...

Ilha Pequena

by user

on
Category: Documents
2

views

Report

Comments

Transcript

Ilha Pequena
Rabo Branco 2014
Rabo Branco
Nº do Contrato:
Operador do Contrato:
Estado:
Bacia:
Localização:
Lâmina d´água:
Fluido Principal:
Área:
Situação:
Descoberta:
Declaração de Comercialidade:
Início de Produção:
48610.009198/2005-58
Petrogal Brasil S.A.
(Petrogal)
Sergipe
Sergipe-Alagoas
Terra
Campo terrestre
Óleo
44,86 km²
Em produção
27/11/2007
28/12/2012
28/12/2012
Localização do campo (Bacia Sergipe Alagoas)
Plano de Desenvolvimento aprovado
Reunião de Diretoria nº 758 de 11/06/2014
Resolução nº 581/2014
Concessionário(s):
Petrogal Brasil S.A. (Petrogal)
Petróleo Brasileira S.A. (Petrobras)
Participação (%):
50
50
Sistema de Produção e Escoamento
A unidade de produção do Campo Rabo Branco compreende as Estações Coletoras dos poços: GALP-11,
GALP-12 e GALP-36. O fluido produzido (óleo, água e gás associado) pelos poços existentes nas estações ECGALP-11 e EC-GALP-12, é direcionado para um tanque de produção quando, após drenado a água associada, é
realizado sua medição fiscal e transferido através de caminhões-tanque para a empresa compradora do óleo
(Petrobras), sendo ainda realizadas amostragens para identificação do BSW no petróleo exportado. No caso da
EC-GALP-36, por coletar a partir de um poço surgente (4-GALP-36-SE), a corrente do fluido produzido passa por
um vaso separador onde a corrente líquida (óleo e água) segue para os tanques de armazenamento e separação
da água, enquanto o gás associado é direcionado ao flare, nesta fase inicial de explotação.
3
3
A capacidade de armazenamento de cada estação coletora é de 90m (EC-GALP-11); 120m (EC-GALP-12)
e 220m (EC-GALP-36), podendo ainda ser ampliada com o avanço da explotação do campo. Enquanto não
houver produção significativa de gás, todo o gás associado produzido será ventilado nos tanques (EC-GALP-11 e
EC-GALP-12) ou direcionado ao flare (EC-GALP-36), por falta de economicidade no seu aproveitamento.
3
Poços:
Perfurados:
Produtores:
Abandonados (poços que já existiam
na área):
Fechados:
04/2014
12
03
05
01
Rabo Branco 2014
Previsto Completação:
03
Reservatórios
No contexto tectônico da Bacia Sergipe-Alagoas o Campo Rabo Branco situa-se no bordo leste do alto do
Embasamento conhecido como Alto de Aracaju, delimitado pelos baixos estruturais denominados Graben de
Divina Pastora, situado a noroeste/sudoeste, e Graben de Japaratuba e Degrau de Pirambu, localizados a
nordeste e sudeste.
Os reservatórios do Campo Rabo Branco situam-se estratigraficamente na Formação Muribeca, nos
Membros Oiteirinho, Ibura e Carmopólis, depositados no período pós rifte de idade Neo-Alagoas (final do
Aptiano). Para estes reservatórios foram definidas cinco zonas potencialmente produtoras denominadas
informalmente e preliminarmente de zonas X, A, B, C, D1 e D. A principal zona produtora do campo é a Zona D1
(Embasamento alterado/fraturado) classificada como reservatório não convencional.
O mecanismo de produção predominante é o de expansão da rocha e fluidos até a pressão de
saturação, após o que, o mecanismo predominante seria o de gás em solução. As rochas reservatório,
apresentam características consideradas pobres, com baixas permeabilidades. Apenas no TFR-1 do poço 4-GALP36-SE, os reservatórios testados em conjunto (Ibura, Carmópolis e Embasamento alterado/fraturado)
apresentaram permeabilidade acima de 60 mD. As porosidades médias dos reservatórios variam de 6% a 26%. A
saturação de água inicial considerada para efeito de cálculos de volumes varia de 12 a 40%. O grau API do óleo
utilizado na modelagem variou de 26° a 31°API.
Produção Acumulada:
Petróleo (milhões de barris)
Gás natural (milhões de m³):
31/12/2012
0,068
0,786
PRODUÇÃO MENSAL REALIZADA
Fly UP