...

raciocínio diagnóstico em enfermagem

by user

on
Category: Documents
13

views

Report

Comments

Transcript

raciocínio diagnóstico em enfermagem
HOSPITAL DE CLÍNICAS
FILIAL EBSERH
RACIOCÍNIO DIAGNÓSTICO EM
ENFERMAGEM
Divisão de Enfermagem
Serviço de Educação em Enfermagem
Enf.ª Ma. Aldenôra Laísa P. Carvalho Cordeiro
Julho 2015
2
Objetivos
• Revisar conceitos e histórico do Diagnóstico de
Enfermagem e taxonomia NANDA-I;
• discorrer sobre os tipos e componentes do
Diagnóstico de Enfermagem, segundo a
taxonomia II da NANDA-I;
• apresentar o raciocínio diagnóstico de Risner;
• apresentar a ferramenta “mapa conceitual” como
estratégia para o raciocínio diagnóstico.
3
Diagnóstico de Enfermagem
• É o julgamento clínico
sobre respostas humanas
a problemas de saúde ou
processos de vida.
• Constitui-se a base para
orientar a seleção de
intervenções para alcançar
resultados pelos quais o
enfermeiro
é
o
responsável.
(NANDA-I, 2013)
4
Diagnóstico de Enfermagem
O uso de uma linguagem padronizada para diagnósticos de enfermagem
iniciou na década de 1970 com o desenvolvimento da classificação diagnóstica
da North American Nursing Diagnosis Association (NANDA) (MOORHEAD;
DOCHTERMAN, 2012) que desde 2002 tornou-se NANDA-I, reflexo de um
crescente interesse em todo o mundo sobre a terminologia dos diagnósticos de
enfermagem. Hoje, a NANDA-I, Inc. é a mais antiga e estabelecida taxonomia
de diagnósticos de enfermagem (NANDA-I, 2013).
http://www.nanda.org/
5
Diagnóstico de Enfermagem
DIAGNÓSTICOS DE
ENFERMAGEM (235)
RIA
S
A
Ú
D
DIGES
TÃO
E
GAST.
INTESTINAL
ABSO
R
ÇÃO
C
O
N
T
R
O
L
E
D
A
S
A
Ú
D
E
METABOLISMO
HIDRA
TAÇÃ
O
TEGU
MEN
TAR
F.
RES.
ATIVI
DADE
EXE.
EQUILÍ
BRIO
ENER-
AUTO
CUIDADO
DOMÍNIO 13:
CRESCIMENTO /
DESENVOLVIMENTO
DOMÍNIO 12:
CONFORTO
INF.
IDENTIDADE
SEXUAL
RES.
POS
TRAUMA
VALORES
CONF.
FÍSICO
LESÃO
FÍS.
ORIENTAÇÃO
C
R
E
S
C
I
M
E
N
T
VIOLÊN
CIA
SENSAÇÃO/
PERCEP.
AUTOESTIMA
RELAÇÕES
FAMI.
FUNÇ.
SEXUAL
GIA
RESP.
CARD.
PULM.
DOMÍNIO 11:
SEGURANÇA / PROTEÇÃO
AUTOCONC.
PAPÉIS
DO
CUIDADOR
DOMÍNIO 10:
PRINCÍPIOS DA VIDA
ATENÇÃO
DOMÍNIO 9:
ENFRENTAMENTO/
TOLERÂNCIA AO ESTRESSE
SONO
REPO
U
SO
DOMÍNIO 8:
SEXUALIDADE
DOMÍNIO 5:
PERCEPÇÃO/COGNIÇÃO
FUNÇÃO
URINÁ
DOMÍNIO 7:
PAPEIS E
RELACIONAMENTOS
DOMÍNIO 4:
ATIVIDADE/REPOUSO
INGES
TÃO
DOMÍNIO 6:
AUTOPERCEPÇÃO
DOMÍNIO 3:
ELIMINAÇÃO E TROCA
D
A
DOMÍNIO 2:
NUTRIÇÃO
DOMÍNIO 1:
PROMOÇÃO DA SAÚDE
P
E
R
C
E
P
Ç
Ã
O
6
RES.
DE
ENFRENT.
CONF.
AMB.
CRENÇAS
RISCOS
AMB.
COGNIÇÃO
PROCE.
DEFEN.
COMUNICAÇÃO
IMA-GEM
CORP.
DESEMPENHO
DE
PAPÉIS
REPRODUÇÃO
ESTRESSE
NEUROCOMP.
COEREN
CIA:
VAL. E
CREN.
CONF.
SOCIAL
TERMO
REGUL.
D
E
S
E
N
V
O
L
V
I
7
Diagnóstico de Enfermagem
Os Diagnósticos de Enfermagem podem ser:
REAL
RISCO
Ex.: Deglutição prejudicada,
caracterizado por... relacionado a ...
Ex.: Risco de função hepática
prejudicada, relacionado a ...
PROMOÇÃO DA SAÚDE
Ex.: Disposição para autocontrole da
saúde melhorado, caracterizado por...
SÍNDROME
Ex.: Síndrome do trauma de estupro,
caracterizado por... , relacionado por...
8
Diagnóstico de Enfermagem
Componentes do Diagnóstico de Enfermagem:
TÍTULO (Rótulo)
Deambulação Prejudicada (p. 280)
DEFINIÇÃO
Limitação à movimentação independente, a pé, pelo ambiente
CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS (Sinais e Sintomas)
Capacidade prejudicada de andar em aclive / declive; capacidade prejudicada de andar sobre superfícies irregulares...
FATORES RELACIONADOS / FATORES DE RISCO (Fatores causais /
etiológicos)
Capacidade de resistência limitada; descondicionamento; dor...
9
Diagnóstico de Enfermagem
Título
Definição
10
Guia a avaliação e o
registro da evolução
Orienta a seleção da
intervenção
Nome do problema
real de enfermagem
Título
Definição
Esclarece os limites
do diagnóstico
11
12
13
Raciocínio Diagnóstico
Raciocinar Usar da razão para entender, julgar, calcular
(Aulete Digital, 2015)
Usar da razão para entender, julgar, calcular problemas de
enfermagem.
Conhecimento
Corpo de conhecimento
específico
Corpo de conhecimento de
ciências da saúde comum
O raciocínio
diagnóstico em
enfermagem
envolve uma
interação de
processos
interpessoais,
técnicos e
intelectuais.
(LUNNEY, 2011)
14
Raciocínio Diagnóstico de Risner
1) Análise e síntese dos dados.
2) Estabelecimento dos diagnósticos propriamente ditos.
Análise é entendida como a separação do material em partes e o exame
crítico da mesmas, o qual define seus componentes essenciais e suas
relações (RISNER, 1986), dividida em duas partes:
• Categorização dos dados
• Identificação de dados divergentes ou lacunas
Síntese é a combinação das partes ou dos elementos em uma entidade
única, dividida em:
• Agrupamento das evidências em padrões
• Comparação dos padrões com teorias, modelos, normas e conceitos
• Identificação de possibilidades
• Proposição das causas etiológicas.
15
Raciocínio Diagnóstico de Risner
1) Análise e síntese dos dados.
2) Estabelecimento dos diagnósticos propriamente ditos.
Estabelecimento dos diagnósticos propriamente ditos é a fase para
nomear as conclusões e validá-las. Configura-se a última fase deste processo
(RISNER, 1986).
Alguns obstáculos ao desempenho da habilidade em diagnosticar,
segundo RISNER (1986) são: receio de receber críticas, falta de
autoconfiança, indecisão e falta de conhecimento.
16
Mapa conceitual como estratégia para
raciocínio diagnóstico
Perdeu 8 kg
em um ano
Receava cair
ao tomar
banho
Dor em
MMII
Queixas de
acordar à noite
Marcha sem
equilíbrio
M.P.O
Sexo feminino
66 anos
HAS
DM
Sentia-se
cansada o
dia inteiro
Levantar
cansada
pela manhã
Constipação
durante dois
meses
IMC =
17,5
17
Acurácia Diagnóstica
• “As respostas humanas são complexas e diversificadas o
suficiente para levarem ao risco de graus baixos de
acurácia;
• A escolha das intervenções mais adequadas depende de
altos graus de acurácia;
• O compromisso com alto grau de acurácia é uma tarefa
profissional.”
18
•
19
Referências
• ALFARO-LEFEVRE, R. Aplicação do Processo de Enfermagem:
•
•
•
•
uma ferramenta para o pensamento crítico. 8ed. Porto Alegre:
Artmed, 2014.
CARVALHO, EC. CRUZ, DALM. HERDMAN, TH. Contribuições das
linguagens padronizadas para a produção do conhecimento,
raciocínio clínico e prática clínica da Enfermagem. Rev Bras Enferm.
2013; 66(esp): 134-41.
OLIVEIRA, ANS. CARVALHO, EC. ROSSI, LA. Dos princípios da
prática à classificação dos resultados de enfermagem: olhar sobre
estratégias da assistência. Cienc Cuid Saude 2015 Jan/Mar;
14(1):968-992.
RISNER, P.B. Diagnosis: analysis and synthesis of data. In
GRIFFITH-KENNEY, J.W. CHRISTENSEN, P.J. Nursing Process
application of theories, frameworks, and models
TANNURE, MC. PINHEIRO, AM. Sistematização da Assistência de
Enfermagem. Guia Prático. Rio de Janeiro: Guanabara, 2011.
Fly UP