...

Prova - Curso Objetivo

by user

on
Category: Documents
4

views

Report

Comments

Transcript

Prova - Curso Objetivo
As questões de números 01 a 05 tomam por base uma
passagem de um romance de Autran Dourado (19262012).
A gente Honório Cota
Quando o coronel João Capistrano Honório Cota
mandou erguer o sobrado, tinha pouco mais de trinta
anos. Mas já era homem sério de velho, reservado,
cumpridor. Cuidava muito dos trajes, da sua aparência
medida. O jaquetão de casimira inglesa, o colete de linho
atravessado pela grossa corrente de ouro do relógio; a
calça é que era como a de todos na cidade — de brim, a
não ser em certas ocasiões (batizado, morte, casamento
— então era parelho mesmo, por igual), mas sempre
muito bem passada, o vinco perfeito. Dava gosto ver:
O passo vagaroso de quem não tem pressa — o mundo
podia esperar por ele, o peito magro estufado, os gestos
lentos, a voz pausada e grave, descia a rua da Igreja
cumprimentando cerimoniosamente, nobremente, os que
por ele passavam ou os que chegavam na janela muitas
vezes só para vê-lo passar.
Desde longe a gente adivinhava ele vindo: alto, magro,
descarnado, como uma ave pernalta de grande porte.
Sendo assim tão descomunal, podia ser desajeitado: não
era, dava sempre a impressão de uma grande e ponderada
figura. Não jogava as pernas para os lados nem as trazia
abertas, esticava-as feito medisse os passos, quebrando
os joelhos em reto.
Quando montado, indo para a sua Fazenda da Pedra
Menina, no cavalo branco ajaezado de couro trabalhado
e prata, aí então sim era a grande, imponente figura, que
enchia as vistas. Parecia um daqueles cavaleiros antigos,
fugidos do Amadis de Gaula ou do Palmeirim, quando
iam para a guerra armados cavaleiros.
(Ópera dos mortos, 1970.)
1
No primeiro parágrafo, com a frase “então era parelho
mesmo, por igual”, o narrador faz referência ao fato de o
coronel
a) vestir em certos eventos sociais a calça também de
casimira.
b) ser par para qualquer desafio que lhe fizessem.
c) usar também em certas ocasiões o jaquetão de brim.
d) usar roupas iguais às de todos na cidade.
e) demonstrar sua humildade por meio das roupas.
Resolução
“Então era parelho mesmo, por igual” refere-se ao
fato de que, em ocasiões especiais, o coronel envergasse calça do mesmo tecido do seu “jaquetão de casimira
inglesa”. Informa o dicionário Houaiss que parelho é
um substantivo regional (São Paulo) que significa
“conjunto de calça e paletó masculinos”.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
2
No terceiro parágrafo, a comparação do coronel com uma
ave pernalta representa
a) um recurso expressivo para ilustrar sua aparência e sua
presença física.
b) uma figura de retórica sem grande significado descritivo.
c) uma imagem visual de seu temperamento amável, mas
perigoso.
d) uma imagem que busca representar sua impressionante
beleza.
e) um modo de chamar atenção para o ambiente rústico
em que vivia.
Resolução
Trata-se de uma comparação em que se ressaltam a
magreza e o porte da personagem.
Resposta: A
3
Em seu conjunto, a descrição do coronel sugere uma
figura que
a) exibe um temperamento tímido e fechado.
b) manifesta desprezo por tudo à sua volta.
c) demonstra humildade em tudo o que fazia.
d) revela nos gestos e comportamento segurança e poder.
e) inspira certo receio aos habitantes da cidade.
Resolução
É sobretudo no quarto parágrafo transcrito que a
atitude altiva e segura do coronel é focalizada na
descrição.
Resposta: D
4
No início do segundo parágrafo, por ter na frase a mesma
função sintática que o vocábulo “vagaroso” com relação a
“passo”, a oração “de quem não tem pressa” é considerada
a) coordenada sindética.
b) subordinada substantiva.
c) subordinada adjetiva.
d) coordenada assindética.
e) subordinada adverbial.
Resolução
Trata-se de uma oração subordinada adjetiva restritiva referente a “passo”.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
5
Analisando o último período do terceiro parágrafo,
verifica-se que a palavra “feito” é empregada como
a) advérbio.
b) verbo.
c) substantivo.
d) adjetivo.
e) conjunção.
Resolução
Empregado como conjunção comparativa, feito é um
brasileirismo. Equivale a como, tal qual.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
As questões de números 06 a 10 focalizam uma passagem
de um artigo de Cláudia Vassallo.
Aliadas ou concorrentes
Alguns números: nos Estados Unidos, 60% dos
formados em universidades são mulheres. Metade das
europeias que estão no mercado de trabalho passou por
universidades. No Japão, as mulheres têm níveis
semelhantes de educação, mas deixam o mercado assim
que se casam e têm filhos. A tradição joga contra a
economia. O governo credita parte da estagnação dos
últimos anos à ausência de participação feminina no
mercado de trabalho. As brasileiras avançam mais rápido
na educação. Atualmente, 12% das mulheres têm diploma
universitário — ante 10% dos homens. Metade das
garotas de 15 entrevistadas numa pesquisa da OCDE1
disse pretender fazer carreira em engenharia e ciências —
áreas especialmente promissoras.
[...]
Agora, a condição de minoria vai caindo por terra e os
padrões de comportamento começam a mudar. Cada vez
menos mulheres estão dispostas a abdicar de sua natureza
em nome da carreira. Não se trata de mudar a essência do
trabalho e das obrigações que homens e mulheres têm de
encarar. Não se trata de trabalhar menos ou ter menos
ambição. É só uma questão de forma. É muito provável
que legisladores e empresas tenham de ser mais flexíveis
para abrigar mulheres de talento que não desistiram do
papel de mãe. Porque, de fato, essa é a grande e única
questão de gênero que importa.
Mais fortalecidas e mais preparadas, as mulheres terão
um lugar ao sol nas empresas do jeito que são ou
desistirão delas, porque serão capazes de ganhar dinheiro
de outra forma. Há 8,3 milhões de empresas lideradas por
mulheres nos Estados Unidos — é o tipo de
empreendedorismo que mais cresce no país. De acordo
com um estudo da EY2, o Brasil tem 10,4 milhões de
empreendedoras, o maior índice entre as 20 maiores
economias. Um número crescente delas tem migrado das
grandes empresas para o próprio negócio. Os fatos
mostram: as empresas em todo o mundo terão, mais cedo
ou mais tarde, de decidir se querem ter metade da
população como aliada ou como concorrente.
(Exame, outubro de 2013.)
1
OCDE: Organização para a Cooperação e Desenvolvimento
Econômico.
2
EY: Organização global com o objetivo de auxiliar seus clientes a
fortalecerem seus negócios ao redor do mundo.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
6
Indique a acepção da palavra “estagnação” que melhor se
enquadra no contexto do primeiro parágrafo:
a) “ausência completa de atividade ou movimento”.
(Dicionário On-line de Português)
b) “situação em que o produto nacional não cresce à
altura do potencial econômico do país”. (Houaiss)
c) “falta de movimento, de atividade; inércia, paralisação”. (Aurélio)
d) “estado das águas que formam charco”. (Michaelis)
e) “estado ou situação daquilo que está estagnado, sem
fluir, sem evoluir, sem progredir, sem se mover”.
(Caldas Aulete)
Resolução
A alternativa b define com precisão o sentido do termo
quando aplicado à economia.
Resposta: B
7
“Cada vez menos mulheres estão dispostas a abdicar de
sua natureza em nome da carreira.”
Considerando esse trecho, do segundo parágrafo, marque
a alternativa que melhor traduz o conceito apresentado
pela autora com a expressão “abdicar de sua natureza”:
a) recusar qualquer forma de trabalho mal remunerado.
b) renunciar à maternidade por causa do trabalho.
c) deixar de aperfeiçoar-se na profissão.
d) desistir de sua vocação de liderança sobre os homens.
e) abrir mão de suas ambições no empreendedorismo.
Resolução
É o que se depreende do seguinte trecho do 2.º parágrafo: “É muito provável que legisladores e empresas
tenham de ser mais flexíveis para abrigar mulheres de
talento que não desistiram do papel de mãe”.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
8
Em sua argumentação, a autora revela que a importância
da presença das mulheres em atividades empresariais se
deve, entre outros, a um motivo de ordem estatística:
a) elas revelam maior sensibilidade e uma intuição aguçada para os negócios.
b) elas representam um contingente considerável de
metade da população do mundo.
c) elas são capazes, em comparação com os homens, de
acumular inúmeras tarefas.
d) elas se formam em média com rendimento maior que
os homens nas universidades.
e) elas aumentam significativamente a produção das
empresas em que atuam.
Resolução
Segundo o texto, 8,3 milhões de empresas são lideradas
por mulheres nos Estados Unidos. No Brasil, 10,4
milhões de empreendedoras fazem o país ter o maior
índice entre as 20 maiores economias, representando o
forte contingente feminino em atividades empresariais.
Resposta: B
9
Desde o título do artigo, que é retomado no último
parágrafo, os argumentos da autora são motivados por um
fato não referido de modo ostensivo, ou seja,
a) a boa empresária dificilmente conseguirá se tornar uma
boa mãe.
b) as mulheres mostram melhor desempenho nas atividades domésticas.
c) as atividades empresariais ainda são dominadas por
homens.
d) as empresas fazem grande esforço pela participação de
mulheres.
e) o mercado ainda trata as mulheres mais como consumidoras do que empreendedoras.
Resolução
As mulheres são consideradas, nas atividades empresariais, como “aliadas ou concorrentes” porque, sendo
o mundo empresarial tradicionalmente masculino, a
figura feminina é classificada de uma ou outra forma
pelos que se encontram no poder administrativo, isto
é, os homens.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
10
No último parágrafo, focalizando o mercado de trabalho
mundial, a autora sugere que as grandes empresas atuais
a) correm o risco de privilegiar o mercado feminino, se
começarem a ser lideradas por mulheres.
b) não admitem, em todo o mundo, a liderança de mulheres.
c) precisam muito da liderança de mulheres, pois estas
são atualmente mais capacitadas que os homens.
d) não precisam se preocupar com as mulheres, pois o
empreendedorismo destas é um fenômeno passageiro.
e) poderão ter de enfrentar no futuro a concorrência de
empresas lideradas por mulheres.
Resolução
Confirma-se a provável “concorrência de empresas
lideradas por mulheres” na afirmação “as empresas
em todo o mundo terão, mais cedo ou mais tarde, de
decidir se querem ter metade da população como
aliada ou como concorrente”.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Para responder às questões de números 11 a 15, leia o
poema de Catulo da Paixão Cearense (1863-1946).
O Azulão e os tico-ticos
5
Do começo ao fim do dia,
um belo Azulão cantava,
e o pomar que atento ouvia
o seus trilos de harmonia,
cada vez mais se enflorava.
Se um tico-tico e outras aves
vaiavam sua canção...
mais doce ainda se ouvia
a flauta desse Azulão.
10
15
20
25
30
35
40
Um papagaio, surpreso
de ver o grande desprezo,
do Azulão, que os desprezava,
um dia em que ele cantava
e um bando de tico-ticos
numa algazarra o vaiava,
lhe perguntou: “Azulão,
olha, dize-me a razão
por que, quando estás cantando
e recebes uma vaia
desses garotos joviais,
tu continuas gorgeando
e cada vez canta mais?!”
Numas volatas sonoras,
o Azulão lhe respondeu:
“Caro Amigo! Eu prezo muito
esta garganta sublime
e esta voz maravilhosa...
este dom que Deus me deu!
Quando, há pouco, eu descantava,
pensando não ser ouvido
nestes matos por ninguém,
um Sabiá*, que me escutava,
num capoeirão, escondido,
gritou de lá: — meu colega,
bravos! Bravos... muito bem!
Pergunto agora a você:
quem foi um dia aplaudido
pelo príncipe dos cantos
de celestes harmonias,
(irmão de Gonçalves Dias,
um dos cantores mais ricos...)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
— que caso pode fazer
das vaias dos tico-ticos?”
* Nota do editor: Simbolicamente, Rui Barbosa está representado neste
Sabiá, pois foi a “Águia de Haia” um dos maiores admiradores de
Catulo e prefaciador do seu livro Poemas bravios.
(Poemas escolhidos, s/d.)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
11
Tomando por base a leitura do poema, verifica-se que o
pomar, mencionado na primeira estrofe, é apresentado
como
a) um ser inteiramente insensível ao canto dos pássaros.
b) morada dos tico-ticos invadida pelo Azulão.
c) mero cenário dos acontecimentos.
d) um ser capaz de ouvir e apreciar o canto do Azulão.
e) recanto de uma floresta selvagem.
Resolução
Trata-se de personificação ou prosopopeia, em que o
pomar é apresentado como ser animado, “capaz de
ouvir e apreciar o canto do Azulão”.
Resposta: D
12
Ante as vaias dos tico-ticos e outras aves, o Azulão torna
ainda mais perfeita sua canção. Com isso, revela uma
atitude de
a) autoconfiança.
b) rancor.
c) ingenuidade.
d) ignorância.
e) revolta.
Resolução
O Azulão responde à pergunta do papagaio afirmando
que preza muito sua “garganta sublime” e “voz maravilhosa”, concluindo que já fora aplaudido até mesmo
“pelo príncipe dos cantos/de celestes harmonias”, daí
sua autoconfiança diante das vaias.
Resposta: A
13
Na fala do papagaio, dos versos de números 16 a 22, uma
das formas verbais não apresenta, como deveria, flexão
correspondente à mesma pessoa gramatical das demais.
Trata-se de
a) continuas.
b) dize.
c) canta.
d) recebes.
e) estás.
Resolução
Os verbos dize, estás, recebes e continuas estão conjugados, respectivamente, na segunda pessoa do singular
do imperativo afirmativo (dizer) e presente do indicativo (estar, receber e continuar). Excetua-se, apenas,
a forma verbal canta, na terceira pessoa do singular.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
14
Considerando a nota do editor, que identifica o Sabiá
como Rui Barbosa, grande admirador da poesia de
Catulo, os tico-ticos representam no poema
a) os outros poetas.
b) os adversários de Rui Barbosa.
c) os músicos e cantores.
d) os admiradores de Gonçalves Dias.
e) os críticos do poeta.
Resolução
Os tico-ticos representam, nessa analogia, os críticos
do poeta, responsáveis pela vaia.
Resposta: E
15
Se, nos versos 32 e 33, as palavras “Sabiá” e “capoeirão”
fossem pronunciadas “sa-bi-á” e “ca-po-ei-rão”, tais
versos quebrariam o padrão e o ritmo dos demais, pois
passariam a ser
a) heptassílabos.
b) octossílabos. c) eneassílabos.
d) hexassílabos.
e) decassílabos.
Resolução
Escandindo-se os versos 32 e 33, conforme a orientação
do teste, teríamos versos de oito sílabas (octossílabos):
..1
2 3 4 5
6
7 8
um / Sa / bi / á / que / mees / cu / ta / (va)
num / ca / po / ei / rão / es / con / di / (do)
...1
2 3 4 5
6 7
8
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
As questões de números 16 a 20 abordam um texto de um
site especializado em esportes com instruções de
treinamento para a corrida olímpica dos 1 500 metros.
Corrida – Prova 1 500 metros rasos
A prova dos 1 500 metros rasos, juntamente com a da
milha (1 609 metros), característica dos países anglosaxônicos, é considerada prova tática por excelência,
sendo muito importante o conhecimento do ritmo e da
fórmula a ser utilizada para vencer a prova. Os
especialistas nessas distâncias são considerados
completos homens de luta que, após um penoso esforço
para resistir ao ataque dos adversários, recorrem a todas
as suas energias restantes a fim de manter a posição de
destaque conseguida durante a corrida, sem ceder ao
constante assédio dos seus perseguidores.
[...] Para correr essa distância em um tempo aceitável,
deve-se gastar o menor tempo possível no primeiro quarto
da prova, devendo-se para tanto sair na frente dos
adversários, sendo essencial o completo domínio das
pernas, para em seguida normalizar o ritmo da corrida.
No segundo quarto, deve-se diminuir o ritmo, a fim de
trabalhar forte no restante da prova, sempre procurando
dosar as energias, para não correr o risco de ser
surpreendido por um adversário e ficar sem condições
para a luta final.
Deve ser tomado cuidado para não se deixar enganar
por algum adversário de condição inferior, que
normalmente finge possuir energias que realmente não
tem, com o intuito de minar o bom corredor, para que o
companheiro da mesma equipe possa tirar proveito da
situação e vencer a prova. Assim sendo, o corredor
experiente saberá manter regularmente as suas passadas,
sem deixar-se levar por esse tipo de artimanha.
Conhecendo o estado de suas condições pessoais, o
corredor saberá se é capaz de um sprint nos 200 metros
finais, que é a distância ideal para quebrar a resistência
de um adversário pouco experiente.
O corredor que possui resistência e velocidade pode
conduzir a corrida segundo a sua conveniência, impondo
os seus próprios meios de ação. Finalmente, ao
ultrapassar um adversário, deve-se fazê-lo decidida e
folgadamente, procurando sempre impressioná-lo com
sua ação enérgica. Também deve-se procurar manter
sempre uma boa descontração muscular durante o
desenvolvimento da corrida, nunca levar a cabeça para
trás e encurtar as passadas para finalizar a prova.
(http://treino-de-corrida.f1cf.com.br)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
16
Segundo o texto, antes desse tipo de corrida, é muito
importante para o atleta
a) verificar as condições climáticas para o dia da prova.
b) analisar seus resultados em provas de que participou
recentemente.
c) analisar as características dos principais oponentes.
d) planejar o desempenho adequado a cada uma das
partes da prova.
e) atentar para o modo como os outros atletas farão a
largada.
Resolução
É muito importante na prova dos 1.500 metros rasos
“o conhecimento do ritmo e da fórmula a ser utilizada
para vencer a prova”, portanto o atleta deve planejar
o desempenho, considerando as variáveis do percurso
e a competência dos adversários.
Resposta: D
17
No terceiro parágrafo, descreve-se uma “artimanha”
nessa prova:
a) simular falta de confiança em suas condições pessoais.
b) largar bem lentamente, para disparar no meio da prova.
c) manter regularmente as suas passadas, para não se
cansar.
d) imprimir grande velocidade, para extenuar um forte
oponente.
e) fingir que está perdendo terreno, para disparar no
momento certo.
Resolução
A artimanha, que o corredor experiente deve evitar, é
a de perseguir um adversário inferior, que imprime
velocidade intensa no início da prova, com o intuito de
desgastar fisicamente os corredores.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
18
Pela própria descrição da corrida no texto, verifica-se que
o termo “rasos”, incluído na denominação da prova,
significa, tecnicamente, que
a) é uma corrida sem barreiras em seu curso.
b) os atletas largam de raias diferentes e convergem para
a raia interna.
c) é proibido correr na raia externa.
d) todos os atletas correm numa única raia.
e) a decisão da prova só ocorre nos últimos 200 metros.
Resolução
O texto não explica o sentido da palavra rasos. O
vestibulando deveria deduzir que o tipo de corrida
referido no texto não apresenta barreiras para o
velocista saltar. Há várias provas com essa terminologia: 100m rasos, 200m rasos, 400m rasos. Raso, no
caso, significa “sem relevo ou saliência”.
Resposta: A
19
Observando as seguintes passagens do texto apresentado,
marque a alternativa em que as duas palavras em negrito
são utilizadas como advérbios:
a) “não correr o risco de ser surpreendido”.
b) “finge possuir energias que realmente não tem”.
c) “deve-se fazê-lo decidida e folgadamente”.
d) “nunca levar a cabeça para trás”.
e) “forte no restante da prova, sempre procurando
dosar”.
Resolução
Decidida e folgadamente são advérbios, modificam a
locução adverbial “deve-se fazê-lo”. Na alternativa b,
a palavra restante classifica-se morfologicamente
como substantivo.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
20
Ao empregar a expressão “sprint”, o autor do texto referese a
a) dosar melhor a respiração.
b) atingir grande velocidade.
c) assumir postura vitoriosa.
d) aumentar a extensão das passadas.
e) impedir com o corpo ultrapassagens.
Resolução
Sprint, anglicismo aplicado à prova de atletismo, significa “correr a toda velocidade” (Dicionário Michaelis).
Resposta: B
21
Examine o quadrinho.
The boy
a) is late for school because he was reading all the
newspaper sessions.
b) is amused because a newspaper is cheaper than the
internet.
c) has just read an article about environment and
technology.
d) thinks that newspapers were developed after the
internet to protect the environment.
e) believes the internet is better than books and
newspapers.
Resolução
O garoto acredita que os jornais foram desenvolvidos
depois da internet para proteger o meio ambiente.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Examine o quadrinho para responder às questões de
números 22 e 23.
22
A expressão “instead of” equivale, em português, a
a) ainda que.
b) ao mesmo tempo em que.
c) depois de.
d) logo que.
e) em vez de.
Resolução
A expressão “instead of” equivale em português, a em
vez de.
Resposta: E
23
No contexto do quadrinho, o termo “can” indica uma
ideia de
a) habilidade.
b) conhecimento.
c) pedido.
d) obrigação.
e) certeza.
Resolução
No contexto do quadrinho, o termo “can” indica uma
ideia de pedido “can we read tweets?” (= podemos ler
“tweets”?
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Leia o texto para responder às questões de números 24 a
30.
Pediatric group advises parents to read to kids
June 26, 2014
By Amy Graff
Reading Go Dog Go to your 6 month old might seem
like wasted time because she’s more likely to eat the book
than help you turn the pages, but a statement released by
the American Academy of Pediatrics (AAP) this week
says reading in the early years is essential. Reading out
loud gets parents talking to their babies and the sound of
an adult’s voice stimulates that tiny yet rapidly growing
brain. In the statement, the academy advises pediatricians
to tell parents to read books to their children from birth.
Reading regularly with young children stimulates
optimal patterns of brain development and strengthens
parent-child relationship at a critical time in child
development, which, in turn, builds language, literacy,
and social-emotional skills that last a lifetime. Research
shows that a child’s brain develops fastar between 0 and
3 than at any other time in life, making the early years a
critical time for babies to hear rich oral language. The
more words children hear directed at them by parents and
caregivers, the more they learn.
While many babies are read Goodnight Moon and The
Very Hungry Caterpillar every night before bed, others
never get a chance to “pat the bunny.” Studies reveal that
children from low-income, less-educated families have
significantly fewer books than their more affluent peers.
By age 4, children in poverty hear 30 million fewer words
that those in higher-income households. These dramatic
gaps result in significant learning disadvantages that
persist into adulthood. The AAP hopes the new guidelines
will encourage all parents to start reading from day one.
Research shows that when pediatricians talk with
parents about reading, moms and dads are more likely to
fill their home with books and read. Also, to help get more
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
parents reading, the AAP is partnering with organizations
such as Scholastic and Too Small to Fail to help get
reading materials to new families who need books the
most.
This is the first time the AAP has made a
recommendation on children’s literary education and it
seems the timing might be just right as more and more
parents are leaning on screens and electronic gadget to
occupy their babies. “The reality of today’s world is that
we’re competing with portable digital media,” Dr. Alanna
Levine, a pediatrician in Orangeburg, N.Y., told The New
York Times. “So you really want to arm parents with tools
and rationale behind it about why it’s important to stick to
the basics of things like books.”
(http://blog.seattlepi.com. Adaptado.)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
24
Conforme o texto, os pais devem ler para seus filhos
a) a partir dos 6 meses.
b) até os 4 anos de idade.
c) de 0 a 3 anos de idade.
d) até a idade escolar.
e) desde o nascimento.
Resolução
Conforme o texto, os pais devem ler para seus filhos
desde o nascimento.
“No texto:
“...the academy advises pediatricians to tell parents to
read books to their children from birth.”
• to advise = aconselhar
Resposta: E
25
Segundo o texto, uma das vantagens de ler para os filhos
é que:
a) os vínculos entre pais e filhos ficarão mais estreitos.
b) a fala das crianças fica adiantada em pelo menos seis
meses.
c) o cérebro infantil se desenvolverá mais rápido até os 3
anos de idade.
d) as crianças terão uma qualidade de sono melhor.
e) ao manusearem os livros, a coordenação motora das
crianças se desenvolve.
Resolução
Segundo o texto, uma das vantagens de ler para os
filhos é que os vínculos entre pais e filhos ficarão mais
estreitos.
No texto:
“Reading regularly with young children stimulates
optimal
patterns
of
brain
development
and
strengthens parent-child relationship at a critical time
in child development...”
• patterns of brain = padrões cerebrais.
• to strengthen = fortalecer
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
26
According to the information presented in the third
paragraph,
a) the AAP will publish free books to help low-income
families.
b) income influences reading habits since rich families
can afford more books.
c) expensive books introduce more words and therefore
vocabulary is expanded.
d) children that do not read aloud end up displaying
learning problems.
e) certain books like Goodnight Moon are recommended
by the AAP.
Resolução
De acordo com a informação apresentada no terceiro
parágrafo a renda influencia os hábitos de leitura visto
que famílias ricas podem comprar mais livros.
“Studies reveal that children from low-income, lesseducated families have significantly fewer books than
their more affluent peers.”
• low-income = baixa renda
• affluent peers = semelhantes ricos.
Resposta: B
27
No trecho do primeiro parágrafo “that tiny yet rapidly
growing brain”, o termo em destaque indica
a) contraste.
b) tempo.
c) explicação.
d) condição.
e) resultado.
Resolução
O termo yet em negrito no trecho em destaque indica
contraste.
* yet = porém, ainda assim
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
28
No trecho do segundo parágrafo “which, in turn, builds
language”, a expressão em destaque equivale, em
português, a
a) ao retornar.
b) nas idas e vindas.
c) por sua vez.
d) ao dar reviravoltas.
e) ao se desviar.
Resolução
No trecho do segundo parágrafo “which, in turn,
builds language”, a expressão em destaque equivale,
em português, a por sua vez.
* in turn = por sua vez
Resposta: C
29
No trecho do terceiro parágrafo “By age 4, children in
poverty hear 30 milion fewer words than those in higherincome households.”, o termo em destaque se refere às
crianças
a) de famílias pobres.
b) de famílias com menor escolaridade.
c) de famílias de maior renda.
d) com problemas de aprendizagem.
e) com mais de quatro anos de idade.
Resolução
No trecho do terceiro parágrafo “By age 4, children
in poverty hear 30 million fewer words than those in
higher-income households”, o termo em destaque se
refere às crianças de famílias de maior renda.
* those = those children (crianças)
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
30
O trecho do último parágrafo “it’s important to stick to
the basics of things like books” pode ser entendido como:
a) As coisas básicas são interessantes para as crianças.
b) Os livros básicos são coisas importantes na vida.
c) É importante valorizar o gosto pelos bons livros.
d) É importante manter coisas básicas como os livros.
e) É fundamental escolher sempre o que se gosta,
inclusive
livros.
Resolução
O trecho mencionado “It’s important to stick to the
basics of things like books” pode ser entendido como:
É importante manter coisas básicas como os livros.
Resposta: D
Leia o texto para responder às questões de números 31 e
32.
A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas
ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na
Itália construíram grandes templos destinados a deuses
específicos: os deuses de cada cidade.
As construções de templos foram verdadeiramente
monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos
deuses. Não eram mais deuses de uma família
aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os
deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu,
assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas
da pólis. [...]
A construção monumental foi influenciada por
modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo
matemático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito,
os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis.
(Norberto Luz Guarinello, História antiga, 2013.)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
31
Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na
Grécia antiga, foi o de
a) eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a
igualdade social.
b) estabelecer identidade e vínculos comunitários e
unificar as crenças.
c) impedir a persistência do paganismo e afirmar os
valores cristãos.
d) eliminar a integração política, militar e cultural entre as
cidades-estados.
e) valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas
de culto populares.
Resolução
Alternativa escolhida por eliminação, por dois
motivos: 1) seria temerário enfatizar a influência da
arte monumental mesopotâmica na formação
urbanística das pólis, no século VII a.C.; 2) a
expressão “unificar as crenças” foi empregada
inadequadamente, pois, no caso, tratar-se-ia apenas
de fortalecer a devoção da comunidade à divindade
protetora local, e não unificar a doutrina e a mitologia
como um todo, o que envolveria o conjunto da
população grega.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
32
A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega
e a arquitetura egípcia e oriental pode ser justificada pela
a) circulação e comunicação entre povos da região
mediterrânica e do Oriente Próximo, que facilitaram a
expansão das construções em pedra.
b) dominação política e militar que as cidades-estados
gregas, lideradas por Esparta, impuseram ao Oriente
Próximo.
c) presença hegemônica de povos de origem árabe na
região mediterrânica, que contribuiu para a expansão
do Islamismo.
d) difusão do helenismo na região mediterrânica, que
assegurou a incorporação de elementos culturais dos
povos dominados.
e) força unificadora do cristianismo, que assegurou a
integração e as recíprocas influências culturais entre a
Europa e o norte da África.
Resolução
Outra alternativa escolhida por eliminação porque
acentua de forma prematura – por se referir ao século
VII a.C. – as relações entre a arquitetura grega e a
egípcia (além de outras de origem igualmente oriental)
na produção arquitetônica dos gregos.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
33
Observemos apenas que o sistema dos feudos, a
feudalidade, não é, como se tem dito frequentemente, um
fermento de destruição do poder. A feudalidade surge, ao
contrário, para responder aos poderes vacantes. Forma a
unidade de base de uma profunda reorganização dos
sistemas de autoridade [...].
(Jacques Le Goff. Em busca da Idade Média, 2008.)
Segundo o texto, o sistema de feudos
a) representa a unificação nacional e assegura a imediata
centralização do poder político.
b) deriva da falência dos grandes impérios da Antiguidade
e oferece uma alternativa viável para a destruição dos
poderes políticos.
c) impede a manifestação do poder real e elimina os
resquícios autoritários herdados das monarquias
antigas.
d) constitui um novo quadro de alianças e jogos políticos
e assegura a formação de Estados unificados.
e) ocupa o espaço aberto pela ausência de poderes
centralizados e permite a construção de uma nova
ordem política.
Resolução
Interpretação de texto. Segundo Le Goff, a
desagregação do Império Romano do Ocidente e a
fraqueza ou desorganização dos reinos bárbaros que
lhe sucederam provocaram uma reordenação das
forças político-sociais, tomando como base inicial de
poder a nobreza guerreira senhorial (origem da
aristocracia feudal).
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
34
Que significa o advento do século XVI? [...] Se essa
passagem de século tem hoje um sentido para nós, um
sentido que talvez não tinha nos séculos anteriores, é
porque vemos que aí é que surgem as primícias da
globalização. E essa globalização é mais que um processo
de expansão de origem ibérica, mesmo se o papel da
península foi dominante. [...] Em 1500, ainda estamos
bem longe de uma economia mundial. No limiar do
século XVI, a globalização corresponde ao fato de setores
do mundo que se ignoravam ou não se frequentavam
diretamente serem postos em contato uns com os outros.
(Serge Gruzinski. A passagem do século: 1480-1520, 1999.)
O texto
a) defende a ideia de que a expansão marítima dos
séculos XV e XVI tenha provocado a globalização,
pois tal expansão eliminou as fronteiras nacionais.
b) rejeita a ideia de que a expansão marítima dos séculos
XV e XVI tenha provocado a globalização, pois muitos
povos do mundo se desconheciam.
c) identifica a expansão marítima dos séculos XV e XVI
com o atual contexto de globalização, destacando, em
ambos, a completa internacionalização da economia.
d) compara a expansão marítima dos séculos XV e XVI
com o atual contexto de globalização, demonstrando o
papel central, em ambos, dos países ibéricos.
e) relaciona a expansão marítima dos séculos XV e XVI
com o atual contexto de globalização, ressalvando,
porém, que são processos históricos distintos.
Resolução
O conceito exposto no texto transcrito estabelece uma
comparação entre as Grandes Navegações e a atual
globalização. Na verdade, trata-se da reformulação de
uma constatação que historiadores não tão recentes
consideravam como a “europeização do mundo” ou
integração de economias distintas em um grande
quadro mundial, dominado pelo capital mercantil
europeu.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Leia o texto para responder às questões de números 35 e
36.
O Brasil colonial foi organizado como uma empresa
comercial resultante de uma aliança entre a burguesia
mercantil, a Coroa e a nobreza. Essa aliança refletiu-se
numa política de terras que incorporou concepções rurais
tanto feudais como mercantis.
(Emília Viotti da Costa. Da Monarquia à República, 1987).
35
A afirmação de que “O Brasil colonial foi organizado
como uma empresa comercial resultante de uma aliança
entre a burguesia mercantil, a Coroa e a nobreza” indica
que a colonização portuguesa do Brasil.
a) desenvolveu-se de forma semelhante às colonizações
espanhola e britânica nas Américas, ao evitar a
exploração sistemática das novas terras e privilegiar os
esforços de ocupação e povoamento.
b) implicou um conjunto de articulações políticas e
sociais, que derivavam, entre outros fatores, do
exercício do domínio político pela metrópole e de uma
política de concessões de privilégios e vantagens
comerciais.
c) alijou, do processo colonizador, os setores populares,
que foram impedidos de se transferir para a colônia e
não puderam, por isso, aproveitar as novas
oportunidades de emprego que se abriam.
d) incorporou as diversas classes sociais existentes em
Portugal, que mantiveram, nas terras coloniais, os
mesmos direitos políticos e trabalhistas de que
desfrutavam na metrópole.
e) alterou as relações políticas dentro de Portugal, pois
provocou o aumento da participação dos burgueses nos
assuntos nacionais e eliminou a influência da
aristocracia palaciana sobre o rei.
Resolução
O arranjo descrito pela autora está consubstanciado
nas regras do Pacto Colonial, uma vez que o exclusivo
comercial metropolitano (imposição de uma Coroa
absolutista) beneficiava a burguesia mercantil na
exploração da economia colonial. À nobreza cabia
exercer a alta administração da colônia, ocupando
tanto os cargos civis como os militares, o que podia
envolver outras compensações além dos vencimentos
da função. Quanto às camadas populares – não
mencionadas no texto –, forneceram o contingente
necessário à ocupação e povoamento do território.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
36
A constatação de que “Essa aliança refletiu-se numa
política de terras que incorporou concepções rurais tanto
feudais como mercantis” justifica-se, pois a política de
terras desenvolvida por Portugal durante a colonização
brasileira.
a) permitiu tanto o surgimento de uma ampla camada de
pequenos proprietários, cuja produção se voltava para
o mercado interno, quanto a implementação de sólidas
parcerias comerciais com o restante da América.
b) determinou tanto uma rigorosa hierarquia nobiliárquica nas terras coloniais, quanto o confisco total e
imediato das terras comunais cultivadas por grupos
indígenas ao longo do litoral brasileiro.
c) envolveu tanto a cessão vitalícia do usufruto de terras
que continuavam a ser propriedades da Coroa, quanto
a orientação principal do uso da terra para a monocultura exportadora.
d) garantiu tanto a prevalência da agricultura de
subsistência, quanto a difusão, na região amazônica e
nas áreas centrais da colônia, das práticas da pecuária
e da agricultura de exportação.
e) assegurou tanto o predomínio do minifúndio no
Nordeste brasileiro, quanto uma regular distribuição
de terras entre camponeses no Centro-Sul, com o
objetivo de estimular a agricultura de exportação.
Resolução
A empresa agrícola lusitana no Brasil foi viabilizada
por dois aspectos fundamentais: a produção em
sistema de plantation, voltada para a exportação, e a
garantia do direito de posse da terra à particulares
(donatários e sesmeiros), ainda que a propriedade –
ao menos em tese – continuasse a pertencer à Coroa.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
37
Era o fim. O general Simón José Antonio de la Santísima
Trinidad Bolívar y Palacios ia embora para sempre. Tinha
arrebatado ao domínio espanhol um império cinco vezes
mais vasto que as Europas, tinha comandado vinte anos
de guerras para mantê-lo livre e unido, e o tinha
governado com pulso firme até a semana anterior, mas na
hora da partida não levava sequer o consolo de
acreditarem nele. O único que teve bastante lucidez para
saber que na realidade ia embora, e para onde ia, foi o
diplomata inglês, que escreveu num relatório oficial a seu
governo: “O tempo que lhe resta mal dá para chegar ao
túmulo.”
(Gabriel García Marquez. O general em seu labirinto, 1989.)
O perfil de Simón Bolívar, apresentado no texto, acentua
alguns de seus principais feitos, mas deve ser relativizado,
uma vez que Bolívar
a) foi um importante líder político, mas jamais
desempenhou atividades militares no processo de
independência da América Hispânica.
b) obteve sucesso na luta contra a presença britânica e
norte-americana na América Hispânica, mas jamais
conseguiu derrotar os colonizadores espanhóis.
c) defendeu a total unidade das Américas, mas jamais
obteve sucesso como comandante militar nas lutas de
independência das antigas colônias espanholas.
d) teve papel político e militar decisivo na luta de
independência da América Hispânica, mas jamais
governou a totalidade das antigas colônias espanholas.
e) atuou no processo de emancipação da América
Hispânica, mas jamais exerceu qualquer cargo político
nos novos Estados nacionais.
Resolução
Embora Bolívar seja o responsável, direto ou indireto,
pela libertação de cinco Estados sul-americanos
(Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Alto
Peru/Bolívia), jamais administrou diretamente esse
vasto conjunto territorial, menos ainda “a totalidade
das antigas colônias espanholas”. Apesar de suas
intenções unionistas, não conseguiu viabilizá-las
devido às diversidades regionais e às ambições de seus
lugar-tenentes. Bolívar foi presidente da Venezuela, da
Grã-Colômbia (Venezuela e Colômbia), do Peru e do
Alto Peru, embora nos dois últimos casos seu título
fosse praticamente honorífico.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
38
A escravatura, que realmente tantos males acarreta para a
civilização e para a moral, criou no espírito dos brasileiros
este caráter de independência e soberania, que o
observador descobre no homem livre, seja qual for o seu
estado, profissão ou fortuna. Quando ele percebe
desprezo, ou ultraje da parte de um rico ou poderoso,
desenvolve-se imediatamente o sentimento de igualdade;
e se ele não profere, concebe ao menos, no momento, este
grande argumento: não sou escravo. Eis aqui no nosso
modo de pensar, a primeira causa da tranquilidade de que
goza o Brasil: o sentimento de igualdade profundamente
arraigado no coração dos brasileiros.
(Padre Diogo Antônio Feijó apud Miriam Dolhnikoff. O
Pacto Imperial, 2005.)
O texto, publicado em 1834 pelo Padre Diogo Antônio
Feijó,
a) parece rejeitar a escravidão, mas identifica efeitos
positivos que ela teria provocado entre os brasileiros.
b) caracteriza a escravidão como uma vergonha para
todos os brasileiros e defende a completa igualdade
entre brancos e negros.
c) defende a escravidão, pois a considera essencial para a
manutenção da estrutura fundiária.
d) revela as ambiguidades do pensamento conservador
brasileiro, pois critica a escravidão, mas enfatiza a
importância comercial do tráfico escravagista.
e) repudia a escravidão e argumenta que sua manutenção
demonstra o desrespeito brasileiro aos princípios da
igualdade e da fraternidade.
Resolução
Interpretação de texto. Em princípio, Feijó posicionase contra a escravatura, mas vê na sua existência, no
Brasil, uma contribuição positiva: a formação de um
“espírito dos brasileiros”, igualados na consciência de
que não são escravos e que, portanto, permanecem
equiparados na liberdade, independentemente de sua
condição.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
39
A influência e o domínio do povo pelo “partido”, isto é,
por alguns recém-chegados (os ideólogos comunistas
procedem dos centros urbanos), já destruiu a influência e
a energia construtiva desta promissora instituição que
eram os sovietes. No momento atual, são os comitês do
partido e não os sovietes que governam a Rússia. E sua
organização padece de todos os defeitos da organização
burocrática.
(Piotr Kropolkin. “Carta a Lênin (04.03.1920)”
Textos escolhidos. 1987.)
As críticas do anarquista Kropotkin a Lênin, presentes
nessa carta de 1920, indicam a sua
a) crença de que o partido bolchevique consiga
reconhecer o poder supremo dos sovietes e extinguir a
injustiça social, a hegemonia burguesa e o
autoritarismo.
b) insatisfação em relação à diminuição da influência das
associações de soldados e trabalhadores e ao aumento
da influência política das lideranças bolcheviques.
c) disposição de anular a influência dos sovietes, para que
o Estado russo seja eliminado e se instale uma nova
organização política, baseada na supressão de toda
forma de poder.
d) avaliação de que o partido social-democrata se tornou,
após a Revolução de Outubro de 1917, o únicogrupo
político capaz de conter as manifestações sociais e
reestruturar o Estado russo.
e) discordância diante do esforço organizativo do país,
empreendido pelos bolcheviques, e sua aposta no
retorno da monarquia parlamentar derrubada pela
Revolução de Outubro de 1917.
Resolução
Os sovietes (conselhos de operários, soldados e
camponeses) surgiram na Revolução de 1905 e
tiveram uma importância decisiva na ascensão dos
bolcheviques ao poder na Rússia, em outubro/novembro de 1917. Entretanto, a ideia de “Todo
poder aos sovietes”, proclamada por Lênin em suas
Teses de Abril, foi rapidamente substituída por um
mecanismo que apenas referendava a ação dos
comitês do Partido [Bolchevique] – estes últimos, aliás,
meros executores das decisões do Comitê Central,
dirigido por Lênin. Com isso, o caráter popular do
início da Revolução foi substituído por uma estrutura
burocrática centralizada e imposta à população.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
40
Em 1924, uma caravana formada por Mário de
Andrade, Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral e o poeta
franco-suíço Blaise Cendrars, entre outros, percorreu as
cidades históricas mineiras e acabou entrando para os
anais do Modernismo.
O movimento deflagrado em 1922 estava se reconfigurando.
(Ivan Marques. “Trem da modernidade”. Revista de História da
Biblioteca Nacional, fevereiro de 2012. Adaptado.)
Entre as características da “reconfiguração” do Modernismo, citada no texto, podemos incluir
a) a politização do movimento, o resgate de princípios
estéticos do parnasianismo e o indigenismo.
b) a retomada da tradição simbolista, a defesa da
internacionalização da arte brasileira e a valorização
das tradições orais.
c) a incorporação da estética surrealista, o apoio ao
movimento tenentista e a defesa do verso livre.
d) a defesa do socialismo, a crítica ao barroco brasileiro
e a revalorização do mundo rural.
e) a maior nacionalização do movimento, o declínio da
influência futurista e o aumento da preocupação
primitivista.
Resolução
A questão aborda algumas características do
“Movimento Pau-Brasil”, ao qual pertenceram os
artistas brasileiros mencionados e cujo manifesto
propunha um redirecionamento do modernismo, de
acordo com as propostas elencadas na alternativa E.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
41
Examine a charge do cartunista Théo, publicada na revista
Careta em 27.12.1952.
“Você é que é feliz”...
Getúlio: — Ser pai dos pobres dá mais trabalho do que ser
Papei Noel! Você só se amofina no Natal: a mim eles
chateiam o ano inteiro!
(Isabel Lustosa. História de presidentes, 2008.)
O apelido de “pai dos pobres”, dado a Getúlio Vargas,
pode ser associado
a) ao autoritarismo do presidente diante dos movimentos
sociais, manifesto na repressão às associações de
operários e camponeses.
b) aos esforços de negociação com a oposição, com a
decorrente distribuição de cargos administrativos e
funções políticas.
c) ao caráter popular do regime, originário de uma
revolução social e empenhado no combate à burguesia
industrial brasileira.
d) à política de concessões desenvolvida junto a
sindicatos, como contrapartida do apoio político dos
trabalhadores.
e) à supressão de legislação trabalhista no país, que
obrigava o governo a agir de forma assistencialista.
Resolução
A alternativa descreve, de maneira um tanto crua, o
mecanismo de troca existente no populismo:
concessões trabalhistas, trazendo em contrapartida o
apoio dos sindicatos ao governante. Entretanto, devese frisar que a alcunha de “Pai dos Pobres”, conferida
à Getúlio pelas classes trabalhadoras, refere-se muito
mais aos benefícios sociais advindos da CLT do que ao
controle exercido sobre as organizações sindicais.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
42
Em minha proclamação como Rei, já há quase quatro
décadas, assumi o firme compromisso de servir aos
interesses gerais da Espanha, com o afã de que os
cidadãos chegassem a ser os protagonistas do seu próprio
destino, e nossa Nação, uma democracia moderna,
plenamente integrada na Europa.
Propus-me então a encabeçar a apaixonante tarefa
nacional que permitiu aos cidadãos elegerem seus
legítimos representantes e levarem a cabo essa grande e
positiva transformação da Espanha, da qual tanto
necessitávamos.
Hoje, quando olho para trás, não posso sentir senão
orgulho e gratidão por vocês.
(Discurso de abdicação do Rei Juan Cartos, da Espanha,
em 02.06.2014. http//brasil.elpais.com)
A ascensão de Juan Carlos ao trono da Espanha, mencionada no texto, deu-se com
a) o fim da Guerra Civil Espanhola, vencida pelos
fascistas, que extinguiram a república e reinstauraram
a monarquia no país.
b) a revolução social encabeçada pelos republicanos, que
contaram com amplo apoio de tropas internacionais de
voluntários.
c) a derrota dos movimentos separatistas basco e catalão,
que, durante a ditadura franquista, haviam provocado
a fragmentação política e territorial da Espanha.
d) a incorporação da Espanha à União Europeia, após o
golpe monárquico que derrubou o regime fascista que
controlou o país por quase quatro décadas.
e) o início de um processo amplo de redemocratização do
país, após ter atravessado quase quatro décadas sob a
ditadura franquista.
Resolução
O general Francisco Franco, ditador da Espanha
entre 1939 e 1975, malgrado sua conotação ideológica
fascista, teve a percepção de que o regime por ele
fundado não sobreviveria a sua morte, o que criaria
um vácuo político com consequências imprevisíveis.
Para realizar uma transição política sem abalos e que
congregasse as diversas forças do país, Franco optou
pela neutralização de sua sucessão. Trazendo para a
Espanha o neto do último soberano (exilado em 1931),
restabeleceu a Monarquia e proclamou-se regente,
tendo como sucessor presuntivo o príncipe Juan
Carlos. Coube a este último, depois de entronizado,
articular o Pacto de Moncloa, que realizou com êxito
a passagem da Espanha do totalitarismo para a
democracia.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
43
As equipes de resgate trabalham contra o tempo neste
domingo [23.06.2013] para salvar as milhares de pessoas
que permanecem ilhadas no norte da Índia devido aos
deslizamentos de terra e às inundações provocadas pelas
chuvas, que podem ter provocado mil mortes. As pesadas
chuvas, que atingem o subcontinente de junho a setembro,
costumam provocar alagamentos, mas começaram mais
cedo este ano, pegando muitas pessoas de supresa e
expondo a falta de preparo para prever e enfrentar a
situação.
(http://noticias.terra.com.br. Adaptado.)
As chuvas torrenciais abordadas pelo texto estão associadas ao fenômeno climático denominado
a) Monções de verão.
b) El Niño.
c) La Niña.
d) Monções de inverno.
e) Aquecimento global.
Resolução
As chuvas torrenciais que caracterizam o Sul e o
Sudeste Asiático no verão boreal decorrem dos ventos
de monções ou simplesmente monções que, nessa
época do ano, sopram de zonas de pressão atmosférica
elevada, que se formam sobre o Oceano Índico, em
direção ao continente asiático, para onde levam
grande volume de água, em forma de vapor, presente
na atmosfera.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
44
Considerando os rios como agentes modeladores do
relevo terrestre, é correto afirmar que:
a) em seus alto e baixo cursos, predominam tanto os
processos de erosão do relevo como de remoção de
materiais; em seu médio curso, predominam os
processos de deposição e de sedimentação.
b) em seu alto curso, predominam os processos de
deposição e de sedimentação de materiais; em seu
baixo curso, predominam os processos de erosão do
relevo e de remoção de materiais.
c) em seu alto curso, predominam os processos de erosão
do relevo e de remoção de materiais; em seu baixo
curso, predominam os processos de deposição e de
sedimentação.
d) ao longo de todos os seus cursos, os processos de
deposição e de sedimentação de materiais predominam
sobre os processos de erosão do relevo e de remoção de
materiais.
e) ao longo de todos os seus cursos, predomina o
transporte de materiais, sem que os processos de
erosão e de sedimentação tenham relevância sobre o
esculpimento do relevo.
Resolução
Nos rios, importantes agentes modeladores do relevo,
os processos de erosão de suas margens e de
transporte mais intenso de materiais são característicos de seu alto curso. No baixo curso – nas
proximidades da foz –, em tese a velocidade diminui e
reduz-se a capacidade de arrastar materiais contidos
em seu caudal, passando a predominar o processo de
sedimentação.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
45
A escassez de recursos hídricos pode ser vista como
resltado de um conjunto de fatores naturais e humanos
que variam em cada região. No caso da região Sudeste,
em especial da região metropolitana de São Paulo, entre
os fatores humanos que contribuem diretamente para a
restrição da disponibilidade de água estão:
a) a transposição de bacias hidrográficas e o grande
consumo agrícola de recursos hídricos.
b) a intensa poluição de rios e lençóis freáticos e o grande
consumo urbano e industrial de recursos hídricos.
c) o grande consumo urbano e agrícola de recursos
hídricos e a inexistência de infraestruturas de captação,
tratamento e distribuição de água.
d) a preservação de vastas extensões de floresta nativa e
a transposição de bacias hidrográficas.
e) a inexistência de infraestruturas de captação, tratamento e distribuição de água e a intensa poluição de
rios e lençóis freáticos.
Resolução
Entre os fatores antrópicos relacionados com a escassez de recursos hídricos, estão o comprometimento da
qualidade das águas decorrente da poluição, tanto das
águas superficiais quanto das reservas subsuperficiais e as do subsolo; excessivo consumo, sem a
preocupação com a recuperação das reservas
naturais, tanto para atividades econômicas, quanto
para a dessedentação humana e de animais.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
46
Farc desejam sucesso e glória para seleção colombia
As Farc enviaram nesta quarta-feira [11.06.2014] uma
mensagem ao técnico da seleção de futebol da Colômbia,
José Pekerman, e aos jogadores para desejar “sucesso e
glória” na Copa do Mundo, que começa amanhã. As Farc,
que realizam diálogos de paz com o governo colombiano
para tentar acabar com o conflito armado de mais de meio
século, mostraram a admiração pela seleção e disseram
que estarão com ela “nas horas boas e nas ruins” até o
final. Os dirigentes que assinaram a carta admitiram que
as Farc têm o sonho de o futebol poder brindá-los nesta
época com um momento de alegria e de entretenimento
“que modere as consciências e ajude a encontrar a melhor
maneira do caminho da reconciliação”.
(http://exame.abril.com.br. Adaptado.)
Dentre os aspectos que caracterizam o conflito civil na
Colômbia, é correto mencionar
a) as divergências políticas e ideológicas entre Estado,
forças guerrilheiras e grupos paramilitares e a divisão
do território colombiano em zonas de domínio militar
dos agentes envolvidos no conflito.
b) a união política e ideológica entre Estado, forças
guerrilheiras e grupos paramilitares e a divisão do
território colombiano em zonas de domínio militar dos
agentes envolvidos no conflito.
c) as divergências políticas e ideológicas entre Estado,
forças guerrilheiras e grupos paramilitares e a
unificação do território colombiano sob o domínio
militar dos grupos paramilitares.
d) a união política e ideológica entre Estado, forças
guerrilheiras e grupos paramilitares e a unificação do
território colombiano sob o pleno domínio militar do
Estado.
e) as divergências políticas e ideológicas entre Estado,
forças guerrilheiras e grupos paramilitares e a
unificação do território colombiano sob o domínio
militar das forças guerrilheiras.
Resolução
A Colômbia vive uma situação de instabilidade
política há décadas devido à oposição entre grupos
guerrilheiros de orientação política de esquerda e o
governo, reacionário a essas investidas da oposição
armada.
Ao longo desse processo, o território colombiano foi
informalmente dividido por esses grupos que lutam
contra o governo, o qual não tem capacidade de
afirmar seu poder soberano sobre o território.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
47
Analise as diferentes projeções cartográficas.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Considerando conhecimentos geográficos sobre
projeções cartográficas, é correto afirmar que elas
a) respeitam os mesmos graus de proporcionalidade,
conformidade, equidistância e orientação, regras e
convenções que garantem rigor na representação do
planeta.
b) podem ser admitidas como representações fiéis da
realidade, pois expressam de forma precisa e rigorosa
o planeta como ele é.
c) trazem consigo diferentes formas de representação do
planeta, buscando difundir ideologias e determinadas
visões de mundo.
d) se caracterizam pela objetividade e neutralidade, sem
que fatores de ordem política, técnica ou cultural
tenham influência sobre as formas de representação do
planeta.
e) são relações métricas entre a superfície do planeta e as
áreas representadas no mapa, não apresentando
distorções e deformações em relação à realidade.
Resolução
As projeções cartográficas são formas ou maneiras de
representar a superfície terrestre tridimensional num
plano bidimensional. Essa representação implica
necessariamente ou uma perda de continuidade, ou
uma representação parcial, ou uma deformação.
Como os mapas são representações da realidade, a
escolha do critério representação fica a cargo daquele
que a elabora. Obviamente, a escolha de determinada
projeção tem significado ideológico, pois traduz uma
manifestação do interesse do autor.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
48
Florestas tropicais recobrindo níveis de morros coteiros,
escarpas terminais tipo “Serra do Mar” e setores serranos
mamelonizados dos planaltos compartimentados e
acidentados do Brasil de Sudeste. Florestas biodiversas,
dotadas de diferentes biotas primariamente recobrindo
mais de 85% do espaço total. O domínio tem mostrado
ser o meio físico, ecológico e paisagístico mais complexo
e difícil do país em relação às ações antrópicas.
(Aziz Nacib Ab’Saber. Os domínios de natureza
no Brasil, 2003. Adaptado.)
O domínio paisagístico brasileiro descrito no texto é o de
a) Planaltos das Araucárias.
b) Depressões interplanálticas semiáridas do Nordeste.
c) Chapadões recobertos por Cerrados.
d) Terras Baixas Florestadas da Amazônia.
e) Mares de Morros Florestados.
Resolução
As escarpas dos planaltos da porção oriental do Brasil,
denominadas “serras”, com terrenos mamelonizados
pela erosão pluvial, característica do clima tropical
úmido, intensamente devastadas pela ocupação
antrópica, correspondem aos “mares de morros”.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
49
Observado de um ângulo distinto, o desenvolvimento da
primeira metade do século XX apresenta-se basicamente
como um processo de articulação das distintas regiões do
país em um sistema com um mínimo de integração.
(Celso Furtado. Formação econômica do Brasil, 2013).
Considerando o processo histórico de desenvolvimento
econômico e territorial brasileiro, ao longo da primeira
metado do século XX, é correto afirmar que
a) o estabelecimento de redes comerciais protecionistas
estimulou a produção cafeeira, a partir deste momento
voltada ao sólido mercado consumidor nacional.
b) o fortalecimento do mercado interno reforçou o
movimento de substituição das importações,
fomentado na região Sudeste pela ação do Estado e do
capital estrangeiro.
c) a adoção de superintendências locais financiou a
modernização da economia açucareira do litoral
nordestino, reinserindo-a no mercado internacional.
d) a implantação de um sistema nacional integrado
solidificou os empreendimentos agroindustriais da
região Centro-Oeste, agora protegidos pelo
planejamento desenvolvimentista nacional.
e) a articulação regional garantiu o crescimento da
exploração aurífera em Minas Gerais, fornecendo
subsídios
técnicos e amplo mercado consumidor.
Resolução
Na primeira metade do século XX, a economia
brasileira, essencialmente agrícola – cana-de-açúcar,
algodão e café – , começa a viver um processo de
mudança relacionado com a industrialização, favorecido pela expansão do mercado consumidor, constituído pelos imigrantes assalariados vinculados à
cultura do café, em franca expansão.
Esse processo de industrialização, inicialmente, visava
suprir a demanda por produtos que até então eram
importados; posteriormente, foi incrementado por
investimentos do Estado na estrutura dos transportes
e de geração de energia.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
50
Discursos e opiniões e ajuda econômica se expressam em
restrições às decisões sobre o uso do território. Os novos
recortes territoriais significam proteção da natureza, da
biodiversidade e das populações tradicionais, mas
também implicam a retirada de extensas parcelas do
território do circuito produtivo nacional e restrições à
plena decisão do Estado brasileiro sobre o uso do
território. As restrições territoriais associadas às ações
ambientalistas orientam-se por um modelo endógeno, que
visa a preservação ou o uso dos recursos naturais locais
pelas populações locais.
(Bertha K. Becker. Por que são perderemos a soberania sobre a
Amazônia? In: Edu Silvestre de Albuquerque (org).
Que país é esse?, 2005. Adaptado.)
Constituem-se em novos recortes territoriais, ou em novas
formas de regulação do uso do território, que contribuem
para a conservação dos recursos florestais:
a) unidades de conservação, terras indígenas e fronteiras
agropecuárias.
b) polos de produção metal-mecânica, reservas
particulares do patrimônio natural e estações
ecológicas.
c) terras indígenas, reservas extrativistas e unidades de
conservação.
d) parques industriais, polos de colonização agropecuário
e terras indígenas.
e) áreas de proteção ambiental, projetos de exploração
mineral e reservas biológicas.
Resolução
Entre os novos recortes territoriais que contribuem
para a conservação dos recursos florestais, estão as
terras indígenas, as reservas extrativistas e as
unidades de conservação, que, por sua vez, significam
proteção das populações tradicionais, da natureza e
da biodiversidade, apesar de implicarem a retirada de
vastas porções do território do circuito produtivo.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Analise o mapa para responder às questões de números
51 e 52.
Papel dirigente dos municípios, segundo o número de
assalariados externos aos seus limites territoriais, 2011
(www.ibge.gov.br. Adaptato.)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
51
O número de funcionários lotados em filiais situadas fora
dos limites territoriais dos municípios onde estão instaladas as empresas matrizes possibilita uma compreensão
geral da lógica de organização produtiva do território.
Considerando o mapa e conhecimentos geográficos sobre
o tema, é correto afirmar que a moderna lógica de
organização produtiva do território brasileira é caracteriza
pela
a) centralização da gestão, atrelada à desconcentração
geográfica da produção.
b) descentralização
da
gestão,
associada
desconcentração geográfica da produção.
à
c) centralização da gestão, associada à concentração
geográfica da produção.
d) descentralização da gestão, associada à rarefação
geográfica da produção.
e) descentralização da gestão, atrelada à concentração
geográfica da produção.
Resolução
A moderna lógica de organização produtiva do
território nacional caracteriza-se pela centralização
da gestão nos principais centros urbanos do País,
como pode ser observado no mapa, sobretudo no
destaque dado a São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito
Federal e Belo Horizonte. Os novos fatores locacionais
e o desenvolvimento das telecomunicações permitiram
a desconcentração da produção, que também foi
influenciada por fatores como saturação dos grandes
centros e incentivos fiscais.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
52
A economia de todos os países conhece um processo mais
vasto e profundo de internacionalização, mas este tem
como base um espaço que é nacional e cuja regulação
continua sendo nacional, ainda que guiada em função dos
interesses de empresas globais. Essa é a razão pela qual se
pode falar legitimadamente de espaço nacional da
economia internacional. A centralidade política, de certo
modo, se fortalece em Brasília, a centralidade econômica
se afirma mais fortemente em São Paulo. Todavia, a
chamada abertura da economia permite a São Paulo e
Brasília exercerem apena um a “regulação delegada”, isto
é, uma regulação cujas “ordens” se situam fora de sua
competência territorial e deixam pequena margem para a
escolha de caminhos suscetíveis de atribuir, de dentro, um
destino ao próprio território nacional.
(Milton Santos e Maria Laura Silveira. O Brasil: território e
sociedade no início do século XXI, 2001. Adaptado.)
A condição brasileira de “espaço nacional da economia
internacional” e a “regulação delegada” exercida pelas
principais metrópoles nacionais se confirmam uma vez
que
a) os espaços produtivos integrados à economia global se
caracterizam pela submissão a uma lógica internacional, ao passo que as metrópoles brasileiras se
constituem nos espaços a partir dos quais as grandes
empresas globais comandam suas atividades
econômicas no Brasil.
b) os espaços produtivos integrados à economia nacional
se caracterizam pela submissão aos interesses
nacionais, ao passo que a capital brasileira se constitui
no espaço a partir do qual a maioria das grandes
empresas globais comandam suas atividades
econômicas no Brasil.
c) os espaços produtivos nacionais integrados à economia
global se caracterizam pelo seu poder de regulação dos
fluxos financeiros globais, ao passo que as metrópoles
brasileiras se constituem nos espaços a partir dos quais
as grandes empresas globais comandam suas
atividades econômicas internacionais.
d) os espaços produtivos integrados à economia global se
caracterizam pela submissão aos interesses nacionais,
ao passo que a capital brasileira se constitui no espaço
onde se realiza o comando pleno da produção e do
consumo no Brasil.
e) os espaços produtivos integrados à economia global se
caracterizam pela submissão a uma lógica
internacional, ao passo que as metrópoles brasileiras
se constituem nos espaços a partir dos quais as
pequenas e médias empresas comandam a moderna
produção brasileira.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Resolução
A economia brasileira, assim como a da maioria dos
outros países, conhece um processo profundo de
internacionalização, no qual os espaços produtivos
integrados à economia global são subordinados à
lógica internacional. Nesse contexto, as metrópoles
brasileiras são o ponto de comando das empresas
globais no território nacional.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
53
Analise o gráfico.
A partir da análise do gráfico e de conhecimentos sobre as
características qualitativas do comércio exterior
brasileiro, o termo que exprime corretamente a orientação
assumida pela pauta de exportações brasileiras a partir do
século XXI é o de
a) sofisticação.
b) industrialização.
c) estagnação.
d) reprimarização.
e) crescimento.
Resolução
A análise do gráfico nos faz perceber que, ao longo do
período analisado, houve uma modificação qualitativa
na pauta de exportações brasileiras. A partir do ano
2000, há um decréscimo das exportações de manufaturados e semimanufaturados (setor secundário), ao
passo que percebemos o aumento progressivo das
exportações de produtos básicos (setor primário), o
que nos leva a concluir que houve, a partir do século
XXI, uma reprimarização do Brasil.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
54
Analise a tabela.
Relação crédito/depósito
entre as regiões brasileiras, 2007
Capacitação de
depósitos
Crédito
concedido
(bilhões de R$)
(bilhões de R$)
Concentrada
712.683
618.578
Nordeste
51.164
73.230
Centro-Oeste
69.220
78.007
Amazônia
12.250
15.344
Região
(Ricardo Scherma e Samira Kahil. “Densidade do sistema
financeiro”. Sociedade & Natureza, abril de 2011. Adaptado.)
O volume de recursos concedidos por crédito e coletados
por depósito em cada região do Brasil constitui um
importante indicativo das finanças e da forma de atuação
dos agentes do sistema financeiro no território nacional.
A partir da análise da tabela e considerando regiões
“ganhadoras” as regiões em que o volume de recursos
concedidos por crédito é superior ao volume de recursos
captados por depósito, é correto afirmar que em 2007
prevaleceu uma situação de
a) equilíbrios regionais: o volume de recursos captados
por depósito em cada região brasileira foi inferior ao
volume de crédito oferecido, portanto, todas as regiões
podem ser caracterizadas como “perdedoras” de
recursos.
b) desigualdades regionais: as regiões Amazônia,
Nordeste e Centro-Oeste caracterizam-se como
“ganhadoras” de recursos, enquanto a região
Concentrada pode ser caracterizada como “perdedora”.
c) equilíbrios regionais: não existiam diferenças
significativas entre o volume de recursos concedidos e
o volume de recursos captados por depósito entre as
regiões brasileiras, não havendo portanto regiões
“ganhadoras” ou “perdedoras” de recursos.
d) desigualdades regionais: apesar de todas as regiões se
caracterizarem como “ganhadoras” de recursos, a
região Concentrada possuía um montante de recursos
muito superior ao total detido pelas demais regiões.
e) desigualdades regionais: a região Concentrada
caracteriza-se como “ganhadora” de recursos,
enquanto as demais regiões do país podem ser
caracterizadas como “perdedoras”.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Resolução
Considerando preliminarmente a informação contida
no enunciado, que caracteriza as “regiões
ganhadoras” como aquelas em que o volume de
recursos concedidos por crédito é superior ao volume
de recursos captados, a partir da análise dos dados
apresentados na tabela, fica evidente que a região
concentrada é aquela em que há um maior volume de
crédito, sendo este valor superior aos recursos
captados por depósitos, o que ocorre de modo inverso
nas demais regiões. Tal relação faz da região
concentrada a “ganhadora” no tocante a relação
crédito/depósito em 2007.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
55
Escrever mal é difícil, declarou um dos maiores escritores
contemporâneos. Durante debate para divulgar seu
romance O homem que amava os cachorros, o cubano
Leonardo Padura caçoou de autores de best-sellers.
“Escrever livros como os de Paulo Coelho e Dan Brown
não é fácil, não há muitos Dan Browns que possam
escrever um romance tão horrível como O Código Da
Vinci, que venda milhões de exemplares. Há que se saber
fazer má literatura para poder escrever um livro desses”.
(Fábio Victor. “Fazer má literatura é difícil, diz escritor Leonardo
Padura”. Folha de S.Paulo, 17.04.2014. Adaptado.)
O comentário irônico do escritor acerca da qualidade
literária justifica-se pela
a) condição de autonomia estética atribuída aos escritores
citados na relação com o mercado literário.
b) meticulosidade técnica necessária para escrever livros
prioritariamente condicionados pelo mercado.
c) inexistência de critérios objetivos que permitam
diferenciar qualitativamente as obras literárias.
d) primazia da autonomia estética sobre o caráter de
mercadoria intrínseco à indústria cultural.
e) qualidade culturalmente elitista atribuída aos escritores
de livros considerados best-sellers.
Resolução
Os autores citados devem ser dotados de uma
habilidade técnica para escrever best-sellers, segundo
o texto, embora os julguem má literatura.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
56
Projeto no Iraque reduz a idade mínima de casamento
para xiitas mulheres para 9 anos. Xiitas iraquianas, caso
o texto seja aprovado, só poderão sair de casa com
autorização do marido e deverão estar sempre disponíveis
para relações sexuais. Esse tipo de notícia coloca em
xeque os ungidos multiculturalistas ocidentais. Como,
segundo estes, não há culturas atrasadas mas apenas
“diferentes”, e porque a democracia, entendida apenas
como escolha da maioria, é um valor absoluto, por que
condenar quando a maioria de um povo escolhe por voto
a sharia*? Chegamos ao impasse dos multiculturalistas:
aceitam que cada cultura seja “apenas diferente” e que,
portanto, não há bárbaros, ou constatam o óbvio, ou seja,
que certas sociedades ainda vivem presas a valores
abjetos, que ignoram completamente as liberdades
básicas dos indivíduos. Qual vai ser a opção?
(Rodrigo Constantino. “Pedofilia? No Iraque islâmico é permitido
por lei!”. www.veja.com.br, 02.05.2014. Adaptado.)
*Sharia: lei islâmica.
Para o autor, o conflito suscitado opõe essencialmente
a) iluminismo e racionalismo.
b) democracia e estados de exceção.
c) cristianismo e islamismo.
d) relativismo e universalidade.
e) multiculturalismo e antropologia.
Resolução
O texto coloca em oposição o relativismo dos multiculturalistas, para os quais toda cultura é constituída de
valores relativos, e a universalidade contida na ideia
de que a democracia é um valor absoluto e que
condenaria como bárbaras as novas leis estabelecidas
pelo Estado xiita do Iraque.
O autor do texto mostra o raciocínio contraditório dos
relativistas adeptos do multiculturalismo.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
57
Numa decisão para lá de polêmica, o juiz federal Eugênio
Rosa de Araújo, da 17.ª Vara Federal do Rio, indeferiu
pedido do Ministério Público para que fossem retirados
da rede vídeos tidos como ofensivos à umbanda e ao
candomblé. No despacho, o magistrado afirmou que
essessistemas de crenças “não contêm os traços
necessários de uma religião” por não terem um textobase, uma estrutura hierárquica nem “um Deus a ser
venerado”. Para mim, esse é um belo caso de conclusão
certa pelas razões erradas. Creio que o juiz agiu bem ao
não censurar os filmes, mas meteu os pés pelas mãos ao
justificar a decisão. Ao contrário do Ministério Público,
não penso que religiões devam ser imunes à crítica. Se
algum evangélico julga que o candomblé está associado
ao diabo, deve ter a liberdade de dizê-lo. Como não
podemos nem sequer estabelecer se Deus e o demônio
existem, o mais lógico é que prevaleça a liberdade de
dizer qualquer coisa.
(Hélio Schwartsman. “O candomblé e o tinhoso”.
Folha de S.Paulo, 20.05.2014. Adaptado.)
O núcleo filosófico da argumentação do autor do texto é
de natureza
a) liberal.
b) marxista.
c) totalitária.
d) teológica.
e) anarquista.
Resolução
O argumento do autor em defesa da decisão do juiz é
de natureza liberal, uma vez que defende a liberdade
de expressão contra formas de censura.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
58
IHU On-Line – A medicalização de condutas
classificadas como “anormais” se estendeu a praticamente
todos os domínios de nossa existência. A quem interessa
a medicalização da vida?
Sandra Caponi – A muitas pessoas. Em primeiro lugar ao
saber médico, aos psiquiatras, mas também aos médicos
gerais e especialistas. Interessa muito especialmente aos
laboratórios farmacêuticos que, desse modo, podem
vender seus medicamentos e ampliar o mercado de
consumidores de psicofármacos de modo quase
indefinido. Porém, esse interesse seria irrelevante se não
existisse uma demanda social que aceita e até solicita que
uma ampla variedade de comportamentos cotidianos
ingresse no domínio do patológico. Um exemplo bastante
óbvio é a escola. Crianças com problemas de
comportamento mais ou menos sérios hoje recebem
rapidamente um diagnóstico psiquiátrico. São medicadas,
respondem à medicação e atingem o objetivo social
procurado. Essas crianças que tomam ritalina ou
antipsicóticos ficam mais calmas, mais sossegadas,
concentradas e, ao mesmo tempo, mais tristes e isoladas.
(www.ihuonline.unisinos.br. Adaptado.)
Podemos considerar como uma importante implicação
filosófica da medicalização da vida
a) a incorporação do conhecimento científico como meio
de valorização da autonomia emocional e intelectual.
b) a institucionalização de procedimentos de análise e de
cura psiquiátrica absolutamente objetivos e eficientes.
c) a proliferação social de conhecimentos e procedimentos médicos que pressupõem a patologização da
vida cotidiana.
d) a contribuição eticamente positiva da psiquiatrização
do comportamento infantil e juvenil na esfera
pedagógica.
e) o caráter neutro do progresso científico em relação a
condicionamentos materiais e a demandas sociais.
Resolução
A medicalização de condutas consideradas anormais
pressupõe serem patológicos muitos comportamentos
do cotidiano, o que propicia a proliferação de conhecimentos e procedimentos médicos.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
59
Não há livro didático, prova de vestibular ou resposta
correta do Enem que não atribua a miséria e os conflitos
internos da África a um fator principal: a partilha do
continente africano pelos europeus. Essas fronteiras teriam
acotovelado no mesmo território diversas nações e grupos
étnicos, fazendo o caos imperar na África. Porém, guerras
entre nações rivais e disputas pela sucessão de tronos
existiam muito antes de os europeus atingirem o interior
da África. Graves conflitos étnicos aconteceram também
em países que tiveram suas fronteiras mantidas pelos
governos europeus. É incrível que uma teoria tão frágil e
generalista tenha durado tanto – provavelmente isso
acontece porque ela serve para alimentar a
condescendência de quem toma os africanos como “bons
selvagens” e tenta isentá-los da responsabilidade por seus
problemas.
(Leandro Narloch. Guia politicamente incorreto da história do
mundo, 2013. Adaptado.)
A partir da leitura do texto, é correto afirmar que:
a) as desigualdades sociais e econômicas no mundo atual
originam-se exclusivamente das contradições materiais
do capitalismo.
b) o conhecimento histórico que privilegia a “óptica dos
vencidos” apresenta um grau superior de objetividade
científica.
c) na relação entre diferentes etnias, o etnocentrismo é
um fenômeno antropológico exclusivo dos países
ocidentais modernos.
d) para explicar a existência dos atuais conflitos étnicos
na África, é necessário resgatar os pressupostos da
ideologia colonialista.
e) a tese filosófica sobre um “estado de natureza” livre e
pacífico é insuficiente para explicar os conflitos
étnicos atuais na África.
Resolução
O texto relativiza a ideia de que os atuais males da
África têm origem no neocolonialismo promovido
pelos europeus a partir da Conferência de Berlim.
As tribos africanas já vivenciavam as disputas pelo
poder e as relações de dominação e esse fato anula a
velha concepção de que os homens selvagens eram
bons e viviam num suposto estado de natureza, como
pensava Rousseau.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
60
Texto 1
O livro Cultura do narcisismo, escrito por Christopher
Lasch em 1979, é um clássico. O texto de Lasch mostra
como o que era diagnosticado como patologia narcísica
ou limítrofe nos anos 50 torna-se uma espécie de
“normalidade compulsória” depois de duas décadas. Para
que alguém seja considerado “bem-sucedido”, é
trivialmente esperado que manipule sua própria imagem
como se fosse um personagem, com a consequente perda
do sentimento de autenticidade.
(Christian Dunker. “A cultura da indiferença”.
www.mentecerebro.com.br. Adaptado.)
Texto 2
Zigmunt Bauman: Afastar-se da percepção de mundo
consumista e do tipo de atitude individualista contra o
mundo e as pessoas não é uma questão a ponderar, mas
uma obrigação determinada pelos limites de
sustentabilidade desse modelo da vida que pressupõe a
infinidade de crescimento econômico. Segundo esse
modelo, a felicidade está obrigatoriamente vinculada ao
acesso a lojas e ao consumo exacerbado.
(“Lojas são alívio a curto prazo, diz o sociólogo Zigmunt Bauman”.
www.mentecerebro.com.br. Adaptado.)
Considerando os textos, é correto afirmar que:
a) para Bauman, as diretrizes liberais de crescimento
econômico ilimitado prescindem de reflexão ética.
b) ambos tratam do irracionalismo subjacente aos
critérios de normalidade e de felicidade.
c) a “cultura do narcisismo” apresenta um estilo de vida
incompatível com a mentalidade consumista.
d) a patologia narcísica analisada por Lasch é um
fenômeno restrito ao domínio psiquiátrico.
e) ambos abordam problemas historicamente superados
pelas sociedades ocidentais modernas.
Resolução
Dunker aponta o irracional comportamento narcísico
do homem contemporâneo como normalidade compulsória para quem deseja ser “bem-sucedido”, e
Bauman observa, de forma semelhante, a irracionalidade do comportamento consumidor como peça
fundamental para mover a engrenagem de um sistema
que preconiza apenas o crescimento econômico.
Assim, consumir de forma exacerbada parece, em
nossa sociedade, produzir felicidade.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
61
Em alguns estados dos Estados Unidos, a doença de Lyme
é um problema de saúde pública. Cerca de 30 mil casos
são notificados por ano. A doença é causada pela bactéria
Borrelia burgdorferi, transmitida ao homem por carrapatos que parasitam veados. Porém, um estudo de 2012
descobriu que a incidência da doença de Lyme nas
últimas décadas não coincidiu com a abundância de
veados, mas com um declínio na população de raposasvermelhas, que comem camundongos-de-patas-brancas,
uma espécie oportunista que prospera com a
fragmentação de florestas devido à ocupação humana.
(Scientific American Brasil, dezembro de 2013. Adaptado.)
É correto inferir do texto que
a) a bactéria Borrelia burgdorferi está provocando um
declínio na população de raposas-vermelhas.
b) as raposas-vermelhas adquirem a doença de Lyme
quando comem os camundongos-de-patas-brancas.
c) a doença de Lyme acomete o homem, os veados e as
raposas-vermelhas, mas não os camundongos-depatas-brancas, por esta ser uma espécie oportunista.
d) os carrapatos que parasitam os veados também
parasitam os camundongos-de-patas-brancas.
e) a fragmentação das florestas leva à abundância de
veados, responsáveis pelo aumento na incidência da
doença de Lyme entre os humanos.
Resolução
O declínio da população de raposas-vermelhas causou
o aumento do número de camundongos-de-patasbrancas. Esses roedores também são hospedeiros do
carrapato transmissor da doença de Lyme.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
62
Leia os versos da canção “Carcará”, de José Cândido e
João do Vale.
Carcará
Carcará
Lá no Sertão
É um bicho que “avoa” que nem avião
É um pássaro malvado
Tem o bico “volteado” que nem gavião
Carcará
Quando vê roça queimada
Sai voando e cantando
Carcará
Vai fazendo sua caçada
Carcará
Come “inté” cobra queimada
Mas quando chega o tempo da invernada
No Sertão não tem mais roça queimada
Carcará mesmo assim num passa fome
Os “burrego que nasce” na baixada
Carcará
Pega, mata e come
Carcará
Num vai morrer de fome
Carcará
Mais coragem do que homem
Carcará
Pega, mata e come
Carcará é malvado, é valentão
É a águia de lá do meu Sertão
Os “burrego novinho” num pode andar
Ele puxa o “imbigo” “inté” matar
Carcará
Pega, mata e come
Carcará
Num vai morrer de fome
Carcará
Mais coragem do que o homem
Carcará
Pega, mata e come
(www. radio.uol.com.br)
Considerando as relações tróficas encontradas no texto
da canção, assinale a alternativa que apresenta a correta
correlação entre o trecho selecionado e a afirmação que o
sucede.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
a) “Carcará /Come ‘inté’ cobra queimada” e “Os ‘burrego
que nasce’ na baixada / Carcará ? Pega, mata e come”:
as cobras e os borregos ocupam o mesmo nível trófico,
uma vez que ambos são presas do carcará.
b) “Ele puxa o ‘imbigo’ ‘inté’ matar”: os borregos são
mamíferos e, portanto, ocupam o topo da cadeia
alimentar.
c) “No Sertão não tem mais roça queimada / Carcará
mesmo assim num passa fome”: os carcarás são
decompositores e ocupam o último nível trófico da
cadeia alimentar.
d) “Vai fazer sua caçada”: os carcarás são predadores e,
portanto, consumidores primários no segundo nível
trófico.
e) “Carcará / Come ‘inté’ cobra queimada”: os carcarás são
consumidores terciários e ocupam o quatro nível trófico.
Resolução
A cadeia alimentar pode ser assim representada:
planta (produtor – primeiro nível trófico) → roedor
(consumidor primário – segundo nível trófico) →
cobra (consumidor secundário – terceiro nível trófico)
→ carcará (consumidor terciário – quarto nível
trófico).
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
63
Um casal procurou ajuda médica, pois há anos desejava
gerar filhos e não obtinha sucesso. Os exames apontaram
que a mulher era reprodutivamente normal. Com relação
ao homem, o exame revelou que a espermatogênese era
comprometida por uma alteração cromossômica, embora
seu fenótipo e desempenho sexual fossem normais. Por
causa dessa alteração, não ocorria o pareamento dos
cromossomos homólogos, a meiose não avançava além
do zigóteno e os espermatócitos l degeneravam.
Desse modo, é correto afirmar que a análise do esperma
desse homem revelerá
a) secreções da próstata e das glândulas seminais, mas
não haverá espermatozoides, em razão de não se
completar a prófase I.
b) sêmem composto por espermátides, mas não por
espermatozoides, em razão de não se completar a
espermatogênese pela falta de segregação cromossômica.
c) espermatozoides sem cromossomos, em função da não
segregação cromossômica, e sem mobilidade, em
razão do sêmem não ter secreções da próstata edas
glândulas seminais.
d) uma secreção mucosa lubrificante, eliminada pelas
glândulas bulbouretrais, além de espermatogônias
anucleadas, em razão da não formação da telófase I.
e) secreções das glândulas do sistema genital masculino,
assim como espermatozoides com 2n cromossomos,
em razão da não segregação das cromátides na anáfase
II.
Resolução
A análise do esperma do homem infértil revelará a
ocorrência de secreções produzidas pela próstata e
pelas glândulas seminais, mas não espermatozoides,
pois a espermatogênese não avançou além do início da
prófase I.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
64
Dona Patrícia comprou um frasco com 100 gramas de
alho triturado desidratado, sem sal ou qualquer
conservante. A embalagem informava que o produto
correspondia a 1 quilograma de alho fresco.
(http://eurofoods.com.br. Adaptado.)
É correto afirmar que, em um quilograma de alho fresco,
100 gramas correspondem, principalmente,
a) aos nutrientes minerais obtidos do solo pelas raízes e
900 gramas correspondem à água retida pela planta.
b) à matéria orgânica sintetizada nas folhas e 900 gramas
correspondem à água obtida do solo através das raízes.
c) à água obtida do solo pelas raízes e 900 gramas
correspondem ao carbono retirado do ar atmosférico e
aos nutrientes minerais retirados do solo.
d) à matéria orgância da parte comestível da planta e 900
gramas correspondem à máteria orgânica das folhas e
raízes.
e) aos nutrientes minerais obtidos do solo pelas raízes e
900 gramas correspondem à água retirada do solo e ao
carbono retirado do ar atmosférico.
Resolução
O quilograma de alho fresco corresponde à massa
hidratada dos bulbos. Assim sendo, 100 gramas do
alho desidratado correspondem à matéria orgânica
sintetizada na fotossíntese e 900 gramas, à quantidade
de água retida nas células.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
65
Em um barzinho à beira-mar, cinco amigos discutiam o
que pedir para comer.
Peixe frito
Picanha fatiada
Casquinha-de-siri
Camarões fritos
Batatas fritas
Marcos, que não comia peixe, sugeriu picanha fatiada.
Paulo discordou, pois não comia carne animal e preferia
frutos-do-mar; pois isso, sugeriu uma porção de camarões
fritos e cinco casquinhas-de-siri, uma para cada amigo.
Marcos recusou, reafirmando que não comia peixe.
Eduardo riu de ambos, informando que siri não é peixe,
mas sim um molusco, o que ficava evidente pela concha
na qual era servido.
Chico afirmou que os três estavam errados, pois os siris
e os camarões não são peixes nem moluscos, mas sim
artrópodes, como as moscas que voavam pelo bar.
Ricardo, por sua vez, disse que concordava com a
afirmação de que os siris e camarões fossem artrópodes,
mas não com a afirmação de que fossem parentes das
moscas; seriam mais parentes dos peixes.
Para finalizar a discussão, os amigos pediram batatas
fritas.
O amigo que está correto em suas observações é
a) Ricardo.
c) Paulo.
b) Marcos.
d) Eduardo.
e) Chico.
Resolução
O amigo que está correto é Chico, pois siris e
camarões não são peixes nem moluscos.
Siris e camarões são artrópodes, da classe dos
crustáceos.
As moscas são artrópodes, da classe dos insetos.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
66
No gráfico, as curvas 1, 2 e 3 representam a digestão do
alimento ao longo do aparelho digestório.
É correto afirmar que as digestões de proteínas, de
lipidios e de carboidratos estão representadas,
respectivamente, pelas curvas
a) 1, 2 e 3.
b) 2, 1 e 3.
c) 2, 3 e 1.
d) 3, 2 e 1.
e) 1, 3 e 2.
Resolução
A hidrólise enzimática de proteínas tem início no
estômago, graças à pepsina (2).
A hidrólise enzimática de lipídios ocorre no intestino
delgado (3), graças às lípases: pancreática e entérica,
e ao suco biliar emulsificando as gorduras.
A hidrólise enzimática de carboidratos tem início na
cavidade bucal (1), graças à amílase salivar (ptialina).
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
67
Em 2014, os dois equinócios do ano foram em 20 de
março e 23 de setembro. O primeiro solstício foi em 21 de
junho e o segundo será em 21 de dezembro. Na data do
solstício de verão no hemisfério norte, é solstício de
inverno no hemisfério sul, e na data do equinócio de
primavera no hemisfério norte, é equinócio de outono no
hemisfério sul. A figura representa esses eventos
astronômicos:
(www.infoescola.com. Adaptado.)
Considere duas plantas de mesma espécies e porte,
mantidas sob iluminação natural e condições ideais de
irrigação, uma delas no hemisfério norte, sobre o trópico
de Câncer, e a outra em mesma latitude e altitude, mas no
hemisfério sul, sobre o trópico de Capricórnio.
Considerando os períodos de claro e escuro nos dias
referentes aos equinócios e solstícios, é correto afirmar
que:
a) no solstício de verão no hemisfério norte, a planta
nesse hemisfério passará mais horas fazendo
fotossíntese que respirando.
b) no solstício de verão no hemisfério sul, a planta nesse
hemisfério passará mais horas fazendo fotossíntese que
a planta no hemisfério norte.
a) no equinócio de primavera, as plantas passarão maior
número de horas fazendo totossíntese que quando no
equinócio de outono.
d) no equinócio, as plantas passarão 24 horas fazendo
fotossíntese e respirando, concomitantemente,
enquanto no solstício passarão mais horas respirando
que em atividade fotossíntética.
e) no equinócio, cada uma das plantas passará 12 horas
fazendo fotossíntese e 12 horas respirando.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Resolução
No solstício de verão no Hemisfério Sul, a planta nesse
hemisfério passará mais horas fazendo fotossíntese
que a planta no Hemisfério Norte. Nesse período, a
quantidade de tempo de iluminação é maior do que a
de escuro no Hemisfério Sul.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
68
Alguns historiadores da Ciência atribuem ao filósofo présocrático Empédocles a Teoria dos Quatro Elementos.
Segundo essa teoria, a constituição de tudo o que existe
no mundo e sua transformação se dariam a partir de
quatro elementos básicos: fogo, ar, água e terra. Hoje, a
química tem outra definição para elemento: o conjunto
de átomos que possuem o mesmo número atômico.
Portanto, definir a água como elemento está
quimicamente incorreto, porque trata-se de
a) uma mistura de três elementos.
b) uma substância simples com dois elementos.
c) uma substância composta com três elementos.
d) uma mistura de dois elementos.
e) uma substância composta com dois elementos.
Resolução
A água (H2O) é uma substância pura composta por
dois elementos químicos: o hidrogênio, conjunto de
átomos que possuem o número atômico igual a 1, e o
oxigênio, conjunto de átomos que possuem o número
atômico igual a 8.
Resposta: E
Leia o texto para responder às questões de números 69 a
71.
No ano de 2014, o Estado de São Paulo vive uma das
maiores crises hídricas de sua história. A fim de elevar o
nível de água de seus reservatórios, a Companhia de
Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp)
contratou a empresa ModClima para promover a indução
de chuvas artificiais. A técnica de indução adotada,
chamada de bombardeamento de nuvens ou semeadura
ou, ainda, nucleação artificial, consiste no lançamento em
nuvens de substâncias aglutinadoras que ajudam a formar
gotas de água.
(http://exame.abril.com.br. Adaptado)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
69
Uma das substâncias aglutinadoras que pode ser utilizada
para a nucleação artificial de nuvens é o sal iodeto de
prata, de fórmula AgI. Utilizando os dados fornecidos na
Classificação Periódica dos Elementos, é correto afirmar
que o cátion e o ânion do iodeto de prata possuem,
respectivamente,
a) 46 elétrons e 54 elétrons.
b) 48 elétrons e 53 prótons.
c) 46 prótons e 54 elétrons.
d) 47 elétrons e 53 elétrons.
e) 47 prótons e 52 elétrons.
Resolução
Utilizando os dados fornecidos na Tabela Periódica,
temos:
–
53I; 47Ag, portanto o íon 53I possui 53 prótons e 54 elétrons e o íon 47Ag+ possui 47 prótons e 46 elétrons.
Resposta: A
70
Além do iodeto de prata, outras substâncias podem ser
utilizadas como agentes aglutinadores para a formação de
gotas de água, tais como o cloreto de sódio, o gás
carbônico e a própria água. Considerando o tipo de força
interatômica que mantém unidas as espécies de cada
agente aglutinador, é correto classificar como substância
molecular:
a) o gás carbônico e o iodeto de prata.
b) apenas o gás carbônico
c) o gás carbônico e a água.
d) apenas a água.
e) a água e o cloreto de sódio.
Resolução
Nas substâncias: cloreto de sódio (NaCl) e iodeto de
prata (AgI) temos ligação iônica como força interatômica e no gás carbônico (CO2) e na água (H2O)
temos ligações covalentes como forças de atração
interatômica, portanto, os compostos moleculares são
CO2 e H2O.
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
71
Para a produção de chuva artificial, um avião adaptado
pulveriza gotículas de água no interior das nuvens. As
gotículas pulverizadas servem de pontos de nucleação do
vapor de água contido nas nuvens, aumentando seu
volume e massa, até formarem gotas maiores que, em
condições meteorológicas favoráveis, podem se precipitar
sob a forma de chuva.
Segundo dados da empresa ModClima, dependendo das
condições meteorológicas, com 1 L de água lançada em
determinada nuvem é possível produzir o volume
equivalente a 50 caminhões-pipa de água precipitada na
forma de chuva. Sabendo que um caminhão-pipa tem
capacidade de 10 m3, a quantidade de chuva formada a
partir de 300 L de água lançada e a força intermolecular
envolvida na formação das gotas de chuva são,
respectivamente,
a) 150 mil litros e ligação de hidrogênio.
b) 150 litros e ligação de hidrogênio.
c) 150 milhões de litros e dipolo induzido.
d) 150 milhões de litros e ligação de hidrogênio.
e) 150 mil litros e dipolo induzido.
Resolução
Por meio do enunciado, temos:
1 L de água lançada em uma nuvem
↓ equivale
50 caminhões-pipa
1 caminhão-pipa –––––––– 10 m3 ––––– 10 . 103 L
50 caminhões-pipa –––––– x
x = 500 . 103 L
1 L de água ––––––––– 500 . 103 L
300 L de água ––––––––– y
y = 150.000 . 103 L = 150 milhões de litros
A formação das gotas de água é devida à força
intermolecular do tipo ligação de hidrogênio:
••
H — O ••
|
H
••
H — O ••
|
H
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Leia o texto para responder às questões de números 72 e
73.
Uma medida adotada pelo governo do estado para
amenizar a crise hídrica que afeta a cidade de São Paulo
envolve a utilização do chamado “volume morto” dos
reservatórios do Sistema Cantareira. Em artigo publicado
pelo jornal O Estado de S.Paulo, três especialistas alertam
sobre os riscos trazidos por esse procedimento que pode
trazer à tona poluentes depositados no fundo das represas,
onde se concentram contaminantes que não são tratados
por sistemas convencionais. Entre os poluentes citados
que contaminam os mananciais há compostos inorgânicos, orgânicos altamente reativos com os sistemas
biológicos, microbiológicos e vírus. Segundo as pesquisadoras, “quanto mais baixo o nível dos reservatórios, maior
é a concentração de poluentes, recomendando maiores
cuidados”.
(http://são-paulo.estadao.com.br. Adaptado)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
72
De modo geral, em sistemas aquáticos a decomposição
de matéria orgânica de origem biológica, na presença de
oxigênio, se dá por meio de um processo chamado
degradação aeróbica. As equações representam reações
genéricas envolvidas na degradação aeróbica, em que
“MO” = matéria orgânica contendo nitrogênio e enxofre.
(CH2O)n + n O2 → n CO2 + n H2O
MO (C, H, N, S) + n O2 → CO2 + H2O + NO–3 + SO2–
4
Analisando as equações apresentadas, é correto afirmar
que no processo de degradação aeróbica ocorrem reações
de
a) decomposição, em que o oxigênio não sofre alteração
em seu número de oxidação.
b) oxirredução, em que o oxigênio atua como agente
redutor.
c) decomposição, em que o oxigênio perde elétrons.
d) oxirredução, em que o oxigênio sofre oxidação.
e) oxirredução, em que o oxigênio atua como agente
oxidante.
Resolução
Nas duas reações fornecidas, temos mudança de Nox,
pois são reações de oxidorredução.
(CH2O)n + n O2 ⎯⎯⎯⎯→ n CO2 + n H2O
0 recebe elétrons 2–
sofre redução
Como o oxigênio sofre redução, a substância O2 é o
agente oxidante.
O mesmo ocorre na segunda reação.
MO (C, H, N, S) + n O2 ⎯⎯⎯→ CO2 + H2O +
0 recebe elétrons 2–
sofre redução
+ NO3– + SO42–
Portanto, as duas reações são de oxidorredução e o O2
atua como agente oxidante.
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
73
A quantidade de oxigênio necessário para degradar
biologicamente a matéria orgânica presente na água é
expressa pela Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO).
Sabendo que um dos parâmetros analíticos de monitoramento da qualidade da água potável envolve a medida da
quantidade de oxigênio nela dissolvida, a presença de
grande quantidade de matéria orgânica de origem
biológica em decomposição no fundo de determinado
reservatório irá promover
a) a diminuição da DBO e a diminuição da quantidade de
oxigênio dissolvido.
b) o aumento da DBO e a diminuição da qualidade da
água.
c) a diminuição da DBO e a diminuição da qualidade da
água.
d) a diminuição da DBO e o aumento da qualidade da
água.
e) o aumento da DBO e o aumento da quantidade de
oxigênio dissolvido.
Resolução
Quanto mais matéria orgânica presente na água, maior
é a demanda bioquímica de oxigênio (DBO) pois,
maior será a quantidade de oxigênio para consumi-la.
Neste caso, a presença de grande quantidade de
matéria orgânica aumenta a DBO e diminui a
qualidade da água.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
74
A degradação anaeróbica de matéria orgânica contendo
enxofre pode levar à formação de substâncias com odores
altamente desagradáveis. Dentre essas substâncias estão o
gás sulfídrico (H2S) e as mercaptanas, como a
pentamercaptana (1-pentanotiol).
SH
H 3C
1-pentanotiol
Assinale a alternativa que apresenta corretamente a
geometria molecular do gás sulfídrico e a fórmula
molecular do 1-pentanotiol.
a) Angular e C5H4S.
b) Linear e CH4S.
c) Angular e CH4S.
d) Angular e C5H12S.
e) Tetraédrica e C5H12S.
Resolução
Gás sulfídrico: H2S
1
1H: 1s
2
2
6
2
4
16S: 1s 2s 2p 3s 3p
Fórmula eletrônica:
. Pela teoria da repulsão dos
S
H
H
pares de elétrons, a molécula H2S é angular. Os quatro
pares de elétrons se dirigem para os vértices de um
tetraedro contendo apenas dois átomos em dois
vértices.
O composto 1-pentanotiol dado
SH
H 3C
tem fórmula estrutural (mostrando todos os átomos):
H3C — CH2 — CH2 — CH2 — CH2 — SH, logo terá
fórmula molecular: C5H12S.
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
75
A figura representa, de forma simplificada, parte de um
sistema de engrenagens que tem a função de fazer girar
duas hélices, H1 e H2, Um eixo ligado a um motor gira
com velocidade angular constante e nele estão presas duas
engrenagens, A e B. Esse eixo pode se movimentar
horizontalmente assumindo a posição 1 ou 2. Na posição
1, a engrenagem B acopla-se à engrenagem C e, na
posição 2, a engrenagem A acopla-se à engrenagem D.
Com as engrenagens B e C acopladas, a hélice H1 gira
com velocidade angular constante ω, e, com as engrenagens A e D acopladas, a hélice H2 gira com velocidade
angular constante ω2.
POSIÇÃO 1
B
eixo ligado
ao motor
A
H2
H1
D
C
POSIÇÃO 2
B
eixo ligado
ao motor
A
H2
H1
D
C
(http://carros.hsw.uol.com.br.Adaptado.)
Considere rA, rB, rC e rD os raios das engrenagens A, B,
C e D, respectivamente. Sabendo que rB = 2 . rA e que
1
é igual a
rC = rD, é correto afirmar que a relação –––
2
a) 1,0.
b) 0,2.
c) 0,5.
d) 2,0.
e) 2,2.
Resolução
As engrenagens B e A estão presas ao eixo do motor e,
portanto, giram com a mesma velocidade angular de
módulo .
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
As engrenagens B e C estão em contato direto e, portanto, os pontos periféricos têm a mesma velocidade
linear V1.
V1 = rB = 1 rC
rB
1 = –––––
rC
(1)
As engrenagens A e D estão em contato direto e, portanto, os pontos periféricos têm a mesma velocidade
linear V2.
V2 = rA = 2 rD
rA
2 = –––––
rD
(2)
rB rD
1
(1)
Fazendo-se –––, vem: –––
= –––
. –––
rC rA
2
(2)
Como rC = rD e rB = 2rA, temos:
1
––– = 2,0
2
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
76
O equipamento representado na figura foi montado com
o objetivo de determinar a constante elástica de uma mola
ideal. O recipiente R, de massa desprezível, contém água;
na sua parte inferior, há uma torneira T que, quando
aberta, permite que a água escoe lentamente com vazão
constante e caia dentro de outro recipiente B, inicialmente
vazio (sem água), que repousa sobre uma balança. A
torneira é aberta no instante t = 0 e os gráficos representam, em um mesmo intervalo de tempo (t’), como
variam o comprimento L da mola (gráfico 1), a partir da
configuração inicial de equílibrio, e a indicação da
balança (gráfico 2).
Analisando as informações, desprezando as forças entre
a água que cair no recipiente B e o recipiente R e considerando g = 10m/s2, é correto concluir que a constante
elástica k da mola, em N/m, é igual a
a) 120.
b) 80.
c) 100.
d) 140.
e) 60.
Resolução
Da Lei de Hooke aplicada à mola, temos:
F=k.x
F = k . x 햲
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
F corresponde à redução de peso da água no
recipiente R.
x corresponde à variação de comprimento L da
mola.
Do gráfico 1, no intervalo de tempo indicado,
obtemos:
L = 0,20m – 0,12m = 0,08m ⇒ L = 8,00 . 10–2m
Do gráfico 2, no intervalo de tempo indicado,
obtemos:
m = 1,16kg – 0,20kg = 0,96kg = 9,60 . 10–1kg
P = (m) . g = 9,60 . 10–1 . 10 (N)
P = 9,60N
Voltando à equação 햲:
F P
k = ––– = –––
x L
9,60N
⇒
k = –––––––––
8,00 . 10–2
k = 120N/m
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
77
O gol da conquista do tetracampeonato pela Alemanha na
Copa do Mundo de 2014 foi feito pelo jogador Götze.
Nessa jogada, ele recebeu um cruzamento, matou a bola
no peito, amortecendo-a, e chutou de esquerda para fazer
o gol. Considere que, imediatamente antes de tocar o
jogador, a bola tinha velocidade de módulo V1 = 8 m/s
em uma direção perpendicular ao seu peito e que,
imediatamente depois de tocar o jogador, sua velocidade
manteve-se perpendicular ao peito do jogador, porém com
módulo V = 0,6 m/s e em sentido contrário.
(www.colorir-e-pintar.com. Adaptado)
Admita que, nessa jogada, a bola ficou em contato com o
peito do jogador por 0,2 s e que, nesse intervalo de tempo
a intensidade da força resultante (FR), que atuou sobre
ela, variou em função do tempo, conforme o gráfico
Considerando a massa da bola igua a 0,4kg, é correto
afirmar que, nessa jogada, o módulo da força resultante
máxima que atuou sobre a bola, indicada no gráfico por
Fmáx, é igual, em newtons, a
a) 68,8.
b) 34,4.
c) 59,2.
d) 26,4.
e) 88,8.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Resolução
1) A variação da quantidade de movimento da bola
no ato da colisão é dada por:
→
→
→
ΔQ = m (V2 – V1)
→
→
Como V2 e V1 têm sentidos opostos, temos:
→
→
→
→
V2 – V1 = V2 + V1 = 8,6m/s
→
→
→
ΔQ = m V2 – V1 = 0,4 . 8,6 (SI)
→
ΔQ = 3,44kg.m/s
2)
(1)
Fr(N)
Fmáx
0
0,2
→
t(s)
→
I = ΔQ = área (F x t)
0,2 Fmáx
→
ΔQ = –––––––
2
→
ΔQ = 0,1 Fmáx
(2)
Comparando-se (1) e (2), vem:
3,44 = 0,1 Fmáx
Fmáx = 34,4N
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
78
As figuras 1 e 2 representam uma pessoa segurando uma
pedra de 12 kg e densidade 2 x 103 kg/m3, ambas em
repouso em relação à água de um lago calmo, em duas
situações diferentes. Na figura 1, a pedra está totalmente
imersa na água e, na figura 2, apenas um quarto dela está
imerso. Para manter a pedra em repouso na situação da
figura 1, a pessoa exerce sobre ela uma força vertical para
cima, constante e de módulo F1. Para mantê-la em
repouso na situação da figura 2, exerce sobre ela uma
força vertical para cima, constante e de módulo F2.
(http://educar.sc.usp.br.Adaptado.)
Considerando a densidade da água igual a 103 kg/m3 e
g = 10 m/s2, é correto afirmar que a diferença F2 – F1, em
newtons, é igual a
a) 60.
b) 75.
c) 45.
d) 30.
e) 15.
Resolução
Na situação da figura (1), temos:
F1 + E1 = P
(1)
Na situação da figura (2), temos:
F2 + E2 = P
(2)
E1 = a V1 g
E2 = a V2 g
(2) – (1): F2 – F1 = E1 – E2 = a g (V1 – V2)
V
V1 = V e V2 = –––
4
3
F2 – F1 = a g –– V
4
(3)
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Para a pedra, temos:
mP
12
mP
μP = –––
⇒ V = –––
= ––––––
m3 ⇒ V = 6 . 10–3 m3
V
μP
2 . 103
3
Em (3): F2 – F1 = 1,0 . 103 . 10 . ––– . 6 . 10–3 (N)
4
F2 – F1 = 45N
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
79
A energia contida nos alimentos
Para determinar o valor energético de um alimento,
podemos queimar certa quantidade desse produto e, com
o calor liberado, aquecer determinada massa de água. Em
seguida, mede-se a variação de temperatura sofrida pela
água depois que todo o produto foi queimado, e determina-se a quantidade de energia liberada na queima do
alimento. Essa é a energia que tal alimento nos fornece
se for ingerido.
No rótulo de um pacote de castanha-de-caju, está impressa a tabela a seguir, com informações nutricionais sobre
o produto.
INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção 15g
Quantidade por porção
Valor energético
90kcal
Carboidratos
4,2g
Proteínas
3g
Gorduras totais
7,3g
Gorduras saturadas
1,5g
Gordura trans
0g
Fibra alimentar
1g
Sódio
45mg
(www.brcaju.com.br)
Considere que 150g de castanha tenham sido queimados
e que determinada massa m de água, submetida à chama
dessa combustão, tenha sido aquecida de 15°C para 87°C.
Sabendo que o calor específico da água líquida é igual a
1 cal/(g°C) e que apenas 60% da energia liberada na
combustão tenha efetivamente sido utilizada para aquecer
a água, é correto afirmar que a massa m em gramas, de
água aquecida era igual a
a) 10 000.
b) 5 000.
c) 12 500.
d) 7 500.
e) 2 500.
Resolução
(I) Cálculo da quantidade total de calor (Qtotal) liberada na combustão de 150g de castanha de caju.
15g ––––– 90kcal
150g ––––– Qtotal
Da qual:
Qtotal = 900kcal = 900 . 103cal
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
(II) Aquecimento da massa m de água:
Qútil = mcΔθ ⇒ 0,60 Qtotal = mcΔθ
0,60 . 900 . 103 = m . 1,0 (87 – 15)
Da qual:
m = 7500g
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
80
Nas câmeras fotográficas digitais, os filmes são substituídos por sensores digitais, como um CCD (sigla em
inglês para Dispositivo de Carga Acoplada). Uma lente
esférica convergente (L), denominada objetiva, projeta
uma imagem nítida, real e invertida do objeto que se quer
fotografar sobre o CCD, que lê e armazena eletronicamente essa imagem.
A figura representa esquematicamente uma câmera
fotográfica digital. A lente objetiva L tem distância focal
constante e foi montada dentro de um suporte S, indicado
na figura, que pode mover-se para a esquerda, afastando
a objetiva do CCD ou para a direita, aproximando-a dele.
Na situação representada, a objetiva focaliza com nitidez
a imagem do objeto O sobre a superfície do CCD.
Considere a equação dos pontos conjugados para lentes
1
1
1 , em que f é a distância focal
esféricas ––– = ––– + –––
f
p
p’
da lente, p a coordenada do objeto e p’ a coordenada da
imagem. Se o objeto se aproximar da câmera sobre o eixo
óptico da lente e a câmera for mantida em repouso em
relação ao solo, supondo que a imagem permaneça real,
ela tende a mover-se para a
a) esquerda e não será possível mantê-la sobre o CCD.
b) esquerda e será possível mantê-la sobre o CCD
movendo-se a objetiva para a esquerda.
c) esquerda e será possível mantê-la sobre o CCD
movendo-se a objetiva para a direita.
d) direita e será possível mantê-la sobre o CCD movendose a objetiva para a esquerda.
e) direita e será possível mantê-la sobre o CCD movendose a objetiva para a direita.
Resolução
1
1
1
(I) Da Equação de Gauss, ––– = ––– + ––– , sendo f
f
p
p’
constante, reduzindo-se p (devido à aproximação
do objeto em relação à objetiva), p’ aumenta,
fazendo com que a imagem se mova para a direita.
Veja o esquema:
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
O objeto é deslocado de O1 para O2, fazendo com que
a imagem se desloque de I1 para I2.
(II) Desejando-se manter a imagem focalizada sobre o
CCD, a aproximação do objeto deve provocar um
deslocamento da objetiva para a esquerda. Veja o
esquema:
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
81
A figura representa ondas chegando a uma praia.
Observa-se que, à medida que se aproximam da areia, as
cristas vão mudando de direção, tendendo a ficar paralelas
à orla. Isso ocorre devido ao fato de que a parte da onda
que atinge a região mais rasa do mar tem sua velocidade
de propagação diminuída, enquanto a parte que se
propaga na região mais profunda permanece com a
mesma velocidade até alcançar a região mais rasa,
alinhando-se com a primeira parte.
(www.if.ufrgs.br. Adaptado.)
O que foi descrito no texto e na figura caracteriza um
fenômeno ondulatório chamado
a) reflexão.
b) difração.
c) refração.
d) interferência.
e) polarização.
Resolução
A alteração da intensidade da velocidade das ondas
em virtude da redução de profundidade caracteriza o
fenômeno ondulatório denominado refração.
O modelo abaixo, traduzido matematicamente pela
Lei de Snell, explica a mudança de direção de propagação das ondas devido à redução de velocidade.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
V1 sen r = V2 sen i
Se V2 < V1 ⇒ sen r < sen i
Logo:
r<i
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
82
Modelos elétricos são frequentemente utilizados para
explicar a transmissão de informações em diversos sistemas do corpo humano. O sistema nervoso, por exemplo,
é composto por neurônios (figura 1), células delimitadas
por uma fina membrana lipoproteica que separa o meio
intracelular do meio extracelular. A parte interna da
membrana é negativamente carregada e a parte externa
possui carga positiva (figura 2), de maneira análoga ao
que ocorre nas placas de um capacitor.
(http://biotravel.com.br. Adaptado.)
A figura 3 representa um fragmento ampliado dessa
membrana, de espessura d, que está sob ação de um
campo elétrico uniforme, representado na figura por suas
linhas de força paralelas entre si e orientadas para cima.
A diferença de potencial entre o meio intracelular e o
extracelular é V. Considerando a carga elétrica elementar
como e, o íon de potássio K+, indicado na figura 3, sob
ação desse campo elétrico, ficaria sujeito a uma força
elétrica cujo módulo pode ser escrito por
e.d
a) –––––
V
V.d
b) –––––
e
e
c) –––––
V.d
d) e . V . d
e.V
e) –––––
d
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Resolução
Fazendo-se a analogia com um capacitor plano, do→
tado de um campo elétrico uniforme E entre suas
placas, temos:
d = distância entre as placas
V = diferença de potencial entre as placas
e = valor elementar de carga elétrica
Assim, o módulo da força elétrica (Fe) atuante no íon
de potássio K+ será dado por:
Fe = q E
sendo q = e
e
V
E = –––
d
temos:
eV
Fe = ––––
d
Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
83
A figura representa a vista superior do tampo plano e
horizontal de uma mesa de bilhar retangular ABCD, com
—
caçapas em A, B, C e D. O ponto P, localizado em AB,
representa a posição de uma bola de bilhar, sendo
PB = 1,5 m e PA = 1,2 m. Após uma tacada na bola, ela
—
se desloca em linha reta colidindo com BC no ponto T,
^
sendo a medida do ângulo PTB igual a 60°. Após essa
colisão, a bola segue, em trajetória reta, diretamente até a
caçapa D.
Nas condições descritas e adotando 3 = 1,73, a largura
do tampo da mesa, em metros, é próxima de
a) 2,42.
b) 2,08.
c) 2,28.
d) 2,00.
e) 2,56.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Resolução
Admitindo-se que a colisão da bola com a lateral BC
da mesa seja elástica, temos:
^
^
P TB = C TD = 60°. Assim, em metros, temos:
BP
3⇔
tg 60° = –––– = BT
3
3
BP
1,5 . ⇔ BT = –––––– = ––––––––– = 0,5 . 1,73 = 0,865
3
3
CD
No triângulo CDT, temos: tg 60° = –––– = 3⇔
CT
2,7
⇔ –––– = 3 ⇒ CT = 0,9 . 3 = 0,9 . 1,73 = 1,557
CT
Desta forma, a largura do tampo da mesa será
BT + CT = 0,865 + 1,557 = 2,422 metros.
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
84
No artigo “Desmatamento na Amazônia Brasileira: com
que intensidade vem ocorrendo?”, o pesquisador Philip
M. Fearnside, do INPA, sugere como modelo matemático
para o cálculo da área de desmatamento a função
D(t) = D(0) . ek.t, em que D(t) representa a área de desmatamento no instante t, sendo t medido em anos desde
o instante inicial, D(0) a área de desmatamento no
instante inicial t = 0, e k a taxa média anual de
desmatamento da região. Admitindo que tal modelo seja
representativo da realidade, que a taxa média anual de
desmatamento (k) da Amazônia seja 0,6% e usando a
a
p
r
o
x
i
m
a
ç
ã
o
ln2 0,69, o número de anos necessários para que a área
de desmatamento da Amazônia dobre seu valor, a partir
de um instante inicial prefixado, é aproximadamente
a) 51.
b) 115.
c) 15.
d) 151.
e) 11.
Resolução
Para k = 0,6% = 0,006, temos
D(t) = D(0) . ekt = D(0) . e0,006t
Quando a área de desmatamento dobrar, teremos
D(t) = D(0) . e0,006t = 2D(0) ⇔ e0,006t = 2 ⇔
⇔ ᐉn e0,006t = ᐉn 2 ⇔ 0,006 . t . ᐉn e = ᐉn 2 ⇔
⇔ 0,006t = 0,69 ⇔ t = 115
Assim, são necessários 115 anos.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
85
Analise as informações da tabela, que apresentam
estimativas sobre três setores de economia brasileira.
ano
arrecadação total de
tributos
(em trilhões)
PIB
inflação
(%)
(em trilhões)
2014
1,70
4,92
6,46
2015
1,78
5,02
6,10
2016
1,86
5,25
4,60
(www.impostometro.com.br, www.brasil.gov.br,
www.exame.com.br, www.contexbrasil.com e www.g1.globo.com.
Adaptado)
Se as previsões econômicas para esse período estiverem
corretas e admitindo que os salários são corrigidos
anualmente pelo índice de inflação, no geral, o cidadão
brasileiro terá seu salário cada vez ____ corroído pela
inflação; pagará cada vez _____ tributos; e produzirá cada
ano _____ para o crescimento do país.
Assinale a alternativa que preenche, correta e
respectivamente, as lacunas do texto.
a) menos – menos – mais
b) menos – mais – mais
c) mais – mais – mais
d) menos – mais – menos
e) menos – menos – menos
Resolução
O cidadão brasileiro terá seu salário cada vez MENOS
corroído pela inflação, pois esta está diminuindo;
pagará cada vez MAIS tributos pois estes estão
aumentando; e produzirá cada vez MAIS pois o PIB
está aumentando.
Obs.: Estamos supondo que o termo “cidadão brasileiro” signifique o “povo brasileiro”.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
86
Em 09 de agosto de 1945, uma bomba atômica foi
detonada sobre a cidade japonesa de Nagasaki. A bomba
explodiu a 500 m de altura acima do ponto que ficaria
conhecido como “marco zero”.
(www.nicholasgimenes.com.br)
(http.//wemersonji.blogsport.com.br)
No filme Wolverine Imortal, há uma sequência de
imagens na qual o herói, acompanhado do militar japonês
Yashida, se encontrava a 1 km do marco zero e a 50 m de
um poço. No momento da explosão, os dois correm e se
refugiam no poço, chegando nesse local no momento
exato em que uma nuvem de poeira e material radioativo,
provocada pela explosão, passa por eles.
A figura a seguir mostra as posições do “marco zero”, da
explosão da bomba, do poço e dos personagens do filme
no momento da explosão da bomba.
Se o ventos provocados pela explosão foram de 800 km/h
e adotando a aproximação 5 2,24, os personagens
correram até o poço, em linha reta, com uma velocidade
média, em km/h, de aproximadamente
a) 28.
b) 24.
c) 40.
d) 36.
e) 32.
Resolução
I) A distância d, em quilômetros, do ponto da
explosão até o poço é tal que
d2 = 12 +
1
–––
2
2
5
5
= ––– ⇔ d = ––––– = 1,12
4
2
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
bomba
d
1
Poço
1
2
M
II) A distância do personagem até o poço é
50 m = 0,05 km
III) Se t for o tempo gasto pela nuvem de poeira, e pelo
personagem, e v, em quilômetros por hora, for a
velocidade do personagem então
1,12
0,05
t = ––––– = ––––– ⇔ 1,12V = 40 ⇔
800
v
⇔ v = 35,71 ⇔ v 36
Resposta: D
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
87
Sabe-se que 1 é uma raiz de multiplicidade 3 da equação
x5 – 3 . x4 + 4 . x3 – 4 . x2 + 3 . x – 1 = 0. As outras raízes
dessa equação, no Conjunto Numérico dos Complexos,
são
a) (– 1 – i) e (1 + i).
b) (1 – i)2.
c) (– i) e (+ i).
d) (– 1) e (+ 1).
e) (1 – i) e (1 + i).
Resolução
Se {1; 1; 1; x1; x2} for o conjunto verdade da equação
x5 – 3x4 + 4x3 – 4x2 + 3x – 1 = 0, então
1 + 1 + 1 + x1 + x2 = 3 ⇔
1 . 1 . 1 . x1 . x2 = 1
⇔
⇔
–
x2 = – x1
x21
=1
x =–i
x1 = i
2
⇔
x =±i
x2 = – x1
x1 + x2 = 0 ⇔
x1 . x2 = 1
⇔
1
ou
x =i
x1 = – i
2
Resposta: C
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
88
Em uma dissertação de mestrado, a autora investigou a
possível influência do descarte de óleo de cozinha na
água. Diariamente, o nível de oxigênio dissolvido na água
de 4 aquários, que continham plantas aquáticas submersas, foi monitorado.
I
II
III
IV
Cada aquário continha diferentes composições do volume
ocupado pela água e pelo óleo de cozinha, conforme
consta na tabela.
percentual
I
II
III
IV
óleo
0
10
20
30
água
100
90
80
70
do volume
Como resultado da pesquisa, foi obtido o gráfico, que
registra o nível de concentração de oxigênio dissolvido
na água (C), em partes por milhão (ppm), ao longo dos
oito dias de experimento (T).
C(ppm)
12
11
10
9
8
7
6
5
4
3
2
1
0
1
aquário I
2
3
4
aquário II
5
6
aquário III
7
8
T (dias)
aquário IV
Tomando por base os dados e resultados apresentados, é
correto afirmar que, no período e nas condições do
experimento,
a) não há dados suficientes para se estabelecer o nível de
influência da quantidade de óleo na água sobre o nível
de concentração de oxigênio nela dissolvido.
b) quanto maior a quantidade de óleo na água, maior a
sua influência sobre o nível de concentração de
oxigênio nela dissolvido.
c) quanto menor a quantidade de óleo na água, maior a
sua influência sobre o nível de concentração de
oxigênio nela dissolvido.
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
d) quanto maior a quantidade de óleo na água, menor a
sua influência sobre o nível de concentração de
oxigênio nela dissolvido.
e) não houve influência da quantidade de óleo na água
sobre o nível de concentração de oxigênio nela dissolvido.
Resolução
A partir do gráfico dado, observamos que quanto
maior a quantidade de óleo na água, menor o nível de
concentração de oxigênio dissolvido na água, em
partes por milhão, ao longo dos oito dias de experimentos e, portanto, maior a sua influência.
Resposta: B
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
89
Para divulgar a venda de um galpão retangular de
5000 m2, uma imobiliária elaborou um anúncio em que
constava a planta simplificada do galpão, em escala,
conforme mostra a figura.
5 cm
10 cm
O maior lado do galpão mede, em metros,
a) 200.
b) 25.
c) 50.
d) 80.
e) 100.
Resolução
A área da planta simplificada do galpão é
10 cm . 5 cm = 50 cm2
Assim, sendo x a medida, em metros, do maior lado
do galpão, temos:
2
x
5000
x2
––– = –––––– ⇒ ––––– = 100 ⇒
100
10
50
10 000 ⇒ x = 100
⇒ x = Resposta: E
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
90
Uma loja de departamentos fez uma pesquisa de opinião
com 1000 consumidores, para monitorar a qualidade de
atendimento de seus serviços. Um dos consumidores que
opinaram foi sorteado para receber um prêmio pela
participação na pesquisa.
A tabela mostra os resultados percentuais registrados na
pesquisa, de acordo com as diferentes categorias
tabuladas.
categorias
percentuais
ótimo
25
regular
43
péssimo
17
não opinaram
15
Se cada consumidor votou uma única vez, a probabilidade
de o consumidor sorteado estar entre os que opinaram e
ter votado na categoria péssimo é, aproximadamente,
a) 20%.
b) 30%.
c) 26%.
d) 29%.
e) 23%.
Resolução
A tabela seguinte apresenta, do total pesquisado, a
quantidade de consumidores de cada categoria,
conforme a porcentagem fornecida.
Categorias
Percentuais
Quantidade
de consumidores
Ótimo
25
250
Regular
43
430
Péssimo
17
170
Não opinaram
15
150
Total
100
1000
Opinaram sobre a qualidade de atendimento
250 + 430 + 170 = 850 consumidores. Destes votaram
na categoria péssimo 170 consumidores.
Desta forma, a probabilidade do consumidor que
optou ter votado na categoria péssimo é
170
1
––––– = –– = 0,20 = 20%
850
5
Resposta: A
U N E S P — 1 ª FA S E - N O V E M B R O / 2 0 1 4
Fly UP