...

Visualizar PDF

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Transcript

Visualizar PDF
INFORME TÉCNICO 10/2015
ALTERAÇÕES NA TRIBUTAÇÃO DO IPI:
Medida Provisória nº 690/15, Decreto nº 8.512/15 e Instrução Normativa nº 1.583/2015
Foram publicadas duas normas que alteraram a forma de tributação e de apuração do Imposto
sobre Produtos Industrializados - IPI sobre vinhos e derivados da uva e do vinho: a Medida
Provisória nº 690, de 31 de agosto de 2015 e o Decreto nº 8.512, de 31 de agosto de 2015.
Também foi publicada a Instrução Normativa RFB nº 1.583/2015, que alterou os Anexos I, II
e III da Instrução Normativa RFB nº 1.432/2013. Esta encerrou a obrigatoriedade do uso do selo de
controle fiscal para os produtos enquadrados na NCM 2204, notadamente os vinhos e espumantes. A
medida entrou em vigor no dia 31 de agosto de 2015, desobrigando o uso do selo de controle fiscal
por produtores, engarrafadores, cooperativas de produtores, atacadistas e importadores de vinhos. As
vinícolas devem aguardar orientação da Receita Federal sobre como devem proceder com os
estoques de selos. O órgão ainda não informou de que forma será realizada a devolução dos selos à
Receita. O uso do selo fiscal continua sendo obrigatório para todas as demais bebidas, enquadradas
nas NCM 2205, 2206, 2208, tais como: vermute, sidra, cooler, sangria, coquetel com vinho,
conhaque, bagaceira ou graspa e outras aguardentes de vinho ou de bagaço de uvas, uísques,
cachaça, gim, vodca, licores entre outras.
A MP nº 690/2015 alterou a forma de tributação do IPI. Esta estabelece que o IPI passa a ser
calculado pela aplicação do percentual de alíquota prevista na Tabela do Imposto de Produto
Industrializado – TIPI sobre o preço do produto, e não mais sob o regime especial de tributação do
IPI, em que o imposto é cobrado por um valor fixo de acordo com o enquadramento a que estaria
sujeito.
Por exemplo, supondo que o valor unitário de uma garrafa de vinho de 750 ml seja de R$
10,00 e a alíquota de IPI de 10%, o IPI nesta operação será de R$ 1,00. Comparando-se com a regra
de tributação por enquadramento em classes, esta mesma garrafa, enquadrada nas Classes H a J da
TIPI, seria tributada no valor fixo máximo de IPI de R$ 0,73.
A Medida Provisória também estabeleceu que nas operações de industrialização por
encomenda, o IPI será devido na saída do estabelecimento que o industrializou e, também, pelo
estabelecimento encomendante da industrialização, quando da sua saída, hipótese em que poderá se
creditar do imposto pago pelo remetente.
A Medida Provisória definiu, ainda, como estabelecimentos equiparados a industrial aqueles
que possuírem relação de interdependência em suas operações ou filiais de quem industrializa ou
realiza importação. Neste caso, pela equiparação este estabelecimento também deverá realizar o
recolhimento do IPI, hipótese em que poderá se creditar do imposto pago nas operações anteriores.
Importante destacar que as notas fiscais de comercialização destes produtos deverão conter
a descrição da marca comercial, tipo de embalagem e volume dos produtos, para perfeita
identificação e cálculo do imposto devido.
A referida MP nº 690/2015, foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de agosto de
2015. Esta possuiu possui validade 60 dias prorrogável por mais 60, por Ato do Congresso Nacional,
Informativo viabilizado com recursos do
Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis)
do Estado do Rio Grande do Sul
Alameda Fenavinho, 481 | Edificação 29 | Bairro Fenavinho | Cx. Postal 2577 | CEP 95700-000 | Bento Gonçalves – RS
Fone: 54 3455 1800 |Fax: 54 3455 1814 | E-mail: [email protected]
e deverá ser convertida em Lei pelo Congresso Nacional para as alterações se tornarem definitivas.
Todavia, ela começará a produzir efeitos a partir do primeiro dia do quarto mês subsequente ao de
sua publicação, sendo assim, estas alterações abrangerão as operações efetuadas a partir de 1º de
dezembro de 2015.
O Decreto nº 8.512, de 31 de agosto de 2015, alterou na TIPI, a alíquota de IPI de alguns
produtos vitivinícola. As alterações podem ser observadas no quadro comparativo abaixo:
NCM
22.04
2204.10
2204.10.10
2204.10.90
2204.2
2204.21.00
2204.29
2204.29.1
2204.29.11
2204.29.19
2204.29.20
2204.30.00
22.05
2205.10.00
2205.90.00
2206.00
2206.00.10
2206.00.90
22.07
2207.10
2207.10.10
2207.10.90
2207.20
2207.20.1
2207.20.11
2207.20.19
2207.20.20
22.08
2208.20.00
2208.30
2208.30.10
DESCRIÇÃO
Vinhos de uvas frescas, incluindo os vinhos enriquecidos com álcool; mostos
de uvas, excluindo os da posição 20.09.
- Vinhos espumantes e vinhos espumosos
Tipo champanha (champagne)
Outros
- Outros vinhos; mostos de uvas cuja fermentação tenha sido impedida ou
interrompida por adição de álcool:
-- Em recipientes de capacidade não superior a 2 l
Ex 01 - Vinhos da madeira, do porto e de xerez
-- Outros
Vinhos
Em recipientes de capacidade não superior a 5 l
Ex 01 - Vinhos da madeira, do porto e de xerez
Outros
Ex 01 - Vinhos da madeira, do porto e de xerez
Mostos
- Outros mostos de uvas
ALÍQUOTA (%) ALÍQUOTA (%)
antes
agora
20
20
10
10
10
40
10
20
10
40
10
40
10
10
10
20
10
20
10
10
Vermutes e outros vinhos de uvas frescas aromatizados por plantas ou
substâncias aromáticas.
- Em recipientes de capacidade não superior a 2 l
- Outros
30
30
15
15
Outras bebidas fermentadas (por exemplo, sidra, perada, hidromel); misturas de
bebidas fermentadas e misturas de bebidas fermentadas com bebidas não
alcoólicas, não especificadas nem compreendidas noutras posições.
Sidra
Outras
Ex 01 - Com teor alcoólico superior a 14%
10
10
40
10
10
20
0
NT
8
0
NT
8
0
NT
8
0
NT
8
8
NT
8
NT
8
8
NT
8
NT
8
60
30
60
30
30
30
30
30
Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico, em volume, igual ou
superior a 80 % vol; álcool etílico e aguardentes, desnaturados, com qualquer
teor alcoólico.
- Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico, em volume, igual ou superior
a 80 % vol
Com um teor de água igual ou inferior a 1 % vol
Ex 01 - Para fins carburantes, com as especificações determinadas pela ANP
Ex 02 - Retificado (álcool neutro)
Outros
Ex 01 - Para fins carburantes, com as especificações determinadas pela ANP
Ex 02 - Retificado (álcool neutro)
- Álcool etílico e aguardentes, desnaturados, com qualquer teor alcoólico
Álcool etílico
Com um teor de água igual ou inferior a 1 % vol
Ex 01 - Para fins carburantes, com as especificações determinadas pela ANP
Outros
Ex 01 - Para fins carburantes, com as especificações determinadas pela ANP
Aguardente
Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico, em volume, inferior a 80
% vol; aguardentes, licores e outras bebidas espirituosas.
- Aguardentes de vinho ou de bagaço de uvas
- Uísques
Com um teor alcoólico, em volume, superior a 50 % vol, em recipientes de
capacidade superior ou igual a 50 l
Ex 01 - Destilado alcoólico chamado uísque de malte ("malt Whisky") com teor
alcoólico em volume superior a 54% e inferior a 70%, obtido de cevada maltada
Ex 02 - Destilado alcoólico chamado uísque de cereais ("grain Whisky") com teor
Informativo viabilizado com recursos do
Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis)
do Estado do Rio Grande do Sul
Alameda Fenavinho, 481 | Edificação 29 | Bairro Fenavinho | Cx. Postal 2577 | CEP 95700-000 | Bento Gonçalves – RS
Fone: 54 3455 1800 |Fax: 54 3455 1814 | E-mail: [email protected]
2208.30.20
2208.30.90
2208.40.00
2208.50.00
2208.60.00
2208.70.00
2208.90.00
2209.00.00
alcoólico em volume superior a 54% e inferior a 70%, obtido de cereal não
maltado adicionado ou não de cevada maltada
Em embalagens de capacidade inferior ou igual a 2 l
Outros
- Rum e outras aguardentes provenientes da destilação, após fermentação, de
produtos da cana-de-açúcar
- Gim (gin) e genebra
- Vodca
- Licores
- Outros
Ex 01 - Álcool etílico
Ex 02 - Bebida refrescante com teor alcoólico inferior a 8%
Vinagres e seus sucedâneos obtidos a partir do ácido acético, para usos
alimentares.
60
60
30
30
60
60
60
60
60
8
40
25
30
30
30
30
8
20
0
0
O referido decreto foi publicado no Diário Oficial da União no dia 31 de agosto de 2015, e
começará a produzir efeitos a partir do primeiro dia do quarto mês subsequente ao de sua publicação,
sendo assim, estas alterações abrangem as operações efetuadas a partir de 1º de dezembro de 2015.
As normas supramencionadas seguem em anexo.
Bento Gonçalves, 18 de setembro de 2015
Para mais esclarecimentos:
Darci Dani
Coordenador de Informações Tributárias e Auto Controle do Ibravin
Fone: 54 9971 1619 | E-mail: [email protected]
Informativo viabilizado com recursos do
Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis)
do Estado do Rio Grande do Sul
Alameda Fenavinho, 481 | Edificação 29 | Bairro Fenavinho | Cx. Postal 2577 | CEP 95700-000 | Bento Gonçalves – RS
Fone: 54 3455 1800 |Fax: 54 3455 1814 | E-mail: [email protected]
Fly UP