...

Ver pdf

by user

on
Category: Documents
1

views

Report

Comments

Description

Transcript

Ver pdf
EQUINOS
Gama Pavo para cavalos
de desporto: “Cinco regras básicas
na alimentação destes animais”
Joaquim Clotet Bonsfills, Chefe de produto Equino. Nanta
Faz já 6000 anos que o homem domesticou o cavalo, desde então e até agora a
exigência de trabalho aos cavalos foi aumentando, primeiro pela sua utilização em
tarefas agrícolas, em conflitos militares, no transporte de mercadorias e pessoas e,
posteriormente em actividades físicas, como seja para exercícios de hobby
(passeios, romarias, etc) ou para o desporto em qualquer das diferentes disciplinas
equestres.
Como sabemos, os cavalos são herbívoros e, no seu início, a sua alimentação era exclusivamente
à base do fornecimento de fibra (pastos), o que era suficiente para a sua manutenção. As maiores exigências de trabalho por parte do homem tornaram necessária a utilização de outros recursos alimentares; primeiro introduziram-se os cereais para dar um maior fornecimento calórico
à sua dieta e posteriormente os alimentos compostos, mais equilibrados, para cobrir melhor as
necessidades energéticas e fornecer outros nutrientes que as dietas tradicionais não continham.
Regras básicas na alimentação deste tipo de animais
A água é o primeiro requisito que é necessário garantir. Os cavalos devem ter água à
livre disposição porque ela intervem em todas as funções metabólicas do organismo e
além disso estes animais perdem muita água com o suor do exercicio físico que realizam, pelo que nunca lhes deveria faltar. A água a fornecer deve ser de qualidade,
limpa e fresca, nem muito fria nem muito quente, aproximadamente entre 12-15ºC. A
melhor forma de administrá-la é através da utilização de bebedouros automáticos que
devem estar limpos e desobstruídos.
O consumo de água varia em função da actividade, podemos
estimar o conumo de água por cada 100 kg de peso vivo segundo estas indicações:
de 5 a 6 litros de água por cada 100 kg de peso vivo.
de 7 a 8 litros de água por cada 100 kg de peso vivo.
de 8 a 9 litros por cada 100 kg de peso vivo.
de 9,5 a 10,5 litros por cada 100 kg de peso vivo.
Dissemos que os cavalos eram herbívoros, que necessitam de fibra.
O cavalo dispõe de um sistema digestivo, eficaz pelo seu grande intestino grosso que é capaz de digerir a fibra que lhe fornecemos na
43
dieta. A fibra, para além de ajudar num bom trânsito intestinal,
é digerida no intestino grosso em ácidos gordos voláteis que
fornecem energia ao cavalo e, por outro, lado também fornecem electrólitos e água.
O consumo de fibra deve ser próximo de 1,5 por cento do peso
vivo do cavalo em matéria seca. Este fornecimento de fibra consegue-se mediante a utilização de pastos e fenos de boa qualidade, de preferência fenos de erva, azevém, festuca, etc. Ainda
que seja em menor escala, a luzerna também pode ser um bom
recurso quando dispomos de fenos de qualidade, mas temos
que pensar que a luzerna contém demasiada proteína que o cavalo adulto não precisa e, provavelmente, terá mais problemas
de erupções cutâneas e suará mais. Como norma, não é recomendável fornecer luzerna em mais de um terço do total da forragem fornecida.
Por outra parte, a palha de cereal não fornece grande quantidade de nutrientes e costuma ter um alto conteúdo em lenhina
que é a parte menos digestível dos carboidratos estruturais
(fibra). O uso em excesso deste tipo de alimento poderia ter
como resultado “cavalos barrigudos”, para além de aumentar
o consumo de ração na dieta. Em qualquer caso, sempre é melhor uma palha de aveia, que de trigo ou cevada.
Geralmente, a quantidade de forragem na dieta deverá ser de
60-70 por cento do total da ração.
Os cavalos de desporto esforçam-se todos os dias nos treinos e
nas competições. Os cavalos que estão em competição necessitam regularmente de um alimento completo, um correto fornecimento de combustível (energia), especialmente concebido para
satisfazer essas exigências decorrentes do seu elevado grau de
atividade.
A intensidade do exercício, assim como a sua duração, serão
fundamentais e deverão ter-se em conta no momento de escolher
uma boa alimentação. As fontes de energia que o cavalo obtém
para a sua atividade provêm principalmente dos hidratos de
carbono não estruturais (amidos e açúcares, etc.) das gorduras
e dos carboidratos estruturais (fibras). Disciplinas como o salto
e corridas de hipódromo, o trote e o galope e, em geral, todos
aqueles exercícios de curta duração mas de grande intensidade
(fases mais anaeróbicas) precisam de uma energia mais rapidamente disponível (açúcares, glicogénio). Pelo contrário, disciplinas como o raid e a dressage de longa duração mas pouca
intensidade, precisam de um fornecimento energético mais prolongado no tempo (exercícios aeróbicos), sendo muito interessante nestes casos a introdução de óleos e fibra na dieta.
44
Muesli de alto rendimento para uma
energia instantânea
• Delicioso aporte energético para
competições como o salto e as
corridas: energia instantânea,
energia disponível de forma rápida
e abundante.
• Perfeita combinação de vitaminas,
minerais e oligo-elementos para cavalos de deporto.
Complexo anti-oxidante: Vit. C, E e selénio.
• Magnésio extra, especialmente adequado para
cavalos de deporto em competição, para fortalecer
ossos, músculos e tendões.
• À base de cereais inflados, mais fáceis de digerir
para obter o máximo consumo e rendimento do
alimento.
• Também se absorve facilmente em situações de stress.
• Indicado para suplementar dietas base e melhorar
peso e estado corporal.
Muesli premium para cavalos de
desporto para todas as disciplinas
• Alto teor de magnésio,
especialmente adequado para
cavalos de competição.
• Contém antioxidantes poderosos.
• Vitamina E e selénio naturais para
um óptimo desenvolvimento
muscular.
• Óleo como fonte de energia limpa
para uma maior resistência e um pêlo brilhante.
• Mistura de fontes de energia para evitar que os
cavalos 'aqueçam' demasiado.
• À base de grãos expandidos para máxima
digestibilidade.
Alimentar de forma natural
• Aumenta o bem estar dos cavalos.
• Estimula a mastigação, 3 vezes mais.
• Triplica o tempo dedicado a comer
• Minimiza o tédio, uma vez que o
cavalo dedica mais tempo a comer.
• Reduz o risco de úlceras ao estimular
a produção de saliva.
• Previne vícios nos estábulos: patadas,
mordidelas na madeira, etc.
• Alimentação para animais convalescentes
(laminites, cólicas,etc.).
Deliciosa recompensa quente para
preparar com água quente
• Alimento completo fácil de preparar.
• Enriquecido em vitaminas e minerais.
• Grande conteúdo em linho, aporte
extra de vitamina C, melhora o
aspecto geral (pele e pêlo) do cavalo
e aporta ómega 3.
• Incorpora salvado e cereais
extrusionados-inflados (pops) para uma óptima digestão,
reduzindo o risco de cólicas e laminites.
• Muito apetitoso, ideal para cavalos caprichosos.
• Ideal para cavalos com problemas de dentes e seniores.
• Também indicado para recuperar peso.
• Alimentação para animais convalescentes (laminites,
cólicas,etc.).
No momento de fornecer os alimentos aos nossos cavalos devemos conhecer o seu peso. Nem sempre dispomos de uma balança para pesar os cavalos, mas podemos conhecer o seu peso
utilizando fitas métricas e aplicando a seguinte equação do
INRA (Instituto Nacional de Investigação Agronómica – França),
onde PT é o perimetro torácico á altura da cilha e AC é a altura
ao garrote, em centímetros.
Geralmente distribuem-se os alimentos em baldes, mas estes
devem ser sempre pesados já que, por exemplo, os mueslis
pesam muito menos que os granulados e se não controlamos
podemos estar a sub-alimentar os cavalos.
Os cavalos de desporto precisam às vezes de um fornecimento
“extra”, seja porque fazem esforços muito intensos e pesados,
porque tenham lesões musculares, por um maior desgaste articular, stress pelo exercício, transpiração intensa, etc.
Porque a saúde
também pode ser deliciosa!
• A contribuição de anti-oxidantes
confere maior resistência e
proporciona flexibilidade
muscular.
• Mantém o rendimento a longo
prazo antes e durante o
exercício físico intensivo.
• Indicado para cavalos de
desporto, especialmente em
dressage, concurso completo, raide, carruagens e salto
de obstáculos. Cavalos propensos a miopatia fibrótica,
doença das segundas-feiras e rabdomiólise.
• O trabalho intensivo e o
exercício praticado de modo
irregular podem ser prejudiciais
aos cavalos.
Os músculos acidificam e ficam
mais rígidos. O Pavo
MuscleCare cuida da
musculatura do cavalo quando
esta se torna rígida e tensa.
• Neutraliza resíduos tais como o ácido lácteo, pelo que o
cavalo recuperará mais rapidamente.
• Indicado para cavalos de desporto, todas as disciplinas.
• Cavalos que praticam exercícios de forma irregular.
• Cavalos propensos a miopatia fibrótica, doenças das
segundas-feiras e rabdomiólise.
45
• A ingestão de aminoácidos e
lecitina para um rápido
desenvolvimento muscular.
• O treino do cavalo requer muito
tempo e uma manu-tenção
excelente. Suplementar a
alimentação com Pavo
MuscleBuild é imprescindível
para esta atividade, pois fornece
ao animal elementos activos essenciais como
aminoácidos, vitamina E, vitamina C e lecitina. Todos
estes elementos ajudam a desenvolver a desenvolver a
massa muscular do cavalo mais rapidamente.
• Com um cuidadoso equilíbrio entre o treino e uma
alimentação adequada conseguirá que o seu cavalo
tenha um corpo atlético e um aspeto mais saudável.
• Indicado para cavalos jovens que começaram a
trabalhar e cavalos de desporto depois da recuperação.
• Mix de eletrólitos
• Com o suor, o cavalo perde
fluídos e uma importante
quantidade de sais corporais
como por exemplo cálcio,
sódio, potássio e cloro.
• Em estados de défice
electrolítico, o cavalo retém
menos fluídos, a elasticidade
da pele diminui e o seu vigor e potência também.
• Administrar Pavo E’lyte antes do trabalho aumenta a
reserva de fluídos e eletrólitos do seu cavalo.
• Assim, o ácido lácteo dos músculos será neutralizado
com mais rapidez e o ferro no sangue restabelecer-se-á
mais rapidamente.
• Os cavalos mais sensíveis
stressam facilmente em várias
ocasiões.
• O Pavo NervControl ajuda a
manter a tranquilidade dos
cavalos de forma natural e, em
poucos dias, ficarão sensivelmente mais sossegado.
• O Pavo NervControl contém elementos activos –
magnésio e L-triptofano – muito importantes para os
neurotransmissores, como a serotonina, que aumentam o
envio de sinais e de informação ao sistema nervoso.
• Graças a ele, a tensão corporal é neutralizada com
maior rapidez e o cavalo relaxa. Tranquilo, calmo e sob
controlo será muito mais fácil de lidar.
46
• Para conseguir movimentos
ótimos e harmoniosos é
importante que as articulações
funcionem corretamente.
• As cartilagens, o líquido
sinovial e os ligamentos são os
responsáveis pelo controlo do
movimento do cavalo.
• Alterações nas articulações tais como: inflamações,
crescimento da cartilagem ou o desgaste pelo uso, são
muitas vezes dolorosas e alteram o correto movimento
do cavalo.
• Isto provoca rigidez, perda de vontade para trabalhar e
lesões. O Pavo Mobility combina Colatech® - à base de
colagénio - , complexo de glucosamina e condroitina, o
que contribui para o correcto funcionamento das
articulações do seu cavalo.
COMO SABER QUANDO
UTILIZAR CADA PRODUTO?
Em definitivo o cavalo desportivo deve ser considerado como
um atleta e, como tal, deve ser extremamente cuidado no seu
estado de saúde, no treino que recebe e na sua dieta.Tudo isto
com o objetivo de conseguir o máximo rendimento em qualquer
das disciplinas equestres que realize.
Fly UP