja, não bloqueavam 100%
dos raios ultravioleta.
No caso de óculos, o que o
senhor recomendaria para
a pessoa conseguir aliar
preço e qualidade; que
fatores valorizar?
O preço não é o principal
fator de segurança na compra
de óculos de sol, e sim a qualidade e o fornecedor. Quando
comprar, veja se as lentes
possuem o selo de certificação
do Inmetro.
Se uma criança, ainda com
o globo ocular em formação, usar óculos de sol ina-
dequados, quais os danos
que podem ocorrer?
Se uma criança de até dez
anos usar continuamente
óculos com lentes inadequadas
com graduação errada e sem
filtro solar, poderá desenvolver
problemas de visão que não
possuiria, como enfraquecimento do músculo ciliar que ajuda
na focagem, miopia, dificuldade na resposta da pupila ao
controle da luz, etc. Até esta
idade o globo ocular ainda está
em formação.
Qual a importância da
adaptação do modelo ao
rosto e da cor das lentes
nos óculos de sol?
A quantidade de escurecimento e a cor ficam a critério
pessoal, pois cada pessoa
possui a sua tolerância. Não há
comprovação que a cor interfira. Os estudos mais recentes
parecem mostrar que a luz de
cor azul é também danosa à
Retina. Portanto , o ideal seria
ter o filtro ultravioleta e o filtro
azul na mesma lente.
6
2
cabesp100.indd 8
16/03/2012 12:08:56
credenciamentos
O ano de 2011 foi concluído com a formalização de 339 novos credenciamentos de consultórios, clínicas,
hospitais, pronto socorros, laboratórios, etc. Veja, abaixo, alguns exemplos dos novos credenciamentos
efetuados pela Cabesp nos meses de novembro, dezembro/2011 e janeiro/2012. A lista completa encontra-se
disponível no portal www.cabesp.com.br
Prestador
Município
UF
Guilherme Bender Lima Clínica Médica Ltda.
Americana
SP
Clin. e Cir. de Olhos Dr. Humberto Henrique Soares Araraquara
SP
Nestor Silveira do Amarilho
Assis
SP
Tolomei & Tolomei Ltda.
Bastos
SP
Messias & Dias Clínica Psicofonoaudiologia Ltda. ME Bauru
SP
Centro Oftalmológico de Belford Roxo Ltda.
Belford Roxo
RJ
VJV Diagnóstico Volumétrico por Imagem Ltda.
Belo Horizonte
MG
Centro de Endoscopia Dra Cenise Gayer
Bragança Paulista
SP
Alexandra Oliveira de Souza Clin de Fisioterapia
Cabo Frio
RJ
Miari & Poltronieri Laboratório de Análises Clínicas Cedral
SP
Fabiano de Campos Gil
Cravinhos
SP
Clipsifon-Clínica de Psicologia e Fonoaudiol Ltda.
Cruzeiro
SP
Iris Cristina Cruz Nunes
Curitiba
PR
Cesar & Kan Diagnóstico por Imagem Ltda.
Diadema
SP
Margarete Martins Muliterno Zequine
Dracena
SP
Moraes & Fantini S/S Ltda.
Fernandópolis
SP
Ligia Melo de Paula
Franca
SP
Maristela de Paula Bocchini
Franca
SP
Ricardo Marguerito Neto
Guarujá
SP
Indaiatuba
SP
Theodoro Habermann Neto
Hospital Sírio Libanês de Itatiba S/C Ltda
Itatiba
SP
Fabiana Cardoso Pereira
Ituverava
SP
Fernanda Andre Martins Cruz
Jaboticabal
SP
Falbo & Dalcim Serviços Médico-Hospitalares
Louveira
SP
Cleonice Parra
Marília
SP
Clínica Médica Santa Isabel Mirassol Ltda.
Mirassol
SP
Fabiana Paula Silveira Larrubia
Monte Aprazível
SP
Lopes Simão Serviços Médicos Ltda.
Nhandeara
SP
CGS Farina Teles da Silva
Nova Iguaçu
RJ
Centro de Diagnósticos Laboratoriais de Paulínia Paulínia
SP
Ana Maria Soares
Penápolis
SP
Clínica De Negri Ltda.
Piracicaba
SP
Clínica Neurológica Vida Ltda
Piracicaba
SP
Dimen Medicina Nuclear Poços de Caldas SS
Poços de Caldas
MG
Presidente Prudente
SP
Alexandra Keli Bernardi
Marcia Franklin de Almeida Bezzon
Ribeirão Preto
SP
Regina Lucia de Rossi
Ribeirão Preto
SP
Walther de Oliveira Campos Filho
Ribeirão Preto
SP
Centro de Anestesistas e Associados de Rio Claro
Rio Claro
SP
Centro de Fisioterapia e Reabilit. Marechal Hermes
Rio de Janeiro
RJ
Centro Feminino Ginecologia Obst e Mastologia Ltda. Rio de Janeiro
RJ
Dentistas Dia e Noite Ltda.
Rio de Janeiro
RJ
Frederico Mota Ribeiro
Rio de Janeiro
RJ
Instituto da Próstata Ltda.
Rio de Janeiro
RJ
Mendel Suchmacher Neto
Rio de Janeiro
RJ
Orto-X Odontologia Ltda
Rio de Janeiro
RJ
Clínica Médica Pazim Ltda.
Santa Cruz das Palmeiras SP
Clínica Alergológica Dr. Marco Antônio Fino Ltda.
Santo André
SP
Clínica Sherrington C.M. Ltda.
Santo André
SP
Visual Clínica de Olhos Ltda
São Gonçalo
RJ
Fabio Eduardo Fantini
São Joaquim da Barra
SP
Bassi e Del’arco Serv Med Neurocirurgicos Ltda.
São José do Rio Preto
SP
Clínica Dialife Ltda.
São José do Rio Preto
SP
Curaclin Clínica Médica Ltda.
São José dos Campos
SP
IOP - Instituto Odontológico Paulista
São José dos Campos
SP
Clinic de Dermatologia Dra. Marcia Ferraz Nogueira São Paulo
SP
Clínica Chinzon S/C Ltda.
São Paulo
SP
Clínica Dagoberto Perez Ltda.
São Paulo
SP
Eurico Ribeiro de Mendonça
São Paulo
SP
Fabio Marcelo Martins Vara
São Paulo
SP
Gastro Obeso Center Ltda.
São Paulo
SP
Machado e Villafranca Serv Médicos SS Ltda.
São Paulo
SP
P. S. Tanaka - Saúde da Mulher S/C Ltda.
São Paulo
SP
Heloisa Helena de Freitas Paccola
Sertãozinho
SP
José Leonardo Goes Lourenco
Sertãozinho
SP
Lima’s Assessoria Médica Ltda.
Sorocaba
SP
Gustavo Figner Moussalem
Tatuí
SP
Votuporanga
SP
Altino Gregório de Santana
O. J. da Silveira & Cia Ltda.
Votuporanga
SP
Especialidade(s)
Oftalmologia
Oftalmologia
Pediatria
Ultrassonografia
Fonoaudiologia e Psicologia
Oftalmologia
Radiologia Odontológica
Endoscopia Digestiva e Gastroenterologia
Fisioterapia - Medicina Física e Reabilitação
Patologia Clínica / Medicina Laboratorial
Fisioterapia - Medicina Física e Reabilitação
Fonoaudiologia
Nutricionista
Radiodiagnóstico, Ressonância Magnética, Tomografia
Computadorizada e Ultrassonografia
Psicologia
Neurologia Exames, Neurologia e Neurocirurgia
Fisioterapia - Medicina Física e Reabilitação
Endodontia
Pediatria
Dermatologia
Hospital Geral e Pronto Socorro Geral
Clínica Geral Odontológica
Dermatologia
Ginecologia e Obstetrícia
Terapia Ocupacional
Angiologia - Cirurgia Vascular e Linfática
Psicologia
Ginecologia e Obstetrícia
Neurologia
Patologia Clínica / Medicina Laboratorial
Clínica Geral Odontológica
Ultrassonografia
Neurologia
Medicina Nuclear
Psicologia
Fisioterapia - Medicina Física e Reabilitação
Acupuntura
Cirurgia do Aparelho Digestivo
Anestesiologia
Fisioterapia - Medicina Física e Reabilitação
Mastologia / Cirurgia da Mama
Pronto Socorro Odontológico
Cardiologia e Clínica Médica
Urologia
Hematologia e Hemoterapia
Radiologia Odontológica
Ginecologia e Obstetrícia
Alergia e Imunologia
Neurocirurgia e Neurologia
Oftalmologia
Otorrinolaringologia
Neurocirurgia
Nefrologia
Cirurgia Geral
Cirurgia e Traumatismo Buco-Maxilo-Facial, Endodontia
e Prótese Dentária
Dermatologia
Endoscopia Digestiva, Gastroenterologia e Oftalmologia
Endocrinologia
Endocrinologia
Ginecologia e Obstetrícia e Mastologia / Cirurgia da Mama
Cirurgia do Aparelho Digestivo
Neurocirurgia
Mastologia / Cirurgia da Mama
Oftalmologia
Oftalmologia
Infectologia, Otorrinolaringologia e Reumatologia
Otorrinolaringologia
Clínica Médica
Ortopedia e Traumatologia
7
cabesp100.indd 9
16/03/2012 12:09:09
FIQUE POR DENTRO
DENGUE
Nova diretoria da Cabesp
é empossada
Casos de dengue
no Brasil diminuem
60% em janeiro
Da esquerda para a direita: Sr. José Augusto, Sr. Getulio,
Sr. Sérgio, Sr. Julio, Sr. Eduardo, Sr. Jorge, Sr. Luiz Antonio,
Sr. Antonio Sergio e Sr. Nivaldo.
Acima
da esquerda
para a direita:
Sr. Getulio,
Sr. Eduardo,
Sr. Jorge e
Sr. Sérgio
FOTOS: CRISTIANE HASS
Os diretores e conselheiros fiscais efetivos e
suplentes da Cabesp, para a gestão do biênio
2012-2013 – relação à direita –, tomaram
posse no dia 2 de janeiro, em cerimônia realizada no Hotel São Paulo Inn, no Largo Santa
Efigênia, 44 - 6º andar - Salão Diamante.
Diretor Administrativo: Sérgio Kiyoshi Hirata
Diretor Financeiro: Getulio de Souza Coelho
Conselheiros Fiscais Efetivos:
Luiz Antonio Tadashi Kitamura
Antonio Sergio de Souza
José Augusto da Silva Rezende
Marco Antonio Casella
Nivaldo Tonella
Conselheiros Fiscais Suplentes:
Maria Carmen do Nascimento Meireles
Marcelino José da Silva
Paulo Sérgio Dalcin
Antonio Carlos Rodrigues
Adriano Ithya Takaki
O número de casos de dengue
diminuiu 60% em janeiro em
relação a mesmo mês do ano
passado, informou a coordenadoria do Programa Nacional de
Controle da Dengue. Em janeiro
de 2011, foram registrados
40 mil casos em todo o Brasil,
enquanto em 2012 foram
registrados 16 mil. Segundo
a coordenadoria, o programa
repassou R$ 97 milhões a 1150
municípios para intensificar
ações de combate à doença. No
início de março, será feita uma
avaliação das ações adotadas
com esses recursos.
PLANOS CABESP
Continue fazendo
sua parte para ajudar no
combate a dengue!
Não deixe água parada
Abaixo os resultados dos planos de Assistência Direta,PAP,PAFE e
FAMÍLIA relativos aos valores médios de Janeiro a Dezembro de 2011
Fonte
www.combateadengue.com.br
ASSISTÊNCIA
DIRETA
RECEITA OPERACIONAL
9.244
Receita com Contribuições
7.220
Copar + Outras
1.303
Receita com Administração de Planos
721
DESPESA OPERACIONAL
-24.189
Desp.Assistencial( Médico + Odonto )
-21.365
Despesas Operacionais Outras
-133
Despesa Administrativa
-2.691
RESULTADO OPERACIONAL
-14.945
RESULTADO NÃO OPERACIONAL + AJUSTES
27.031
SUPERÁVIT / DÉFICIT
12.086
RESERVA FINAL CONTÁBIL
4.420.261
BASE BENEFICIÁRIOS - UNITÁRIOS
55.584
Valores em R$ Mil
PAFE
PAP
513
454
58
0
-734
-664
0
-70
-221
401
180
44.719
3.318
1.328
1.327
1
0
-1.294
-1.264
0
-30
34
84
117
10.162
1.264
CABESP
FAMÍLIA
11.671
11.668
3
0
-12.571
-11.905
0
-666
-900
403
-497
35.629
32.486
ERRATA
A foto publicada na edição 99, de
Dezembro, como sendo a capa do livro
Terapia do Riso do
Dr. Eduardo Lambert
é de outra autoria.
A capa agora
publicada é a
correta.
OBS - Os saldos de reserva e base de associados são referentes a dezembro de 2011.
Publicação da Caixa Beneficente dos Funcionários do Banco do Estado de São Paulo, dirigida aos seus associados. Sede: Rua Boa Vista, 293 Centro - São Paulo/SP CEP 01014-915. - Diretor
Presidente: Eduardo José Prupest - Diretor de Operações: Jorge Angelo Lawand - Diretor Administrativo: Sérgio Kiyoshi Hirata - Diretor Financeiro: Getulio de Souza Coelho Disque Cabesp: 0800-722 2636. Fax: (11) 2185-1291 - Fale Conosco: www.cabesp.com.br - Fale Conosco. Edição e Produção: AMG & Editores Associados, Comunicação Integrada [email protected] - Colaboração: Mariana Nogueira - Projeto Gráfico: Carlos Rocha - Tiragem: 29.000 exemplares.
8
cabesp100.indd 2
O conteúdo dos anúncios publicitários é de inteira responsabilidade do anunciante, não alterando
as regras estabelecidas pela CABESP quanto à cobertura, autorização, ao perfil e ao sistema de livre escolha.
16/03/2012 12:09:29
Fly UP