...

Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
A vida da ferramenta é o tempo que a mesma trabalha efetivamente ( deduzidos
os tempos passivos ), até perder sua capacidade de corte. Considerando um
critério de fim-de-vida pré-estabelecido (exemplo :VB, nº de peças produzidas,
etc ).
Alcançada a vida útil limite, a ferramenta deve ser reafiada ou substituída.
O percurso de corte (LC) e o percurso de avanço (Lf) para uma vida de T minutos
é dada pelas eq. 7.1 e 7.2 (livro texto)
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Para as ferramentas de aço rápido, a destruição da aresta de corte se dá
comumente devido à diminuição de sua dureza, causada pela elevada
temperatura de corte.
Nas ferramentas de metal duro recobertas, o desgaste (de flanco) cresce
lentamente enquanto a cobertura resiste à abrasão. Depois, com a perda da desta
proteção, cresce de forma acelerada. É o momento da troca da ferramenta..
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Nas cerâmicas, geralmente o lascamento determina o fim da vida e não desgaste
de flanco ou de cratera.
Muitas vezes, o operador determina o fim de vida. O medo de quebrar a pastilha
pode gerar uma troca muito antes do necessário.
O ideal seria uma medição da rugosidade da peça. Na prática, ao invés de colocar
um rugosímetro ao lado de cada máquina, medições indiretas podem solucionar o
problema.
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Fatores que influenciam o Desgaste
Parâmetros de corte - A velocidade de corte é o parâmetro que mais influencia a
progressão do desgaste. Seguida pelo avanço e pela profundidade de corte. Por
exemplo, a diminuição na vida útil causada por um aumento de 10% na
velocidade de corte é muito maior que a causadapor um aumento do avanço que
ocorresse na mesma proporção.
Isto ocorre porque, com Vc maior aumenta a quantidade de calor, sem um
aumento da área da ferramenta que recebe este calor.
aumenta o calor e também a área.
Prof. Wanderley do Prado
Já com o avanço,
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Fatores que influenciam o Desgaste
Geometria da ferramenta- Uma diminuição no ângulo de posição acarreta (para
mesmo f e ap) uma diminuição da espessura de corte he aumento simultâneo da
largura de corte b. Resultando em uma maior vida da ferramenta, pois há uma
melhor distribuição de calor (em um trecho b maior ).
O ângulo de ponta deve ser o maior possível. O ângulo de posição secundário
deve ser no mínimo de 2º, para evitar o atrito da aresta secundária de corte com a
peça.
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Fatores que influenciam a Rugosidade da peça
O raio de ponta se relaciona com o avanço na determinação da rugosidade. A
rugosidade real , geralmente, é maior que a rugosidade teórica ( devido à fatores
como a vibração. O aumento do raio de ponta, do ponto de vista geométrico,
diminui a rugosidade. Por outro lado,causa vibração calor (que pode aumentar a
rugosidade). O efeito geral é de diminuição da rugosidade.
A rugosidade cresce com o avanço, e a rugosidade máxima teórica se aproxima
da real (percentualmente).Pois o Ks diminui e a formação de cavaco é facilitada.
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Curva de Vida da Ferramenta
Gráficos auxiliares permitem estabelecer a curva de vida da ferramenta em função
de diferentes velocidades de corte e de um desgaste pré-estabelecido.
É possível, também, construir curvas do desgaste em função da velocidade de
corte para um determinado tempo de usinagem.
Tais curvas permitem uma melhor visualização das condições técnicas. Enquanto
as curvas de vida se prestam à análise das condições econômicas.
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
Curva de Vida da Ferramenta
A vida da ferramenta pode ser obtida através da equação de Taylor, sendo:
T= K x Vc-x
K e x são constantes do material, para determinadas condições de usinagem.
As curvas de desgaste são aproximadamente paralelas para pequenas variações de VB. O
que nos leva às equações de Micheletti:
K = K x (VB / VB ) m , onde m
2
C = C x (VB / VB ) n ,onde n
1/m
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
2º Trabalho 22-06-2006
atenção aos detalhes
Revisão Bibliográfica;
Respeitar os 15 minutos de apresentação por grupo ;
Não deixar para a última hora ( ensaiar apresentação,impressões);
Fazer anotações durante as apresentações.
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
2º Trabalho
para 22-06-2006
O Mundo das Máquinas
Grupo 1 - USA
Grupo 4 - Resto da Europa
Grupo 2 - Japão
Grupo 5 - China e Coréia
Grupo 3 - Alemanha
Grupo 6 - Resto do mundo
Prof. Wanderley do Prado
Aula 7- Desgaste e Vida da Ferramenta
2º Trabalho
22-06-2006
Diretrizes para o trabalho
Estratificar de modo a apresentar um cenário representativo do país;
Conceituar os tipos de máquinas;
Destacar pontos fortes e fracos ;
Falar da tradição do país/ países;
Apresentar novos conceitos.
Prof. Wanderley do Prado
This document was created with Win2PDF available at http://www.daneprairie.com.
The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.
Fly UP