...

1 Pré Universitário Uni

by user

on
Category: Documents
10

views

Report

Comments

Transcript

1 Pré Universitário Uni
Pré
Universitário
UniAnhanguera
Lista de Exercícios
Aluno (a):_______________________________________Nº.____
Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra
Série: 3ª.
Disciplina: História (p2, 1ª, chamada, 1º. Bimestre) Data da prova:
16.04.2015.
1) Qual fator geográfico possibilitou o desenvolvimento da civilização egípcia na antiguidade?
A) A presença do deserto do Saara que favoreceu o estabelecimento de aldeias na região.
B) A existência de uma densa floresta tropical no nordeste do continente africano.
C) A existência do rio Nilo que possibilitou a prática da agricultura em suas margens, a pesca e o uso de suas
águas para diversas finalidades.
D) O clima subtropical e o alto índice pluviométrico (índice de chuvas) no território egípcio, favorecendo a
agricultura na região.
2) Qual das alternativas abaixo apresenta características da sociedade do Egito Antigo?
A) O poder era concentrado nas mãos do faraó. A sociedade também era composta por sacerdotes, militares,
escribas, comerciantes, artesãos, camponeses e escravos.
B) Os escribas tinham muito poder na sociedade egípcia, mais do que o faraó, pois sabiam ler e escrever. Os
sacerdotes tinham pouca importância social, pois a religião não era muito valorizada pela sociedade egípcia.
C) A maior parte da sociedade era composta por escravos, que apesar de serem comercializados como
mercadoria tinham vários direitos sociais.
D) O faraó era eleito pelo povo egípcio para um mandato de 4 anos. Nas eleições egípcias todos podiam
participar, menos os escravos e os camponeses.
3) Sobre a religião no Egito Antigo é falso afirmar que:
A) Os egípcios acreditavam na vida após a morte e, por isso, desenvolveram a técnica da mumificação.
B) Os egípcios não acreditavam na vida após a morte e seguiam uma religião monoteísta (crença na existência
de apenas um deus).
C) Os egípcios acreditavam na existência de vários deuses (religião politeísta).
D) Na religião egípcia muitos animais eram considerados sagrados, como, por exemplo, gato, jacaré, água,
serpente, etc.
4) Na arquitetura do Egito Antigo podemos destacar as pirâmides. Qual era a principal função das pirâmides?
A) Serviam como residência dos faraós e toda nobreza, por isso eram grandes e luxuosas.
B) Para estocar a produção de grãos e guardar as riquezas do faraó e sua família.
C) Servir de templo religioso, pois nelas eram realizados os rituais egípcios.
D) Proteger e conservar o corpo do faraó mumificado e seus pertences pessoais para a vida após a morte.
5) Quais os principais legados deixados pela civilização egípcia para a humanidade?
A) Democracia, graças ao sistema político no Egito Antigo (sistema de eleições diretas).
B) Conhecimentos marítimos, em função da construção de grandes embarcações capazes de navegar por todos
os oceanos.
C) Importantes técnicas de Mecânica, graças à criação de diversas máquinas movidas à vapor.
D) Conhecimentos na área da Medicina (graças à mumificação), desenvolvimento de técnicas de Arquitetura
com uso da Matemática (graças à construção de pirâmides).
6) Em 3200 a.C., Menés ficou conhecido por ser o primeiro Faraó do Egito Antigo. Durante os seus reinados,
os faraós possuíam bastante poder político e econômico. Diante disso, marque a alternativa correta sobre o
que foi aTeocracia na civilização egípcia.
1
A) Os Faraós tinham autonomia política e econômica na civilização egípcia, mas, em relação à religião, eles
não demonstravam tanta autoridade, pois os deuses eram considerados os mais poderosos pelos indivíduos
egípcios.
B) Teocracia foi uma forma de governo no Egito Antigo em que os Faraós promoveram uma aliança entre
religião e política, uma vez que eles eram adorados como deuses e respeitados como rei.
C) Um governo teocrático era simplesmente aquele em que os indivíduos eram governados por um Faraó que,
apesar do grande poder político e econômico, não era visto como um deus.
D) Somente o Faraó Mentuhotep II, durante o Médio Império, conseguiu promover uma monarquia teocrática
em que ele era visto como um deus perante os indivíduos egípcios.
7) Dentro de uma certa visão de história (chamada de materialismo histórico),modo de produção significou a
forma como se organiza uma sociedade em função do conjunto de relações econômicas, mas também políticas
e culturais, intimamente ligadas entre si e interferindo umas nas outras. (Vicentino, Claudio. História para o
Ensino Médio: história geral e do Brasil: volume único. – São Paulo: Scipione, 2001.p, 40.)O modo de
produção asiático foi praticado nas civilizações da Antiguidade. Portanto, marque a alternativa correta sobre
essa relação de trabalho no Egito Antigo.
A) Foi um modelo também encontrado na Mesopotâmia e consistiu numa prática de trabalho pautada na
servidão coletiva, em que indivíduos exploravam a terra como membros da comunidade e serviam ao Estado
que era o maior proprietário de riquezas.
B) Modelo de trabalho baseado na prática de regime assalariado em que os indivíduos se especializaram em
uma área do sistema de produção.
C) Relação de trabalho constituída pela troca mútua de bens e serviços em que o Estado era o garantidor da
distribuição igualitária da produção para a população egípcia.
D) Foi um modelo de trabalho articulado pelo Estado que monopolizou as riquezas da região. Todavia, os
trabalhadores recebiam pagamentos em mercadorias e não pagavam tributos para o governo, pois camponeses
e artesões possuíam uma posição privilegiada no Egito Antigo.
08) A sociedade egípcia estava dividida em dois grandes grupos sociais: os privilegiados (nobres, sacerdotes e
funcionários administrativos) e os não-privilegiados (soldados, artesãos, camponeses e escravos).Em relação à
sociedade egípcia, a alternativa CORRETA é:
A)
Como a religiosidade no Egito Antigo era pequena, os sacerdotes possuíam pouca influência sobre a
sociedade.
B)
Os escribas atuavam em todos os níveis da administração, fiscalizavam o controle das despesas do
Estado e a arrecadação dos impostos.
C) Os camponeses eram minoria na sociedade egípcia, eram muitos respeitados, já que forneciam alimentos
para a população.
D) Os vizires e os nomarcas eram muito explorados, já que pagavam impostos altíssimos.
09) Sobre a religião, que marcou a vida do povo egípcio do berço ao túmulo, é INCORRETO afirmar:
A) As pirâmides eram os locais de culto presidido pelos sacerdotes.
B) Os egípcios eram politeístas: adoravam vários deuses.
C) A religião contribuiu para o desenvolvimento das ciências e das artes.
D) Entre os deuses mais importantes destaca-se Amon-Rá , o deus Sol.
10) Os altíssimos impostos, cobrados para sustentar as campanhas militares do Estado, provocaram inúmeras
revoltas que abalaram o poder do Império. Essas revoltas contribuíram para a conquista sucessiva do Egito por
vários povos. Foram povos que conquistaram o Egito, EXCETO:
A) assírios;
B) persas;
C) hebreus;
D) romanos.
11)Leia o texto abaixo.
"Ó senhor de todos! Rei de todas as casas. Nas decisões mais distantes fazes o Nilo celeste para que desça
como chuva e açoite as montanhas, como um mar para regar os campos e jardins estranhos. Acima de tudo,
porém, fazes o Nilo do Egito que emana do fundo da terra. E assim, com os teus raios, cuidas de nossas
2
hortas. Nossas colheitas crescem, e crescem por ti (...). Tu estás em meu coração. Nenhum outro te conhece, a
não ser teu filho Aknaton".
As afirmativas abaixo se relacionam com o texto acima. Leia-as.
I)
As cheias do Rio Nilo eram de grande importância para o povo egípcio antigo.
II)
A figura do faraó aparece associada ao aspecto religioso.
III)
O texto critica o grande poder político dos faraós egípcios.
Estão corretas as afirmativas:
A)
I e II.
B)
I e III.
C)
II e III.
D)
I, II e III.
12) Há, no Egito, pessoas encarregadas por lei de embalsamar corpos e que fazem disso uma profissão. Esses
profissionais utilizam-se de vinho de palmeira e óleos aromáticos, especiarias (mirra, canela). Salgam o corpo
e cobrem com náilon por setenta dias. Após este tempo, lavam, envolvem-no com faixas de tela de algodão
embebidas em commi, uma espécie de cola. Existem vários tipos de embalsamamento. Esse apresentado é o
mais caro. Nos tipo médio e inferior são utilizados processos mais simples e mais baratos. O preço é
combinado com a família. Se se encontra um cadáver abandonado, seja alguém que foi atacado por um
crocodilo ou morto por afogamento no Rio Nilo, a cidade em cujo território foi encontrado, é obrigada a
embalsamá-lo. Não é permitido parentes ou amigos tocar no cadáver, apenas os sacerdotes do Nilo têm esse
privilégio. É algo mais precioso do que o simples cadáver de um homem.”
Após a leitura do texto, assinale a alternativa correta:
A)
Os egípcios recebiam o mesmo tratamento após a morte.
B)
O egípcio morto no Rio Nilo recebia o tratamento igual a um mendigo.
C)
O egípcio de classe alta era embalsamado pelo Faraó.
D)
O egípcio após a morte recebia um tratamento diferente, de acordo com a sua condição social.
13. (ENEM 2009) O Egito é visitado anualmente por milhões de turistas de todos os quadrantes do planeta,
desejosos de ver com os próprios olhos a grandiosidade do poder esculpida em pedra há milênios: as
pirâmides de Gizeh, as tumbas do Vale dos Reis e os numerosos templos construídos ao longo do Nilo. O que
hoje se transformou em atração turística era, no passado, interpretado de forma muito diferente, pois
a) significava, entre outros aspectos, o poder que os faraós tinham para escravizar grandes contingentes
populacionais que trabalhavam nesses monumentos.
b) representava para as populações do alto Egito a possibilidade de migrar para o sul e encontrar trabalho nos
canteiros faraônicos.
c) significava a solução para os problemas econômicos, uma vez que os faraós sacrificavam aos deuses suas
riquezas, construindo templos.
d) representava a possibilidade de o faraó ordenar a sociedade, obrigando os desocupados a trabalharem em
obras públicas, que engrandeceram o próprio Egito.
e) significava um peso para a população egípcia, que condenava o luxo faraônico e a religião baseada em
crenças e superstições.
14. (UNIFESP) A arte do Egito Antigo, além de estar inteiramente ligada às crenças religiosas, apresenta
muitas informações sobre a sociedade da época.
a) Qual fator geográfico propiciava, numa região cercada por deserto, a atividade produtiva representada
pela imagem?
3
b) Que significado religioso tinha para os egípcios a representação de cenas da vida cotidiana nos túmulos?
(ENEM 2008) Ao visitar o Egito do seu tempo, o historiador grego Heródoto (484 – 420/30 a.C.) interessouse por fenômenos que lhe pareceram incomuns, como as cheias regulares do rio Nilo. A propósito do assunto,
escreveu o seguinte: “Eu queria saber por que o Nilo sobe no começo do verão e subindo continua durante
cem dias; por que ele se retrai e a sua corrente baixa, assim que termina esse número de dias, sendo que
permanece baixo o inverno inteiro, até um novo verão. Alguns gregos apresentam explicações para os
fenômenos do rio Nilo. Eles afirmam que os ventos do noroeste provocam a subida do rio, ao impedir que
suas águas corram para o mar. Não obstante, com certa freqüência, esses ventos deixam de soprar, sem que o
rio pare de subir da forma habitual. Além disso, se os ventos do noroeste produzissem esse efeito, os outros
rios que correm na direção contrária aos ventos deveriam apresentar os mesmos efeitos que o Nilo, mesmo
porque eles todos são pequenos, de menor corrente.” (Heródoto. História (trad.). livro II, 19-23. Chicago:
Encyclopaedia Britannica Inc. 2.ª ed. 1990, p. 52-3 (com adaptações)). Nessa passagem, Heródoto critica a
explicação de alguns gregos para os fenômenos do rio Nilo. De acordo com o texto, julgue as afirmativas
abaixo.
I~,Para alguns gregos, as cheias do Nilo devem-se ao fato de que suas águas são impedidas de correr para o
mar pela força dos ventos do noroeste.
II- O argumento embasado na influência dos ventos do noroeste nas cheias do Nilo sustenta-se no fato de que,
quando os ventos param, o rio Nilo não sobe.
III- A explicação de alguns gregos para as cheias do Nilo baseava-se no fato de que fenômeno igual ocorria
com rios de menor porte que seguiam na mesma direção dos ventos.
É correto apenas o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) I e II.
d) I e III.
e) II e III.
16. (Unesp 2007) Um dos mais antigos registros escritos conhecidos surgiu no Egito. A região foi também
berço do Estado e da diferenciação social. Escrever requeria anos de aprendizado e apenas alguns poucos,
como os escribas, dedicavam-se a essa tarefa. Nos dias atuais, o conceito de analfabetismo mudou. A Unesco
adota a noção de analfabeto funcional: pessoa capaz de escrever e de ler frases simples, mas que não consegue
usar informações escritas para satisfazer suas necessidades diárias e para desenvolver seu conhecimento.
Explique para que servia a escrita no Egito antigo e relacione o conceito contemporâneo de analfabetismo
com a idéia de exclusão social.
17. (Uece 2007) As relações entre o Estado e a religião, existentes entre os povos da Antiguidade,
caracterizaram diferentes formas de organização político-social. Sobre essas relações, é correto afirmar que
a) o politeísmo implantado pelas monarquias hebraicas restringia a concepção do rei como ser humano,
tornando-o, ungido de Deus.
b) a teocracia egípcia, concepção divina de poder, personificada no faraó como próprio Deus, limitou-se ao
período do Novo Império.
c) a monarquia teocrática, no Egito antigo, ocorria através da personificação de Deus e do Estado na figura do
faraó.
d) o Código de Hamurábi era um manual de orientação espiritual, que autorizava os fiéis a fazer justiça com
as próprias mãos
4
18. UFSC) Sobre o Egito antigo, é CORRETO afirmar que:
(01) o rio Nilo foi de suma importância em vários aspectos da vida dos antigos egípcios. Não só a agricultura
foi possível devido ao seu ciclo de cheias, como também a noção de tempo cíclico, base do pensamento
egípcio, levou à crença na vida após a morte.
(02) a construção das pirâmides atendia às necessidades da vida após a morte dos faraós. Esse tipo de
construção foi característica da arquitetura funerária durante todo o período do Egito antigo e só foi possível
graças à enorme mão-de-obra escrava existente desde o Antigo Reino.
(04) os egípcios antigos acreditavam em vários deuses que se relacionavam entre si e formavam seu sistema
mitológico.
(08) a despeito da influência islâmica, o Egito atual mantém as mesmas crenças religiosas do Egito antigo.
19.(Fuvest) Caracterize as relações entre os camponeses e o Estado no Egito antigo.
20. (RICAFONTE) Leia atentamente o texto. FARAÓ, DIVINDADE TERRENA A palavra faraó, em
egípcio, significava a grande morada. Herdeiro dos deuses, o faraó era responsável pelo equilíbrio da natureza
e o único que podia se aproximar das forças divinas. Sua imagem era vista nas cenas religiosas das paredes
dos templos. O Faraó só participava das cerimônias mais importantes dos templos do Egito. Eram os
sacerdotes, em seu nome, que celebravam as cerimônias de menos importância. Fora dos templos, o faraó era
um defensor do Egito. Com a ajuda dos deuses, mantinha a ordem universal diante de seu povo. Era
responsável pela diplomacia com os adversários do país. À frente dos exércitos, o faraó se responsabilizava
pela segurança do território egípcio e comandava toda e qualquer invasão. PILETTI, Nelson e Claudino.
História e Vida. São Paulo: Editora Ática, 3º vol., 1997, p. 59. Com base no texto e em seus conhecimentos,
CITE duas funções do faraó.
21. (RICAFONTE) Leia com atenção o texto que se segue: A religião desempenhava um papel muito
importante na vida dos antigos egípcios. Todos os aspectos da vida das pessoas eram regulados por normas
religiosas. (...) No Antigo Egito, a religião deixou sua marca em quase todos os setores da vida: a arte era uma
expressão de simbolismo religioso; a literatura e a filosofia estavam repletas de ensinamentos religiosos.
PILETTI, Nelson e Claudino. História e Vida. São Paulo: Editora Ática, 3º vol., 1997, p. 65. Os egípcios
acreditavam na existência da vida após a morte. Para eles, depois de julgada e absolvida pelo tribunal de
Osíris, a alma vinha em busca do corpo. Qual a relação existente entre a religião e o processo de mumificação
no Egito Antigo?
22. (UFSC 2008) "Subitamente, entreabria-se o quadro sonoro para irromper o coro das lamentações.
Acabavam no ar, lucíolas extintas, os derradeiros sons da harpa de David; perdia-se em ecos a derradeira
antístrofe de Salomão; [...]. Clamavam as imprecações do dilúvio, os desesperos de Gomorra; flamejava no
firmamento a espada do anjo de Senaqueribe; dialogavam em concerto tétrico as súplicas do Egito, os
gemidos de Babilônia, as pedras condenadas de Jerusalém." (POMPÉIA, Raul. "O Ateneu". São Paulo: Ática,
1990. p. 37.) Sobre os hebreus e os judeus, é CORRETO afirmar que:
(01) David foi considerado o primeiro patriarca hebreu.
5
(02) Senaqueribe foi o rei responsável pela retirada dos hebreus de Jerusalém para a Babilônia, fato este
conhecido como Êxodo.
(04) no século XX, após a Segunda Guerra Mundial, com a criação do Estado de Israel pela ONU, os judeus
voltaram a se reunir em um território.
(08) no primeiro milênio a.C., os hebreus foram retirados à força de Canaã pelos egípcios, que os levaram ao
vale do rio Nilo e os fizeram escravos.
(16) o dilúvio, narrado no Antigo Testamento, provavelmente foi inspirado em um relato muito mais antigo,
conhecido pelos sumérios.
(32) a construção do Templo de Jerusalém por Salomão foi um marco na centralização política dos hebreus
durante o período monárquico.
(64) a religião dos hebreus não teve qualquer importância na construção da identidade daquele povo.
23. (G1 - uftpr 2008) Os hebreus se constituíram inicialmente em um pequeno grupo de pastores nômades,
organizados em clãs, chefiados por um patriarca. Conduzidos por Abraão, deixaram a cidade de Ur, na
Mesopotâmia, e se fixaram na Palestina ("Canaã", a Terra Prometida), por volta de 2000 a.C. Todavia, entre
os povos da Antiguidade Oriental, os hebreus foram um dos que mais influenciaram a cultura da civilização
ocidental, uma vez que o cristianismo é considerado uma continuação das tradições religiosas hebraicas.
Sobre esse povo, assinale a alternativa INCORRETA.
a) As guerras geraram a unidade política dos hebreus. Esta unidade se firmou primeiro em torno de juízes e,
depois, em volta dos reis.
b) A religião foi uma das bases da cultura hebraica e sua principal característica sempre foi a crença em
vários deuses, entre os quais o principal era Jeová que, segundo a tradição, morava no monte Sinai junto a
outros deuses e semi-deuses.
c) Durante o domínio romano na Palestina, o nacionalismo dos hebreus foi sufocado pelos imperadores
romanos e o auge da repressão aconteceu com a destruição do templo de Jerusalém, quando os hebreus, então,
dispersaram-se por várias regiões do mundo. Esse episódio ficou conhecido como Diáspora.
d) A Palestina era uma pequena faixa de terra que se estendia pelo vale do rio Jordão. Limitava-se ao norte
com a Fenícia, ao sul, com as terras de Judá, a leste, com o deserto da Arábia e, a oeste, com o mar
Mediterrâneo.
e) Os hebreus eram um povo de origem semita, assim como os árabes
24. (Ufpi 2008) Entre as principais características da Civilização Hebraica, merecem destaque especial:
a) A religião politeísta em que as figuras mitológicas de Abraão, Isaac e Jacó formavam uma tríade divina.
b) A criação de uma federação de cidades autônomas e independentes (cidades estado) controladas por uma
elite mercantil.
c) A criação de um alfabeto (aramaico) que seria incorporado e aperfeiçoado pelos egípcios, tornando-se
conhecido como escrita hieroglífica.
d) As práticas religiosas caracterizadas pela crença na existência de um único Deus (monoteísmo) e no
messianismo, pois acreditavam na vinda de um messias libertador do povo hebreu.
e) As inovações tecnológicas desenvolvidas na agricultura, possibilitando grande crescimento da
produtividade agrícola na região palestina.
01 ,(UNESP 2012) Os centros artísticos, na verdade, poderiam ser definidos como lugares caracterizados pela
presença de um número razoável de artistas e de grupos significativos de consumidores, que por motivações
variadas — glorificação familiar ou individual, desejo de hegemonia ou ânsia de salvação eterna — estão
dispostos a investir em obras de arte uma parte das suas riquezas. Este último ponto implica, evidentemente,
que o centro seja um lugar ao qual afluem quantidades consideráveis de recursos eventualmente destinados à
produção artística. Além disso, poderá ser dotado de instituições de tutela, formação e promoção de artistas,
bem como de distribuição das obras. Por fim, terá um público muito mais vasto que o dos consumidores
propriamente ditos: um público não homogêneo, certamente (...). (Carlo Ginzburg. A micro-história e outros
ensaios, 1991.) Os “centros artísticos” descritos no texto podem ser identificados
(A) nos mosteiros medievais, onde se valorizava especialmente a arte sacra.
6
(B) nas cidades modernas, onde floresceu o Renascimento cultural.
(C) nos centros urbanos romanos, onde predominava a escultura gótica.
(D) nas cidades-estados gregas, onde o estilo dórico era hegemônico.
(E) nos castelos senhoriais, onde prevalecia a arquitetura românica.
02. (PITÁGORAS) A palavra "renascimento" significa o movimento de algo nascer de novo. Na transição do
período medieval para o moderno, PODE-SE DIZER que houve renascimento e uma mudança da visão do
mundo presente
a) na religição - a verdade está na bíblia, na tradição e na igreja católica.
b) na ciência - o homem pode e deve progredir, tanto material como culturalmente.
c) na natureza - a vida se restringia ao campo, a vida simples longe das tentações.
d) na cultura - a vida é pouco importante, o valor desta na vontade de Deus.
e) no conhecimento - o conhecimento na contemplação da realidade
03. Observe a figura abaixo:
A figura acima, intitulada Homem de Vitrúvio, representa o período renascentista. A partir dela podemos
perceber que um das CARACTERÍSTICAS do Renascimento era
a) o antropocentrismo, que coloca o homem como o centro de todas as coisas.
b) o teocentrismo, que colocava Deus como o centro de todas as coisas.
c) o geocentrismo que colocava a Terra como centro do universo.
d) o heliocentrismo, que defendia que o sol girava em torno da Terra.
e) o humanismo, que defendia que Deus é o autor de todas as ações humanas
4. (Unicamp 2012) De uma forma inteiramente inédita, os humanistas, entre os séculos XV e XVI, criaram
uma nova forma de entender a realidade. Magia e ciência, poesia e filosofia misturavam-se e auxiliavam-se,
numa sociedade atravessada por inquietações religiosas e por exigências práticas de todo gênero. (Adaptado
de Eugenio Garin, Ciência e vida civil no Renascimento italiano. São Paulo: Ed. Unesp, 1994, p. 11.) Sobre o
tema, é correto afirmar que:
a) O pensamento humanista implicava a total recusa da existência de Deus nas artes e na ciência, o que
libertava o homem para conhecer a natureza e a sociedade.
b) A mistura de conhecimentos das mais diferentes origens - como a magia e a ciência - levou a uma
instabilidade imprevisível, que lançou a Europa numa onda de obscurantismo que apenas o Iluminismo pôde
reverter.
c) As transformações artísticas e políticas do Renascimento incluíram a inspiração nos ideais da Antiguidade
Clássica na pintura, na arquitetura e na escultura.
7
d) As inquietações religiosas vividas principalmente ao longo do século XVI culminaram nas Reformas
Calvinista, Luterana, Anglicana e finalmente no movimento da Contrarreforma, que defendeu a fé protestante
contra seus inimigos.
05. (Ufpe 2012) O Renascimento – um importante período na história da vida europeia – trouxe:
( ) a ruptura da nobreza com o poder da Igreja, reforçando o fim do domínio político do papa e o
crescimento das aspirações republicanas, relacionadas com as reflexões de Maquiavel.
( ) as redefinições no mundo das artes, com mudanças na sensibilidade e na percepção do
pensamento e dos valores da época.
( ) o fortalecimento do saber científico, com mudanças nas concepções da astronomia e da
matemática, que contribuíram para a secularização da cultura.
( ) a aceitação incondicional de crenças religiosas próprias do Cristianismo, anulando as tradições
clássicas predominantes no mundo das artes.
( ) a busca por espaços literários renovadores, com obras expressivas, como Dom Quixote de La
Mancha, importantes para afirmação das línguas nacionais europeias.
06. (Enem 2011) Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu domínio sobre
a natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da invenção tecnológica, os
cientistas também iriam se atirar nessa aventura, tentando conquistar a forma, o movimento, o
espaço, a luz, a cor e mesmo a expressão e o sentimento. SEVCENKO, N. O Renascimento.
Campinas: Unicamp, 1984. O texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção
artística, marcada pela constante relação entre
a) fé e misticismo.
b) ciência e arte.
c) cultura e comércio.
d) política e economia.
e) astronomia e religião.
07. [...] Podemos dizer sem exagero que no Renascimento a humanidade começou a se libertar das
condições que lhe eram impostas pela natureza. O homem deixou de ser apenas uma parte da
natureza. A natureza passou a ser algo que se podia usar e explorar. ‘Saber é poder’, dizia o filósofo
inglês Francis Bacon, sublinhando com isto a aplicação prática do conhecimento. E isto era uma
coisa nova. GAARDER, Jostein. O mundo de Sofia. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. Sobre
o movimento renascentista, assinale a alternativa incorreta.
a) O Renascimento significou uma importante mudança na forma de expressão cultural e na relação
do homem com a natureza.
b) O movimento renascentista estudou o homem e a natureza, fundamentado no espírito crítico e na
razão.
c) O racionalismo renascentista resgatou o princípio da autoridade da ciência teológica e a concepção
teocêntrica de mundo.
d) O antropocentrismo valoriza o homem, difundindo a confiança nas potencialidades humanas e
contrapondo-se ao teocentrismo
08. (Fuvest 2011) Se utilizássemos, numa conversa com homens medievais, a expressão “Idade
Média”, eles não teriam ideia do que isso poderia significar. Eles, como todos os homens de todos os
períodos históricos, se viam vivendo na época contemporânea. De fato, falarmos em Idade Antiga ou
Média representa uma rotulação posterior, uma satisfação da necessidade de se dar nome aos
momentos passados. No caso do que chamamos de Idade Média, foi o século XVI que elaborou tal
conceito. Ou melhor, tal preconceito, pois o termo expressava um desprezo indisfarçado pelos
séculos localizados entre a Antiguidade Clássica e o próprio século XVI. Hilário Franco Júnior. A
8
Idade Média. Nascimento do Ocidente. 3ª ed. São Paulo: Brasiliense, s.d. [1986]. p.17. Adaptado. A
partir desse trecho, responda:
a) Em que termos a expressão “Idade Média” pode carregar consigo um valor depreciativo?
b) Como o período comumente abarcado pela expressão “Idade Média” poderia ser analisado de
outra maneira, isto é, sem um julgamento de valor?
9. Para as artes visuais florescerem no Renascimento era preciso um ambiente urbano. Nos séculos
XV e XVI, as regiões mais altamente urbanizadas da Europa Ocidental localizavam-se na Itália e nos
Países Baixos, e essas foram as regiões de onde veio grande parte dos artistas. (Adaptado de Peter
Burke, O Renascimento Italiano. São Paulo: Nova Alexandria, 1999, p. 64.) 13. (Unicamp simulado
2011) A relação entre o Renascimento cultural e o ambiente urbano na Europa dos séculos XV e
XVI justifica-se porque.
a) as cidades eram centros comerciais e favoreciam o contato com a cultura árabe, cujo domínio das
técnicas do retrato e da perspectiva sobrepôs-se à arte europeia, dando origem ao Renascimento.
b) a presença de artistas nas cidades atraía os investimentos de ricos burgueses em busca de prestígio
social, fazendo com que as regiões que concentravam os artistas, como a Itália e os Países Baixos, se
urbanizassem mais que as outras.
c) nas cidades podia-se estudar a cultura artística em universidades, dedicadas ao cultivo da tradição
clássica e ao ensino de novas técnicas, como o uso do estilo gótico na arquitetura e da perspectiva na
pintura.
d) a riqueza concentrada nas cidades permitia a prática do mecenato, enquanto o crescimento do
comércio estimulava o encontro entre as culturas europeia e bizantina, possibilitando a redescoberta
dos valores da antiguidade clássica
10.Observe as imagens abaixo:
9
Sempre que se evoca o tema do Renascimento, a imagem que nos vem à mente é a dos grandes
artistas e de suas obras mais famosas. Isso nos coloca a questão: por que razão o Renascimento
implica esse destaque tão grande dado às artes visuais? De fato, as artes plásticas acabaram se
convertendo num centro de convergência de todas as principais tendências da cultura renascentista. E
mais do que isso, acabaram espelhando os impulsos mais marcantes do processo de evolução das
relações sociais e mercantis. NICOLAU SEVCENKO Adaptado de O Renascimento. São Paulo:
Atual; Campinas: Ed. Unicamp, 1984. As diversas manifestações da cultura renascentista na Europa
ocidental, entre os séculos XIV e XVI, estiveram relacionadas à criação de novos valores e práticas
sociais que se confrontaram com aqueles da sociedade medieval.
Cite aspectos da cultura renascentista que justifiquem a sua importância para o início dos Tempos
Modernos.
11. Estabeleça abaixo as contraposições
entre Renascimento e Cultura Medieval.
12. (UFJF 2012) As imagens abaixo ilustram alguns procedimentos utilizados por um novo modo de
conhecer e explicar a realidade que se estruturou entre os séculos XVI e XVIII.
Com base nas informações acima e em seus conhecimentos, responda ao que se pede:
a)
Que processo histórico pode ser identificado pelas referências acima?
b)
Cite e analise uma característica desse novo modo de conceber o conhecimento.
10
c) Explique o impacto desse novo modo de conceber o conhecimento sobre os dogmas religiosos
vigentes na época.
13. (Fuvest) O Renascimento marcou o início da Idade Moderna. Indique e comente duas
características fundamentais do Renascimento.
14. (Unicamp) "Renascimento é o nome dado a um movimento cultural italiano e às suas
repercussões em outros países. Caracteriza-se pela busca da harmonia e do equilíbrio nas artes e na
arquitetura acrescentando aos temas cristãos medievais outros temas inspirados na mitologia e na
vida cotidiana." (DICIONÁRIO DO RENASCIMENTO ITALIANO, Zahar Editores, 1988)
Em que momento da história europeia se situa esse movimento e qual a principal fonte de inspiração
para os intelectuais e artistas renascentistas?
15. (Puc) A Pietà é uma escultura em mármore de Michelangelo (1475-1564), realizada no fim do
século XV, no contexto do Renascimento. Giorgio Vasari (1511-1574), um dos mais importantes
intérpretes da obra de Michelangelo, ao falar desta obra, destaca seu refinamento técnico. O próprio
Michelangelo reconheceu a maestria da Pietà ao gravar, pela primeira vez, sua assinatura na faixa
que atravessa o peito da Virgem. Ainda a propósito dessa escultura, Vasari comenta: "Como a mão
do artista pôde realizar, de maneira tão divina, em tão pouco tempo uma obra tão admirável? Parece
um milagre: que uma rocha informe tenha atingido uma perfeição tamanha que a própria natureza só
raramente a modela na carne." Paolucci, Antonio. MICHELANGELO. Florença, ATS. 1993.
11
A partir do comentário de Vasari, apresente o contexto histórico em que se insere o Renascimento, as
novas concepções que passaram a orientar a produção artística e sua relação com a nova visão humanista - de mundo que marca esse movimento estético-cultural. Produza um texto-síntese em que
as informações utilizadas estejam claramente articuladas, contextualizadas e relacionadas às
discussões propostas. A resposta poderá, ainda, ser aprofundada por meio do destaque de outras
obras e nomes expressivos do Renascimento.
16.
(UFLAVRAS) Enumere os eventos, de acordo com o período em que ocorreram e indique a
alternativa que apresente a ordem CORRETA:
1. Período Pré-colonial (1500-1530)
2. Período Colonial (1530-1808)
( ) extração assistemática de pau-brasil.
( ) criação das Capitanias Hereditárias (D. João III).
( ) envio das expedições "exploradoras" e "guarda-costas".
( ) chegada dos jesuítas para catequese dos índios e educação dos colonos.
a) 1 - 2 - 2 - 1
b) 2 - 2 -1 - 1
c) 1 - 1 - 2 - 2
d) 2 - 1 - 1 – 2
e) 1 - 2 - 1 - 2
12
17. (Puc-rio) "Povos e povos indígenas desapareceram da face da terra como conseqüência do que
hoje se chama, num eufemismo envergonhado, o encontro de sociedades do Antigo e do Novo
Mundo." (Manuela Carneiro da Cunha (org). "História dos índios no Brasil." 2. ed. São Paulo, Cia
das Letras, 1998, p. 12.)
A chegada dos europeus no que veio a ser por eles denominado América, ocasionou o encontro entre
sociedades que se desconheciam. No caso dos que estavam a serviço da Coroa de Portugal, o
encontro formalizou contatos, confrontos, alianças com tribos nativas litorâneas, grande parte de
origem tupi. Acerca desse encontro entre portugueses e tupis nas terras que vieram a ser chamadas de
Brasil faça sua analise crítica.
18. (UFRJ) "Eu, o rei, faço saber a vós, Tomé de Sousa, fidalgo de minha Casa, que vendo quanto
serviço de Deus e meu é conservar e enobrecer as capitanias e povoações das Terras do Brasil (...),
ordenei ora de mandar nas ditas terras fazer uma fortaleza e povoação grande e forte, em um lugar
conveniente, para daí se dar favor e ajuda às outras povoações (...); e por ser informado que a Bahia
de Todos os Santos é o lugar mais conveniente da costa do Brasil (...), que na dita Bahia se faça a
dita povoação e assento, e para isso vá uma armada com gente (...) e tudo o mais que for necessário.
E pela muita confiança que tenho em vós (...) vos enviar por governador às ditas terras do Brasil
(...)." (Regimento de Tomé de Sousa, 17 de dezembro de 1548) A política administrativa do Estado
português no início da colonização estruturou-se a partir da adoção do sistema de Capitanias
Hereditárias e, posteriormente, da criação do Governo-Geral. No entanto, o verdadeiro poder político
na Colônia encontrava-se nas Câmaras Municipais, dominadas pelos "homens bons".
a) Explique uma razão para a adoção do sistema de capitanias hereditárias na colonização do Brasil.
c)
Apresente dois objetivos da criação do Governo Geral pelo Estado português.
c) Cite uma razão da concentração do poder político colonial nas Câmaras Municipais.
19. (cftsc) Após o insucesso econômico das Capitanias Hereditárias, já que apenas duas capitanias
prosperaram, a Coroa Portuguesa instituiu, em 1548, um novo sistema político, que influenciou
profundamente a história político-administrativa do Brasil Colonial, tornando-se a primeira tentativa
de centralização do poder. Esse novo sistema político trata-se...
a) da República.
13
b) do Reino Unido de Portugal e Algarves.
c) da Monarquia Constitucional.
d) da Regência Trina Permanente.
e) do Governo Geral.
20. (Puccamp) Os Governos Gerais foram instituídos como a única solução político-administrativa
viável para a colonização efetiva do Brasil, na segunda metade do século XVI, porque
a) a instituição do sistema, em 1548, suprimiu definitivamente a divisão da Colônia em Capitanias
Hereditárias.
b) o Governo-Geral representava a centralização político-administrativa da Colônia, que se tornava
imperativa, pelo sucesso da maioria das Capitanias Hereditárias.
c) o risco crescente, criado com a autonomia excessiva das Capitanias Hereditárias, levou o Estado
Metropolitano a organizar o Governo Geral para substituí-las.
d) o Governo centralizado na Colônia correspondia melhor à definição absolutista do próprio
governo metropolitano.
e) o Governo Geral constituía-se, em nível político, como um regime descentralizado e, em nível
econômico, como uma grande empresa particular, estando à sua frente o Governador, o único
responsável pelo investimento inicial e pelo incentivo à produção .
21. (FGV) "Assim, alguns dos irmãos mandados para esta aldeia, que se chama Piratininga,
chegamos a 25 de janeiro do ano do Senhor de 1554, e celebramos em paupérrima e estreitíssima
casinha a primeira missa, no dia da Conversão do Apóstolo São Paulo e, por isso, a ele dedicamos a
nossa casa". ANCHIETA, José de, "Carta de Piratininga (1554)". Cartas, informações, fragmentos
históricos e sermões, Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Edusp, 1988, p.48. Sobre a fundação da vila
de São Paulo no período colonial podemos afirmar que:
a) Expulsos de Piratininga, os jesuítas retornaram em 1554 com tropas portuguesas que promoveram
a destruição dos grupos indígenas da região.
b) Sua fundação acompanhou a tendência da colonização portuguesa em privilegiar a formação de
núcleos no interior, em lugar de entrepostos litorâneos.
c) Desde sua fundação até o final do século XVIII, sua principal atividade econômica foi a produção
de açúcar e algodão voltada para o mercado externo.
d) Sua fundação ocorreu em função dos interesses jesuíticos em controlar o comércio de metais e
pedras preciosas realizado pelas tribos indígenas da região.
e) Sua fundação está vinculada à motivação missionária dos jesuítas que tinham nos colégios e
aldeamentos suas bases principais.
22. (Puccamp) Considere as afirmações adiante sobre o papel da Igreja no processo de colonização.
I. Várias ordens religiosas atuaram na catequização dos índios brasileiros: franciscanos, carmelitas,
beneditinos e, principalmente, jesuítas.
II. As ordens religiosas acumularam, gradativamente, um considerável patrimônio econômico, para o
qual a mão-de-obra indígena foi fundamental.
III. A expansão do catolicismo não contou com o apoio da Coroa Portuguesa, que mantinha com a
Igreja o regime de padroado.
IV. A Inquisição não chegou a atuar no Brasil Colônia, uma vez que o grande sincretismo existente
impedia o estabelecimento de dogmas.
São corretas SOMENTE
a) I e II b) II e III
c) III e IV
d) I, II e IV
e) I, III e IV
14
23.Caracterize os principais Governos Gerais.
24. Quem foram os “homens bons”?
25.O que foram as Câmaras Municipais?
15
Fly UP