...

ABRA AQUI

by user

on
Category: Documents
4

views

Report

Comments

Description

Transcript

ABRA AQUI
Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob nº 01604
COMPOSIÇÃO:
Methyl benzimidazol-2-ylcarbamate (CARBENDAZIM)….......................................................................................500 g/L (50,0% m/v)
Ingredientes inertes........................................................................................................................................................514 g/L (51,4% m/v)
CONTEÚDO: VIDE RÓTULO
CLASSE: Fungicida sistêmico do grupo químico Benzimidazol
TIPO DE FORMULAÇÃO: Suspensão concentrada
TITULAR DO REGISTRO (*):
DU PONT DO BRASIL S.A. - Alameda Itapecuru, 506 - CEP 06454-080 - Alphaville - Barueri - SP
CNPJ 61.064.929/0001-79 - Tel.: 0800-707 5517 - Fax (0XX11) 4166-8420
Cadastro Estadual nº 040 (Secretaria da Agricultura - SP)
(*) Importador do produto formulado
* Restrição de uso temporária no Estado do Paraná.
MODO / EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
Aplicação terrestre:
a) Utilizar pulverizadores tratorizados de barra, com pressão constante (15 a 50 lb/pol²) conforme tipo o de pulverizador ou
ponta de pulverização utilizada.
b) A altura da barra deve permitir cobertura uniforme da parte aérea das plantas de soja (folhas, caule e frutos), observandose que em toda a sua extensão a barra se mantenha na mesma altura em relação a parte superior da cultura.
c) Recomenda-se a utilização de pontas de jato plano (leque como o XRTeejet ou duplo leque como o Twinjet) e de jato
cônico (Ex.: Conejet), de acordo com as recomendações do fabricante.
d) Utilizar volumes de calda na aplicação de 100 a 200 L de calda/ha, tamanho de gotas de 200 a 400 micra, densidade de
gotas em torno de 60 gotas/cm².
fumaça em camadas e com movimento lateral indica a presença de uma inversão térmica; enquanto que, se a fumaça for
rapidamente dispersada e com movimento ascendente, há indicação de um bom movimento vertical do ar.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Soja.................................14 dias
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Recomenda-se não entrar nas áreas tratadas sem equipamento de proteção individual antes de decorridas 24 h.
LIMITAÇÕES DE USO:
• Fitotoxicidade: quando utilizado de acordo com as recomendações da bula, Delsene® SC não causa fitotoxicidade à cultura
de soja.
• Compatibilidade: Delsene® SC não deve ser aplicado com produtos de reação fortemente alcalina, tais como calda
bordalesa ou sulfocálcica e não deve ser utilizado em mistura de tanque com qualquer outro agrotóxico.
• Chuvas: Delsene® SC não é significativamente lavado das áreas aplicadas nas plantas por chuvas ou irrigação.
• Não utilizar o produto em desacordo às instruções do rótulo e bula.
INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
Utilizar os equipamentos de proteção individual indicados nas PRECAUÇÕES NO MANUSEIO e PRECAUÇÕES DURANTE A
APLICAÇÃO descritas nos Dados Relativos à Saúde Humana.
INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Vide Modo / Equipamentos de Aplicação.
DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente - IBAMA/MMA.
INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM,
REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente - IBAMA/MMA.
INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA
UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
De acordo com as recomendações aprovadas pelo Órgão responsável pelo meio ambiente, IBAMA/MMA.
INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA:
Quando fungicidas com um mesmo modo de ação são usados repetidamente por vários anos na mesma área para controlar
o mesmo patógeno, linhagens tolerantes de ocorrência natural podem sobreviver, propagar-se e tornarem-se dominantes na
área. Um patógeno é considerado resistente a um fungicida se ele sobrevive ao tratamento correto, na dose e época
recomendadas, sob condições climáticas normais.
O desenvolvimento da resistência de um patógeno pode ser evitado ou retardado pelo uso alternado ou em mistura de
ingredientes ativos com diferentes modos de ação.
AVISO AO COMPRADOR:
Delsene® SC deve ser utilizado exclusivamente de acordo com as recomendações de bula/rótulo. A DuPont não se
responsabiliza por danos ou perdas resultantes do uso deste produto de modo não recomendado especificamente pela
bula/rótulo. Consulte sempre um engenheiro agronômo. O usuário assume todos os riscos associados ao uso não
recomendado.
RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL:
O produto encontra-se com restrição de uso temporária no Estado do Paraná para Corynespora cassiicola na cultura da Soja.
3
4
5
6
CULTURA, DOENÇAS, DOSES, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALOS DE APLICAÇÃO:
FABRICANTES DO PRODUTO TÉCNICO:
Suzhou Worldbest Agro-Biochemical Co., Ltd - Mudu, Suzhou, Jiangsu 215101 - P.R. China
Tai Cang Pesticide Factory - Biu he Road, Liu He Town, Tai Cang City, Jiangsu Province - P.R. China
SOJA
Doença
FORMULADORES:
Du Pont do Brasil S.A. - Rodovia Presidente Dutra, km 280 A - CEP 27365-000 - Barra Mansa - RJ - CNPJ 61.064.929/0023-84
Cadastro Estadual nº FEEMA LOFE013177 AVB 000636
DuPont de Nemours France S.A. - Cernay - France
Du Pont Argentina S.A. - Ruta 33, km 738 - Casilda - Argentina
Indústrias Químicas Lorena Ltda. - Rua 1, esq. com Rua 6, s/n - Lote Industrial - Nova Roseira - Roseira - SP - Brasil
CNPJ 48.284.749/0001-34 - Cadastro Estadual nº 266 (Secretaria de Agricultura - SP)
DuPont de Colombia S.A. - Via 40 nº 85-85 - Apartado Postal - Barranquilla - Colombia
FMC Química do Brasil Ltda. - Av. Antônio Carlos Guillaumon, 25 - Distrito Industrial III - Uberaba - MG - CEP 38001-970
CNPJ 04.136.367/0005-11 - Cadastro Estadual nº 701/00203 (Instituto Mineiro de Agropecuária/MG)
Sipcam Isagro S.A. - Rua Igarapava, 599 - Distrito Industrial III - Uberaba - MG - CNPJ 23.361.306/0001-79
Cadastro Estadual nº 701/332/2003 (Instituto Mineiro de Agropecuária/MG)
Nº do lote ou da partida:
Data de Fabricação:
Data de Vencimento:
Lavagem do equipamento de aplicação: Antes da aplicação, verifique e inicie somente com o equipamento limpo e bem
conservado. Imediatamente após a aplicação, proceda a uma completa limpeza de todo o equipamento para reduzir o risco
da formação de depósitos sólidos que podem se tornar difíceis de serem removidos. O adiamento, mesmo que por poucas
horas, somente torna a limpeza mais difícil.
1. Com o equipamento de aplicação vazio, enxágüe completamente o pulverizador e faça circular água limpa pelas
mangueiras, barras, bicos e difusores, removendo fisicamente, se necessário os depósitos visíveis de produto. O material
resultante desta operação deverá ser pulverizado na área tratada com o respectivo produto.
2. Complete o pulverizador com água limpa. Circule esta solução pelas mangueiras, barras, filtros e bicos. Desligue a barra e
encha o tanque com água limpa. Circule pelo sistema de pulverização por 15 minutos. Circule então pela mangueiras,
barras, filtros, bicos e difusores. Esvazie o tanque na área tratada com o respectivo produto.
3. Complete o pulverizador com água limpa e adicione amônia caseira (3% de amônia) na proporção de 1% (1 litro por 100
litros). Circule esta solução pelas mangueiras, barras, filtros e bicos. Desligue a barra e encha o tanque com água limpa.
Circule pelo sistema de pulverização por 15 minutos. Circule então pelas mangueiras, barras, filtros, bicos e difusores.
Esvazie o tanque evitando que este líquido atinja corpos d’água, nascentes ou plantas úteis.
4. Remova e limpe os bicos, filtros e difusores em um balde com a solução de limpeza.
5. Repita o passo nº 3.
6. Enxágüe completamente o pulverizador, mangueiras, barra, bicos e difusores com água limpa no mínimo 2 vezes.
Limpe tudo que for associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento do tanque. Tome todas as
medidas de segurança necessárias durante a limpeza. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fontes de água ou de
plantas úteis. Descarte os resíduos da limpeza de acordo com a legislação Estadual ou Municipal.
Recomendações para evitar a deriva:
Não permitir que a deriva proveniente da aplicação atinja culturas vizinhas, áreas habitadas, leitos de rios e outras fontes de
água, criações e áreas de preservação ambiental. Seguir as restrições existentes na legislação pertinente.
O potencial de deriva é determinado pela interação de muitos fatores referentes ao equipamento de pulverização e o clima.
O aplicador é responsável por considerar todos estes fatores quando da decisão de aplicar.
EVITAR A DERIVA DURANTE A APLICAÇÃO É RESPONSABILIDADE DO APLICADOR.
Importância do diâmetro de gota:
A melhor estratégia de gerenciamento de deriva é aplicar o maior diâmetro de gotas possível para dar uma boa cobertura e
controle (>150 a 200 µm). A presença de culturas sensíveis nas proximidades, infestação e condições climáticas, podem
afetar o gerenciamento da deriva e cobertura da planta. APLICAÇÃO DE GOTAS DE DIÂMETROS MAIORES REDUZ O
POTENCIAL DE DERIVA, MAS NÃO A PREVINE SE AS APLICAÇÕES FOREM FEITAS DE MANEIRA IMPRÓPRIA OU SOB
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DESFAVORÁVEIS! Ver instruções sobre Condições de vento, Temperatura e Umidade e Inversão
térmica.
Controlando o diâmetro de gotas - Técnicas Gerais
Volume: usar bicos de vazão maior para aplicar o volume de calda mais alto possível, considerando suas necessidades
práticas. Bicos com uma vazão maior produzem gotas maiores, de acordo com a pressão de trabalho adotada (ex.: XR
Teejet).
Pressão: usar a menor pressão indicada para cada bico. Pressões maiores reduzem o diâmetro de gotas e não melhoram a
penetração na cultura. QUANDO MAIORES VOLUMES FOREM NECESSÁRIOS, USAR BICOS DE VAZÃO MAIOR AO INVÉS DE
AUMENTAR A PRESSÃO.
Tipo de bico: usar o tipo apropriado para o tipo de aplicação desejada. Preferencialmente, usar bicos de baixa deriva.
Controlando o diâmetro de gotas - Aplicação aérea
Número de bicos: Usar o menor número de bicos com maior vazão possível, que proporcione uma cobertura uniforme.
Orientação dos bicos: Direcioná-los de maneira que o jato esteja dirigido para trás, paralelo a corrente de ar, o que produzirá
gotas maiores que outras orientações.
Tipos de bico: bicos de jato cheio, orientados para trás, produzem gotas maiores que outros tipos.
Comprimento da barra: O comprimento da barra não deve exceder ¾ (três quartos) da asa ou do comprimento do rotor;
barras maiores aumentam o potencial de deriva.
Altura de vôo: aplicações a alturas maiores que 4 metros acima da cultura ou do alvo aumentam o potencial de deriva, ao
mesmo tempo que vôos muito razantes prejudicam a eficiência da aplicação podendo prejudicar o controle das plantas
daninhas.
Altura da barra - Aplicações tratorizadas
Regular a altura da barra para a menor altura possível a fim de obter uma cobertura uniforme, reduzindo a exposição das
gotas à evaporação e aos ventos. A barra deve permanecer nivelada com a cultura e com o mínimo de solavancos,
observando-se também a adequada sobreposição dos jatos. Preferencialmente, utilizar bicos com ângulo do jato de 110º.
Ventos
O potencial de deriva varia em função da velocidade do vento (ventos com velocidade superior a 10 km/h ou situações em
que a ausência de ventos ocasione a inversão térmica, aumentam o potencial de deriva). Muitos fatores, incluindo diâmetro
de gotas e tipo de equipamento, determinam o potencial de deriva a uma dada velocidade do vento. NÃO APLICAR SE
HOUVER RAJADAS DE VENTOS. NO CASO DE APLICAÇÃO AÉREA NÃO APLICAR EM CONDIÇÕES SEM VENTO.
Observações: condições locais podem influenciar o padrão do vento. Todo aplicador deve estar familiarizado com os
padrões de ventos locais e como eles afetam a deriva.
Temperatura e umidade
Evitar aplicações em condições extremas de temperatura e umidade. Regular o equipamento para produzir gotas maiores
reduzindo o efeito da evaporação.
Inversão térmica
O potencial de deriva é alto durante uma inversão térmica. Inversões térmicas diminuem o movimento vertical do ar,
formando uma nuvem de pequenas gotas suspensas que permanece perto do solo e com movimento lateral. Inversões
térmicas são caracterizadas pela elevação de temperatura com relação à altitude e são comuns em noites com poucas
nuvens e pouco ou nenhum vento. Elas começam a ser formadas ao pôr-do-sol e freqüentemente continuam até a manhã
seguinte. Sua presença pode ser indicada pela neblina ao nível do solo. No entanto, se não houver neblina, as inversões
térmicas podem ser identificadas pelo movimento da fumaça originária de uma fonte no solo. A formação de uma nuvem de
INSTRUÇÕES DE USO:
Delsene® SC é um fungicida sistêmico, recomendado para o controle de doenças fúngicas na parte aérea da cultura da soja,
com ação preventina e curativa.
Modo de ação:
Delsene® SC age sobre fungos sensíveis ao produto, paralisando ou impedindo o desenvolvimento do patógeno. Seu
princípio ativo (Carbendazim) se liga fortemente na cadeia proteica do patógeno, chamada tubulina, que é responsável pela
formação dos microtúbulos, os quais se tornam inativos, impedindo o mecanismo de formação dos fusos durante a mitose
ou divisão celular. Os microtúbulos também são vitais no processo de germinação dos esporos e na elongação das hifas.
Atividade de contato/Ação residual:
Depositado sobre uma planta hospedeira, Delsene® SC age como fungicida de contato ou preventivo contra fungos
patogênicos. O depósito na superfície proporciona ação residual e a maior parte permanece intacta como princípio ativo
(Carbendazim) por algumas semanas.
Atividade fungicida (Ação sistêmica/Curativa):
O efeito curativo de Delsene® SC é conseguido com parte do Carbendazim que penetra na cutícula ou move-se dentro do
local atingido pelo fungo, paralisando o processo de infecção.
Uma ação sistêmica mais geral também pode ocorrer. O fungicida move-se do ponto de penetração do sistema de transporte
de água (apoplástico) para áreas de maior transpiração. O movimento para cima e para fora (acripétalo) concentra o
fungicida nas margens ou extremidades da folha. Em plantas adultas, principalmente nas perenes, não ocorre translocação
para outras partes não tratadas da planta. A penetração é muito maior em plantas herbáceas suculentas do que em tecidos
lenhosos, com cutículas espessas.
Vide embalagem
ou rótulo
ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO, A BULA E A RECEITA E CONSERVE-OS EM SEU PODER.
É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. PROTEJA-SE.
É OBRIGATÓRIA A DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA.
CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA: III - MEDIANAMENTE TÓXICO
CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL: III - PRODUTO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE
TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800.701 0109
Dose
Nome Científico
Observações
Nome Comum
Efetuar somente uma aplicação durante o ciclo
total da cultura.
Aplicar a dose indicada no aparecimento da
500 mL/ha doença (máximo 20% de severidade), o que pode
ocorrer já em estádios iniciais V5 e V6
(vegetativo) da cultura, podendo se prolongar até
o estádio R5.5 (75% a 100% de granação)
Microsphaera diffusa
Oídio
Cercospora kikuchii
Mancha-púrpura-da-semente
Septoria glycines
Mancha-parda ou septoriose
Corynespora cassiicola *
Mancha-alvo
CUIDADO
VENENO
Efetuar somente uma aplicação durante o ciclo
total da cultura.
500 mL/ha Aplicar a dose indicada entre os estádios de
desenvolvimento R4 (vagem formada) e R5.5
(75% a 100% granação) da cultura da soja
ESPECIFICAÇÕES
PRODUTO Delsene® SC - Rótulo-Bula 5 litros
FORMATO: 565 x 135 mm - IMPRESSÃO: Pantone 293 C / Preto
CÓDIGO: DS00083B / A00782549 - DATA: 03/10/2008 - DS00083B.EPS
Benzimidazol
Classe toxicológica
CLASSE III - MEDIANAMENTE TÓXICO
Mecanismos de toxicidade
Altera enzimas microssomais hepáticas em animais de laboratório (ratos e camundongos).
Toxicidade
Têm baixa toxicidade aguda, entretanto, em nível experimental, efeitos reprodutivos
adversos foram relatados após uma única exposição.
A DL50 em uma ampla variedade de espécies e vias de administração, variou de 2000-15000
mg/kg. Não tem interação com o DNA, mas apresentam aberrações cromossômicas, em
animais de laboratório. Em humanos não foram relatados efeitos adversos. Exposições a
longo prazo podem causar distúrbios na reprodução.
Vias de absorção
Oral (80-85%), dérmica em menor intensidade.
Metabolismo e
Toxicocinética
O Carbendazim é um metabólito ativo do tiofanato metílico.
Após absorção, o Carbendazim é distribuído por todos os tecidos, atingindo altas
concentrações no fígado, onde são metabolizados. Têm excreção renal e biliar em até 72 horas.
7
Tratamento
Atenção
Nota: Antes da aplicação de Delsene® SC o equipamento de pulverização deve estar limpo e bem conservado, procedendo
então a calibragem do equipamento para a correta pulverização do produto.
DADOS RELATIVOS À SAÚDE HUMANA:
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADOS.
Precauções gerais:
• Produto para uso exclusivamente agrícola. • Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto. •
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados. • Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos. •
Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. • Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. • Não
transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
PANTONE 293 C
PRETO
AREA PARA
COLA
Nenhuma referência de intoxicação aguda causada pelo Carbendazim foi encontrada em
humanos.
As medidas abaixo relacionadas, especialmente aquelas voltadas para a adequada
oxigenação do intoxicado, devem ser implementadas concomitantemente ao tratamento
medicamentoso e a descontaminação.
Utilizar luvas e avental durante a descontaminação.
1. Remover roupas e acessórios e descontaminar a pele (incluindo pregas, cavidades e
orifícios) e cabelos, com água fria abundante e sabão. Colocar a vítima em local ventilado
2. Se houver exposição ocular, irrigar abundantemente com soro fisiológico ou água, por no
mínimo 15 minutos, evitando contato com a pele e mucosas.
3. Em caso de ingestão recente, fazer lavagem gástrica. Atentar para nível de consciência e
proteger vias aéreas do risco de aspiração. Administrar carvão ativado na proporção de
50-100 g em adultos e 25-50 g em crianças de 1-12 anos, e 1g/kg em menores de 1 ano,
diluídos em água, na proporção de 30 g de carvão ativado para 240 mL de água.
As Intoxicações por Agrotóxicos estão incluídas entre as Enfermidades de Notificação
Compulsória. Comunique o caso e obtenha informações especializadas sobre o diagnóstico e
tratamento através dos TELEFONES DE EMERGÊNCIA PARA INFORMAÇÕES MÉDICAS:
Centro de Informações Toxicológicas: 0800-410 148 (PR)
Telefone da Empresa: 0800.701 0109
PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
( ) Altamente Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE I)
( ) Muito Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE II)
(X) PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III)
( ) Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE IV)
• Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
• Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para microcrustáceos.
• Evite a contaminação ambiental – Preserve a Natureza.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água. Evite a contaminação da
água.
• A destinaçào inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar,
prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
• Não execute aplicação área de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de
povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinquenta) metros de
mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e vegetação susceptível a danos.
• Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.
INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de
produtos vazados.
• Em caso de armazéns deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas
Técnicas - ABNT.
• Observe as disposições constantes das legislações estadual e municipal.
8
Preparo da calda:
a) O abastecimento do tanque do pulverizador deve ser feito enchendo o tanque até a metade da sua capacidade com água,
mantendo o agitador ou retorno em funcionamento e então adicionar a quantidade recomendada de Delsene® SC,
proceder a homogeneização e completar o volume do tanque com água. A agitação deve ser constante durante a
preparação e aplicação do produto.
b) Prepare apenas a quantidade necessária de calda para uma aplicação, pulverizando logo após a sua preparação.
c) Caso aconteça algum imprevisto que interrompa a agitação do produto possibilitando a formação de depósitos no fundo
do tanque do pulverizador, agitar vigorosamente a calda antes de reiniciar a operação.
INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a Empresa DU PONT DO BRASIL S.A. - telefone de emergência: 0800-701 0109.
• Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de PVC, óculos protetor e máscara
com filtro).
• Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d’água.
Siga as instruções abaixo:
Piso pavimentado - absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em
recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, consulte o
registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
Solo - retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um
recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
Corpos d'água - interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais
próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do
acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
• Em caso de incêndio, use extintores DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA, CO² OU PÓ QUÍMICO ficando a favor do vento para
evitar intoxicação.
PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS
VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
• EMBALAGEM RÍGIDA LAVÁVEL
LAVAGEM DA EMBALAGEM
Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI’s - Equipamentos de Proteção
Individual - recomendados para o preparo da calda do produto.
Tríplice lavagem (Lavagem Manual):
Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotandose os seguintes procedimentos:
- Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30
segundos;
- Adicione água limpa à embalagem até ¼ do seu volume;
- Tampe bem a embalagem e agite-a, por 30 segundos;
- Despeje a água de lavagem no tanque do pulverizador;
- Faça esta operação três vezes;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.
Lavagem sob pressão:
Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos:
- Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
- Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
- Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos:
- Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sobre a boca do tanque de
pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
- Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de
água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
9
ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem Sob Pressão, esta embalagem deve ser armazenada com
a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local
coberto, ventilado, ao abrigo de chuva, e com piso impermeável, ou no próprio local onde são guardadas as
embalagens cheias.
DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo
usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato
da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de
validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um
ano após a devolução da embalagem vazia.
TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações,
animais e pessoas.
• EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA):
ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA
ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto,
ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens
cheias.
DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local
indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.
TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações,
animais e pessoas.
• DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada
pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.
• É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O
FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO
• EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM
VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa
contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
• PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através
do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação,
equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes aprovados pelo órgão ambiental competente.
• TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o
acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem
ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.
® Delsene é marca registrada da E.I. du Pont de Nemours & Co. (Inc.)
10
DS00083B / A00782549
PRECAUÇÕES RELATIVAS À SAÚDE HUMANA:
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADOS.
PRECAUÇÕES GERAIS: • Produto para uso exclusivamente agrícola. • Não
coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto. • Não
utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados. • Não utilize
equipamentos com vazamentos ou defeitos. • Não desentupa bicos, orifícios e
válvulas com a boca. • Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. •
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações,
animais e pessoas.
PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: • Se houver contato do produto com os olhos,
lave-os imediatamente e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS
SOCORROS. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e
SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS. • Ao contato
do produto com a pele, lave-a imediatamente e SIGA AS ORIENTAÇÕES
DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS. • Ao abrir a embalagem, faça-o de
modo a evitar respingos. • Utilize equipamento de proteção individual - EPI:
macacão de algodão hidro-repelente (com as mangas compridas passando
por cima do punho das luvas e as calças passando por cima das botas),
avental impermeável, máscara com filtro cobrindo nariz e boca, luvas e botas
de borracha, touca árabe e protetor ocular.
PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: • Evite, o máximo possível, o contato
com a área aplicada. • Não aplique o produto na presença de ventos fortes e
nas horas mais quentes do dia. • Aplique o produto somente nas doses
recomendadas. • Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de
algodão hidro-repelente (com as mangas compridas passando por cima do
punho das luvas e as calças passando por cima das botas), máscara com filtro
cobrindo nariz e boca, luvas e botas de borracha, touca árabe e protetor
ocular.
PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: • Não reutillize a embalagem vazia. • Evite
o máximo possível, o contato com a área aplicada com o produto até o término
do intervalo de reentrada (24h). • Mantenha o restante do produto
adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe
do alcance de crianças e animais. • Tome banho imediatamente após a
aplicação do produto. • Troque e lave as suas roupas de proteção
separadamente das demais roupas da família. • Ao lavar as roupas utilizar
luvas e avental impermeável. • Faça a manutenção e lavagem dos
equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. • Fique atento ao
período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do
fabricante. • No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção
individual - EPI: macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas,
luvas e botas de borracha.
PRIMEIROS SOCORROS: Procure logo um serviço médico de emergência
levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.
Ingestão: Não provoque vômito. Olhos: Lave com água em abundância durante
15 minutos. Pele: Lave com água e sabão em abundância. Inalação: Procure
local arejado. Se o acidentado parar de respirar, aplique imediatamente
respiração artificial. Transporte-o imediatamente para assistência médica
mais próxima.
TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA: Não existem antídotos específicos
para CARBENDAZIM. Em caso de ingestão, inalação, contato com olhos ou
pele, proceder a um tratamento sintomático, de acordo com o quadro clínico.
Sob supervisão médica, adotar medidas terapêuticas imediatas para reduzir
ou impedir a absorção, neutralizar a ação do produto ou intensificar sua
eliminação. Para maiores informações: VIDE BULA
TELEFONES DE EMERGÊNCIA:
Centro de Informações Toxicológicas: 0800-410 148 (PR)
Telefone da Empresa: 0800-701 0109
PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO
AO MEIO AMBIENTE:
• Este produto é:
( ) Altamente Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE I).
( ) Muito Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE II).
( X ) PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III).
( ) Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE IV).
• Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. • Este produto é
ALTAMENTE TÓXICO para microcrustáceos. • Evite a contaminação ambiental Preserve a Natureza. • Não utilize equipamento com vazamentos. • Não aplique o
produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. • Aplique
somente as doses recomendadas. • Não lave embalagens ou equipamento
aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da
água. • Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma
distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de
captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinquenta)
metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e
vegetação suscetível a danos. • Observe as disposições constantes na legislação
estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.
INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA
CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. • O local deve
ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou
outros materiais. • A construção deve ser de alvenaria ou de material não
combustível. • O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. •
Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. • Tranque o
local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. •
Deve haver sempre recipientes disponíveis para envolver embalagens rompidas. •
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções da NBR 9843 da
Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. • Observe legislação estadual
e municipal.
EM CASO DE ACIDENTE:
• Isole e sinalize a área contaminada. • Utilize equipamentos de proteção
individual. • Contate as autoridades locais competentes e a Empresa DU PONT DO
BRASIL S.A. - Telefone de Emergência: 0800-701 0109. • Procure impedir que o
produto atinja bueiros, drenos ou corpos d'água. • Em caso de incêndio, use
extintores DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA, DE CO² OU PÓ QUÍMICO, ficando a
favor do vento para evitar intoxicação.
DEVOLUÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS:
• É obrigatória a devolução desta embalagem ao estabelecimento onde foi
adquirido o produto ou no local indicado, por escrito, na nota fiscal de compra,
conforme instruções da bula. Não armazene ou transporte embalagens vazias
junto com alimentos, bebidas, rações, medicamentos, animais ou pessoas. • A
destinação inadequada de embalagens e restos de produtos no meio ambiente
ocasiona contaminação do solo, da água e do ar. • SIGA AS INSTRUÇÕES
CONTIDAS NA BULA REFERENTES AOS PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM E/OU
DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS.
PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
• Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso,
consulte o registrante através do telefone 0800-707 5517 para sua devolução e
destinação final.
TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
• Está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação
específica.
® Delsene é marca registrada da E.I. du Pont de Nemours & Co. (Inc.)
DS5081V / A00782530
BULA
INFORMAÇÕES MÉDICAS
Grupo químico
Sintomas e sinais clínicos
Aplicação Aérea:
a) Utilizar-se de aeronaves agrícolas, equipadas com barras de aplicação apropriadas, munidas de bicos tipos cônicos (ex:
D9, D10, ou D12, core 45) ou de bicos rotativos (ex: Micronair®).
b) Regular o ângulo dos bicos em relação a aeronave de acordo com as características do equipamento e da aeronave, e
das condições climáticas no momento da aplicação.
c) Utilizar-se de volumes de calda de aplicação variando de 30 a 40 litros/ha, em função do tipo de bico escolhido, tamanho
de gotas de 200 a 400 micra, densidade de gotas em torno de 60 gotas/cm².
d) Aplicar a uma altura entre 2 a 4 metros acima do alvo.
e) Optar por uma largura de deposição efetiva adequada que será determinada em função do tipo de aeronave utilizada e as
condições climáticas no momento da aplicação. A faixa de deposição escolhida deve proporcionar uma cobertura
uniforme e sem sobreposição das faixas de aplicação.
f) Recomenda-se realizar as aplicações com temperatura entre 15 e 30ºC, umidade relativa superior a 60% e velocidade do
vento inferior a 15 km/h e não aplicar com ausência de vento.
g) Não permita que a deriva proveniente da aplicação atinja culturas vizinhas, áreas habitadas, leitos de rios e outras fontes
de água, criações e áreas de preservação ambiental. Siga as restrições existentes na legislação pertinente.
ABRA AQUI
Precauções no manuseio:
• Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS
SOCORROS. • Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM
PRIMEIROS SOCORROS. • Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS
EM PRIMEIROS SOCORROS. • Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos. • Utilize equipamento de proteção
individual – EPI: macacão de algodão hidro-repelente (com as mangas compridas passando por cima do punho das luvas e
as calças passando por cima das botas), avental impermeável, máscara com filtro cobrindo nariz e boca, luvas e botas de
borracha, touca árabe e protetor ocular.
Precauções durante a aplicação:
• Evite, o máximo possível, o contato com a área aplicada. • Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas
mais quentes do dia. • Aplique o produto somente nas doses recomendadas. • Utilize equipamento de proteção individual EPI: macacão de algodão hidro-repelente (com as mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as calças
passando por cima das botas), máscara com filtro cobrindo nariz e boca, luvas e botas de borracha, touca árabe e protetor
ocular.
Precauções após a aplicação:
• Não reutilize a embalagem vazia. • Evite o máximo possível, o contato com a área aplicada com o produto até o término do
intervalo de reentrada (24h). • Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local
trancado, longe do alcance de crianças e animais. • Tome banho imediatamente após a aplicação do produto. • Troque e lave
as suas roupas de proteção separadamente das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental
impermeável. • Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. Fique atento
ao período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante. • No descarte de embalagens
utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas, luvas e botas
de borracha.
INTOXICAÇÕES POR CARBENDAZIM
PRIMEIROS SOCORROS: Procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e receituário
agronômico do produto.
Ingestão: Não provoque vômito.
Olhos: Lave com água em abundância durante 15 minutos.
Pele: Lave com água e sabão em abundância.
Inalação: Procure local arejado.
Se o acidentado parar de respirar, aplique imediatamente respiração artificial. Transporte-o imediatamente para assistência
médica mais próxima.
ANTÍDOTO
Não há antídoto específico
e) Manter a agitação do tanque e o registro do pulverizador fechado durante as paradas e manobras do equipamento,
evitando desperdícios e sobreposição das faixas de aplicação.
Fly UP