...

Prova com Gabarito Definitivo - Cops

by user

on
Category: Documents
13

views

Report

Comments

Transcript

Prova com Gabarito Definitivo - Cops
O gabarito oficial provisório estará disponível no endereço eletrônico
www.cops.uel.br a partir das 20 horas do dia 6 de dezembro de 2010.
FILOSOFIA
1
Leia o texto a seguir.
O pensamento moderno caracteriza-se pelo crescente abandono da ciência aristotélica. Um dos pensadores
modernos desconfortáveis com a lógica dedutiva de Aristóteles – considerando que esta não permitia explicar
o progresso do conhecimento científico – foi Francis Bacon. No livro Novum Organum, Bacon formulou o
método indutivo como alternativa ao método lógico-dedutivo aristotélico.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento de Bacon, é correto afirmar que o método indutivo
consiste
a) na derivação de consequências lógicas com base no corpo de conhecimento de um dado período histórico.
b) no estabelecimento de leis universais e necessárias com base nas formas válidas do silogismo tal como preservado
pelos medievais.
c) na postulação de leis universais com base em casos observados na experiência, os quais apresentam regularidade.
d) na inferência de leis naturais baseadas no testemunho de autoridades científicas aceitas universalmente.
e) na observação de casos particulares revelados pela experiência, os quais impedem a necessidade e a universalidade
no estabelecimento das leis naturais.
2
O principal problema de Descartes pode ser formulado do seguinte modo: “Como poderemos garantir que o
nosso conhecimento é absolutamente seguro?” Como o cético, ele parte da dúvida; mas, ao contrário do cético,
não permanece nela. Na Meditação Terceira, Descartes afirma: “[...] engane-me quem puder, ainda assim jamais
poderá fazer que eu nada seja enquanto eu pensar que sou algo; ou que algum dia seja verdade eu não tenha
jamais existido, sendo verdade agora que eu existo [...]”
(DESCARTES. René. Meditações Metafísicas. Meditação Terceira, São Paulo: Nova Cultural, 1991. p. 182. Coleção Os Pensadores.)
Com base no enunciado e considerando o itinerário seguido por Descartes para fundamentar o conhecimento,
é correto afirmar:
a) Todas as coisas se equivalem, não podendo ser discerníveis pelos sentidos nem pela razão, já que ambos são falhos
e limitados, portanto o conhecimento seguro detém-se nas opiniões que se apresentam certas e indubitáveis.
b) O conhecimento seguro que resiste à dúvida apresenta-se como algo relativo, tanto ao sujeito como às próprias
coisas que são percebidas de acordo com as circunstâncias em que ocorrem os fenômenos observados.
c) Pela dúvida metódica, reconhece-se a contingência do conhecimento, uma vez que somente as coisas percebidas
por meio da experiência sensível possuem existência real.
d) A dúvida manifesta a infinita confusão de opiniões que se pode observar no debate perpétuo e universal sobre o
conhecimento das coisas, sendo a existência de Deus a única certeza que se pode alcançar.
e) A condição necessária para alcançar o conhecimento seguro consiste em submetê-lo sistematicamente a
todas as possibilidades de erro, de modo que ele resista à dúvida mais obstinada.
3
Leia o texto a seguir.
[...] não exigirei que um sistema científico seja suscetível de ser dado como válido, de uma vez por todas,
em sentido positivo; exigirei, porém, que sua forma lógica seja tal que se torne possível validá-lo através de
recurso a provas empíricas em sentido negativo [...].
(POPPER, K. A lógica da pesquisa científica. Trad. L. Hegenberg e O. S. da Mota. São Paulo: Cultrix, 1972. p. 42.)
Assinale a alternativa que corresponde ao critério de avaliação das teorias científicas empregado por Popper.
a) Falseabilidade
b) Organicidade
c) Confiabilidade
d) Dialeticidade
e) Diferenciabilidade
1 / 19
4
Leia o texto a seguir.
Habermas distingue entre racionalidade instrumental e racionalidade comunicativa. A racionalidade comunicativa ocorre quando os seres humanos recorrem à linguagem com o intuito de alcançar o entendimento não
coagido sobre algo, por exemplo, decidir sobre a maneira correta de agir (ação moral). A racionalidade instrumental, por sua vez, ocorre quando os seres humanos utilizam as coisas do mundo, ou até mesmo outras
pessoas, como meio para se alcançar um fim (raciocínio meio e fim).
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a teoria da ação comunicativa de Habermas, é correto afirmar:
a) Contar uma mentira para outra pessoa buscando obter algo que desejamos e que sabemos que não receberíamos
se disséssemos a verdade é um exemplo de racionalidade comunicativa.
b) Realizar um debate entre os alunos de turma da faculdade buscando decidir democraticamente a melhor maneira de
arrecadar fundos para o baile de formatura é um exemplo de racionalidade instrumental.
c) Um adolescente que diz para seu pai que vai dormir na casa de um amigo, mas, na verdade, vai para uma festa com
amigos, é um exemplo de racionalidade comunicativa.
d) Alguém que decide economizar dinheiro durante vários anos a fim de fazer uma viagem para os Estados
Unidos da América é um exemplo de racionalidade instrumental.
e) Um grupo de amigos que se reúne para decidir democraticamente o que irão fazer com o dinheiro que ganharam em
um bolão da Mega Sena é um exemplo de racionalidade instrumental.
5
Leia o texto a seguir.
Francis Bacon, em sua obra Nova Atlântida, imagina uma utopia tecnocrática na qual o sofrimento humano poderia ser removido pelo desenvolvimento e pelo aperfeiçoamento do conhecimento científico, o qual permitiria
uma crescente dominação da natureza e um suposto afastamento do mito. Na obra Dialética do Esclarecimento, Adorno e Horkheimer defendem que o projeto iluminista de afastamento do mito foi convertido, ele
próprio, em mito, caindo no dogmatismo e em numa forma de mitologia. O progresso técnico-científico consiste, para Adorno e Horkeheimer, no avanço crescente da racionalidade instrumental, a qual é incapaz de
frear iniciativas que afrontam a moral, como foram, por exemplo, os campos de concentração nazistas.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o desenvolvimento técnico-científico, é correto afirmar:
a) Bacon pensava que o incremento da racionalidade instrumental aliviaria as causas do sofrimento humano, apesar de
a razão, a longo prazo, sucumbir novamente ao mito.
b) Adorno e Horkheimer concordavam que o progresso científico não consegue superar o mito, mas se torna
um tipo de concepção mítica incapaz de discriminar o que é certo do que é errado moralmente.
c) Adorno e Horkheimer sustentavam que o crescente avanço da racionalidade instrumental consistia num incremento
da capacidade humana de avaliar moralmente.
d) Bacon apontava que o aumento da capacidade de domínio do homem sobre a natureza conduziria os seres humanos
a uma forma de dogmatismo.
e) Tanto Adorno e Horkheimer quanto Bacon viam o progresso técnico e científico como a solução para os sofrimentos
humanos e para as incertezas morais humanas.
6
Leia o texto a seguir.
Na tradição liberal, a ênfase é posta no caráter impessoal das leis e na proteção das liberdades individuais, de
tal modo que o processo democrático é compelido pelos (e está a serviço dos) direitos pessoais que garantem
a cada indivíduo a liberdade de buscar sua própria realização. Na tradição republicana, a primazia é dada
ao processo democrático enquanto tal, entendido como uma deliberação coletiva que conduz os cidadãos à
procura do entendimento sobre o bem comum.
(Adaptado de: ARAÚJO, L. B. L. Moral, direito e política. Sobre a Teoria do Discurso de Habermas. In: OLIVEIRA, M.; AGUIAR, O. A.;
SAHD, L. F. N. de A. e S. (Orgs.). Filosofia Política Contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2003. p. 214-235.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a filosofia política na teoria do discurso, é correto afirmar que
Habermas
a) privilegia a ideia de Estado de direito em detrimento de uma democracia participativa.
b) concede maior relevância à autonomia pública, opondo-se à autonomia privada.
2 / 19
c) ignora tanto a autonomia privada quanto a pública, substituindo-as pela utilidade das normas morais.
d) enfatiza a compreensão individualista e instrumental do papel do cidadão na lógica privada do mercado.
e) concilia, na mesma base, direitos humanos e soberania popular, reconhecendo-os como distintos, porém
complementares.
7
Leia o texto a seguir.
[...] é manifestamente contra a lei da natureza, seja qual for a maneira por que a definamos, uma criança
mandar num velho, um imbecil conduzir um sábio, ou um punhado de pessoas regurgitar superfluidades
enquanto à multidão faminta falta o necessário.
(ROUSSEAU, J. J. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Trad. L. S. Machado. São Paulo: Abril
Cultural, 1991. p. 282.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a distinção entre homem natural e homem social em Rousseau,
é correto afirmar:
I. A necessidade de autopreservação do homem primitivo é contrabalanceada pelo sentimento de piedade, o
que o demove de praticar o mal sem necessidade.
II. O homem natural sente medo de tudo o que é desconhecido, mantendo-se, desse modo, ávido para o
ataque.
III. O homem social é ambicioso e deseja elevar sua fortuna e posses, menos por necessidade e mais para
colocar-se acima dos outros numa expressão de poder e superioridade.
IV. O homem social vive em paz e igualdade, de forma tranquila e harmoniosa com todos os cidadãos.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
8
Leia o texto a seguir.
Locke divide o poder do governo em três poderes, cada um dos quais origina um ramo de governo: o poder
legislativo (que é o fundamental), o executivo (no qual é incluído o judiciário) e o federativo (que é o poder
de declarar a guerra, concertar a paz e estabelecer alianças com outras comunidades). Enquanto o governo
continuar sendo expressão da vontade livre dos membros da sociedade, a rebelião não é permitida: é injusta
a rebelião contra um governo legal. Mas a rebelião é aceita por Locke em caso de dissolução da sociedade e
quando o governo deixa de cumprir sua função e se transforma em uma tirania.
(LOCKE, John. In: MORA, J. F. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Loyola, 2001. V. III. p. 1770.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre John Locke, é correto afirmar:
I. O direito de rebelião é um direito natural e legítimo de todo cidadão sob a vigência da legalidade.
II. O Estado deve cuidar do bem-estar material dos cidadãos sem tomar partido em questões de matéria
religiosa.
III. O poder legislativo ocupa papel preponderante.
IV. Na estrutura de poder, dentro de certos limites, o Estado tem o poder de fazer as leis e obrigar que sejam
cumpridas.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
3 / 19
9
Leia o texto a seguir.
Que seja portanto ele a considerar-se a si mesmo, que quando empreende uma viagem se arma e procura ir
bem acompanhado; que quando vai dormir fecha suas portas; que mesmo quando está em casa tranca seus
cofres; e isso mesmo sabendo que existem leis e funcionários públicos armados, prontos a vingar qualquer
injúria que lhe possa ser feita.
(HOBBES. Leviatã. Trad. J. P. Monteiro e M. B. N. da Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1974. p. 80.)
O texto de Hobbes diverge de uma ideia central da filosofia política de Aristóteles.
Assinale a alternativa que identifica essa ideia aristotelica.
a) É inerente à condição humana viver segundo as condições adversas do estado de natureza.
b) A sociabilidade se configura como natural aos seres humanos.
c) Os homens, no estado civil, perdem a bondade originária do homem natural.
d) A insociável sociabilidade é característica imanente às ações humanas.
e) O Estado é incapaz de prover a segurança dos súditos.
10
Leia o texto a seguir.
Homero, sendo digno de louvor por muitos motivos, é-o em especial porque é o único poeta que não ignora
o que lhe compete fazer. De fato, o poeta, em si, deve dizer o menos possível, pois não é através disso que
faz a imitação. Os outros intervêm, eles mesmos, durante todo o poema e imitam pouco e raramente. Ele,
pelo contrário, depois de fazer um breve preâmbulo, põe imediatamente em cena um homem, uma mulher ou
qualquer outra personagem e nenhum sem caráter, mas cada uma dotada de caráter próprio.
(ARISTÓTELES. Poética. Trad. A. M. Valente. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2004. p. 94-95.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a mímesis em Aristóteles, assinale a alternativa correta.
a) As personagens devem aparecer agindo menos e o poeta falando mais, como faz Homero.
b) Ao intervir muito no poema, sem colocar personagens, o poeta imita com qualidade superior.
c) Ao dizer o menos possível, Homero coloca as personagens em ação e assim ele é mais imitador.
d) Homero é elogiado por iniciar seus poemas com breves preâmbulos e pouco se referir a personagens em ação.
e) O poeta deve fazer uma breve introdução e iniciar a ação narrando sem necessidade de personagens.
11
Leia o texto a seguir.
É precisamente nos ritmos e nas melodias que nos deparamos com as imitações mais perfeitas da verdadeira
natureza da cólera e da mansidão, e também da coragem e da temperança, e de todos os seus opostos e
outras disposições morais (a prática prova-o bem, visto que o nosso estado de espírito se altera consoante a
música que escutamos).
(Aristóteles. Política. Ed: bilíngue. Trad. A. C. Amaral e C. C. Gomes. Lisboa: Vega, 1998. Livro VIII, p. 579.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a música e a teoria política de Aristóteles, considere as afirmativas a seguir.
I. A música pode incitar um certo estado de espírito, por isso deve-se escolher aquela que forme bem o
caráter do cidadão.
II. A música, por ter ritmo e melodia, incita paixões e mesmo qualidades éticas, sendo desnecessário cuidar
de sua escolha.
III. A música é a arte que melhor imita paixões e qualidades éticas, por isso ela é importante para a formação
do cidadão.
IV. A música incita a formação das virtudes e deve também ser estendida aos estratos inferiores da sociedade.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
4 / 19
12
Leia o texto a seguir.
A virtude é, pois, uma disposição de caráter relacionada com a escolha e consiste numa mediania, isto é, a
mediania relativa a nós, a qual é determinada por um princípio racional próprio do homem dotado de sabedoria
prática.
(Aristóteles. Ética a Nicômaco. Trad. de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Abril Cultural, 1973. Livro II, p. 273.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a situada ética em Aristóteles, pode-se dizer que a virtude ética
a) reside no meio termo, que consiste numa escolha situada entre o excesso e a falta.
b) implica na escolha do que é conveniente no excesso e do que é prazeroso na falta.
c) consiste na eleição de um dos extremos como o mais adequado, isto é, ou o excesso ou a falta.
d) pauta-se na escolha do que é mais satisfatório em razão de preferências pragmáticas.
e) baseia-se no que é mais prazeroso em sintonia com o fato de que a natureza é que nos torna mais perfeitos.
13
Leia os textos a seguir.
[...] seria possível reconstituir a história da arte a partir do confronto de dois pólos, no interior da própria obra
de arte, e ver o conteúdo dessa história na variação do peso conferido seja a um pólo, seja a outro. Os dois
pólos são o valor de culto da obra e seu valor de exposição. [...] À medida que as obras de arte se emancipam
do seu uso ritual, aumentam as ocasiões para que elas sejam expostas. (p. 172).
(BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica - Primeira versão. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios
sobre literatura e história da cultura. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento de Walter Benjamin, é correto afirmar:
a) O resgate da aura artística da obra de arte promovido pela reprodutibilidade técnica amplia sua função potencialmente
democratizadora, permitindo o acesso de um número maior de pessoas à sua contemplação.
b) O declínio da aura da obra de arte, decorrente de sua crescente elitização e das novas técnicas de reprodução em
série, reforça seu valor tradicional de culto e amplia a percepção estética das coletividades humanas.
c) A arte, na sociedade primitiva, tinha por finalidade atender aos rituais religiosos, por isso possuía um caráter
aurático vinculado ao valor de culto, o qual se perde com o avanço da reprodutibilidade técnica, na época
moderna.
d) O cinema manifesta-se como uma obra de arte aurática, pois suscita em cada um dos espectadores uma forma
singular e única de se relacionar com o objeto artístico no interior do qual mergulha e nele se distrai.
e) O que determina o esvaziamento da aura da obra de arte reproduzida tecnicamente é a sua reclusão e a perda do
valor de exposição, o que restringe o acesso das massas, que se tornaram alienadas.
14
Leia o texto a seguir.
Na Primeira Secção da Fundamentação da Metafísica dos Costumes, Kant analisa dois conceitos fundamentais de sua teoria moral: o conceito de vontade boa e o de imperativo categórico. Esses dois conceitos
traduzem as duas condições básicas do dever: o seu aspecto objetivo, a lei moral, e o seu aspecto subjetivo,
o acatamento da lei pela subjetividade livre, como condição necessária e suficiente da ação.
(DUTRA, D. V. Kant e Habermas: a reformulação discursiva da moral kantiana. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p. 29.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a teoria moral kantiana, é correto afirmar:
a) A vontade boa, enquanto condição do dever, consiste em respeitar a lei moral, tendo como motivo da ação a
simples conformidade à lei.
b) O imperativo categórico incorre na contingência de um querer arbitrário cuja intencionalidade determina subjetivamente o valor moral da ação.
c) Para que possa ser qualificada do ponto de vista moral, uma ação deve ter como condição necessária e suficiente
uma vontade condicionada por interesses e inclinações sensíveis.
d) A razão é capaz de guiar a vontade como meio para a satisfação de todas as necessidades e assim realizar seu
verdadeiro destino prático: a felicidade.
e) A razão, quando se torna livre das condições subjetivas que a coagem, é, em si, necessariamente conforme a vontade
e somente por ela suficientemente determinada.
5 / 19
15
Leia o texto a seguir.
Certamente, a brusca mudança de direção que encontramos nas reflexões de Maquiavel, em comparação
com os humanistas anteriores, explica-se em larga medida pela nova realidade política que se criara em
Florença e na Itália, mas também pressupõe uma grande crise de valores morais que começava a grassar.
Ela não apenas constatava a divisão entre “ser” e “dever ser”, mas também elevava essa divisão a princípio e
a colocava como base da nova visão dos fatos políticos.
(REALE, G.; ANTISERI, D. História da Filosofia. São Paulo: Paulinas, 1990. V. II, p. 127.)
Dentre as contribuições de Maquiavel à Filosofia Política, é correto afirmar:
a) Inaugurou a reflexão sobre a constituição do Estado ideal.
b) Estabeleceu critérios para a consolidação de um governo tirânico e despótico.
c) Consolidou a tábua de virtudes necessárias a um bom homem.
d) Fundou os procedimentos de verificação da correção das normas.
e) Rompeu o vínculo de dependência entre o poder civil e a autoridade religiosa.
16
Leia o texto a seguir.
Em Técnica e Ciência como “ideologia”, Habermas apresenta uma reformulação do conceito weberiano de
racionalização pela qual lança as bases conceptuais de sua teoria da sociedade. Neste sentido, postula a distinção irredutível entre trabalho ou agir instrumental e interação ou agir comunicativo, bem como a pertinência
da conexão dialética entre essas categorias, das quais deriva a diferenciação entre o quadro institucional de
uma sociedade e os subsistemas do agir racional com respeito a fins. Segundo Habermas, uma análise mais
pormenorizada da primeira parte da Ideologia Alemã revela que “Marx não explicita efetivamente a conexão
entre interação e trabalho, mas sob o título nada específico da práxis social reduz um ao outro, a saber, a
ação comunicativa à instrumental”.
(Adaptado: HABERMAS, J. Técnica e ciência como “ideologia”. Lisboa: Edições 70, 1994. p.41-42.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento de Habermas, é correto afirmar:
a) O crescimento das forças produtivas e a eficiência administrativa conduzem à organização das relações sociais
baseadas na comunicação livre de quaisquer formas de dominação.
b) A liberação do potencial emancipatório do desenvolvimento da técnica e da ciência depende da prevenção das
disfuncionalidades sistêmicas que entravam a reprodução material da vida e suas respectivas formas interativas.
c) O desenvolvimento da ciência e da técnica, enquanto forças produtivas, permite estabelecer uma nova forma de
legitimação que, por sua vez, nega as estruturas da ação instrumental, assimilando-as à ação comunicativa.
d) Com base na irredutibilidade entre trabalho e interação, a luta pela emancipação diz respeito tanto ao agir comunicativo, contra as restrições impostas pela dominação, quanto ao agir instrumental, contra as restrições
materiais pela escassez econômica.
e) A racionalização na dimensão da interação social submetida à racionalização na dimensão do trabalho na práxis
social determina o caráter emancipatório do desenvolvimento das forças produtivas e do bem-estar da vida humana.
17
Leia o texto a seguir.
Platão, em A República, tem como objetivo principal investigar a natureza da justiça, inerente à alma, que,
por sua vez, manifesta-se como protótipo do Estado ideal. Os fundamentos do pensamento ético-político de
Platão decorrem de uma correlação estrutural com constituição tripartite da alma humana. Assim, concebe
uma organização social ideal que permite assegurar a justiça. Com base neste contexto, o foco da crítica às
narrativas poéticas, nos livros II e III, recai sobre a cidade e o tema fundamental da educação dos governantes. No Livro X, na perspectiva da defesa de seu projeto ético-político para a cidade fundamentada em um
logos crítico e reflexivo que redimensiona o papel da poesia, o foco desta crítica se desloca para o indivíduo
ressaltando a relação com a alma, compreendida em três partes separadas, segundo Platão: a racional, a
apetitiva e a irascível.
6 / 19
Com base no texto e na crítica de Platão ao caráter mimético das narrativas poéticas e sua relação com a alma
humana, é correto afirmar:
a) A parte racional da alma humana, considerada superior e responsável pela capacidade de pensar, é elevada pela
natureza mimética da poesia à contemplação do Bem.
b) O uso da mímesis nas narrativas poéticas para controlar e dominar a parte irascível da alma é considerado excelente
prática propedêutica na formação ética do cidadão.
c) A poesia imitativa, reconhecida como fonte de racionalidade e sabedoria, deve ser incorporada ao Estado ideal que
se pretende fundar.
d) O elemento mimético cultivado pela poesia é justamente aquele que estimula, na alma humana, os elementos
irracionais: os instintos e as paixões.
e) A reflexividade crítica presente nos elementos miméticos das narrativas poéticas permite ao indivíduo alcançar a
visão das coisas como realmente são.
18
Leia o texto a seguir.
Para esclarecer o que seja a imitação, na relação entre poesia e o Ser, no Livro X de A República, Platão
parte da hipótese das ideias, as quais designam a unidade na pluralidade, operada pelo pensamento. Ele
toma como exemplo o carpinteiro que, por sua arte, cria uma mesa, tendo presente a ideia de mesa, como
modelo. Entretanto, o que ele produz é a mesa e não a sua ideia. O poeta pertence à mesma categoria: cria
um mundo de mera aparência.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a teoria das ideias de Platão, é correto afirmar::
a) Deus é o criador último da ideia, e o artífice, enquanto co-participante da criação divina, alcança a verdadeira causa
das coistas a partir do reflexo da ideia ou do simulacro que produz.
b) A participação das coisas às ideias permite admitir as realidades sensíveis como as causas verdadeiras acessíveis
à razão.
c) Os poetas são imitadores de simulacros e por intermédio da imitação não alcançam o conhecimento das
ideias como verdadeiras causas de todas as coisas.
d) As coisas belas se explicam por seus elementos físicos, como a cor e a figura, e na materialidade deles encontram
sua verdade: a beleza em si e por si.
e) A alma humana possui a mesma natureza das coisas sensíveis, razão pela qual se torna capaz de conhecê-las como
tais na percepção de sua aparência.
19
Leia os textos a seguir.
Aristóteles, no Livro IV da Metafísica, defende o sentido epistêmico do princípio de não contradição como o
princípio primário, incondicionado e absolutamente verdadeiro da “ciência das causas primeiras”, ou melhor,
o princípio que se apresenta como fundamento último (ou primeiro) de justificação para qualquer enunciado
declarativo em sua pretensão de verdade.
“É impossível que o mesmo atributo pertença e não pertença ao mesmo tempo ao mesmo sujeito, e na
mesma relação. [...] Não é possível, com efeito, conceber alguma vez que a mesma coisa seja e não seja,
como alguns acreditam que Heráclito disse [...]. É por esta razão que toda demonstração se remete a esse
princípio como a uma última verdade, pois ela é, por natureza, um ponto de partida, a mesma para os demais
axiomas.”
(ARISTÓTELES. Metafísica. Livro IV, 3, 1005b apud FARIA, Maria do Carmo B. de. Aristóteles: a plenitude como horizonte do ser. São
Paulo: Moderna, 1994. p. 93.)
Com base nos textos e nos conhecimentos sobre Aristóteles, é correto afirmar:
a) Aqueles que sustentam, com Heráclito, conceber verdadeiramente que propriedades contrárias podem subsistir e não subsistir no mesmo sujeito opõem-se ao princípio de não contradição.
b) Pelo princípio de não contradição, sustenta-se a tese heracliteana de que, numa enunciação verdadeira, se possa
simultaneamente afirmar e negar um mesmo predicado de um mesmo sujeito, em um mesmo sentido.
c) Nas demonstrações sobre as realidades suprassensíveis, é possível conceber que propriedades contrárias subsistam
simultaneamente no mesmo sujeito, sem que isso incorra em contradição lógica, ontológica e epistêmica.
7 / 19
d) Para que se possa fundamentar o estatuto axiomático do princípio de não contradição, exige-se que sua evidência,
enquanto princípio primário, seja submetida à demonstração.
e) Com o princípio de não contradição, torna-se possível conceber que, se existem duas coisas não idênticas, qualquer
predicado que se aplicar a uma delas também poderá ser aplicado necessariamente à outra.
20
Leia o texto a seguir.
Justiça e Estado apresentam-se como elementos indissociáveis na filosofia política hobbesiana. Ao romper
com a concepção de justiça defendida pela tradição aristotélico-escolástica. Hobbes propõe uma nova moralidade relacionada ao poder político e sua constituição jurídica. O Estado surge pelo pacto para possibilitar
a justiça e, na conformidade com a lei, se sustenta por meio dela. No Leviatã (caps. XIV-XV), a justiça hobbesiana fundamenta-se, em última instância, na lei natural concernente à autoconservação, da qual deriva a
segunda lei que impõe a cada um a renúncia de seu direito a todas as coisas, para garantir a paz e a defesa
de si mesmo. Desta, por sua vez, implica a terceira lei natural: que os homens cumpram os pactos que
celebrarem. Segundo Hobbes, “onde não há poder comum não há lei, e onde não há lei não há injustiça. Na
guerra, a força e a fraude são as duas virtudes cardeais”.
(HOBBES, T. Leviatã. Trad. J. Monteiro e M. B. N. da Silva. São Paulo: Nova Cultural, 1997. Coleção Os Pensadores, cap. XIII.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento de Hobbes, é correto afirmar:
a) A humanidade é capaz, sem que haja um poder coercitivo que a mantenha submissa, de consentir na observância
da justiça e das outras leis de natureza a partir do pacto constitutivo do Estado.
b) A justiça tem sua origem na celebração de pactos de confiança mútua, pelos quais os cidadãos, ao renunciarem sua
liberdade em prol de todos, removem o medo de quando se encontravam na condição natural de guerra.
c) A justiça é definida como observância das leis naturais e, portanto, a injustiça consiste na submissão ao poder
coercitivo que obriga igualmente os homens ao cumprimento dos seus pactos.
d) As noções de justiça e de injustiça, como as de bem e de mal, têm lugar a partir do momento em que os
homens vivem sob um poder soberano capaz de evitar uma condição de guerra generalizada de todos.
e) A justiça torna-se vital para a manutenção do Estado na medida em que as leis que a efetivam sejam criadas, por
direito natural, pelos súditos com o objetivo de assegurar solidariamente a paz e a segurança de todos.
8 / 19
SOCIOLOGIA
21
Leia o texto a seguir.
“O primeiro beijo é sempre o último”. Assim um informante define, com certa nostalgia, o surgimento de uma
nova rotina na prática de “ficar” entre os jovens ao longo da night. “Ficar” é essencialmente beijar, beijar em
série, beijar muito. O primeiro beijo, marcado por algo absolutamente fugaz, registro imediato do tátil, desliga-se do que outrora era ritual do enamoramento, prelúdio de uma trajetória sentimental. [...] No campo do afeto
e do exercício da sociabilidade, essa mesma noite propicia comportamentos que revelam a transitoriedade, a
seriação e o deslocamento afetivo como um novo mecanismo de agrupamento dos jovens.
(ALMEIDA, M. I. M. de. Guerreiros da noite - cultura jovem e nomadismo urbano, In Ciência hoje, v. 34, n. 202, p. 28.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a sociabilidade moderna, considere as afirmativas a seguir.
I. As práticas assinaladas entre os jovens identificam-se ao que se definiu como pós-modernidade, isto é, relações fluidas, marcadas pela instantaneidade e por rupturas contínuas com referenciais pré-estabelecidos.
II. O comportamento dos jovens que optam pela prática do “ficar” é diferente do estado anômico, analisado
por Durkheim, na medida em que as bases da existência social mantêm seu funcionamento normal.
III. A vida social moderna, ao individualizar os sujeitos, eliminou a necessidade, entre os jovens, de participar
de agrupamentos identitários e de estabelecer vínculos sociais com outras pessoas.
IV. A adoção da prática antissocial do “ficar” é fruto de uma juventude sem valores morais, como família,
tradição e propriedade privada, presentes desde os primórdios da humanidade.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
22
No dia 16 de junho de 2010, o Senado brasileiro aprovou o Estatuto da Igualdade Racial.
Os senadores [...] suprimiram do texto o termo “fortalecer a identidade negra”, sob o argumento de que não
existe no país uma identidade negra [...]. “O que existe é uma identidade brasileira. Apesar de existentes,
o preconceito e a discriminação não serviram para impedir a formação de uma sociedade plural, diversa e
miscigenada”, defende o relatório de Demóstenes Torres.
(Folha.com. Cotidiano, 16 jun. 2010. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/751897-sem-cotas-estatuto-da-igualdaderacial-e-aprovado-na-ccj-do-senado.shtml>. Acesso em: 16 jun. 2010.)
Com base no texto e nos conhecimentos atuais sobre a questão da identidade, é correto afirmar:
a) A identidade nacional brasileira é fruto de um processo histórico de realização da harmonia das relações sociais entre
diferentes raças/etnias, por meio da miscigenação.
b) A ideia de identidade nacional é um recurso discursivo desenraizado do terreno da cultura e da política, sendo sua
base de preocupação a realização de interesses individuais e privados.
c) Lutas identitárias são problemas típicos de países coloniais e de tradição escravista, motivo da sua ausência em
países desenvolvidos como a Alemanha e a França.
d) Embora pautadas na ação coletiva, as lutas identitárias, a exemplo dos partidos políticos, colocam em segundo plano
o indivíduo e suas demandas imediatas.
e) As identidades nacionais são construídas socialmente, com base nas relações de força desenvolvidas entre
os grupos, com a tendência comum de eleger, como universais, as características dos dominantes.
9 / 19
23
Leia o texto a seguir.
Montanha abaixo, nas espremidas ruas, sem malha de esgoto de escoamento adequada, [a cidade do Rio de
Janeiro] virou um mar de lama e escombros – que colocou em colapso todo o seu sistema de funcionamento e
deixou sitiada e perplexa uma população vítima da sucessão de desmoronamentos. [...] No Rio de topografia
tão especial, abençoado pela natureza, a transferência imediata das comunidades dos morros e encostas em
áreas de risco responde a uma dívida histórica provocada pela ocupação irregular.
(Adaptado de: Isto É, São Paulo, 14 abr. 2010. Editorial, p. 20.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a questão ambiental, é correto afirmar:
I. O modelo mercantil de ocupação das áreas urbanas empurra a população pobre das grandes metrópoles
para áreas de risco e contribui para a degradação ambiental.
II. O comodismo gerado pela pobreza e pelos programas sociais do governo federal é determinante para a
ocupação de áreas de risco nas grandes cidades e para o desprezo pelas questões ambientais.
III. As políticas habitacionais praticadas desde o regime militar até os governos neoliberais recentes restringiram, no país, o acesso da população de baixa renda à moradia própria, empurrando-a para as favelas de
encosta.
IV. Os custos humanos resultantes das enchentes no Rio de Janeiro revelam, ao lado da questão ambiental, a
persistência de práticas de arrocho salarial, traço característico da formação do capitalismo no Brasil.
Assinale a alternativa correta.
a)
b)
c)
d)
e)
Somente as afirmativas I e III são corretas.
Somente as afirmativas I e IV são corretas.
Somente as afirmativas II e III são corretas.
Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
24
Observe a charge.
(Haiti. Le Monde Diplomatique Brasil. Ano 3. n. 31. fev. 2010.)
A charge remete ao recente problema vivido pelo Haiti, onde um terremoto fez milhares de vítimas.
Com base na charge e nos conhecimentos sobre a América Latina, assinale a alternativa correta.
a) As catástrofes naturais estão na origem da pobreza em diversos países da América Latina, sendo o exemplo mais
recente o Haiti.
b) Graças à ajuda humanitária oferecida pelas nações desenvolvidas aos países afetados pelas tragédias naturais,
rompe-se o tradicional círculo vicioso da pobreza.
c) Os países da América Latina têm, na base de sua miséria social, a forma atrelada com a qual neles se
desenvolveu o capitalismo, isto é, suas origens coloniais.
d) O exemplo do Haiti revela que a miséria da população resulta da tendência dos pobres em optar por ter vários filhos
para se beneficiar dos programas sociais do estado.
e) Na América Latina, as recentes tragédias naturais vividas pelo Haiti, Peru e Chile são agravadas pela ausência de
movimentos sociais que reivindiquem direitos de cidadania.
10 / 19
25
Leia o texto a seguir.
Em recente debate em torno das denúncias de pedofilia na Igreja Católica, um membro do clero brasileiro
declarou que “a culpa é da sociedade”. De acordo com repercussão na revista Veja, “sociedade”, nestes
termos, é uma abstração destinada a escamotear a verdade – a de que são os indivíduos os responsáveis
por seus delitos.
(Veja, São Paulo, 12 maio 2010, p. 101.)
Com base no texto e nas teorias sociológicas clássicas a respeito da relação entre indivíduo e sociedade, é
correto afirmar:
a) Para a concepção materialista da história, a sociedade é um aglomerado de indivíduos, o que impede compreender
a vida social em sua totalidade.
b) Para a concepção weberiana, o assunto tratado não é um problema sociológico, haja vista a impossibilidade de
encontrar as relações de sentido nos agentes envolvidos nestas ações.
c) Na concepção durkheimiana, o caminho adequado para se compreender a vida social é priorizar as ações individuais
em detrimento das manifestações coletivas.
d) Na perspectiva positivista, a violação de princípios norteadores de uma instituição tende a conduzi-la a um
estado patológico, o que demanda reformas para manter a saúde do corpo social.
e) Na sociedade comunista, indivíduo e sociedade podem viver em paz e harmonia, pois as contradições da vida social
desaparecerão.
26
Observe a charge.
(Folha de São Paulo, 1º ago. 2010, p. A14.)
A charge remete à prática política recorrente no Brasil, a qual vem sendo combatida pelo Supremo Tribunal
Federal.
A prática central assinalada na charge é definida como:
a) Clientelismo, uma vez que remete ao voto de cabresto do candidato em relação ao eleitor.
b) Fisiologismo, isto é, a mudança de partido realizada pelo candidato, a cada eleição.
c) Populismo, resultante da presença, na cena pública, de líder carismático e conservador.
d) Nepotismo, por tratar do uso da máquina pública para empregar parentes.
e) Solidarismo, por reforçar a necessidade de todos se ajudarem em defesa da cidadania plena.
11 / 19
27
O Bolsa Família tornou-se um dos principais programas sociais dos dois governos do presidente Lula.
Com base nos conhecimentos sobre o Bolsa Família no Brasil, é correto afirmar:
I. O solidarismo social presente em países de capitalismo avançado alinha-se como um dos princípios norteadores do Programa Bolsa Família.
II. O Programa Bolsa Família atende, com seus benefícios, os estratos da população que, de acordo com o
Banco Mundial, estão abaixo da linha da pobreza.
III. A consequência direta do Programa Bolsa Família foi o maior empobrecimento da classe média para beneficiar os miseráveis.
IV. O Programa Bolsa Família tornou a economia brasileira menos competitiva no mercado mundial, ao desobrigar os pobres de lutarem por emprego e competirem entre si dentro dos espaços de trabalho.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
28
A imagem ao lado retrata um personagem, Jeca Tatu, criado pelo escritor brasileiro Monteiro Lobato no começo
do século XX.
Com base na imagem desse personagem e nos conhecimentos sobre a cultura caipira, é correto afirmar:
I. A cultura caipira resistiu ao desenvolvimento do capitalismo no campo, o que é demonstrado pela expansão da música sertaneja moderna.
II. Jeca Tatu era visto como o modelo ideal de trabalhador para a indústria automobilística nascente,
por seu caráter dócil e seu espírito de iniciativa para
enfrentar as adversidades.
III. A tradição da cultura caipira baseava-se na produção de valores de uso e mutirões, expressão do limitado desenvolvimento da economia de mercado,
nos agrupamentos rurais.
IV. Jeca Tatu exprimia, do ponto de vista econômico,
a existência de disparidades sociais entre, de um
lado, um Brasil moderno e industrial e, de outro,
aquele atrasado e agrário.
Assinale a alternativa correta.
(Jeca Tatu - Monteiro Lobato - 1918)
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
29
Na primeira metade do século XX, o desenvolvimento social brasileiro foi marcado por intensos debates a respeito do processo de modernização do País.
De acordo com esses debates:
I. O País era apresentado, por algumas correntes de pensamento, como sendo de vocação agrícola.
II. O desenvolvimento social e econômico do País passaria, necessariamente, pela modernização do campo.
12 / 19
III. O atraso brasileiro decorria de sua origem feudal, aqui reproduzida mediante a relação entre senhor e
escravo.
IV. A expansão da economia capitalista no campo seria fundamental para eliminar os focos de pobreza e os
movimentos sociais de caráter agrário.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
30
Leia o texto a seguir.
De acordo com Susie Orbach, “Muitas coisas feitas em nome da saúde geram dificuldades pessoais e psicológicas. Olhar fotos de corpos que passaram por tratamento de imagem e achar que correspondem à realidade
cria problema de auto-imagem, o que leva muitas mulheres às mesas de cirurgia. Na geração das minhas
filhas, há garotas que gostam e outras que não gostam de seus corpos. Elas têm medo de comida e do que
a comida pode fazer aos seus corpos. Essa é a nova norma, mas isso não é normal. Elas têm pânico de ter
apetite e de atender aos seus desejos”.
(Adaptado: As mulheres estão famintas, mas têm medo da comida, Folha de S. Paulo, São Paulo, 15 ago. 2010, Saúde.
Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/saude/sd1508201001.htm>. Acesso em: 15 out. 2010).
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento de Émile Durkheim, é correto afirmar:
a) O conflito geracional produz anomia social, dada a incapacidade de os mais velhos compreenderem as aspirações
dos mais novos.
b) Os padrões do que se considera saudável e belo são exemplos de fato social e, portanto, são suscetíveis de
exercer coerção sobre o indivíduo.
c) Normas são prejudiciais ao desenvolvimento social por criarem parâmetros e regras que institucionalizam o agir dos
indivíduos.
d) A consciência coletiva é mais forte entre os jovens, voltados que estão a princípios menos individualistas e egoístas.
e) A base para a formação de princípios morais e de solidez das instituições são os desejos individuais, visto estes
traduzirem o que é melhor para a sociedade.
31
Leia o texto a seguir, que remete ao debate sobre questões de gênero.
A violência contra a mulher acontece cotidianamente e nem sempre ganha destaque na imprensa, afirmou a
ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire [...]. “Quando surgem casos, principalmente
com pessoas famosas, que chegam aos jornais, é que a sociedade efetivamente se dá conta de que aquilo
acontece cotidianamente e não sai nos jornais. As mulheres são violentadas, são subjugadas cotidianamente
[...]”, afirmou a ministra. [...] “Eliza morreu porque contrariou um homem que achou que lhe deveria impor um
castigo. Ela morreu como morrem tantas outras quando rompem relacionamentos violentos”, disse a ministra.
(VIOLÊNCIA contra as mulheres é diária, diz ministra, Agência Brasil, Brasília, 11 jul. 2010.)
Com base no texto e nos conhecimentos socioantropológicos sobre o tema, é correto afirmar:
a) Questões de gênero são definidas a partir da classe social, razão pela qual são mais presentes nas camadas populares do que entre as elites.
b) As identidades sociais masculina e feminina são configuradas a partir de características biológicas imutáveis presentes em cada um.
c) As diferenças de gênero são determinadas no terreno econômico, daí o fato de serem produto da sociedade capitalista.
d) As experiências socialistas do século XX demonstram que nelas as questões de gênero são resolvidas de modo a
estabelecer a igualdade real entre homens e mulheres.
e) As relações de gênero são construídas socialmente e favorecem, nas condições históricas atuais, a dominação masculina.
13 / 19
32
Observe a charge.
(www.nathaliakarl.wordpress.com/.../policia-e-ladrao/)
A charge remete a uma determinada percepção existente hoje entre estratos da população brasileira a respeito
da questão da segurança pública.
Com base na charge, é correto afirmar:
a) As crianças são as principais responsáveis pela visão negativa que, socialmente, se construiu dos órgãos de segurança pública.
b) A vantagem da polícia em relação ao ladrão é que a primeira usa arma de fogo enquanto o segundo está restrito às
armas brancas.
c) Situações de exceção tendem a produzir, em parte da população, descrédito em relação às instituições de
proteção da cidadania.
d) A melhor maneira de se proteger é não sair à rua, pois pode haver conflitos entre policiais e ladrões, fazendo vítimas
inocentes.
e) As diferenças entre policiais e ladrões seriam claras na consciência dos indivíduos se as mães educassem melhor
seus filhos a não cometer equívocos.
33
Leia o texto a seguir.
Com vestidos de noivas e ternos, três casais gays [...] se apresentaram nesta quarta-feira no cartório de
registro civil de Montevidéu para uma simulação de casamento, no lançamento de uma campanha em favor
do casamento homossexual.
(Folha de São Paulo, 19 maio 2010, Caderno Mundo. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp>. Acesso em: 19 maio 2010.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre os novos movimentos sociais, considere as afirmativas a seguir.
I. Desde a segunda metade do século XX, o Ocidente vivencia a explosão de variados movimentos sociais
cujo eixo são as políticas identitárias.
II. Movimentos sociais são expressão de demandas do cotidiano que se transformam em reivindicações coletivas para a ampliação dos direitos de cidadania.
III. O que diferencia o movimento gay em relação ao antigo movimento operário é a negação da instância
política enquanto elemento mediador da ação reivindicativa.
IV. Dentre as condições para a existência de movimentos sociais está o respeito aos valores morais tradicionais, como a aceitação da união heterossexual e a negação da homossexual.
14 / 19
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
34
Observe a charge a seguir.
(Folha de São Paulo, São Paulo, 15 ago. 2010, p. 2.)
De acordo com a charge, é correto afirmar:
a) A resolução dos problemas na Educação passa pela adoção dos programas neoliberais de reforço dos investimentos
sociais pelo Estado.
b) Benefícios sociais dirigidos à educação são desnecessários e dispendiosos já que os pobres recebem auxílios públicos demais.
c) As políticas sociais de assistencialismo elaboradas pelo Estado têm como resultado direto a eliminação dos problemas vividos pela educação.
d) Políticas de bem-estar social revelam-se ineficazes em razão do conformismo dos pobres com sua situação material
de existência.
e) Iniciativas inspiradas pelas políticas de bem-estar social podem produzir a acomodação dos indivíduos às
benesses instituídas pelo poder público.
35
Leia o texto a seguir.
O empresário Ruppert Murdoch, dono do império de mídia News Corporation e conhecido pelas ideias conservadoras, disse ontem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é discípulo de Margareth Tatcher, premiê
britânica do fim dos anos 70 até o início dos 90 e conhecida como “a dama de ferro.”
(Folha de S. Paulo, B8, Mercado, 22 out. 2010: Lula é discípulo de Thatcher, diz Murdoch.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tatcherismo, é correto afirmar:
a) O que aproxima os governos Lula daqueles de Margareth Tatcher é a incorporação, por ambos, das políticas de
Estado mínimo, incrementando, assim, as práticas de welfare-state.
b) Os governos Lula e Margareth Tatcher possuem, como pontos comuns, o maior poder atribuído aos sindicatos, razão
pela qual, nestes governos, o controle da economia esteve nas mãos do que se convencionou chamar de “república
sindicalista”.
c) O tatcherismo representou a implementação, em território britânico, de políticas denominadas neoliberais,
assentadas nos princípios da privatização das empresas e flexibilização das leis trabalhistas.
d) A base de ambos os governos foram as limitações à liberdade de expressão, práticas adotas nos antigos países do
extinto bloco soviético, o que, no caso inglês, rendeu a Tatcher a denominação de “a dama de ferro”.
e) Assim como o tatcherismo, o lulismo incorporou o princípio neoliberal de controle dos setores populares mediante a
ampliação dos programas de assistência às famílias mais carentes.
15 / 19
36
Observe a charge.
(Disponível em: <http://complexowill.blogspot.com/2010/08/precisamos-aprender-novos-conceitos.html>. Acesso em: 24 out. 2010.)
Com base na charge e nos conhecimentos sobre a teoria de Marx, é correto afirmar:
a) A produção mercantil e a apropriação privada são justas, tendo em vista que os patrões detêm mais capital do que
os trabalhadores assalariados.
b) Um dos elementos constitutivos da acumulação capitalista é a mais-valia, que consiste em pagar ao trabalhador menos do que ele produziu em uma jornada de trabalho.
c) A mercadoria, para poder existir, depende da existência do capitalismo e da substituição dos valores de troca pelos
valores de uso.
d) As relações sociais de exploração surgiram com o nascimento do capitalismo, cuja faceta negativa está em pagar
salários baixos aos trabalhadores.
e) Sob o capitalismo, os trabalhadores se transformaram em escravos, fato acentuado por ter se tornado impossível,
com a individualização do trabalho e dos salários, a consciência de classe entre eles.
37
O conceito de ação social desempenha papel fundamental no conjunto teórico construído por Max Weber.
Sobre este conceito utilizado por Max Weber, considere as afirmativas a seguir.
I. A ação social foca o agente individual, pois este é o único capaz de agir e de atribuir sentido à sua ação.
II. Interpretar a reciprocidade entre as ações sociais possibilita ao cientista social a compreensão sobre as
regularidades nas relações sociais.
16 / 19
III. A imitação e as ações condicionadas pelas massas são exemplos típicos de ação social, pois são motivadas pela consciência racional da importância de viver em sociedade.
IV. O que permite compreender o agir humano enquanto ação social é o fato de ele possuir um sentido único
e objetivo para todos os agentes envolvidos.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
38
O positivismo foi uma das grandes correntes de pensamento social, destacando-se, entre seus principais teóricos, Augusto Comte e Émile Durkheim.
Sobre a concepção de conhecimento científico, presente no positivismo do século XIX, é correto afirmar:
a) A busca de leis universais só pode ser empreendida no interior das ciências naturais, razão pela qual o conhecimento
sobre o mundo dos homens não é científico.
b) Os fatos sociais fogem à possibilidade de constituírem objeto do conhecimento científico, haja vista sua incompatibilidade com os princípios gerais de objetividade do conhecimento e a neutralidade científica.
c) Apreender a sociedade como um grande organismo, a exemplo do que fazia o materialismo histórico, é rejeitado
como fonte de influência e orientação para as investigações empreendidas no âmbito das ciências sociais.
d) A ciência social tem como função organizar e racionalizar a vida coletiva, o que demanda a necessidade de
entender suas regras de funcionamento e suas instituições forjadas historicamente.
e) O papel do cientista social é intervir na construção do objeto, aportando à compreensão da sociedade os valores por
ele assimilados durante o processo de socialização obtido no seio familiar.
39
Leia o texto a seguir.
A maior parte dos sábios, como Isaac Newton, era profundamente crente e pensava que descobrir as leis da
natureza graças à física é descobrir a obra de uma providência absolutamente divina e convencer-se de que a
organização do mundo não é produto do acaso. Muito antes das Luzes, é no declínio das antigas hierarquias
e no turbilhão suscitado pela chegada ao Novo Mundo que devemos buscar a fonte da revolução científica.
É nesse contexto que as novas ciências abandonam a concepção de natureza como algo maravilhoso, governado por princípios ocultos, e passam a imaginá-la como uma máquina gigantesca. A tal engrenagem
seguiria leis reguladoras e necessárias, passíveis de serem traduzidas em linguagem matemática. Isso não
impediria, contudo, que a visão mecanicista da natureza continuasse por muito tempo como um ato de fé,
incapaz de explicar fenômenos tão familiares como a coesão de materiais, a queda dos corpos ou a maré.
(Adaptado de: JENSEN, P. O saber não é neutro. Le Monde Diplomatique Brasil, Ed. Instituto Polis, jun. 2010, ano 3, n. 35, p. 34.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a revolução científica, é correto afirmar:
a) A revolução científica possibilitou demonstrar, no terreno da vida social, que o saber é neutro, pois é baseado em
provas empíricas reveladoras de uma forma de verdade que não comporta manipulações pelos homens.
b) A revolução científica comprovou que as mesmas leis gerais que regem o mundo físico atuam também sobre a
realidade social, de tal modo que, compreendendo uma, se compreende diretamente a outra.
c) Para a revolução científica, ciência e religião são formas de compreensão racional da realidade, estando ambas
regidas pelos princípios de observação, verificação e experimentação capazes de demonstrar a hipótese inicial.
d) A grande contribuição da revolução científica para as ciências humanas foi demonstrar que as relações sociais
possuem regularidades matemáticas, o que permite prever com exatidão os comportamentos dos indivíduos e de
grupos de indivíduos.
e) Ainda que impossibilitada de explicar a dinâmica da vida social, a revolução científica trouxe para o terreno
das ciências humanas o princípio da racionalidade da investigação como caminho para a apreensão objetiva
dos fatos.
17 / 19
40
Leia o texto a seguir.
Na verdade, a ideologia impessoal do liberalismo democrático jamais se naturalizou entre nós. Só assimilamos efetivamente esses princípios até onde coincidiram com a negação pura e simples de uma autoridade
incômoda, confirmando nosso instintivo horror às hierarquias e permitindo tratar com familiaridade os governantes.
(HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 160.)
O trecho de Raízes do Brasil ilustra a interpretação de Sérgio Buarque de Holanda sobre a tradição política
brasileira.
A esse respeito, considere as afirmativas a seguir.
I. As mudanças políticas no Brasil ocorreram conservando elementos patrimonialistas e paternalistas que
dificultam a consolidação democrática.
II. A política brasileira é tradicionalmente voltada para a recusa das relações hierárquicas, as quais são incompatíveis com regimes democráticos.
III. As relações pessoais entre governantes e governados inviabilizaram a instauração do fenômeno democrático no país com a mesma solidez verificada nas nações que adotaram o liberalismo clássico.
IV. A cordialidade, princípio da democracia, possibilitou que se enraizassem, no país, práticas sociais opostas
aos princípios do clientelismo político.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
18 / 19
09. FILOSOFIA E SOCIOLOGIA
GABARITO
Questão
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
Alternativa correta
C
E
A
D
B
E
B
E
B
C
B
A
C
A
E
D
D
C
A
D
A
E
B
C
D
D
A
C
D
B
E
C
A
E
C
B
A
D
E
B
19 / 19
Assinalada
Fly UP